rede ex aequo

Olá Visitante22.out.2019, 12:06:21

Autor Tópico: Acontecimentos LGBT pelo mundo fora  (Lida 1749 vezes)

 
Acontecimentos LGBT pelo mundo fora
#0

13

  • Visitante
Criei este tópico para partilharmos notícias e iniciativas do associativismo e do activismo LGBT - lésbico, gay, bissexual e transgénero - em países estrangeiros, pois sinto que se trata de um assunto que interessa a muitos de nós e que acaba por dispersar-se pelo Fórum ;)

Estas primeiras notícias chegam do European Parliament Intergroup on LGBT Rights, que é um grupo de deputados do Parlamento Europeu que se dedicam com especial interesse às questões LGBT. Mais informações no seu website :)


New report on fundamental rights in the EU: More political courage needed, say MEPs
April 1st, 2011

Today the European Commission issued the first Annual Report on the Application of the EU Charter of Fundamental Rights. The EU’s own ‘Bill of Rights’ lays down a binding legal framework to protect human rights in the European Union, including non-discrimination on grounds of sex and sexual orientation.

Justice Viviane Reding, Vice-President of the European Commission in charge of fundamental rights, has delivered on her pledge to analyse the EU’s human rights regime every year.

Members of the European Parliament welcomed the exhaustive overview of the Commission’s work on fundamental rights. However, some also regretted that the Commission sometimes failed to voice stronger concern for fundamental rights by speaking out publicly and taking legal action.

Raül Romeva i Rueda, Vice-President of the LGBT Intergroup and MEP in charge of a draft Europe-wide anti-discrimination Directive, reacted: “This report shows the EU plays a fundamental role in safeguarding human rights. The European Parliament has repeatedly asked that the Commission take action to protect these rights, and it’s essential that President Barroso and Vice-President Reding keep pressing for this new anti-discrimination Directive.”

Michael Cashman MEP, Co-President of the LGBT Intergroup, added: “This report gives a good overview of how the Commission worked to bolster fundamental rights in the EU last year, and I applaud the work undertaken by Viviane Reding.”

“But Commissioners have been far too hesitant at times, and failed to show leadership in particular when a European consensus did not exist, such as on LGBT people’s fundamental rights.”

“While we must—and will—work together on applying the Charter within the limits defined by the Treaties, the Commission must also be firmer and quicker when reacting to injustice, both legally and politically.”

The European Parliament will now provide the Commission with comments on this first annual report.

Via


European Parliament calls for special protection of LGBT asylum-seekers
April 6th, 2011

Members of the European Parliament voted today to modernise the EU-wide system for examining asylum claims. Among the measures adopted today, groups of asylum-seekers with special needs were updated to include people fleeing persecution based on their sexual orientation or gender identity.

Sylvie Guillaume MEPIn a report drafted by French centre-left MEP Sylvie Guillaume (Socialists & Democrats), the European Parliament adopted a series of amendments to guarantee that lesbian, gay, bisexual or transgender people seeking asylum in the EU would receive particular attention.

Measures include providing expert advice to asylum officials on sexual orientation and gender identity; protecting claimants’ privacy; guaranteeing that physical examinations fully respect human dignity and integrity, for instance in cases involving minors or transgender people; and ensuring that applications by LGBT asylum-seekers are not ‘fast-tracked’ for removal to their country of origin.

Sirpa Pietikäinen, Member of the centre-right European People’s Party and Vice-President of the LGBT Intergroup, commented: “I am particularly proud that my centre-right colleagues agreed on the need for special protection, regardless of their general position on asylum. Lesbian, gay, bisexual and transgender people fleeing countries such as Iraq, Uganda, Honduras or Indonesia must receive particular protection taking into account cultural sensitivity. This is a major step towards fully complying with our engagements under international asylum law.”

Rui Tavares MEP, Civil Liberties Coordinator of the left GUE/NGL political group and Vice-President of the LGBT Intergroup, added: “The European Parliament is showing that asylum rules need updating to reflect reality: 76 countries criminalise homosexual acts, and 7 foresee the death penalty (maybe 8 soon with Uganda). I regret that other progressive provisions did not pass, but today’s text will ultimately bring more fairness for LGBT asylum‑seekers.”

