rede ex aequo

Olá Visitante19.set.2020, 19:45:37

Autor Tópico: Ansiedade  (Lida 86442 vezes)

 
Ansiedade
#280

Diotima

  • Visitante
Eu penso que não se deve recusar totalmente a medicação. Temos que ser generosos connosco próprios e se há fases que a medicação pode ajudar a suportar melhor, então devemos aceitá-la (no meu caso eu tenho que tomar medicação o resto da vida e aceito isso bem. Mas há muitos casos que se toma mediação apenas por um curto/médio período de tempo...) O médico psiquiatra e os médicos que te acompanham por causa do HIV saberão dizer se os medicamentos interferem...
« Última modificação: 6 de Agosto de 2013 por Diotima »

    Ansiedade
    #281

    Offline caires

    • *****
    • núcleo lgbti funchal
    • Membro Elite
    • Género: Masculino
    Não queria meter-me em medicações e depois não conseguir sair disso..

      Ansiedade
      #282

      Diotima

      • Visitante
      Falo por mim: quando tomei medicamentos para a ansiedade consegui deixar de tomar quando foi tempo de deixar de tomar. Mas se não queres mesmo procura técnicas alternativas de controlo de ansiedade. Parece-me que estás com muitos problemas para suportar tudo sem ajuda...

        Ansiedade
        #283

        PsyGirl_Av

        • Visitante
        Obrigado pelas tuas palavras, ajudaram-me muito.

        Após me ser diagnosticado a infeção por HIV fui automaticamente reencaminhado para a psicóloga do hospital, no início fez efeito e senti melhorias, mas agora sinto que já não dá mais... não que ela não faça o seu trabalho corretamente, adoro-a como profissional e ajudou-me imenso, mas sinto que não consigo mais ir ao hospital todos os meses... é doloroso. Deixei de ir à psicóloga há quase um mês.

        Sobre a rotina praticamente já não a tenho... estou em férias de escola, sem trabalho, sem dinheiro... praticamente não consigo fazer nada sozinho porque perdi a minha autonomia. Isto levou a sobrecarregar o meu namorado. Só tenho saído porque a minha melhor amiga veio do Continente (vivo na Ilha da Madeira) e ela tem arrecadado com as minhas despesas...

        Quanto à medicação, não queria recorrer porque não quero que nada interfira com os tratamentos do HIV. Não me informei, mas tenho medo!

        No que concerne à medicação, penso que é bastante comum a toma de psicofármacos em casos de infecção por HIV - uma vez que costuma estar associada a estados depressivos.  É compreensível que evites ir ao Hospital, dado que é um local com uma conotação negativa. Mas é importante essa ajuda profissional, mais que não seja para teres alguém que te dê outras perspectivas e te forneça estratégias.
        Eu compreendo que tendas a isolar-te... Mas não te feches em casa. Nem que vás dar uma caminhada de meia hora - se a ansiedade te preocupa, procura companhia. É importante que tenhas um período onde vejas pessoas, compreendas que o Mundo continua - até podes perceber que as outras pessoas também andam atarefadas e preocupadas (pode parecer mau, mas os problemas dos outros normalizam os nossos).
        Nunca desactives a tua rede social, procura a ajuda dos teus amigos, tal como ofereces a tua quando eles precisam. Eu sei que custa sair, mas acredita que o que custa mais é o início, depois, com a própria experiência, vais percebendo que ficas melhor e isso vai motivar-te.

          Ansiedade
          #284

          Offline caires

          • *****
          • núcleo lgbti funchal
          • Membro Elite
          • Género: Masculino
          Pois... houve uma altura em que eu conseguia sair de casa e fazer as coisas sozinho, mas agora não consigo e tenho dificuldade em fazer amizades e conhecer novas pessoas. Tento fazer amizades mas não me identifico com ninguém. Uma simples ida à praia é difícil para mim... não consigo...

