rede ex aequo

Olá Visitante05.dez.2020, 18:31:52

Autor Tópico: Lesbian Bedroom Death  (Lida 6024 vezes)

 
Lesbian Bedroom Death
#0

Offline Labrys

  • *****
  • Associad@ Honorári@
  • Membro Total
  • Género: Feminino
    • Labrys? O que é isso?
Olá a todas/os! Estava a ler o meu "Lesbian Sex Book" da Alyson Publications e deparei-me com este termo curioso... Lesbian Bedroom Death. Esta foi a 1ª definiçao que o Google me deu e peço desculpa por a mesma estar em Ingles:
 
"The phenominon which all too often occures in long-term lesbian relationships. As in "what do we do tonight, Marge?" "I don't know, Sarah." Snore. Younger sex-positive dykes fear it like the plague."

Por outras palavras, esta expressao refere-se à monotonia que se instala em algumas relaçoes monogamicas após um determinado periodo mais ou menos longo de convivencia em que o outrora "objecto" de desejo sexual se transforma numa Amiga com quem partilhamos tudo inclusive a nossa cama...

Gostava de saber se alguma de voces já vivenciou essa situaçao e que fossem criativas ao sugerir como combate-la. Além disso tb gostaria que se debruçassem sobre as diferenças de apetite sexual entre os membros do casal. 

Obrigada!
Labrys
    We need to find courage, overcome
    Inaction is a weapon of mass destruction

    Lesbian Bedroom Death
    #1

    Offline x-pressiongirl

    • ****
    • Membro Sénior
    • Género: Feminino
    • Olá, nós somos os ursinhos maus!
      • sembikini
    Hey Labrys,
    é um tópico bastante interessante. Ah, acho que deveria continuar no Geral, não se trata propriamente de pedir apoio. Não há ninguém a morrer, só mesmo a bed.  ::)
    Já conhecia o termo "Bed death" (que até acho fazer mais sentido), pois é a comunicação na cama (sexual) que se extingue. Não sei se existe algum termo equivalente em português, mas penso que poderiamos adoptar esse mesmo termo, ainda que os linguístas mais puristas nos quisessem logo impingir qualquer coisa como "morte de cama" ou "falta de comunicação sexual".
    É um desafio interessante o que nos propões, e tentarei estar à altura de responder.  ;)
    Antes de mais, creio que a monotonia é algo que também pode ocorrer em relações abertas ou até mesmo poligâmicas.
    Na realidade nunca vivi isso (até porque a relação mais longa foi de ano e meio - estou empenhada em prolongar bem mais que isso a minha relação actual  ;) ), penso que sempre tive muito apetite sexual pela pessoa com quem estou nessa altura e vice-versa. Penso que há sempre aquele maior entusiasmo inicial na fase da descoberta do corpo da outra, das coisas que ela sabe, das coisas que ela gosta... e creio que o desafio constante é realmente inovar. Não permitir que a relação possa cair na rotina, o que nem sempre é fácil.
    Aliás, penso que hoje em dia isso não sucede tanto, pois tanto nos casais homo como nos heterossexuais a duração das relações é menor quando comparadas com relações das gerações anteriores.
    Isto é, quanto mais recente for a formação do casal, mais fácil será a separação. Um casal que tenha sido formado há um mês não terá as mesmas dificuldades em dissolver a relação que um casal que viva há mais de 5 anos, por exemplo, que provavelmente tenha uma habitação comum, partilhe os mesmos amigos, e tenha a familia a apoiá-lo.
    São alguns factores que a mer ver condicionam, de certa forma, o comportamento dos dois elementos do casal (supondo que só há dois  lol ).
    A meu ver a comunicação sexual é deveras importante numa relação, e o facto de se detectar no inicio alguma divergência nesse âmbito é crucial. Por acaso nunca me aconteceu, mas conheço casos em que uma das pessoas ou ambos puseram termo à relação por considerarem que o aspecto sexual não favorecia a relação. A meu ver, isto não é condenável, pois uma relação em que o sexo falhe tornar-se-á a médio prazo numa relação de amizade, nessa relação de amizade forçada que referes, ainda que as pessoas partilhem a mesma cama e sejam vistas pelos amigos como um casal.
    Isto acontece porque actualmente é-nos permitido - e até fomentado - dar importância ao sexo - coisa que há um século seria impensável, a não ser para algumas elites. O problema surge porque de tanto se preocuparem somente com o prazer corporal, esquecem-se que as relações, as boas relações não acontecem de um minuto para o outro, mas que elas se projectam e se constroem. Assim surgem grandes amores que nunca foram grandes amores, mas tão somente grandes ambições que por falta de empenho se desmoronam mesmo antes de terem sido construídas.
    Logicamente, não há uma fórmula mágica para prevenir essa falta de empatia sexual (ou melhor, a empatia existiu e extinguiu-se, portanto será mais correcto dizer fim da empatia sexual), mas creio que o diálogo, a abertura a novos desafios, a franqueza, a partilha descomplexada de desejos, o uso de fantasias ou até brinquedos, o acto de partilhar aquilo que gostamos que nos façam e até mesmo "ensinar" e experimentar novas posições, novos sítios e lugares ajuda em muito essa comunicação.
    O que as pessoas fazem, simplesmente porque é mais fácil, é abandonar por preguiça esse "trabalho" de casa - diria mesmo, de cama - e sair a correr procurar uma outra pessoa. Simplesmente porque é mais fácil e as pessoas muitas vezes acabam namoros sem realmente se conhecerem. A nossa sociedade é consumista e nós não consumimos só produtos, mas também pessoas, porque fomos educados a vê-las como produtos - espero sinceramente que os nossos filhos sejam educados de melhor forma.
    Quando o produto já não nos agrada, vamos procurar um outro, quando na verdade a pessoa não é um produto, não é inerte nem estanque e ela pode evoluir, pode ser educada, pode ser moldada até certo ponto.
    Uma relação liberal pode ajudar a colmatar esse vazio, porque permite a busca de terceiros na busca de aventura na relação. Contudo, se isso pode ser positivo pelo factor novidade, será negativo porque os actores principais da relação deixam de se empenhar nela e colocam a construção sexual que tinham nas mãos de uma outra e se a relação era instável sexualmente, ela será ainda mais instável e propícia a desconfianças.
    Penso que a relação liberal só em positiva em situações em que ambos os membros do casal estejam muito bem consigo próprios e um com o outro, que tenham como valor máximo a lealdade e que tenham a frontalidade suficiente para assumir o que fizeram sem complexos de culpa.

