rede ex aequo

Olá Visitante24.out.2019, 05:31:33

Sondagem

Auto-mutilação

já pensei nisso mas nunca fiz.
219 (32%)
pensei e cheguei a fazer / ainda faço
233 (34%)
nunca pensei nisso
233 (34%)

Votos totais: 468

Autor Tópico: Ideações suicidas e auto-mutilação  (Lida 182255 vezes)

 
Ideações suicidas e auto-mutilação
#1340

Offline pepe444

  • *****
  • Membro Ultra
  • Género: Masculino
confesso que já tentei o suicido...

Credo... nao faças essas coisas :(
    ""Que estranho mundo este em q as pessoas se podem matar à luz do dia, mas para se amar só o podem fazer às escondidas na escuridão da noite"

    Ideações suicidas e auto-mutilação
    #1341

    Offline SuWilliams

    • ***
    • Membro Total
    • Género: Feminino
    • s <3 k
    confesso que já tentei o suicido...

    Credo... nao faças essas coisas :(

    quando a vida deixa de fazer sentido e te afundas tanto nos teus problemas entras num desespero tal que nem dás pelo que fazes...  :'(
      You're like a drug to me...

      Ideações suicidas e auto-mutilação
      #1342

      natacha

      • Visitante
      confesso que já tentei o suicido...

      Credo... nao faças essas coisas :(

      quando a vida deixa de fazer sentido e te afundas tanto nos teus problemas entras num desespero tal que nem dás pelo que fazes...  :'(
      Não faças uma coisa dessas  :(

      Tem calma e força
      Mas não penses fazer uma coisa dessas

        Ideações suicidas e auto-mutilação
        #1343

        Offline filsim

        • ***
        • Membro Total
        • Género: Masculino
        Suicidio: Sensivelmente a partir dos meus 13 anos comecei a colocar a hipotese de o fazer esporadicamente, já a partir dos 15 - 16 começou a ser praticamente diário o pensamento até há coisa de 4 meses atrás. Mas nunca tinha tido a coragem. No mês passado as coisas complicaram-se um pouco e dei por mim a pensar nisso e com a coragem e a falta de medo de o fazer tinha perdido toda a vontade de viver naquele dia, só não o fiz porque um bocado de mim ainda pensou nos que cá ficam e a ideia de ser o meu irmão mais novo a encontrar-me fez-me não avançar com a ideia. Agora ando bem e uma ajuda eficaz é como o nevertoolatetobehappy, ajudar os outros ajuda-nos e pensar que existem pessoas sempre pior que nós. Uma desilusão hoje, uma alegria amanhã, existem aquelas pessoas que tem uma disilusão diaiamente até morrer porque a expectativa delas nunca é concretizada mas mesmo assim se for preciso sorriem.

        Auto-mutilação: Já o fiz uma vez, há cerca de 3 anos atrás. Não vale a pena, e faltava coragem para o fazer. Sei que às vezes dói mas nao é por o fazer que a dor vai desaparecer. Temos de lidar com as coisas e enfrentá-las.

          Ideações suicidas e auto-mutilação
          #1344

          Offline rk

          • ****
          • Membro Sénior
          • Género: Masculino
          Para todos os que estao a pensar em cometer algo irreversivel, pensem que o mundo e tao vasto e existe tanta gente que reduzirem se ao que conhecem para tomar uma decisao de acabar com a vida quando ha tanta coisa que podem fazer e tantas pessoas no mundo capazes de proporcionar felicidade antes que a inevitavel morte venha..
          Por pior que sejam os problemas, e nao estou com isto a tentar desvalorizar os problemas de cada um, a morte e o ultimo passo final: A partir dai nao ha volta a dar, tudo o que era deixou de o ser, tanto do bom como do mau, simplesmente deixamos de existir. Da que pensar que se vamos morrer, porque nao nos matamos ja e acaba-se com todos estes problemas, mas porque nao tentar dar a volta e ir vivendo?  E quem sabe encontrar a felicidade, partir sem dizer nada a ninguem para outro pais, ir percorrer o mundo e ver outros tantos milhoes com problemas mais graves que os nossos e mesmo assim resistir, ha tanta mas tanta coisa, as possibilidades sao infinitas, porque dar um ponto final precoce?
          Costuma se dizer que para tudo ha remedio, menos para a morte.
          Um abraco para todos os que estao na fossa, melhores dias virao