          Eu procuro companhia, mas os meus amigos contam-se por uma mão... e a minha melhor amiga já nem vive aqui na Ilha... daí confiar mais no meu namorado nesse sentido... e enfim, acontecer o que está a acontecer, com um tempo na relação...

            Ansiedade
            #285

            PsyGirl_Av

            • Visitante
            É normal que ocorra um desgaste na relação. Mas se ele ainda está contigo, mesmo perante as adversidades, deves preservá-lo. Eu sei que custa tratar os outros bem quando estamos envoltos em problemas. Mas pondera antes de falares/agires. Sempre que sentires que vais "explodir" cria um tempo de latência - por exemplo, aguarda 10 segundos antes de falares. Outra coisa importante é tentares colocar-te no lugar do outro. Imagina como te sentirias se fosses o teu namorado. Com isto não penses que és um mau namorado, nada disso, és apenas uma pessoa com problemas (atenta às circunstâncias!)... Se tens o teu namorado do teu lado, pronto a ajudar, é porque mereces! Nunca te tires valor. Podes ter poucos, mas tens amigos - provavelmente porque és um bom amigo ;). Podem não ter as melhores condições, mas tens a tua mãe - imagina a quantidade de pessoas perdidas neste Mundo. Os bens materiais são importantes, mas nada substitui aquele abraço especial.

            (Obviamente que estou a falar sem grande conhecimento de causa, por isso perdoa-me qualquer erro)

            Quanto à medicação... Eu sei que existe sempre o medo da dependência. Felizmente os psicofármacos estão cada vez mais refinados, apresentando menos efeitos secundários. Obviamente que se gera uma habituação, mas é perfeitamente ultrapassável com um desmame adequado e um trabalho psicoterapêutico complementar. Quem pensa que os problemas se curam com medicação está errado! Mas a medicação ajuda a aliviar sintomas fisiológicos, o que permite um melhor trabalho - como podes compreender, é muito difícil trabalhar ao nível dos pensamentos das pessoas quando estas não conseguem parar sequer de chorar. Digamos que a medicação funciona como um facilitador terapêutico.
            A nível pessoal, já tomei ansiolíticos e antidepressivos (por um período de tempo relativamente longo) e consegui fazer um desmame relativamente simples - mesmo tendo na altura situações complicadas a decorrer na minha vida.
            Se descartas mesmo a medicação, existem outras estratégias comportamentais, como por exemplo: respiração diafragmática ou o relaxamento muscular progressivo.  Embora estas possam, e devem, ser treinadas, numa primeira fase convém que sejam feitas de forma orientada (por um profissional).

              Ansiedade
              #286

              Offline caires

              • *****
              • núcleo lgbti funchal
              • Membro Elite
              • Género: Masculino
              De momento é o relacionamento que me está a preocupar mais. Estamos num 'tempo' e não sei se as coisas vão voltar. Tenho receio de o perder, ele é mesmo um pilar para mim e apesar de eu desvalorizá-lo muitas vezes, amo-o mesmo muito e queria que ele estivesse sempre a meu lado para me ajudar em tudo, tal como eu quereria estar ao lado dele. Ele chegou ao ponto de me dizer que o que sentia por mim já não é como antes e que já não acredita na nossa relação... não sei se o disse por estar magoado comigo ou se foi mesmo dito de cabeça fria.

              Tenho a minha mãe... mas a nossa relação também não está bem. Está um ambiente super desconfortável cá em casa, e ela está sempre ausente e nem nota quando estou triste ou deprimido... E sinto falta de um pai, de um pai que nunca tive... o meu 'pai' sempre foi péssimo em todos os níveis, nunca me compreendeu, deu atenção, me acarinhou...

              Não descarto totalmente a medicação... por vezes quando estou em desespero penso que talvez fosse o que me falta. Nesses momentos só me apetece apagar por uns tempos, e só voltar quando estiver tudo melhor. Penso muito em desistir e desaparecer. Ah, e já para não falar na minha auto-estima e está totalmente em baixo...

