rede ex aequo

Olá Visitante16.nov.2019, 01:59:20

Autor Tópico: Problemas na escola. Alguém já passou pelo mesmo?  (Lida 3106 vezes)

 
Problemas na escola. Alguém já passou pelo mesmo?
#0

Offline Teen_

  • *
  • Novo Membro
  • Género: Masculino
Olá a todos, navego por cá com o nick de 'Hardly', tenho 18 anos e sou de Leiria, o meu perfil é relativamente novo mas já visito o forum á mais tempo que a data de registo. Nao foi (e ainda hoje não é) muito fácil "encaixar-me" num fórum tao "aberto" e directo, quanto mais sobre algo que me tem mudado tanto a vida, mas o facto é que me sinto perdido ao ponto que não saber como reagir a cada dia que vejo passar..

Já sinto há quase 8 anos que algo em mim era diferente do padrão comum das pessoas a que a sociedade no geral rotula de "normais", mas perceber o que realmente me fazia feliz e o que me construía a personalidade e características como pessoa demorou bem mais tempo que isso, ainda é um processo que demora o seu tempo a ficar concluído.

Não sei se foi terá sido por ser tão novo, ou por não saber minimamente como reagir a tudo, mas vendo o tempo passar e as atracções a nivél geral por pessoas do mesmo sexo (M) levou-me a desenvolver uma síndrome de ansiedade social complicada, algo que só vim a descobrir á sensivelmente dois anos.  :-\

Acho que foi o choque das coisas que me levou a ficar tão em baixo, os ataques de pânico quando me via no meio da multidão, sem saber o porquê desses mesmos ataques, e a homossexualidade. Enfim, história longa, muito longa..

Passando a frente.. nos dias de hoje os meus pais sabem que sou Homossexual, embora nao percebam que não se trata de uma fase, levo uma vida normal em casa, se é que eu posso dizer normal..

Mas á um ano perdi o controlo das coisas e a paixão por um colega de turma levou-me a acabar numa situação embaraçosa: O rumor de que seria gay espalhado pela escola toda. Eu que na altura já tinha conhecimento do meu problema com ansiedade em público e ter em mente que não podia deixar a situação tomar medidas muito escalabrosas, bloqueei, passei situações de humilhação em intervalos, vi-me em situações de chegar propositadamente atrasado ás aulas para evitar ver determinadas pessoas, ver-me agarrado aos calmantes....

Eu não me rotulo mas digo a mim próprio constantemente que tenho orgulho no que sou e que pela minha orientação não deixo de ser uma pessoa com qualidades, feitios e defeitos como qualquer outra pessoa que seja Heterossexual, o facto é que estou num novo ano escolar, 12º com turma nova, colegas novos vindos de outras escolas, e por azar/sorte ou como queiram chamar, apanhei o tipo de turma que acaba rotulada como sendo divida em grupos.

Novamente o boato espalhou-se, os meus colegas metem-me de lado, poucos deles que preferem não se envolver em gozos ou bricnadeiras de mau gosto tanto ficam parados no seu canto como nem sequer para mim olham.. eu considero pessoalmente que o meu problema social está 90% esquecido ali num beco escuro.. já me defendo e faço frente aos problemas/pessoas que me rodeiam, mas há coisas que é impossivél fazer:

Calar uma escola toda..

Tenho o apoio do concelho executivo e de pelo menos dois professores que tem conhecimento da minha situação, mas o facto é..

Ir para a escola é um inferno, eu vou lá para estudar e não para brincar, embora isso vejo-me em situações demasiado "quebrantes" dum dia-a-dia que possa dizer ser normal.. Tenho amigos do peito aqui em Leiria, fora de escola, uns gays outros não, mas mesmo com o apoio deles sinto que estou numa rotina sofredora e que não me faz feliz.

O ponto da situação é... eu já me identifiquei como sou, aceito-me, os meus amigos aceitam-me, já tive experiências, mas estou perdio no meio em que estou, não sei fazer Q_Q acordo com a cabeça na lua a pensar em como vou enfrentar os colegas, a escola, bocas foleiras e em casos extremos ameaças, coisa que só aconteceu uma vez e não passou de blah blah =/

Parece infantil, mas eu acordo com medo de que algo corra mal, no caso de o dito boato se espalhar para fora da escola eu vou dar-me muito mal, muito muito mal mesmo   :-X ninguém desconfiava que eu seria gay, mas o facto de não me ter podido defender veio supostamente confirmar o que eles queriam, a coisa espalhou-se e agora não tenho como dizer: NÃO.

