rede ex aequo

Olá Visitante27.mai.2020, 13:47:29

Autor Tópico: Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?  (Lida 19839 vezes)

 
Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?
#100

Offline Pulse

  • *****
  • Membro Vintage
  • Género: Masculino
  • After all, losing all hope was freedom.
Só penso contar quando tiver realmente uma relação com alguém, de resto não há nada a assumir. Se fosse heterossexual também não tinha de lhes dizer que era, tinha apenas de dizer "Esta é a minha namorada", sendo gay o que vou fazer é exactamente o mesmo mas dizer antes "Este é o meu namorado".


Eu não concordo muito com isso. Geralmente os pais, têm certo tipo de expectativas em relação aos filhos. Por exemplo, o meu perguntava por namoradas. É óbvio que não me sentia bem com isso. O meu pai ia continuar na ilusão, que tinha um filho hetero. E quer queiramos quer não, o apoio dos pais é bastante importante quando nos estamos a assumir. E não ia estar à espera de arranjar alguém até lhe contar até porque os pais aceitam muito melhor se não levarem logo com tudo.

Penso que reagem melhor a: " Eu sou gay" do que a : "Eu sou gay e tenho namorado e vou apresenta-lo no próximo almoço de domingo".

Tudo isso depende do tipo de relação que tens com a tua família.

Talvez não passasse necessariamente por dizer "sou gay e tenho namorado", mas o facto de ter uma relação estável e com perspectivas de futuro seria A razão para  contar aos pais acerca da orientação sexual... Depois de um tempo de "habituação" talvez se passasse ao passo seguinte.

Hum.. Hum.. Até porque acho que é importante que tenhamos alguém do nosso lado quando chega a altura de contar aos pais.
    And my head told my heart, let love grow. But my heart told my head, this time no, this time no.

    Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?
    #101

    Offline _Margot_

    • *****
    • Membro Elite
    • Género: Feminino
    • The show must go on!
    eu de certa forma concordo com o fmchrono. se eu não tiver um relacionamento sério com uma pessoa do mesmo sexo, qual a necessidade que tenho de contar aos meus pais que me sinto atraída por pessoas do mesmo sexo que eu? cá para mim podem pensar que não tenho namorado ou que não tenho namorada que tanto me faz.
      "Be anything but a coward, a pretender, an emotional crook, a whore: I'd rather have cancer than a dishonest heart." Truman Capote - Breakfast at Tiffany's

      Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?
      #102

      Offline Livingtheday

      • ****
      • Membro Sénior
      • Género: Feminino
      • Não tenhes medo do que sempre fostes...
      pode ser muita.... mas não o quero fazê-lo...

        Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?
        #103

        Offline 2estrelinha3

        • *****
        • Membro Elite
        • Género: Feminino
        • ***
          • A lés de mim
        pode ser muita.... mas não o quero fazê-lo...

        Eu julgo que esta importância depende do tipo de relação que cada um tem com os seus pais...

        Algumas pessoas nem sabem se os pais sabem ou não, pois nunca contaram mas também nunca esconderam!

        Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?
        #104

        [ MissSouto ]

        • Visitante
        A "minha importância" foi tirar o peso de cima de mim, apesar da reacção deles sentimos sempre um alivio

          Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?
          #105

          Offline este serve

          • ***
          • Membro Total
          • Género: Feminino
          É mais simples, a verdade, com tudo o que implica.
            Half of my heart's got a real good imagination.

            Qual a importância de contar aos nossos pais a nossa orientação sexual?
            #106

            Offline Lio

            • *****
            • Orador(a)
            • Membro Ultra
            • Género: Masculino
            • "Se queres ser feliz amanha, tenta hoje mesmo"
              • https://www.facebook.com/roma.rui
            Eu contei ao meu pai e à minha madrasta, em conjunto com o meu namorado aos 25 anos. Não contei à minha mãe pois ela tinha falecido uns meses antes devido à doença oncológica que lhe apareceu 2 anos antes.
            Também queria ter contado a ela mas o facto de ter adoecido fez me mudar de ideias, pois não quis que ela tivesse nenhum possivel sofrimento adicional nos últimos tempos de vida.
            O facto de ela ter falecido acelerou  o meu coming out pois vi que a vida é curta e rápida e não quis adiar mais o meu bem estar e felicidade, quis ser eu próprio de uma vez por todas sem mentiras, ou seja, ter uma relação muito mais próxima e verdadeira com a minha família e ter o seu apoio para poder ser uma pessoa mais feliz e forte para enfrentar o dia a dia, que já não é fácil para os LGBT.

            A importância para mim, é sentir um alivio por ser verdadeiro, quebrar barreiras, evitar mentiras que desgastam, aproximação sincera à minha família e saber que estavam com, e amavam, o meu verdadeiro EU.
            Sentir liberdade de falar sobre o assunto que tem a ver comigo, de levar o meu namorado a casa, estarmos todos juntos como família, ou seja, falar e fazer tudo aquilo que se fosse heterossexual poderia fazer em minha casa. Sentir-me são mentalmente! Ter uma vida comum e perfeitamente normal, mas sendo homossexual. Poder falar sobre a homossexualidade sem tabus e receios com eles, e até possivelmente algum dia, algum assunto relacionado com o meu namorado caso fosse preciso. Falar sobre os receios que tive e tenho por vezes por ser homossexual, etc pra me poderem apoiar caso fosse preciso.
            Por tudo isto, penso que é positivo o coming out, no caso de se achar que os pais vão compreender ou pelo menos irão fazer um esforço.  Caso contrário, é melhor esperar até ter a certeza que não nos iremos prejudicar muito caso a reacção seja má pois pode ser muito pior do que antes. De qualquer forma, penso que o ideal para a nossa vida é poder sermos quem somos e tentar lutar por isso o mais rápido possível, mas contando sempre com o pior que pode acontecer e estar primeiramente preparado pra isso.

            O meu caso foi o segundo, infelizmente, por isso só consegui aos 25 anos, estando preparado pro caso de as coisas não correrem como desejaria. O meu coming out correu bem e fiquei muito feliz com o apoio dado no momento. Infelizmente, com o decorrer do tempo as coisas foram piorando, penso que devido à má influência da minha tia ao meu Pai quando este lhe contou, e ele começou a regredir na aceitação inicial, ficando cada vez pior. De qualquer forma, não me arrependo e sinto me muito mais equilibrado e feliz que antes. Se dependesse dele seria pior, mas não é o caso.
            « Última modificação: 7 de Outubro de 2014 por Lio »

               

              Tópicos relacionados

                Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
              84 Respostas
              17187 Visualizações
              Última mensagem 18 de Novembro de 2014
              por a human being
              122 Respostas
              27115 Visualizações
              Última mensagem 11 de Agosto de 2009
              por Elijah Keat
              47 Respostas
              15373 Visualizações
              Última mensagem 19 de Maio de 2011
              por Di HF
              9 Respostas
              6372 Visualizações
              Última mensagem 15 de Novembro de 2011
              por 13
              6 Respostas
              1312 Visualizações
              Última mensagem 26 de Janeiro de 2015
              por searching_the_love