      "In Europe, it doesn't matter if you're a boy or a girl. We make love with anyone we find attractive."
      M. Dietrich
      "Apareço para ter sexo contigo às cinco. Se me atrasar, começa sem mim"
      Tallulah Bankhead
      "O que eu uso na cama? Chanel nº 5, é claro"
      M. Monroe  http://sembikini.blogspot.com

      Lesbian Bedroom Death
      #2

      Offline x-pressiongirl

      • ****
      • Membro Sénior
      • Género: Feminino
      • Olá, nós somos os ursinhos maus!
        • sembikini
      Creio que a Bed Death ocorre em casais cuja relação seja longa, maioritariamente, por estes motivos que apresento e cujas propostas de resolução descrevo de seguida:

      - envelhecimento e consequente falta de identificação com o outro, e sobretudo, com nós mesmos;
      - Cultivar o nosso próprio bem-estar físico e emocional. Não deixar que o nosso físico atrapalhe a nossa performance enquanto amantes dedicadas (por exemplo, uma grande barriga dificulta a coisa). Sem grandes exageros (é abominavel o tempo que as pessoas passam em ginásios em busca de um corpo perfeito), mas é claro que é importante termos ao nosso lado uma pessoa que se preocupa em ter uma imagem cuidada, não só para mostrar aos outros, mas para se sentir bem consigo mesma. Tentar conciliar horários entre ambas e fazer caminhada, andar de biciclete (em Lisboa não é lá muito fácil), nadar, ter sexo a montes ajuda a queimar calorias e simultaneamente a promover a máxima "mens sana in corpore sano". Para as pessoas que tenham dificuldades motoras, jogar xadrez, monopoly, ou brincar às barbies (é verdade, eu gosto), não queima tantas calorias mas é demais... Imaginem treinarem com duas barbies aquilo que vão fazer a seguir com a vossa companheira ;-)
      - falta de diálogo franco na relação;
      - saber equilibrar as faltas de acordo com democracia e racionalidade, ora cedendo ora fazendo prevalecer a nossa vontade. Pessoas demasiadamente autoritárias ou demasiadamente permissivas tornam-se desagradáveis.
      - medo de desiludir ou de perder a companhia;
      - promover uma relação plena de novidades (o que a cada dia que passa é mais dificil). Obviamente é mais fácil surpreender uma pessoa com quem estamos há seis meses do que uma que já nos conheça por mais de 5 anos. Mas se a surpresa foi agradável há 5 anos atrás, por que não repeti-la? Flores, bonbons, cartões de crédito (esta é só a brincar ;) ), livros, cd's pequenas ofertas ajudam, mas pequenas atitudes também!!!! Um banhinho de espuma antes do jantar, uma sobremesa especial, um filme especial, um pic-nic com amigos em comum (é fulcral que os elementos do casal não se fechem em quatro paredes, mas que convivam com amigos comuns e privados, é importante que os elementos do casal possam dar espaço um ao outro para que se encontrem com amigos particulares sem que hajam desconfianças, é muito importante que haja essa abertura), uma ida ao teatro para uma peça que ela realmente desejava ver. Todas essas pequenas atitudes, mesmo que já tenham sido tomadas são sempre benvindas, não importa se já foram repetidas porque quando é delicioso desejamos repetir.
      - rotina;
      - massagens ajudam muito. Não tendo uma banheira de hidromassagem, poupam um dinheirinho para um fim de semana de pequenos caprichos num hotel. Compra um bom óleo de massagem (ainda que nao sejamos especialistas um bom óleo ajuda - sobretudo os comestiveis, ou melhor, lembíveis), uns massajadores para o efeito, mas atenção que é preciso ter cuidado com as massagens intensivas quando não se sabe muito bem o que é que se está a fazer. Simples brincadeiras como pintura corporal - também com tinta comestivel - é sempre bom, há que lembrar que depois de sujar há que limpar, portanto mudem logo de lençois e tenham atenção às paredes! E por que não experimentar fantasias sado-maso, brincar com chicotes, algemas e dildos?
