rede ex aequo

Olá Visitante07.jul.2020, 14:09:39

Autor Tópico: Experiências fora do normal  (Lida 26374 vezes)

 
Experiências fora do normal
#40

Rogue

  • Visitante
Perdoa-me, whangelster, talvez não te tenha percebido. Que é que isso tem de especial?

er preveres a morte de um familiar nao te e assustador?  :-\ pelo menos para mim foi ...

è normal as pessoas sentirem a morte...a tua bisavo sentiu-a... é comum

    Experiências fora do normal
    #41

    Offline KreaTor

    • ****
    • Membro Sénior
    • Género: Masculino
    • "Sou mais giro no hi5"
    pronto ... eu assustei-me xD
      =D

      Experiências fora do normal
      #42

      Offline Thumbnail

      • *****
      • Membro Vintage
      • Género: Masculino
      • Ecce Somnium!
        • Bravis esse laboro, obscuro fio
      E é natural que o teu instinto (como lhe chamaste - eu prefiro subconsciente ou inconsciente :)) também o sinta dada a vossa aparente proximidade.

      Acontece assustares-te por não estares se calhar familiarizado com essas sensações, mas, pelo que já sei, vai-te habituando porque fazem parte de nós e revelam-se quando menos esperamos.
      « Última modificação: 7 de Agosto de 2007 por Miau_Elfico »
        Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

        Experiências fora do normal
        #43

        Offline KreaTor

        • ****
        • Membro Sénior
        • Género: Masculino
        • "Sou mais giro no hi5"
        E é natural que o teu instinto (como lhe chamaste - eu prefiro subconsciente ou inconsciente :)) também o sinta dada a vossa aparente proximidade.

        Acontece assustares-te por não estares se calhar familiarizado com essas sensações, mas, pelo que já sei, vai-te habituando porque fazem parte de nós e revelam-se quando menos esperamos.

        tks ... foi bom ouvir o conselho e as palavras de apoio =)
          =D

          Experiências fora do normal
          #44

          Offline xaZinhA

          • ***
          • Membro Total
          • Género: Feminino
          • bOm é teR 2 oPçOex em vx d x tar limiTada a uma!
          ja' jogei ao jogo do copo N vezes... e das N vezes o copo nao se mexeu :S

          ja' fiz simpatias... mas axu k num tenhu vocaçao pa isso... nao acontexeu nada...

          mas ja' me leram a mao... e acertaram em tudu!!
            "My NaMe iS xAh!"

            Experiências fora do normal
            #45

            Offline Thumbnail

            • *****
            • Membro Vintage
            • Género: Masculino
            • Ecce Somnium!
              • Bravis esse laboro, obscuro fio
            xaZinhA, talvez devesses tirar daí uma lição: há coisas às quais não somos chamados e há jogos que não são propriamente um jogo, exigindo bem mais do vontade e diversão. Perdoa,me mas considero isso de um desrespeito isecrável!

            >:( :-\ >:(
              Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

              Experiências fora do normal
              #46

              hottie

              • Visitante
              xaZinhA, talvez devesses tirar daí uma lição: há coisas às quais não somos chamados e há jogos que não são propriamente um jogo, exigindo bem mais do vontade e diversão. Perdoa,me mas considero isso de um desrespeito isecrável!

              >:( :-\ >:(

              Eu gostava de experimentar o jogo do copo. Mais que não seja para concretizar aquilo em que eu não acredito :)

                Experiências fora do normal
                #47

                Rogue

                • Visitante
                O jogo do copo esta demasiado banalizado, não ha melhor que chamar mortos...

                  Experiências fora do normal
                  #48

                  hottie

                  • Visitante
                  O jogo do copo esta demasiado banalizado, não ha melhor que chamar mortos...

                  lol Yupi!!! :)

                    Experiências fora do normal
                    #49

                    Offline Thumbnail

                    • *****
                    • Membro Vintage
                    • Género: Masculino
                    • Ecce Somnium!
                      • Bravis esse laboro, obscuro fio
                    Pode estar banalizado mas a essência do jogo (que não é jogo nenhum...) nunca se banalizará (pelo menos no para lá da mente humana). É, no mínimo, de respeitar!

                    xaZinhA, talvez devesses tirar daí uma lição: há coisas às quais não somos chamados e há jogos que não são propriamente um jogo, exigindo bem mais do vontade e diversão. Perdoa,me mas considero isso de um desrespeito isecrável!

