rede ex aequo

Olá Visitante19.nov.2019, 10:41:54

Autor Tópico: Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)  (Lida 2464 vezes)

 
Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
#0

Offline icognita

  • ****
  • Membro Sénior
  • Género: Feminino
    • I ♥ ♀ and ♂
Ser LGBT é apenas uma característica da nossa vida, acredito que possa ser algo flexível que muda ao longo da vida...ou não depende dos casos. Esse factor pesa na vossa vida? Como se sentem em relação a isso? Qual a vossa história?


Eis a minha:
Eu sou bissexual, sei-o desde os 16 anos, foi um choque autêntico. Estava com um grupo de amigos, já tinha alguns rapazes giros em vista e dei por mim a apreciar uma rapariga. Ganhei consciência quando reparei que não tirava os olhos dela, pensava nela, enfim havia sentimentos à mistura. Descobri-me aos 16, embora aos 15 já houvessem alguns sinais. Eu só me apercebi disso após ler um diário que escrevi na altura. Talvez só um ano mais tarde estivesse preparada para ter consciência disso.

Cresci a pensar que ser gay era algo errado e nojento. Acabei por descobrir por mim própria que as coisas não era bem assim, e parte disso deveu-se a séries com L Word. Tem sido um processo gradual no qual me apercebo que cada vez a balança pesa no lado das raparigas. Só me assumi perante a uma amiga e ela aceitou bem.

Tento levar isso de ânimo leve. Aceitando-me a mim própria. A minha família não sabe, mas pelo menos mostram-se mais receptivos em relação a pessoas gays. Tenho a certeza de que não iriam dar pulinhos de alegria ao saber, mas não me deserdavam e iriam continuar a gostar de mim. Ser bissexual é como estar numa roleta russa, nunca sabes que pessoa te vai despertar sentimentos.

Sinto-me como se vivesse metade de uma vida secreta em que tento não dar muito nas vidas ao olhar e apreciar raparigas. Quando estou sozinha ocupo o tempo a ver séries de temática LGBT. Ao caminhar na rua fantasio com uma namorada. Planeio jantares e surpresas românticas. Continuo a apreciar rapazes e a tirar-lhes as medidas, mas nesta fase imagino-me com uma rapariga. Parecem mexer mais com os meus sentimentos. Suspiro e penso qual será o dia em que irei conhecer a tal pessoa...Irei contar a verdade a toda a gente? Terei coragem? Ou vou simplesmente agir como sou e através dos meus gestos vão perceber tudo? E os outros que pensem o que quiserem?
    I ♥ ♀ and ♂   |    http://ilovewandm.blogspot.com

    Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
    #1

    Offline searching_the_love

    • ***
    • Membro Total
    • Género: Masculino
    A minha história posso dizer que tenho muita sorte na vida, tive e tenho familiares gays, então esse tema já não era tabu quando eu quis me assumir. (mas foi tabu na época deles, anos 60/70...).

    O facto de lá no fundo saber que os meus familiares aceitavam, fez com que eu não senti-se nem pressão de dizer logo, nem de esconder, simplesmente fui sendo eu e até acabei por não dizer tão cedo porque sabia que podia ser pressionado a explorar a heterossexualidade para "ter a certeza", coisa que também fui ouvindo nas conversas que ouvia entre os meus familiares com os tais familiares gays. Acabaei por ir desconbrindo a mim próprio, sem pressões, sem nada, o que é muito melhor.

    Depois lá me fui assumindo, mas sempre de maneira muito descontraída, que digo que me parece a melhor, porque acabas por dizer, sem fazer disso um problema ou tabu, estilo "olha... tenho algo para te dizer..." , não, simplesmente se me perguntavama ou falávamos sobre assuntos de namorados/namoradas, quando me perguntavam a mim, eu dizia. Ou então quando falava que estava aapaixonado a algum amigo que não sabia, contava-lhe que se chama *inserir nome de rapaz* e acabavam por ficar a saber sem ser preciso contar como se fosse um problema. Acho que isso ajudou-me a aceitar-me, porque eu próprio não fiz disso um problema e claro, ter familiares na mesma situação que pude ir observando enquanto crescia, ajudou também bastante, daí dizer que tenho sorte.