      - stress, cansaço, falta de motivação (profissional, familiar...);
      - quando a motivação ou a estima de uma pessoa está em baixo há que tentar mudar isso. O diálogo, na tentativa de perceber o problema é bom porque ajuda à reflexão conjunta e o problema de um dos elementos do casal, significa um problema do casal.
      - desejo físico ou emocional por outra pessoa;
      - se o desejo físico ou emocional recai sobre outra pessoa é importante que haja abertura suficiente para contar isso ao cônjuge. Naturalmetne se o cônjuge for demasiado ciumento ou inseguro não vai tolerar bem a partilha dessa informação, daí que as pessoas prefiram não dizer nada e fazer as coisas pela calada. Nada melhor do que estar disposto a ouvir tudo, tanto as coisas boas como as más, pelo menos se alguma coisa correr mal somos os primeiros a saber! E nada melhor do que estar disposto a contar tudo, mesmo sabendo que essa informação pode ferir a pessoa é melhor dá-la, pois pior mesmo é a pessoa sentir-se enganada depois de feita a asneira!
      Caso o cônjuge tenha inteligência suficiente para ouvir tal desabafo sem desatar aos gritos, ameaças ou chantagens psicológicas, há que tentar perceber qual o problema da coisa. Se o problema está em si mesmo ou no outro, se a atracção é meramente sexual, se esse factor é por si só suficiente para colocar a relação em causa, entre outros. Há que tentar agir sempre com a máxima diplomacia. Acreditem, esta parte já me aconteceu e resultou bem!
      - considerar que já sabe tudo sobre sexo e não há qualquer novidade mais;
      - se uma pessoa acha que já sabe tudo sobre sexo e que isso já não consiste numa grande novidade, então tem um grande problema: ou foi gulosa demais ou tem falta de criatividade. Para isto, creio não haver cura! Há um ditado marroquino que diz qualquer coisa como: "Se o teu mais que tudo é mel, não o lambas todo!" Isto é, guarda uma novidade para amanhã, a gula é um dos pecados capitais.
      - discussões familiares com o cônjuge ou falta de acordo em questões vitais para a relação;
      - a falta de acordo entre o casal pode dar origem a essa Bed Death, como disse anteriormente, às vezes é preciso saber ceder em algumas coisas para se conseguirem outras. As discussões podem ter origem nas mais diversas áreas, daí que o diálogo diplomático seja essencial. se considerarmos que a pessoa nos desagradou de alguma forma ou às vezes tem atitudes de que não gostamos, nada melhor do que alertá-la logo no início da relação e não deixar isso arrastar-se ao longo dos tempos. Se a pessoa deixa a roupa espalhada pela casa, gasta imenso ao telefone, não é asseada, vasculha as nossas coisas (se faz isto é porque não tem confiança no outro e isto gera instabilidade), ou nunca cozinha para nós é lógico que isso torna a relação frágil, daí a importância de respeitar a convivência e esforçar-se ao máximo para assegurar o bom entendimento. O desrespeito pelo outro é motivo suficiente para que as pessoas não procurem a outra sexualmente e isso deve ser combatido. Portanto um bom banhinho, uma casa arrumada, o respeito pelo espaço do outro, uma atençãozinha especial, são vitais para manter o sexo em ordem.  ;)