                Ansiedade
                #287

                PsyGirl_Av

                • Visitante
                Quanto ao teu namorado, reflecte sobre os problemas que ele te relatou/relata. Tenta perceber se ele tem ou não razão. Se achas que ele tem razão, muda o que conseguires e mostra-lhe essa mudança. Se achas que não lhe deste o valor que ele efectivamente tem, diz-lhe isso... Mas mais do que palavras, demonstra. Age em conformidade com o que consideras correcto.

                No que concerne à tua mãe... Se te for possível (depende da vossa relação) tenta falar com ela. Expõe as tuas fragilidades - nem todos conseguem ter a mesma sensibilidade para com as questões. Já quanto ao teu pai, por vezes temos de aceitar que nem sempre as pessoas são como gostávamos. Acima de tudo, valoriza as pessoas que tens! Elas são muito importantes. Mas não é só valorizar os outros... Valoriza-te! Ouve e retém os elogios que te fazem - certamente já te fizeram muitos! Olha para as tuas conquistas, relembra-te de bons momentos, procura coisas boas em ti. Dá-te motivos para seres feliz!

                  Ansiedade
                  #288

                  Diotima

                  • Visitante
                  Isso de apagar por uns tempos associado a mediação traz-me recordações...... A medicação não faz te faz apagar as coisas mas pode ajudar a controlar a ansiedade. Mas a mediação é para ser tomada na dose prescrita pelo médico. Nada de tentar apagar o sofrimento com uma dose mais forte... (Mas eu sei que esse não é o teu problema actual, estava só a falar de mim).
                  « Última modificação: 7 de Agosto de 2013 por Diotima »

                    Ansiedade
                    #289

                    Offline caires

                    • *****
                    • núcleo lgbti funchal
                    • Membro Elite
                    • Género: Masculino
                    Quanto ao teu namorado, reflecte sobre os problemas que ele te relatou/relata. Tenta perceber se ele tem ou não razão. Se achas que ele tem razão, muda o que conseguires e mostra-lhe essa mudança. Se achas que não lhe deste o valor que ele efectivamente tem, diz-lhe isso... Mas mais do que palavras, demonstra. Age em conformidade com o que consideras correcto.

                    No que concerne à tua mãe... Se te for possível (depende da vossa relação) tenta falar com ela. Expõe as tuas fragilidades - nem todos conseguem ter a mesma sensibilidade para com as questões. Já quanto ao teu pai, por vezes temos de aceitar que nem sempre as pessoas são como gostávamos. Acima de tudo, valoriza as pessoas que tens! Elas são muito importantes. Mas não é só valorizar os outros... Valoriza-te! Ouve e retém os elogios que te fazem - certamente já te fizeram muitos! Olha para as tuas conquistas, relembra-te de bons momentos, procura coisas boas em ti. Dá-te motivos para seres feliz!

                    Não sei como poderei conversar com o meu namorado... se ele não se demonstra disponível para isso. Não quero desrespeitar o tempo que me pediu, mas já tentei falar com ele e não me disse nada.

                    E quanto à minha mãe sinceramente já desisti, ela que faça tudo como entender...

                      Ansiedade
                      #290

                      Offline LG

                      • **
                      • Membro Júnior
                      • Género: Feminino
                      Ansiedade é a inimiga do nosso corpo.
                        "You are the ocean's gray waves, destined to seek
                        Life beyond the shore just out of reach
                        Yet the waters ever change, flowing like time
                        The path is yours to climb "

                        Azura

                        Ansiedade
                        #291

                        Offline caires

                        • *****
                        • núcleo lgbti funchal
                        • Membro Elite
                        • Género: Masculino
                        Porque dizes isso?

