Fórum da rede ex aequo

Outras Conversas => Espiritualidade, Sobrenatural e Religião => Tópico iniciado por: Elizabeth Siddal em 27.jul.2012, 16:08:41

Título: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Elizabeth Siddal em 27.jul.2012, 16:08:41
Olá a tod@s :)

"Por Que Não Sou Cristão" é o título de um livro do filósofo Bertrand Russel. Lembrei-me de pegar no título deste livro e criar um tópico para saber os motivos que os levam a ser ou não cristãos, a ser ou não católicos. Não são católicos porque não se identificam com a doutrina da igreja católica? Não são católicos porque não acreditam nos padres? Mas acreditam em Deus e em Jesus Cristo? Porquê?  São cristãos mas não católicos? Acreditam nos valores básicos da Igreja (católica ou outra cristã) mas não seguem à risca?

Enfim, gostaria que comentassem o tópico.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Philippos13 em 27.jul.2012, 17:16:35
A resposta curta a esta questão seria: não sou cristão/católico porque a minha capacidade de raciocinar não mo permite.

Nunca acreditei verdadeiramente em Deus. Esta ausência de crença religiosa começou por ser apenas indiferença: durante muito tempo não me preocupei com a religião nem com Deus porque não tinham qualquer papel na minha vida. Mais tarde, à medida que fui amadurecendo ideias, percebi que era importante examinar com cuidado as minhas ideias acerca de Deus, tanto para me conhecer a mim próprio como para poder formar uma opinião informada sobre o assunto. Após alguns anos em que me dediquei (com mais ou menos afinco) a investigar o assunto e reflectir sobre ele, concluí que a única posição razoável seria o ateísmo. E tem sido esta a minha posição em relação a Deus desde então.

Quanto à Igreja Católica em particular, não me identifico com muitas das suas posições. No entanto, li a Bíblia e, apesar de muito do que lá está não fazer sentido fora do contexto histórico e cultural em que foi escrito, existem algumas ideias interessantes. No entanto, parece-me que algumas dessas ideias, as mais consensuais, correspondem a valores morais que não têm nada a ver com Deus ou a religião. Por exemplo, se eu escrevesse um livro que defendesse a existência de unicórnios e que advogasse também a paz como objectivo fundamental para a humanidade, não seria difícil conceber que muitas pessoas se identificassem com o segundo ponto sem acreditarem no primeiro (ou mesmo negando a veracidade do primeiro). É mais ou menos isto que sinto em relação a alguns (repito, alguns) valores presentes na Bíblia e promovidos pela Igreja Católica.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Elizabeth Siddal em 30.jul.2012, 15:30:43


Quanto à Igreja Católica em particular, não me identifico com muitas das suas posições. No entanto, li a Bíblia e, apesar de muito do que lá está não fazer sentido fora do contexto histórico e cultural em que foi escrito, existem algumas ideias interessantes. No entanto, parece-me que algumas dessas ideias, as mais consensuais, correspondem a valores morais que não têm nada a ver com Deus ou a religião. Por exemplo, se eu escrevesse um livro que defendesse a existência de unicórnios e que advogasse também a paz como objectivo fundamental para a humanidade, não seria difícil conceber que muitas pessoas se identificassem com o segundo ponto sem acreditarem no primeiro (ou mesmo negando a veracidade do primeiro). É mais ou menos isto que sinto em relação a alguns (repito, alguns) valores presentes na Bíblia e promovidos pela Igreja Católica.