*Fim do desabafo*

Ia adorar saber que há por aqui alguém que tenha/esteja a passar pelo mesmo =/

Muitos vivem em duas metades de vida distintas, a hetero/homossexualidade, ás vezes penso que devia ter tomado essa consciência já quando tudo isto começou, acima de tudo gostava de ter descoberto o meu problema de ansiedade bem mais cedo, teria evitado muita coisa, mas o tempo nºao se pode puxar atrás =/
« Última modificação: 31 de Outubro de 2008 por temporary_user »

    Perdido..
    #1

    Offline BabyT

    • *****
    • Membro Vintage
    • Género: Masculino
      • Life By Pieces
    Olá querido Hardly,

    Posso dizer-te que estou a passar há três anos uma situação muito parecida com a tua. Vivo num meio escolar em que começaram a inventar boatos e eu não tinha forma de me defender. A verdade é que acordava todos os dias com o pensamento que o meu dia seria horrível por ter de enfrentar aquelas pessoas que me faziam sentir mal e inventavam coisas sobre mim. A verdade é que depois comecei a criar uma relação mais chegada com a minha melhor amiga e aos poucos e poucos acabámos por namorar e a situação piorou. Até professores já diziam piadas e faziam comentários.
    A escola tornou-se um inferno. No ano que mudei de escola eu e ela tivemos problemas e separámo-nos, pensei que com a mudança de escola e o facto de ela deixar a minha vida isso fosse acabar, comecei a 'namorar' com um rapaz, mas era impossível odiava, não me sentia bem mas deu para tirar aquela imagem de lésbica de cima de mim.
    Depois ao fim de uns tempos eu e ela volta-mos a fazer as pases e deixei o tal rapaz que so durou 3 semanas.
    No primeiro ano nessa escola voltaram a haver bocas mas no final já nem ligava e vivia feliz.
    Hoje posso dizer que tenho um vida normal, não exagero nas demonstrações de afecto em frente aos meus colegas, mas também não me afasto da minha namorada.
    Deixei de ligar aos boatos porque não faço a minima questão de saber o que têm a dizer sobre mim. Eu sei quem sou, não preciso que os outros opinem. Acabámos por contar à nossa melhor amiga que aceitou e isso também nos deu força para continuar. É a única amiga de verdade que temos naquela escola, mas olha vivo de consciência limpa e deixei de me sentir mal basta ignorar e viver a minha vida :)


    Espero ter ajudado com a minha história pelo menos não estás sozinho

    Beijão
      Life Motto: "Always help someone, you might be the only one that does...."
               10/01/2011 - Amo-te _Sharika_

      Perdido..
      #2

      Offline Teen_

      • *
      • Novo Membro
      • Género: Masculino
      Eu sinto que, como segundo ano de escola a passar por isto, já tolero melhor as bocas, ás vezes chega mesmo a ser impossivél defender-me verablmente, mas o pior e a cama, o dormir e acordar sabendo qe vou passar por aquilo tudo novamente..

      Eu sei quem sou, não preciso que os outros opinem.

      Eu levei comigo muito tempo essa forma de ver as coisas, mas com o tempo deixei de acreditar que se pudesse aplicar a mim, ou pelo menos que se se aplicasse, seria de forma muito menos "pesada", o boato corre na escola e não adianta aparecer com uma rapariga enrolada a mim, a opinião do meio será a mesma, aliás, isso seria a última coisa que quereria fazer, envovler-me com alguém apenas para dizer: Não sou isto e aquilo..

      Neste momento a minha única forma de mostrar respeito a colegas de turma é através de apresentações orais e futuramente no projecto de aptidão profissional, aí sei que não triunfar mais que mim..

      Fora isso acontece o mesmo regularmente, as pessoas e as suas opiniões não mudam com um click.

