a carregar...

rede ex aequo - associação de jovens lgbti e apoiantes

Esqueceste-te da password?

Apoio e recursos

Aqui encontras todos os recursos de apoio para as tuas dúvidas e questões

  1. home
  2. apoio
  3. questões
  4. Trans

Trans

O que é uma pessoa trans?

A palavra trans é um termo abrangente para designar pessoas que não se identificam com o género atribuído à nascença, que podem querer ou não fazer modificações corporais para se sentirem melhor consigo mesmas e com sua identificação. Incorpora identidades como “homem trans” e “mulher trans” e também identidades que não se enquadram no binário masculino/feminino, como pessoas não-binárias.

O que é o género?

É uma construção social decorrente do contexto histórico e cultural. Engloba os conceitos de identidade e expressão de género, usualmente numa perspectiva binária em que existem dois conjuntos de características, comportamentos, entre outros, que são exclusivos de cada conjunto e opostos na sua essência, comumente associados à biologia sexual das pessoas.

O que é a identidade de género?

A identidade de género é a profunda experiência de género interna e individual, que pode ou não corresponder ao sexo atribuído à nascença, e que pode ou não estar associada à expressão de género da pessoa e aos seus sentimentos em relação ao seu corpo.

O que é a expressão de género?

É o conjunto das características de uma pessoa que são visíveis para o exterior (vestuário, acessórios, penteados, timbre de voz, maneirismos, entre outras coisas) e sugerem a pertença a um determinado género. Por exemplo, feminilidade, masculinidade e androginia. Pode ser mais tradicional ou disruptiva. A leitura que é feita pela sociedade pode ou não corresponder à identidade de género sentida pela pessoa.

Existe uma diferença entre trans, transgénero e transexual?

As palavras “transexual” e “transgénero” foram originalmente usadas em contextos médicos muitas vezes de maneira patologizante para com pessoas trans. Ao longo do tempo foram-se adotando novas palavras, entre as quais a palavra trans, que acaba por ser também uma abreviatura. Apesar dos termos transgénero e transexual terem caído um bocado em desuso, não quer dizer que as pessoas não se identifiquem nem usem estas palavras.

Tenho de me identificar apenas como homem ou mulher?

Não. Existem pessoas que, independentemente da anatomia que tenham, se identificam com outros géneros além dos “tradicionais” masculino ou feminino. Normalmente, esses géneros são referidos, coletivamente, como géneros não-binários, porque não estão incluídos no sistema binário tradicional masculino ou feminino. Uma pessoa não-binária pode ter qualquer expressão de género e pode desejar (ou não) modificar o seu corpo.

Qual é a diferença entre uma pessoa homossexual e uma pessoa trans?

A homossexualidade é uma orientação da atração emocional e sexual. Refere-se às pessoas de quem gostamos. Questões trans referem-se a quem nós somos. Diz respeito à nossa identidade. Uma pessoa trans pode ter uma orientação sexual heterossexual, homossexual, bissexual, entre outras.

Estes rótulos de orientação sexual apesar de servirem para comunicarmos a ideia de por quem nos atraímos, dependem de dois fatores: o nosso género e o género de quem gostamos. Quando a pessoa se identifica com um género não-binário, podem achar que não faz sentido dizerem-se do sexo X e atraídas por pessoas do sexo X ou Y. Estas pessoas também se auto-denonimam frequentemente de “queer”.

As pessoas trans são visivelmente reconhecíveis?

Depende. Há pessoas que são visivelmente trans porque quebram, de uma forma bastante óbvia, os papéis e/ou expectativas de género. Estas pessoas podem apresentar, simultaneamente, características tipicamente femininas e masculinas, ou podem ter um aspeto andrógino, por exemplo. No entanto, há pessoas que têm expressões de género mais normativas e que não são visivelmente reconheciveis.

A variação dos costumes culturais

O género é uma construção social no sentido em que é um conceito que não existe por si só e que varia a sua definição de acordo com a cultura, contexto e tempo. As identidades de género reconhecidas em cada sociedade variam, sendo que comunidades indígenas americanas reconhecem pessoas two-spirit e que na Índia são reconhecidas Hijras. O que é importante reter é que estas construções são altamente variáveis e são construídas pela sociedade à nossa volta. Não são esses papéis que definem o nosso valor e não é o nosso corpo que define o nosso género.