rede ex aequo

Olá Visitante19.set.2019, 07:26:04

Autor Tópico: E depois do adeus...e depois de nós...  (Lida 57727 vezes)

 
E depois do adeus...e depois de nós...
#460

Offline Dami

  • ***
  • Membro Total
  • Género: Feminino
Depois do adeus? Mantermos-nos ocupadas/os o máximo possível, conhecer pessoas novas e, quem sabe, um novo amor.
« Última modificação: 26 de Julho de 2015 por Dami »

    E depois do adeus...e depois de nós...
    #461

    Offline Jiyoana

    • ****
    • Membro Sénior
    • Género: Feminino
    • Tu fui, Ego Eris
      • Facebook
    Normalmente, depois do adeus, vem a solidão e a auto-critica. E a vontade de construir uma muralha para me defender de novas despedidas...
      ♀♀ | Feminista | Gamer | Psicologia Criminal |

      E depois do adeus...e depois de nós...
      #462

      Offline Spektrum

      • *****
      • Membro Elite
      • Género: Feminino
      • [P]oiesis.
      Ultrapassar um Amor é como "arrancar a pele que me faz ser Eu", tudo se desmorona.  :-X
        “Always be a poet, even in prose.”
        ― Charles Baudelaire

        E depois do adeus...e depois de nós...
        #463

        Offline Euphoria

        • **
        • Membro Júnior
        • Género: Feminino
        • call it Magic... call it true...
        Para mim o Adeus marca um fim. Normalmente as pessoas quando tem interesse em voltar a ver-se dizem "até logo" ou "até amanhã".

        Se é para dizer Adeus, é para manter a palavra mesmo que custe. Quem nos diz Adeus mesmo sabendo do seu significado é porque não nos quer ali amanhã, nem depois de amanhã nem daqui a um mês.

        Segundas oportunidades? Sim, claro ! Mas as oportunidades são como um jarro partido, por mais que a gente cole , nunca mais será o mesmo.
          Os meus afectos não tem prazo de validade.

          E depois do adeus...e depois de nós...
          #464

          Offline Lumia

          • *
          • Novo Membro
          • Género: Feminino
          Segundas oportunidades? Sim, claro ! Mas as oportunidades são como um jarro partido, por mais que a gente cole , nunca mais será o mesmo.

          Depende das pessoas e das suas histórias.

            E depois do adeus...e depois de nós...
            #465

            Offline origo

            • *****
            • Membro Ultra
            • Género: Feminino
            • Only a life lived for others is a life worthwhile
            A vida é um livro com muitos capítulos, que ainda não acabou...
              http://www.meetup.com/pt-BR/Comunidade-Queer-LGBTQIA-Portugal/
              "A journey of a thousand miles begins with a single step." Provérbio chinês
              "Altruism is not a luxury, but a necessity" Matthieu Ricard
              http://www.imissio.net/artigos/49/1885/algumas-notas-sobre-a-gentileza/

              E depois do adeus...e depois de nós...
              #466

              Offline jxjx00

              • *
              • Novo Membro
              • Género: Masculino
              • Se for para desistir, desista de ser fraco.
              Como disseram a vida é um como um livro que esta a ser escrito livro que ainda vai no inicio, ou como uma folha em branco , e ao longo do seu percurso novos finais podem ser escritos e reescritos dependendo das tuas ações
                Não procures pessoas que ocupem o primeiro lugar na tua vida,esse lugar já é teu .

                Distância não impede sentimentos, assim como proximidade não garante nada .
                 
                Sorriso angelical, mente diabólica, e um coração de pedra, não te iludas comigo.

                E depois do adeus...e depois de nós...
                #467

                Sunny

                • Visitante

                "Dei-te os dias, as horas e os minutos
                Destes anos de vida que passaram;
                Nos meus versos ficaram
                Imagens que são máscaras anónimas
                Do teu rosto proibido;
                A fome insatisfeita que senti
                Era de ti,
                Fome do instinto que não foi ouvido.

