rede ex aequo

Olá Visitante19.set.2019, 07:25:54

Autor Tópico: Respostas da APA sobre Identidade de Género  (Lida 8623 vezes)

 
Respostas da APA sobre Identidade de Género
#0

Offline bluejazz

  • *****
  • Associad@ Honorári@
  • Membro Vintage
  • Género: Feminino
    • Homofobia
Answers to Your Questions About Transgender Individuals and Gender Identity

What does transgender mean?

Transgender is an umbrella term used to describe people whose gender identity (sense of themselves as male or female) or gender expression differs from that usually associated with their birth sex. Many transgender people live part-time or full-time as members of the other gender. Broadly speaking, anyone whose identity, appearance, or behavior falls outside of conventional gender norms can be described as transgender. However, not everyone whose appearance or behavior is gender-atypical will identify as a transgender person.

What is the difference between sex and gender?

Sex refers to biological status as male or female. It includes physical attributes such as sex chromosomes, gonads, sex hormones, internal reproductive structures, and external genitalia. Gender is a term that is often used to refer to ways that people act, interact, or feel about themselves, which are associated with boys/men and girls/women. While aspects of biological sex are the same across different cultures, aspects of gender may not be.

What are some categories or types of transgender people?

Transsexuals are transgender people who live or wish to live full time as members of the gender opposite to their birth sex. Biological females who wish to live and be recognized as men are called female-to-male (FTM) transsexuals or transsexual men. Biological males who wish to live and be recognized as women are called male-to-female (MTF) transsexuals or transsexual women. Transsexuals usually seek medical interventions, such as hormones and surgery, to make their bodies as congruent as possible with their preferred gender. The process of transitioning from one gender to the other is called sex reassignment or gender reassignment.

Cross-dressers or transvestites comprise the most numerous transgender group. Cross-dressers wear the clothing of the other sex. They vary in how completely they dress (from one article of clothing to fully cross-dressing) as well as in their motives for doing so. Some cross-dress to express cross-gender feelings or identities; others crossdress for fun, for emotional comfort, or for sexual arousal. The great majority of cross-dressers are biological males, most of whom are sexually attracted to women.

Drag queens and drag kings are, respectively, biological males and females who present part-time as members of the other sex primarily to perform or entertain. Their performances may include singing, lip-syncing, or dancing. Drag performers may or may not identify as transgender. Many drag queens and kings identify as gay, lesbian, or bisexual.

Other categories of transgender people include androgynous, bigendered, and gender queer people. Exact definitions of these terms vary from person to person, but often include a sense of blending or alternating genders. Some people who use these terms to describe themselves see traditional concepts of gender as restrictive.

Have transgender people always existed?

Transgender persons have been documented in many Western and non-Western cultures and societies from antiquity until the present day. However, the meaning of gender variance may vary from culture to culture.

Why are some people transgender?

There is no one generally accepted explanation for why some people are transgender. The diversity of transgender expression argues against any simple or unitary explanation. Many experts believe that biological factors such as genetic influences and prenatal hormone levels, early experiences in a person’s family of origin, and other social influences can all contribute to the development of transgender behaviors and identities.

How prevalent are transgender people?

It is difficult to accurately estimate the prevalence of transgender people in Western countries. As many as 2-3% of biological males engage in cross-dressing, at least occasionally. Current estimates of the prevalence of transsexualism are about 1 in 10,000 for biological males and 1 in 30,000 for biological females. The number of people in other transgender categories is unknown.

What is the relationship between transgender and sexual orientation?

The great majority of cross-dressers are biological males, most of whom are sexually attracted to women. People generally experience gender identity and sexual orientation as two different things. Sexual orientation refers to one’s sexual attraction to men, women, both,or neither, whereas gender identity refers to one’s sense of oneself as male, female, or transgender. Usually people who are attracted to women prior to transition continue to be attracted to women after transition, and people who are attracted to men prior to transition continue to be attracted to men after transition. That means, for example, that a biologic male who is attracted to females will be attracted to females after transitioning, and she may regard herself as a lesbian.

How do transgender people experience their transgender feelings?

Transgender people experience their transgender feelings in a variety of ways. Some can trace their transgender identities or gender-atypical attitudes and behaviors back to their earliest memories. Others become aware of their transgender identities or begin to experience gender-atypical attitudes and behaviors much later in life. Some transgender people accept or embrace their transgender feelings, while others struggle with feelings of shame or confusion. Some transgender people, transsexuals in particular, experience intense dissatisfaction with their birth sex or with the gender role associated with that sex. These individuals often seek sex reassignment.

