rede ex aequo

Olá Visitante27.out.2020, 15:04:15

Autor Tópico: Capitalismo  (Lida 19609 vezes)

 
Capitalismo
#40

Offline Back Room

  • *****
  • Membro Elite
  • Género: Masculino
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.
    "I started being proud of being gay, even though I wasn't." Kurt Cobain.

    "Quelle est votre plus grand ambition dans la vie? Devenir immortel... et puis... mourir." À Bout de Souffle, Godard.

    "One of the great tragedies of mankind is that morality has been hijacked by religion." Arthur C. Clark

    Capitalismo
    #41

    Agamemnon

    • Visitante
    Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

    Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

    Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
    Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
    Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

    São factos.


    Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

      Capitalismo
      #42

      Apollo

      • Visitante
      Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

      Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

      Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
      Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
      Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

      São factos.


      Black Room, se pegarmos em muitas listas de «críticos americanos» de melhores livros da década ou de livros mais marcantes surgem porcarias como Dan Brown ou Nicholas Sparks. Em parte da comunicação social americana substituiu-se o elogio da verdadeira literatura pelo elogio do entretenimento escrito. Infelizmente, a moda já chegou a Portugal, e vemos autores que escrevem literatura de cordel do século XXI a receber prémios literários (nem digo nomes para não ferir susceptibilidades).

      O mesmo no cinema, onde se privilegia o lixo... aliás, no século XXI o lixo já ganha Óscars. O cinema americano lançou excelentes obras até meados dos anos 70, muitas das quais dirigidas por mestres de origem europeia, sublinhe-se. Contudo, as últimas três a três décadas e meia são para esquecer, salvo uma ou outra rara excepção. E vemos os críticos darem boas notas a lixo, coisa que certamente os críticos dos anos 50 não fariam. Não concebo a recepção do público dos anos 40 ou 50 perante o engraçadismo aparolado de um American Pie, que como se sabe foi um êxito de bilheteira.

      As televisões também têm a culpa. Não passam clássicos do cinema europeu e americano, e limitam-se a transmitir a porcaria do Hollywood actual.

      O público americano, na sua maioria, está estupidificado pela literatura light, pela música ligeira estilo Lady Gaga e pelo lixo dos grandes estúdios. Parte do público europeu segue o mesmo caminho.

      Os antídotos para o lixo americano actual  são:

      - os autores clássicos: Eça de Queiroz, Victor Hugo, Alexandre Dumas, Emile Zola, George Orwell, Platão, Aristóteles, Cervantes, Edgar Allan Poe, Dante, etc;

      - a música clássica

      - o cinema europeu ou o cinema do período de ouro de Hollywood (anos 40/50, alguma coisa dos anos 60 e 70).

        Capitalismo
        #43

        Agamemnon

        • Visitante
        Eu adoro Alexandre Dumas... Mas também é de cordel. :P

          Capitalismo
          #44

          Apollo

          • Visitante
          Eu adoro Alexandre Dumas... Mas também é de cordel. :P

          Não é nada! Que asneira! Já leste a Dama das Camélias?

            Capitalismo
            #45

            Agamemnon

            • Visitante
            Ah! Referias-te ao fils... :P Não! Nunca li nada do filho! Mas por acaso a dama está na minha wishlist da amazon.fr há uns três anos! Outras prioridades. :P

            Mas o pai dele é cordel! E eu adoro! 8-)

              Capitalismo
              #46

              Apollo

              • Visitante
              Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

                Capitalismo
                #47

                Agamemnon

                • Visitante
                Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

                Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

                Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

                E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)

                  Capitalismo
                  #48

                  Apollo

                  • Visitante
                  Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

                  Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

                  Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

                  E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)

                  O maior adepto do liberalismo que até agora encontrei na literatura francesa foi o Marquês de Sade.

                  EDIT: adoro Sade e Céline, adoro «escritores malditos».

                    Capitalismo
                    #49

                    Agamemnon

                    • Visitante
                    Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

                    Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

                    Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

                    E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)

                    O maior adepto do liberalismo que até agora encontrei na literatura francesa foi o Marquês de Sade.

                    EDIT: adoro Sade e Céline, adoro «escritores malditos».


                    O Sade não era adepto de nada........ :P.................. Nem o francês dele se safa!

                    As 120 journées são muito mais comunistas do que capitalistas. ::)


                    Prefiro malditos como o Paul Verlaine.

                      Capitalismo
                      #50

                      Apollo

                      • Visitante
                      Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

                      Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

                      Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

                      E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)

                      O maior adepto do liberalismo que até agora encontrei na literatura francesa foi o Marquês de Sade.

                      EDIT: adoro Sade e Céline, adoro «escritores malditos».


                      O Sade não era adepto de nada........ :P.................. Nem o francês dele se safa!

                      As 120 journées são muito mais comunistas do que capitalistas. ::)


                      Prefiro malditos como o Paul Verlaine.

                      Já leste o Justine?

                      EDIT: não me recordo de ler alguma coisa comunista nos 120 dias de Sodoma, mas li aquilo com 17 anos, já não me recordo bem.

                        Capitalismo
                        #51

                        Offline Back Room

                        • *****
                        • Membro Elite
                        • Género: Masculino
                        Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

                        Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

                        Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
                        Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
                        Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

                        São factos.


                        Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

                        O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

                        Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
                        À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

                        O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
                        É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.
                          "I started being proud of being gay, even though I wasn't." Kurt Cobain.

                          "Quelle est votre plus grand ambition dans la vie? Devenir immortel... et puis... mourir." À Bout de Souffle, Godard.