            Ideações suicidas e auto-mutilação
            #1345

            pedrosilvaesc

            • Visitante
            :'( Amor não é a envolvência com a pessoa perfeita, a pessoa dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas. Deve-se encarar a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando as suas qualidades, mas sabendo também os seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser. Nunca é demais lembrar de que não devemos humilhar ninguém. Os erros que os outros cometem hoje, nós podemos cometê-los amanhã. Não se deve julgar inatingível nem infalível. Todos podem falhar. Deve-se tratar os outros com tolerância, para que se possa reerguê-los, se errarem. A perfeição não é desta terra. A perfeição não existe. Não se deve exigir dos outros aquilo que também ainda não pode dar...Quando amei de verdade o meu namorado Diogo, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, podia relaxar. Hoje sei que isso tem nome auto - estima. Quando amei de verdade o meu namorado Diogo, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é respeito. No que diz respeito à amizade, essa, a verdadeira amizade não é aquela em que estão sempre de acordo contigo, mas sim aquela onde dizem que estás a errar e ajudam-te a fazer da maneira mais certa…e acredita que nem sempre é assim…amizades estranhas…sentimentos estranhos…algo esquisito…algo fora do normal…AMIZADES FALSAS…Há certas pessoas que se acham melhor que os outros, só porque têm a beleza maior, uma condição melhor, um cabelo mais liso, uma cor mais clara, um grau de estudo mais elevado, uma casa mais chique, um carro mais caro, uma conta bancária mais gorda. Enfim para aquelas pessoas que acham que tem o REI na barriga, e adoram pisar nas pessoas, olhar de cima com o nariz empinado, criticar, ter nojo, deviam olhar-se ao espelho antes de criticar, antes de julgar, antes de fazer seja o que for, deviam olhar para essa imagem…Vazio enorme é o que sinto, não minto, desde que o meu namorado Diogo morreu que estou em baixo, no fundo, aquela pessoa faz-me falta, lágrimas jorram-me todos os dias, todas as noites; já não aguento, porque de cada vez que me tento erguer algo me derruba, contínuo no chão a sofrer para nunca mais levantar! Vivo suspenso no ar…Vivo suspenso nesta vida…Para quê transformar em algo? Faço algum sentido? Porquê? Porquê? Porquê viver? Sinto-me morto! Sem o Diogo não sou nada! Transformei-me tanto pelo meu namorado e depois desapareceu e não pode voltar mais! O mundo, onde nós vivemos, é lixo:
            •   Injustiça;
            •   Corrupção;
            •   Desgraça;
            •   Inveja;
            •   Egoísmo…
            Estou farto disto tudo, farto de sofrer, farto da injustiça, farto de estar sem o meu namorado Diogo! Ele faz-me muita falta, a mim, aos seus verdadeiros amigos, à sua família, a todos nós. Desde que ele morreu que as coisas têm piorado bastante:
            •   A minha mãe quer o meu mal;
            •   A minha mãe passa a vida a controlar-me;
            •   A minha mãe expulsou-me de casa;
            •   Estou cada vez pior;
            •   As pessoas só me dão facadas nas costas;
            •   As pessoas são tão hipócritas;
            •   As pessoas fazem-me viver num mundo de ilusão;
            •   As pessoas fazem de mim gato-sapato;
            •   As pessoas só me dão falsas esperanças;
            •   Estou farto desta vida;
            •   Já perdi a conta das vezes que me tentei matar;
            •   Choro constantemente;
            •   A cada dia que passa sou cada vez mais incompreendido.
            Sinto mesmo a falta do Diogo, só ele sabe o que realmente sinto, só mesmo ele sabe o que realmente as coisas que eu passei, só ele sabe as minha dores, o meu sofrimento, ele foi o verdadeiro significado da minha vida, sem ele, já não sei o que fazer, o que dizer, o que sentir! O mundo é imenso sim, mas está cheio de lixo! Neste momento pergunto-me se realmente faz sentido viver! Escrever estas palavras não é algo fácil, porque só certas pessoas sabem porquê! Sem o Diogo…O que fazer? Sem o Diogo …O que sentir? Sem o Diogo …O que pensar? Sem o Diogo …Algo impossível! Durante quase 6 anos fui feliz! Até conhecer o Diogo, não sabia o que era o amor! Graças a ele, só a ele, soube o que era isso: a paixão, o sexo, a amizade, a vivência e tudo mais…Mas…eu quero morrer…Quando morreste pensava que tinha ajuda de quem era meu amigo…Mas isso existe?! NÃO!!! Sinto na pele tudo e mais alguma coisa! Agora de que vale viver? De que vale ter sentimentos? Porquê existir? Só o Diogo me completava! Não concordo com a minha vida! Sinto falta do Diogo! Sinto dos momentos que passava com ele! A injustiça é demais! E já agora qual o problema de amar alguém? É só assim que as pessoas são felizes! Paz e sossego não chega! O dinheiro não compra a felicidade! Nunca se compra uma amizade! Não se compra o amor! A vida sem amor faz algum sentido? A resposta parece-me obvia! Perante algumas coisas é caso para dizer: NÃO AGUENTO MAIS ISTO! Para quê viver? Estou farto, fartíssimo! Farto de viver, farto de sofrer, farto de ser injustiçado! Sou um mártir! A luz não existe! Sinto-me enganado! Sinto “abalado”, sinto-me outro, sinto-me diferente! Já sofri muito nesta vida de m****! Todos os dias, todas as noites, todos momentos estou sozinho! Para onde vou, tudo o que penso, tudo o que faço é algo morto para mim! Não aguento mais estar sem o Diogo! Não aguento mais estar infeliz, sem ninguém, sem verdadeiros amigos, sem excelentes momentos! O Diogo já se foi e sei que nunca voltará! Foi e sempre será o grande amor da minha vida! Irei ama-lo sempre! A minha vida não é nada! Eu não sou nada! Não faço nada! Sou um ser morto! Acredito numa utopia, mas nunca a vejo! A desgraça é muita! No entanto no meio da desgraça, no meio da tristeza, durante quase 6 anos da minha vida fui amorosamente muitíssimo feliz! Foi a minha felicidade! Obrigado ao Diogo porque teve na vida dele um lugar para a minha! Desde que ele faleceu que as coisas estão piores do que nunca! Quando oiço a nossa música predileta o meu mundo para, fazendo-me lembrar dos nossos momentos a dois…Aqueles momentos só nossos…A minha vida dá que pensar…Ele morreu e sei que não volta…Dois Verões sem ele, aniversários sem ele, natais sem ele, passagens de ano sem ele, momentos importantes sem ele…Sinto muitíssima a falta dele, o que sou eu sem ele? NADA!!! Ele era a minha alma gémea, completava-me, era o meu herói, era o meu coração…Desde que ele morreu que estou no fundo…Fundo esse que nunca, jamais me irei levantar…A minha alma está morta, outra vez e para sempre! A luz não existe! A Utopia não a vejo! Para quê viver?! De que vale estarmos a lutar por algo que não existe, algo que é impossível, uma causa perdida! Quem me dera que a nossa música predileta nunca acabasse…adoro…tanto…tanto…tanto…Acho que é assim que me sinto:
