rede ex aequo

Olá Visitante19.jul.2019, 21:40:36

Sondagem

Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?

Bar / Discoteca
Café / Lounge
Restaurante
Livraria / Video-clube
Hotel
Ginásio / Sauna

Autor Tópico: Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?  (Lida 21549 vezes)

 
Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
#100

Offline Eresos

  • **
  • Membro Júnior
  • Género: Feminino
principalmente nos balnearios :p

    Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
    #101

    Offline Kraken

    • ****
    • Associad@
    • Membro Sénior
    • Género: Masculino
    lol menin@s vamos voltar ao tema :P

    Falamos em Ginásios LGBT, Restaurantes LGBT.

    Tendo em conta que o Porto já tem Cafés e Discotecas LGBT, que outro espaço acham que seria novidade cá pelo Porto?
      All the great art is made of suffering.

      Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
      #102

      Offline CineLorde

      • *****
      • Membro Ultra
      • Género: Masculino
      • Ren Visual
      Um Centro LGBT.

        Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
        #103

        Offline Crab33

        • **
        • Membro Júnior
        • Género: Masculino
        • «Ser descontente é ser homem»
        Um sitio para se fazer Blind dates  :P

          Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
          #104

          Offline chloe_

          • **
          • Membro Júnior
          • Género: Feminino
          Um bar e uma disco! É sempre bom ter variedade :)

            Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
            #105

            Offline lxmartini

            • *****
            • Membro Ultra
            • Género: Masculino
            Sinceramente acho que não faz falta mais nenhum local LGBT..  lol Já há um pouco de tudo.

              Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
              #106

              Offline Adónis

              • ****
              • Membro Sénior
              Sinceramente acho que não faz falta mais nenhum local LGBT..  lol Já há um pouco de tudo.

              DIscordo.

              Para a sua dimensão o Porto tem pouca oferta.

              Creio que faz falta:

              - um café gay que esteja aberto durante o dia e que organize matinés ou eventos durante a tarde;

              - um espaço para a comunidade bear e muscle bear;

              - festas temáticas gay-friendly no circuito straight.

                Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
                #107

                Offline marguida

                • *
                • Novo Membro
                • Género: Feminino
                Olá!
                Espero estar enganada, mas sinto que falta alguma coisa no porto ou então eu desconheço a sua existência…. e preciso que me esclareçam  ;) 

                Imaginemos alguém que não encontra nos bares e discotecas um local ideal para conhecer pessoas. E que prefere construir amizades com calma e tempo ao vivo (e não apenas no mundo virtual). Imaginemos que já passou dos 30 anos.
                Imaginemos que levou a vida, sem desesperos, ae as amizades foram nascendo à medida que ia conhecendo pessoas que encontrava e com quem tinha algo em comum (e não procurou ativamente  grupos LGBT). Imaginem que foi seguindo o (in)feliz lema “o que tiver que acontecer acontece” e esperou. Pois, imaginem que a sorte não pairava por aquelas bandas.
                Como é fácil de imaginar (até porque os grandes milagres são raros) construiu uma vida recheada de bons momentos, mas sem grande contacto com a comunidade LGBT . Hmmm, desenlace previsível, porque afinal nada se consegue sem esforço! Ok, nesta altura devem estar a querer insultar esse alguém, mas controlem-se, porque somos todos diferentes, com timings diferentes e caminhos mais ou menos sinuosos.

                Claro que há que sair da zona de conforto, mas onde se encontra essa “zona fora da zona de conforto”? Apenas nos bares e discotecas? Em grupos de ativismo LGBT? Onde estão as pessoas? Foram engolidas pela azafama do mundo do trabalho? Já construíram o seu grupo de amigos e não querem ou não necessitam de pontos de contacto para conhecer mais pessoas?

                Imagino que haverá muita gente para quem seria uma alegria se houvesse atividades que proporcionassem o seu encontro e que combatessem algum eventual isolamento. Alguma “rede de ligação” com as qualidades da rede ex-aequo, mas que incluísse idades e atividades mais abrangentes. Grupos de caminhada? Montanhismo? Cinema? Ioga? Leitura? Teatro? Futebol? Surf? Crochê?  Agora estou a disparatar, mas acho que dá para entender a ideia ;) Alguém tem respostas?