A verdade é que esses valores, pelo menos muitos deles, não são tão consensuais e são um produto da moral judaico-cristã. Mesmo quando não somos crentes estamos, no mundo ocidental, empregnados dessa moral. Toma como exemplo a monogamia ou mesmo a ideia de paz: se fores a outros povos, a poligamia é a regra e muitos outros advogam a guerra. Nós temos estes valores que são mais ou menos comuns no mundo ocidental porque somos um produto da moral judaico-cristã...
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Philippos13 em 30.jul.2012, 17:31:16


Quanto à Igreja Católica em particular, não me identifico com muitas das suas posições. No entanto, li a Bíblia e, apesar de muito do que lá está não fazer sentido fora do contexto histórico e cultural em que foi escrito, existem algumas ideias interessantes. No entanto, parece-me que algumas dessas ideias, as mais consensuais, correspondem a valores morais que não têm nada a ver com Deus ou a religião. Por exemplo, se eu escrevesse um livro que defendesse a existência de unicórnios e que advogasse também a paz como objectivo fundamental para a humanidade, não seria difícil conceber que muitas pessoas se identificassem com o segundo ponto sem acreditarem no primeiro (ou mesmo negando a veracidade do primeiro). É mais ou menos isto que sinto em relação a alguns (repito, alguns) valores presentes na Bíblia e promovidos pela Igreja Católica.

A verdade é que esses valores, pelo menos muitos deles, não são tão consensuais e são um produto da moral judaico-cristã. Mesmo quando não somos crentes estamos, no mundo ocidental, empregnados dessa moral. Toma como exemplo a monogamia ou mesmo a ideia de paz: se fores a outros povos, a poligamia é a regra e muitos outros advogam a guerra. Nós temos estes valores que são mais ou menos comuns no mundo ocidental porque somos um produto da moral judaico-cristã...

Concordo plenamente. Quando me referi a valores "consensuais", estava a referir-me a ideias mais gerais como "não matarás", por exemplo. A ideia que eu pretendia transmitir era a de que se pode ser a favor de alguns princípios morais que estão presentes na Bíblia ou nas posições da Igreja Católica sem que se seja crente. Esta ideia é importante porque muitas vezes (talvez não no nosso país, mas nos EUA é frequente utilizarem-se estes argumentos) os ateus são encarados como "amorais"/"imorais" quando na realidades os valores e a religião são coisas muito diferentes.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Aerys II em 03.ago.2012, 01:28:13
Olá a tod@s :)

"Por Que Não Sou Cristão" é o título de um livro do filósofo Bertrand Russel. Lembrei-me de pegar no título deste livro e criar um tópico para saber os motivos que os levam a ser ou não cristãos, a ser ou não católicos. Não são católicos porque não se identificam com a doutrina da igreja católica? Não são católicos porque não acreditam nos padres? Mas acreditam em Deus e em Jesus Cristo? Porquê?  São cristãos mas não católicos? Acreditam nos valores básicos da Igreja (católica ou outra cristã) mas não seguem à risca?

Enfim, gostaria que comentassem o tópico.

Creio que a pergunta não é "porque não sou cristão?"

Porque haveria de o ser? Porque é que os cristãos deste fórum ou de outro sítio qualquer o são? O mais provável é porque foram criados num lar cristão, frequentaram uma catequese, cresceram num país onde se vêem mais igrejas que mesquitas ou templos budistas, porque viram os amigos sujeitos às mesmas pressões ideológicas a irem para a catequese e porque cresceram rodeados de expressões que realçam a cultura judaico-cristã que permeia o nosso país.

Eu não sou cristão pela mesma razão que não sou islâmico, hinduísta ou asatrú.

Nunca houve nada que me levasse a supôr a existência de uma entidade sobrenatural, ainda menos com as características altamente específicas atribuídas ao deus cristão. Nunca  vi necessidade nenhuma de seguir o que meia dúzia de malucos escreveu num livro - que, e isto sim parece milage, se tornou num best-seller - e que contraria as minhas necessidades mais básicas para ser feliz. Nunca houve nada que me levasse a pôr de parte o meu raciocínio lógico e capacidade de interpretação do mundo baseada nos meus sentidos para aceitar uma teoria altamente fantasiosa sem qualquer fundamento físico (ainda que tenha alguma consistência lógica interna) que me prejudicasse a mim ou a pessoas que nunca me fizeram mal nenhum, como me parece que uma moral podre como a cristã faz.

