rede ex aequo

Olá Visitante10.dez.2019, 03:23:47

Autor Tópico: Crise no PS - António José Seguro VS António Costa  (Lida 2051 vezes)

 
Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
#0

Andre_89

  • Visitante
Qual é a vossa opinião sobre a crise instalada no Partido Socialista?

Quem preferem ver na liderança do maior partido da oposição?

Qual acham que vai ser o resultado?

Esta crise favorece os Partidos da Maioria (PSD-CDS)?

    Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
    #1

    Offline the end

    • *****
    • Membro Ultra
    • Género: Masculino
    Na minha opinião, se o secretário geral do PS no dia das eleições europeias tivesse sido humilde perante os resultados isto nem teria começado.

    A estrutura política de Seguro é nula e sem conteúdo para liderar um país em crise.Foi criado desde novo dentro do partido, é produto danificado.  Em relação ao resultado vai ser imprevisível, depende da guerra travada.
    Concordo quando afirmam que António José Seguro é apólice de vida deste governo.Se em 2015 não houver uma clarificação política no parlamento e se criar de novo um governo de bloco central PS-PSD, a consequência será mais votos para os partidos dos extremos, sejam eles de direita ou de esquerda. 

    PS e PSD estão condenados a perder votos eleição após eleição. Os ventos não sopram de feição.
      Yes I can!

      Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
      #2

      Offline Esmékie

      • *
      • Novo Membro
      • Género: Masculino
      Que o PS confirmou que corria o grave risco de vencer as Legislativas de 2015 por minoria. Ou, num caso pior, perder as mesmas para o PSD, possivelmente coligado com o CDS-PP. O António Costa vê que agora tem mais possibilidades de ganhar, e já possui a Câmara de Lisboa, que há-de afectar de algum modo. Ou em peso político, ou em imagem pública. Alguma coisa.

      O Seguro não é líder. E o António Costa há-de ser melhor que ele. Mas conheço pouco o trabalho de Toni Costa em pormenor. E o Seguro é o que temos visto. Mas pior que a falta de segurança de Seguro, não será.

      Depende de muita coisa. Primeiro temos é de descobrir se o Cavaco ainda está vivo, ou se não ficou a dar festinhas à barba do Meireles.

      Sim. Até certo ponto. Por agora tira olhos de cima do Governo e mete sobre o PS. Se Seguro continuar é melhor para a coligação, até mesmo em futuras eleições para criar uma coligação ao centro, para garantir maioria na AR. É claro que isto muda se Costa for para secretário-geral do PS, e existe uma possibilidade do PS ganhar com maioria. Ou conseguir algum acordo à Esquerda (mesmo que complicado).
      Para o PCP é bom a continuação do Seguro. Há-de ser. Tem sido feito uma campanha já contra António Costa, e com Seguro à frente do PS, o PCP ambiciona vir a retirar muitos votos ao PS. E agora com o BE fraco, é capaz de conseguir mais outros votos à Esquerda. Agora, acho é que a ideia de poderem vir a ganhar as Legislativas só passa na cabeça do PCP, e em mais nenhuma. Mas acredito que se muitas coisas correrem bem, ao PCP, conseguiam um bom resultado.

        Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
        #3

        Offline Kidrauhl

        • ***
        • Membro Total
        • Género: Masculino
        Qual é a vossa opinião sobre a crise instalada no Partido Socialista?

        Quem preferem ver na liderança do maior partido da oposição?

        Qual acham que vai ser o resultado?

        Esta crise favorece os Partidos da Maioria (PSD-CDS)?

        1. A crise começou logo com um resultado do PS que ficou muito aquém das expectativas. Há, naturalmente, que agir em conformidade.

        2. António Costa, até pela experiência autárquica (bem sucedida) que tem na Câmara de Lisboa, mas também pela experiência governativa, tem muito mais "estofo" do que António José Seguro e, sobretudo, tem uma capacidade mobilizadora muito maior.

        3. Seja em primárias, seja em eleições directas, António Costa sairá vencedor, porque tem nomes de peso - Mário Soares e José Sócrates - a apoiá-lo, sendo que as distritais, cujas bases reconhecem que o resultado das europeias ficou aquém do que seria expectável, estão progressivamente a virar para o lado de Costa. O que Seguro está a fazer é apenas adiar o inevitável, porque ele mesmo tem consciência da sua fraqueza enquanto líder da oposição.