                    >:( :-\ >:(

                    Eu gostava de experimentar o jogo do copo. Mais que não seja para concretizar aquilo em que eu não acredito :)

                    Eu gostava que as pessoas soubessem averiguar meios antes de sobrepor fins... Mais que não seja para não se magoarem nem magoarem o que possa disso sair afectado (objectivo, parceiro, receptor e próprio inconsciente).

                    Seria engraçado procurarem mais sobre espiritismo (de jeito) antes de se alongarem nesses comentários (e já agora perceber que há 'jogos' bem mais interessantes como o monopólio e 'realidades' bem mais sérias como a necromância - sem a qual não se chega à essência desse tão banal joguinho popular).
                      Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

                      Experiências fora do normal
                      #50

                      hottie

                      • Visitante
                      Pode estar banalizado mas a essência do jogo (que não é jogo nenhum...) nunca se banalizará (pelo menos no para lá da mente humana). É, no mínimo, de respeitar!

                      xaZinhA, talvez devesses tirar daí uma lição: há coisas às quais não somos chamados e há jogos que não são propriamente um jogo, exigindo bem mais do vontade e diversão. Perdoa,me mas considero isso de um desrespeito isecrável!

                      >:( :-\ >:(

                      Eu gostava de experimentar o jogo do copo. Mais que não seja para concretizar aquilo em que eu não acredito :)

                      Eu gostava que as pessoas soubessem averiguar meios antes de sobrepor fins... Mais que não seja para não se magoarem nem magoarem o que possa disso sair afectado (objectivo, parceiro, receptor e próprio inconsciente).

                      Seria engraçado procurarem mais sobre espiritismo (de jeito) antes de se alongarem nesses comentários (e já agora perceber que há 'jogos' bem mais interessantes como o monopólio e 'realidades' bem mais sérias como a necromância - sem a qual não se chega à essência desse tão banal joguinho popular).

                      Eu não acredito na seriedade que tu aplicas ao jogo do copo, daí não concordar que lhe deva reservar mais ou menos respeito (desde que não desrespeite as outras pessoas, que isso não faço). Simplesmente nunca fiz e mantenho a minha opinião, gostava de fazer. Eu não acredito que haja transcendências desse tipo, se houver, é uma lição que eu levo se algo correr mal.

                      Eu também não acredito que vou ter um acidente de carro, e ele pode vir a acontecer. São coisas...

                        Experiências fora do normal
                        #51

                        Offline Thumbnail

                        • *****
                        • Membro Vintage
                        • Género: Masculino
                        • Ecce Somnium!
                          • Bravis esse laboro, obscuro fio
                        (desde que não desrespeite as outras pessoas, que isso não faço)

                        Meu caro hottie, que mal a mim viesse se te exigisse acreditar fosse no que fosse. Mas, para que percebas, pego nas palavras que cito vindas de ti e tão somente digo: Se queres fazer jus a esse digno respeito ao próximo ('as outras pessoas' - vísiveis, credíveis, humanas ou não), mais do que não respeitar por não lhe dar tanta seriedade e sequer crença, devias pôr pelo menos a hipótese de, mesmo não acreditando, poder existir algo para lá do que sabes ou acreditas. Talvez o jogo tenha um propósito que nada te diz, mas tem-no. Portanto parece-me de ter isso em consideração. Mais, quando dizes:

                        Responder
                        Eu não acredito que haja transcendências desse tipo, se houver, é uma lição que eu levo se algo correr mal.

                        Aplicando-o, poderás desrespeitar algo ou alguém nessa verdura por desconhecer. E quando dizes:

                        Responder
                        Eu também não acredito que vou ter um acidente de carro, e ele pode vir a acontecer. São coisas...

                        Talvez te esqueças que há acasos e acasos.
                          Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

                          Experiências fora do normal
                          #52

                          hottie

                          • Visitante
                          (desde que não desrespeite as outras pessoas, que isso não faço)

                          Meu caro hottie, que mal a mim viesse se te exigisse acreditar fosse no que fosse. Mas, para que percebas, pego nas palavras que cito vindas de ti e tão somente digo: Se queres fazer jus a esse digno respeito ao próximo ('as outras pessoas' - vísiveis, credíveis, humanas ou não), mais do que não respeitar por não lhe dar tanta seriedade e sequer crença, devias pôr pelo menos a hipótese de, mesmo não acreditando, poder existir algo para lá do que sabes ou acreditas. Talvez o jogo tenha um propósito que nada te diz, mas tem-no. Portanto parece-me de ter isso em consideração. Mais, quando dizes:

                          Responder
                          Eu não acredito que haja transcendências desse tipo, se houver, é uma lição que eu levo se algo correr mal.