      Finalizo o meu extenso comentário (pergunto-me quantas pessoas conseguiram chegar a esta parte sem terem tido a tentação de ler o texto na diagonal), dizendo que para que tudo isto resulte há sempre dois factores exteriores a nós que são deveras importantes: dinheiro (sem isso não podes levá-la a jantar, por exemplo), e tempo, uma pessoa com dois empregos terá problemas em conseguir dedicar-se como gostaria à relação.
      Espero ter sido criativa na resposta e ao mesmo tempo ter conseguido apresentar boas propostas reais e viáveis, porque a expressão Bed Death aterroriza, realmente, qualquer um de nós.

      As mais cordiais saudações e desejos de uma óptima Living Bed :-*
      x-pressiongirl  8)
        "In Europe, it doesn't matter if you're a boy or a girl. We make love with anyone we find attractive."
        M. Dietrich
        "Apareço para ter sexo contigo às cinco. Se me atrasar, começa sem mim"
        Tallulah Bankhead
        "O que eu uso na cama? Chanel nº 5, é claro"
        M. Monroe  http://sembikini.blogspot.com

        Lesbian Bedroom Death
        #3

        Offline kris

        • *****
        • Membro Elite
        • Género: Feminino
        Bem x-pressiongirl  :´ grande texto li tudo e devo dizer q está  :up 5 estrelas.

          Lesbian Bedroom Death
          #4

          Offline lastangel_18

          • ****
          • Membro Sénior
          • Género: Feminino
          • sou apenas uma gota neste oceano...
          sim, de hj em dia existe mto dixo.. é dficil combater e em maioria as pessoas fartam-se e n kerem lutar contra ixo.. alias n se trata so da "cama" em si né! é msm na relação... as pessoas kerem tudo de mão beijada ou seja coisas fáceis e n sao capazes de se esforçar pra k as coisas resultam!  :-\ ao principio é tudo mto bonito mas dps fartam-se paxado uns mesitos e partem pra outra! opah mas k coisa!!! n sabem levar uma relaçao madura??? n sabem ver k uma ralaçao de  AMOR é ixo??!?! saber dar e receber ou as x´s n >:( em receber em troca apenas dar por agradar? entragar-se a relaçao no seu dia a dia... saber ver k a pessoa n foge e k ta ali pk ker .. a confiança mútua ... enfim, nem tudo gira a volta da parte da cama! alias o amor... desenvolve-se ao fim de algum tempo e ao fim de paxar por mta coisa... eu tou revoltada pk ixto têm-se paxado cmg.. com as pessoas a minha volta.. e ixo poe-me com raiva! >:( pk k as pessoas kerem ixto axim? pk???? onde é k nós vamos parar??? ("nós" ser humanos claro..  sabendo bem k nem todos/as são axim... ) a sério preciso k alguém fale cmg sobre ixto.. k m dê umas luzes.. umas palavras... k m esclareça... sei lá... preciso de ver uma luz ao fundo deste túnel!!!  :-\ ( é uma kestão k me tem andado mto na cabeça.... preciso msm de falar e discutir ixto...) enfim... um grito de desespero k espero k n paxe despercebido  :'( beijinhos e desculpem este desabafo  :'(  :-\
            e agora?

