rede ex aequo

Olá Visitante10.dez.2019, 20:17:12

Autor Tópico: Escritores e Poetas da rede  (Lida 113131 vezes)

 
Escritores e Poetas da rede
#0

Offline Ganymedes

  • **
  • Membro Júnior
  • Género: Masculino
  • «A rir se corrigem os costumes.» (prov. latino)
Olá a tod@s! ;)

E esta...? Um Tópico da Escrita em dia!... (Será que a moda vai pegar?)

Revolvam essas gavetas. Tenho a certeza que aí encontrarão autênticas peças de literatura escritas por vós. Poesia, prosa, cartas de amor, rascunhos em guardanapos ou lenços de papel... Tenho a certeza que este tópico irá ficar recheado de sentidas obras de arte literária (quanto mais não seja por serem sinceras).  ;)

(Aqueles que não se derem muito  artes da escrita, poderão sempre citar excertos de obras que apreciem e queiram partilhar com todos...)

Vamos a pegar nesses teclados, minha gente! 'Bora!   ::)
No fim fazemos um livro e, quem sabe, ainda ganhamos um Nobel! ;D ;D ;D.

Teremos por aqui alguns escritores?

Beijos a tod@s!  ;) :-*
    «Um pequeno passo para um homem, um passo gigantesco para a Humanidade.»

    Tópico da Escrita em dia
    #1

    Offline Ganymedes

    • **
    • Membro Júnior
    • Género: Masculino
    • «A rir se corrigem os costumes.» (prov. latino)
    «(...) Falava-lhe de como seria amar uma papoila. Espiava os meus argumentos como se o que lhe dissesse fosse o maior dos mistérios, como se lhe falasse numa língua cifrada. Dizia-lhe que amávamos uma papoila pela sua beleza, pela sua fealdade, por aquilo que era ou pelo que os nossos olhos viam nela: como amamos todas as coisas... sem que a razão as explique ou o Homem as compreenda. Dizia que não percebia, que nada do que lhe dizia fazia sentido.
    Apaguei o cigarro e conclui a conversa. Disse-lhe que podia ou não gostar de um dia de chuva, mas que a chuva chovia e a água molhava. E que beleza estar a uma lareira abraçado ao meu amor!
    Anuiu e foi-se embora. Nunca mais nos vimos. Não compreendeu... Soube depois que se casara e que a mulher o havia traído... Como lamentei falar por metáforas indecifráveis! Ou talvez, simplesmente, ele nunca pudesse perceber a beleza de um dia de chuva.»

    (Autor desconhecido, séc. XXI)
      «Um pequeno passo para um homem, um passo gigantesco para a Humanidade.»

      Tópico da Escrita em dia
      #2

      Offline bluejazz

      • *****
      • Associad@ Honorári@
      • Membro Vintage
      • Género: Feminino
        • Homofobia
      Eu não te escrevi nem uma linha desde a última vez, este tempo todo, não te disse nada, nem um recado te deixei. Não era preciso. Era preciso até demais. Fui escrevendo uns rabiscos, isso sim, numas folhas de embrulhar que, estúpida, deixei ficar em cima do ficheiro da Biblioteca Municipal. Felizmente que foi assim e não de outra maneira. Quem as encontrou, se as leu, não percebeu nada - só tu talvez, nem tu sequer - e se percebeu não percebeu que tinham a ver contigo, contigo e comigo e da maneira como eu estou contigo e não tenho outra nem quero ter. Quem as encontrou, nem sequer quero saber, talvez tenha ficado intrigado, um sentimento de que eu gosto, e tu não? Eu gosto mesmo. A sério, não é todos os dias. Aquilo que eu escrevi era só um código secreto de mim para mim passando inutilmente por ti. É que tu não tens nada a ver com isto. Tens tudo. Só que tu não sabes, nem vais saber, por isso são intrigantes, se alguém os leu, os meus rabiscos

      Pedro Paixão, "Dias de 1995" in Viver Todos os Dias Cansa
        "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