The text adopted today is the European Parliament’s formal position at first reading. Asylum rules will effectively be amended once EU governments examine the text and conclude an agreement with the European Parliament.

Via
« Última modificação: 12 de Maio de 2011 por rede ex aequo »

    Acontecimentos LGBT pelo mundo fora
    #1

    13

    • Visitante
    O número mais recente (Abril) da Newsletter da ILGA Europe - International Lesbian, Gay, Bisexual, Trans and Intersex Association está disponível online, com notícias do movimento LGBT pelos quatro cantos deste continente... ou quase ;)

    Infelizmente só está ainda disponível em Inglês, aqui fica o link: http://www.ilga-europe.org/home/publications/euro_letter/2011/april_2011_no_188

    E os títulos:

    ILGA-EUROPE
        ILGA-Europe’s 15th Anniversary: Adrian Coman, member of the ILGA-Europe Board 1997-2002
        ILGA-Europe at the conference  'Montenegro - a brighter spot on the LGBT map’
        Training in Montenegro by ILGA-Europe
        ILGA-Europe at the 4th meeting of the Fundamental Rights Platform of the EU’s Fundamental Rights Agency (FRA)

    EUROPE
        European convention on violence against women to include protection for lesbian, bisexual and trans women
        New Hungarian Constitution: ILGA-Europe urged Hungarian parliamentarians to uphold European human rights standards
        Council of Europe’s Committee of Ministers reply to Parliamentary Assembly Recommendation
        Thomas Hammarberg: Implementation of human rights standards remains unsatisfactory in Europe
        Council of Europe’s Parliamentary Assembly Monitoring Committee report on Georgia
        New website calls Slovak LGBT people to report discrimination
        Lithuanian Parliament still unready to reject homophobic law
        EU Roma Framework weak on discrimination against Roma

    UNITED NATIONS
        Special Rapporteur on Freedom of Assembly and of Association appointed

    ASYLUM
        European Parliament introduces sexual orientation and gender identity in revised EU directive on asylum

    ACCESS TO GOODS AND SERVICES
        Lesbian couple challenge hotel in Brighton, United Kingdom

    LGBTI FAMILIES
        Liechtenstein will hold referendum on same-sex registered partnership law in June
        Poland ends discrimination against same-sex couples who want to have their relationships recognised abroad
        European Court of Human Rights hears first case on second parent adoption by same-sex couple
        Austrian Supreme Court asks Constitutional Court to turn down the ban of insemination of lesbian couples
        The National Rainbow Family Conference in Bern Was a Success
        Seminar on Free Movement of Same-sex Families in the EU

    AGE OF CONSENT
        Supreme Court in Gibraltar equalises age of consent

    TRANS ISSUES
        Portugal: Gender identity legislation signed by the President
        Malta continues to breach human tights of transgender people
        Three trans women killed in Izmir, Turkey
        UK major TV channel commits to sensitive trans coverage
        Albania: five trans people put at risk when their house was put on fire
        Transgender Europe becomes member of European platform of Social NGOs

    FREEDOM OF ASSOCIATION
        The European Court of Human Rights began to consider the case of the "Rainbow House"

    HATE AND VIOLENCE
        First case from Georgia to the European Court of Human Rights concerning police homophobia

    FREEDOM OF ASSEMBLY
        Montenegro: LGBT activists are preparing for the first pride parade with support from the Prime minister.
        Belarus: Minsk City Executive Committee refused to LGBTI activists in the conduct of " Silence Day" on April 25

    NOTICE BOARD
        Participate in the European Youth Forum Survey on the situation of interns in Europe
        Call for abstracts for Fleeing Homophobia Conference, 5-6 September 2011

    :)
    « Última modificação: 12 de Maio de 2011 por rede ex aequo »

      Acontecimentos LGBT pelo mundo fora
      #2

      13

      • Visitante
      17 de Maio - Dia Mundial da Luta contra a Homofobia e a Transfobia, notícias de França :)






      HM2F - Homosexuels musulmans - Association LGBT de France

      Bonjour,

      HM2F est un collectif citoyen qui lutte contre toutes les discriminations, et pour un islam de France inclusif.

