rede ex aequo

Olá Visitante13.out.2019, 22:18:09

Autor Tópico: REA - Os Problemas  (Lida 2741 vezes)

 
REA - Os Problemas
#0

Mariana.Silva

  • Visitante
Cada vez mais tenho assistido a uma imaginativa intervenção de certos meios políticos em certos meios para "angariar" votos. De um criativo e dissimulado modo talvez o consigam...talvez não.

A Rea [rede ex aequo] é "uma associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, transgéneros e simpatizantes com idades compreendidas entre os 16 e os 30 anos em Portugal". "Nasceu" da ILGA - Intervenção lésbica, gay, bissexual e transgénero [ http://www.ilga-portugal.pt/ilga/index.php ], que já no passado teve intervenções muito contraditórias, nomeadamente quanto ao caso da Helena e da Teresa[http://adevidacomedia.wordpress.com/2010/05/07/afinal-havia-outra/ ]
Caracteriza-se a rede ex aequo como sendo uma associaçao que não favorece qualquer tipo de posição política dentro do movimento LGBT. O problema ocorre mesmo aí. É de jovens LGBT de TODAS as orientações políticas e de TODOS as classes sociais e de diversas idades.

Também eu, em tempos LGBT confusa, participei no fórum e nas reuniões à procura de algum esclarecimento sobre ser LGBT. Ao início, participando apenas no fórum, visto que tant@s lá estão tudo se parece com uma imparcial rede de jovens. Até se notar ligeiras imposições e contradições. Desde já se nota a superioridade dos projectos e ideias da ILGA quanto à de outras associações, dando a ver aos jovens LGBT que praticamente não existe outra real opção. Como em reuniões em que se "esconde" a intervenção histórica e criação dos Pantera Rosa. Contudo, sendo a rede ex aequo da ILGA não me espanto. Porém...orientações políticas vêm à baila..quando a homofobia aquece no banco em que nos sentamos temos reacção. Mas a superioridade de uma orientação política num fórum e em reuniões de carácter informativo? Também se "esconde" a importância histórica do Bloco de Esquerda no movimento LGBT, referindo-se ao PS como o tradicional "Salvador da Pátria". Tenho presidido a várias reuniões mas após um tempo nota-se aquela "mão invisível" socialista a guiar os LGBT para um 'bom' caminho. Tenho conhecido alguns moderadores do fórum e notado alguns posts que eliminam ou que tentam "ignorar". Como foi o caso de algumas intervenções do Bloco que se falaram mas se abafaram.
Incita-se regularmente à junção a membro da rede. Como sendo a única organização de jovens LGBT, estes vão pensando que isso irá ajudar a dar informação a outros jovens LGBT e para ajudar LGBT's, quando na verdade apenas contribui para alimentar uma organização [ILGA] e a expansão de UMA das associações LGBT, não da UNICA! Aproveita-se politicamente a vulnerabilidade de jovens LGBT em dúvidas.
Para além disso, dentro da própria associação há uma falha quanto a assuntos T. A velha separação dos transgénero [transexuais, travestis, bigendered etc] quanto a outros pode demonstrar-se por exemplo no fórum. É bom favorecer a maioria dentro da minoria.

Como cidadã, não tolero esta atitude!

Informação é para todos! Penso que alguém deveria tornar possível uma plataforma de ajuda como a rede..mas totalmente IMPARCIAL. Mais lavagens cerebrais não! Ajudar jovens indecis@s não se pode tratar de mais um joguinho político. Não somos peões! Contudo, o "império" que eles construíram é difícil de equiparar... UMA ALTERNATIVA É URGENTE!

Pelo sonho de uma rede ex aequo melhor.  :) :-*
« Última modificação: 1 de Outubro de 2010 por Moderação Geral »

    REA - Os Problemas
    #1

    Offline Atzecs

    • *****
    • Membro Vintage
    • Género: Masculino
    Não comentando, queria esclarecer aqui umas imprecisões:

    A rede ex aequo é uma associação registada e independente da ILGA Portugal.

    No entanto, é uma associação que estabelece uma grande relação de amizade, partilhando a sua sede e procurando apoiarem-se mutuamente. Não é incomum vermos voluntários da rede ex aequo a apoiarem a título individual a ILGA Portugal, como o contrário também acontece.

    Sei, de experiência própria, que os Coordenadores de Grupos Locais tentam ser o mais imparciais possível - embora não seja nada fácil. Acho, porém, que considerar que só se fala num partido em detrimento de outro... Pelo contrário, acho que o mais falado nem é nenhum dos mencionados, nem por esses motivos.

    O resto, deixo a quem de direito comentar.