                          Ansiedade
                          #292

                          Offline LG

                          • **
                          • Membro Júnior
                          • Género: Feminino
                          já alguma vez tiveste  ataque de ansiedade? se não tiveste, ainda bem, nem queiras.
                            "You are the ocean's gray waves, destined to seek
                            Life beyond the shore just out of reach
                            Yet the waters ever change, flowing like time
                            The path is yours to climb "

                            Azura

                            Ansiedade
                            #293

                            Offline caires

                            • *****
                            • núcleo lgbti funchal
                            • Membro Elite
                            • Género: Masculino
                            Sim, já tive, gostava apenas que contasses a tua experiência...

                              Ansiedade
                              #294

                              Offline LG

                              • **
                              • Membro Júnior
                              • Género: Feminino
                              Sim, já tive, gostava apenas que contasses a tua experiência...

                              mmm não foram experiências boas, mas também não gosto de expor a minha vida aqui :)
                                "You are the ocean's gray waves, destined to seek
                                Life beyond the shore just out of reach
                                Yet the waters ever change, flowing like time
                                The path is yours to climb "

                                Azura

                                Ansiedade
                                #295

                                Offline ffmiranda86

                                • *
                                • Novo Membro
                                • Género: Masculino
                                De facto a tua historia de vida não é facil e para pessoas mais sensiveis certamente poderá criar depressões. Atenção que não tenho nada contra as pessoas mais sensiveis...

                                Mas em que aspectos ou em que circunstancias sentes mais ansiedade? Porque essa ansiedade? Da forma como contas-te justifica-se mais a palavras desespero...
                                O que poderei dizer acerca disto é que terás que identificar em que áreas e situações poderás ter esses sintomas, e de certa forma por mais que custe evitares tais situações, poderá ser dificil mas superar as nossas dificuldades é uma grande batalha que depois de ganha sentiremos em nós uma grande vitória.

                                A vida não é facil, mas por mais que queiramos comprir com os nossos compromissos apesar de ser impossivel temos que tomar um partido, ou sofro ou tento a certo custo evitar sofrer e a forma que poderás evitar é mesmo mudando certos ambientes, certas e determinadas conversas ou outras situações que fassa ficar mais ansioso.

                                Espero ser um pouco util, sou da opinião que falar é facil, dificil mesmo é vive-la. Mas em certos aspectos da tua vida que já passas-te eu também já passei por iguais ou identicos e apesar de ser muito dificil temos que saber e ter muita força de vontade.
                                  Fábio Miranda

                                  ansiedade e coração partido
                                  #296

                                  Offline barrottes

                                  • *
                                  • Novo Membro
                                  • Género: Masculino
                                  ola a todos...é a primeira vez que cá venho...sou o filipe e tenho 32 anos....sou uma pessoa muito ansiosa e já faço medicação há 10 anos...andava tudo controlado até que me apareceu uma pessoa mais velha que eu 8 anos....fomos felizes durante os 5 meses que estive a trabalhar longe de casa..abdiquei de uma relação de 7 anos algo conturbada mas que não me era indiferente.mas agora tive de voltar porque apareceu um bom contrato de trabalho na zona onde resido...gostava de ter ficado com esta pessoa no sul...mas ela mostra-se reticente por já ter sido mãe e ter dificuldades em assumir um novo homem na sua vida...casa etc....o que eu até percebo bem...a verdade é que bati no fundo...estou para aqui com uma ansiedade do tamanho do mundo...um buraco e angustia neste peito...não sei se me vao responder mas precisava de desabafar e ate conversar...beujos e abraços

                                    ansiedade e coração partido
                                    #297

                                    Offline Odra

                                    • *****
                                    • Membro Vintage
                                    • Género: Masculino
                                    • Welcome to the Town of Gay! ;D
                                    Olá Filipe!


                                    No que diz respeito a relações, não sou a pessoa mais indicada para te dar apoio, excepto se quiseres uma palavra de alguém de fora da caixa. Se amas mesmo essa pessoa, e quiseres mesmo agarrar essa oportunidade de trabalho, acho que devias tentar manter essa relação, mesmo que seja apenas à distância.