                          "One of the great tragedies of mankind is that morality has been hijacked by religion." Arthur C. Clark

                          Capitalismo
                          #52

                          Agamemnon

                          • Visitante
                          Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

                          Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

                          Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
                          Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
                          Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

                          São factos.


                          Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

                          O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

                          Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
                          À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

                          O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
                          É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

                          Back, relações de poder existem no capitalismo e em qualquer outro regime. Tens de dar tu uma alternativa! Essa tua visão das pessoas como entidades sem arbítrio e passivas nas escolhas é-me estranha.

                          "A maior parte das pessoas não têm capacidade para discernir." - Se não têm, também não têm para perceber a sua situação. Eu percebo a minha e tenho acesso a toda a cultura de que preciso! Não preciso da rádio ou do cinema local para me fornecerem cultura. Há outras formas. Volto a perguntar-te: afinal o que sugeres?

                          P.S. Eu não sou "americanista"!

                            Capitalismo
                            #53

                            Apollo

                            • Visitante
                            Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

                            Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

                            Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
                            Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
                            Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

                            São factos.


                            Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

                            O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

                            Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
                            À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

                            O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
                            É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

                            BackRoom, a questão é esta: se a TV já foi melhor (e foi), se o cinema de massa já foi melhor, se a música ligeira que fazia sucesso já foi melhor, o que levou a esta degradação?

                            EDIT: eu vejo uma solução, que é a formação de públicos, mas isso implica uma alteração radical da política de ensino.

                              Capitalismo
                              #54

                              Agamemnon

                              • Visitante
                              Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

                              Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

                              Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
                              Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
                              Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

                              São factos.


                              Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

                              O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

                              Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
                              À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

                              O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
                              É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

                              BackRoom, a questão é esta: se a TV já foi melhor (e foi), se o cinema de massa já foi melhor, se a música ligeira que fazia sucesso já foi melhor, o que levou a esta degradação?

                              EDIT: eu vejo uma solução, que é a formação de públicos, mas isso implica uma alteração radical da política de ensino.

                              Uma política de ensino pública subsidiada com dinheiro retirado coercivamente dos cidadãos........

                                Capitalismo
                                #55

                                Soueu20

                                • Visitante
                                O Capitalismo esta agora a mostrar as suas consequências que não terão retrocesso...

                                Isto piorara cada vez mais... A crise Mundial Económica e acima de tudo de Valores (guiada em certa parte pelo capitalismo) piorará dia a dia, e não há como voltar atras, sendo que apenas podemos esperar... Ate ao dia   D.....

                                Nada que grandes profetas da humanidade não tivessem advertido...


                                  Capitalismo
                                  #56

                                  Agamemnon

                                  • Visitante
                                  O Capitalismo esta agora a mostrar as suas consequências que não terão retrocesso...

                                  Isto piorara cada vez mais... A crise Mundial Económica e acima de tudo de Valores (guiada em certa parte pelo capitalismo) piorará dia a dia, e não há como voltar atras, sendo que apenas podemos esperar... Ate ao dia   D.....

                                  Nada que grandes profetas da humanidade não tivessem advertido...



                                  Esta não é um crise do capitalismo, mas da economia mista.

                                    Capitalismo
                                    #57

                                    Apollo

                                    • Visitante
                                    Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

                                    Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

                                    Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
                                    Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
                                    Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

                                    São factos.


                                    Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

                                    O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

                                    Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
                                    À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

                                    O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
                                    É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

                                    BackRoom, a questão é esta: se a TV já foi melhor (e foi), se o cinema de massa já foi melhor, se a música ligeira que fazia sucesso já foi melhor, o que levou a esta degradação?

                                    EDIT: eu vejo uma solução, que é a formação de públicos, mas isso implica uma alteração radical da política de ensino.

                                    Uma política de ensino pública subsidiada com dinheiro retirado coercivamente dos cidadãos........

                                    Uma política de ensino onde o Estado formule os programas e onde avalie regularmente os alunos via exames finais.

                                    EDIT: isto não é a crise do capitalismo, como foi dito. É a crise do socialismo e da social-democracia.

                                      Capitalismo
                                      #58

                                      Agamemnon

                                      • Visitante
                                      Uma política de ensino onde o Estado formule os programas e onde avalie regularmente os alunos via exames finais.

                                      EDIT: isto não é a crise do capitalismo, como foi dito. É a crise do socialismo e da social-democracia.

                                      Edit certíssimo. :up

                                      Quanto ao resto, abomino. Estado formular programas? Doentio! Os pais das crianças é que têm de decidir o quê e onde elas aprendem num sistema de escolas competitivo.

                                        Capitalismo
                                        #59

                                        Apollo

                                        • Visitante
                                        Uma política de ensino onde o Estado formule os programas e onde avalie regularmente os alunos via exames finais.

                                        EDIT: isto não é a crise do capitalismo, como foi dito. É a crise do socialismo e da social-democracia.

                                        Edit certíssimo. :up

                                        Quanto ao resto, abomino. Estado formular programas? Doentio! Os pais das crianças é que têm de decidir o quê e onde elas aprendem num sistema de escolas competitivo.

                                        Doentio? Os empregados do meu pai devem ser óptimos a escolher o que os filhos devem aprender... isso é utópico e perigoso! O Estado deve formular os programas, no entanto, depois cada escola decide se quer ensinar algo mais para além dos programas oficiais.

                                        EDIT: se conhecesses o país real não pensarias assim.
                                        « Última modificação: 22 de Maio de 2010 por Apollo »