    Sobre a tua situação icognita, contar a verdade a toda a gente? Para quê? Eu só conto a amigos, familiares e pessoas de confiança, isto é, pessoas que eu sei que são importantes para mim, porque com essas pessoas não quero andar a fingir algo que não sou, quero falar livremente dos meus problemas, paixões, etcs.
    E isso leva a "terei coragem ou vão perceber pelos gestos?" quem gosta de ti, vai-se interessar por tudo o que tu és, e em conversa já sairá naturalmente, eu por exemplo só contei aos meus pais quando comecei a namorar, porquê? Porque primeiro eles tinham direito a sabê-lo, depois porque não ia esconder a pessoa mais importante na minha vida naquela altura e isso deu-me a coragem para dar o último passo, o orgulho de estar com essa pessoa é tal que queria contar. Antes não disse porque pensava, "vou contar o quê? se não estou com ninguém".

    E é isso.

      Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
      #2

      Offline dark_girl28

      • *
      • Novo Membro
      • Género: Feminino
      boa noite... entao aqui vai...
      descobri que gostava de mulheres com 19 aninhos, quando me senti atraida por uma amiga minha, passavamos horas a conversa, brincavamos muito uma com a outra, falavamos de praticamente tudo, e um dia em geito de brincadeira ela me disse: "vou-te fazer gostar de mulheres"... e eu ri-me da situação... sempre lhe achei alguma piada, mas apenas a via como uma boa amiga, nada mais.
      ... tentei esconder esse sentimento durante algum tempo e ele acabou por ficar "adormecido"... aos 20 anos juntei-me com o meu ex-namorado, vivemos juntos 3 anos, mas ao fim de 2 anos voltei a falar com essa amiga... foi quando percebi que aquilo que tinha sentido aos 19anos nao era algo passageiro, era Realmente amor... passei cerca de 6 meses em fase de negação, voltei a me afastar dela, e de muitos outros amigos... mas ao fim desses 6 meses percebi que nao valia a pena me isolar, que era dela que eu realmente gostava, e que se quizesse ser feliz, teria de lutar pelo amor dela... e assim foi... preparei armas e fui a luta... travei batalhas duras, tive prestes a desistir (ela desistiu, cedeu a ameaças do ex-dela, e à pressao da familia), mas eu fui teimosa, continuei a insistir, a convida-la para ir beber café... a mandar-lhe todos os dias uma mensagem de bom dia, e as coisas acabaram por ir acontecendo... tivemos a nossa primeira vez apos alguns encontros de clima realmente quente... depois disso decidi que nada nem ninguem nos ia separar, nao ia deixar de ser feliz com a mulher que amo.

      Não tenho problemas nenhuns em beijar a minha mulher seja em que local for...
      hoje não tenho problemas daquilo que sou embora nao seja assumida perante a minha familia, embora o seja perante os meus AMIGOS... tenho um pouco de medo da reação dos meus familiares em relação a minha orientação sexual, apesar de ter a certeza que nao vou deixar de ser feliz por causa daqilo que eles possam pensar.
        "Even when it is hard, be Strong! Don't give up"

        Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
        #3

        Offline Nats

        • **
        • Membro Júnior
        • Género: Feminino
        • Marvel > DC
        É muito simples e muito complicado ao mesmo tempo...

        Parte simples: Sim, sou bissexual, e pronto. Não gostam? Paciência, não tenho tempo para vocês então, moving on <-- Basicamente o meu mindset. Se estão contra mim sobre isso, eu tenho grande facilidade em cortar o mal pela raíz, não importando o antigo laço que tinha com essa pessoa. Pode ser frio, sim, mas eu não preciso desse tipo de gente na minha vida.

        Parte complicada: até hoje, não tenho 100% de certeza na minha orientação sexual. Às vezes penso que poderei ser panssexual, ou que a minha orientação romântica não coincide com a sexual. Fora isso, já tive os meus problemas em me assumir, claro.

        Reparei que gostava de raparigas quando era muito nova, ainda andava na primária; beijei duas raparigas nessa altura, e pelo que me lembro elas gostavam também. Pena eu ter perdido o contacto. Anyway, ainda estava em Lisboa (no Bairro Alto, wooo) e nem sequer tinha a noção do que era ser 'gay', ou de que a sociedade na altura via isso como algo errado. Era algo muito natural para mim, e eu nem pensei duas vezes.