            •   Triste;
            •   Sozinho;
            •   Viúvo;
            •   Mártir;
            •   Indignado;
            •   Revoltado;
            •   Fora o resto…
            Serei eu feliz agora que ele partiu? A resposta parece-me obvia! O universo está cheio de lixo!!! O meu coração está trancado a sete chaves! A minha vida sem ele é uma m****! Se não fosses ele, hoje eu já nem estaria aqui, hoje eu já não estaria vivo! Com ele o meu coração cresceu, aprendi muita coisa, se sou aquilo que sou é graças a ele! Sou aquilo que sou e ninguém tem nada a ver com isso! No entanto ninguém me compreende! Ninguém me dá o devido valor como ele me dava! Ele era único! De muitas maneiras ele “morreu” para que eu pudesse viver! Ele teve a coragem de embarcar numa aventura que sabia não ter retorno, foi ele que iluminou a minha vida! Ultrapassámos barreiras! Ele não fez contas para avaliar se a minha chegada era conveniente: ele abriu simplesmente os braços quando eu vim. Não só ele me aceitou como eu sou, como também estava disposto a aceitar-me fosse como eu fosse! Ele diria “o meu bebé” mesmo que eu tivesse nascido sem orelhas. E que me levaria ao colo mesmo que eu fosse leproso. E com tudo e mais alguma coisa ele me mostraria com orgulho aos seus verdadeiros amigos como sempre o fez. Eu era o “bebé” lindo dele! Quando às vezes ele ia para a faculdade com manchas de leite na blusa, estava cheio de pressa e às vezes esquecia-se de algo…ele era o meu braço direito…O meu ombro amigo…Agora sei que ele se foi e sei que nunca voltará…Pois nem tudo é um mar de rosas como anteriormente a minha vida durante um tempo foi, pois mesmo durante isso e desde que namorei com o Diogo, continuei e actualmente contínuo a sofrer, continuei e actualmente contínuo a sentir na pele o prazer em que as pessoas têm em fazer-me mal, continuei e actualmente contínuo a receber ilusões, continuei e actualmente contínuo a receber facadas nas costas, continuei e actualmente contínuo a receber falsas esperanças, continuei e actualmente continuo a receber hipocrisia, etc…A tristeza é um sinal evidente de que andamos perdidos. Não a tristeza passageira que, sem o podermos evitar, nos enche os olhos de lágrimas, mas a outra: a desilusão crónica, o descontentamento permanente; a falta de sentido profundo para os êxitos e para os fracassos, para as dores e para o bem-estar, para as coisas pequenas e para as grandes. Realmente não existem muitos amigos não, como digo e volto a repetir amigos não são queles que é só para risadas, festas, etc... Mas sim que partilha a felicidade e a tristeza muitos não sabes desempenhar corretamente o papel de amigos, mas existem também outros que tentam e retificam o seu erro. Tenho uma família que nunca me apoio, que nunca me compreende, uma família totalmente preconceituosa e homofóbica, a minha mãe expulsou-me de casa em Setembro do ano passado. Eu não tenho amigos verdadeiros, depois de o meu namorado ter falecido há dois anos não tenho namorado. Toda a gente dá-me falsas esperanças, dão-me facadas nas costas, há muita hipocrisia de toda a gente, fazem-me viver num mundo de ilusões, interesses, segundas intenções, etc...Mas no meio de tudo isto mereço a felicidade? Devo lutar pela felicidade? Estou farto de procurar por um namorado...farto de esperar...A felicidade continua a exigir de nós comportamentos que não são compatíveis com a facilidade. Não nos tornamos felizes carregando num botão. É preciso subir montanhas, insistir em esforços prolongados; acreditar, até ao heroísmo, na lentidão. Por vezes, reunimos todas as forças e não sabemos se aguentamos até ao fim do dia. Vagueio por entre os meus sonhos sempre mas lutar...lutar...lutar vale a pena? É difícil lutar pela felicidade, muitas vezes é uma causa perdida, tanto se faz, tantas coisas acontecem e viver a vida é impossível até nos esquecemos disso e muito mais...é verdade que está nas nossas mãos mudar a nossa vida...mas mudar o impossível não dá...Se as pessoas não tivessem prazer em fazer mal às pessoas muita coisa era diferente! Os nossos pensamentos transformam-se em palavras, falando ou escrevendo, pois temos o bom costume de quase sempre pensarmos antes de falar...Mas também sucede o contrário: frases ou citações que ouvimos ou lemos fazem-nos pensar. É uma forma de descobrirmos coisas novas, aproveitando a experiência e a sabedoria de outras pessoas. Quando nos morre quem no fez feliz durante quase 6 anos é difícil viver sem essa pessoa mas quando conseguimos virar essa página por mais difícil que seja segue-se outra batalha a de ser feliz e encontrar alguém que nos faça feliz! E isso eu desisti há muito derivado a: falsidades, ilusões, facadas nas costas, falsas esperanças, etc...mas o grande problema que com que me debato é o prazer que as pessoas têm em fazer mal umas às outras! As pessoas são injustas umas com as outras são preconceituosas, não têm autodomínio, não são politicamente justas, são ralé da ralé, muitas vezes corruptas, hipócritas, agem de má fé para com os outros...e continuam impunes e quem se sujeita a tudo isto (eu, por exemplo) é que sofre, paga pelo que os outros fazem, etc...estou farto de tudo, farto da vida, farto da hipocrisia dos outros, farto de facadas nas costas, farto de ilusões, farto de falsas esperanças, farto de ser como sou da maneira como eu sou derivado ao que os outros fazem! Lutar pela felicidade para mim basta! Não vale a pena! Mudar algo que é impossível! Mais vale sozinho do que mal acompanhado como popularmente se costuma dizer! Eu fui e infelizmente sou errado com as pessoas; não é directamente da minha maneira de ser mas sim porque passo por muita coisa nesta “vida” e muitas vezes caio no erro de fazer pior a outras pessoas aquilo que a mim me fizeram e também descarrego nas pessoas erradas ou faço coisas que não devia fazer! Mudar? Claro que sim! Mas derivado a problemas familiares, amorosos, ou muitos outros, ou é difícil ou às vezes tenho recaídas! Errar é humano, mas continuamente é demais, é intolerável! Mas como já referi anteriormente tenho imensos problemas na minha “vida” de m****! Problemas todos nós temos e as pessoas ainda cá estão, eu por “incrível que pareça” cá estou também vontade não me falta mas a falta de coragem ou até mesmo a cobardia suspende aquele