        Tópico da Escrita em dia
        #3

        Offline mega

        • *****
        • Associad@ Honorári@
        • Membro Sénior
        Escrevi isto um mês depois de me assumir (para mim própria):

        Sinto como se ácido estivesse a dissolver-me por dentro.
        As lágrimas que saem dos meus olhos já não controlo; sem que pestanejee las continuam a saltar para fora.
        A raiva que sinto só desaparece quando fecho os olhos e te vejo na minha mente dorida, e mesmo assim ainda tenho de me esforçar para não sair à tua procura, a esta hora, sozinha.
        Tive de te telefonar, talvez a tua voz me fizesse bem, talvez conseguissed ormir hoje.
        Dormi, sozinha.
         
        5/Agosto/1999

        Cristina
          "Grief is the price we have to pay for Love, it is the cost of Commitment"

          Tópico da Escrita em dia
          #4

          Offline c

          • *****
          • Membro Ultra
          • Género: Feminino
          • "Imitem as árvores dos caminhos" J. Gomes Ferreira
          Afrodite


          Formosa.
          Esses peitos pequenos, cheios.
          Esse ventre, o seu redondo espraiado!
          O vinco da cinta, o gracioso umbigo, o escorrido
          das ancas, o púbis discreto ligeiramente alteado,
          as coxas esbeltas, um joelho único suave e agudo,
          o coto de um braço, o tronco robusto, a linha
          cariciosa do ombro...
          Afrodite, não chorei quando te descobri?
          Aquele museu plácido, tantas memórias da Grécia
          e de Roma!
          Tantas figuras graves, de gestos nobres e de
          frontes tranquilas, abstractas...
          Mas aquela sala vasta, cheia, não era uma necró-
          pole.
          Era uma assembleia de amáveis espíritos, divaga-
          dores, ente si trocando serenas, eternas e nunca
          desprezadas razões formais.

          Afrodite, Afrodite, tão humana e sem tempo...
          O descanso desse teu gesto!
          A perna que encobre a outra, que aperta o corpo.
          A doce oferta desse pomo tentador: peito e ventre.
          E um fumo, uma impressão tão subtil e tão pro-
          vocante de pudor, de volúpia, de reserva, de
          abandono...
          Já passaram sobre ti dois mil anos?

          Estranha obra de um homem!
          Que doçura espalhas e que grandeza...
          És o equilíbrio e a harmonia e não és senão corpo.
          Não és mística, não exacerbas, não angústias.
          Geras o sonho do amor.

          Praxíteles.
          Como pudeste criar Afrodite?
          E não a macerar, delapidar, arruinar, na ânsia de
          a vencer, gozar!
          Tinha de assim ser.
          Eternizaste-a!
          A beleza, o desejo, a promessa, a doce carne...


          Irene Lisboa



          (Fala-se pouco de Irene Lisboa, não percebo porquê :(, mas assim é com muitos outros autores que o tempo pura e simplesmente deixa morrer.)



          Gostei mesmo muito deste tópico, voltarei cá mais vezes ;D


          Fiquem bem,
          (c.)[/size]
            "No entanto és tu que te moverás na matéria/ da minha boca, e serás uma árvore dormindo e acordando onde existe o meu sangue" - Herberto Helder

            Tópico da Escrita em dia
            #5

            Offline Ines

            • ****
            • Membro Sénior
            • Género: Feminino
            • aprende a amar as tempestades, não fujas delas...
            ;D ;D ;D

            lol Ganymedes e k tópico lol  ::) ;D :D

            Bem eu por acaso de vez enquando...mas muito de vez enquando mesmo, dá-me para escrever...mas como não me considero nenhuma artista das letras, resolvi partilhar convosco um poema k fiz na altura em k me assumi a mim mesma...aliás o kal me fez bastante bem... :D eu axo (e acredito k concordem cmg) k todos nós temos um ecape p encararmos os problemas...eu resolvi escrever...nessas alturas funciona como um eco e pr vezes é ele k nós dá as respostas...
            Como eu costumo dizer mtas vezes...não existem melhores respostas k akelas dadas pelo silêncio ;)

