rede ex aequo

Olá Visitante19.jul.2019, 11:07:26

Autor Tópico: Elders - o que faço?  (Lida 3545 vezes)

 
Elders - o que faço?
#20

Offline amacord

  • *
  • Novo Membro
  • Género: Masculino
Obrigado pela resposta Strings!!

haha eu cá acho que o que me falta mesmo é realismo mas eu tendo sempre para o overthinking e para o overacting (e talvez para o overthinking sobre o meu overacting)  :P

Mas para ser sincero acho que grande parte do meu medo e questionamentos se deve exactamente ao facto deles serem mórmons - o código de conduta é, como dizes, extremamente estrito - e cada vez que pesquiso mais sobre esta igreja dou por mim a sentir uma crescente aversão a ela em variados aspectos. Só de pensar que foram absurdamente racistas até as diferentes formas de racismo serem abolidas da constituição americana e o racismo ser considerado crime de ódio - isto foi só em 1978 :o

Sobre o elder A, tenho medo que consigam para além de saber a quantidade de mensagens/ chamadas que eu e ele trocamos, tenham também acesso ao conteúdo das mesmas... Tenho também medo que ele arranje problemas, por outro lado não consigo deixar de pensar que o facto de ele se colocar nesta situação quer dizer alguma coisa, certo?
Eu não me quero, de todo, converter e dou por mim a pensar se não estarei a ser demasiado ingénuo ao sentir-me atraído por ele... Eu penso imenso nele e etc. e sinto que ele tem algum interesse por mim, ainda há pouco mandou-me uma mensagem a dizer que queria muito que eu fosse jogar com eles amanhã... Mas nunca tinha conhecido missionários mormons na vida, e não o conheço há tempo suficiente (se posso efectivamente dizer que o conhceço  :-\) para confiar plenamente nas intenções dele...

Tenho medo que isto fique um bocado off-topic (sinceramente nunca usei muito foruns e nao sei como estas cenas funcionam -.-) mas quando falas em evangélica estás a falar de que tipo de evangélicos? Eu estive a ler na wikipedia e não fiquei propriamente elucidado, sobretudo porque sempre associei a igreja evangélica àquelas igrejas brasileiras tipo a que está agora onde era o cinema império ali na Alameda D. Afonso Henriques, mas não é isso pois não?
Só por curiosidade como é que a tua irmã se tornou evangélica e qual foi a atitude da igreja face a ela (tipo se a ajudaram de inicio e depois pediram retribuições, se teve de fazer algum baptismo/ contracto ect.)?

A maneira como a maioria das religiões que conheço lida com a homossexualidade/ identidade de género sempre me assustou, e ver isso devagarinho a entrar em minha casa...


    Elders - o que faço?
    #21

    Strings910

    • Visitante
    Eu não me preocuparia muito com eles poderem vir a saber o conteúdo das mensagens, a não ser que vasculhem diretamente o telemóvel do elder A. Ou muito me engano, ou a operadora só poderia fornecer esse tipo de informações numa investigação criminal.

    Sei que há mais do que uma corrente no que toca à Igreja Evangélica, mas não te sei dizer exatamente qual é que a igreja que a minha irmã frequenta segue. Sei que o seu ensinamento-base é que Cristo é o nosso Salvador e que só após aceitá-lo como tal é que podemos aspirar a estar na companhia de Deus para todo o sempre, pois não está em nosso poder atingir a Salvação, independentemente daquilo que façamos nesta vida. Para além disso, a Palavra de Deus é aquela que está na Bíblia apenas, e não mais outras convenções que entretanto possam ter sido criadas com o decorrer do tempo. Portanto, rejeita o conceito de santos e considera Maria como uma mulher abençoada por ter aceitado ser mãe de Jesus, mas não a considera Imaculada, isto é, afirma que foi tão falível e suscetível a pecar como todos nós. Isto pode não te dizer nada, mas é só para teres um bocado de contexto, na medida em que vais fazendo pesquisas e vais procurando informar-te sobre estas questões. Já agora, não te preocupes demasiado em isto ficar off-topic. Desde que não se desvie demasiado do tema em discussão, isto é, que não se transforme numa discussão inteiramente sobre as várias doutrinas que por aí andam quando esse não era o intuito, é possível ir fazendo uma alusão ou outra que não esteja tão relacionada com o tema. Se tiveres dúvidas quanto às regras, há um tópico a explicá-las em pormenor no sub-fórum de questões técnicas. :)