            Lesbian Bedroom Death
            #5

            Offline Apenaseu

            • ***
            • Membro Total
            • Género: Feminino
            • "A coragem forja-se na luta"
            Olá!
            Depois de ler o excelente texto da expressiongirl só posso dizer q concordo com ela e vou dar tudo para manter a minha cama "alive and kicking"  ;D
            Para se viver uma relação, seja hetero ou homo, tem de haver algum esforço e muito amor. E falo daquele amor que pode (ou não!) ficar no casal depois da paixão...sim que essa é muito linda, mas parece q em média dura 2 anitos e já é uma sorte... 8)
            Pessoalmente acredito q se pode manter uma relação duradoura e compensadora se houver esforço para não ceder à tentação da rotina em todos os aspectos da vida a dois... desde "uma proposta indecente" a meio da tarde até um diazito "far from the crowd", vale tudo.
            Falem comigo daqui a uns anitos, espero ter algumas ideias...mas mesmo numa relação relativamente recente ( menos de um ano), a partir do momento em que  envolve a tal vida comum, mesma casa, família, circulo de amigos...há realmente que ter algum cuidado pois é muito fácil deixarmo-nos absorver pelas rotinas e isso mata a melhor das relações E depois, como canta ( e mto bem)  a Zélia Duncan:
            "Quando o sexo acaba, tudo desaba...é uma questão de construção"
            Por isso toca a manter a construção aprumada e a não esquecer a importancia da manutenção e revisão períodica... é como os carros  ;)

            E já agora, menina Labyris, onde arranjou esse livro? Também quero!!!! :P
            Beijinhos a tod@s


              Lesbian Bedroom Death
              #6

              Offline sweet_poison

              • *****
              • Membro Vintage
              • Género: Feminino
              • Don't wasted, it's only here for today
              bem x-pressiongirl isso é k é sabedoria  ::)  :P gostei mt do teu comentário,fez-me pensar e eu gosto das coisas k me fazem pensar.Axo k está mt claro e explica os porquês de algumas relações acabarem quando tudo parecia ir bem.
              Quanto ao k tu disseste lastangel_18, compreendo perfeitamente e ás x tb penso nisso,mas tal como tu ainda n sei uma resposta para tais coisas acontecerem  :-\
              enfim...nada como o tempo pa irmos aprendendo a viver a vida
                "I guarantee that we'll have tough times.I guarantee that sooner or later one,or both of us will want to get out.But I also guarantee that if I don't ask you to be mine,I'll regret it for the rest of my life because I know in my heart you're the only one for me."

                Lesbian Bedroom Death
                #7

                Offline lastangel_18

                • ****
                • Membro Sénior
                • Género: Feminino
                • sou apenas uma gota neste oceano...
                é vrdd sweet poison...  :)
                  e agora?

                  Lesbian Bedroom Death
                  #8

                  Offline Labrys

                  • *****
                  • Associad@ Honorári@
                  • Membro Total
                  • Género: Feminino
                    • Labrys? O que é isso?
                  E já agora, menina Labyris, onde arranjou esse livro? Também quero!!!! :P


                  Olá Apenaseu! O livro "Lesbian Sex Book", 2nd edition, foi publicado em 2003 pela Alyson Publications e pode ser encomendado directamente no seu website ou então, como eu fiz, encomendado através da FNAC.

                  Fica aqui o link da Alyson Publications: http://store.yahoo.com/alysonbooks/lessexbook2n.html

                  Boas leituras!  :D

                    We need to find courage, overcome
                    Inaction is a weapon of mass destruction

                    Lesbian Bedroom Death
                    #9

                    Offline tinat

                    • ****
                    • Membro Sénior
                    • Género: Feminino
                    Creio que a Bed Death ocorre em casais cuja relação seja longa, maioritariamente, por estes motivos que apresento e cujas propostas de resolução descrevo de seguida:

                    - envelhecimento e consequente falta de identificação com o outro, e sobretudo, com nós mesmos;
                    - Cultivar o nosso próprio bem-estar físico e emocional. Não deixar que o nosso físico atrapalhe a nossa performance enquanto amantes dedicadas (por exemplo, uma grande barriga dificulta a coisa). Sem grandes exageros (é abominavel o tempo que as pessoas passam em ginásios em busca de um corpo perfeito), mas é claro que é importante termos ao nosso lado uma pessoa que se preocupa em ter uma imagem cuidada, não só para mostrar aos outros, mas para se sentir bem consigo mesma. Tentar conciliar horários entre ambas e fazer caminhada, andar de biciclete (em Lisboa não é lá muito fácil), nadar, ter sexo a montes ajuda a queimar calorias e simultaneamente a promover a máxima "mens sana in corpore sano". Para as pessoas que tenham dificuldades motoras, jogar xadrez, monopoly, ou brincar às barbies (é verdade, eu gosto), não queima tantas calorias mas é demais... Imaginem treinarem com duas barbies aquilo que vão fazer a seguir com a vossa companheira ;-)
                    - falta de diálogo franco na relação;
                    - saber equilibrar as faltas de acordo com democracia e racionalidade, ora cedendo ora fazendo prevalecer a nossa vontade. Pessoas demasiadamente autoritárias ou demasiadamente permissivas tornam-se desagradáveis.
                    - medo de desiludir ou de perder a companhia;
                    - promover uma relação plena de novidades (o que a cada dia que passa é mais dificil). Obviamente é mais fácil surpreender uma pessoa com quem estamos há seis meses do que uma que já nos conheça por mais de 5 anos. Mas se a surpresa foi agradável há 5 anos atrás, por que não repeti-la? Flores, bonbons, cartões de crédito (esta é só a brincar ;) ), livros, cd's pequenas ofertas ajudam, mas pequenas atitudes também!!!! Um banhinho de espuma antes do jantar, uma sobremesa especial, um filme especial, um pic-nic com amigos em comum (é fulcral que os elementos do casal não se fechem em quatro paredes, mas que convivam com amigos comuns e privados, é importante que os elementos do casal possam dar espaço um ao outro para que se encontrem com amigos particulares sem que hajam desconfianças, é muito importante que haja essa abertura), uma ida ao teatro para uma peça que ela realmente desejava ver. Todas essas pequenas atitudes, mesmo que já tenham sido tomadas são sempre benvindas, não importa se já foram repetidas porque quando é delicioso desejamos repetir.
                    - rotina;
                    - massagens ajudam muito. Não tendo uma banheira de hidromassagem, poupam um dinheirinho para um fim de semana de pequenos caprichos num hotel. Compra um bom óleo de massagem (ainda que nao sejamos especialistas um bom óleo ajuda - sobretudo os comestiveis, ou melhor, lembíveis), uns massajadores para o efeito, mas atenção que é preciso ter cuidado com as massagens intensivas quando não se sabe muito bem o que é que se está a fazer. Simples brincadeiras como pintura corporal - também com tinta comestivel - é sempre bom, há que lembrar que depois de sujar há que limpar, portanto mudem logo de lençois e tenham atenção às paredes! E por que não experimentar fantasias sado-maso, brincar com chicotes, algemas e dildos?
                    - stress, cansaço, falta de motivação (profissional, familiar...);
                    - quando a motivação ou a estima de uma pessoa está em baixo há que tentar mudar isso. O diálogo, na tentativa de perceber o problema é bom porque ajuda à reflexão conjunta e o problema de um dos elementos do casal, significa um problema do casal.
                    - desejo físico ou emocional por outra pessoa;
                    - se o desejo físico ou emocional recai sobre outra pessoa é importante que haja abertura suficiente para contar isso ao cônjuge. Naturalmetne se o cônjuge for demasiado ciumento ou inseguro não vai tolerar bem a partilha dessa informação, daí que as pessoas prefiram não dizer nada e fazer as coisas pela calada. Nada melhor do que estar disposto a ouvir tudo, tanto as coisas boas como as más, pelo menos se alguma coisa correr mal somos os primeiros a saber! E nada melhor do que estar disposto a contar tudo, mesmo sabendo que essa informação pode ferir a pessoa é melhor dá-la, pois pior mesmo é a pessoa sentir-se enganada depois de feita a asneira!
                    Caso o cônjuge tenha inteligência suficiente para ouvir tal desabafo sem desatar aos gritos, ameaças ou chantagens psicológicas, há que tentar perceber qual o problema da coisa. Se o problema está em si mesmo ou no outro, se a atracção é meramente sexual, se esse factor é por si só suficiente para colocar a relação em causa, entre outros. Há que tentar agir sempre com a máxima diplomacia. Acreditem, esta parte já me aconteceu e resultou bem!
                    - considerar que já sabe tudo sobre sexo e não há qualquer novidade mais;
                    - se uma pessoa acha que já sabe tudo sobre sexo e que isso já não consiste numa grande novidade, então tem um grande problema: ou foi gulosa demais ou tem falta de criatividade. Para isto, creio não haver cura! Há um ditado marroquino que diz qualquer coisa como: "Se o teu mais que tudo é mel, não o lambas todo!" Isto é, guarda uma novidade para amanhã, a gula é um dos pecados capitais.
                    - discussões familiares com o cônjuge ou falta de acordo em questões vitais para a relação;
                    - a falta de acordo entre o casal pode dar origem a essa Bed Death, como disse anteriormente, às vezes é preciso saber ceder em algumas coisas para se conseguirem outras. As discussões podem ter origem nas mais diversas áreas, daí que o diálogo diplomático seja essencial. se considerarmos que a pessoa nos desagradou de alguma forma ou às vezes tem atitudes de que não gostamos, nada melhor do que alertá-la logo no início da relação e não deixar isso arrastar-se ao longo dos tempos. Se a pessoa deixa a roupa espalhada pela casa, gasta imenso ao telefone, não é asseada, vasculha as nossas coisas (se faz isto é porque não tem confiança no outro e isto gera instabilidade), ou nunca cozinha para nós é lógico que isso torna a relação frágil, daí a importância de respeitar a convivência e esforçar-se ao máximo para assegurar o bom entendimento. O desrespeito pelo outro é motivo suficiente para que as pessoas não procurem a outra sexualmente e isso deve ser combatido. Portanto um bom banhinho, uma casa arrumada, o respeito pelo espaço do outro, uma atençãozinha especial, são vitais para manter o sexo em ordem.  ;)