            Então cá vai....Preparados (ai fechando os olhitos p n ver as caras del@s) lol  ::) ;D ;D



            caminho, pela areia da praia,
            sinto esta leve brisa a tocar-me o corpo,
            fecho os olhos...
            ergo os braços,
            toco no céu...
            Esta doce brisa continua a tocar-me o corpo,
            o som do mar,
            embala-me neste momento só meu!...
            continuo a caminhar,
            a areia da praia, acaricia-me os pés cansados,
            inspiro suavemente esta bisa salgada,
            sinto os salpicos no corpo
            AI! É tão bom este momento...
            Continuo a caminhar,
            as minhas pegadas permanecem lá atrás...
            Já não posso fazer aquelas pegadas outra vez...
            Mas continuo aqui,
            a sentir este momento tão só meu...
            Vou continuar a deixar mais pegadas...
            Vou inspirar este ar,
            continuar a sentir esta leve brisa, que me acaricia o corpo,
            tocar no céu,
            ser eu, vou ficar aqui, porque só aqui me sinto bem...
            Só aqui consigo ser EU...
            Por isso vou FICAR!!!

            Enfim...foi mais um momento de partilha (psttt já posso abrir os olhitos lol) :o :P

            :-* a tod@s
              De todos os canto do mundo
              Amo com um amor mais forte e mais puro
              Aquela praia extasiada e nua,
              Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

              Tópico da Escrita em dia
              #6

              Offline mega

              • *****
              • Associad@ Honorári@
              • Membro Sénior
              Mais um desabafo (como lhes costumo chamar... hehehe):

              Sabedoria
                 
                Aprendi a amar quando te conheci
                Aprendi a falar quando te ouvi
                Aprendi a olhar quando aparecias
                Aprendi a procurar quando não te encontrei
                Aprendi a desejar quando não te senti
                Aprendi a suspirar quando te cheirei
                Aprendi a sofrer quando não te vi
                Aprendi a odiar quando não te tive
                Aprendi a sobreviver quando te esqueci
               
              17/11/99

              --
              Cristina
                "Grief is the price we have to pay for Love, it is the cost of Commitment"

                Tópico da Escrita em dia
                #7

                Offline abreasasas

                • *****
                • Membro Ultra
                Oh! Duas mulheres a amarem-se!
                Separem-nas, para que o fogo dos seus ventres não se una!
                Não deixem que as suas mãos se prendam, não poderão separá-las depois e esse será o maior problema do mundo. Não haverá mais nada.
                Duas mulheres que se amam.
                Que desconsolo para mim...
                O sorriso de uma só serve no sorriso da outra.
                A alegria é só delas.
                Que não se permita que os seus dedos se entrelacem, o que podia sair daí?

                Mas não vêem que se aquelas mulheres se amam, se aqueles corpos foram feitos um para os outro, o mundo deixa de ser aquilo que sempre foi?

                Para que irão servir os milénios de escritos, de certezas e afirmações? A única verdade é a dos seus dedos.

                E para mim, que o reconheço, há o desconsolo.


                Charles F. K. Loisson

                Este texto deu-mo uma amiga, não sei onde o encontrou. Sempre o achei peculiar e gostava de saber em que circunstâncias estava o homem quando escreveu isto. E quem era, está bem de ver...  vezes pergunto-me se não seria ela a tê-lo inventado! É por isso que gosto dele.
                  todos compreendem a utilidade do que é útil.
                  ninguém compreende a utilidade do que é inútil
                  chuang tse em "capítulos interiores"

                  Tópico da Escrita em dia
                  #8

                  Offline c

                  • *****
                  • Membro Ultra
                  • Género: Feminino
                  • "Imitem as árvores dos caminhos" J. Gomes Ferreira
                  Tomei formas inesperadas
                  nas mãos ansiosas, adolescentes de inexperiência
                  e de suor.

