rede ex aequo

Olá Visitante02.jul.2020, 14:22:45

Autor Tópico: Atração sexual nem sempre corresponde a prática sexual  (Lida 807 vezes)

 
Atração sexual nem sempre corresponde a prática sexual
#0

Offline Pedro1234

  • *
  • Novo Membro
  • Género: Masculino
A definição da sexualidade está na atração física e não na prática sexual.
Se, por exemplo, um homem se atrai por pessoas do mesmo sexo, se chama homossexualidade independentemente da prática sexual.
Há homens que fazem sexo com homens porém se sentem atraídos apenas por mulheres. Suponho que o inverso também aconteça.
O rótulo da sexualidade "hetero" "homo" "bi" está na atração sexual mesmo que a prática sexual não corresponda.
HsH por exemplo são homens que fazem sexo com outros homens mas não se dizem homossexuais.
Não podem mesmo se dizer homossexuais se nunca sentiram atração sexual por homem algum.
É possível o sexo com o gênero que não se sente atração, tanto é possível quanto é praticado. Não há a libido gerada pela atração sexual porém há o prazer sexual e isso pode ser o suficiente para os adeptos dessa prática.
Portanto um homem hétero pode passar toda a vida a fazer sexo com outros homens, ele pode nunca saber o que é a atração física por homens e assim pode nunca ser homossexual.
Antigamente se julgava a sexualidade pela prática, então se dois homens fizessem sexo signifcaria que eram gays. Porém a visão mais moderna sobre o tema diz que a princípio não são gays se não sentem atração pelo gênero masculino. E só a pessoa pode dizer sobre ela mesma portanto a atribuição do rótulo só pode partir da pessoa e nunca dos outros.

    Atração sexual nem sempre corresponde a prática sexual
    #1

    Offline Blesia

    • ****
    • Membro Sénior
    Há que distinguir orientação sexual e orientação romântica, que não são termos interdependentes.
    Orientação sexual trata-se da atração física, enquanto que a orientação romântica é a atração emocional. Da mesma maneira que há pessoas homo/bi/a/whatever-sexuais, também há pessoas homo/bi/a/whatever-românticas.

    Quanto aos rótulos, cada um adota aquele(s) que quer: um, vários, nenhum. É costume usar-se só X-sexual porque é mais prático, uma vez que, na maior parte das vezes, a atração física corresponde à emocional.
    Exemplo: três pessoas que se sentem fisicamente atraídas pelos géneros masculino e feminino, mas emocionalmente atraídas apenas pelo seu próprio género. A primeira pessoa considera-se homorromântica e bissexual, a segunda considera-se homossexual e a terceira considera-se bissexual. Tudo vai de cada um. Como tu dizes, a atribuição do rótulo só pode partir da pessoa e nunca dos outros.

    Outra coisa que também falas é o comportamento sexual. Claro que pode haver pessoas cujas relações (sexuais ou não) sejam diferentes da sua orientação sexual ou romântica. É o caso de pessoas dentro do armário ou em países onde os homossexuais sejam perseguidos, por exemplo, que são ou se sentem obrigadas a manter uma relação com alguém do género oposto.
    Spoiler (clica para mostrar/esconder)

       

      Tópicos relacionados

        Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
      2 Respostas
      1525 Visualizações
      Última mensagem 4 de Dezembro de 2010
      por Sara.F
      143 Respostas
      27803 Visualizações
      Última mensagem 26 de Outubro de 2019
      por sleepy_heart
      0 Respostas
      686 Visualizações
      Última mensagem 23 de Maio de 2017
      por bluejazz
      4 Respostas
      789 Visualizações
      Última mensagem 27 de Dezembro de 2017
      por sam_mukka
      0 Respostas
      367 Visualizações
      Última mensagem 25 de Março de 2019
      por Fernando Pinheiro