rede ex aequo

Olá Visitante18.jul.2019, 03:35:06

Autor Tópico: Divulgação I Can’t Think Straight e The World Unseen  (Lida 2505 vezes)

 
Divulgação I Can’t Think Straight e The World Unseen
#0

Offline closertofine

  • *
  • Novo Membro
  • Género: Feminino
Já li neste fórum o quanto certas pessoas gostaram dos filmes de World Unseen e I Can't think straight. Para quem não sabe são produções independentes e não suportadas pelos grandes estúdios de Hollywood.
Cabe-nos a especialmente a nós, comunidade LGBT, apoiar os autores de produções de qualidade como são estas. E apoiar passar por não ver os filmes através de downloads ilegais mas sim comprar cópias legítimas! Só assim podemos ajudar a financiar quem fez os filmes, só assim podemos esperar que continuem a ser feitos filmes independentes de qualidade. Sim… porque se estivermos à espera que Hollywood nos dê grandes filmes sobre os temas LGBT acho que temos que esperar sentados…  
Eu não sou santinha nenhuma! Também vi os filmes pelos canais habituais e menos legítimos…  mas assim que foram lançados os dvds fiz questão de os comprar!

E só se o fizermos podemos esperar que haja mais filmes assim!

Deixo, a pedido de uma amiga, a carta que a escritora dos livros e realizadora dos filmes, Shamim Sarif, elaborou sobre este tema e cuja divulgação pediu.

Quanto é que custa aquele vídeo na montra?
Deixo aqui uma questão. Esta manhã quando parou para beber o café matinal saiu da loja a correr sem o pagar?
Talvez até seja dono de uma loja ou de um negócio e viu hoje centenas de pessoas a entrar, servirem-se e levarem tudo sem pagar?
É que na nossa cultura de internet esse tipo de roubo – através de downloads e streaming ilegais – não só é comum como também é ignorado e mesmo desculpado.
É como se fosse aceite como sendo assim mesmo a natureza das coisas. Ou seja, toda a gente o faz, certo? Se tem menos de 25 anos provavelmente já fez, pelo menos, um download de uma música, ou filme ou programa de TV de graça ou através de um site de partilha de ficheiros. E no caso de ter mais de 25 anos provavelmente é mãe ou pai de alguém que já o fez, ou que o fará no futuro! Então, e qual é o problema?
Bem… eu sou uma escritora, argumentista e realizadora de cinema. Seguir estas carreiras tem sido a paixão da minha vida e não há um dia que passe sem que eu me sinta grata por poder fazer aquilo de que gosto! Mas tem sido uma longa caminhada… 10 anos num típico trabalho de escritório, a escrever aos fins de semana e noite dentro. A roubar tempo entre deitar os filhos e ir eu própria dormir! Juntamente com a minha companheira, Hanan Kattan, trabalhei muito ao longo de vários anos sem um ordenado estável e a enfrentar a rejeição e indiferença, o medo e o descrédito – sempre a resistir à tentação de ter “um trabalho como deve de ser”. Mas sempre acreditámos que conseguiríamos encontrar uma maneira de nos sustentar no campo artístico, por mais brutais que sejam as estatísticas. Inclusive conseguimos produzir dois filmes independentes graças a actores e equipas que, em muitos casos, nos deram o seu tempo e talento por pouco mais do que a sua paixão pelo projecto e a sua dedicação à arte.

E é assim que agora temos dois filmes a serem lançados em diversas partes do mundo. Entre eles, I Can’t Think Straight, uma comédia romântica, e The World Unseen, uma história de época sobre amor e drama , já conquistaram mais de 20 prémios em todo o mundo.
Em sites como o YouTube ou Metacafe, os seus trailers já tiveram mais de dois milhões de visualizações. Por todo o mundo os filmes têm sido muito falados e tem havido uma procura crescente dos mesmos.
Como produtores verdadeiramente independentes, sem a estrutura de apoio de um grande estúdio ou distribuidor, é este o tipo de resposta que esperávamos e que tem sido ajudado pelas fantásticas respostas recebidas em diversos festivais (o The World Unseen estreou em Toronto), bem como, pelos pequenos mas muito relevantes lançamentos na América do Norte e Europa.
E quanto nenhum distribuidor do Reino Unido nos quis apoiar, criámos a nossa própria empresa de distribuição, Enlightenment Films, e fizemos nós próprias a distribuição!
Mas nós não temos a cobertura dos média, os grandes cartazes e anúncios brilhantes! O marketing online tem feito maravilhas por nós e, para ser sincera, estamos pasmadas com o apoio de completos estranhos que têm promovido os nossos filmes nos seus blogs e sites e mesmo denunciando quem oferece downloads ilegais dos nossos filmes.
Mas estamos ainda mais pasmadas pela quantidade de pessoas que desprezam todos os nossos anos de sacrifício, de enorme trabalho e paixão pelo trabalho, utilizando-o sem pagar por ele.
Escrevem uns aos outros no YouTube a agradecer por disponibilizarem os filmes, e depois comentam o quanto gostaram deles. Nalguns casos chegam mesmo a comentar que os filmes mudaram as suas vidas! Muitos até enviam emails a perguntar quando faremos o próximo filme. Infelizmente, a este ritmo, nunca! Isto porque, é muito difícil voltar aos investidores que acreditaram em nós ao longo de todo este tempo e que gastaram o seu dinheiro e o arriscaram por nós e pedir-lhe mais! Especialmente quando os retornos que esperávamos das vendas dos DVDs estão a ser dizimados por downloads ilegais e cópias pirateadas!

Por isso, por favor, pensem duas vezes antes de fazer o download de uma música ou de um filme sem pagar. Houve alguém, algures, que trabalhou longa e arduamente, que arriscou a sua segurança financeira e que se esgotou emocionalmente para vos dar uma experiência que vos emocione dessa mesma maneira.  Essa experiência fica convosco e pode mesmo alterar a vossa forma de percepcionar a vida. Algo que podem desfrutar uma e outra vez, sempre que quiserem, com a frequência com que desejarem. E tudo por 99 cêntimos a canção ou 15 Euros o dvd! E isso é pouco mais do que uns quantos cappuccinos ou um bilhete de cinema!
Muitos de vocês reconhecem-no, e eu agradeço a todas as pessoas que conheço e mesmo aqueles que apesar de nunca ter conhecido sei que nos apoiam em muitas e importantes maneiras. Não sou ingénua ao ponto de pensar que as coisas pararão facilmente. Mas será que não deveríamos, pelo menos, marcar esse tipo de comportamento com o estigma de roubo que ele merece?

Shamim Sarif
www.enlightenment-productions.com
« Última modificação: 8 de Agosto de 2009 por closertofine »
    I'm trying to tell you something about my life
    maybe give me insight between black and white
    and the best thing you've ever done for me
    is to help me take my life less seriously
    it's only life after all
    by Indigo Gilrs  http://closertofine-indigo.blogspot.com/

     

    Tópicos relacionados

      Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
    8 Respostas
    1390 Visualizações
    Última mensagem 2 de Abril de 2018
    por origo
    0 Respostas
    922 Visualizações
    Última mensagem 7 de Dezembro de 2018
    por XEvilBestlon
    0 Respostas
    925 Visualizações
    Última mensagem 11 de Dezembro de 2018
    por XEvilBestlon
    0 Respostas
    911 Visualizações
    Última mensagem 30 de Dezembro de 2018
    por XEvilBestlon
    2 Respostas
    538 Visualizações
    Última mensagem 15 de Junho
    por Fernando Pinheiro