        4. Pode favorecer no imediato, porque desvia as atenções do desastre da acção governativa, mas, caso Costa saia vencedor, é provável que o PS ganhe as legislativas de 2015 com maioria absoluta. O CDS, que elegeu apenas um eurodeputado, teria tido menos votos do que Marinho Pinto se tivesse concorrido sozinho a estas europeias, sendo que as sondagens para 2015 lhe atribuem um resultado miserável (2% a 3%). Ou seja, a médio-longo prazo o PSD e o Governo poderão, em caso de vitória de Costa, vir a enfrentar uma oposição mais forte e mobilizada e o PSD terá também a tarefa dificultada para vencer as legislativas de 2015 - com Seguro, a vitória é uma possibilidade para os laranjas, com Costa será uma miragem. Até porque uma coligação pós-eleitoral com o CDS será difícil, dado o expectável fraco resultado deste último partido.

          Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
          #4

          Offline Esmékie

          • *
          • Novo Membro
          • Género: Masculino
          Qual é a vossa opinião sobre a crise instalada no Partido Socialista?

          Quem preferem ver na liderança do maior partido da oposição?

          Qual acham que vai ser o resultado?

          Esta crise favorece os Partidos da Maioria (PSD-CDS)?

          1. A crise começou logo com um resultado do PS que ficou muito aquém das expectativas. Há, naturalmente, que agir em conformidade.

          2. António Costa, até pela experiência autárquica (bem sucedida) que tem na Câmara de Lisboa, mas também pela experiência governativa, tem muito mais "estofo" do que António José Seguro e, sobretudo, tem uma capacidade mobilizadora muito maior.

          3. Seja em primárias, seja em eleições directas, António Costa sairá vencedor, porque tem nomes de peso - Mário Soares e José Sócrates - a apoiá-lo, sendo que as distritais, cujas bases reconhecem que o resultado das europeias ficou aquém do que seria expectável, estão progressivamente a virar para o lado de Costa. O que Seguro está a fazer é apenas adiar o inevitável, porque ele mesmo tem consciência da sua fraqueza enquanto líder da oposição.

          4. Pode favorecer no imediato, porque desvia as atenções do desastre da acção governativa, mas, caso Costa saia vencedor, é provável que o PS ganhe as legislativas de 2015 com maioria absoluta. O CDS, que elegeu apenas um eurodeputado, teria tido menos votos do que Marinho Pinto se tivesse concorrido sozinho a estas europeias, sendo que as sondagens para 2015 lhe atribuem um resultado miserável (2% a 3%). Ou seja, a médio-longo prazo o PSD e o Governo poderão, em caso de vitória de Costa, vir a enfrentar uma oposição mais forte e mobilizada e o PSD terá também a tarefa dificultada para vencer as legislativas de 2015 - com Seguro, a vitória é uma possibilidade para os laranjas, com Costa será uma miragem. Até porque uma coligação pós-eleitoral com o CDS será difícil, dado o expectável fraco resultado deste último partido.

          Já está marcado. 28 de Setembro. Tem é o problema de ser ilegal, pois vai contra os estatutos base do PS. Além de que desalojar o Seguro, não vai ser pacífico e poderá criar problemas ainda mais graves do que há.

          O CDS só elegeu um porque era o 6º ou 7º da lista. Foi assim que PSD e CDS concordaram a quando da distribuição dos eurodeputados à lista da Aliança Portugal. Na prática ninguém sabe quanto teve cada um dos partidos.

          Até Setembro ainda muita água vai passar por baixo da ponte. Já se fala que Passos e Portas andam a cheirar Crise Política no horizonte. E se tal acontecer, e o Cavaco convocar eleições... Mesmo que Cavaco não queria, pode dar-se um impasse grande demais para ser possível governar. E o PCP bem que irá aproveitar para deitar o Governo abaixo na primeira tentativa. E logo ai é só olhar para a AR e ver as percentagens de quantos partidos, e o necessário para derrubar governos.

          O PS continua a descer nas sondagens. E o Costa ainda tem de apresentar um programa sólido e preparado para um Governo que esteja apto a governar nas limitações e realidade que Portugal e a Europa enfrentam.
          Uma coisa é a Câmara de Lisboa. Outra é o país.

