rede ex aequo

Olá Visitante02.dez.2020, 03:32:19

Autor Tópico: Praxe  (Lida 102379 vezes)

 
Praxe
#300

Offline Spektrum

  • *****
  • Membro Vintage
  • Género: Feminino
  • [P]oiesis.
Spoiler (clica para mostrar/esconder)

Concordo. Embora tenha amigos que são excelentes alunos, e igualmente devotos às actividades praxísticas, também constatei que, em geral, os mais fiéis à praxe se tornaram alunos mais desleixados e, consequentemente, deixam mais UC's para trás. A meu ver, creio ser uma má gestão de prioridades (e tempo) por parte de pessoas que facilmente se deixam maravilhar pelo espírito de pertença que a praxe acarta, mas sou apenas uma mera observadora a opinar! Não tomo tal anotação como facto científico, nem acho que a praxe se possa correlacionar, desse modo, com o aproveitamento escolar. Como disse, tenho amigos que adoram a praxe, participam assiduamente nela, e são excelentes alunos. Uma coisa não impede a outra, mas nem todos conseguem tal proeza.

Em relação aos introvertidos, e por experiência própria falo, senti-me um pouco excluída devido a tal característica. O facto de rejeitar o álcool e as saídas à noite também não ajudou muito à integração. Os meus colegas viam-me como uma marrona que passava a vida fechada em casa a estudar, rejeitando todas as propostas para sair. Certo é que nunca quis sair com aquelas pessoas, tinha mais que fazer, e mesmo que não tivesse, antes só do que mal acompanhada!
Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Foi difícil encontrar pessoas com os mesmos objectivos que eu: ir às aulas, cooperar nos trabalhos e passar às UC's com a melhor nota possível, pelo que dificilmente encontrei grupos de trabalho ou criei laços com os meus colegas. Maior parte dos jovens perde-se no meio de toda a novidade. :-X
    “Always be a poet, even in prose.”
    ― Charles Baudelaire

    Praxe
    #301

    Offline RFields

    • ***
    • Membro Total
    • Género: Feminino
      • Facebook
    Só tenho a agradecer à Praxe do ISCTE.
    "Dizem que somos loucos da cabeça... Somos a família mais unida. Melhor trajeto das nossas vidas" :D
    Este ano lá estarei a praxar os caloiros :)
      One thing I learned in my travels is that you can be miserable anywhere. And happy anywhere too. Its about where you are inside.

      Praxe
      #302

      Offline JDelgado

      • *****
      • Membro Elite
      • Género: Masculino
      • Simply lost
        • Facebook
      Também partilho da mesma opinião e acrescento que uma das coisas que eu também não gostei e não concordo e com a homofobia que muitas vezes existe
      A praxe poderia ser um excelente meio para desmitificar o preconceito de que ser homossexual é negativo! Mas quem está à frente dela (embora alguns sejam homossexuais) não possui carácter para vislumbrar tal ideia.



      Concordo a 100%.
      A praxe deveria estar na linha da frente contra a homofobia e contra qualquer tipo de descriminação, a praxe até podia ser um importante apoio nesse aspecto, agora falta é muita vezes vontade de mudar as coisas e existe muita falta de coragem para  defender os LGBTs contra estas situações de opressão e descriminação
        Mesmo na mais escura da escuridão, haverá sempre uma luz a brilhar para nos guiar.
        Basta saber encontra-la

        Praxe
        #303

        Kaiser

        • Visitante
        http://expresso.sapo.pt/-praxe-na-universidade-e-na-vida-integra-te-na-cobardia=f681558#ixzz2fxEuiBLE

        Vale a pena ler.

        Acredito que há pessoas que tenham boas experiencias com as praxes e blablabla etc sejam muito felizes parabens. Mas está-vos a falhar aqui algo muito importante. A praxe não é um problema humano, é um problema institucional.

        Ao participarem nas praxes só estão a contribuir para a continuação de um cancro institucional que incute a submissão como normal às pessoas. Que as formata completamente. O individuo desaparece. O espirito critico não é bem vindo e inclusivé é visto como negativo. Qualquer pessoa que questione a instituição e a "tradição" (lol) da praxe é criticada e excluida, conscientemente ou inconscientemente. Obviamente ou subvertidamente.