      REA - Os Problemas
      #2

      Mariana.Silva

      • Visitante
      Em primeiro lugar gostaria de frisar que apenas escrevi este post na medida em que fosse lido, de forma a construir uma rede ex-aequo melhor: para todos. Não foi de todo no sentido difamatório nem de puro ataque e desse modo gostaria de saber a opinião de todos sobre o assunto, pelo qual é essencial a possível visualização do texto.
      Não comentando, queria esclarecer aqui umas imprecisões:
      A rede ex aequo é uma associação registada e independente da ILGA Portugal.
      No entanto, é uma associação que estabelece uma grande relação de amizade, partilhando a sua sede e procurando apoiarem-se mutuamente.
      Apenas queria referir que penso que sem “querer comentar” acabaste por fazê-lo…talvez o que consideraste imprecisões sejam um pouco mais relativas… Acabaste por comentar porque, caso contrário não haveria motivo para eu responder, de todo.
      Não há problema algum em apoios entre associações e amizades desde que estes sejam construídos no âmbito da pura imparcialidade da rede ex-aequo. Pergunto eu, então, se sendo uma associação dita registada e independente da ILGA Portugal, porque é que não constroem uma amizade com as demais associações LGBT & Simpatizantes portuguesas que existem pelo país fora? Penso que faria da rede ex-aequo um local muito mais rico tanto a nível de informação LGBT como de opiniões políticas e outras dentro do movimento. Se a amizade entre os dois resultar de um favorecimento, directo ou indirecto da visibilidade das actividades e acções referentes à ILGA, sim…estou contra essa amizade pois não favorece o conhecimento dos jovens imparcialmente mas subtilmente [e friso] subtilmente parcial.
      Responder
      Não é incomum vermos voluntários da rede ex aequo a apoiarem a título individual a ILGA Portugal, como o contrário também acontece.
      Verdade seja então dita que também não é incomum vermos voluntários que apoiam a rede ex aequo a nível individual mas “subitamente” foi-lhes referida a enorme actividade que a ILGA Portugal faz (em detrimento de outras associações?) e estes apoiam a ILGA. Será que não é tudo mais relativo?
      Responder
      Acho, porém, que considerar que só se fala num partido em detrimento de outro... Pelo contrário, acho que o mais falado nem é nenhum dos mencionados, nem por esses motivos.
      Não foi minha intenção fazer um “top” dos partidos mais falados, aliás de todo…Realmente e como referiste falar-se-ia do PNR, nesse caso. Contudo, referi o modo como é explorada a acção das demais associações portuguesas dentro dos direitos LGBT, a sua importância e as actividades de cada uns deles ou de outros movimentos independentes.


       
      « Última modificação: 13 de Outubro de 2010 por Boreas »

        REA - Os Problemas
        #3

        13

        • Visitante
        Olá Mariana.Silva, tens toda a razão no teu segundo post, a crítica é fundamental para se ir melhorando :)

        Isto não significa que eu não esteja admirado por ver que tens essa percepção da rede ex aequo. Os assuntos que levantas parecem-me realmente importantes; o problema é que não consigo relacioná-los com coisas concretas a que tenha assistido nas actividades da associação. Podes dar exemplos concretos? É que, não os dando, o que acabas por fazer é difamação e puro ataque, justamente aquilo que não queres.

        Dizes que a rede ex aequo é "da ILGA" e que "apenas contribui para a alimentar". Isto é uma informação falsa, preocupa-me que penses assim e que o digas a terceiros como se fosse verdade. A rede ex aequo é uma associação independente, toda a informação de base sobre a associação pode ser lida aqui. A ILGA, assim como as Panteras Rosa, a não te prives ou o Clube Safo, entre outros, são grupos parceiros da rede ex aequo. Ou seja, cada associação tem os seus próprios projectos, e depois, em momentos específicos, juntam-se para eventos ou parcerias. Imagino que saibas isto.

        Dizes que, no trabalho da rede ex aequo, é dado mais protagonismo à ILGA do que às outras associações LGBT. Eu tenho uma experiência muito diferente. Já estive em muitas actividades da rede ex aequo e em várias formações de voluntários (ao longo dos últimos seis anos, na verdade ;)), e o trabalho das várias associações LGBT foi sempre apresentado na sua diversidade, como um todo. Foi justamente assim - através da rede ex aequo - que eu fiquei a conhecer o trabalho destas outras associações, ao ponto de hoje em dia participar em actividades delas e ter amigos entre os seus voluntários. Nunca senti nenhum conflito nisto. Também aqui no Fórum tenho visto a divulgação de iniciativas muito diversas, basta fazer uma pesquisa por "divulgação" ou "pedidos de colaboração", corrige-me se estiver enganado.

        Repara, acredito que tenhas estado em reuniões onde o trabalho da ILGA foi injustamente destacado por alguém, simplesmente porque essa pessoa tinha mais conhecimento do trabalho da ILGA do que de outros grupos. Nesse caso, a única coisa que tens de fazer é levantar o braço e dizer: "Desculpem, estão a esquecer-se do contributo de x e y..." Estou a convidar-te a encará-lo desta forma, pois é uma forma que me parece ser mais realista (e mais construtiva) do que presumir precipitadamente que tudo é uma conspiração. Como dizes, a rede ex aequo somos todos, é preciso que cada um vá fazendo a sua parte.