          Juntando os dois post's, dá para ver ainda melhor a coisa.

            Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
            #5

            Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
            #6

            Kaiser

            • Visitante
            Não tenho grandes esperanças nem para um nem para o outro. Mas, honestamente acho o Seguro mais ético e menos hipocrita que o Antonio Costa.

            É de referir tambem que o Seguro é dos poucos politicos de relevancia a defender a redução de deputados na Assembleia. Coisa que já era para ter sido feita em 2005.

              Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
              #7

              Offline João Santos

              • **
              • Membro Júnior
              • Género: Masculino
              Não tenho grandes esperanças nem para um nem para o outro. Mas, honestamente acho o Seguro mais ético e menos hipocrita que o Antonio Costa.

              É de referir tambem que o Seguro é dos poucos politicos de relevancia a defender a redução de deputados na Assembleia. Coisa que já era para ter sido feita em 2005.
              A redução do número de deputados não passa de um medida populista e anti-democrática que favorecia apenas os partidos com mais poder, isto é, o PS e o PSD (não que eu me importasse muito que o CDS e o Marinho Pinto se lixassem, mas há mais partidos...), e se agora partidos com 45% dos votos têm maioria absoluta (já para não falar de que partidos com 1% dos votos não conseguem eleger qualquer deputado quando há 230 deputados), com ainda menos deputados seria muito mais fácil o primeiro partido ter maioria absoluta (por exemplo, na Hungria reduziram o número de deputados de 386 para 199 e o Fidesz, com 45% dos votos, teve uma maioria de 2/3), e todos sabemos o que acontece com maiorias absolutas: um único partido toma todas as decisões durante 4 anos e mais nenhuma opinião conta. Como agora em que cá uma coligação que teve 28% dos votos nas eleições para o parlamento europeu faz tudo o que quer e lhe apetece porque há 3 anos atrás teve uma maioria absoluta.

              Quanto ao Costa e ao Seguro... são duas pessoas que defendem exactamente o mesmo (austeridade e possíveis coligações com partidos da direita oficial) a lutar uma contra a outra. Não é um assunto que me preocupe realmente.

                Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
                #8

                Kaiser

                • Visitante
                Na Hungria não o fizeram proporcionalmente. Eu apoio a redução de deputados desde que seja feita de forma proporcional. Coincidentemente é isso que o Seguro defende.

                Não conheço o restante programa do Seguro nem o quero conhecer, não o apoio de qualquer forma. Mas tenho que dar a mão a palmatória quando alguem diz algo acertado, mesmo que não concorde com ele no geral.

                  Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
                  #9

                  Offline João Santos

                  • **
                  • Membro Júnior
                  • Género: Masculino
                  Na Hungria não o fizeram proporcionalmente. Eu apoio a redução de deputados desde que seja feita de forma proporcional. Coincidentemente é isso que o Seguro defende.
                  O que entendes por redução de deputados de forma proporcional?

                    Crise no PS - António José Seguro VS António Costa
                    #10

                    Kaiser

                    • Visitante
                    Se por exemplo um partido tem 20% de deputados na assembleia no final da redução tem de continuar a ter 20% dos deputados. Ou seja, as cadeiras deste partido nao seriam tão afectadas como as cadeiras dos outros, dizendo a coisa duma forma bastante básica.
                    Mas antes disso gostava ainda que possibilitassem o eleitorado eleger os deputados.

                    Mas nem uma nem a outra irá acontecer por tanto só estamos aqui a gastar o nosso latin.
                    « Última modificação: 4 de Setembro de 2014 por Kaiserina »

                       

                      Tópicos relacionados

                        Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                      58 Respostas
                      30097 Visualizações
                      Última mensagem 28 de Fevereiro de 2015
                      por T-Rex
                      56 Respostas
                      15324 Visualizações
                      Última mensagem 7 de Abril de 2018
                      por Jiyoana
                      88 Respostas
                      17244 Visualizações
                      Última mensagem 7 de Julho de 2012
                      por miL@gres
                      José Saramago

                      Iniciado por Sarbor « 1 2 3 4 » Artes & Letras

                      61 Respostas
                      11121 Visualizações
                      Última mensagem 18 de Fevereiro de 2018
                      por Pigmeu
                      12 Respostas
                      1583 Visualizações
                      Última mensagem 29 de Novembro de 2014
                      por João Santos