        Devido a alguns acontecimentos na minha vida, essa parte de mim ficou 'dormente' até eu ter 14 anos, já tinha eu saído de Lisboa. Comecei a gostar de uma rapariga, e estive com ela às escondidas uns bons 6 meses. Quanto mais descobria essa parte de mim, com mais medo ficava de como seria vista; mas ao mesmo tempo, não sentia nenhuma culpa, ou que era errado. Claro, não ajudava que o meu pai ocasionalmente dizia que 'todos os gays são parasitas'.

        Eventualmente apaixonei-me perdidamente por outra rapariga, e aí arranjei a força para lutar contra quem diz que isto é errado. Adotei a posição mencionada ao inicio. Já nos separámos desde então mas essa atitude nunca mudou. Coincidiu com a minha mudança de posição em variadíssimos assuntos (i.e. religião) mas acho que me fez mais forte mentalmente e emocionalmente. Sinto-me perfeitamente confortável comigo mesma e é assim mesmo que deve de ser.

        Não espeto a minha orientação pela garganta abaixo de seja quem for, mas não tenho medo de ser vocal publicamente sobre o assunto em termos de falar contra discriminação, ou apoiar alguém que precise de ajuda, ou exigir direitos básicos que não nos são dados. Não deixo que alguém me faça sentir mal sobre quem sou, pois isto é apenas uma fracção da minha pessoa, e se me julgam por isso não são lá muito inteligentes.

          Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
          #4

          Aries

          • Visitante
          A minha história hum ... ok ... descobri aos 16 anos, da forma mais estúpida do mundo... Sônia Tavares que pertence ao grupo Amália hoje ?? pois ... foi quando ouvi essa música e vi o vídeo clip dela em que aparece de vestido vermelho decote coração. que dei por mim a ficar vidrada na televisão. (Há quem me goze perpétuamente devido a isto) mas foi nesse segundo que me dei conta que não conseguia desviar os olhos daqueles atributos lol e tudo mudou. Fiquei extremamente indignada com a minha reação e dei por mim na rua sempre que via um casal os meus olhos tinham queda pra mulher e não pro homem ... depois chegou a parte mais constrangedora ainda. durante a noite os meus sonhos ... não preciso entrar em pormenores ne? Lol desde aí tudo mudou. tinha um grande a vontade com uma amiga e contei lhe logo o que se andava a passar comigo ... ficou meia chocada nos primeiros cinco minutos mas ... tranquilo ajudou-me logo a ir ao "engate) para tentar perceber o que era aquilo. dei-me conta que eu pessoalmente me aceitei muito bem a mim. sem choque nem medo. problema era o meu mundo a minha família extremamente religiosa ... religiosa ao ponto que tinha de ler a bíblia todos os dias sem exagero ... esse foi o meu único e real problema.
          Durante dois anos fui fazendo a minha vida . mas consegui assumir me perante os meus amigos até mesmo professores na escola etc etc . família é que não. até que aos 18 anos ... senti que havia conhecido o amor da minha vida e que valia a pena tentar e arriscar assumir tudo. enchi os pulmões de coragem e assumi me perante a família. não foi fácil ... andei na rua com a cara negra . mas ... feliz sabem? fui mal aceite ainda hoje com 21 anos ouço muita coisa ... mas não me importa. isto ... estou eu a saltar por cima muita parte da minha história que ainda há vuns meses atrás diria que era a parte fundamental da minha. história de vida. aprendi que aquilo que nos mata hoje amanhã só faz cocegas ! portanto não levar nada muito a peito embora falo e quem sou eu pra falar. é só pra ficar bonito aqui lol basicamente sou feliz com a minha escolha a minha opção ... e tudo que passei pra me definir e fazer aceitarem a pessoa que sou ... me fez mais forte e orgulhosa. alguém tem de ter orgulho de nós . nem que sejamos nós mesmos ... lol

            Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
            #5

            Offline CineLorde

            • *****
            • Membro Ultra
            • Género: Masculino
            • Ren Visual
            É mais uma característica a complicar, uma pessoa tem que viver em meias-mentiras, nunca sabendo se tal e tal nos vai aceitar, e depois existe o facto de sabermos que existe países onde ser gay é considerado um crime. Eu falo por mim, não é fácil. Eu já me habituei a omitir ou a fazer um sorriso amargo sempre que me falem em namoradas.

              Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
              #6

              Stabilo

              • Visitante
              Bem, história longa... :)
              Desde miúda sempre gostei mais de andar com os rapazes e de jogar à bola, era a autêntica maria-rapaz que passava a vida a jogar futebol, a correr, de boné para trás  lol Entretanto, isso levava o meu pai à loucura que sempre quis uma menina feminina e impecável. A minha mãe queria ter tido um menino. Acho que saiu uma maria-rapaz :P Nunca fui de brincar aos papás e mamãs com os bonecos, metia-os sempre em lutas de karaté, sempre gostei de carros, de legos, de coisas que gostam os rapazes. :)
              A minha primeira atracção consciente por uma mulher,  foi pela minha melhor amiga da altura, teria eu 15 anos... Senti ciúmes quando a via com o namorado que era o meu melhor amigo. E pensava que tinha ciúmes dele... Mas uma vez quando estávamos na praia, os rapazes tinham ido buscar gelados e ficámos nós nas toalhas. Ela fez-me carícias no cabelo e eu estremeci toda e fiquei tipo wtf ?  :wor
              Depois dei por mim a ter uma enorme crush por uma professora, quando dei por mim a prestar atenção às curvas dela enquanto escrevia no quadro, mais propriamente do que à matéria, matéria que eu até gostava. Chemistry  8-) Tive na altura alta chemistry por ela lol
              Entretanto, senti-me atraída por uma colega minha, e senti que era minimamente recíproco..Ela deu-me um postal de uma viagem que fez quando parco era o nosso contacto. Aí comecei a ver que gostava de raparigas e a detestar-me por isso.
              O tempo foi passando, entretanto, conheci um rapaz num fórum sobre estudo e ele era assumidamente gay e atacado online. Eu sempre o defendi e comecei a falar com ele. Somos grandes amigos hoje em dia. Foi ele que me mostrou este fórum da rede ex-aequo, já lá vão 8 anos. Agradeço-lhe MUITO por isso.
              Pensei que era bissexual. Apaixonei-me por uma rapariga que foi o meu bem e o meu mal.
              Depois namorei anos com um rapaz mas sempre com a falta de viver o meu lado homossexual. Só depois vi com olhos de ver que só há esse lado, só sou feliz sendo verdadeira comigo própria. Os homens não me interessam, não me atraem sexualmente. Não me vejo nem quero um futuro com um.  Men aren't any fun.
              Ás vezes ainda me vem um ou outro pensamento de que é errado eu amar uma mulher. Mas sei que não é, porque é um amor genuíno, verdadeiro. Aliás, para mim amar uma mulher é lindo (: Se me dessem a oportunidade de me tornar heterossexual, eu não quereria por nada!

              « Última modificação: 30 de Novembro de 2014 por Stabilo »

                Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
                #7

                Offline Olimpus

                • *
                • Novo Membro
                • Género: Masculino
                No geral não me causa problemas, porque a minha orientação sexual é só uma parte de mim não o todo.

                Não consigo definir-me mas tenho quase a certeza que não sou heterossexual. Só aos 24 (quase 25) fui capaz de enfrentar esta parte de mim, até então sempre quis ignorar a minha sexualidade.

                Aceito-me e estou bem comigo, são poucas as pessoas que sabem e todas acham que me falta confiança e que ou estou confuso