      Começo a criar uma barreira tanto para as cosias más como boas que me são ditas..,

        Perdido..
        #3

        Offline BabyT

        • *****
        • Membro Vintage
        • Género: Masculino
          • Life By Pieces
         :blush  eu nao tava a insinuar que andasses com uma raparigas até porque acho que foi o maior erro que fiz. Enganei-me a mim e a ele. Só estou a dizer que sei que daqui a um ano e meio estarei fora daqui e se tudo correr bem com ela a meu lado. Aí depois é só contar aos papás e fico mais livre sem este meio pequeno e com mentalidade retrógada onde vivo. Mas senti mt diferença entre o básico e secundário, senti que deixaram de dizer coisas, se meter tanto na minha vida. Talvez tenha tido sorte.



        De qualquer das formas espero que consigas ter um pouco de paz e sentir-te melhor contigo e com os teus colegas de escola :)
          Life Motto: "Always help someone, you might be the only one that does...."
                   10/01/2011 - Amo-te _Sharika_

          Perdido..
          #4

          Offline Atma

          • **
          • Membro Júnior
          • Género: Feminino
          • Oiiiiii!!!!! Sou brasileira, mas moro na Hungria..
          Nunca passei por situacao semelhante, pois só assumi minha bissexualidade aos 25 anos, mas decidi dar minha opiniao: Acredito que deve ser horrível ser alvo de olhares e boates preconceituosos na escola, pois este éum periodo em que o jovem precisa socialitar-se e desenvolver a própria personalidade e relacoes afetivas/amorosas, sei que minhas palavras podem soar vas, mas o caminho deve ser mesmo abstrair-se de quem nos faz mal, talvez, num caso mais extremo, pedir ajuda de alguém com autoridade na escola(em caso de ameacas ou agressoes verbais), deendendo o próprio direito de ir e vir, de estudar e aprender em paz. Todo ser humano tem o direito de defender-se, podendo escolher a forma de faze-lo. Tenho um arsenal de perguntas que fiz e faco, quando vejo-me em situacoes parecidas(embora nao em escolas), nao digo que deves usá-las, mas dou-te exemplos, que podem servir talvez como incentivo para teres mais forcas e nao dares atencao ao que dizem de ti:
          Voces sao meus pais?
          Voces sao meus amigos?
          Por que voces preocupam-se tanto com a minha vida?
          Eu nao quero e nem preciso explicar-me a ti!
          Estás curioso ou com medo de mim?
          Tens medo de que?
          Talvez tenhas medo de que pensem que és igual a mim?
          Tu és igual a mim, és uma pessoa, como eu!
          Eu nao te questiono sobre a tua vida, por que o fazes comigo?
          Que importancia tem para ti, detalhes da minha vida?
          Achas engracado eu ser quem sou? Nao tens mais nada do que rir na tua vida?
          Achas digno de ti te rires de outra pessoa?
          Tuas palavras falam mais de ti que de mim...
          Nao preocupo-me que me desprezes, pois nao és alguém de quem eu queira admiracao, mas exijo respeito.
          Al guma vez, desrespeitei a ti ou aos teus amigos?
          Quantas vezes me imiscui na tua vida?
          Quantas ofensas te lancei?
          Quantas ofensas me lancaste? Nao foram suficientes?...
          E assim por diante... Para mim, essas frase funcionam como um mantra, e, mesmo que eu nao as diga, tenho-as sempre comigo, para que me lembre sempre de que o problema do preconceito é uma questao de desrespeito a pessoa, e eu, como pessoa, mereco ser respeitada.
          Espero estar contribuindo um pouco... Um abraco!
            Atma Felho-Hungria.