                  Esgotei o amar-te em segredo.
                  Consumi-me de desejo por consumar.

                  E agora espero-te na esquina de uma hora prometida, sabendo-te
                  noutra cidade. Acompanho-me de uma solidão
                  muito companheira.

                  Sento-me na esplanada deserta e desenho
                  o teu rosto num guardanapo de papel.
                  Não temas, sabes bem
                  que não tenho o menor talento... ninguém te reconhecerá.
                  Não te comprometerei, não mais do que te comprometi
                  nas minhas fantasias. Também aí irreconhecível.

                  Que fique bem claro: afinal, não era a ti que eu amava.





                  Bem, eu disse que voltava não? Desta vez, valho-me da "prata da casa" ;D

                  Escrever é das melhores terapias que conheço, chamemos-lhe poemas, desabafos, ou mesmo que recusemos sequer a etiquetá-los, só por isso, já valem imenso.    

                  abreasas, por curiosidade, tentei pesquisar o nome do autor do texto que deixaste, mas em vão :(. Depois tentei Charles Loyson (foi um nome que por acaso surgiu lá para o meio). Mas este era um padre francês (???), a verdade é que teve alguns problemas com a igreja e acabou por se desvincular por incompatibilidades com o vaticano. É do início do século e terá deixado alguma correspondência, sermões e poesia, talvez que por aí se encontrasse este texto que aqui deixaste, mas a especulação já é tanta que a possibilidade de estar na "pista certa" começa a ser remota :-/.



                  beijos :),
                  (c.)
                    "No entanto és tu que te moverás na matéria/ da minha boca, e serás uma árvore dormindo e acordando onde existe o meu sangue" - Herberto Helder

                    Tópico da Escrita em dia
                    #9

                    Offline Ines

                    • ****
                    • Membro Sénior
                    • Género: Feminino
                    • aprende a amar as tempestades, não fujas delas...
                    ;D ;D ;D ;D

                    Éis um poema, agora de amor...p espantar a tristeza  ;)



                    CANÇÃO DE AMOR

                    Como hei-de eu conter a minha alma,
                    que não toque na tua? Como hei-de eu
                    erguê-la por sobre ti para outras coisas?
                    Como eu desejaria dar-lhe abrigo
                    à sombra de qualquer coisa perdida no escuro
                    num recanto estranho e repousado,
                    que não vibrasse com o teu vibrar.

                    Mas tudo o que nos toca, a ti a mim,
                    toma-nos juntos numa só arcada
                    que arranca de duas cordas um som único.
                    Que músico nos tem na sua mão?
                    Oh doce canção!

                    Rainer Maria Rilke

                    :-* a tod@s
                      De todos os canto do mundo
                      Amo com um amor mais forte e mais puro
                      Aquela praia extasiada e nua,
                      Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

                      Tópico da Escrita em dia
                      #10

                      Offline Ines

                      • ****
                      • Membro Sénior
                      • Género: Feminino
                      • aprende a amar as tempestades, não fujas delas...
                      ;D ;D ;D

                      E aí vai um poema lol eu axo k tod@s temos um poeta dentro de nós (olhando p dentro p o encontrar lol)



                      Olho este mar,
                      Que espelha um sol intenso! E penso:
                      “-AI! Como eu queria olhar para ti agora,
                      e ver assim a minha alma espelhada nos teus olhos!...”
                      Mas nem eu sou mar...nem tu és sol...