                  Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
                  #8

                  Anusca

                  • Visitante
                  Bem, história longa... :)
                  Desde miúda sempre gostei mais de andar com os rapazes e de jogar à bola, era a autêntica maria-rapaz que passava a vida a jogar futebol, a correr, de boné para trás  lol Entretanto, isso levava o meu pai à loucura que sempre quis uma menina feminina e impecável. A minha mãe queria ter tido um menino. Acho que saiu uma maria-rapaz :P Nunca fui de brincar aos papás e mamãs com os bonecos, metia-os sempre em lutas de karaté, sempre gostei de carros, de legos, de coisas que gostam os rapazes. :)
                  A minha primeira atracção consciente por uma mulher,  foi pela minha melhor amiga da altura, teria eu 15 anos... Senti ciúmes quando a via com o namorado que era o meu melhor amigo. E pensava que tinha ciúmes dele... Mas uma vez quando estávamos na praia, os rapazes tinham ido buscar gelados e ficámos nós nas toalhas. Ela fez-me carícias no cabelo e eu estremeci toda e fiquei tipo wtf ?  :wor
                  Depois dei por mim a ter uma enorme crush por uma professora, quando dei por mim a prestar atenção às curvas dela enquanto escrevia no quadro, mais propriamente do que à matéria, matéria que eu até gostava. Chemistry  8-) Tive na altura alta chemistry por ela lol
                  Entretanto, senti-me atraída por uma colega minha, e senti que era minimamente recíproco..Ela deu-me um postal de uma viagem que fez quando parco era o nosso contacto. Aí comecei a ver que gostava de raparigas e a detestar-me por isso.
                  O tempo foi passando, entretanto, conheci um rapaz num fórum sobre estudo e ele era assumidamente gay e atacado online. Eu sempre o defendi e comecei a falar com ele. Somos grandes amigos hoje em dia. Foi ele que me mostrou este fórum da rede ex-aequo, já lá vão 8 anos. Agradeço-lhe MUITO por isso.
                  Pensei que era bissexual. Apaixonei-me por uma rapariga que foi o meu bem e o meu mal.
                  Depois namorei anos com um rapaz mas sempre com a falta de viver o meu lado homossexual. Só depois vi com olhos de ver que só há esse lado, só sou feliz sendo verdadeira comigo própria. Os homens não me interessam, não me atraem sexualmente. Não me vejo nem quero um futuro com um.  Men aren't any fun.
                  Ás vezes ainda me vem um ou outro pensamento de que é errado eu amar uma mulher. Mas sei que não é, porque é um amor genuíno, verdadeiro. Aliás, para mim amar uma mulher é lindo (: Se me dessem a oportunidade de me tornar heterossexual, eu não quereria por nada!




                  Gostei tanto da tua história Stabilo! E a última parte então...acho que diz tudo! Identifico-me completamente.  Bom ano para ti!

                    Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
                    #9

                    Stabilo

                    • Visitante
                    Bem, história longa... :)
                    Desde miúda sempre gostei mais de andar com os rapazes e de jogar à bola, era a autêntica maria-rapaz que passava a vida a jogar futebol, a correr, de boné para trás  lol Entretanto, isso levava o meu pai à loucura que sempre quis uma menina feminina e impecável. A minha mãe queria ter tido um menino. Acho que saiu uma maria-rapaz :P Nunca fui de brincar aos papás e mamãs com os bonecos, metia-os sempre em lutas de karaté, sempre gostei de carros, de legos, de coisas que gostam os rapazes. :)
                    A minha primeira atracção consciente por uma mulher,  foi pela minha melhor amiga da altura, teria eu 15 anos... Senti ciúmes quando a via com o namorado que era o meu melhor amigo. E pensava que tinha ciúmes dele... Mas uma vez quando estávamos na praia, os rapazes tinham ido buscar gelados e ficámos nós nas toalhas. Ela fez-me carícias no cabelo e eu estremeci toda e fiquei tipo wtf ?  :wor
                    Depois dei por mim a ter uma enorme crush por uma professora, quando dei por mim a prestar atenção às curvas dela enquanto escrevia no quadro, mais propriamente do que à matéria, matéria que eu até gostava. Chemistry  8-) Tive na altura alta chemistry por ela lol
                    Entretanto, senti-me atraída por uma colega minha, e senti que era minimamente recíproco..Ela deu-me um postal de uma viagem que fez quando parco era o nosso contacto. Aí comecei a ver que gostava de raparigas e a detestar-me por isso.
                    O tempo foi passando, entretanto, conheci um rapaz num fórum sobre estudo e ele era assumidamente gay e atacado online. Eu sempre o defendi e comecei a falar com ele. Somos grandes amigos hoje em dia. Foi ele que me mostrou este fórum da rede ex-aequo, já lá vão 8 anos. Agradeço-lhe MUITO por isso.
                    Pensei que era bissexual. Apaixonei-me por uma rapariga que foi o meu bem e o meu mal.
                    Depois namorei anos com um rapaz mas sempre com a falta de viver o meu lado homossexual. Só depois vi com olhos de ver que só há esse lado, só sou feliz sendo verdadeira comigo própria. Os homens não me interessam, não me atraem sexualmente. Não me vejo nem quero um futuro com um.  Men aren't any fun.
                    Ás vezes ainda me vem um ou outro pensamento de que é errado eu amar uma mulher. Mas sei que não é, porque é um amor genuíno, verdadeiro. Aliás, para mim amar uma mulher é lindo (: Se me dessem a oportunidade de me tornar heterossexual, eu não quereria por nada!