                                    Em relação à ansiedade, acho que qualquer pessoa que tivesse de fazer uma escolha dessas, também ficaria como estás, ainda por cima se já há problemas vindos de trás.

                                    Tens que fazer aquilo que achares que é melhor para ti, e ter esperança de que as coisas irão melhorar. ;)

                                    Abraços,
                                    Ricardo
                                      Estamos a fazer um jogo. Lançam-se os dados e quem obtiver maior pontuação faz uma pergunta aos restantes jogadores. Utilizaremos um dado com 20 lados. /roll 1d20

                                      Nível de originalidade: o mais alto de todos!
                                      lol

                                      Ansiedade
                                      #298

                                      Sinvastatina

                                      • Visitante
                                      9 dicas para relaxar

                                      Um pouco de calma por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…



                                      Se este primeiro mês do ano o deixou de rastos, é altura de controlar esse stress. Como? Usando estratégias simples que marcam pontos contra a ansiedade e ajudam ao relaxamento do corpo e da mente. Sim, ainda vai a tempo de pôr a serenidade no seu dia-a-dia.

                                      1    RESPIRE FUNDO
                                      Tem a certeza de que sabe res­pirar? Ou limita-se a inspirar e a ex­pirar? Concentrada apenas na par­te superior do peito, esta respiração nervosa pode ser suficiente à vida, mas não chega para garantir o bem-estar do organismo. Mal oxigenado, o corpo queixa-se de fadiga, ansie­dade, dores musculares, falta de con­centração, memória fraca, podendo até sofrer distúrbios digestivos, lin­fáticos ou dermatológicos. Usar os pulmões na totalidade, reaprenden­do a respirar profundamente como na infância, evita tudo isto e traz ain­da sossego às emoções rebeldes, já que o cérebro é mais bem nutrido.

                                      2    ESPREGUICE-SE
                                      Ainda na cama, ao levantar-se e ao longo do dia, sempre que o corpo lhe pedir. Parece mal, mas faz bem. Não só estimula a circulação, dando mais energia, evitando dores mus­culares e aumentando a flexibilida­de, como contribui para o bom es­tado das articulações. E está a ver aquela dor de cabeça ao final da tar­de? Estirar-se pode reduzir a tensão no pescoço e nos ombros, zonas cas­tigadas pela vida moderna passada ao computador e ao telefone.

                                      3    ESCUTE O SILÊNCIO
                                      Há quanto tempo não experi­menta a calma trazida por uns mi­nutos de silêncio? Mergulhados no acelerado mundo moderno, onde os estímulos auditivos são constan­tes, esquecemo-nos do mal que ta­manha poluição sonora nos faz – ao corpo e à mente. Tirar um tempo, to­dos os dias ou com regularidade, pa­ra escutar o vazio pode ser uma boa estratégia contra a ansiedade. Pre­cisa de inspiração? Leia O Livro do Silêncio, da britânica Sara Maitland.

                                      4    DESLIGUE-SE
                                      Hoje, mesmo estando longe de tudo, estamos sempre à distân­cia de um clique. E já nem é necessá­rio computador. Basta a vibração do smartphone para nos roubar a aten­ção. São cada vez mais aqueles que, na sociedade moderna, não conse­guem desligar-se… do trabalho, das redes sociais, da internet. E isso, dizem os investigadores, tem custos eleva­dos no bem-estar. É o seu caso? Sai­ba que não chega tirar o som ou pôr o alarme em pausa, é preciso mesmo pôr em off toda a tecnologia. Escolha um momento do dia para se libertar e verá que esse medo de ficar fora do mundo não tem sentido.