        O mesmo digo para as preferências políticas e para as decisões dos moderadores do Fórum. Ou indicas especificamente a que casos te referes, e contribuis assim no sentido de melhorá-los, ou as tuas críticas são apenas acusações vagas, injustas para os voluntários da associação e prejudiciais para a boa comunicação que existe aqui no Fórum.

        Quanto à inclusão da transexualidade na sigla LGBT, ela tem estado sempre presente nos trabalhos da rede ex aequo, se notaste que estava ausente em alguma actividade ou momento específico, tens que comunicá-lo aos responsáveis da associação, é importante que o faças. Concordo que nos últimos anos as iniciativas a favor da diversidade sexual têm tido mais mediatismo do que as iniciativas em relação à identidade de género e à transfobia. Alterar isto é um desafio que todos temos pela frente! :)

        É muito grave acusares um grupo de voluntários, que trabalha arduamente em projectos que toda a gente conhece e pode ver (por exemplo aqui), de coisas como "lavagem cerebral" ou "joguinho político". Sem fundamentação, isto são apenas acusações fáceis - como uma brincadeira ou uma teoria da conspiração oca - e não deviam ser expostas publicamente com a autoridade que lhes conferes, não concordas?

        Desculpem o post longo, mas acho que a gravidade e a injustiça destas críticas justifica-o.




        Modificação por temporary_user: correcção do link para os projectos da associação.
        « Última modificação: 16 de Outubro de 2010 por temporary_user »

          REA - Os Problemas
          #4

          Offline bluejazz

          • *****
          • Associad@ Honorári@
          • Membro Vintage
          • Género: Feminino
            • Homofobia
          Como em reuniões em que se "esconde" a intervenção histórica e criação dos Pantera Rosa. Contudo, sendo a rede ex aequo da ILGA não me espanto.

          Mariana, as Panteras Rosa do que sei não são faladas nem deixam ser mais faladas que outros colectivos LGBT (e sim, nas formações, quando se fala da história do movimento são sempre, mas sempre referidas e inclusive a sua origem, nomeadamente de pessoas do ex-GTH-PSR) e posso garanti-lo, porque sou eu que dou essa parte da formação!). Também já procuraste saber se as Pantera divulgam todas as iniciativas da rede ex aequo? Acredita que todos os testemunhos que recebi, já de há anos, é que não... inclusive quando a rede ex aequo sempre divulgou as suas, por norma. Para minha surpresa alguns trabalhos/intervenções de relevância da associação eram completamente desconhecidos de muitos membros das Panteras Rosa... E a rede ex aequo divulgava os mesmos à "direcção" das Panteras Rosa (contava-se naturalmente que fossem divulgados aos seus membros, tal como a rede ex aequo fazia com as iniciativas das Panteras). Aprendi ainda mais, da parte de participantes nas Panteras Rosa, que a rede ex aequo é intensamente criticada dentro das Panteras, por pessoas com responsabilidade, e utilizada para criar identidade dentro do grupo. Ou seja, "nós não somos como eles"... Nada bonito.

          Porém...orientações políticas vêm à baila..quando a homofobia aquece no banco em que nos sentamos temos reacção. Mas a superioridade de uma orientação política num fórum e em reuniões de carácter informativo? Também se "esconde" a importância histórica do Bloco de Esquerda no movimento LGBT, referindo-se ao PS como o tradicional "Salvador da Pátria". Tenho presidido a várias reuniões mas após um tempo nota-se aquela "mão invisível" socialista a guiar os LGBT para um 'bom' caminho. Tenho conhecido alguns moderadores do fórum e notado alguns posts que eliminam ou que tentam "ignorar". Como foi o caso de algumas intervenções do Bloco que se falaram mas se abafaram.

          Se não viesse a história do BE e PS... estou para ouvir alguém de responsabilidade na rede ex aequo a dizer que o PS é o salvador da pátria e a dizer que o BE não é importante. Aliás tenho sérias dúvidas que dirigentes do BE que conhecem a rede ex aequo tenham alguma coisa a dizer sobre a associação em relação ao partido (nem de bem nem de mal). Quanto ao que é dito aqui no fórum, cada opinião vale por si, por cada participante, e não pela associação. Se a moderação for tendenciosa na tua perspectiva, é-te agradecido, como já foi dito, que o denuncies à direcção da associação e à administração do fórum.

          Incita-se regularmente à junção a membro da rede. Como sendo a única organização de jovens LGBT, estes vão pensando que isso irá ajudar a dar informação a outros jovens LGBT e para ajudar LGBT's, quando na verdade apenas contribui para alimentar uma organização [ILGA] e a expansão de UMA das associações LGBT, não da UNICA! Aproveita-se politicamente a vulnerabilidade de jovens LGBT em dúvidas.

          Com o devido respeito, é um enorme disparate o que dizes. Se conhecesses realmente as duas associações, até saberias que são muito poucos os voluntários jovens em comum, a trabalhar em simultâneo em ambas. Muito pouco mesmo. E os jovens que participam na ILGA pelo menos metade nunca participou na rede ex aequo. Fala com conhecimento, por favor.