        Por estas razões eu assumo-me  contra a praxe (e bastante radical acrescento), é um mecanismo de formatação e de submissão a uma "autoridade" (lol) e a uma "tradição" (huehuehue) que não existe, nunca existiu, nem nunca existirá.
        « Última modificação: 18 de Setembro de 2014 por Kaiserina »

          Praxe
          #304

          Offline lxmartini

          • *****
          • Membro Ultra
          • Género: Masculino
          Considero ser um pouco extremista dizer que a praxe elimina qualquer individualização, espirito crítico e afins. Aliás, se o eliminar e´durante as actividades praxísticas, e apenas. e para a larga maioria, as actividades praxísticas são para a borga.
          Agora, eu participei na praxe, e tudo o que afirmas acontecer, não ocorreu em mim nem em ninguem que conheça... acho que algumas pessoas veem filmes a mais.. ou reportagens da tvi  lol

            Praxe
            #305

            Kaiser

            • Visitante
            É exactamente isto que estava a falar. Qualquer pessoa que questione a "tradição" da praxe é logo ridicularizada. "Vês muitos filmes e reportagens da tvi loplolololololoolololo".

              Praxe
              #306

              Offline lxmartini

              • *****
              • Membro Ultra
              • Género: Masculino
              Mas não falei aquilo por questionares a praxe. Qualquer pessoa pode faze-lo. Tenho bastantes amigos que o fazem. eu próprio sou da opinião que alguns estabelecimentos deviam optar por uma praxe mais soft!
              eu falei aquilo porque, de facto, tu não questionaste... tu simplesmente lançaste suposições e teorias sobre algo que se calhar nem vivenciaste. Lançaste teorias sobre as pessoas que a frequentam quando nem as conheces nem sabes o que as move...

              Desculpa, mas questionar e´levantar questões pertinentes sobre algum assunto de modo a obter informações fundamentadas sobre ele. e, com todo o respeito, limitaste-te a lançar bazucas  lol

              A praxe e´daquelas coisas em que vai quem quer. em que vai quem gosta. Criticar o que os outros gostam só porque NÓS não gostamos e´algo um tanto pouco tirano. :p

              « Última modificação: 18 de Setembro de 2014 por lxmartini »

                Praxe
                #307

                Kaiser

                • Visitante
                Mas não falei aquilo por questionares a praxe. Qualquer pessoa pode faze-lo. Tenho bastantes amigos que o fazem.
                eu falei aquilo porque, de facto, tu não questionaste... tu simplesmente lançaste suposições e teorias sobre algo que se calhar nem vivenciaste. Lançaste teorias sobre as pessoas que a frequentam quando nem as conheces nem o que as move...

                Desculpa, mas questionar e´levantar questões pertinentes sobre algum assunto de modo a obter informações fundamentadas sobre ele. e, com todo o respeito, limitaste-te a lançar bazucas  lol

                A praxe e´daquelas coisas em que vai quem quer. em que vai quem gosta. Criticar o que os outros gostam só porque NÓS não gostamos e´algo um tanto pouco tirano. :p

                Mostra-me um exemplo de uma pessoa a questionar a praxe sem ser imediatamente afogado com argumentos que não tenham nada a ver ou que não sejam puras falacias. Fico a aguardar.

                Isto não são suposições nem teorias. É o que eu concluo a observar a pratica da praxe. Eu nunca fui a uma praxe nem faço intenção de ir, mas isso é completamente irrelevante. A praxe é uma instituição e eu tenho o direito de lançar as criticas que eu quiser e ninguem me pode impedir de o fazer. E volto a dizer caso não tenhas percebido. A praxe não é um problema humano. Conhecer quem participa nelas ou o facto de haver pessoas que gostam da praxe é completamente irrelevante. A praxe é um problema institucional.

                Eu limitei-me a dizer o que eu pessoalmente acho da praxe. Tu limitaste-te a ridiculizares tudo o que disse dizendo que "vejo muitos filmes"  :zzz E a dizer que "limitei-me a lançar bazucas". Eu nunca disse que a minha opinião e digo novamente pessoal seria imparcial. Eu disse no post anterior logo que era uma anti-praxista radical inclusivé. Tu no entanto limitas-te a policiar o meu tom e as minhas opiniões dizendo que só estou praqui a mandar "bazucas". Pronto ok a minha opinião é parva e não conta para nada, bela argumentação.

                "A praxe só vai quem quer". Em teoria é tudo assim. Tal como um trabalhador indiano a matar-se a trabalhar no Qatar a construir estadios por uma malga de arroz tambem só está lá "porque quer", não é? O argumento de só vai quem quer não pega quando há doutores e outros estudantes a assediar os estudantes novos para irem para as praxes. E esse assédio pode acontecer e acontece (que já me foi possivel testemunhar varias instancias de isto acontecer e ouvir reclamaçoes de estudantes a passarem por isso) tanto de forma consciente e visivel, como de forma inconsciente e subtil.