            Perdido..
            #5

            Offline BabyT

            • *****
            • Membro Vintage
            • Género: Masculino
              • Life By Pieces
            Atma falo por mim quando digo que é muito importante que te importes com as situações vividas por muitos adolescentes no que toca à escola e o relacionamento com os amigos, porque é a mais pura da verdade que por vezes senti-mo-nos tão deprimidos por as únicas pessoas no nosso circulo de conhecimentos (leia-se escola onde passamos maior parte do dia) não nos aceita e não nos encara como uma pessoa 'normal'.
            Sabes, eu acho que essas frases não resultam e só aumentam as bocas, porque levam a crer que estamos a afirmar a nossa homossexualidade. Eu deixei de ligar a essas pessoas, não lhes falo da minha vida, elas não se atrevem a dirigir-me assim a palavra, porque eu imponho-lhes respeito mostrando que também nunca as abordei assim e por isso decidi manter perto de mim pessoas que me respeitam e para as quais esse assunto (caso não aceitem) não intrefere em nada com as nossas relações do dia-a-dia.
            Eu tenho encarado a escola como uma parte da minha vida e um percurso que logo logo estará acabado (espero eu que a universidade não seja assim) e por isso vou-me mantendo 'na minha' não sou mal educada para ninguém, respeito todos os meus colegas e todas as suas diferenças e por isso também tenho visto que têm mantido a boca calada em relação a boatos.
            Talvez a situação do nosso amigo Hardly seja mais complicada ele parece não ter muitas pessoas em quem se apoiar dentro da escola epor isso talvez lhe faltem forças para encarar os comentários assim. Considero que a tua abordagem acerca de alguém mais velho que possa agir perante a situação poderá ter dois efeitos, ter alguém que consiga impor o respeito dos colegas perante o Hardly ou então levar a que a situação piore pois o consideram como alguém qe necessita dos outros para se defender e como sabemos, quando o assunto é adolescentes muitas vezes conseguem ser cruéis a esse ponto.
            Isto tudo depende do ambiente escolar onde ele está inserido e se diz que já recebeu ameaças é porque acho que se mostrar parte fraca ainda se vão aproveitar mais dele.
            Isto é só a minha opinião.
            Um beijo para os dois
              Life Motto: "Always help someone, you might be the only one that does...."
                       10/01/2011 - Amo-te _Sharika_

              Perdido..
              #6

              Offline Delft

              • ****
              • Membro Sénior
              • Género: Masculino
              Hardly, coragem! Também já passei alguns momentos desagradáveis mas já há alguns anos que não acontece. Acredita que as pessoas que gozam e atacam pressentem o medo por parte do alvo, e é isso que lhes dá mais força para continuar com as bocas, porque sabem que não lhes vai acontecer nada. Eu era um miúdo nervoso e inseguro há uns anos. Isso fazia com que muitos espertalhões (cobardes) se aproveitassem porque sabiam que não iam encontrar resistência. Agora tenho muito mais confiança e auto-estima e acho que isso é visível para quem é de fora, e nunca mais ouvi uma palavra (acho que ninguém imagina que sou LGBT).
              Ganha confiança em ti que vais ver que as coisas melhoram. Não te sei dizer como o fazer, porque comigo também não aconteceu intencionalmente, mas não penses tanto nisso, ao menos. E boa sorte!  :)

                Perdido..
                #7

                Offline Teen_

                • *
                • Novo Membro
                • Género: Masculino
                Obrigado pelo apoio

                Eu era um miúdo nervoso e inseguro há uns anos. Isso fazia com que muitos espertalhões (cobardes) se aproveitassem porque sabiam que não iam encontrar resistência.

                O meu problema é mesmo esse sabes? =/ O facto de ter sido tao meticuloso quanto as minhas acções e de ter lidado de perto com ataques pesados de ansiedade levou-me a ser um alvo fácil para os incultos que la andam, os ditos cujos que se sentem fortes a rebaixar os outros, este ano mudar essa minha forma de reagir do avesso, embora me considero bem melhor quanto a lidar o nervosismo, e bem mais dificil do que parecia ser  :-\

                A única coisa que me "puxa" para cima e saber que ha situações bem piores, que me fazem pensar: caramba, eu tou vivo não tou? Fora da escola tenho amigos não tenho?

                Embora isso sinto-me no vazio, nada faz sentido  :'(

                  Perdido..
                  #8

                  Offline Arms

                  • *****
                  • Membro Vintage
                  • Género: Masculino
                    • Reflection
                  Obrigado pelo apoio

                  Eu era um miúdo nervoso e inseguro há uns anos. Isso fazia com que muitos espertalhões (cobardes) se aproveitassem porque sabiam que não iam encontrar resistência.