                    Finalizo o meu extenso comentário (pergunto-me quantas pessoas conseguiram chegar a esta parte sem terem tido a tentação de ler o texto na diagonal), dizendo que para que tudo isto resulte há sempre dois factores exteriores a nós que são deveras importantes: dinheiro (sem isso não podes levá-la a jantar, por exemplo), e tempo, uma pessoa com dois empregos terá problemas em conseguir dedicar-se como gostaria à relação.
                    Espero ter sido criativa na resposta e ao mesmo tempo ter conseguido apresentar boas propostas reais e viáveis, porque a expressão Bed Death aterroriza, realmente, qualquer um de nós.

                    As mais cordiais saudações e desejos de uma óptima Living Bed :-*
                    x-pressiongirl  8)

                    Com umas dicas destas, quem é que dificuldade em manter um relacionamento!!!
                    Boa lol lol lol :devil :devil :devil :devil
                      =) A vida é um bem precioso muito curto, por isso acorda para a vida e sê feliz!... ;)

                      Lesbian Bedroom Death
                      #10

                      Offline Yawp

                      • *****
                      • Membro Ultra
                      • Género: Outro
                      Bem x-pressiongirl  :´ grande texto li tudo e devo dizer q está  :up 5 estrelas.

                      Apoiado! ;)
                        "For those of you who don´t know, a YAWP is a loud cry or yell." in Dead Poets Society.

                        Lesbian Bedroom Death
                        #11

                        Offline x-pressiongirl

                        • ****
                        • Membro Sénior
                        • Género: Feminino
                        • Olá, nós somos os ursinhos maus!
                          • sembikini
                         :P Meninas o que escrevi há 2 anos é muito dificil de se pôr em prática. Mas compensa, está bem?  8)
                        Um brinde às camas saudáveis! Se eu não aparecer por aqui antes, desejo-vos um Pai Natal bem gordinho e cheio, não de presentes mas, de deliciosas aventuras.  :devil

                        saudações natalícias  :-*
                        x-pressiongirl  8)

                        P.S. - Já agora, alguma alma caridosa tem a bondade de nos esclarecer o porquê deste tópico estar no grupo "Apoio"?
                        « Última modificação: 16 de Dezembro de 2007 por x-pressiongirl »
                          "In Europe, it doesn't matter if you're a boy or a girl. We make love with anyone we find attractive."
                          M. Dietrich
                          "Apareço para ter sexo contigo às cinco. Se me atrasar, começa sem mim"
                          Tallulah Bankhead
                          "O que eu uso na cama? Chanel nº 5, é claro"
                          M. Monroe  http://sembikini.blogspot.com

                          Lesbian Bedroom Death
                          #12

                          Offline Templarius

                          • *****
                          • núcleo lgbti braga
                          • Membro Vintage
                          • Género: Masculino
                          • *water and ice*
                          P.S. - Já agora, alguma alma caridosa tem a bondade de nos esclarecer o porquê deste tópico estar no grupo "Apoio"?

                          A razão do tópico estar neste sub-fórum prende-se com o facto de serem pedidas dicas/sugestões para ajudar a melhorar a vida sexual, pelo que não foi considerado uma mera discussão de um assunto :)