                A prioridade devia ser dada as pessoas que se sentem ofendidas e oprimidas pela instituição da praxe, pois este é o grupo de maior risco. Em vez disso da-se prioridade ao fulano que diz "Mas eu gosto da praxe herp derp". Parabens.

                Estamos conversados.
                « Última modificação: 18 de Setembro de 2014 por Kaiserina »

                  Praxe
                  #308

                  Offline lxmartini

                  • *****
                  • Membro Ultra
                  • Género: Masculino
                  A comparação foi tão descabida que perdi qualquer vontade de responder. :S
                  Como falei, algumas instituições às vezes vão longe demais. Porem, a maioria não e´assim.
                  O teu radicalismo cega o teu julgamento.

                  Abraço.

                    Praxe
                    #309

                    Kaiser

                    • Visitante
                    Essa conclusão foi apenas eu a levar o "só vai quem quer" à sua extremidade logica para demonstrar o que realmente é o "só vai quem quer".

                      Praxe
                      #310

                      Brooklyn Nights

                      • Visitante
                      Entrei agora para a Universidade de Coimbra e estou a adorar a praxe. É verdade que por causa daquilo que aconteceu no Meco isto levou um abanão, porque agora não há um dia em que não chegue ao pé de mim um veterano e me pergunte se eu estou a divertir-me, se aconteceu alguma coisa que eu não gostei, se houve algum abuso, coisas assim. Para ser sincero, eu acho que eles (os doutores e veteranos) estão com um bocadinho de receio que caso aconteça alguma coisa a comunicação social possa pegar nisso e voltar a criar um escândalo. Mas Coimbra é Coimbra, aqui a praxe tem muito mais impacto do que noutros locais.

                        Praxe
                        #311

                        Offline lxmartini

                        • *****
                        • Membro Ultra
                        • Género: Masculino
                        Essa conclusão foi apenas eu a levar o "só vai quem quer" à sua extremidade logica para demonstrar o que realmente é o "só vai quem quer".

                        Continua desprovido de sentido. Demonstra nada em concreto nem novo na conversa inicial.
                        Peace out!  ;)

                          Praxe
                          #312

                          Kaiser

                          • Visitante
                          Se tu o dizes.  ::)

                            Praxe
                            #313

                            Offline gang.coper.lover

                            • *
                            • Novo Membro
                            • Género: Masculino
                            • Estudante de Engenharia no Porto
                            Mas não falei aquilo por questionares a praxe. Qualquer pessoa pode faze-lo. Tenho bastantes amigos que o fazem.
                            eu falei aquilo porque, de facto, tu não questionaste... tu simplesmente lançaste suposições e teorias sobre algo que se calhar nem vivenciaste. Lançaste teorias sobre as pessoas que a frequentam quando nem as conheces nem o que as move...

                            Desculpa, mas questionar e´levantar questões pertinentes sobre algum assunto de modo a obter informações fundamentadas sobre ele. e, com todo o respeito, limitaste-te a lançar bazucas  lol

                            A praxe e´daquelas coisas em que vai quem quer. em que vai quem gosta. Criticar o que os outros gostam só porque NÓS não gostamos e´algo um tanto pouco tirano. :p

                            Mostra-me um exemplo de uma pessoa a questionar a praxe sem ser imediatamente afogado com argumentos que não tenham nada a ver ou que não sejam puras falacias. Fico a aguardar.

                            Isto não são suposições nem teorias. É o que eu concluo a observar a pratica da praxe. Eu nunca fui a uma praxe nem faço intenção de ir, mas isso é completamente irrelevante. A praxe é uma instituição e eu tenho o direito de lançar as criticas que eu quiser e ninguem me pode impedir de o fazer. E volto a dizer caso não tenhas percebido. A praxe não é um problema humano. Conhecer quem participa nelas ou o facto de haver pessoas que gostam da praxe é completamente irrelevante. A praxe é um problema institucional.

                            Eu limitei-me a dizer o que eu pessoalmente acho da praxe. Tu limitaste-te a ridiculizares tudo o que disse dizendo que "vejo muitos filmes"  :zzz E a dizer que "limitei-me a lançar bazucas". Eu nunca disse que a minha opinião e digo novamente pessoal seria imparcial. Eu disse no post anterior logo que era uma anti-praxista radical inclusivé. Tu no entanto limitas-te a policiar o meu tom e as minhas opiniões dizendo que só estou praqui a mandar "bazucas". Pronto ok a minha opinião é parva e não conta para nada, bela argumentação.