                Boa sorte e aproveitem bem cada oportunidade e cada segundo:) Beijinhos
                  "Para mim, tu ainda não passas de um rapazinho semelhante a cem mil outros rapazinhos... Para ti, eu não passo de uma raposa semelhante a cem mil raposas. Mas, se me cativares, precisaremos um do outro. Para mim, tu passaras a ser único no mundo. E eu passarei a ser única no mundo para ti..."

                  Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
                  #108

                  Offline Adónis

                  • ****
                  • Membro Sénior
                  Margarida,

                  talvez um edifício que funcionasse como funcionam as associações locais? Mas para isso:

                  1) Seria necessário que uma associação tivesse dinheiro para arrendar um espaço;

                  2) Um rico oferecia o edifício;

                  3) A autarquia cedia o espaço (algo que só sucederia, provavelmente, com o PS ou o BE no poder).

                  Nenhuma das 3 hipóteses é muito provável.

                    Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
                    #109

                    Offline cosjo

                    • ***
                    • Membro Total
                    • Género: Masculino
                    • One day more. Another day, another destiny...
                    Olá!
                    Espero estar enganada, mas sinto que falta alguma coisa no porto ou então eu desconheço a sua existência…. e preciso que me esclareçam  ;) 

                    Imaginemos alguém que não encontra nos bares e discotecas um local ideal para conhecer pessoas. E que prefere construir amizades com calma e tempo ao vivo (e não apenas no mundo virtual). Imaginemos que já passou dos 30 anos.
                    Imaginemos que levou a vida, sem desesperos, ae as amizades foram nascendo à medida que ia conhecendo pessoas que encontrava e com quem tinha algo em comum (e não procurou ativamente  grupos LGBT). Imaginem que foi seguindo o (in)feliz lema “o que tiver que acontecer acontece” e esperou. Pois, imaginem que a sorte não pairava por aquelas bandas.
                    Como é fácil de imaginar (até porque os grandes milagres são raros) construiu uma vida recheada de bons momentos, mas sem grande contacto com a comunidade LGBT . Hmmm, desenlace previsível, porque afinal nada se consegue sem esforço! Ok, nesta altura devem estar a querer insultar esse alguém, mas controlem-se, porque somos todos diferentes, com timings diferentes e caminhos mais ou menos sinuosos.

                    Claro que há que sair da zona de conforto, mas onde se encontra essa “zona fora da zona de conforto”? Apenas nos bares e discotecas? Em grupos de ativismo LGBT? Onde estão as pessoas? Foram engolidas pela azafama do mundo do trabalho? Já construíram o seu grupo de amigos e não querem ou não necessitam de pontos de contacto para conhecer mais pessoas?

                    Imagino que haverá muita gente para quem seria uma alegria se houvesse atividades que proporcionassem o seu encontro e que combatessem algum eventual isolamento. Alguma “rede de ligação” com as qualidades da rede ex-aequo, mas que incluísse idades e atividades mais abrangentes. Grupos de caminhada? Montanhismo? Cinema? Ioga? Leitura? Teatro? Futebol? Surf? Crochê?  Agora estou a disparatar, mas acho que dá para entender a ideia ;) Alguém tem respostas?

                    Boa sorte e aproveitem bem cada oportunidade e cada segundo:) Beijinhos

                    Ainda vou nos meus 20 anos mas, a avaliar pelo modo como as coisas me vão correndo, não me admiro se chegar aos 30 anos e me revir neste comentário.

                    Também não vejo nos bares e discotecas a forma ideal de conhecer alguém. Aliás, nem gosto muito de bares e discotecas. Fui pela 1ª vez a uma, gay friendly por sinal, há coisa de uma semana e ficava nervoso com o pensamento de que alguém lá presente poderia vir falar comigo. Nunca saí da beira dos meus amigos por causa disso.
                    Já tive conta nalguns sites de encontro mas nunca fiquei lá por mais do que um mês. Não me sentia confortável com a ideia de meter conversa com alguém que não conhecia de lado algum e que facilmente me poderia mentir. Mais, fico sempre com a sensação de que um conhecimento assim é forçado.
                    Aqueles conhecimentos feitos, por exemplo, na faculdade ou em locais que frequento na minha vida diária, que surgem como resultado de partilhar com as pessoas um ambiente em comum por coincidência, e não estrategicamente planeado de forma a conhecê-las, sempre me pareceu a melhor maneira de conhecer pessoas.