                      :-* a tod@s

                      P.S. Poderiamos editar os poemas lol assim seria tb uma forma de mostrarmos a esta maravilhosa sociedade k a homosexualidade além de NÃO ser doença...afinal até é composta por pessoas k têns sentimento tão puros como os hetero ;) :D hmmmm k me dizem ??? :o :o :o lol
                        De todos os canto do mundo
                        Amo com um amor mais forte e mais puro
                        Aquela praia extasiada e nua,
                        Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

                        Tópico da Escrita em dia
                        #11

                        Offline marazul

                        • *
                        • Novo Membro
                        • Género: Feminino
                        "Sonhei um sonho
                        carnívoro gumoso largo
                        só de frutos...só de sumos
                        eram gritos...eram marés
                        de orquídeas em flor
                        de beijos maduros
                        dos desejos agudos
                         
                        sonho inteiro
                        do ainda não vivido
                        quase pressentido
                        no lençol sedoso dos
                        líquidos
                        absurdos
                        suspiros
                        dos abraços
                        perdidos
                        estalados
                        na boca do luar."

                        Isabel Maria

                        :-* a todos
                          "Ruge, repreende, arrasa, desde que sempre o faças com as asas."

                          Tópico da Escrita em dia
                          #12

                          Offline Ines

                          • ****
                          • Membro Sénior
                          • Género: Feminino
                          • aprende a amar as tempestades, não fujas delas...
                          :D Ganymedes lol mais uma vez uma excelênte ideia lol nada como partilharmos tb coisas tão simples como poemas...k tantas vezes nos fazem sorrir e outra chorar...mas são todos esses sentimentos k nos fazem sentir VIVOS, e afinal parecem ser coisas tão banais ;)

                          Então aki vai mais uma pekena partilha ;) :)


                          Estado de alma

                          Aqui estou eu mais uma vez
                          nesta noite fria e longa
                          sento-me aqui à mesa perto da lareira
                          com uma folha branca
                          onde crio um conjunto de letras
                          que me fazem desabafar os desgostos da vida;

                          onde procuro entender estes sentimentos irreais
                          e que ao mesmo tempo me sossegam o coração
                          amedrontado pela vida!...

                          Esta folha que era branca está agora cheia
                          de pensamentos, dor, incógnitas, porquês...
                          está preenchida contrariando o meu estado de alma
                          que agora está Vazia...


                          :-* a tod@s
                            De todos os canto do mundo
                            Amo com um amor mais forte e mais puro
                            Aquela praia extasiada e nua,
                            Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

                            Tópico da Escrita em dia
                            #13

                            Offline bluejazz

                            • *****
                            • Associad@ Honorári@
                            • Membro Vintage
                            • Género: Feminino
                              • Homofobia
                            Vasto. É difícil agarrar a vida. Talvez porque ela nos engoliu. Ela é as nossas paredes. O tempo é a chegada e a partida dentro desse espaço. Mas será que o tempo existe? Será que a vida existe quando pulsamos inconscientes através dos dias em que ela nos parece tão leve como o ar? E porque é que é preciso doze badaladas para repentinamente. RE-PEN-TI-NA-MEN-TE-DONG-DONG-DONG-DONG-DONG. Nos lembrarmos disso. É impossível abarcar a vida ou o tempo. Mas ali está: uma biografia; as horas no mostrador do relógio. Talvez sejamos uma miragem para a vida e o tempo, talvez um ponto minúsculo no mapa. Mas em verdade, quantas vezes o mapa é nosso e a lupa também? Só vemos a vida e o tempo por meio de algo para além do nosso espírito: olhos, lentes, ecrã... O que é a realidade? O que é o espaço? O que é o tempo? Uma imagem... DONG-DONG... deixem-me voltar para ela. Que remédio?

                            Gent, 1 de Janeiro de 2000
                              "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

                              Tópico da Escrita em dia
                              #14

                              Offline Ines

                              • ****
                              • Membro Sénior
                              • Género: Feminino
                              • aprende a amar as tempestades, não fujas delas...
                              ;D ;D ;D ;D ;D

                              lol e lá vai mais um poema  :D :D ;) este está muito...muito...muito...como direi...assim..especial, tlz...é fora do comum :D

                              Por isso antes de o lerem, é melhor sentarem-me confortavelmente e deixem-se levar....lol.... ;D ;D :o





                              Tu eras também uma pequena folha
                              que tremia no meu peito.
                              O vento da vida pôs-te ali.
                              A princípio não te vi: não soube
                              que ias comigo,

                              até que as tuas raízes
                              atravessaram o meu peito,
                              se uniram aos fios do meu sangue,
                              falaram pela minha boca,
                              floresceram comigo.