      Comme vous le savez sans doute, le 17 mai serra la Journée Mondiale de lutte contre l'Homophobie et la Transphobie.
      A cette occasion, notre collectif citoyen HM2F a le plaisir d'alimenter la réflexion avec la publication
      cette année d'un second tome du Livre Vert (traduit pour l'occasion en anglais et en espagnole).

      Nous avons également le plaisir de vous inviter à plusieurs événements durant cette semaine.
      Tous les événements sont présentés dans l'agenda de HM2F, consultable en ligne:
      http://www.homosexuels-musulmans.org/AGENDA.html

      Nous vous invitons tout particulièrement aux évènements suivant :

          Festival TRANSEUROPA - 17h30 à 18h30 - 116 quai de Jemmapes (Projet "It gets better")
          Débat - Religions et homophobie à la mairie du 3ème arrondissement de Paris, à 19h.
          Temps de prière Inter-Religieux à la Maison Verte - mardi 17 mai à 20h, 127-129 rue Marcadet 75018
          Film et débat - Ouganda, religions, homophobie le mercredi 18 mai, au Centre LGBT de Paris à 20h
          Stand associatif - HM2F et Angel 91 en banlieue, le jeudi 19 mai à Evry en face de l'hôtel de ville - 14h à 19h30
          Débat à Lille, le dimanche 22 mai, de 17h à 19h (l'union sacrée - HM2F, Beit Haverim, Communion Béthanie, David et Jonathan, Rendez-vous chrétien ...)

      Bien fraternellement, à très bientôt.
      ___________________________________________________________________________________________________________________

      *English*

      Hello,

      HM2F is a citizen network that fights back every discrimination, for an inclusive French Islam.

      As you may know, May 17th is the World Day against Homophobia and Transphobia.
      On this occasion, our citizen network HM2F is pleased to provide ideas and nourish the dialogue,
      this year with the publication of a second volume of the Green Book (translated in English and Spanish).

      We also have the pleasure to invite you to several events, all detailled on our online agenda :
      http://www.homosexuels-musulmans.org/AGENDA.html


      Via
      « Última modificação: 12 de Maio de 2011 por rede ex aequo »

        Acontecimentos LGBT pelo mundo fora
        #3

        13

        • Visitante
        President of the European Parliament marks International Day Against Homophobia and Transphobia
        European Parliament Intergroup on LGBT Rights
        May 11th, 2011

        Yesterday, President of the European Parliament Jerzy Buzek inaugurated a photo exhibition on European gay prides. The Polish centre-right President addressed Members of the European Parliament, staff and visitors. Mr Buzek said homophobia was “deplorable, because it aims to denigrate people and deprive them of their rights on the basis of their sexual orientation.”

        Jerzy Buzek officially marked the International Day Against Homophobia for the first time in 2010 via a video message.

        The President of the European Parliament was joined by Members of the European Parliament Ulrike Lunacek and Michael Cashman, Co-Presidents of the European Parliament’s Intergroup on LGBT Rights, and Charles Meacham, author of the photographs.

        Walk With Pride exhibitionAfter the event, Michael Cashman and Ulrike Lunacek reacted: “We are proud to be members of a Parliament that represents 500 million Europeans, and which stands ready to defend the human rights of lesbian, gay, bisexual and transgender people. The genuine and heartfelt engagement of Jerzy Buzek, a Polish centre-right President demonstrates that homophobia no longer belongs to mainstream EU politics. We are grateful to Mr Buzek and all our colleagues for helping LGBT people live their lives freely, and without fear.”

        Since 2006, the European Parliament adopted five resolutions demanding that LGBT people’s human rights be respected in Europe, reminding EU countries that banning pride marches breaches the European Convention on Human Rights. Over 180 European pride marches will take place in 2011, from Iceland to Malta and from Portugal to Russia.