ato (mais uma vez!). As porcarias que infelizmente se faz são tanto um grito de revolta, pedidos de socorro ou até mesmo momentos de pré – loucura porque há alguém nos leva a tal; e muitas vezes fazemos coisas fora do nosso controlo! Amor, carinho, amizade, felicidade, auto – domínio, ser um bom e “politicamente” justo juiz são valores, sentimentos e emoções fundamentais numa vida injusta, cheia de lixo, corrupção, hipocrisia, puritanismo, medos e pesadelos! A má - fé de atos e pessoas são algumas vezes perfeitamente compreensível derivado ao quase inferno que os nossos atos muitas vezes nos leva...Temos de agarrar oportunidades e aprender com tudo o que se passou pois quando menos esperamos as coisas acontecem e há quem leve chapadas sem mão ou sai o famoso “tiro pela culatra” por coisas que inesperadamente poderão acontecer. As devidas “respostas” ou o normal feedback dos nossos atos são momentos que em espaço e tempo devido os “julgamentos” devem acontecer mas a partir do momento em que julgamentos ultrapassam os limites passam então para enxovalhamento e outras atitudes que chegam a assustar e tudo mais! A má resposta ou até mesmo o ato de responder de forma educada e civilizada ou não é algo que nunca se deve fazer, pois só pioramos a nossa situação independentemente de termos culpa ou não! Devemos permanecer silenciosos por mais difícil que seja, pois muitas vezes perdemos a razão e o controlo da situação! Muitas vezes os problemas na vida alheia, da escola, da aprendizagem fazem despoletar o mal que há em nós e muitas vezes também fazermos bem pior daquilo que nos fazem! A mudança está nas nossas mãos e mesmo assim a transição de atitudes comportamentais não acontecem (quando menos se espera ou por inacreditável que seja) pela nossa vida alheia na nossa segunda casa ou pelo nosso doloroso passado! Os erros persistentes que sejam vão dar realmente que pensar e muitas vezes a mudança é difícil mas nunca inalcançável ou inconquistável… Mas quando menos se espera acontece! Mas as más ações e má-fé fica para quem as pratica, porque todos nós prestamos contas e todos nós erramos, e todos nós devíamos julgarmo-nos a nós próprios, olharmo-nos ao espelho antes de julgarmos os outros! Dizem que a vida é como um livro aberto, uma página em cada novo dia, a cada hora, a cada minuto, a cada segundo, a cada vírgula, a cada ponto, e tudo mais, mas nem o lápis pode escrever o futuro e nem a borracha pode apagar o passado…Mas será isto mesmo verdade? Na minha opinião pessoal penso que tudo pode acontecer, mesmo as coisas menos óbvias, as coisas com as quais não se está à espera! A vida surpreende-nos todos os dias, aprendemos coisas novas todos os dias, de tudo nos acontece! Mas há limite para a maldade? O desespero pode ser simples, pode ser discreto, pode ser algo que não se percebe ou que pelo menos passa despercebido! O cerco aperta cada vez mais! A sorte é cada vez menos! Não se pode voltar atrás…Não se pode voltar atrás e muitas vezes ficamos mentalmente instáveis, não conseguimos pensar em mais nada, vivemos na m****, não sabemos o que pensamos, não sabemos o que vivemos, perdemos mil e uma capacidades! Tudo de bom, passa a ser mau, pode-se mesmo dizer que se vive num inferno; e quem já vive num inferno (e acredita que não são poucos, eu até sou um deles) sabe bem o que sofre! NÃO É POUCO! Nada se faz sem que passe por conversas alheias, comentado por tudo e por todos e muitas vezes algo ou alguém é julgado por tudo e por todos de forma injusta e cruel! Volto a repetir: A felicidade insiste a impor procedimentos que não são harmonizáveis com o desembaraço. Não nos tornamos satisfeitos carregando num botão. É preciso subir montanhas, insistir em força prolongada; confiar, até à bravura, na morosidade. Por vezes, reunimos todas as forças e não sabemos se aguentamos até ao fim do dia. Vagueio por entre os meus sonhos sempre mas lutar...lutar...lutar vale a pena? É difícil lutar pela felicidade, muitas vezes é uma causa perdida, tanto se faz, tantas coisas acontecem e viver a vida é impossível até nos esquecemos disso e muito mais...é verdade que está nas nossas mãos mudar a nossa vida...mas mudar o impossível não dá...Se as pessoas não tivessem prazer em fazer mal às pessoas muita coisa era diferente! PARA MIM O AMOR ACABOU E A FELICIDADE TAMBÉM PREFIRO NÃO TER NAMORADO NEM AMIGOS! ESTOU FARTO DE ILUSÕES, FALSAS ESPERANÇAS, FACADAS NAS COSTAS, HIPOCRISIA, PREFIRO VIVER SOZINHO PARA O RESTO DA VIDA DE m**** QUE EU TENHO…Mas outras vezes é disso que sinto falta…do amor…felicidade…de grandes amigos…amigos verdadeiros…grandes momentos! Será que devo mesmo abdicar do amor e felicidade? Qualquer pessoa desde que nasce e até à sua morte é alguém que vive numa sociedade, logo eminentemente social! Muitas vezes somos deparados com mil e uma situações que põe em causa o facto de o ser humano ser eminentemente social! Na minha opinião pessoal, sim, vivemos numa sociedade, mas isso não quer dizer que se tenha de ser eminentemente social, pois pelo mundo encontramos pessoas que vivem sozinhas e que não necessitam de alguma forma de viver em sociedade. Além disso muitas acções da sociedade em geral são tão más que pode essa mesma sociedade ser considerada de lixo, m**** até! Percorrendo o mundo, pode-se concluir de alguma forma que a perfeição não existe, cada um tenta ser feliz e ser perfeito À sua maneira, é um facto, mas a imperfeição na sociedade é tanta que me mete NOJO ser eminentemente social, ou seja, viver em sociedade! Velhas coisas escuras e imperfeitas é comum encontrar, até cheira a beijos da saudade de momentos de paz e sossego num mundo que noutros tempos já foi diferente, bem diferente daquilo que é hoje! As "praças" enfeitam-se muitas vezes da imperfeição do mundo, das desilusões, das facadas nas costas, hipocrisia, segundas intenções de cariz de maldade, da sociedade, etc...Cada um é livre de fazer o que lhe apraz, ser eminentemente social ou não, viver em sociedade ou não! Mas com tanta imperfeição, tantas mortes, tanta coisa ruim, viver em sociedade torna-se difícil! Claramente que existe inúmeros processos sociais de aculturação e sociabilização, mas depende de cada um, de cada família, da comunicação, de tudo e mais alguma coisa! Entre outros valores aqui evocados e desabafados, de muitas situações aqui retratadas e desabafadas, podemos tomar de exemplo as vivências da min ha vida e talvez não só! Perante isto e muito mais, vale a pena sermos eminentemente sociais? Vale a ena viver em sociedade? Perante este meu desabafo as respostas a estas perguntas parecem-me obvias! :'(