                              Pablo neruda


                              :-* a tod@s
                                De todos os canto do mundo
                                Amo com um amor mais forte e mais puro
                                Aquela praia extasiada e nua,
                                Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

                                Tópico da Escrita em dia
                                #15

                                Offline tweetwe

                                • **
                                • Membro Júnior
                                • Género: Feminino
                                São dois textos retirados do livro Por Amor a Marie, de Régine Deforges. Uma história de duas mulheres que se apaixonam no inicio do séc. XX, baseada na sua correspondência.  :-*

                                :)
                                “ 21 de Janeiro de 1904
                                Tu vieste  e eu possuí-te! Não cores por causa dos nossos beijos, tinham o gosto do mel. Como os nossos corpos enlaçados se entregaram! Como eles estavam ávidos um do outro. Doce Marie, bondosa Marie, queria devorar-te, trazer-te dentro de mim. Não chores mais, sorri para mim. Tudo o que eu quero é a tua felicidade.
                                Tua escrava,
                                Margot-Daisy  “

                                :)
                                “27 de Janeiro de 1904
                                Oh, Marie, Marie, divina e bondosa Marie! Como eu te amo ! Assim que te vejo, o meu coração para  de bater. Gostaria de morrer contemplando o teu belo rosto e afundando-me nos teus grandes olhos negros. Como é que eu pude viver antes de te conhecer! Como parece longe o tempo  em que eu sonhava com um príncipe encantado! É uma princesa que eu encontrei, que digo eu? Uma rainha! Uma fada! Sê dona dos meus pensamentos, como já o és do meu corpo. Orienta-me. Concede-me os teus concelhos. Só quero fazer o que tu disseres que faça. Sou tua escrava. Fala, exige, castiga, amante adorada , mas ama-me e fica comigo para sempre. (...).


                                :-* :-*
                                Carpe Diem
                                  " Porquê? Porque sim. Porque amanhã pode ser tarde demais. "

                                  Tópico da Escrita em dia
                                  #16

                                  Offline Ines

                                  • ****
                                  • Membro Sénior
                                  • Género: Feminino
                                  • aprende a amar as tempestades, não fujas delas...
                                  :D :D :D :D

                                  Este poema tem algo de mágico ::) ;)


                                  O amor, quando se revela...

                                  O amor, quando se revela,
                                  Não se sabe revelar.
                                  Sabe bem olhar p'ra ela,
                                  Mas não lhe sabe falar.
                                  Quem quer dizer o que sente
                                  Não sabe o que há de dizer.
                                  Fala: parece que mente
                                  Cala: parece esquecer
                                  Ah, mas se ela adivinhasse,
                                  Se pudesse ouvir o olhar,
                                  E se um olhar lhe bastasse
                                  Pra saber que a estão a amar!
                                  Mas quem sente muito, cala;
                                  Quem quer dizer quanto sente
                                  Fica sem alma nem fala,
                                  Fica só, inteiramente!
                                  Mas se isto puder contar-lhe
                                  O que não lhe ouso contar,
                                  Já não terei que falar-lhe
                                  Porque lhe estou a falar.


