rede ex aequo

Olá Visitante23.set.2019, 18:38:36

Autor Tópico: Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica  (Lida 17220 vezes)

 
Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
#80

Offline Pulse

  • *****
  • Membro Vintage
  • Género: Masculino
  • After all, losing all hope was freedom.
Não te vou dizer se estás certo ou errado, que não sou ninguém para o fazer mas parece-me que a algum dia surgir um tratamento para a homossexualidade egodistónica
Pulse, a homossexualidade egodistónica consta no manual da Organização Mundial de Saúde, como já foi referido, e o seu "tratamento" por norma consiste em terapia para a pessoa homossexual aceitar-se a si própria enquanto tal.

Oh, não leste o meu post todo nem os que fiz anteriormente a esse pois não? O que queria dizer é que não havia um tratamento no sentido em que ele procurava, de mudar a orientação.  :)
    And my head told my heart, let love grow. But my heart told my head, this time no, this time no.

    Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
    #81

    Offline David Erif

    • *****
    • Associad@
    • Membro Ultra
    • Género: Masculino
    Olhem que para quem se queixa muitas vezes de descriminação...  :-\ vão no bom caminho (como se eu já não soubesse por experiência que a única diferença entre um fanático religioso conservador e um activista GLBT empedernido é a direcção do seu extremismo; na essência são iguais, tal como um fascista se parece e muito com um comunista).

    Eu apenas li respostas dadas por jovens homosexuais ajustados à sua orientação sexual a oferecerem a sua própria interpretação dos dados colocados. Não julgo que isso se trate propriamente de activisto, muito menos "empedernido"(gélido).


    Se não se importam, eu (e todos aqueles que concordarem comigo ao ler o que aqui escrevi) prefiro continuar à espera da revolução biomédica e confiar nos homens de bem, tolerantes e empreendedores. Serão eles que vão permitir a liberdade de escolha. Serão eles e as suas descobertas que irão permitir que todos aqueles que não foram bafejados com a sorte na lotaria genética possam auto-construir-se e aperfeiçoar-se consoante as suas vontades e aspirações, e não resignarem-se às palmadinhas nas costas dos bons psis que a demais não trazem felicidade nenhuma e só pedem conformação.
    Obrigado

    Lembro-me de ver à uns tempos pelo google videos uma reportagem sobre alguns afro-americanos que se ponham a si num estado de auto-ódio devido à sua etnicidade, desejando e querendo ser caucasianos.
    É dificil não fazer um paralelismo com este caso presente.

    A explicação dada para a ocorrência era dada pela visão ocidental na qual a pessoa branca (caucasiana) simboliza aquilo que é mais atractivo, mais inteligente e mais poderoso (politico, sócio e economicamente).  Estarem inseridos numa socidade em que a norma para o sucesso e para a felicidade é ser-se branco, faz-los sentirem-se desajustados e inconformados com a sua etnicidade.

    Esse desajuste psicológico, tal como este da não aceitação da homosexualidade, resulta da vivência em sociedade e da interiorização de mensagens sociais negativas. Não resulta de problemas biológicos nem está de modo nenhum relacionada com questões de identidade de género (que também são na sua essencia biológicos).
    Como tal, qualquer base de soluções médicas que não o ajuste pelo apoio psicológico é eticamente reprovável.
    E, dado que o próprio Conselho Nacional Executivo da Ordem dos Médicos reiterou que a homossexualidade não é uma doença e que não deve ser alvo de um tratamento médico, qualquer procedimento médico promovido como tal é, também, legalmente condenável.  

    O que mais me intristece neste caso é que o egodistonico ao pôr-se a ele mesmo numa situação em que se oferece como cobaia de testes de drogas não licenciadas, irá muito provalvemente ser um eventual alvo de exploração de pessoas que poderão usa-lo para testar toda a espécie de substâncias, muito provavelmente nem estando relacionadas com o que ele almeja. E as consequências que daí advirão poderão ser atrozes.
    Esse tipo de individuos, que financinam e prosseguem testes com esse tipo de resultados não são nem “homens de bem”, nem “tolerantes” ou “empreendedores” como ele afirma. São precisamente o oposto.

    Mas enfim, esta conversa aparenta já ter terminado, pelo menos de uma parte, pois não me parece que o egodistonico vá voltar a responder.  É pena.

    Seja como for acho que a sua participação ajudou a desconstruir certas noções portanto acho que também devemos agradecer.
    « Última modificação: 5 de Novembro de 2010 por David Erif »
      A Amizade é uma Força que altera o Mundo

      Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
      #82

      MRPEC

      • Visitante
      Este topico ja terminou, no sentido em que as "duas" posicoes ja foram expressas, sendo que sao as duas validas, uma mais para uns a outra mais para outros. Nao havendo mais nada a dizer, e o que se possa dizer é apenas "mais do mesmo", tanto para o ego como para os restantes membros, na minha opiniao é q o topico deveria ser encerrado, nao eliminado, mas é só a Minha Opiniao, visto q nao quero nem acho correcto impor as mhas regras e ideias a nimguem. Resta me dizer que o q quero é q todos alcancemos os nossos sonhos, e consigamos ser felizes, homossexuais, bi, trans e heteros xD!

        Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
        #83

        Offline Boreas

        • *****
        • Moderação Sénior
        • Membro Vintage
        • Género: Masculino
        • "Tu és rato!"

        ...

        O que mais me intristece neste caso é que o  egodistonico ao pôr-se a ele mesmo numa situação em que se oferece como cobaia de testes de drogas não licenciadas, irá muito provalvemente ser um eventual alvo de exploração de pessoas que irão usa-lo para testar toda a espécie de substâncias , muito provavelmente nem estando relacionadas com o que ele almeja. E as consequências que daí advirão poderão ser atrozes.
        Esse tipo de individuos, que financinam e prosseguem testes com esse tipo de resultados não são nem “homens de bem”, nem “tolerantes” ou “empreendedores” como ele afirma. São precisamente o oposto.

        ...

        Espero que estejas a referir apenas a este caso concreto, e não a generalizar a todas as farmacêuticas e equipas de investigação, David  :o
        Seja como for, tenho bastantes dúvidas que fosse eticamente aceitável na sociedade ocidental (excepto nos USA que prima por conseguir executar todo o tipo de coisas)
          Just live!!! WILL POWER HOPE COMPASSION LOVE

          Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
          #84

          Offline David Erif

          • *****
          • Associad@
          • Membro Ultra
          • Género: Masculino
           :) Não quis pintar nenhum fresco do sector farmaceutico Boreas, cada caso é um caso. Mas é preciso perceber que o sector farmacêutico, como indústria, é um organismo mundial que engloba todo um número de diferentes corporações e marcas em directa competição pelo lucro.
          Não se trata de haver "homens de bem" ou de haver tolerância. Trata-se uma luta pela primazia na descoberta de novovas pilulas como o viagra que rendem mihões.

          Quem voluntariosamente se oferece e assina concentimentos para ser cobaia de testes incorre sempre em riscos e pode acabar por sofrer danos dos quais as respectivas empresas e marcas não são na maioria das vezes responsabilizadas.

          A única tábua de salvação em casos como estes é que poderão sempre tentar a defesa de que a respectiva marca farmaceutica incorreu em experiencias que a própria OMS (organização mundial de saude) condena.

          É por isso que o egodistonico anda numa espécie de cruzada solitária, peticionando por investigações farmaceuticas que, para além de serem eticamente reprováveis e desnecessárias, podem também ser legalmente sancionadas.
          Não tenho dúvidas nenhumas de que ele próprio sabe disso.

          Esse "Sindroma da Masculidade Fraca" é, obviamente, uma falácia (e levante a mão quem se sentiu ofendido por tal expressão). A definição do que é ser “masculino” corresponde a uma imagem esteriotipada que varia de cultura para cultura e que se tem sido alvo de uma modificação contínua ao longo de todos os séculos.

          Não há masculidades  fracas tal como não há feminilidades fracas. Há sim personalidades desajustadas com a sua própria natureza que impõem a si mesmas o rótulo de fracas e inferiores.  Tal como o afro-americano que acha que ser branco é ser melhor e mais feliz. Isto, obviamente, não se resolve com comprimidos, por mais que o egodistonico, e outros como ele, pensem que sim.

          O mais curioso é que ao ler as caracteristicas dessa tal definição de “masculinidade fraca” fiquei a pensar que 80% dessas condições psicológicas podem ser resolvidas com uma simples inscrição e participação num ginásio.  :)

          Praticar desporto não só desenvolve o físico tornando-te mais forte, mais saudável, energético e atrante como leva o corpo a produzir endorfinas que reduz os nível de stress, de depressão e aumenta a tua auto-estima. Algo muito melhor e mais desejável do que qualquer comprimido.

          Mas enfim, é um conselho que só lhe pode dar uso quem o quer porque de resto não há muito a fazer.

          Nestas situações, só é mesmo um problema, aquilo que se encara como um problema. Senão o virmos como tal, ele não existe.
            A Amizade é uma Força que altera o Mundo

            Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
            #85

            Offline bluejazz

            • *****
            • Associad@ Honorári@
            • Membro Vintage
            • Género: Feminino
              • Homofobia
            Não te vou dizer se estás certo ou errado, que não sou ninguém para o fazer mas parece-me que a algum dia surgir um tratamento para a homossexualidade egodistónica
            Pulse, a homossexualidade egodistónica consta no manual da Organização Mundial de Saúde, como já foi referido, e o seu "tratamento" por norma consiste em terapia para a pessoa homossexual aceitar-se a si própria enquanto tal.

            Oh, não leste o meu post todo nem os que fiz anteriormente a esse pois não? O que queria dizer é que não havia um tratamento no sentido em que ele procurava, de mudar a orientação.  :)

            Hmm, parece que sim. Fica então o reforço. :)

            Egodistónico, espero que corra tudo bem contigo. Não há necessidade das pedras e paus atiradas no último post e concordo que o Boreas resumiu bastante bem o que se passou neste tópico (e sim, é reconhecido que existiu quem te desrespeitasse).
              "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

              Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
              #86

              MRPEC

              • Visitante
              Pelo direito á liberdade sempre individual e de escolha sempre...

                Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
                #87

                x3na

                • Visitante
                Ainda n percebi muito bem o k se passa aki! A homossexualidade n é nenhuma doença e portanto n tem cura!!!!!
                É natural!! Aceita-te como és k irás ser feliz!
                A sério
                Abraços e força

                  Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
                  #88

                  Offline Dicury

                  • *****
                  • Orador(a)
                  • Membro Sénior
                  • Género: Masculino
                    bem! que pena tenho eu de não ter participado nesta saudável discussão! :(

                    Antes de mais devo confessar louvo a expressão de ideias do egodistónico, bem como de muitos membros que postaram neste tópico, que me fizeram refletir bastante sobre imensa coisa.. :)
                    Tanto que eu gostaria de ter dito na altura que surgiu esta discussão... :-\

                    Creio que me vou ficar por um conjunto de questões que me foram surgindo à medida que ia lendo os diversos posts que não os li a tods na integra..
                    Mas cá vai...

                    • De que depende a nossa individualidade?
                    • De que depende aquilo que queremos para nós?
                    • Como escolher o que é melhor para nós?
                    • O que é uma doença?
                    • O que é a sexualidade?
                    • O que é o sexo(acto)?
                    • O que é o afecto?
                    • O que é uma relação?
                    • O que é o amor?
                    • O que é ser humano?
                    • O que é que eu sou?
                    • Terá tudo de ter uma explicação biológica?
                    • Teremos de ser todos iguais?
                    • Teremos de ser todos parecidos ou semelhantes?
                    • Teremos todos de seguir uma filosofia de vida normativa?
                    • Deveremos não tentar ser diferentes?
                    • Deveremos forçar-nos a ser "normais"?
                    • O que é ser normal?
                    • Devemos adaptar-nos ao mundo que nos rodeia? Ou devemos adptar o mundo ao que sentimos que somos?
                    • Será que devemos aceitar o que sentimos? Ou devemos antes forçar-nos a rejeitar o que sentimos no caso de o fazermos para irmos de encontro às expectativas do mudo que nos rodeia?
                    • Se todos nascemos, crescemos e vivemos em circunstâncias diferentes, porque se vê imenso a necessidade de se seguir determinadas normas que parecem ser imposta por diversas maiorias?
                    • Será que fazendo-o estou a ir de encontro ao que é melhor para mim?
                    • Que maiorias são essas? Como vivem elas? São felizes?
                    • De que depende verdadeiramente a nossa felicidade?
                    • Existirá uma resposta única a cada uma destas questões?
                    • Não? Porque será?
                    Talvez porque somos todos diferentes, todos pessoas únicas e insubstituíveis... Talvez porque cada um de nós tem uma forma única de olhar o mundo...


                  Não pretendo com a sequência destas questões impingir qualquer resposta ou posição. As respostas cabem a cada um de nós, individualmente. :)
                  Pois quem melhor do que eu próprio para dizer o que sinto, o que quero e o que sou?
                  Mas acerca do que se quer cito uma frase do Augusto Cury(se não me engano): "Não termos tudo o que queremos é uma parte indispensável da nossa Felicidade."

                  « Última modificação: 26 de Fevereiro de 2011 por Dicury »

                    Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
                    #89

                    Offline BrunoMCP

                    • *****
                    • Orador(a)
                    • Membro Ultra
                    • Ter orgulho é rejeitar a vergonha.
                      • Fields of Pear Tree
                    Alguém sabe afinal que aconteceu ao egodistonico?
                    Estou realmente curioso.


                    Já agora, acabei de ler o http://masculinidadefraca.no.sapo.pt/ e estou chocado.
                    É raro ver tanto disparate junto.
                    « Última modificação: 22 de Novembro de 2011 por BrunoMCP »
                      The North remembers.

                      Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
                      #90

                      thinker989

                      • Visitante
                      Alguém sabe afinal que aconteceu ao egodistonico?
                      Estou realmente curioso.


                      Já agora, acabei de ler o http://masculinidadefraca.no.sapo.pt/ e estou chocado.
                      É raro ver tanto disparate junto.

                      pestanas compridas? mãos finas e delicadas? estatura baixa-media? imaturidade psicológica? cobardia? o que é isto? não têm noção do que me ri agora, simplesmente ridículo

                        Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
                        #91

                        Offline Aerys II

                        • ***
                        • Membro Total
                        Alguém sabe afinal que aconteceu ao egodistonico?
                        Estou realmente curioso.


                        Já agora, acabei de ler o http://masculinidadefraca.no.sapo.pt/ e estou chocado.
                        É raro ver tanto disparate junto.


                        Pelo menos inclui a misoginia como sendo um sinal de masculinidade fraca xD

                        Vê-se cada um... se eu tiver um varicocelo no testículo direito em vez de ser no esquerdo será que estou safo desta doença terrível?  lol

                          Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
                          #92

                          Offline ⓙⓐⓜⓔⓢ

                          • *****
                          • Membro Ultra
                          • Género: Masculino
                          • Love is Love
                          Alguém sabe afinal que aconteceu ao egodistonico?
                          Estou realmente curioso.


                          Já agora, acabei de ler o http://masculinidadefraca.no.sapo.pt/ e estou chocado.
                          É raro ver tanto disparate junto.


                          Que coisa mais...  :-\

                          De todos os pontos, só um ou dois - por acaso - é que se enquadram em mim. Enfim, sem sentido...

                            Pelo direito ao tratamento da homossexualidade egodistónica
                            #93

                            Offline Maryy

                            • *
                            • Novo Membro
                            • Género: Feminino
                            • Be yourself without fear... :)
                              • Crónicas de vivencia
                            Penso que a homossexualidade egodistónica, tendo uma componente emocional instintiva e pulsional e uma componente forte racional, de razão, não tem como solução uma cura, até porque aquilo que se fala aqui não é uma doença mas sim possivelmente uma neurose... um conflito interno forte que faz a pessoa confrontar-se com desejos e ao mesmo tempo com o seu lado racional carregado de medos e repressões.
                            Na verdade não considero que a solução esteja na tentativa da pessoa em se tornar heterossexual dado que essa questão é algo intrinseco... a solução está de facto na aceitação do seu próprio interior e na resolução dos conflitos internos inerentes e daquilo que os provoca. A pessoa neste caso está a criar uma via de escape, uma forma que não a leve a encarar-se a si própria e a lidar e aceitar com os conflitos, sentindo assim que a forma mais fácil de o fazer era se retirasse o sei lado homossexual. É um processo doloroso no entanto a via está muito na resolução deste conflito interno e na coragem de superar os seus medos e descobrir o porque das suas repressões.
                            Por acaso fiz um post no meu blog que também se enquadra a esta questão e que tem até visões relativamente à psicanálise sobre a temática e sobre o natural que a homossexualidade é (Site). Na maioria dos casos a homossexualidade egodistónica acontece dado que a pessoa não se sente num contexto onde é apoiada, sentindo que todo o mundo está contra as suas pulsões mais básicas no entanto isto não é de todo verdade. Esta repressão destas pulsões pode levar a pessoa a criar mecanismos de defesa muito fortes, os quais abordo no site a seguir:

                            http://cronicasdevivencia.blogspot.com/2011/11/homossexualidadebissexualidade-anormal.html

                            Com isto não quero de forma alguma julgar quem se sente desta forma nem tão pouco desvalorizar esta experiência pela qual em certa parte também passei e sei que é dolorosa. Obviamente como seres humanos têm todo o direito de procurar cura, no entanto é irónico porque aquilo que estão a tentar curar não é nenhuma doença nem tão pouco "não natural", logo não faz sentido procurar cura para algo que não tem de ser curado mas sim compreendido, assimilado, enfrentado e não esquecido, reprimido e usando comportamentos de escape. A única cura que poderá existir a meu ver é ao nivel interno, ao resolverem-se os conflitos que estas pulsões provocam e não rejeitando-as, dado que isso iria trazer repressões com consequências. Não há forma de se operar a alma... e por muito que desejássemos deixar de ser quem somos o objectivo não está em deixarmos de o ser mas sim aprendermos a lidar com quem somos, conhecermo-nos cada vez mais e aprendermos a aceitarmos quem somos (obviamente crescendo e evoluindo cada vez mais como pessoas unicas e individuais).

                            Um beijo a todos :)

                             

                            Tópicos relacionados

                              Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                            20 Respostas
                            9809 Visualizações
                            Última mensagem 19 de Julho de 2009
                            por bluejazz
                            45 Respostas
                            11120 Visualizações
                            Última mensagem 26 de Novembro de 2009
                            por Fetch!
                            12 Respostas
                            3052 Visualizações
                            Última mensagem 21 de Outubro de 2008
                            por 2estrelinha3
                            0 Respostas
                            1600 Visualizações
                            Última mensagem 11 de Outubro de 2009
                            por MafsBei
                            3 Respostas
                            1461 Visualizações
                            Última mensagem 18 de Outubro de 2013
                            por vepaem