                  O meu problema é mesmo esse sabes? =/ O facto de ter sido tao meticuloso quanto as minhas acções e de ter lidado de perto com ataques pesados de ansiedade levou-me a ser um alvo fácil para os incultos que la andam, os ditos cujos que se sentem fortes a rebaixar os outros, este ano mudar essa minha forma de reagir do avesso, embora me considero bem melhor quanto a lidar o nervosismo, e bem mais dificil do que parecia ser  :-\

                  A única coisa que me "puxa" para cima e saber que ha situações bem piores, que me fazem pensar: caramba, eu tou vivo não tou? Fora da escola tenho amigos não tenho?

                  Embora isso sinto-me no vazio, nada faz sentido  :'(

                  Ui rapaz.
                  Deixa-me dizer-te que melhora e passa. Tudo isso. E acredita quando digo isto. Eu, no décimo ano, tinha uma fobia social - embora não ligado directamente à minha homossexualidade mas, mesmo assim, ligado - que eu nem interagia com ninguém. Eu saia de uma sala nos intervalos e ia directamente para a porta da sala seguinte. A minha sorte foi estar numa turma pequena (10 alunos) e todos serem unidos. Falavam aos poucos comigo e, com tempo ia formando amizades sólidas. Quando a escola soube que sou gay - no meu caso, assumi-me no meio de uma conferência sobre a discriminação e preconceito na escola - os meus amigos ajudaram-me a ultrapassar essa fase.

                  Foi só há coisa de dois anos que comecei a superar a minha fobia social. Grande parte por causa das reuniões da rede ex aequo. Ainda tenho alguma fobia social quando se trata de grandes aglomerações de pessoas mas já consigo ficar mais de 8 horas assim sem entrar em pânico. E, quando sinto que estou a entrar em pânico, vou discretamente para a rua respirar ar puro.

                  Acho que maior parte da fobia social nem se deve à tua homossexualidade mas antes à tua insegurança pessoal e talvez uma falta de auto-confiança. Isso tudo passa com o tempo. Melhora conforme vais te tornando mais seguro de ti mesmo e de quem és. Por acaso isso é um processo pela qual todos os adolescentes passam. Tu apenas tens uma reacção diferente da dos outros. Os outros gozam com tudo por serem inseguros. A tua reacção é mais direccionada para ti mesmo. Tenta relaxar e não ligues aos comentários dos outros. Sabes quem és e isso é mais importante. Agora, não te deixes ceder às bocas deles. Não comeces nunca a pensar que a culpa é tua. Nem por um segundo. Porque é isso que querem, que cedas e que caias. Quando virem que continuas firme e seguro, acabam por deixar-te. Além disso, se estás nos décimos anos, pensa positivo. Não os vais ter que aturar a vida toda. É só deixar esta fase passar. ;)
                    Se dependes unicamente dos outros para seres feliz prepara-te para ficares desiludido.
                    Instead of telling people to plan ahead, we should tell them to plan to be surprised.

                    Perdido..
                    #9

                    Offline Livre-Mente

                    • *****
                    • Membro Ultra
                    • Género: Feminino
                    • "Os sonhos são a literatura do sono"
                      • http://livrementeoculta.blogspot.com/
                    Coragem tranquilidade é o que se diz na maioria desses dias e tentar transportar todas as energias e virar as atenções da tua mente para outro caminho

                    Beijinho ;)
                      Não sei se sou invulnerável no ataque ou resistente na defesa... Não sei se o pior é mudar de ideia ou não tê-la para mudar... Só sei que quanto mais alta estou mais dificuldade tenho em manter o equilíbrio..
                      Só sei que nenhuma certeza fatal é pior que a dúvida ameaçadora..