Isto pondo de um modo mais simples:

- não há nada que me indique a existência de um deus ou outra entidade sobrenatural (isto inclui mas não está restrita aos seres da mitologia cristã);
- a moral cristã vai contra a minha ideologia.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Philippos13 em 03.ago.2012, 03:32:20
Eu não sou cristão pela mesma razão que não sou islâmico, hinduísta ou asatrú.

Isto é uma ideia, na minha opinião, fundamental. As nossas concepções religiosas são fortemente condicionadas pelo meio histórico e cultural em que nascemos. Tivéssemos nós nascido na Grécia antiga e veneraríamos Zeus e o resto do panteão dos deuses. Se nascemos numa família cristã, então será o Cristianismo a infiltrar as nossas ideias religiosas. A nossa religião é (não totalmente, mas em grande parte) um fruto arbitrário da região geográfica onde nascemos e do tempo em que nascemos.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: TheEchoOfNight em 03.ago.2012, 15:05:05
Porque haveria de o ser? Porque é que os cristãos deste fórum ou de outro sítio qualquer o são? O mais provável é porque foram criados num lar cristão, frequentaram uma catequese, cresceram num país onde se vêem mais igrejas que mesquitas ou templos budistas, porque viram os amigos sujeitos às mesmas pressões ideológicas a irem para a catequese e porque cresceram rodeados de expressões que realçam a cultura judaico-cristã que permeia o nosso país.

No meu caso, foi exactamente isto. Até começar a pensar por mim, era católico, e era católico por dogma. Tivesse nascido no Tibete, ia para o templo entoar uns mantras, provavelmente.
Entretanto, comecei a aperceber-me de que o Deus em que acreditava não era minimamente plausível -- caso contrário, seria tudo uma enorme injustiça --, e a crença, então, foi-me passando. Mas o processo ainda foi moroso, que as coisas enraizadas oferecem resistência ao shutdown da base de dados.
Actualmente, sou daqueles que nem acreditam, nem deixam de acreditar, o que para muitos é sinónimo de agnosticismo. Eu temo que o agnosticismo seja mais que isso; então, limito-me a dizer que não sigo qualquer tipo de religião. Se Deus tivesse de ser obrigatoriamente uma entidade que connosco se preocupa, era ateu, pela certa, mas, como ainda resta a faceta do criador e do legislador, fico sem pensar coisíssima nenhuma.

Quanto aos valores transmitidos por livros «sagrados» como a Bíblia, só queria acrescentar que qualquer mulher que preze a igualdade devia, no mínimo, abominar aquele livro. Por aquelas bandas, são completamente vistas como sexo decorativo, o ser que deve honrar o marido e inferiorizar-se a ele. É absolutamente ridículo. E é com conhecimento de causa que falo, que eu, no total, até devo ter perdido muitas horas de existência a ler a coisa.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Ana Raquel em 03.ago.2012, 16:28:38
não sigo qualquer tipo de religião porque todas elas ditam uma data de regras que não se adequam ao meu modo de estar e porque essas próprias regras são quebradas pelas pessoas que se dizem transmissoras da palavra e do exemplo. Julgo que se pensar nas coisas de uma forma racional e interpretativa conseguimos perceber que muitas das « imposições impostas» pelas religiões foram criadas para camuflar/esconder outras criadas anteriormente, mas que no entanto não podiam passar a erros pois aí iria ser posta em causa a credibilidade de tudo o que esse falante ditou.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Nessi em 04.set.2012, 04:02:39
Boa noite,