          Para além disso, dentro da própria associação há uma falha quanto a assuntos T. A velha separação dos transgénero [transexuais, travestis, bigendered etc] quanto a outros pode demonstrar-se por exemplo no fórum. É bom favorecer a maioria dentro da minoria.

          Pois, curiosamente foi a que desde início sempre incluiu os T no seu nome, objecto social... que teve membro fundador T e quando faz coisas inclui sempre a temática T (excepção feita aos postais virtuais da campanha digital, que não obtiveram trabalhos T, e fez-se depois concurso só nesse tema). Sim, o T não teve a prioridade que teve o LGB no movimento português, mas as associações que conheço como tendo mais dirigentes, líderes de projectos e participantes T (que correspondem também a iniciativas concretas) são as duas que curiosamente queres colar aqui, mais que as Panteras Rosa e a Opus Gay que também o tiveram (têm?). As Pantera Rosa, ao contrário da rede ex aequo, diga-se que só acordaram para o T com a morte da Gisberta e só aí passaram a ser a frente contra a "Lesbigaytransfobia". Quanto ao T, acho que a rede ex aequo ainda pode fazer mais coisas, como por exemplo, uma página sobre o que deve fazer uma pessoa T se tem dúvidas e quer fazer alterações ao seu corpo, onde se dirigir, como se processa. Isto enquadra-se perfeitamente dentro do trabalho da associação e foi tentado há uns bons anos atrás sem sucesso, por falta de cooperação de quem sabe melhor e a quem foi pedido, pessoas T. Não é desculpa. Deve ser tentado de novo assim que possível. O resto que a associação faz para LGB, faz mesmo quase sempre também para T. Se vires os projectos da mesma facilmente verificarás isso. Fica o convite a fazeres uma análise a todos os projectos da associação e apontares quais incluem T e quais não incluem T.

          E quanto ao facto da rede ex aequo ter "saído da ILGA", enquanto fundadora, posso esclarecer-te que a rede ex aequo surgiu como projecto que propus ser feito no seio da ILGA, porque era voluntária nesta mesma associação, mas mal foi fundada, 1 ano e 4 meses depois do projecto ter começado, teve sempre total independência da mesma. Total, inclusive houve, no que respeita a estratégias e procedimentos, discordâncias que são obviamente claramente conhecidas de ambas as associações. O que não significa que não possam partilhar alguns valores e visões (tal como partilham com outros colectivos, e despartilham com outros, porque não somos de facto homogéneos) e eventualmente projectos (mesmo isso não tem sido comum). Dos próprios voluntários, e eram imensos, do projecto descentrar, projecto que criou a associação, só mais três pessoas tinham frequentado a ILGA, sendo eu a única que fiz voluntariado lá e existir outra pessoa que não chegou sequer a ser sócio ou fundador da rede ex aequo, e era membro de um orgão social da ILGA (e desligou-se de ambas nesse período). Ou seja, praticamente mais ninguém tinha ligação formal com a ILGA como tive (e já agora, não sou dirigente da rede ex aequo desde o início de 2007 e quando a rede ex aequo foi fundada deixei de ser voluntária na ILGA). Os outros elementos do projecto quando a rede ex aequo se tornou associação deixaram de ter qualquer ligação à ILGA, porque essa ligação só existiu justamente por estarem no projecto que criou a associação e este ter sido feito no seio da ILGA.

          Se queres falar que há ex-dirigentes e ex-voluntários da rede ex aequo na ILGA, que começaram primeiro na rede ex aequo, também posso te dizer que há outros que criaram os seus próprios colectivos e outros mesmo que se tornaram mais activos em outros colectivos sem restrição de idade ou cujos moldes de trabalho ou projectos lhes apelavam mais, incluindo as Panteras Rosa. Tudo normal. Não vejo qual a estranheza. E porque não falas da Não Te Prives e do Clube Safo (esta última existe ainda, mas encontra-se inactiva há uns anos)? A rede ex aequo também sempre se deu muito bem com estas duas associações, e com a primeira, uma associação regional de jovens, tem tido algumas iniciativas comuns, mais até do que com a ILGA, que me recorde, nomeadamente em Coimbra... isto não foi referido.

          Por fim, o raciocínio que não tiveste, mas que é o mais lógico e grande parte o mais verdadeiro, é que se há mais divulgação da ILGA, em relação a outras associações/colectivos, é acima de tudo porque a ILGA faz mais coisas que eles (e são divulgadas sempre que vão dentro da linha dos objectivos e posições da rede ex aequo, tal como no caso das outras associações/colectivos). O volume de trabalho gera também mais visibilidade. É natural.

          Informação é para todos! Penso que alguém deveria tornar possível uma plataforma de ajuda como a rede..mas totalmente IMPARCIAL. Mais lavagens cerebrais não! Ajudar jovens indecis@s não se pode tratar de mais um joguinho político. Não somos peões! Contudo, o "império" que eles construíram é difícil de equiparar... UMA ALTERNATIVA É URGENTE!