What should parents do if their child appears to be transgender or gender-atypical?

Parents may be concerned about a child who appears to be gender-atypical for a variety of reasons. Some children express a great deal of distress about their assigned gender roles or the sex of their bodies. Some children experience difficult social interactions with peers and adults because of their gender expression. Parents may become concerned when what they believed to be a "phase” does not seem to pass. Parents of gender-atypical children may need to work with schools and other institutions to address their children’s particular needs and to ensure their children’s safety. It is often helpful to consult with a mental health professional familiar with gender issues in children to decide how to best address these concerns. In most cases it is not helpful to simply force the child to act in a more gender-typical way. Peer support from other parents of gender variant children may also be helpful.

How do transsexuals transition from one gender to the other?

Transitioning from one gender to another is a complex process. People who transition often start by expressing their preferred gender in situations where they feel safe. They typically work up to living full-time as members of their preferred gender, by making many changes a little at a time. Gender transition typically involves adopting the appearance of the desired sex through changes in clothing and grooming, adoption of a name typical of the desired sex, change of sex designation on identity documents, treatment with cross-sex hormones, surgical alteration of secondary sex characteristics to approximate those of the desired sex, and in biological males, removal of facial hair with electrolysis or laser treatments. Finding a qualified mental health professional to provide guidance and referrals to other helping professionals is often an important first step in gender transition. Connecting with other transgender people through peer support groups and transgender community organizations is also very helpful.

The Harry Benjamin International Gender Dysphoria Association (HBIGDA), a professional organization devoted to the treatment of transgender people, publishes The Standards of Care for Gender Identity Disorders, which offers recommendations for the provision of sex reassignment procedures and services.

Is being transgender a mental disorder?

A psychological condition is considered a mental disorder only if it causes distress or disability. Many transgender people do not experience their transgender feelings and traits to be distressing or disabling, which implies that being transgender does not constitute a mental disorder per se. For these people, the significant problem is finding the resources, such as hormone treatment, surgery, and the social support they need, in order to express their gender identity and minimize discrimination. However, some transgender people do find their transgender feelings to be distressing or disabling. This is particularly true of transsexuals, who experience their gender identity as incongruent with their birth sex or with the gender role associated with that sex. This distressing feeling of incongruity is called gender dysphoria.

According to the diagnostic standards of American psychiatry, as set forth in the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, people who experience intense, persistent gender dysphoria can be given the diagnosis of Gender Identity Disorder. This diagnosis is highly controversial among some mental health professionals and transgender people. Some contend that the diagnosis inappropriately pathologizes gender variance and should be eliminated. Others argue that, because the health care system in the United States requires a diagnosis to justify medical or psychological treatment, it is essential to retain the diagnosis to ensure access to care.

What kinds of mental health problems do transgender people face?

Transgender people experience the same kinds of mental health problems that nontransgender people do. However, the stigma, discrimination, and internal conflict that many transgender people experience may place them at increased risk for certain mental health problems. Discrimination, lack of social support, and inadequate access to care can exacerbate mental health problems in transgender people, while support from peers, family, and helping professionals may act as protective factors.

What kids of discrimination do transgender people face?

Antidiscrimination laws in most U.S. cities and states do not protect transgender people from discrimination based on gender identity or gender expression.

How can I be supportive of transgender family members, friends, or significant others?

• Educate yourself about transgender issues.

• Be aware of your attitudes concerning people with gender-atypical appearance or behavior.

• Use names and pronouns that are appropriate to the person’s gender presentation and identity; if in doubt, ask their preference.

• Don’t make assumptions about transgender people’s sexual orientation, desire for surgical or hormonal treatment, or other aspects of their identity or transition plans. If you have a reason to need to know, ask.

• Don’t confuse gender dysphoria with gender expression: Gender-dysphoric males may not always appear stereotypically feminine, and not all gender-variant men are gender-dysphoric; gender-dysphoric females may not always appear stereotypically masculine, and not all gender-variant women are gender-dysphoric.

• Keep the lines of communication open with the transgender person in your life.

• Get support in processing your own reactions. It can take some time to adjust to seeing someone who is transitioning in a new way. Having someone close to you transition will be an adjustment and can be challenging, especially for partners, parents, and children.

• Seek support in dealing with your feelings. You are not alone. Mental health professionals and support groups for family, friends, and significant others of transgender people can be useful resources.

http://www.apa.org/topics/transgender.html
    "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

    Respostas da APA sobre Identidade de Género
    #1

    Offline biri

    • *****
    • Membro Vintage
    • Género: Outro
    • Sometimes the within is piano black
    Tradução livre do post acima.