Antes de dar a minha resposta concreta gostava de opinar em relação a todos os que dizem que não são cristãos... A verdade é que todos nós o somos um pouco pois o Cristianismo está inserido na nossa cultura, então não é verdade que celebramos o Natal, um evento cristão que simboliza o nascimento de Jesus? E a Páscoa, que simboliza o seu retorno? E não nos casamos pelo Igreja, estando assim a submetermo-nos às "leis" do casamento propostas pelo Cristianismo? Para além de que a maior parte de nós é baptizado à nascença (prática a qual não concordo sinceramente, pois do meu ponto de vista é quase como que impingir-nos uma religião)! Eu p.e. fui baptizada e se em bebé pudesse falar tinha pedido que não o fizessem... Por isso, de uma maneira ou de outra, quer queiramos quer não, todos nos temos um pouco de "Cristãos" dentro de nós.

Agora, em resposta ao tópico concretamente... Embora tenha sido baptizada e tenha ido à catequese quando era pequena, e sempre tenha sido encorajada a rezar e a ir à igreja, nunca me identifiquei muito com esse estilo de vida... Nunca me dediquei muito à religião. Para além de que, sendo eu uma pessoa muito terra-a-terra, ao tomar conhecimento das passagens da Bíblia à medida que crescia, não conseguia acreditar em nada do que estava lá escrito... Parece-me muito conto de fadas! Há muia coisa mal explicada no referido livro e não consigo acreditar mesmo, por mais que tente... Para além do mais, quando era pequenina rezava muito à noite, ao vir para a cama, a pedir que as coisas melhorassem, que a violência cá em casa aligeirasse e isso nunca acontecia, pelo contrário, por isso acho que fui ficando com a ideia que Deus não me ouvia e deixei de acreditar nele. E acho que me falta um pouco de fé, pois não consigo identificar-me com nenhuma religião, não consigo interiorizar nada que passa do sobrenatural do meu ponto de vista, e tenho um certo medo disso pois acho importante ter fé, acreditar em algo por mais insignificante que seja, algo que nos dê força diária e eu não tenho isso... Isso preocupa-me um bocado mas enfim, não vivo infeliz por isso!
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Philippos13 em 04.set.2012, 23:09:11
Antes de dar a minha resposta concreta gostava de opinar em relação a todos os que dizem que não são cristãos... A verdade é que todos nós o somos um pouco pois o Cristianismo está inserido na nossa cultura, então não é verdade que celebramos o Natal, um evento cristão que simboliza o nascimento de Jesus? E a Páscoa, que simboliza o seu retorno? E não nos casamos pelo Igreja, estando assim a submetermo-nos às "leis" do casamento propostas pelo Cristianismo? Para além de que a maior parte de nós é baptizado à nascença (prática a qual não concordo sinceramente, pois do meu ponto de vista é quase como que impingir-nos uma religião)! Eu p.e. fui baptizada e se em bebé pudesse falar tinha pedido que não o fizessem... Por isso, de uma maneira ou de outra, quer queiramos quer não, todos nos temos um pouco de "Cristãos" dentro de nós.

Em primeiro lugar, não celebro o Natal, quem o celebra são os meus pais e como eu tenho por hábito passá-lo com eles estou presente. Mas não associo o Natal ao cristianismo. O Natal, originalmente, era uma festividade pagã. A data do 25 de Dezembro foi escolhida pelos cristãos (tal como muitas outras festas cristãs, incluindo a Páscoa) de forma a coincidir com a data dessa festividade pagã de modo a que fosse mais fácil converter esses pagãos ao cristianismo. O cristianismo "absorveu" as festividades pagãs, não as criou.

Em segundo lugar, não tenho qualquer intenção de me casar pela igreja, e considero no mínimo contraditório ou incoerente alguém o fazer não sendo cristão/católico.

Em terceiro lugar, não sou baptizado. Felizmente, os meus pais decidiram que esperariam até eu ter idade para decidir. No entanto, se fosse baptizado, já teria, aos 18 anos, anulado o baptismo. Uma vez mais, sentir-me-ia hipócrita se estivesse baptizado não sendo cristão.