              Ideações suicidas e auto-mutilação
              #1346

              dre_o

              • Visitante
              Infelizmente já pensei nisso, há alguns anos... quase 6 anos!

              Mas percebi que não valia a pena porque a vida é esta. E hoje dou mesmo graças por nunca o ter feito.
              Já passei tanta coisa fantástica.

              Neste momento estou a passar uma fase difícil e triste na minha vida mas seria incapaz de me matar por isso.

              Sei que posso parecer convencido com isto mas há pessoas a quem faço falta.
              E também algumas pessoas que conheço são demasiado valiosas para eu tentar sequer fazer algo assim.

              Acho que o conselho que posso dar é:
              Pensem muito bem nas pessoas que podem sofrer com esse acto. Podes estar a sofrer muito neste momento para teres a ideia de suicídio ou auto-mutilação mas nada neste mundo merece tal sacrifício. A felicidade é algo alcançável por todos. Não desistas!

                Ideações suicidas e auto-mutilação
                #1347

                Offline Forbidden

                • *****
                • Membro Ultra
                • Género: Masculino
                Eu penso tantas vezes, já "tentei" varias vezes... mas houve uma em que fui mais longe, e estive perto de o tentar mesmo. Penso que essa e que se pode dizer que tenha sido a única tentava a serio. As outras foram uma preparação, para ganhar coragem...

