rede ex aequo

Olá Visitante29.nov.2020, 06:58:00

Autor Tópico: Empréstimos bancários a estudantes: vantagens e desvantagens  (Lida 3365 vezes)

 
Empréstimos bancários a estudantes: vantagens e desvantagens
#0

Offline Elizabeth Siddal

  • ***
  • Membro Total
  • Género: Feminino
Olá. :)

O que é que acham dos empréstimos bancários a estudantes do ensino superior? Já pensaram em recorrer? O que acham dos estudantes se estarem a endividar mesmo antes de entrarem na vida activa? Um mal necessário nalguns casos? E se a pessoa depois não arranjar emprego (sim, porque nós sabemos como é que estão as coisas para os  diplomados), como é que fica a situação? Por outro lado, também há cada vez mais pedidos de empréstimos a serem recusados...

Opinem!

    Empréstimos bancários a estudantes: vantagens e desvantagens
    #1

    Offline johny.n.1986

    • *****
    • Membro Ultra
    • Género: Masculino
    • bang bang, I shot you down!
    Emprestimos bancarios a estudantes e algo pouco desenvolvido em PT mas muito comum no estrangeiro, sobretudo nos Anglo-saxonicos.
    As vantagens e desvantagens sao obvias.
    Vantagens:
     - Focas-te nos estudos, em vez de estares a meter o braco pela perna a fazer part-times;
     - Nao colocas pressao sobre a familia; colocas sobre ti (apesar de no final, os pais serem sempre garantes, ou seja, se nao arranjares emprego, sao os teus pais a pagar).
     - Pagas juros, o que significa que pagas algo mais q o custo das propinas e livros. Esse custo adicional nao existe se arranjares um part time.

    A decisao e uma analise de custo-beneficio entre os juros e o tempo e esforco gasto no part-time.
    Pondo agora no contexto actual, acho q e complicado pedir um emprestimo para financiar estudos. Os juros sao muito elevados, enquanto q o custo psicologico q atribuis ao esforco aplicado num part-time e independente do ciclo economico.
    Adicionalmente, nao sei se os bancos neste momento te dao um emprestimo. Talvez deem se os teus pais ou outros garantes tiverem um patrimonio (leia-se carros sujeitos a penhora, montante em depositos a ordem e a prazo, etc) de um montante significativo (que cubra o custo estimado de todas as prestacoes, juros, e outros encargos como comissoes de imobilizacao, de montagem, e imposto de selo (3% ou 4%) sobre isto tudo.

    Tambem podera ser mais facil, se tiveres a tirar um curso de "emprego quase certo", como seja medicina.
    Mas apesar de nao estar dentro dos detalhes destes emprestimos, diria que em Portugal e no contexto actual, nao so e dificil obter um, como e dificil paga-lo.
    Mas vais a CGD, BES, BPI, BCP, Popular, Santander, Montepio, e pede simulacoes e informa-te. Nao pagas nada por isso. Eles fazem-te uma estimativa do teu plano de pagamentos.
    Essa estimativa no final do dia nao passa mesmo disso - uma estimativa, e na realidade sera sempre diferente, para cima ou para baixo.

    E so para explicar o funcionamento:
    1. Amortizacoes e Periodo de Carencia: o emprestimo e pago em amortizacoes (ex: pagas 100 por ano, durante 10 anos, se pedires um emprestimo de 1000). Aqui tens de ter em conta q enquanto tas a estudar, nao obtens rendimentos. Entao tens q pensar quando e q arranjas o teu primeiro emprego. Vamos supor q e daqui a 3 anos. Tens de pedir ao banco o que se chama de "periodo de carencia" de 3 anos. Nao e mais do q o periodo em q nao pagas nada, ou eventualmente nao pagas amortizacoes de capital, mas pagas juros.

    2. Comissao de montagem: no momento em q contrais o emprestimo pagas uma % sobre o valor do emprestimo. Tipo 1% ou 2%. So e pago 1 vez.