Finalmente, não acho que nada disso tenha a ver com a nossa crença em Deus. O Natal, a Páscoa, o casamento católico, o baptismo, são práticas religiosas inseridas na nossa sociedade às quais alguns de nós não conseguem escapar, pelo menos no início das nossas vidas. No entanto, acredito que uma pessoa coerente que não seja cristã tem todas as condições para evitar essas práticas a partir do momento em que atinge a idade em que se encarrega de tomar as suas próprias decisões.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: x3na em 05.set.2012, 14:18:19
Fui educada como católica, mas não pratico...preferia uma educacao livre de qualquer religião, mas não escolhi.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Simpatizante em 05.set.2012, 17:25:04
Eu tive uma educação típica portuguesa mas sou absolutamente ateu; desde que me lembro de existir sempre me pareceu evidente a inexistência de "deus", "energias", "além", "místicas" e por aí fora. Ou mais exatamente, o absurdo de algo passar a verdade porque sim.

O sistema ético-moral judaico-cristão então dá-me comichões que nunca mais acabam; ensina-nos a ter medo, a sentirmo-nos culpados, a rejeitar a diferença, a negar os nossos instintos e emoções. Ou seja, ensina-nos a viver de joelhos perante nós mesmos. Que me perdoem os crentes, mas isso são ensinamentos para escravos. Curiosamente, Jesus propriamente dito terá dito coisas bem mais inteligentes e respeitáveis: respeita o próximo, faz o bem, honra a família, procura a paz, amem-se uns aos outros. Isto sim são coisas que fazem muito sentido para mim, coisas em que acredito. Até certo ponto é irónico parte dos meus valores serem quase que decalcados das palavras de Jesus (e não do diz que disse nos 2000 anos seguintes) e ser ateu. Claro que me refiro aqui a Jesus homem. Quanto aos padres.... é interessante, são dos primeiros a vir à praça tecer considerações sobre sexualidade: tão inútil como um cego a falar-me de cores.

Digamos que me incomoda no Cristianismo a eterna intenção de moralizar a razão, em vez de racionalizar a moral. E não estou a falar de tratados e livrinhos com 500 anos. Por extensão, rejeito qualquer tipo de espiritualidade. Claro que compreendo que a tendência no ser humano para o divino e maravilhoso é muito forte, mas eu não sou assim. Além do mais, já vi tanta vez à minha volta essa tal procura do místico ser usada por pessoas fragilizadas emocionalmente como forma de fuga à sua própria existência que ainda mais o rejeito. Acontece sempre da mesma forma (e aqui vou divagar um bocado, talvez devam passar ao próximo post):

Azar ao amor uma vez, azar ao amor outra vez, azar ao amor uma terceira vez, e pronto está feito, venha o Reiki e o Ayurveda e as energias disto e daquilo, e vamos lá ao encontro de Umbanda ver qual é o orixá que calha... e a vidente que me fez a regressão explicou-me que numa vida anterior eu fui uma pessoa muito forte e poderosa que tratou muito mal o sexo contrário, daí agora ser um(a) desiquilibrad@ emocional que não tem o que é preciso para manter uma relação funcional.... ooooops! Desculpem, era para ter escrito "azar ao amor". Desculpem :(
Mas fazer o quê, já ouvi a história da vidente a mais de dez pessoas diferentes e é sempre a mesma.... será que elas se combinaram todas?!?!? E isso das "energias"... então mas basta mesmo usar a palavra "energia" e tudo está fundamentado? Tipo, "energia" é uma espécie dos quatro piscas da mística? É só ligar e tudo fica justificado e desculpado?