    Respostas às tuas questões acerca de identidade de género e indivíduos transgéneros.

    O que significa transgénero?

    Transgénero é um termo geral utilizado para descrever pessoas cuja identidade de género (consciência de si próprio como homem ou mulher) ou a sua expressão de género difere do que é geralmente associado ao sexo com que nasceram. Muitas pessoas transgéneras vivem a tempo inteiro ou a tempo parcial enquanto membros do género oposto. De um modo geral, qualquer pessoa cuja identidade, aparência ou comportamento está fora das normas convencionais para o seu género pode ser descrita como transgénero. No entanto, nem todos cuja aparência ou comportamento são atípicos para o seu género se irão identificar como uma trangéneros.


    Qual a diferença entre sexo e género?

    Sexo refere-se ao estatuto biológico como macho ou fêmea. Este inclui atributos físicos, tais como cromossomas sexuais, gónadas, hormonas sexuais, estruturas reprodutivas internas, e genitália externa. Género é um termo que é muitas vezes usado para se referir às formas que as pessoas agem, interagem, ou se sentem sobre si mesmos, que estão associados com os meninos/homens e meninas/mulheres. Enquanto características do sexo biológico são os mesmos em diferentes culturas, características de género podem não ser.


    Quais são algumas das categorias ou tipos de pessoas transgéneras?

    Transexuais são pessoas transgénras que vivem ou desejam viver a tempo inteiro como membros do género oposto ao seu sexo biológico. Mulheres biológicas que desejam viver e ser reconhecidos como homens são chamadas transexuais feminino para masculino (FTM) ou homens transexuais. Homens biológicos que desejam viver e ser reconhecidas como mulheres são chamados transexuais masculino para feminino (MTF) ou mulheres transexuais. Os transexuais procuram geralmente intervenções médicas, tais como hormonas e cirurgia, para tornar os seus corpos o mais congruente quanto possível com o seu género pretendido. O processo de transição de um género para o outro é chamado de mudança ou reatribuição de sexo.

    Cross-dressers ou travestis constituem o grupo transgénero mais numeroso. Cross-dressers vestem a roupa do sexo oposto. Estes variam na forma como se vestem (de uma peça de vestuário até à roupa completa), bem como os motivos para o fazer. Alguns vestem roupa do sexo oposto para expressar sentimentos do género oposto ou identidades, outros fazem-no por diversão, para conforto emocional, ou para excitação sexual. A grande maioria dos cross-dressers são homens biológicos, a maioria dos quais são sexualmente atraídos por mulheres.

    Drag queens e drag kings são, respectivamente, homens e mulheres biológicas que se apresentam a tempo parcial como membros do sexo oposto principalmente para actuar ou entreter. As suas apresentações podem incluir canto, playback, ou dança. Os artistas Drag podem ou não se identificarem como transgéneros. Muitas Drag queens e muitos Drag kings identificam-se como gays, lésbicas ou bissexuais.

    Outras categorias de pessoas transgéneras podem incluir andróginos, bigéneros e pessoas de género indefinido. As definições exactas destes termos variam de pessoa para pessoa, mas geralmente incluem uma sensação de mistura ou alternância de sexos. Algumas pessoas que usam esses termos para se descreverem vêem os conceitos tradicionais de género como restritivos.


    Os transexuais sempre existiram?

    Os transexuais têm sido documentados em muitas culturas ocidentais e não ocidentais e nas sociedades da antiguidade até os dias actuais. No entanto, o significado de variância género pode variar de cultura para cultura.


    Porque é que algumas pessoas são transgéneras?

    Não há uma explicação geralmente aceite porque é que algumas pessoas são transgéneras. A diversidade da expressão transgénera argumenta contra qualquer explicação simples ou unitária. Muitos especialistas acreditam que factores biológicos, tais como influências genéticas e níveis hormonais pré-natais, experiências iniciais na família de origem de uma pessoa, e outras influências sociais possam contribuir para o desenvolvimento de comportamentos e identidades transgéneras.


    Quão prevalentes são as pessoas transgéneras?

     É difícil estimar com precisão a prevalência de pessoas transgéneras nos países ocidentais. Cerca de 2-3% dos homens biológicos envolvem-se em cross-dressing, pelo menos ocasionalmente. As estimativas actuais da prevalência do transexualismo é de 1 em 10.000 para homens biológicos e 1 em 30.000 para mulheres biológicas. O número de pessoas nas outras categorias transgéneras é desconhecida.


    Qual a relação entre transgenerismo e orientação sexual?