                Mas pronto, na altura não o fiz por causa da minha família e também porque tinha medo de ser castigado no pós-morte. Talvez esta ultima razão pareça ridícula a alguns, mas é a verdade.

                Desde essa tentativa, que foi para ai a 5 meses e meio, não tentei mais nada, mas os pensamentos ainda permanecem, e acho que voltarei a tentar, mais cedo ou mais tarde.

                  Ideações suicidas e auto-mutilação
                  #1348

                  Offline rk

                  • ****
                  • Membro Sénior
                  • Género: Masculino
                  Eu penso tantas vezes, já "tentei" varias vezes... mas houve uma em que fui mais longe, e estive perto de o tentar mesmo. Penso que essa e que se pode dizer que tenha sido a única tentava a serio. As outras foram uma preparação, para ganhar coragem...

                  Mas pronto, na altura não o fiz por causa da minha família e também porque tinha medo de ser castigado no pós-morte. Talvez esta ultima razão pareça ridícula a alguns, mas é a verdade.

                  Desde essa tentativa, que foi para ai a 5 meses e meio, não tentei mais nada, mas os pensamentos ainda permanecem, e acho que voltarei a tentar, mais cedo ou mais tarde.
                  Achas que nao ha nada nesta vida que possas fazer que te faca feliz? Se estas farto da vida que levas porque nao vais para outro pais? Largas tudo e vais a aventura.. Vai para a america latina, para africa, qualquer sitio onde estejas mais proximo da vida e nao desta vida artificial :) Nao sei porque razao o queres fazer, mas equaciona tudo o que podes fazer nesta vida e pensa se nao valera a pena faze lo.

                    Ideações suicidas e auto-mutilação
                    #1349

                    Offline Forbidden

                    • *****
                    • Membro Ultra
                    • Género: Masculino

                    Achas que nao ha nada nesta vida que possas fazer que te faca feliz? Se estas farto da vida que levas porque nao vais para outro pais? Largas tudo e vais a aventura.. Vai para a america latina, para africa, qualquer sitio onde estejas mais proximo da vida e nao desta vida artificial :) Nao sei porque razao o queres fazer, mas equaciona tudo o que podes fazer nesta vida e pensa se nao valera a pena faze lo.

                    Talvez tenhas razão, não sei. Quem sabe um dia não farei isso mesmo...

                    Obrigado pela mensagem ;)

                      Ideações suicidas e auto-mutilação
                      #1350

                      Offline taran_tula

                      • *
                      • Novo Membro
                      Boa tarde,

                      Eu desde pequeno que tenho ideias suicidas mas o que antes era muito de vez em quando passou a ser uma constante depois de uma depressão grave. Tento abstrair-me destes ideais mas é algo que vive comigo constantemente o que torna tudo até as mais simples difíceis de viver.
                      Ah essas ideias não me ocorrem só quando algo corre mal ou discuti com alguém, é uma constante, mesmo quando estou a divertir-me, é uma sensação de que já não devia estar por cá.
                      Alguém se identifica com isto pelo que estou a passar?
                      Não sei se será ou não boa ideia conhecer alguém que passa pelo mesmo que eu, vocês já conheceram alguém que sofre do mesmo? Foi uma experiência positiva ou negativa?

                        Ideações suicidas e auto-mutilação
                        #1351

                        Offline A Bear in London

                        • *
                        • Novo Membro
                        • Género: Masculino
                        Ultimamente têm regressado...

                          Ideações suicidas e auto-mutilação
                          #1352

                          Offline Forbidden

                          • *****
                          • Membro Ultra
                          • Género: Masculino
                          Boa tarde,

                          Eu desde pequeno que tenho ideias suicidas mas o que antes era muito de vez em quando passou a ser uma constante depois de uma depressão grave. Tento abstrair-me destes ideais mas é algo que vive comigo constantemente o que torna tudo até as mais simples difíceis de viver.
                          Ah essas ideias não me ocorrem só quando algo corre mal ou discuti com alguém, é uma constante, mesmo quando estou a divertir-me, é uma sensação de que já não devia estar por cá.
                          Alguém se identifica com isto pelo que estou a passar?
                          Não sei se será ou não boa ideia conhecer alguém que passa pelo mesmo que eu, vocês já conheceram alguém que sofre do mesmo? Foi uma experiência positiva ou negativa?

                          Eu sei que isso é... também já as tenho à anos, e já tentei o suicídio 1 vez (houve outras pseudo tentativas, mas so considero realmente 1, pois foi a que estive mais parte de o fazer). As ideias de morte parece que andam constantemente à minha volta, a me tentar. Há dias "piores" do que outros claro... mas parece que nunca me vou livrar completamente delas...

                            Ideações suicidas e auto-mutilação
                            #1353

                            Offline Thomas

                            • *
                            • Novo Membro
                            • Género: Masculino
                            Auto mutilação nunca, mas pensamentos suicídas já.
                            E nos últimos meses tem vindo a piorar, sinto que seria bem mais fácil deixar de existir.
                            Sou extremamente tímido e pouco sociável e não tenho muitos amigos com quem me dar. Sinto me tão longe e à parte do resto das pessoas que não sei o que fazer.