                Agora retrocedo, leio os versos,
                Conto as desilusões no rol do coração,
                Recordo o pesadelo dos desejos,
                Olho o deserto humano desolado,
                E pergunto porquê, por que razão
                Nas dunas do teu peito o vento passa
                Sem tropeçar na graça
                Do mais leve sinal da minha mão..."

                Miguel Torga

                  E depois do adeus...e depois de nós...
                  #468

                  Offline Lilium¥

                  • *
                  • Novo Membro
                  • Género: Feminino
                  Parece não restar mais nada somente a breve lembrança do teu olhar e do teu sorriso.
                  Parece tão mais difícil do que eu algum dia pude imaginar. Achava que pudesses ficar, que pudesses voltar àquele nosso lugar e me dissesses para escapar.
                  Depois do adeus, depois de nós, os rios secaram e as árvores morreram e o caminho é árduo e sem brio. As noites são frias, tão cheias de nada. Trago nos ombros o peso de uma alma perdida que ficou sem o calor do teu eterno abraço.
                  Adeus... Até um dia.
                    “Ora che ho perso la vista ci vedo di più."

                    E depois do adeus...e depois de nós...
                    #469

                    Offline MónicaF

                    • *
                    • Novo Membro
                    • Género: Feminino
                    Parece não restar mais nada somente a breve lembrança do teu olhar e do teu sorriso.
                    Parece tão mais difícil do que eu algum dia pude imaginar. Achava que pudesses ficar, que pudesses voltar àquele nosso lugar e me dissesses para escapar.
                    Depois do adeus, depois de nós, os rios secaram e as árvores morreram e o caminho é árduo e sem brio. As noites são frias, tão cheias de nada. Trago nos ombros o peso de uma alma perdida que ficou sem o calor do teu eterno abraço.
                    Adeus... Até um dia.
                    forte!


                     :-\

                      E depois do adeus...e depois de nós...
                      #470

                      Offline MónicaF

                      • *
                      • Novo Membro
                      • Género: Feminino
                      E eu, cheia de cuidados, fui devagar até ti, todos os dias mais um bocadinho, sempre com cuidado…cuidado para não te magoar, esquecendo-me de todo o cuidado que deveria de ter para não me magoar.
                      E eis-me aqui, na dúvida, de novo na dúvida…no limiar do acreditar e do fantasiar, sem saber ao certo onde estou e para onde vou, sem saber se é contigo que hei-de ir.
                      Cedo demais para respostas, sim talvez…mas talvez porque sinta que não posso esperar muito mais porque a frustração começa a apoderar-se de mim, a fraqueza entranha-se e arrasta-me para longe de tudo, fechando-me naquele quarto escuro que conheço tão bem.
                      Devaneios da minha cabeça, da minha mente ainda perdida em busca de um porto seguro onde possa descansar e dormir em paz, pelo menos uma noite, uma noite que me faça sentir segura novamente…segura por uma noite, por um instante de tranquilidade e de paz.
                      Pensamos que as feridas estão saradas, que não passam de cicatrizes que deixam a sua marca, quando na realidade as feridas continuam abertas a sentir o vento frio a soprar sobre elas e a rasgar a pele até chegar ao osso, até voltarmos a sentir o sangue e só aí percebemos que até então apenas estávamos com a pele, com a carne, adormecida como que anestesiada por um sentimento qualquer que nos fez acreditar que tudo ia correr bem.
                      Tendemos a agarrarmo-nos com unhas e dentes a sentimentos de esperança, a sentimentos que nos fazem crer que ainda é possível viver além de…
                      Nada muda, pouco muda na realidade, há erros que não se apagam, há aprendizagens que trazem uma carga tão pesada que sentimos o peito pesado e vamo-nos arrastando por essa estrada com este peso, com este peso preso no olhar, este olhar carregado de dores e de males que não conseguimos disfarçar do olhar mais atento.
                      E apesar de tudo isto…toquei-te com todo o cuidado que tenho para não te magoar, baixando as defesas, esquecendo os medos e julgando-me forte o suficiente para enfrentar as derrotas, esquecendo-me que, também eu, me poderia magoar…poderia voltar a sentir o vento a soprar, acordando-me a pele.