                          Aplicando-o, poderás desrespeitar algo ou alguém nessa verdura por desconhecer. E quando dizes:

                          Responder
                          Eu também não acredito que vou ter um acidente de carro, e ele pode vir a acontecer. São coisas...

                          Talvez te esqueças que há acasos e acasos.

                          Só sabemos que desrespeitamos alguém/algo quando recebemos o seu feedback. Quando eu era jovem e a inocência me permitia insultar e desrespeitar quem eu quisesse, sem o saber, aprendia o que era o respeito daqueles ofendidos.
                          Talvez o vá fazer desta vez, por causa desta minha inocência/desconhecimento, e vá receber o feedback merecido. É assim que vou aprender.

                            Experiências fora do normal
                            #53

                            Offline Thumbnail

                            • *****
                            • Membro Vintage
                            • Género: Masculino
                            • Ecce Somnium!
                              • Bravis esse laboro, obscuro fio
                            (desde que não desrespeite as outras pessoas, que isso não faço)

                            Meu caro hottie, que mal a mim viesse se te exigisse acreditar fosse no que fosse. Mas, para que percebas, pego nas palavras que cito vindas de ti e tão somente digo: Se queres fazer jus a esse digno respeito ao próximo ('as outras pessoas' - vísiveis, credíveis, humanas ou não), mais do que não respeitar por não lhe dar tanta seriedade e sequer crença, devias pôr pelo menos a hipótese de, mesmo não acreditando, poder existir algo para lá do que sabes ou acreditas. Talvez o jogo tenha um propósito que nada te diz, mas tem-no. Portanto parece-me de ter isso em consideração. Mais, quando dizes:

                            Responder
                            Eu não acredito que haja transcendências desse tipo, se houver, é uma lição que eu levo se algo correr mal.

                            Aplicando-o, poderás desrespeitar algo ou alguém nessa verdura por desconhecer. E quando dizes:

                            Responder
                            Eu também não acredito que vou ter um acidente de carro, e ele pode vir a acontecer. São coisas...

                            Talvez te esqueças que há acasos e acasos.

                            Só sabemos que desrespeitamos alguém/algo quando recebemos o seu feedback. Quando eu era jovem e a inocência me permitia insultar e desrespeitar quem eu quisesse, sem o saber, aprendia o que era o respeito daqueles ofendidos.
                            Talvez o vá fazer desta vez, por causa desta minha inocência/desconhecimento, e vá receber o feedback merecido. É assim que vou aprender.

                            Acho que seria bom para todos na sociedade, fosse face a este ou a outro assunto, prevenir-nos antes de desrespeitarmos algo por uma suposta inocência (nada inocente) ou por curiosidade pessoal.

                            Entretanto, saltando os limites morais e éticos do respeito e tudo mais, tu que não conheces isso pões em evidência algo que, juntamente com mil e uma pessoas (elevadas ao infinito), sofre dessa banalização comum e diabólica.

                            Gostava de ver se eu e mais cinco gajos quisessemos saber se sofrias caso te fosse espetada uma faca algures no corpo. Se eras imortal ao ponto de sobreviver ou mesmo nem sequer te ferir. Gostava de ver se irias achar piada (sobretudo se a facada se decomposesse em duas ou três nas mãos de cada um e, mais, evidentemente, não fosses masoquista nem tão pouco um filosofo da morte...). Sei que é um exemplo forte (e deixo a minha palavra em como não tenho nada contra ti, muito pelo contrário!). Tão somente assim talvez vos faça pensar duas vezes ou mais até se possível e preferivelmente, pois - podem até vocês não acreditar mas... - o respeito passa sobretudo por saber qual é o limite e abordá-lo muito bem antes de o concluir e posteriormente agir. Sobretudo com aquilo que não se conhece.

                            A isso chamo - perdoem-me - mais do que maldade, irresponsabilidade.
                            « Última modificação: 9 de Agosto de 2007 por Miau_Elfico »
                              Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

                              Experiências fora do normal
                              #54

                              Offline centro_da_gravidad

                              • *****
                              • Membro Ultra
                              • Banido
                              • Género: Masculino
                              • Maçã Gravitacional!
                                • Alforreca Empalhada
                              Miau desculpa dizer mas acho que estás a valorizar demasiado algo de não muita importância!
                              O jogo que aqui se fala, não é um jogo que se chegue, se dê as mãos e pronto aconteça logo alguma coisa!
                              Muitas pessoas não acreditam e quando o vão fazer realmente não acontece nada, porque é necessário ter uma vertente esóterica mais desenvolvida..no entanto muitas pessoas simplesmente não tem conhecimento que possuem essa vertente e é somente numa tentativa em tom de brincadeira que descobrem que tem potencial que pode ser explorado! Porque uma pessoa inexperiente nunca irá conseguir grandes resultados num desse tipo de jogos, somente um sinal de que pode aprofundar aquela esfera pessoal!
                                Ninguém consegue escapar ao efeito da gravidade!
                                Se a gravidade fosse um estado de alma eu era uma maçã!
                                Novo centro gravitacional - O meu umbigo!