    Tanto quanto me parece, a minha irmã passou a ser evangélica de forma voluntária. Tinha dúvidas há algum tempo sobre a Igreja Católica e encontrou respostas na Evangélica. Quanto às pessoas, parece-me que aquilo que querem é mesmo que as pessoas saibam que Cristo é o Salvador, essencialmente. Não tenho ouvido de retribuições que se tenha visto obrigada a dar e, no que toca ao batismo, mais uma vez, é algo que pensa em fazer por ela própria. Se haverá algum compromisso ou contrato, só o tempo dirá. É um assunto do qual também me posso informar melhor, sinceramente.

    De facto, a influência que a religião consegue ter nas pessoas pode ser assustadora, na medida em que se vale de uma arma muito poderosa, que é a fé e a esperança que dela nasce, e as religiões não são conhecidas por ser pioneiras no reconhecimento da diversidade como uma característica perfeitamente válida e inerente ao ser humano enquanto espécie. Acho que o mais que podes fazer a este respeito é comunicares sempre com a tua mãe, de modo a seres sempre o seu filho e não passares a ser o outro com o qual não haveria hipótese de empatia, e confiares nela, pois isto não é algo que alguma vez vás conseguir controlar completamente. Não é o mais reconfortante, eu sei, mas as ligações humanas são mesmo assim: cuidamos da nossa parte e esperamos que o nosso próximo corresponda. E, por aquilo que tens dito, a tua mãe tem dado cartas nesse respeito.

    Finalmente, em relação ao elder A e ao facto de se colocar nesta situação, pode querer dizer alguma coisa, mas também pode não querer dizer nada ou, pelo menos, não aquilo de que estarias à espera. Por trás de um determinado comportamento, pode haver inúmeras motivações e nem sempre conseguimos prevê-las todas. Não ter toda a informação pode levar a interpretações erradas, que podem ou não ser contornáveis. Numa situação normal, o recomendável era ir travando amizade com ele e ver como as coisas se iam desenrolando. Tu tens o trabalho um pouco mais complicado pela questão mórmon, mais uma vez. Acho que, no fundo, tudo vai depender de quanta flexibilidade seja capaz o elder A, como indivíduo, e de quão disposto estás tu para querer saber até onde vai essa mesma flexibilidade dele.

    Espero que isto seja de ajuda. :)

      Elders - o que faço?
      #22

      Offline amacord

      • *
      • Novo Membro
      • Género: Masculino
      Aiiii que eu só fico mais confuso a cada dia  :wor :wor

      Strings MUITO obrigado mesmo pelos conselhos que me deste!

      A tua família é Católica? Apenas pergunto isto para ter um bocado de noção da reacção ao facto da tua irmã se ter convertido a outra igreja. A minha avó, por exemplo, já disse que a minha mãe está louca por estar a "virar mórmon" ..

      Hoje lá fui jogar à bola com os elders e mais 8 rapazes filhos de membros da igreja... bom, na verdade não joguei praticamente nada, o campo era um daqueles campos públicos e estava lá um outro grupo a jogar e eu confesso que só posso agradecer por isso, já que sou um descoordenado do pior  :P mas assim que cheguei, e esta é que é a parte que importa, percebi algo no comportamento do elder A.

      Eu chego e eles cumprimentam-me todos com um aperto de mão e um abraço (mesmo à brotherhood americana que nós não compreendemos) o elder A fica para último e enquanto eu cumprimentava toda a gente ele não tirou os olhos de mim, e, sempre com um sorriso um bocado malicioso, põe-me o braço pelos ombros e encaminha-me à cena onde eles tinham deixado as mochilas.