        The exhibition contains 20 images by award-winning photographer Charles Meacham, from New York. The photographs will be shown in over 20 locations around the world, starting in the EU Parliament from 9 to 12 May.


        Walk With Pride Exhibition

        Fonte (com mais imagens)
        « Última modificação: 12 de Maio de 2011 por rede ex aequo »

          Acontecimentos LGBT pelo mundo fora
          #4

          13

          • Visitante
          E o 17 de Maio também em São João del-Rei, uma localidade com cerca de 84 mil habitantes no estado de Minas Gerais, Brasil :)


          SÃO JOÃO DEL-REI: MANIFESTO DA I MARCHA MUNICIPAL CONTRA A HOMOFOBIA

          PELA INSTITUIÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS LGBT



          “Nada é mais forte que uma idéia cujo tempo chegou”. Vitor Hugo

          Igualdade de direitos. Fim da discriminação. Fim da violência. Cidadania plena. Reconhecimento. Respeito. Essas são as nossas reivindicações. Somos milhares de São-Joanenses, ainda excluídos da democracia e  sem seus direitos garantidos pelas leis do país e das políticas públicas municipais.

          No Brasil exigimos a aprovação imediata do PLC 122 que punirá na forma da Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, origem, condição de pessoa idosa ou com deficiência, gênero, sexo, orientação sexual ou identidade de gênero no âmbito nacional. Exigimos também a aplicação das Leis Municipais de proteção pessoas LGBT contra a discriminação, coerção e violência sofrida por nossa população. Queremos a implantação de políticas públicas municipais de promoção e defesa dos direitos humanos.

          Somos lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) de todas as profissões, de todos os credos, de todas as raças, de todos os sotaques, de todas as opiniões, de todas as etnias, de todos os gostos e culturas. Mas temos algo em comum. Não usufruímos nossos direitos pelo simples fato de termos orientações sexuais ou identidades de gênero diferentes da norma sexual dominante. Somos milhares de cidadãos e cidadãs de “segunda classe”  em nosso Brasil.

          Faz 22 anos que o Brasil se democratizou e promulgou a “Constituição Cidadã”. Entretanto, em todo esse período, nossa jovem democracia não foi capaz de incorporar a população LGBT. Até hoje não existe sequer uma lei que assegure nossos direitos civis. Não existem leis que nos protejam da violência homofóbica.

          A homofobia não é um problema que afeta apenas a população LGBT. Ela diz respeito também ao tipo de sociedade que queremos construir. O Brasil só será um país democrático de fato se incorporar todas as pessoas à cidadania plena, sem nenhum tipo de discriminação. O reconhecimento e o respeito à diversidade e à pluralidade constituem um fundamento da democracia. Enquanto nosso país continuar negando direitos e discriminando lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais não teremos construído uma democracia digna desse nome.

          Por essa razão é que o Movimento Gay da Região das Vertentes, convoca seus afiliados, pessoas e organizações aliadas à I MARCHA MUNICIPAL CONTRA A HOMOFOBIA PELA INSTITUIÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS LGBT, a ser realizada na cidade de São João del-Rei, Minas Gerais, em 17 de maio de 2011, com concentração às 14h, na Avenida Tancredo Neves, em frente à Caixa Econômica Federal.

          O dia 17 de maio é comemorado como o dia municipal (Lei N 4.442/10) contra a homofobia (ódio, agressão, violência, discriminação e até morte de LGBT). A data marca uma vitória histórica do Movimento LGBT internacional. Foi quando a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade do Código Internacional de Doenças. O Decreto Presidencial de 04 de junho de 2010 incluiu o Dia Nacional de Combate à Homofobia no calendário oficial federal.

          Vamos às ruas de São João del-Rei, novamente, para denunciar a homofobia, o racismo, o machismo e a desigualdade social. Temos assistido nos últimos meses ao recrudescimento da violência homofóbica em todas as Unidades da Federação. Chama a atenção o fato de que muitos dos agressores não pertencem a grupos de extermínio e envolvidos em crimes de  ódio, mas são jovens de classe média, o que demonstra como a homofobia está amplamente difundida em toda a sociedade.