                              Ideações suicidas e auto-mutilação
                              #1354

                              Offline theone111

                              • ****
                              • Membro Sénior
                              • Género: Masculino
                              Há 2 semanas perdi a cabeça. Simplesmente por causa daqueles problemazitos da treta que tendemos a achar grandes. Acabei por partir a mão contra uma parede.

                              Admito, com algum pesar, que nos minutos seguintes tudo parecia estar bem. Mas não estava. Porque por mais estranho que possa parecer, nunhum dos meus problemas se resolveu a esmurrar uma parede. Parecia estar apenas porque este novo problema (a mão partida) fez-me ver que os outros não eram assim tão graves.

                              Os primeiros dias foram os piores. Não por dores físicas (curiosamente todo o processo tem sido bastante indolor) mas pelas mazelas psicológicas incluídas. "Como pude fazer uma coisa destas?", "A mim próprio!", "Como deixei as coisas chegarem a este ponto?" foram as perguntas que me acompanharam, e para as quais não conseguia ter uma resposta.

                              Detesto ter que mentir. E foi este o próximo passo. "Então o que se passou com a mão?". Caí, respondo eu. Pelo simples facto que até para mim me custa admitir o que fiz, simplesmente "caí", que além de ser mais fácil, na maior parte dos casos evita uma série de perguntas. Isto quando evita, porque há sempre os que precisam de saber o "como caíste?", o "porque caíste?" e o "o que tinhas comido na altura em que caíste?". Pacientemente, complemento com mais uma ou duas frases, sem grande detalhe para não "esburacar" a narrativa.

                              "Os problemas só têm a importância que lhes atribuímos", essa é a verdade. O maior problema é que inconscientemente acabamos por dar demasiada importância a alguns deles (talvez por falta de um ombro amigo, ou de saber como o resolver, acho eu). Como eu fiz.

                              Para concluír, nunca, no processo, me passou o suicídio pela cabeça. Se bem que exige coragem o levar a cabo um suicídio, não o posso considerar nesse sentido. Trata-se simplesmente de cobardia. Qualquer problema tem uma solução, provavelmente mais simples que o que parece. Por outro lado, nunhum problema é tão grave quanto aparenta ser. Alguns sim, exigem muito sacrifício na resolução, mas tal não implica serem impossíveis ou até graves.

                              Para concluír, declaro firmamente que nunhum problema é grave o suficiente para justificar um suicídio. Para além do suicídio afectar MUITAS mais pessoas que contamos, suicídio não é resolução para problemas, é simplesmente desistir das coisas boas da vida. E nenhum problema vale isso. Everything is temporary - excepto suicídio.

                              Para concluír (de vez), deixo o desafio de me provarem errado: 1 problema que justifique o suicídio (estarei disponível por PM caso o vosso problema pareça justificar)
                                E acredita, a vida é bastante melhor com bolachas! lol

                                Ideações suicidas e auto-mutilação
                                #1355

                                Offline pepe444

                                • *****
                                • Membro Ultra
                                • Género: Masculino
                                Auto mutilação nunca, mas pensamentos suicídas já.
                                E nos últimos meses tem vindo a piorar, sinto que seria bem mais fácil deixar de existir.
                                Sou extremamente tímido e pouco sociável e não tenho muitos amigos com quem me dar. Sinto me tão longe e à parte do resto das pessoas que não sei o que fazer.

                                eu tambem sou um bocado assim :/ Nao é facil... e parece que ninguem compreende... Para as outras pessoas parece tao facil ser sociavel, fazer amigos, rir por nada. Para mim é tao dificil...
                                  ""Que estranho mundo este em q as pessoas se podem matar à luz do dia, mas para se amar só o podem fazer às escondidas na escuridão da noite"

                                  Ideações suicidas e auto-mutilação
                                  #1356

                                  Offline gaymen

                                  • *
                                  • Novo Membro
                                  • Género: Masculino
                                  Respondendo ao Theon111, cada um sabe de si, ou não...

                                  Eu, por exemplo, penso no suicídio todos os dias, sem excepção! E sim, penso ser o melhor, visto que no seio familiar tende tudo e mesmo tudo a piorar a olhos vistos. Mas o pior é as pessoas não quererem saber disso e fingir que nada acontece, excepto serem tudo aquilo que eu repudio....

                                  Então se e quando souberem da minha outra faceta....estraga-se de vez o telhado de vidro. Nunca nada se recompõe e vem logo outra, são os maiores criticos, complicados, homofóbicos, enervantes e provocadores que conheço.

                                  Não compreendem, recusamse a compreender e, pior, como suas defesas, atacam com argumentos mais estupidos ainda.

                                  Cada um sabe de si, a vida é maravilhosa e acredito que sim, mas para quem tem sido. Para outros, a vida não presta e não tem qualquer interesse!! Pura e simplesmente. Nem todos vieram para ser felizes. no meu caso, se não posso ser, tb não quero estar...

                                  É o meu ponto de vista sobre o suicídio, só ainda não o fiz porque me ando a enganar sobre os meus motivos....


                                    Ideações suicidas e auto-mutilação
                                    #1357

                                    Offline theone111

                                    • ****
                                    • Membro Sénior
                                    • Género: Masculino
                                    Respondendo ao Theon111, cada um sabe de si, ou não...

                                    Eu, por exemplo, penso no suicídio todos os dias, sem excepção! E sim, penso ser o melhor, visto que no seio familiar tende tudo e mesmo tudo a piorar a olhos vistos. Mas o pior é as pessoas não quererem saber disso e fingir que nada acontece, excepto serem tudo aquilo que eu repudio....