      Jogo um bocado na equipa adversária à dele e ele anda sempre à minha volta a tentar (e conseguir) tirar a bola mas também a empurrar-me e a tocar-me muito... Entretanto ele chama um miúdo que estava nas bancadas para trocar com ele e fica lá sentado a olhar, eu como raramente tinha a bola nos pés  :P reparei que ele olhava fixamente para mim. . Entretanto acabei por ir sentar-me ao lado dele (estava lá o outro elder...) e o elder A levanta-se rapidamente "Vou com o Rui encher as garrafas com água...para todos" eu fiquei meio parvo (porque estava mesmo cansado e precisava de me sentar) mas o estúpido é mesmo magnético  ::)

      Pareceu ter aproveitado a oportunidade de haver muita gente no jogo (todos distraidos e super competitivos) para falar comigo. Falámos muito sobre muitas coisas, estivemos muito tempo completamente sozinhos e ele veio com uma conversa um bocado estranha, perguntou-me porque é que não tinha namorada, eu disse que não tinha calhado  :P (não estava nada no mood para lhe dizer que sou gay) e ele começou a dizer que muitas vezes aparecem-nos ideias estranhas na cabeça sobre coisas que as pessoas acham que são erradas, que o Senhor acha que são erradas e que isso é normal e que é ok desde que não passem de pensamentos, houve um momento um bocado deep de silêncio desconfortável até ele sorrir adoravelmente e mudar de assunto.

      Foi das conversas mais surreais que alguma vez tive com alguém, estavamos muito perto ele estava a olhar muito profundamente para mim, descendo várias vezes os olhos até aos lábios... eu paralisei completamente, não consegui dizer nada mas pareceu-me que ele podia estar a falar sobre homossexualidade  ??? ???
      Se for isso não compreendo como é que ele percebeu, não compreendo também o que ele queria dizer com aquilo... ele fala um bocado mal português e disse-me estas coisas muito lentamente num tom de voz baixinho como quem diz "eu sei o teu segredo"... mas por outro lado senti que ele me estava a julgar um pouco, ainda por outro lado (onde se acrescenta o comportamento muito físico dele comigo durante a tarde) senti alguma maldade do tipo estar a aproveitar-se de mim  [smiley=desconfortavel.gif]
      Ou então ele poderia estar a falar de outra coisa qualquer, ou então como é de outra cultura para ele é normal esta próximidade e fisicalidade (o tal espirito de brotherhood que falava à bocado)  ou então... ai... que confusão terrível.  ??? ??? ??? ???

      Eles vêm a minha casa na Quarta mas eu estou em aulas a essa hora e ele já me mandou uma mensagem a perguntar se tinha gostado do jogo... não sei se devo responder... aaaaii

      Strings, desculpa a inversão da ordem do teu post, mas fiquei curioso com isto:
      Portanto, rejeita o conceito de santos e considera Maria como uma mulher abençoada por ter aceitado ser mãe de Jesus, mas não a considera Imaculada, isto é, afirma que foi tão falível e suscetível a pecar como todos nós.
      os evangélicos continuam a acreditar que Cristo nasce da mesma maneira, vá digamos "Celestial" que é descrita pelos cristãos-católicos, certo? Uma das cenas dos mórmons é que eles acreditam q houve efectivamente contacto físico entre Deus e Maria (!!)

        Elders - o que faço?
        #23

        Offline theone111

        • ****
        • Membro Sénior
        • Género: Masculino
        Boas,

        Tiveste uma excelente oportunidade com esse jogo. Por um lado, porque conseguiste privar melhor com o elder em questão, por outro, a conversa aproximou-se do expectável. Deverias ter aproveitado melhor, se bem que não poderias ter-te preparado. Não sabias...