                    Gostei tanto da tua história Stabilo! E a última parte então...acho que diz tudo! Identifico-me completamente.  Bom ano para ti!


                    Olá! :) Só vi isto agora, desculpa! É bom saber que não estamos sozinhos. Espero que sim, que seja um bom ano...um bom ano também para ti! :)

                      Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
                      #10

                      Anusca

                      • Visitante
                      Ainda foste a tempo  :)

                        Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
                        #11

                        Offline aaron

                        • **
                        • Membro Júnior
                        • Género: Masculino
                        a minha história é simples, quando tinha uns cinco anos um primo meu da minha idade começou a ter umas brincadeiras estranhas comigo envolvendo o r*** de cada um LOL fomos apanhados pelos nossos pais e levamos uma boa tareia, nunca mais o fizemos maaaas eu fiquei curioso.

                        na altura da primária eu costumava estar com três amigos em minha casa ou casa deles (não com os três ao mesmo tempo) e lá começamos a jogar aos médicos, começamos a avançar para problemas sexuais e aos poucos, começamos também com brincadeiras mais sexuais. até aos dez anos fiz de tudo com estes rapazes, acho que não sabia bem o que estava realmente a fazer mas fazíamos pois achávamos bom.

                        entretanto fomos para escolas diferentes e perdi o contacto com todos eles. mas nunca esqueci-me destas coisas.
                        aos 17/18 apaixonei-me por um rapaz, na altura não percebi que era uma paixão mas agora olhando para trás percebo isso pois eu estava completamente fixado nele, queria estar com ele a toda a hora e dava-me bem com ele. como nunca percebi o que realmente sentia também nunca tentei nada com ele.

                        depois namorei com duas raparigas, algo que gostei claro e fizeram-me crescer. mas entre os dois namoros conheci um rapaz pela net e tive aí as que considero primeiras experiências (apesar de tudo o que fiz enquanto puto, não tinha consciência das coisas). na altura pensava que nunca seria capaz de namorar com um rapaz, que só estava com rapazes por fun mas queria namorar sempre com raparigas.

                        até que um dia que me apaixonei por um rapaz a sério e aí percebi que tanto podia namorar com rapazes e raparigas. entretanto já tive um namoro de dois anos com um rapaz e agora estou em outro relacionamento de um ano com um rapaz.

                        contei há poucos meses à minha mãe e muitas pessoas da minha família sabem que namoro com um rapaz e conhecem-no, já os meus amigos são poucos os que não sabem. nesse aspecto tudo foi sempre sem problemas para mim.

                        Como lidam com o facto de serem LGBT? Contem a vossa história:)
                        #12

                        Offline woman_angel

                        • ***
                        • Membro Total
                        • Género: Feminino
                        Desde o primeiro dia que me apercebi ter tendências que lidei bem. Felizmente tambem tenho uma familia de mente aberta, numca lhes disse directamente porque tambem nunca tive nimguem a meu lado que eu sentisse ser a hora.

                        Lido bem c isso, vivo a minha vida d forma independente nao senti necessidad d contar td.

                        Dvems encarar td d forma natural, ninguem tem o direito d julgar e portanto só temos que ser felizes :)

                           

                          Tópicos relacionados

                            Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                          História dos LGBT e LGBTs na história

                          Iniciado por XATE « 1 2 ... 6 7 » Geral

                          126 Respostas
                          55835 Visualizações
                          Última mensagem 23 de Agosto de 2013
                          por PsyGirl_Av
                          146 Respostas
                          32951 Visualizações
                          Última mensagem 17 de Maio de 2016
                          por Ana Ferreira
                          19 Respostas
                          3322 Visualizações
                          Última mensagem 10 de Junho de 2015
                          por bookerdewitt
                          50 Respostas
                          8264 Visualizações
                          Última mensagem 4 de Abril de 2012
                          por ilikerodie
                          8 Respostas
                          1532 Visualizações
                          Última mensagem 11 de Setembro de 2016
                          por Bc