                                      5    FAÇA FESTAS
                                      Já não é segredo: ter um animal de estimação, e estimá-lo, pode ser altamente benéfico na luta contra o stress e distúrbios associados. Além de estarem sempre disponíveis, os bichos retribuem-nos o mimo e pa­recem até saber quando dele mais precisamos. Depois há o pelo. Está provado que acariciar um animal macio ajuda a descontrair corpo e mente, já que esta é uma atividade rítmica, repetitiva e relaxante. Pes­quisas garantem até que pode bai­xar a frequência cardíaca e respira­tória, equilibrando a tensão arterial.

                                      6    CAMINHE
                                      Hipócrates tinha razão quan­do disse que caminhar é o melhor remédio. Hoje não faltam pesquisas a comprová-lo: andar a pé dá saúde. Não só física, sendo uma eficiente estratégia na prevenção ou no equi­líbrio de diversas doenças crónicas, mas também mental, aliviando o es­pírito das preocupações e ansieda­des. Autêntico tónico contra o stress e as insónias, esta banal atividade físi­ca ajuda a atenuar os sintomas da de­pressão, melhorando a autoestima e o humor. E não é exigente, bastam sapatos e roupa confortável.

                                      7    MEDITE
                                      Num espaço de tempo tão curto como um segundo, se pensarmos que esta é uma atividade milenar, a me­ditação conquistou o Ocidente. E não faltam estudos a confirmar-lhe os be­nefícios. Um deles revelou mesmo que meditar cerca de 30 minutos por dia, durante oito semanas, leva a mudanças consideráveis nas zonas cere­brais associadas à memória, empatia e stress. Mas há mais. Se investigadores falam no reforço do sistema imunitá­rio, na redução da ansiedade, da irrita­bilidade e da cólera, outros cientistas sublinham o seu papel positivo contra a tensão arterial, insónia, dor crónica, depressão ou adições.

                                      8    FALE POSITIVO
                                      Se passa o dia a queixar-se disto e daquilo, daquele e do outro, a desacreditar e a desacreditar-se, pense em mudar o disco. Está provado que a for­ma como comunicamos influencia, e muito, o nosso bem-estar. Não são apenas as palavras escolhidas que pe­sam, também o modo como se dizem. Experimente substituir, por exemplo, complicado por desafio, problema por assunto a resolver, crise por fase me­nos positiva. E sorrir. Aos outros, mas também a si próprio.

                                      9    SINTA O AROMA
                                      Conhece os óleos essenciais? Du­rante muito tempo confinados aos centros de bem-estar e às terapias na­turais, hoje dão que falar pelas suas múltiplas propriedades. Se alguns, co­mo o óleo essencial da árvore do chá, são preciosos no combate a infeções e contágios, outros podem ser úteis na conquista do equilíbrio. Um estu­do aponta o óleo essencial de berga­mota como uma mais-valia contra o stress, mas há quem prefira os calman­tes óleos de alfazema ou de laranja do­ce. Fundamental, para um uso seguro da aromaterapia, é respeitar as instru­ções: basta um par de gotas para sentir o efeito desta natureza concentrada.


                                      Fonte: http://www.noticiasmagazine.pt/2015/9-dicas-para-relaxar/comment-page-2/#comments

                                        Ansiedade
                                        #299

                                        Offline origo

                                        • *****
                                        • Membro Ultra
                                        • Género: Feminino
                                        • Only a life lived for others is a life worthwhile
                                          http://www.meetup.com/pt-BR/Comunidade-Queer-LGBTQIA-Portugal/
                                          "A journey of a thousand miles begins with a single step." Provérbio chinês
                                          "Altruism is not a luxury, but a necessity" Matthieu Ricard
                                          http://www.imissio.net/artigos/49/1885/algumas-notas-sobre-a-gentileza/

                                           

                                          Tópicos relacionados

                                            Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                                          382 Respostas
                                          193683 Visualizações
                                          Última mensagem 22 de Julho
                                          por unfold
                                          6 Respostas
                                          2334 Visualizações
                                          Última mensagem 22 de Abril de 2015
                                          por leonardos