        No próximo jogo ou evento para que fores convidado, tenta preparar um pouco essa conversa melhor (porque provavelemente surgirá). Nessa altura, tenta desenvolver o tópico, e entender a opinião dele acerca da homossexualidade. Evita "silêncios desconfortáveis" - que podem fazê-lo mudar de assunto (mesmo que tenhas que preencher alguns com um "hum" pensativo - funciona melhor que o que soa lol).

        Um dos pontos por onde podes "pegar" é na rigidez das regras da igreja (não necessariamente a deles, mas religião em geral) relativamente à  temática. Uma conversa (devidamente colocada no resto da conversa, claro) do tipo "Pois, mas a igreja sempre teve posturas demasiado "radicais" ou "extremistas"... Não me caberia na cabeça julgar uma pessoa por ser homossexual, não ser virgem, ou até mesmo por beber ou comer carne de porco".

        Tenta também extraír a opinião pessoal dele (e não a opinião da igeja) mesmo que tenhas que o pedir directamente. Podes ainda aquecer o debate com o "E se o teu irmão fosse gay?" - O que no caso dele próprio ser gay, pode dar-te uma ideia dos medos com que ele lida...


        Concluíndo, quando a conversa aparecer, não a deixes acabar sem uma luta primeiro  ;)


        Já agora, quanto ao conteúdo das mensagens do telemóvel, só mesmo com mandato ao abrigo de uma investigação judicial. No problem!
          E acredita, a vida é bastante melhor com bolachas! lol

          Elders - o que faço?
          #24

          Offline amacord

          • *
          • Novo Membro
          • Género: Masculino
          haha eu confesso que não estava mesmo nada à espera deste desenrolar, mas também se soubesse acho que só ia stressar e aí então é que seria estranho...  Mas sim, tenho toda a noção de que podia ter aproveitado para esclarecer algumas coisas da minha parte, já que foi basicamente ele a conduzir o diálogo e foi um diálogo feito sobretudo de perguntas à minha pessoa.

          Mas por outro lado sinto que estas muitas perguntas significam alguma coisa, que ele tem um interesse genuino em mim (que tipo de interesse é ainda não percebi)  :P, mas o meu medo é também o de avançar com isto. Imaginando que a atracção não é unilateral e ele sente a mesma coisa em relação a mim , e depois? Ele eventualmente será transferido para outra área de Portugal (já percebi que há essa possibilidade de 6 em 6 semanas).. Para além de que qualquer envolvimento verdadeiro entre nós me parece muito pouco possível   :wor  Por isso tenho um bocado de medo que ele se esteja a aproveitar de mim, do género "testar os limites" para proveito próprio...

          Ah e se isto alguma vez fosse para a frente ( ::) ::) ::)) e se ele for efectivamente gay, o facto de ele ter ido em missão implica que tenha feito um compromisso eterno com a igreja de pôr a fé acima de tudo e por isso nunca ter relações de qualquer tipo que não familiares/ amizade com um homem... mas se quiser pode casar com uma mulher que a igreja permite...

          E é nesse sentido que não sei se vale a pena estar a pôr a minha cabeça num nó... Claro que até ver tem sabido bem, tenho-me sentido numa história romântica à filme, quando estamos juntos é inexplicável e pela primeira vez na vida sinto que estou a ser correspondido nas trocas de olhares e etc. com alguém... A paixoneta é que não se tem desenvolvido de forma muito saudável... até pelo contrário.


             

            Tópicos relacionados

              Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
            O que faço?

            Iniciado por zlz Apoio

            2 Respostas
            1681 Visualizações
            Última mensagem 28 de Janeiro de 2014
            por 90.Azulinha
            33 Respostas
            14958 Visualizações
            Última mensagem 21 de Abril de 2010
            por caires
            4 Respostas
            1955 Visualizações
            Última mensagem 30 de Junho de 2010
            por KissTheDawn@
            7062 Respostas
            136276 Visualizações
            Última mensagem Segunda-feira
            por unicorn39
            6 Respostas
            1546 Visualizações
            Última mensagem 28 de Outubro de 2012
            por BrunoMCP