                            "A praxe só vai quem quer". Em teoria é tudo assim. Tal como um trabalhador indiano a matar-se a trabalhar no Qatar a construir estadios por uma malga de arroz tambem só está lá "porque quer", não é? O argumento de só vai quem quer não pega quando há doutores e outros estudantes a assediar os estudantes novos para irem para as praxes. E esse assédio pode acontecer e acontece (que já me foi possivel testemunhar varias instancias de isto acontecer e ouvir reclamaçoes de estudantes a passarem por isso) tanto de forma consciente e visivel, como de forma inconsciente e subtil.

                            A prioridade devia ser dada as pessoas que se sentem ofendidas e oprimidas pela instituição da praxe, pois este é o grupo de maior risco. Em vez disso da-se prioridade ao fulano que diz "Mas eu gosto da praxe herp derp". Parabens.

                            Estamos conversados.

                            Ad hominem, ad hominem everywhere. Nao há nenhum argumento aqui, apenas insultos porque não concordaram com a tua opinião

                            Praxe
                            #314

                            Kaiser

                            • Visitante
                            E é porque queres  ::)

                              Praxe
                              #315

                              Offline Juh'

                              • *****
                              • Membro Elite
                              • Género: Feminino
                              • Potterhead.
                                • FB
                              Apesar de tudo o que aconteceu no último ano, esta semana de praxe correu bem melhor do que estava à espera. Para meu 5º e último ano, foi uma semana de praxe memorável, e sei que os caloiros estavam lá porque queriam, e pediam por mais. Ao fim de 5 dias ja conheciam os colegas todos e ja se abraçavam e sentiam o espirito de união. Estavam exaustos sim, mas de rir e se divertirem. :) que continue assim por muitos e muitos anos!
                                After all this time?
                                Always...

                                Praxe
                                #316

                                Offline Flanc

                                • ****
                                • Membro Sénior
                                • Género: Masculino
                                  • facebook
                                Vou deixar aqui a minha opinião, principalmente porque me irrita a forma como a praxe está a ser retratada pelos media.
                                 Fui praxado e praxei em Évora, na nossa tradição a praxe dura cerca de um mês e meio, não olhamos nos olhos dos srs. estudantes, não falamos com eles como se fossem nossos amigos, não somos amigos no facebook, a nossa relação é de bicho - sr. estudante. Já fui ambos e digo com todo o orgulho que AMEI a tradição académica de Évora.
                                 Há alguns problemas na praxe, é óbvio, problemas que são, devo acrescentar, a preocupação nº 1 dos que praxam como deve de ser. Antes de começarmos a praxar eu e a minha turma procuramos todas as doenças, problemas de saúde e alergias que os bichos pudessem ter, respeitámos os seus problemas psicológicos, mas não os tratamos como se fossem nossos amigos, tivemos sempre a certeza de que essa linha nunca era atravessada.
                                 A praxe é dura? É, sim, ninguém disse que não seria. Há estudos que demonstram que grupos para os quais lutamos para entrar são os mais valorizados, por exemplo, um clube de milionários, é valorizado porque nem todas as pessoas podem lá entrar. Portanto, não me venham dizer que a praxe exclui os que não são praxados, não, a praxe estabelece fortes relações num grupo de indivíduos no qual quem não foi praxado não entrou porque não quis. A praxe não serve, na minha opinião, para propagar boas ondas ou para mensagens de justiça social, a praxe já tem uma finalidade, que, curiosamente, tende a ser desvalorizada pelas pessoas anti-praxe. Acima de tudo é de lembrar que a praxe é completamente opcional , por isso, só participa quem quer. Depois há argumentos como "Ah, eu não participei e fui excluindo do grupo, por isso a praxe é praticamente obrigatória", bom, e como é que isso é mau? Estas pessoas quiseram participar em actividades nas quais não tinham a obrigação de participar, por muito incomodas que fossem (sim, porque ninguém gosta de levar com polpa de tomate na cabeça), e por isso recebem regalias, formam amizade com pessoas que já participam na universidade há mais tempo, têm acesso a um espaço no qual conseguem mais facilmente formar amizades com os seus pares, não podemos, certamente, esperar que alguém que decidiu não participar na parte chata tenha também as regalias dos que decidiram participar. A praxe serve como ferramenta de desinibição e integração, só porque não inclui os que não participam não quer dizer que é um instrumento de exclusão. Acima de tudo, não me canso de dizer que a praxe é obrigatória e que mesmo os que não participam podem integrar-se num grupo sem problemas. Um dos meus melhores amigos na universidade nunca participou em praxes e era dos indivíduos mais bem integrados na turma.
                                P.s. curiosamente, uma grande parte da oposição à praxe vem de pessoas que nunca participaram nem tencionam participar na praxe, enquanto os que estão a favor participaram na praxe, dá que pensar.