Enfim, acho que todas as religiões tendem a ser alienantes, e isso é péssimo. É uma espécie de gaiola dourada para a nossa mente, onde tudo é seguro e perfeito. É tipo uma cadeira onde nos podemos sentar para ficar a observar a nossa vida a passar. Até à próxima reencarnação, que será melhor.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Bobby em 05.set.2012, 18:52:37
O sistema ético-moral judaico-cristão então dá-me comichões que nunca mais acabam; ensina-nos a ter medo, a sentirmo-nos culpados, a rejeitar a diferença, a negar os nossos instintos e emoções. Ou seja, ensina-nos a viver de joelhos perante nós mesmos. Que me perdoem os crentes, mas isso são ensinamentos para escravos.

Disseste tudo numa frase. Consegui visualizar o retrato de uma típica mentalidade cristã agora.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Simpatizante em 05.set.2012, 19:29:10
O sistema ético-moral judaico-cristão então dá-me comichões que nunca mais acabam; ensina-nos a ter medo, a sentirmo-nos culpados, a rejeitar a diferença, a negar os nossos instintos e emoções. Ou seja, ensina-nos a viver de joelhos perante nós mesmos. Que me perdoem os crentes, mas isso são ensinamentos para escravos.

Disseste tudo numa frase. Consegui visualizar o retrato de uma típica mentalidade cristã agora.

Obrigado :) Eu confesso que não tenho prazer nenhum em falar desta forma, é agressivo, mas para o melhor ou para o pior é mesmo a minha opinião.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Elizabeth Siddal em 09.out.2012, 16:14:46
O sistema ético-moral judaico-cristão então dá-me comichões que nunca mais acabam; ensina-nos a ter medo, a sentirmo-nos culpados, a rejeitar a diferença, a negar os nossos instintos e emoções. Ou seja, ensina-nos a viver de joelhos perante nós mesmos. Que me perdoem os crentes, mas isso são ensinamentos para escravos.

Tudo isso seria muito verdade se não fosse o caso de uma das pessoas mais livres que conheço ser um padre. A liberdade/escravidão não se mede pela obediência a instintos e emoções; aliás, podes ser tão escravo de instintos e emoções quanto da sua negação. A liberdade/escravidão mede-se, sobretudo, pela vastidão dos nossos horizontes. E talvez a religião ensine sobretudo a refrear, filtrar e educar instintos e emoções e não a negá-los. Isto não significa que concorde com tudo o que a Igreja Católica defende, claro está.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: babellux em 09.out.2012, 17:13:13
Elizabeth Siddal: Não vejo necessidade de acrescentar nada ao que disseste, pois tenho exactamente a mesma opinião que tu....

Simpatizante: Respeito a tua opinião mas desejo que um dia tenhas oportunidade de conhecer a religião cristã/católica que eu conheço.... por de facto, a que eu conheço e bem diferente do que a que descreves naquela frase (confesso que não li o teu post todo....só a frase que foi citada)

Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Philippos13 em 10.out.2012, 19:38:04
E talvez a religião ensine sobretudo a refrear, filtrar e educar instintos e emoções e não a negá-los.

A minha pergunta é: que tem isto a ver com religião? Ou melhor, será que a religião é a única via para atingir este objectivo?

O que sinceramente me parece é que a maioria das coisas que as pessoas encaram como "positivas" na religião nada têm a ver com aquilo que a religião de facto é. Quando se fala nos preceitos morais positivos transmitidos pela religião, ou nos valores que através dela se adquirem, não consigo deixar de pensar que esses preceitos morais positivos ou esses valores são de algum modo independentes da religião; isto é, poderíamos adquiri-los sendo ateus.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Elizabeth Siddal em 11.out.2012, 15:29:18
A minha pergunta é: que tem isto a ver com religião? Ou melhor, será que a religião é a única via para atingir este objectivo?

O que sinceramente me parece é que a maioria das coisas que as pessoas encaram como "positivas" na religião nada têm a ver com aquilo que a religião de facto é. Quando se fala nos preceitos morais positivos transmitidos pela religião, ou nos valores que através dela se adquirem, não consigo deixar de pensar que esses preceitos morais positivos ou esses valores são de algum modo independentes da religião; isto é, poderíamos adquiri-los sendo ateus.