                      Perdido..
                      #10

                      Offline Apavorado

                      • *
                      • Novo Membro
                      • Género: Masculino
                      Oi Hardly

                      Infelizmente conheço bem o teu tormento. Sofrer de discriminação na escola (tmb ando no 12º) é algo que já me acompanha á algum tempo. Enquanto andei no ciclo, até ao 8º ano nunca fui descriminado. Mas, o 9º foi um tormento. Penso muitas vezes como é que os outros desconfiavam de eu ser gay, antes de eu colocar essa questão a mim próprio.
                      Mas, no terminar do 9ºano mudei de escola pensando que tudo aquilo iria mudar: fui para uma secundária, onde supostamente os alunos seriam mais velhos, e melhor formados - Não podia estar mais enganado!! Passado menos de 1 mês já todos me apontavam o dedo. (nunca compreendi porque chamo tanto á atenção. Sempre que passo calam-se e ficam especados a olhar para mim) Vieram as graçolas, o assédio, o gozo. Chegou ao ponto de irem a gozar comigo, na avenida principal, aos altos berros, para toda a gente olhar. Escusado será referir que a minha vida rapidamente se tornou um tormento. No 11º ano foi ainda pior - + gozo, + graçolas, + descriminação. Aqui já estava psicologicamente afectado: por um lado a duvida de ser ou n homossexual, e por outro aquela gozação constante. Para "ajudar" apaixonei-me por um rapaz de outra turma... arrebentei psicologicamente e tive de contar a uma amiga tudo o que se passava...ajudou muito. Mas, já estou a fugir à conversa, quanto á gozação nunca respondi a nenhuma provocação! Com o tempo apreendi a lidar com a ignorância dos outros. Tenho orgulho no que sou e não deixo que os outros me afectem (se bem que nem sempre é fácil).
                       Um dos melhores conselhos que me deram foi: "Sê tu mesmo e deixa lá os outros com as suas frustrações. Se fores a pensar neles acabas por não pensar em ti mesmo e tu és mais importante que eles na tua vida" - By Arms (axo que nunca lhe agradeci o suficiente) axo que é o conselho ideal!!

                      Este ano, e até á data está tudo mais calmo. Os olhares persistem mas as graçolas cessaram. Não sei se foi pelo desprezo, se foi por verem que n me afectava ou se ainda não começou!!!

                      Tem calma, e coragem! Não estás sozinho!

                        Perdido..
                        #11

                        Zwei

                        • Visitante
                        Estou a passar uma situação parecida mas não é na escola, é sim no trabalho. A diferença e que os meus colegas têm apenas suspeitas e embora mandem algumas bocas e façam piadas e falem em relação a isso nas minhas costas eu deixei de me preocupar, até porque só podem ter certezas quando eu assumir alguma coisa. No entanto já fui posto de parte na escola por outros motivos, o que me fez aprender que por vezes estamos melhor sozinhos. Gostava muito de te poder ajudar de alguma maneira. A única coisa que te posso dizer é que estás no último ano do secundário depois deixas de ter de lidar com essas pessoas e começar tudo de novo. Relativiza as coisas, pensa se realmente precisas de algum deles para alguma coisa. Não precisas pois não? Então eles que se lixem. Não sabem nada da vida, não te preocupes és melhor que eles isso devia-te bastar para não lhes ligares importância.

                          Perdido..
                          #12

                          Offline 2estrelinha3

                          • *****
                          • Membro Elite
                          • Género: Feminino
                          • ***
                            • A lés de mim
                          O programa de informação da Sic "Aqui e Agora" irá abordar na proxima quinta feira (23 de Outubro) a temática do bullying. Encontram-se a recrutar testemulhos que poderão ser enviados para aquieagora@sic.pt.
                          Muitas pessoas são atingidas por este tipo de violencia.
                          Talvez seja uma boa ideia enviar os relatos pessoais relacionados com o bullying associado à temática LGBT de forma a dar visibilidade ao problema vivido por muitos em contexto escolar, bem como o papel de assoiações como a rede ex aequo.

                           

                          Tópicos relacionados

                            Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                          269 Respostas
                          64938 Visualizações
                          Última mensagem 27 de Junho de 2013
                          por Cardo
                          0 Respostas
                          1615 Visualizações
                          Última mensagem 11 de Outubro de 2009
                          por MafsBei
                          43 Respostas
                          9430 Visualizações
                          Última mensagem 10 de Janeiro de 2012
                          por TiagoJ
                          93 Respostas
                          17398 Visualizações
                          Última mensagem 30 de Novembro de 2011
                          por Maryy
                          14 Respostas
                          1877 Visualizações
                          Última mensagem 19 de Maio de 2013
                          por nevertoolatetobehappy