                                  Fernado pessoa


                                  :-* a tod@s
                                    De todos os canto do mundo
                                    Amo com um amor mais forte e mais puro
                                    Aquela praia extasiada e nua,
                                    Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

                                    Tópico da Escrita em dia
                                    #17

                                    Offline bluejazz

                                    • *****
                                    • Associad@ Honorári@
                                    • Membro Vintage
                                    • Género: Feminino
                                      • Homofobia
                                    LOL  ;D Olha, outro poema que eu também gosto imenso! Tenho esse do Fernando Pessoa num livrinho pequeno algures para o qual transcrevi... :) Bem, mas antes que me batam por estar a fazer comentários e pouco "Tópico da Escrita em Dia"...  :P ::) Aqui vai mais qualquer coisa. :)

                                    Para a Sarah... :)

                                    MERGED

                                    How can my self be so far away from here? When it lies in every word spoken about you? And when it is my mouth that speaks it mostly? My spirit spreads around with every sentence that has your name in it. It travels. And it stays there, wherever you are.
                                    So time and space, spirit and flesh are all the same. Your spirit lives in me and I live in your spirit. My flesh lives in you and you live in my flesh. Fluidly, without barriers. I am my words. My words are me. So, if I speak of you. I am you. If you're not here, I am not here.

                                    12 Dezembro 1999
                                      "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

                                      Tópico da Escrita em dia
                                      #18

                                      Offline Ines

                                      • ****
                                      • Membro Sénior
                                      • Género: Feminino
                                      • aprende a amar as tempestades, não fujas delas...
                                      bluejazz ;D ;D ;D ;D

                                      Então aki vai um poema muito especial para alguém ainda mais especial :-[ ::) ;D ;D ;D ;D



                                      Tira-me a luz dos olhos - continuarei a ver-te
                                      Tapa-me os ouvidos - continuarei a ouvir-te
                                      E, mesmo sem pés, posso caminhar para ti
                                      E, mesmo sem boca, posso chamar por ti.
                                      Arranca-me os braços e tocar-te-ei
                                      Com o meu coração como com uma mão...
                                      Despedaça-me o coração - e o meu cérebro baterá
                                      E, mesmo que faças do meu cérebro uma fogueira,
                                      Continuarei a trazer-te no meu sangue.

                                      Rainer Maria Rilke


                                      É simplesmente tudo  :-* ;)

                                      :-* a tod@s
                                        De todos os canto do mundo
                                        Amo com um amor mais forte e mais puro
                                        Aquela praia extasiada e nua,
                                        Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

                                        Tópico da Escrita em dia
                                        #19

                                        Offline Son_Of_Orion

                                        • *
                                        • Novo Membro
                                        Amar-te

                                        Amar-te é ser escravo do teu olhar!
                                        É ter sede de ti, de luar, de mito...
                                        É olhar p'ra ti, doce, a dormitar
                                        E ver-te prado, rasgando o infinito!

                                        Sobra serena... dor que me desterra...
                                        Meu Amor, sê meu, sê onda do mar!
                                        Sê lírio de luar gentil, que se cerra
                                        Sorrindo sobre mim, p'ra me abraçar!...

                                        Amar-te é ser um cálice de luto,
                                        Mar de mágoa e sangue em flor e em fruto,
                                        Beijando os Céus nos ermos dum planalto!

                                        É sepultar algures meu triste fado,
                                        P'ra ser rútila rosa rindo no prado
                                        E seres tu o Sol que brilha lá no alto!

                                        ............................
                                        A todos os queridos elementos deste fórum e, muito especialmente, para ti.
                                        Que descubram, nesta longa caminhada da vida o que significa o Amor, a Paz e a comunhão entre dois seres, entre duas almas... Eu ainda estou a aprender...

                                           

                                          Tópicos relacionados

                                            Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                                          20 Respostas
                                          9400 Visualizações
                                          Última mensagem 19 de Outubro de 2015
                                          por Organismo
                                          13 Respostas
                                          7387 Visualizações
                                          Última mensagem 30 de Março de 2011
                                          por Boreas
                                          86 Respostas
                                          29843 Visualizações
                                          Última mensagem 19 de Setembro de 2012
                                          por Boreas
                                          12 Respostas
                                          4187 Visualizações
                                          Última mensagem 16 de Julho de 2008
                                          por Hedwig
                                          27 Respostas
                                          4444 Visualizações
                                          Última mensagem 31 de Janeiro de 2016
                                          por codename:none