          Lamento dizer-te Mariana, dado todas as informações deixadas aqui por ti, parcas de veracidade, penso que quem recebeu uma lavagem cerebral foste tu. Lamento. :(

          Fica bem.
          « Última modificação: 15 de Outubro de 2010 por bluejazz »
            "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

            REA - Os Problemas
            #5

            Offline C0XINHA

            • *****
            • Associad@
            • Membro Ultra
            • Género: Feminino
            • .: A vida é dura para quem é mole :.
            Considero este tópico extremamente relevante para a rede, no entanto, até ao momento não vi ainda qualquer problema real de rede ser abordado, excepto a tangente sobre o assunto da moderação do forum...

            Não querendo bater muito mais no ceguinho, não consegui ver mais do que a repetição de opiniões derivadas do "diz que disse..." sem confirmação factual e uma anedótica teoria da conspiração lgbt...
            Voluntariei-me e associei-me à associação ainda na altura do projecto descentrar, que nada teve a ver com a ILGA, e logo é um erro afirmar que a rede ex aequo foi sua "cria"... de facto, uma das razões que levou-me a associar-me foi justamente a rede distanciar-se em diversos aspectos das posições, estratégias e abordagens da ILGa e outras associações LGBT da altura que considerava pouco adequadas. Isto por si só leva-me a crer que se calhar a Mariana não é assim tão imparcial quanto julga, porque não procurou informação quanto ao processo que deu origem à rede e está a repetir informação mais que processada.

            Durante todo o tempo que estive mais proximamente vinculada à rede, jamais vi queixas no sentido de aproveitamento dos jovens para se incutir algum orientamento político... Naquela altura tínhamos o privilégio de nos conhecermos melhor pela rede não ter a mesma dimensão que hoje tem, e jamais tive formação numa agenda oculta de politização de jovens ou de como criar uma nova associação com as quais futuramente iriamos ter tantas discordâncias e coisas desta natureza... lol
            Quando era jovem não tinha orientação política definida e apreciava a rede por esforçar-se por também se manter de alguma forma neutra neste aspecto... continuo a não ter, mesmo passados estes anos todos. Também não fui peão e nem joguei xadrez com ninguém enquanto fiz parte da coordenação. obviamente que, sendo constituída por pessoas, não excluo a possibilidade de haver enviesamentos... mas estes aspectos estão contemplados nos diversos regulamentos e suponho que ainda estejam presentes quando se realizam formações de novos coordenadores. Se calhar está a falhar-se neste aspecto? Então talvez seja oportunidade de situar e abordar o problema mais concretamente.

            Cada voluntário é livre de desempenhar mais actividades onde quer que seja, penso que não exista regime de exclusividade, desde que a pessoa tenha consciência dos princípios de cada associação defende no momento em que desempenha suas actividades... e que saiba, associações LGBT (com afiliações politicas ou não) defendem princípios que se sobrepõem consideravelmente. Qualquer pessoa que sinta a necessidade da criação de alguma alternativa também é livre de fazê-la. Parece-me que a rede não tem como objectivo deter qualquer tipo de monopólio.

            Quanto a abordagem da questão T,desde os primeiros anos, houve uma maior inclusão do tema nas actividades da rede. Se esta progressão se mantém ou se houve regressão nos últimos anos, sinceramente não sei porque agora estou mais afastada. A situação ainda não será a ideal, mas pelo menos a direcção presente parece estar a ficar atenta a estas criticas para desenvolverem esforços neste sentido, pelo que mencionou o 13.

            Não consegui perceber também  se a Mariana tem preocupações de que o dinheiro angariado pela associação seja redireccionado para outra ao invés de ser investido para os jovens, quando fala de 2 associações alimentando-se mutuamente. as sugestões de modificações sempre foram bem-vindas... mas sugiro que, quando se forem tecer este tipo de criticas que não remontam apenas certas circunstancias actuais, que procurem construir suas opiniões com maior conhecimento de causa (e não outros relatos e opiniões) e o façam de modo mais concreto e construtivo. até para as outras pessoas perceberem o que se passa...

            « Última modificação: 15 de Outubro de 2010 por C0XINHA »
              "Gosto de pessoas doces, gosto de situações claras - e por tudo isso, ando cada vez mais só." CFA

              REA - Os Problemas
              #6

              Offline aspirina

              • *
              • Associad@
              • Novo Membro
              • Género: Feminino

              A Rea [rede ex aequo] é "uma associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, transgéneros e simpatizantes com idades compreendidas entre os 16 e os 30 anos em Portugal". "Nasceu" da ILGA - Intervenção lésbica, gay, bissexual e transgénero [ http://www.ilga-portugal.pt/ilga/index.php ], que já no passado teve intervenções muito contraditórias, nomeadamente quanto ao caso da Helena e da Teresa[http://adevidacomedia.wordpress.com/2010/05/07/afinal-havia-outra/ ]
              Caracteriza-se a rede ex aequo como sendo uma associaçao que não favorece qualquer tipo de posição política dentro do movimento LGBT. O problema ocorre mesmo aí. É de jovens LGBT de TODAS as orientações políticas e de TODOS as classes sociais e de diversas idades.



              Qual é mesmo o problema?

              Eu tenho uma posição política bem definida e clara (igual à tua pelo que me parece), sou filiada num partido e não vejo qual é o problema de uma associação ser apolítica, até porque assim abrange mais pessoas, não? Alcança TODOS OS JOVENS LGBT DE TODAS AS CORES POLÍTICAS, o objectivo não é favorecer nenhum partido, mas os jovens... Parece-me bem...a ti não?



              dando a ver aos jovens LGBT que praticamente não existe outra real opção



              Numa altura em que tudo tem a distância de um click, esta conversa faz todo o sentido... Não sei como tiraste esta conclusão, nunca vi tal acontecer e conheço a REA desde 2005.


              Como em reuniões em que se "esconde" a intervenção histórica e criação dos Pantera Rosa. Contudo, sendo a rede ex aequo da ILGA não me espanto. Porém...orientações políticas vêm à baila..quando a homofobia aquece no banco em que nos sentamos temos reacção. Mas a superioridade de uma orientação política num fórum e em reuniões de carácter informativo? Também se "esconde" a importância histórica do Bloco de Esquerda no movimento LGBT, referindo-se ao PS como o tradicional "Salvador da Pátria". Tenho presidido a várias reuniões mas após um tempo nota-se aquela "mão invisível" socialista a guiar os LGBT para um 'bom' caminho. Tenho conhecido alguns moderadores do fórum e notado alguns posts que eliminam ou que tentam "ignorar". Como foi o caso de algumas intervenções do Bloco que se falaram mas se abafaram.



              Bem, não deves ter ido às mesma reuniões que eu. Já assisti, inclusive, a sessões de formação e até aí se fala dos Panteras e do BE, devias cingir-te ao que sabes.


              Incita-se regularmente à junção a membro da rede. Como sendo a única organização de jovens LGBT, estes vão pensando que isso irá ajudar a dar informação a outros jovens LGBT e para ajudar LGBT's, quando na verdade apenas contribui para alimentar uma organização [ILGA] e a expansão de UMA das associações LGBT, não da UNICA! Aproveita-se politicamente a vulnerabilidade de jovens LGBT em dúvidas.



              Como membro do BE, envergonha-me bastante este tipo de comentários. O BE, sempre primou pela crítica construtiva, baseada em factos e conhecimento de causa. É um dos factores que distancia o BE de outros partidos, da demagogia e do fundamentalismo. Devemos ser capazes de admitir, aplaudir e apoiar os bons projectos. Não interessa a cor política, interessa, sim, a intenção, os meios e os fins...
              O objectivo da REA é ajudar TODOS os jovens LGBT, não só os da esquerda, da direita ou do centro... O que pretendes com este comentário? Difamar? É muito triste, e não é nada com que o BE se identifique...
              Ser de um partido, não é igual a usar palas, devemos manter o nosso espírito crítico em relação ao que ouvimos. Admitir-se que existe algo bom (quando de facto é), é um sinal de maturidade e de inteligência, não se está a "trair" o partido, muito pelo contrário está-se a mostrar que o partido é constituído por pessoas com ética política, inteligência e visão. O objectivo é termos uma sociedade mais justa e igualitária, todas as boas iniciativas devem ser bem acolhidas e respeitadas. Estamos ou não a lutar todos pelo mesmo?

                REA - Os Problemas
                #7

                Offline Pulse

                • *****
                • Membro Vintage
                • Género: Masculino
                • After all, losing all hope was freedom.
                Sinceramente, se a associação corresponde às expectativas de quem faz parte dela e de quem a procura e se até fornece meios bastantes bons para os jovens LGBT poderem conhecer outras pessoas com problemas e dúvidas semelhantes, qual o interesse de se esta tem "associações" partidárias ou não?
                Sou apoiante do BE, mas também sou realista, e quer queira quer não sei que se não fosse o PS o casamente entre pessoas do mesmo sexo nunca teria sido aprovado, uma vez que nem o BE nem o PCP têm deputados suficientes para, sozinhos, aprovar seja o que for...
                Não percebo tanto da associação quanto tu pareces (ou fazes parecer) perceber, mas posso dizer que nunca achei que qualquer discussão sobre politica ou partidos fosse "abafada" no fórum ou, de alguma forma, reprimida... Portanto não posso concordar com o que dizes.
                  And my head told my heart, let love grow. But my heart told my head, this time no, this time no.

                  REA - Os Problemas
                  #8

                  Offline Symphonic

                  • *****
                  • Orador(a)
                  • Membro Elite
                  • Género: Masculino
                  • "Does your mother know that you're out?"
                    • Facebook
                  Mariana,

                  O que referes, pela falta de indicação de acontecimentos concretos e por acabar por se resumir a uma teoria da conspiração, é ofensivo e mesmo difamador para todos os voluntários que fazem parte da rede ex aequo.

                  Posso assegurar-te que em todas as reuniões a que assisti (em Braga, Porto, Aveiro) e coordenei (já sou coordenador há 2 anos do grupo ex aequo aveiro), assim como nas formações e eventos da rede ex aequo em que estive, nunca se abafou nem favoreceu a intervenção de nenhum partido político nem de nenhuma associação da área do direitos LGBT.

                  As posições e intervenções políticas que existem são todas individuais e da responsabilidade de quem as assume, nunca sendo feitas em ambientes onde isso possa ser passado como imagem da associação.

                  O que dizes de a moderação abafar intervenções do BE é simplesmente pura mentira. Posso dizer-te que eu já fui advertido por ter dito que um dirigente do BE tinha feito algumas declarações parolas. Leste bem, por usar esta palavra para criticar afirmações. Se eu fizesse como tu ia dizer que a moderação é tendenciosa para o lado do BE, não? Pois...

                  O que falas, como a bluejazz disse, da velha conversa do PS e do BE, já cansa...

                  Todos sabemos que os Panteras Rosa estão ligados ao BE e apoiam esse partido sendo que, para além disso e sem legitimidade, boicotam a rede ex aequo de diversas formas por esta se recusar a assumir posições em campos políticos fora dos direitos LGBT, como foi muito recentemente claro com a questão da inclusão do Poliamor no manifesto da Marcha LGBT do Porto, que a rede ex aequo decidiu não subscrever. A rede ex aequo é uma associação plural, sendo que a pluralidade dos seus membros passa por manter a neutralidade da associação em tudo o que não seja os princípios e objectivos fundamentais da associação. O facto de não se posicionar em certos assuntos nem aderir a posições e demonstrações radicais de certos grupos que se dizem defensores dos direitos dos LGBT não quer dizer que esteja ligada ao PS ou a qualquer outro partido mas, obviamente, os Panteras Rosa gostam de fazer essa associação, como forma de criar oposição e identidade através de uma outra associação que, tal como o PS, eles pretendem combater, uma vez que eles concordam com os seus princípios e posições e, pura e simplesmente, lhes dá jeito usar o ódio como forma de agitação e como "causa".

                  De resto, se realmente tens situações concretas a relatar, então contacta a Direcção da associação para o geral@rea.pt ou para o número disponível no site, e será tudo tratado, já que esse tipo de coisas a serem verdade são inadmissíveis da parte de coordenadores locais e outros responsáveis da associação. Não é escrevendo sobre eventos que ninguém sabe muito bem onde aconteceram, como aconteceram nem com quem aconteceram que vais resolver alguma coisa.
                  « Última modificação: 15 de Outubro de 2010 por Symphonic »

                    REA - Os Problemas
                    #9

                    Offline _Margot_

                    • *****
                    • Membro Elite
                    • Género: Feminino
                    • The show must go on!
                    Mesmo que houvesse, de facto, voluntários na ILGA e na rede ex-aequo em simultâneo, não compreendo como isso seria prejudicial.

                    Se eu quiser ser voluntária da "união zoofila", da "peta" e da "pelos animais" (todas têm em comum a defesa dos animais), ninguém me vai dizer que só posso escolher uma.
                    Dei o exemplo das associações de defesa dos animais como podia ter dado outro qualquer.

                    Não compreendo como os voluntários, que dispendem o seu tempo livre (às vezes bem pouco) sem receber qualquer dinheiro, contribuem para "encher os bolsos" de associações que vivem de voluntariado e de quotas de associados.
                      "Be anything but a coward, a pretender, an emotional crook, a whore: I'd rather have cancer than a dishonest heart." Truman Capote - Breakfast at Tiffany's

                      REA - Os Problemas
                      #10

                      Offline David Erif

                      • *****
                      • Associad@
                      • Membro Ultra
                      • Género: Masculino
                      Mesmo que houvesse, de facto, voluntários na ILGA e na rede ex-aequo em simultâneo, não compreendo como isso seria prejudicial.

                       lol Como anterior (e único) membro activo tanto da rede ex aequo, como da Ilga e das Panteras, em simultâneo, e fazendo uma retrospectiva desse periodo de tempo, não creio ter sido agente prejudicial em qualquer tipo de acção ou trabalho de nenhuma das partes, nem creio que tal seja possivel.

                      O trabalho de acção dos três para além de divergir em diferentes direções, diverge também em diferentes campos – a rede ex aequo no campo juvenil, a Ilga noutro campo social e as panteras num campo politico de acção directa.

                      Eu julgo e sempre julguei ser extremamente posito existirem diferentes trabalhos de intervenção por parte dessas e doutras associações/grupos Lgbt em Portugal uma vez que tal acções resultam num trabalho de complementariedade a nível geral. Mesmo que este não seja consciente.

                      Quanto às afirmações partidárias, não percebo a reivindicação da Mariana.  O grupo das panteras tem um historial intimamente ligado ao Bloco de esquerda devido ao facto de grande parte dos seus membros ter filiações com esse partido. Por isso acaba (ou acabava) por haver assuntos do bloco a imiscuir-se nos projectos das panteras sobretudo quando envolvia-se questões LGB e sobretudo T. Mas isso não quer dizer que a totalidade tenha essa afiliação ou inclinação politica. Aliás, há (ou havia) elementos dentro das panteras que não têm nenhuma preferência partidária.

                      O ideal em termos associativos seria tratar as afiliações politicas como a religião em que cada um têm a sua e ninguem tem nada a ver com isso.

                      Nem as associações LGBT deveriam servir de rampas de impulsão para actividades politicas e muito menos serem "escolas" para qualquer tipo de filiação partidária.
                      « Última modificação: 7 de Novembro de 2010 por David Erif »
                        A Amizade é uma Força que altera o Mundo

                        REA - Os Problemas
                        #11

                        Offline _Margot_

                        • *****
                        • Membro Elite
                        • Género: Feminino
                        • The show must go on!
                        Mesmo que houvesse, de facto, voluntários na ILGA e na rede ex-aequo em simultâneo, não compreendo como isso seria prejudicial.

                         lol Como anterior (e único) membro activo tanto da rede ex aequo, como da Ilga e das Panteras, em simultâneo, e fazendo uma retrospectiva desse periodo de tempo, não creio ter sido agente prejudicial em qualquer tipo de acção ou trabalho de nenhuma das partes, nem creio que tal seja possivel.
                        É o que eu acho. Que sentido faz alguem querer ser voluntário e virem dizer "ah não. ou estás connosco ou com os outros"?
                          "Be anything but a coward, a pretender, an emotional crook, a whore: I'd rather have cancer than a dishonest heart." Truman Capote - Breakfast at Tiffany's

                          REA - Os Problemas
                          #12

                          Offline btsferreira

                          • *****
                          • Membro Elite
                            • facebook btsferreira
                          Mesmo que houvesse, de facto, voluntários na ILGA e na rede ex-aequo em simultâneo, não compreendo como isso seria prejudicial.

                           lol Como anterior (e único) membro activo tanto da rede ex aequo, como da Ilga e das Panteras, em simultâneo, e fazendo uma retrospectiva desse periodo de tempo, não creio ter sido agente prejudicial em qualquer tipo de acção ou trabalho de nenhuma das partes, nem creio que tal seja possivel.

                          O trabalho de acção dos três para além de divergir em diferentes direções, diverge também em diferentes campos – a rede ex aequo no campo juvenil, a Ilga noutro campo social e as panteras num campo politico de acção directa.

                          Eu julgo e sempre julguei ser extremamente posito existirem diferentes trabalhos de intervenção por parte dessas e doutras associações/grupos Lgbt em Portugal uma vez que tal acções resultam num trabalho de complementariedade a nível geral. Mesmo que este não seja consciente.

                          Quanto às afirmações partidárias, não percebo a reivindicação da Mariana.  O grupo das panteras tem um historial intimamente ligado ao Bloco de esquerda devido ao facto de grande parte dos seus membros ter filiações com esse partido. Por isso acaba (ou acabava) por haver assuntos do bloco a imiscuir-se nos projectos das panteras sobretudo quando envolvia-se questões LGB e sobretudo T. Mas isso não quer dizer que a totalidade tenha essa afiliação ou inclinação politica. Aliás, há (ou havia) elementos dentro das panteras que não têm nenhuma preferência partidária.

                          O ideal em termos associativos seria tratar as afiliações politicas como a religião em que cada um têm a sua e ninguem tem nada a ver com isso.

                          Nem as associações LGBT deveriam servir de rampas de impulsão para actividades politicas e muito menos serem "escolas" para qualquer tipo de filiação partidária.


                          Ha varios membros das panteras na rede e de outros grupos como o mica-me o caleidoscopio etc. São pessoas que trabalham muito na rede e se houver algo a dizer sobre essas pessoas é valorizar o que fazem

                            Propõe um debate na tua Escola/Universidade. Info: educacao@rea.pt
                            No matter gay, straight or bi, lesbian, transgendered life. I'm on the right track baby, I was born this way

                             

                            Tópicos relacionados

                              Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                            0 Respostas
                            936 Visualizações
                            Última mensagem 17 de Outubro de 2014
                            por Skar
                            9 Respostas
                            1852 Visualizações
                            Última mensagem 7 de Janeiro de 2018
                            por سامانتا
                            7 Respostas
                            1312 Visualizações
                            Última mensagem 4 de Março de 2017
                            por tendinite
                            35 Respostas
                            5016 Visualizações
                            Última mensagem 21 de Março
                            por Fernando Pinheiro
                            13 Respostas
                            2481 Visualizações
                            Última mensagem 29 de Novembro de 2018
                            por sleepy_heart