                                  Praxe
                                  #317

                                  Di HF

                                  • Visitante
                                  Vou apenas fazer aqui um breve comentário para as pessoas antipraxe perceberem um pouco o que se passa na praxe.
                                  Um dia qualquer na praxe, gozaram com a homossexualidade e tiveram comportamentos homofóbicos. Não todos, mas alguns dos doutores. Fiquei muito mal, quase que quis desistir da praxe. No dia seguinte dirigi-me à pessoa que estava responsável por aquelas atitutes. Ele pediu-me desculpa, sentiu-se mal, voltou a pedir desculpa. Prometeu (e está a cumprir) que iria fazer de tudo para acabar com essas situações e que se algum dia algo do género voltasse a acontecer, ele seria a primeira pessoa a parar a situação.
                                  Isto para dizer que quando alguém sentir alguma coisa incorreta na praxe, basta falar sobre isso. Eles irão corrigir o erro. E lembrem-se de outra coisa, se alguém fizer algo incorreto noutro local, jamais o corrigirão.

                                    Praxe
                                    #318

                                    Offline JDelgado

                                    • *****
                                    • Membro Elite
                                    • Género: Masculino
                                    • Simply lost
                                      • Facebook

                                    No meu caso não foi bem assim, muito pelo contrario, eu senti-me mal na praxe por causa  de situações como essas, e expliquei ao pessoal as razões pelas quais não me senti bem, e posso dizer que para alem de não me terem respeitado nem me terem ouvido, ainda fui marcado e gozada ao longos dos anos pelo pessoal, posso dizer que praxe foi das piores coisas que passei no ensino superior, fio porque na altura era uma pessoa muito timido e muito intrvertido e com pouca autoestima, fui porque fui bastante coagido e não consegui dizer que não, pois não eu estava bastante sozinho e com bastante receio da reacção do pessoal receio esses que se vieram a confirmar, pois eu fui bastante mal tratado por ter dito que não gostava da praxe e por me ter queixado, chegando ao extremo de me terem feito esperas nos wc.

                                    Se o pessoal se ente revoltado por  o pessoal anti-praxe se andar a falar da praxe, eu então pesso imensa desculpa mas eu também sinto imensa revolta  pela praxe, por o que me ela fez passar e pelo grande sofrimento que esta me causou, sinto imensa revolta pelos maus tratos que sofri e com isso, chegando ao ponto de chegar a uma altura onde não me sentia bem na minha faculdade e ver o meu desempanho a ser prejudicado, sinto-me revoltado por sentir que com isto perdi uma faze importante da minha vida, uma vez que não conseguir ter uma vida social e me ter sentido integrado no ambiente académico pois passei grande parte da minha vida académica sozinho, sendo que isto contribui bastante para o meu estado de solidão que me encontro neste momento, ja que oa amigos do sencundario cada um ja segui a sua vida e agora fiquei praticamente sem ninguém, e sinto tambem bastante reolval pela falta de tolerância e pela falta de repto que muitas do pessoal "da praxe" não saber ouvir e ser pouco intolerante com o pessoa que não gostou da praxe o que é "antipraxe"

                                    Eu a unica coisa que eu queria estar a vontade num ambiente académico, , onde pudesse estar a vontade,  ter um grupo de amigos, onde me senti-se bem, onde pudesse estar acompanho e onde pudesse sair e divertir-me também, sem ter tido de passar por esse ambiente hostil/agressivo/militar da praxe...
                                      Mesmo na mais escura da escuridão, haverá sempre uma luz a brilhar para nos guiar.
                                      Basta saber encontra-la

                                      Praxe
                                      #319

                                      Di HF

                                      • Visitante
                                      JDelgado, lamento imenso por a tua experiência ter sido tão negativa. É mau para quem gosta da praxe e vive realmente aquilo, ouvir alguém falar assim, que passou coisas más, que sofreu... Esse não é o objetivo.

                                      Pelo que tenho lido aqui, foste a primeira pessoa com razão a falar em ser antipraxe.

                                      Espero que hoje já consigas dizer que não com mais facilidade. Não és obrigado a fazer nada que não queiras. E falo isto a nível de vida e não a respeito deste tema.

                                      Boa sorte para ti. E que tudo corra pelo melhor.