    A grande maioria dos cross-dressers são homens biológicos, a maioria dos quais são sexualmente atraídos por mulheres. As pessoas geralmente têm a identidade de género e a orientação sexual como duas coisas diferentes. A orientação sexual refere-se a uma de actração sexual por homens, mulheres, ambos, ou nenhum, enquanto identidade de género refere-se a uma consciência de si mesmo como homem, mulher ou transgénero. Geralmente as pessoas que se sentem atraídas por mulheres antes da transição continuam a ser atraídos por mulheres após a transição, e as pessoas que são atraídas para os homens antes da transição continuam a ser atraídas por homens depois da transição. Isso significa, por exemplo, que um homem biológico, que é atraído por mulheres será atraído por mulheres após a transição, e poderá considerar-se como lésbica.


    Como é que as pessoas transgéneras descobrem os seus sentimentos transgéneros?

     As pessoas transgéneras descobrem os seus sentimentos transgéneros de um modo variado. Alguns podem encontrar indícios das suas identidades transgéneras ou de atitudes e comportamentos atípicos de género nas suas memórias mais antigas. Outros tornam-se conscientes de suas identidades transgéneras ou começar a experienciar atitudes e comportamentos atípicos de género muito mais tarde na vida. Algumas pessoas transgéneras aceitaam ou adoptam os seus sentimentos transgéneros, enquanto outros se debatem com sentimentos de vergonha ou confusão. Alguns transgéneros, transexuais em especial, experienciam intensa insatisfação com o seu sexo biológico ou com o papel de género associado ao seu sexo. Essas pessoas muitas vezes procuram reatribuição de sexo.


    O que devem fazer os pais se o seu filho aparenta ser transgénero ou género atípico?

     Os pais podem estar preocupados com uma criança que aparente ser de género atípico por uma variedade de razões. Algumas crianças expressam uma grande angústia sobre os seus papéis de género atribuídos ou com o sexo dos seus corpos. Algumas crianças experienciam difíceis interacções sociais com os seus pares e adultos devido à sua expressão de género. Os pais podem ficar preocupados quando o que eles acreditavam ser uma "fase" parece não passar. Pais de crianças de género atípico podem precisar de trabalhar com escolas e outras instituições para atender às necessidades dos seus filhos em particular e para garantir a segurança dos seus filhos. É sempre útil consultar com um profissional de saúde mental familiarizado com as questões de género em crianças para decidir a melhor forma de responder a estas preocupações. Na maioria dos casos, não é útil simplesmente forçar a criança a agir de uma forma mais típica ao seu género. O apoio pais de outras crianças com variantes de género também poderá ser útil.


    Como fazer os transexuais a transição de um género para o outro?

     A transição de um sexo para outro é um processo complexo. As pessoas que fazem a transição muitas vezes iniciam expressando seu género pretendido em situações onde se sentem seguros. Costumam trabalhar para viver a tempo inteiro como membros de género pretendido, fazendo muitas mudanças um pouco de cada vez. A transição de género tipicamente envolve a adopção da aparência do sexo desejado através da mudanças no vestuário, a adopção de um nome típico do sexo desejado, a mudança de designação de sexo nos documentos de identidade, o tratamento hormonal, alteração cirúrgica de características sexuais secundárias para aproximar as pessoas do sexo desejado, e em homens biológicos, a remoção dos pêlos faciais com tratamentos de electrólise ou laser. Encontrar um profissional de saúde mental qualificado para fornecer orientações e encaminhamentos para outros profissionais de ajuda é muitas vezes um primeiro passo importante na transição de género. Contactos com outras pessoas transgéneras através de grupos de apoio e de organizações comunitárias transgéneras também é muito útil.

    A Harry Benjamin International Gender Dysphoria Association (HBIGDA) - Harry Benjamin Associação Internacional para a Disforia de Género, uma organização profissional dedicada ao tratamento das pessoas transgéneras, publica The Standards of Care for Gender Identity Disorders (Os Padrões de Cuidados de Transtornos de Identidade de Género), que oferece recomendações para a prestação de serviços e procedimentos de reatribuição sexual.


    Ser-se transgénero é um transtorno mental?

    Uma condição psicológica é considerada um transtorno mental apenas se esta causa sofrimento ou incapacidade. Muitos transgéneros não definem os seus sentimentos e características transgéneras como angustiantes ou incapacitantes, o que implica que ser-se transgénero não constitui um transtorno mental, por si só. Para essas pessoas, o grande problema é encontrar os recursos, tais como tratamentos hormonais, cirurgias, e o apoio social de que necessitam, a fim de expressar sua identidade de género e minimizar a discriminação.