                                Experiências fora do normal
                                #55

                                Offline Thumbnail

                                • *****
                                • Membro Vintage
                                • Género: Masculino
                                • Ecce Somnium!
                                  • Bravis esse laboro, obscuro fio
                                Talvez não seja eu quem dê demasiado valor. Talvez venha de vós o valor insuficiente...

                                Porque uma pessoa inexperiente nunca irá conseguir grandes resultados num desse tipo de jogos, somente um sinal de que pode aprofundar aquela esfera pessoal!

                                Fia-te, meu caro. Fia-te...
                                  Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

                                  Experiências fora do normal
                                  #56

                                  hottie

                                  • Visitante
                                  Acho que seria bom para todos na sociedade, fosse face a este ou a outro assunto, prevenir-nos antes de desrespeitarmos algo por uma suposta inocência (nada inocente) ou por curiosidade pessoal.

                                  Entretanto, saltando os limites morais e éticos do respeito e tudo mais, tu que não conheces isso pões em evidência algo que, juntamente com mil e uma pessoas (elevadas ao infinito), sofre dessa banalização comum e diabólica.

                                  Gostava de ver se eu e mais cinco gajos quisessemos saber se sofrias caso te fosse espetada uma faca algures no corpo. Se eras imortal ao ponto de sobreviver ou mesmo nem sequer te ferir. Gostava de ver se irias achar piada (sobretudo se a facada se decomposesse em duas ou três nas mãos de cada um e, mais, evidentemente, não fosses masoquista nem tão pouco um filosofo da morte...). Sei que é um exemplo forte (e deixo a minha palavra em como não tenho nada contra ti, muito pelo contrário!). Tão somente assim talvez vos faça pensar duas vezes ou mais até se possível e preferivelmente, pois - podem até vocês não acreditar mas... - o respeito passa sobretudo por saber qual é o limite e abordá-lo muito bem antes de o concluir e posteriormente agir. Sobretudo com aquilo que não se conhece.

                                  A isso chamo - perdoem-me - mais do que maldade, irresponsabilidade.

                                  Percebo perfeitamente o teu ponto de vista, e até posso concordar num aspecto ao outro. Mas, ao contrário do exemplo que deste, eu não tenho a mínima crença que vá acontecer algo - nenhuma. Quando não se acredita que algo vá acontecer, só mudo de opinião quando o contrário me for provado.

                                  Show me the abyss to know how deadly it is...

                                    Experiências fora do normal
                                    #57

                                    Offline Thumbnail

                                    • *****
                                    • Membro Vintage
                                    • Género: Masculino
                                    • Ecce Somnium!
                                      • Bravis esse laboro, obscuro fio
                                    Isso podia ser viável se falassemos da tua vida :)
                                      Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

                                      Experiências fora do normal
                                      #58

                                      hottie

                                      • Visitante
                                      Isso podia ser viável se falassemos da tua vida :)

                                      Não influencio ninguém a fazê-lo, apenas tento encontrar quem já o queira...

                                        Experiências fora do normal
                                        #59

                                        Offline Thumbnail

                                        • *****
                                        • Membro Vintage
                                        • Género: Masculino
                                        • Ecce Somnium!
                                          • Bravis esse laboro, obscuro fio
                                        Quem já o queira?
                                          Pertence ao fenómeno universal da natureza humana que o tétrico, o medonho e até o horrível brotem com irresistível beleza (Schiller)

                                           

                                          Tópicos relacionados

                                            Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                                          4 Respostas
                                          6025 Visualizações
                                          Última mensagem 26 de Agosto de 2010
                                          por Safira
                                          5 Respostas
                                          1918 Visualizações
                                          Última mensagem 13 de Março de 2012
                                          por Simpatizante
                                          The New Normal

                                          Iniciado por person_interest Arquivo (Outras Conversas)

                                          9 Respostas
                                          1738 Visualizações
                                          Última mensagem 22 de Agosto de 2013
                                          por Spektrum
                                          13 Respostas
                                          3070 Visualizações
                                          Última mensagem 11 de Agosto de 2013
                                          por paulosabino
                                          4 Respostas
                                          1726 Visualizações
                                          Última mensagem 11 de Junho de 2016
                                          por Dreamer