Então deixa-me fazer-te uma pergunta: por que será que um ateu que viva num país muçulmano tem uma cultura e uma moral consideravelmente diferentes de um ateu que viva num país maioritariamente cristão? (A menos que seja ocidentalizado).

Quer queiramos quer não a nossa cultura está impregnada de valores religiosos, mesmo que sejamos ateus. Assim, nos países ocidentais os valores e moral vêm de uma tradição judaico-cristã e por isso somos monogâmicos, somos menos bélicos que outros povos (a religião católica e os cristãos no geral já foram muito mais agressivos, depois desenvolveram-se e tornaram-se pacifista - e com o seu desenvolvimento desenvolveram-se também as mentalidades dos ocidentais).

Por isso parece-me que é difícil dizer que um ateu não deve nada à religião pois a sua cultura e o seu sistema de valores derivou da cultura e religião do páis em que está inserido.

Para além disso, parece-me que cada um é livre (incluindo os crentes) de vincular (ou não) e assumir o seu sistema de valores a uma dada religião.


Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Philippos13 em 11.out.2012, 20:34:42
A minha pergunta é: que tem isto a ver com religião? Ou melhor, será que a religião é a única via para atingir este objectivo?

O que sinceramente me parece é que a maioria das coisas que as pessoas encaram como "positivas" na religião nada têm a ver com aquilo que a religião de facto é. Quando se fala nos preceitos morais positivos transmitidos pela religião, ou nos valores que através dela se adquirem, não consigo deixar de pensar que esses preceitos morais positivos ou esses valores são de algum modo independentes da religião; isto é, poderíamos adquiri-los sendo ateus.

Então deixa-me fazer-te uma pergunta: por que será que um ateu que viva num país muçulmano tem uma cultura e uma moral consideravelmente diferentes de um ateu que viva num país maioritariamente cristão? (A menos que seja ocidentalizado).

Quer queiramos quer não a nossa cultura está impregnada de valores religiosos, mesmo que sejamos ateus. Assim, nos países ocidentais os valores e moral vêm de uma tradição judaico-cristã e por isso somos monogâmicos, somos menos bélicos que outros povos (a religião católica e os cristãos no geral já foram muito mais agressivos, depois desenvolveram-se e tornaram-se pacifista - e com o seu desenvolvimento desenvolveram-se também as mentalidades dos ocidentais).

Por isso parece-me que é difícil dizer que um ateu não deve nada à religião pois a sua cultura e o seu sistema de valores derivou da cultura e religião do páis em que está inserido.

Para além disso, parece-me que cada um é livre (incluindo os crentes) de vincular (ou não) e assumir o seu sistema de valores a uma dada religião.

Percebeste-me mal. Eu não quis dizer que a religião não influencia os valores morais da sociedade onde essa religião se insere. É claro que essa influência existe e tens toda a razão quando dizes que nos países ocidentais existem valores que foram fortemente condicionados pela tradição judaico-cristã.

O que eu quis dizer foi que esses valores, na sua essência, não são religiosos. Isto é, nada têm a ver com a crença num Deus ou noutro género de crença espiritual, que é um dos aspectos fundamentais de uma religião.  Quando dizes que a nossa cultura está impregnada de "valores religiosos", deixa-me apenas corrigir-te nas palavras: eu não diria que se trata de valores religiosos, mas sim de valores adoptados por uma dada religião.

Por exemplo, a maioria das pessoas partilha a ideia de que é errado matar outra pessoa. Ora, é muito provável que essa ideia nos tenha sido incutida (como muitas outras) por via religiosa. Afinal, o "não matarás" é um dos mandamentos mais importantes. No entanto, é possível dar uma justificação razoável para este código moral - "não se deve matar" - que não passe por Deus, nem pela religião, nem pela espiritualidade. É um valor moral aceitável porque existem argumentos racionais do lado desse valor moral, não porque Deus o afirmou.