    3. Comissao de imobilizacao: tu vais desembolsar o emprestimo a medida q precisas de $$$. Os bancos cobram uma comissao sobre o montante nao utilizado, tipo 40% da margem, a cada 4 ou 6 meses. Como tal, quanto mais depressa desembolsas, menos pagas de comissao de imobilizacao, porque ao desembolsares depressa, o montante nao utilizado (q e a base de incidencia) e em media menor.
    Isto pode-te levar a pensar: entao desembolso tudo a cabeca. Mas nao, porque tens ainda o custo dos juros (margem), q incide sobre o montante utilizado. A comissao de imobilizacao e tipo 40% da margem e, portanto, tende a ser inferior ao custo dos juros.

    4. Juros: os juros sao calculados numa base trimestral ou semestral, e consistem em (a+b) * montante utilizado, onde a= euribor, b=margem (spread).
    Aqui tens uma questao q e: se usas euribor fixa, ou variavel. Basicamente os bancos devem-te dar isto a escolha.
    Numa euribor fixa, fixas hoje uma euribor constante, e sabes com 100% de certeza quanto e que vais pagar no futuro (em linguagem financeira, isto e o q se chama de swap de taxa de juro).
    Numa euribor variavel, estas sujeita a risco de variacoes da taxa, de acordo com os movimentos de mercado. Ela pode vir a ser mais alta, ou mais baixa, do que a euribor fixa.
    Aqui isto depende sobretudo de uma questao de quereres estar sujeita a risco de mercado ou nao. A partida dir-se-ia que nao. Mas para quem acha q percebe de mercado, e tem uma visao diferente da maneira como o mercado esta a cotar as coisas, pode preferir uma euribor variavel.

    Outro aspecto sobre os juros e se os pagas ou nao durante o periodo de carencia.
    Por um lado, podes preferir nao pagar porque estas a estudar, e nao tens como os pagar.
    Por outro lado, se o banco te permite nao pagar enquanto estudas, entao o que acontece e que eles vao aumentar o teu saldo utilizado, e consequentemente, quando comecas a amortizar, as tuas amortizacoes vao ser maiores. Isto e o chamado "roll-up", ou acrescimo de juros.

    5. Imposto de selo : a luz da legislacao portuguesa, pagas este imposto que penso que e de 4% sobre os juros, e 3% sobre comissoes (nao tenho a certeza dos 3%).
    Exemplo: os juros num periodo nao vao ser:
    Montante utilizado: 100
    Euribor: 2%
    Spread: 3%
    Dias do semestre (assumindo calculo de juros semestral): 184
    Dias de base de calculo: 360 (trata-se de uma convencao financeira de olhar para o ano como tendo 360 dias e nao 365 ou 366)
    100 * (2% + 3%) * 184 / 360 

    Com o imposto de selo, passa a ser 100 * (2% + 3%) * (1+4%) * 184 / 360

    Isto pode ser um bocado "avancado", mas vais te deparar com todos estes detalhes se pedires um. E deves te-los em conta na tua analise.
      With my feet on the air and my head on the ground

      Empréstimos bancários a estudantes: vantagens e desvantagens
      #2

      Offline ivan919

      • ****
      • Membro Sénior
      • Género: Masculino
      Eu sou contra qualquer tipo de empréstimo, prefiro passar fome a ter dividas a outras pessoas...
      Como está o pais acho que é muito arriscado pedirmos um emprestimo principalmente um deste tipo!!
      Quando acabamos o curso nao temos garantias nenhumas que iremos ter trabalho, ou que iremos arranjar facilmente ou rapidamente um... Deixando prestaçoes em atraso e os juros a aumentar...
        "Olhe para la do que ve"

        Alto do Pina <3

         

        Tópicos relacionados

          Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
        1 Respostas
        3019 Visualizações
        Última mensagem 3 de Abril de 2006
        por Kyren
        13 Respostas
        4723 Visualizações
        Última mensagem 10 de Janeiro de 2012
        por AlgarveBoy19
        Estudantes de Portimão

        Iniciado por Lio « 1 2  Todas » Portimão

        37 Respostas
        13952 Visualizações
        Última mensagem 6 de Fevereiro de 2011
        por Foggy
        29 Respostas
        3697 Visualizações
        Última mensagem 19 de Fevereiro de 2014
        por compulsions
        3 Respostas
        5423 Visualizações
        Última mensagem 14 de Agosto de 2014
        por unicorn39