    No entanto, alguns transgéneros definem os seus sentimentos transgéneros como angustiantes ou incapacitantes. Isto é particularmente verdade para os transexuais, que experienciam a sua identidade de género como incongruente com seu sexo biológico ou com o papel de género associado ao seu sexo. Esse sentimento angustiante de incongruência é chamado de disforia de género.

    De acordo com os padrões de diagnóstico da psiquiatria norte-americana, conforme estabelecido no Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), as pessoas que tenha uma disforia de género intensa e persistente, pode ser dado o diagnóstico de Transtorno de Identidade de Género. Este diagnóstico é altamente controverso entre alguns profissionais de saúde mental e pessoas transgéneras. Alguns afirmam que o diagnóstico de forma inadequada patologiza a variação de género e deve ser eliminado. Outros argumentam que, como o sistema de saúde nos Estados Unidos requer um diagnóstico para justificar um tratamento médico ou psicológico, é essencial manter o diagnóstico para garantir o acesso aos cuidados de saúde.


    Que tipos de problemas de saúde mental enfrentam os transgéneros?

     As pessoas transgéneras têm os mesmos tipos de problemas de saúde mental que as pessoas não transgéneras. No entanto, o estigma, a discriminação e o conflito interno que muitos transgéneros experienciam, podem aumentar o risco para certos problemas de saúde mental. Discriminação, falta de apoio social, e acesso inadequado aos cuidados de saúde podem agravar os problemas de saúde mental em pessoas transgéneras, enquanto o apoio dos pares, familiares e profissionais podem actuar como fatores de protecção.


    Que tipos de discriminação enfrentam as pessoas transgéneras?

     Leis contra a discriminação na maior parte das cidades e estados dos EUA não protegem os transgéneros de discriminação baseada no sexo, identidade ou expressão de género.

     Como posso apoiar os membros da família de um transgénero, amigos ou outras pessoas significativas?

     • Informa-te sobre questões transgéneras.

     • Está ciente de suas atitudes relativamente às pessoas com uma aparência ou comportamento atípico para o género.

     • Usa nomes e pronomes que são apropriados para a apresentação de género e de identidade da pessoa; em caso de dúvida, pergunta a sua preferência.

     • Não faças suposições sobre a orientação sexual das pessoas transgéneras, o desejo por tratamento cirúrgico ou hormonal, ou outros aspectos da sua identidade ou planos de transição. Se tiveres um motivo para precisares de saber, pergunta.

     • Não confundas disforia de género com a expressão género: Homens com disforia de género podem nem sempre aparecer estereotipadamente femininos, e nem todos os homens com géneros variantes padecem de disforia de género; mulheres com disforia de género podem nem sempre aparecer estereotipadamente masculinas, e nem todas as mulheres com géneros variantes padecem de disforia de género.

     • Mantém as linhas de comunicação abertas com a pessoa transgénera na tua vida.

     • Obtém apoio para processar as tuas próprias reacções. Pode levar algum tempo para ajustar a ver alguém que está em transição de uma nova maneira. Ter alguém próximo de ti em transição será um ajustamento e pode ser desafiante, especialmente para os parceiros, pais e crianças.

     • Procurar apoio para lidar com teus sentimentos. Não estás sozinho. Profissionais de saúde mental e grupos de apoio para a família, amigos e outras pessoas significativas de pessoas transgénero podem ser recursos úteis.

    http://www.apa.org/topics/transgender.html
      You live long enough to hear the sound of guns, to find yourself screaming every night, long enough to see your friends betray you. For years I've been strapped unto this altar. Now I only have 3 minutes and counting. I just wish the tide would catch me first and give me a death I always longed for.

      Respostas da APA sobre Identidade de Género
      #2

      DianaSalvado

      • Visitante
      Um texto extremamente informativo e interessante. Muito obrigada por publicarem!  :D

         

        Tópicos relacionados

          Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
        51 Respostas
        50867 Visualizações
        Última mensagem 6 de Abril de 2014
        por ruben5
        Igualdade de Género/Questões de Género

        Iniciado por sarinha « 1 2 3 » Geral

        50 Respostas
        12514 Visualizações
        Última mensagem 26 de Março de 2017
        por TiagoJoao
        154 Respostas
        54053 Visualizações
        Última mensagem 15 de Novembro de 2014
        por danielfbento
        Identidade de Género Não-Binária

        Iniciado por JoãoSalvado Trans

        4 Respostas
        1220 Visualizações
        Última mensagem 9 de Setembro de 2016
        por JoãoSalvado
        0 Respostas
        535 Visualizações
        Última mensagem 15 de Julho de 2017
        por Dita J