          O Brasil é um país plural, diverso e nossa São João del-Rei também, que respeita todos os credos e religiões, contudo nosso Estado é laico – separamos a religião da esfera pública, isso está garantido constitucionalmente. O movimento LGBT defende a mais ampla liberdade religiosa. Respeitamos todos os credos e opiniões, mas, entendemos que crenças religiosas pertencem à esfera privada - individual ou comunitária. Religião é uma escolha, a cidadania não! A Cidadania é um direito fundamental!

          Não aceitamos que argumentos de religiosos homofóbicos sejam usados como justificativas para o preconceito e negação de direitos aos LGBT. É preciso assegurar a laicidade do Estado e garantir o respeito à diversidade.

          A I Marcha Municipal Contra a Homofobia é, portanto, um grito, um protesto, uma exigência para a instituição e implementação imediata de políticas municipais de proteção dos direitos humanos, um manifesto de respeito aos direitos individuais e coletivos.

          Queremos igualdade de direitos e políticas públicas de combate à homofobia. Reivindicamos que o Estado brasileiro, de conjunto (ou seja, os três poderes), e em todas as esferas da federação (União, Estado e Municípios) incorporem a diretriz de combater a homofobia e promover a cidadania plena para a população LGBT.

          Reivindicamos que:

          - Congresso Nacional aprove a criminalização da homofobia (PLC 122), a união estável / casamento civil; a alteração do prenome das pessoas transexuais, o reconhecimento do nome social das travestis;

          - Estado laico seja assegurado, sem interferência de religiosos homofóbicos;

          - Governo Federal acelere a implementação do Plano Nacional de Promoção dos Direitos Humanos e Cidadania de LGBT, garantindo recursos orçamentários e o necessário controle social na sua execução, promovendo a diminuição da homofobia;

          - O Governo Municipal institua: coordenadoria LGBT, Conselho LGBT e Plano de Combate à Homofobia;

          - Os  Governo Municipal acelere a criação e implementação  do Plano Municipal de Enfrentamento da AIDS para gays e outros HSH, Travestis, Lésbicas e Transexuais, garantindo recursos orçamentários e o necessário controle social na sua execução, promovendo a diminuição da  infecção  do  HIV   em nossa   comunidade;

          - O Governo Municipal institua uma Secretaria Municipal de Proteção e Promoção dos Direitos Humanos com foco em políticas públicas nos grupos vulneráveis: mulheres, negros, população privada de liberdade, LGBT, população de rua, juventude entre outros.

          - O Governo Municipal nomeie, emergencialmente, o Conselho Municipal de promoção e proteção dos Direitos Humanos, criado por lei no ano de 1.999 e não nomeado até hoje.

          - Sejam tomadas medidas concretas pelas autoridades competentes para diminuir os casos de assassinato, violência e discriminação contra as pessoas LGBT.

          São João del-Rei, 08 de Maio de 2011

          Movimento Gay da Região das Vertentes

          Apoio:
          Fórum pela Saúde e Direitos Humanos LGBT de Minas Gerais
          Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais

          Fonte
          « Última modificação: 16 de Maio de 2011 por 13 »

             

            Tópicos relacionados

              Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
            Acontecimentos, Eventos e Destaques

            Iniciado por Hugo_Alexandre « 1 2 3 » Viseu

            49 Respostas
            20469 Visualizações
            Última mensagem 18 de Agosto de 2009
            por GLBT
            12 Respostas
            3065 Visualizações
            Última mensagem 21 de Outubro de 2008
            por 2estrelinha3
            0 Respostas
            1607 Visualizações
            Última mensagem 11 de Outubro de 2009
            por MafsBei
            1 Respostas
            1352 Visualizações
            Última mensagem 10 de Junho de 2010
            por _Margot_
            0 Respostas
            884 Visualizações
            Última mensagem 14 de Maio de 2013
            por fion@20