                    Um grupo de leitura, cinema e montanhismo, ..., parece-me uma boa ideia. Mas, como escreveu o Adónis, não é exequível enquanto espaço físico. Para existir tem de ser nos moldes de 'pessoa conhece outra com gostos semelhantes e combinam saídas'. No fundo trata-se de fazer conhecimentos.

                      Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
                      #110

                      Offline Adónis

                      • ****
                      • Membro Sénior
                      Um sitio para se fazer Blind dates  :P

                      Se houvesse um bar LGBT aberto de tarde poderia haver uma tarde para isso... do género, as pessoas iam lá, sentavam-se e esperavam que alguém se sentasse na mesma mesa... nos EUA fazem isto e já tem sido retratado em filmes.


                      A Time Out do Porto em inglês, para os turistas, traz um guia de bares friendly.

                      Alguém comprou? Poderiam colocar aqui a lista online?

                        Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
                        #111

                        woman_2

                        • Visitante

                        Olá! Não sei responder a esta questão porque praticamente não conheço espaços LGBT no Porto! Mas vou amanhã para aí e quero explorar os existentes. Alguma recomendação? Obg

                          Que tipo de espaço LGBT faz falta no Porto?
                          #112

                          Offline marguida

                          • *
                          • Novo Membro
                          • Género: Feminino

                          Obrigada pela resposta, Adónis
                          São boas sugestões  Mas não me referia propriamente a um espaço físico mto elaborado.  Ter um edifício onde todos se pudessem encontrar seria útil, mas o essencial era encontrar alguma estrutura (física ou virtual) que funcionasse como ponto de partida ou rede de ligação para que pessoas LGBT com os mesmos hobbies ou interesses pudessem encontra-se com o objetivo de se conhecerem, saberem da existência umas das outras, quebrar o isolamento, construir amizades.
                          As atividades selecionadas… sei lá, por exemplo: montanhismo, leitura, teatro, festas populares, concertos,… poderiam ser naturalmente incluídas na sociedade… em infraestruturas públicas… parque da cidade, praias, bibliotecas, teatros, cafés, montanhas e trilhos espalhados pelo país. Poderia até ser um fórum organizado para o efeito que conquistasse credibilidade e confiança. É só uma ideia… claro que mais do que dinheiro, qualquer projeto implica mto empenho, disponibilidade de tempo, organização… e  tudo isto tb não é fácil de encontrar.

                          Cosjo, concordo com o que escreveste:  “Para existir tem de ser nos moldes de 'pessoa conhece outra com gostos semelhantes e combinam saídas'. No fundo trata-se de fazer conhecimentos.” A questão é: como é que isto se faz fora de bares, discotecas ou sites de encontros?
                          Eu entendo o que sentes. Mas esperar por coincidências tb tem os seus riscos. É uma ideia bonita encontrar alguém de forma espontânea. Tb é o meu ideal … mas na realidade (nem que seja por uma questão de estatística) não é provável.
                          É verdade que não devemos obrigarmo-nos a ir a lugares/sites onde não nos sentimos à vontade;  onde provavelmente encontramos pessoas com quem n teremos interesses ou objetivos em comum. Mas, não sei se há alternativas? Ficar à espera de milagres tb não me parece uma boa opção.
                          Há que viver sempre com esperança… e ir lutando para que tudo corra pelo melhor!
                          Muito boa sorte e felicidades para ti, Cosjo!
                          « Última modificação: 18 de Setembro de 2013 por marguida »
                            "Para mim, tu ainda não passas de um rapazinho semelhante a cem mil outros rapazinhos... Para ti, eu não passo de uma raposa semelhante a cem mil raposas. Mas, se me cativares, precisaremos um do outro. Para mim, tu passaras a ser único no mundo. E eu passarei a ser única no mundo para ti..."