                        E depois do adeus...e depois de nós...
                        #471

                        Offline MónicaF

                        • *
                        • Novo Membro
                        • Género: Feminino
                        Responder

                        :X Será possível realmente esquecer-mos alguém para sempre ?
                        Já dizia Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume':
                        'Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?
                        As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar.
                        É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução.
                        Não adianta fugir com o r*** à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha.
                        Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado.
                        O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar. '

                          E depois do adeus...e depois de nós...
                          #472

                          Offline Fernando Pinheiro

                          • ***
                          • Membro Total
                          • Género: Masculino
                          • Sou bissexual e não-binário/Amo-te, Anocas.
                            • Draco Magnus - LGBTI - Página inicial
                          Eu não consigo esquecer o meu primeiro amor e irei sempre amar. O seu nome está marcado a sangue no meu Coração. Desde da catequese quando tinha 7 , 8 ou 9 anos, que amo. Ainda hoje em 2019, eu ainda amo. Sempre me chamou de "Sérgio", apesar de eu me chamar Fernando. Sérgio era o meu "nome de namorado". Chamava-me de Sérgio quando queria dizer que me amava. Tenho saudades que me chames de Sérgio.  :'( [smiley=choro.gif]
                            I'm bisexual and proud! xD Tu podes controlar o teu próprio destino e tomar as tuas próprias escolhas, podes fazer tudo, a única coisa que não podes controlar é a morte. https://www.facebook.com/FernandoEmanuelPinheiro/

                            https://www.facebook.com/DracoMagnus27/

                            E depois do adeus...e depois de nós...
                            #473

                            Offline asfugasdotempo

                            • *
                            • Novo Membro
                            • Género: Feminino
                            Olá.
                            Para grandes males de amor... pequenos textos. Vê o meu blog. https://instagram.com/_para_noia10__?igshid=5twnxl1z7o59
                            Talvez te revejas (e todos vocês).

                            Enviado do meu ASUS_X00DD através do Tapatalk


                              E depois do adeus...e depois de nós...
                              #474

                              Offline Fernando Pinheiro

                              • ***
                              • Membro Total
                              • Género: Masculino
                              • Sou bissexual e não-binário/Amo-te, Anocas.
                                • Draco Magnus - LGBTI - Página inicial
                              Olá.
                              Para grandes males de amor... pequenos textos. Vê o meu blog. https://instagram.com/_para_noia10__?igshid=5twnxl1z7o59
                              Talvez te revejas (e todos vocês).

                              Enviado do meu ASUS_X00DD através do Tapatalk


                              Gostei muito de ler o teu blogue no Instagram! ^^
                                I'm bisexual and proud! xD Tu podes controlar o teu próprio destino e tomar as tuas próprias escolhas, podes fazer tudo, a única coisa que não podes controlar é a morte. https://www.facebook.com/FernandoEmanuelPinheiro/

                                https://www.facebook.com/DracoMagnus27/

                                E depois do adeus...e depois de nós...
                                #475

                                Offline Lilium¥

                                • *
                                • Novo Membro
                                • Género: Feminino
                                Responder

                                :X Será possível realmente esquecer-mos alguém para sempre ?
                                Já dizia Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume':
                                'Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?
                                As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar.
                                É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução.
                                Não adianta fugir com o r*** à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha.
                                Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado.
                                O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar. '


                                Just this...
                                  “Ora che ho perso la vista ci vedo di più."

                                   

                                  Tópicos relacionados

                                    Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                                  44 Respostas
                                  17359 Visualizações
                                  Última mensagem 7 de Agosto de 2014
                                  por Cardo
                                  103 Respostas
                                  17481 Visualizações
                                  Última mensagem 1 de Fevereiro de 2014
                                  por kustom
                                  20 Respostas
                                  5524 Visualizações
                                  Última mensagem 8 de Dezembro de 2010
                                  por MRPEC
                                  4 Respostas
                                  1907 Visualizações
                                  Última mensagem 30 de Janeiro de 2011
                                  por Draco
                                  6 Respostas
                                  1154 Visualizações
                                  Última mensagem 26 de Janeiro de 2015
                                  por searching_the_love