                                    Então se e quando souberem da minha outra faceta....estraga-se de vez o telhado de vidro. Nunca nada se recompõe e vem logo outra, são os maiores criticos, complicados, homofóbicos, enervantes e provocadores que conheço.

                                    Não compreendem, recusamse a compreender e, pior, como suas defesas, atacam com argumentos mais estupidos ainda.

                                    Cada um sabe de si, a vida é maravilhosa e acredito que sim, mas para quem tem sido. Para outros, a vida não presta e não tem qualquer interesse!! Pura e simplesmente. Nem todos vieram para ser felizes. no meu caso, se não posso ser, tb não quero estar...

                                    É o meu ponto de vista sobre o suicídio, só ainda não o fiz porque me ando a enganar sobre os meus motivos....

                                    Ilustre,

                                    Irrita-me que se veja o suicídio como uma forma de resolver problemas. O suicídio pode resolvê-los, mas mata-te no processo. O preço é simplesmente demasiado alto... Para qualquer um.

                                    Haverá sempre pessoas como descreves, independentemente da tua vontade. Cabe a ti saber gerir o quanto essas pessoas te afectam.

                                    Quanto ao facto de a vida ser maravilhosa, não sei até que ponto concordo. Não nasci propriamente em berço de ouro (nem pouco lá perto) e nem tampouco estou habituado a que as coisas me apareçam do nada. Requer esforço, e tenho problemas como toda a gente. Provavelmente, atribuo-lhes é menos importância (portanto, a importância correcta) que a maior parte das pessoas. É um dos truques: não sobrevalorizar os problemas.

                                    De resto, a felicidade não me parece nada de genético. a meu ver, conquista-se. Provavelmente deverias esforçar-te mais um pouco.

                                    Voltando ao suicídio, há um lado que as pessoas tendem a desconsiderar: o efeito que provoca nas pessoas à volta. Convivo com algumas pessoas que carregam esse peso, e em algumas alturas não é coisa bonita de se ver. Mesmo!

                                    Se te sentires confortável com isso, conta-me mais via PM. Pareces estar a passar um mau bocado e acho que posso ajudar ;)

                                    Força,
                                    André
                                      E acredita, a vida é bastante melhor com bolachas! lol

                                      Ideações suicidas e auto-mutilação
                                      #1358

                                      Offline odp

                                      • *****
                                      • Associad@
                                      • Membro Ultra
                                      • Género: Masculino
                                      Respondendo ao Theon111, cada um sabe de si, ou não...

                                      Eu, por exemplo, penso no suicídio todos os dias, sem excepção! E sim, penso ser o melhor, visto que no seio familiar tende tudo e mesmo tudo a piorar a olhos vistos. Mas o pior é as pessoas não quererem saber disso e fingir que nada acontece, excepto serem tudo aquilo que eu repudio....

                                      Então se e quando souberem da minha outra faceta....estraga-se de vez o telhado de vidro. Nunca nada se recompõe e vem logo outra, são os maiores criticos, complicados, homofóbicos, enervantes e provocadores que conheço.

                                      Não compreendem, recusamse a compreender e, pior, como suas defesas, atacam com argumentos mais estupidos ainda.

                                      Cada um sabe de si, a vida é maravilhosa e acredito que sim, mas para quem tem sido. Para outros, a vida não presta e não tem qualquer interesse!! Pura e simplesmente. Nem todos vieram para ser felizes. no meu caso, se não posso ser, tb não quero estar...

                                      É o meu ponto de vista sobre o suicídio, só ainda não o fiz porque me ando a enganar sobre os meus motivos....

                                      Força gaymen! :) Vais ver que isso que está a passar é só uma uma fase e dentro em breve sentir-te-ás um pouco melhor com a vida. Se precisares de falar podes enviar-me MP's que eu vou respondendo.

                                      Um abraço :)
                                        Contactos: mail: lisboa@rea.pt; tel: 91 791 38 78

                                        Ideações suicidas e auto-mutilação
                                        #1359

                                        Cardo

                                        • Visitante
                                        Esta noite e hoje tenho pensado no suicidio... Sinto que não sou capaz de o fazer, mas por outro lado, viver como estou a viver é tão triste. Sinto-me a ficar sem forças, mas estes pensamentos não me saem da cabeça  [smiley=confuso.gif]

                                        É triste, mas novamente sinto que não mereco estar feliz, não mereco divertir-me, e que isto foi tudo causado pela minha burrice e estupidez :(

                                           

                                          Tópicos relacionados

                                            Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                                          594 Respostas
                                          80918 Visualizações
                                          Última mensagem 28 de Dezembro de 2013
                                          por Yahiza
                                          3 Respostas
                                          5072 Visualizações
                                          Última mensagem 3 de Dezembro de 2005
                                          por bluejazz
                                          104 Respostas
                                          17602 Visualizações
                                          Última mensagem 26 de Fevereiro de 2018
                                          por Atomic
                                          225 Respostas
                                          51480 Visualizações
                                          Última mensagem 8 de Fevereiro de 2014
                                          por Odra
                                          2 Respostas
                                          1705 Visualizações
                                          Última mensagem 21 de Dezembro de 2010
                                          por MRPEC