Assuntos Gerais > Apoio

Como os confrontar?...

(1/5) > >>

Ines:
Olá  ;)

Eu resolvi colocar esta questão no ar, porque afinal é a fase seguinte a ser "ultrapassada" após assumir-mos p nós mesmos a nossa opção sexual... :'(

Por isso vos convido a deixarem o vosso apoio, as vossas experiências :)...Porque muitas vezes o que nos faz falta é ter-mos contacto com outras situações, para sentir-mos que afinal existem outras pessoas que se debatem como o mesmo "problema" que nós  :'(

Eu posso-vos dizer que acordei muito recentemente para esta situação :'( ... O que senti logo, foi que ou o mundo era grande demais...ou era eu que era pequena demais :'( ... mas aos poucos tenho tentado reagir da melhor forma possível :-[ afinal os sentimentos não têm "sexo" ;) ...

Quanto à questão que coloquei, espero as vossas respostas :D afinal aqui podemos contactar todos sem discriminação nem preconceitos ;D

E quero agradecer mais uma vez ao Fórum por este espaço...que muito me tem ajudado, mesmo ao nível psicologico  ;D

:-* para todo@s

tweetwe:
Acho que é preciso dar tempo ao tempo...   ;)

O maior problema para os pais, é a parte em que eles se acham desiludidos porque algumas já não vão existir: o casamento; os netos; etc.  Muitas vezes até a "vergonha" porque seremos apontados.

Também temos que os apoiar, mostrar que tudo vai correr bem, que apenas queremos ser felizes e que eles tem que compreender isso. :)

A minha mãe perguntou-me como é que eu sabia, se tinha a certeza. Respondi apenas que era o que sentia, que somente  queria ser feliz e que não ia deixar de ser filha ou ela mãe por este facto.

Neste momento está tudo bem, não me questiona mais, acho que eles também tem que ter um tempo para se aperceberem, como nós o tivemos para nos assumirmos a nós próprios.  8)

Carpe diem

Ines:
;) Olá

Obrigado pela tua resposta. É um facto, o tempo é o melhor remédio e afinal nós mesmos também precisá-mos desse tempo para nos assumir-mos... :-[
Por vezes o k sinto mesmo em relação aos pais...é que nós somos vistos como protótipos e temos k nos encaixar nos moldes...é isso que me assusta agora! :'(
Mas esse receio não me vai fazer recuar,  ;)afinal todos procuramos o mesmo, ser-mos felizes  :) Não vou viver dentro de uma casca de ovo, para ser mais um mero protótipo  ;D ;)

Vou deixar que o tempo me ajude a resolver  

Mais uma vez, obrigado  ;) :-*  

bluejazz:
Concordo com o que foi dito.  :) Pessoalmente julgo que os pais que mais têm dificuldades são os que olham para os filhos como se fossem uma extensão sua ou um espelho seu ou projectam neles aquilo que eles próprios gostariam de ter sido. Por outro lado, julgo que se os pais têm uma atitude de "vou criar esta criança como ser único e próprio e ver com ela se desenvolve e respeitar os seus desejos e sonhos" geralmente têm menos dificuldades em aceitar. E depois depende da sua experiência de vida, se conheceram pessoas homossexais, se sim se foi uma experiência positiva ou negativa... tanta coisa. Mas tempo, sim. Temos de dá-lo a nós própri@s e aos outros.  ;)  

Ines:
;) Olá

Pois...e é precisamente esse dilema com k me debato, ou seja, estou-me a prepara para romper esta casca que me sofucou por tanto tempo... :'(
Mas não há que desesperar...tudo se há-de resolver a seu tempo :D

O gostar das pessoas implica desde logo, aceitá-las como são, e não emoldurá-las para as terem numa estante num canto da sala  ;D

Mas é sempre bom ouvir outras experiências, assim sentimo-nos com mais força psicologica para vencer mais esta etapa  :D

:-* a tod@s

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa