rede ex aequo

Olá Visitante16.mai.2021, 12:23:50

Sondagem

Como correu o vosso primeiro coming out

Ele/ela aceitou-vos
33 (82.5%)
Ele/ela rejeitou-vos
7 (17.5%)

Votos totais: 34

Autor Tópico: Coming Out  (Lida 6418 vezes)

 
Coming Out
#20

Offline _ricardo_

  • ****
  • Membro Sénior
  • Género: Masculino
Pôr em causa a tua sexualidade? Como assim?
    "Great spirits have always found violent opposition from mediocrities. The latter cannot understand it when a man does not thoughtlessly submit to hereditary prejudices but honestly and courageously uses his intelligence." Albert Einstein

    Coming Out
    #21

    Peter Andrew

    • Visitante
    Pôr em causa a tua sexualidade? Como assim?
    Por em causa a minha orientação sexual, era o que eu queria dizer...

      Coming Out
      #22

      Offline _ricardo_

      • ****
      • Membro Sénior
      • Género: Masculino
      Ah ok. Não sei bem o que se passa, mas se essa pessoa está a pôr em causa a tua sexualidade, seja por que motivo for, e visto que dizes que é alguém que te conhece muito bem, acho que devias ser directo com ela e falar-lhe desse teu receio. Pode ser algum mal-entendido e se o desfizeres sempre é uma preocupação a menos que tens :)
        "Great spirits have always found violent opposition from mediocrities. The latter cannot understand it when a man does not thoughtlessly submit to hereditary prejudices but honestly and courageously uses his intelligence." Albert Einstein

        Coming Out
        #23

        Peter Andrew

        • Visitante
        Ah ok. Não sei bem o que se passa, mas se essa pessoa está a pôr em causa a tua sexualidade, seja por que motivo for, e visto que dizes que é alguém que te conhece muito bem, acho que devias ser directo com ela e falar-lhe desse teu receio. Pode ser algum mal-entendido e se o desfizeres sempre é uma preocupação a menos que tens :)
        Não vejo isto como uma mal entendido, mas sim um lamiré de alguém que parece estar a descobrir coisas que, infelizmente, ainda guardo a sete chaves.
        Vou esperar para ver, mas se me sentir seguro para contar pela primeira vez a alguém, e neste caso à minha amiga, de que me sinto atraído por rapazes, porque não...?!  :)

          Coming Out
          #24

          Offline biri

          • *****
          • Membro Vintage
          • Género: Outro
          • Sometimes the within is piano black
          Ah ok. Não sei bem o que se passa, mas se essa pessoa está a pôr em causa a tua sexualidade, seja por que motivo for, e visto que dizes que é alguém que te conhece muito bem, acho que devias ser directo com ela e falar-lhe desse teu receio. Pode ser algum mal-entendido e se o desfizeres sempre é uma preocupação a menos que tens :)

          Ele disse "uma das minhas amigas mais próximas" não disse que ela o conhecia bem nem que era BFF (best friend forever).

          Não percebi se estavas a incentiva-lo a fazer o coming out ou a dizer para ele lhe dizer, a ela, que achava que ela estava a por em causa a sua orientação sexual.

          Se for o primeiro caso, acho que não devemos dizer "devias fazer isto" ou "não devias fazer aquilo". Ele é que sabe se está preparado para o fazer, ou não, e qual a altura certa.

          Na minha opinião, não conhecendo a pessoa em causa, podes estar apenas a interpretar como gostavas que fosse. O melhor seria esperar mais uns tempos e ultrapassar a fazer do "ainda me faz confusão" para o "é-me indiferente". Claro que ter um amigo próximo assumido ajudava a acelerar o processo, mas esse "ainda", a mim, deixa-me reticente. Devias tentar "explora-la" mais primeiro, testa-la, provoca-la e ver quais as reacções e se é, ou não, facilmente manipulável (se muda de opinião consoante a opinião dos outros).

          Se ela, de facto, desconfia da tua orientação sexual e quer apoiar-te, de certo te dará mais "indirectas" e vai-te começar a testar (comentar raparigas, rapazes, namoradas, etc...). Nessas alturas (dos testes), se existirem, convém é estares consciente das respostas que queres dar e do tom em que as dás.

          Mas o mais importante, na altura de escolher as pessoas a quem nos assumir-mos (caso queiramos manter um grupo restrito de pessoas a saber), é saber o tamanho da boca da pessoa. Se ela fala muito e demais, ter consciência se ela nos conta, a nós, segredos ou coisas pessoais de outras pessoas que não deveria estar a contar, entre outras coisas...
            You live long enough to hear the sound of guns, to find yourself screaming every night, long enough to see your friends betray you. For years I've been strapped unto this altar. Now I only have 3 minutes and counting. I just wish the tide would catch me first and give me a death I always longed for.

            Coming Out
            #25

            Offline _ricardo_

            • ****
            • Membro Sénior
            • Género: Masculino
            Ah ok. Não sei bem o que se passa, mas se essa pessoa está a pôr em causa a tua sexualidade, seja por que motivo for, e visto que dizes que é alguém que te conhece muito bem, acho que devias ser directo com ela e falar-lhe desse teu receio. Pode ser algum mal-entendido e se o desfizeres sempre é uma preocupação a menos que tens :)

            Não vejo isto como uma mal entendido, mas sim um lamiré de alguém que parece estar a descobrir coisas que, infelizmente, ainda guardo a sete chaves.
            Vou esperar para ver, mas se me sentir seguro para contar pela primeira vez a alguém, e neste caso à minha amiga, de que me sinto atraído por rapazes, porque não...?!  :)

            Desculpa, não tinha percebido que ainda não lhe tinhas contado. Se é assim, não te sintas pressionado a contar-lhe se não estiveres completamente preparado ainda, porque depois podes arrepender-te de ter tomado uma atitude irreflectida. A primeira vez que se conta a alguém custa imenso, eu andei praticamente uma semana a tentar contar a uma amiga minha. Mas tinha a certeza de que lhe queria contar. Quando sentires que tens essa certeza acho que estarás preparado.
            Mas isto é a minha experiência.
            Espero ter ajudado um pouco :)

            Abraço
            « Última modificação: 13 de Novembro de 2010 por _ricardo_ »
              "Great spirits have always found violent opposition from mediocrities. The latter cannot understand it when a man does not thoughtlessly submit to hereditary prejudices but honestly and courageously uses his intelligence." Albert Einstein

              Coming Out
              #26

              Peter Andrew

              • Visitante
              Ah ok. Não sei bem o que se passa, mas se essa pessoa está a pôr em causa a tua sexualidade, seja por que motivo for, e visto que dizes que é alguém que te conhece muito bem, acho que devias ser directo com ela e falar-lhe desse teu receio. Pode ser algum mal-entendido e se o desfizeres sempre é uma preocupação a menos que tens :)

              Ele disse "uma das minhas amigas mais próximas" não disse que ela o conhecia bem nem que era BFF (best friend forever).

              Não percebi se estavas a incentiva-lo a fazer o coming out ou a dizer para ele lhe dizer, a ela, que achava que ela estava a por em causa a sua orientação sexual.

              Se for o primeiro caso, acho que não devemos dizer "devias fazer isto" ou "não devias fazer aquilo". Ele é que sabe se está preparado para o fazer, ou não, e qual a altura certa.

              Na minha opinião, não conhecendo a pessoa em causa, podes estar apenas a interpretar como gostavas que fosse. O melhor seria esperar mais uns tempos e ultrapassar a fazer do "ainda me faz confusão" para o "é-me indiferente". Claro que ter um amigo próximo assumido ajudava a acelerar o processo, mas esse "ainda", a mim, deixa-me reticente. Devias tentar "explora-la" mais primeiro, testa-la, provoca-la e ver quais as reacções e se é, ou não, facilmente manipulável (se muda de opinião consoante a opinião dos outros).

              Se ela, de facto, desconfia da tua orientação sexual e quer apoiar-te, de certo te dará mais "indirectas" e vai-te começar a testar (comentar raparigas, rapazes, namoradas, etc...). Nessas alturas (dos testes), se existirem, convém é estares consciente das respostas que queres dar e do tom em que as dás.

              Mas o mais importante, na altura de escolher as pessoas a quem nos assumir-mos (caso queiramos manter um grupo restrito de pessoas a saber), é saber o tamanho da boca da pessoa. Se ela fala muito e demais, ter consciência se ela nos conta, a nós, segredos ou coisas pessoais de outras pessoas que não deveria estar a contar, entre outras coisas...

              Claro, e concordo inteiramente contigo. É mesmo uma questão de eu me sentir seguro daquilo que possa vir a fazer e sentir confiança pela pessoa a quem partilho esta confidência.

              Até porque, (e como me citas-te) ela é apenas uma pessoa próxima de mim, não sendo cá nada de 'best friend forever' nem algo que se pareça. Sinceramente até nem considero que tenha alguém neste mundo a quem possa chamar de grande amigo ou de 'irmão'. Tenho apenas pessoas conhecidas à minha volta, uns mais próximos que outros. Nunca amigos ou grandes amigos...

              Mas isso já leva a outra conversa...
              « Última modificação: 13 de Novembro de 2010 por peter andrew »

                Coming Out
                #27

                Offline O'Connell

                • *****
                • Membro Elite
                • Género: Masculino
                Estou a pensar assumir-me a 2 amigas.

                A amiga é uma grande amiga ou pelo menos penso que é.

                Neste momento ela namora, o que provocou um afastamento entre nós os 2.

                A amiga B não é tão amiga assim, embora nós desabafemos um com o outro. O que sei é que somos mais do que simples colegas e estamos a pensar ir de férias juntos... e fico com receio que ela comece a sentir algo mais por mim.

                Qual é a verdadeira questão? Já ouvi comentários homofóbicos de ambas...

                Acham que mesmo assim devo contar? :-\
                  «No, no, not my car! [menacingly] Oh I hate mummies!» by myself  lol

                  Coming Out
                  #28

                  Offline btographer

                  • ****
                  • Membro Sénior
                  • Género: Masculino
                  • What we have is NOW n right now WE HAVE EACH OTHER
                  Estou a pensar assumir-me a 2 amigas.

                  A amiga é uma grande amiga ou pelo menos penso que é.

                  Neste momento ela namora, o que provocou um afastamento entre nós os 2.

                  A amiga B não é tão amiga assim, embora nós desabafemos um com o outro. O que sei é que somos mais do que simples colegas e estamos a pensar ir de férias juntos... e fico com receio que ela comece a sentir algo mais por mim.

                  Qual é a verdadeira questão? Já ouvi comentários homofóbicos de ambas...

                  Acham que mesmo assim devo contar? :-\

                  Boa noite... naõ há receitas e só tu deves saber cm te sentes se contares ou nao... mas procura aprofundar mais a opinião delas! Sem seres mto directo e sem dar a perceber... infelizmente as xs temos que nos adapatar aos amigos conforme disse noutro tópico... custa mas as xs tem que ser...

                  Procura ver qual a opiniao delas... vai de ferias de forma tranquila... Espero que consigas ficar bem!! :)

                    Coming Out
                    #29

                    Offline O'Connell

                    • *****
                    • Membro Elite
                    • Género: Masculino
                    Estou a pensar assumir-me a 2 amigas.

                    A amiga é uma grande amiga ou pelo menos penso que é.

                    Neste momento ela namora, o que provocou um afastamento entre nós os 2.

                    A amiga B não é tão amiga assim, embora nós desabafemos um com o outro. O que sei é que somos mais do que simples colegas e estamos a pensar ir de férias juntos... e fico com receio que ela comece a sentir algo mais por mim.

                    Qual é a verdadeira questão? Já ouvi comentários homofóbicos de ambas...

                    Acham que mesmo assim devo contar? :-\

                    Boa noite... naõ há receitas e só tu deves saber cm te sentes se contares ou nao... mas procura aprofundar mais a opinião delas! Sem seres mto directo e sem dar a perceber... infelizmente as xs temos que nos adapatar aos amigos conforme disse noutro tópico... custa mas as xs tem que ser...

                    Procura ver qual a opiniao delas... vai de ferias de forma tranquila... Espero que consigas ficar bem!! :)

                    Obrigado btographer por teres dito algo!

                    Mais ninguém? ???
                      «No, no, not my car! [menacingly] Oh I hate mummies!» by myself  lol

                      Coming Out
                      #30

                      Offline JDelgado

                      • *****
                      • Membro Elite
                      • Género: Masculino
                      • Simply lost
                        • Facebook
                      se não quiseres fazer o comming out, podes esperar, e se ela mostrar interesse em ti, , podes dizer que por agora não tens interesse em teres nenhuma relação, ou podes dizer que estas interessado noutra pessoa.
                      Vai falando no tema para ver a abertura deles e depois com forme a reacção delas logos decides
                        Mesmo na mais escura da escuridão, haverá sempre uma luz a brilhar para nos guiar.
                        Basta saber encontra-la

                        Quantos armários uma pessoa tem de enfrentar?
                        #31

                        Offline caires

                        • *****
                        • núcleo lgbti funchal
                        • Membro Elite
                        • Género: Masculino
                        Citação de: Lado A
                        O segundo armário



                        A sociedade primeiro nos diz que não deveríamos existir e nos ensina a nos odiar. Depois, fala que podemos sim coexistir, como se para tanto precisasse de alguma autorização, mas nos impõe que devemos ser discretos. Ser divergente em um mundo dominado por preconceitos não é tarefa fácil.
                         
                        O primeiro armário todos nós conhecemos: quando a pessoa se percebe homossexual, ou transexual, ou bissexual, e precisa primeiro entender isso dentro dela para assumir o rótulo que lhe foi descrito cheio de qualidades negativas. Primeiro a gente aprende a rejeitar ser tudo aquilo, a se aceitar mesmo não fazendo sentido tanta dor, depois de uma longa fase de negação, para depois contar aos outros. O armário é sombrio, claustrofóbico e cheio de julgamentos. É um verdadeiro peso nas costas, que tem seu preço.
                         
                        Não é fácil ouvir dos próprios pais palavras de uma rejeição futura e ficar quieto. Aprendemos a viver de migalhas nesta fase, a nos autopunir. E tudo isso nos é gravado de uma forma profunda, mas ao final nos aceitamos, lutamos pelo respeito que nos é muito caro. Dentro de casa, no trabalho, na escola.
                         
                        Eis que surge um segundo armário, ainda mais cruel. Como nos foi ensinado, precisamos compensar com qualidades a aceitação que nos foi gentilmente dada. Manifestar afeto em público, ser extravagante ou até mesmo discutir sexualidade abala o contrato ofertado pela sociedade que de alguma forma nos aceitou a contragosto. “Seja discreto!”, diz ela.
                         
                        E é este segundo armário que nos joga uns contra os outros. Primeiro nos ensinaram a nos odiar, depois nos ensinaram a odiar aqueles que, de alguma forma, não respeitam um limite criado em troca do suposto respeito que “conquistamos”. Não toleramos os afeminados, marginalizados, chamativos e afins. “Respeitar para ser respeitado”, dizem alguns. E para acabar com qualquer discussão eles evocam o direito das crianças a não presenciar tudo isso, como na Rússia.
                         
                        Os “indiscretos” saíram do segundo armário e nos deixaram para trás. Sim, nos colocaram em jaulas invisíveis muito bem forjadas desde que nos ensinam que rosa é cor de menina, que não podemos beijar em público, que homem não chora, que não temos os mesmos direitos se não formos como eles. O armário do gênero é ainda mais complexo, pois se a sexualidade é jogada à intimidade, o gênero faz parte da forma como as pessoas se portam no mundo. E apesar de a sexualidade e seus papeis sexuais nada terem a ver com a questão de gênero, ela entra em discussão quando você cruza o limite do ser macho e ser fêmea em ambiente aberto.
                         
                        O segundo armário tem portas azuis e rosas. Você não pode ser gay e afeminado. Você não pode ser lésbica e masculinizada. Você aprende antes mesmo de falar em sexo essas regras binárias e é bombardeado diariamente com o código de como deve se portar. Então vem as travestis e quebram tudo isso. Terceiro sexo? Não, apenas pessoas que nasceram e transitam entre esses dois universos artificiais, sendo quem são. Tentando ser felizes.
                         
                        O segundo armário nos faz fechar as portas e querer não sair de lá. Primeiro porque passamos antes por um longo processo de negociação, estamos cansados, e o mundo lá fora não faz tanto sentido para alguns. Não queremos arriscar o que conquistamos, não queremos ser rejeitados de novo. Por isso temos tanto medo dos afeminados, mulheres de barba, travestis, gênero fluído, andróginos e rejeitamos a hipótese novamente de sermos sequer parecidos. É um segundo armário, que nos lembra algo que jamais devemos esquecer: que a felicidade não se encontra por meio da autonegação. Seja autêntico, viva de verdade a sua história e deixe o outro ser feliz.


                        Quantos armários uma pessoa LGBTI pode enfrentar durante toda a sua vida? Esta questão dos armários é algo que abrange todas as pessoas, independentemente da sua orientação sexual e/ou identidade de género?

                        Deixem a vossa opinião sobre o tema.  :)

                          Quantos armários uma pessoa tem de enfrentar?
                          #32

                          Offline carolinalg

                          • *****
                          • Moderação Geral
                          • Membro Elite
                          • Género: Feminino
                          • call it Magic... call it true...
                          Acho que cada lugar e cada pessoa das nossas vidas é um 'armário diferente'.
                          Temos é de ter a força para escancarar todas as portas e sair cá para fora...
                          Armário cheira facilmente a mofo, é escuro e pequeno, dá claustrofobia e só serve para guardar roupa! ;)

                          Coragem a todxs, pessoal! 'tá tudo a sair do armário!
                            - carolinalg -

                             

                            Tópicos relacionados

                              Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                            318 Respostas
                            63937 Visualizações
                            Última mensagem 17 de Janeiro de 2016
                            por Juh'
                            245 Respostas
                            41455 Visualizações
                            Última mensagem 29 de Abril de 2007
                            por Gharam
                            52 Respostas
                            12558 Visualizações
                            Última mensagem 27 de Maio de 2013
                            por Destiny
                            19 Respostas
                            3955 Visualizações
                            Última mensagem 19 de Outubro de 2011
                            por Bc
                            14 Respostas
                            2359 Visualizações
                            Última mensagem 20 de Novembro de 2015
                            por Bc