É verdade que a religião tem um papel importante na transmissão desses valores morais. Mas existem outras vias de fundamentação da moral que (e isto é a minha opinião) são melhores do que a via religiosa. É nesse sentido que os valores morais não têm "nada a ver" com a religião.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: miguel0258 em 17.out.2012, 01:56:53
Hum... devo dizer que questões destas atraem-me: sempre gostei de uma boa discussão filosófica, e religião então... pano para mangas.

Sou ateu, mas não sou ateu. A fé é algo bonito. O poder de acreditar em algo que não se pode provar é estranho e poderoso. Um amigo meu disse-me um dia que na hora da morte, todos somos crentes. Na altura disse-lhe que não, que não é assim, ou acreditas ou não, não há cá dizer que não acreditas e depois quando estiveres a morrer rezas ao senhor da esquina. Mas hoje percebo, somos crentes em algo. Não propriamente no deus católico, ou em qualquer outro deus, mas em algo. Apercebi-me que acredito em algo, efectivamente. Numa força qualquer que anda aí pelo universo. Sempre gostei do universo. Vejam a série Into the Universe with Stephen Hawking. É lindíssima, é poética. Acredito no universo, ou em algo que lá está e que mantém tudo no seu devido sítio. Na gravidade? Sei lá, o nome não interessa, somos matéria estelar e regimo-nos por leis universais. Somos mais extraterrestres do que pensamos. Por isso sou ateu, mas não sou ateu.

Há que ter moderação. As pessoas que mais admiro são aquelas que crêem no que quer que seja, e vivem-no intensamente, mas vivem-no interiormente: não se metem a convencer os outros que o meu deus é melhor que o teu nem a gozar as outras religiões. Aceitam, podem até nem entender, mas aceitam e abarcam. Abarcam todos e todas as religiões e somos todos amigos. Leiam A Vida de Pi de Yann Martel. Também é lindíssimo, também é poético. Tem uma história fantástica, mas peço-vos para o lerem nem é por isso, mas pela parte inicial, pela capacidade de Pi de converter-se a três religiões ao mesmo tempo, da ingenuidade de uma criança e da crença não em UM deus, mas numa multiplicidade deles que todos são um e como Homens somos parte dele e todo o universo e tudo. Tudo é Deus, porque somos todos obra. Para além de que conta algumas parábolas de outras religiões que não a cristã que são fenomenais.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Bring em 17.out.2012, 08:08:51
Porque não gosto de tudo o que envolve a igreja católica. Não gosto de ir à missa, o papa não me diz nada... enfim.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Buwayh em 05.nov.2012, 11:11:08
Não sou adepto de nenhuma religião porque não me identifico com a abordagem superficial que fazem de Deus e não concordo com a pressão que exercem sobre os crentes para levá-los a agir em função do que lhes convém. As instituições que alimentam a hipocrisia e o ódio pelo que foge das normas pré-estabelecidas não deviam ter lugar na sociedade moderna.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Endovélico em 10.nov.2012, 23:26:52
Exato, respeito o direito de cada um ter a religião que bem entender. Não respeito é a religião.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: black_velvet em 10.nov.2012, 23:29:03
Não sou adepto de nenhuma religião porque não me identifico com a abordagem superficial que fazem de Deus e não concordo com a pressão que exercem sobre os crentes para levá-los a agir em função do que lhes convém. As instituições que alimentam a hipocrisia e o ódio pelo que foge das normas pré-estabelecidas não deviam ter lugar na sociedade moderna.
Ora nem mais!
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Adónis em 18.nov.2012, 00:42:25
Atenção. Ser Cristão é uma coisa. Ser católico é outra. Eu sou cristão mas não sou católico. Sigo o ramo original do cristianismo, fundado por Cristo, e seguido por nomes como Fernando Pessoa, Jung ou Newton. Trata-se do cristianismo primitivo, aniquilado pela Igreja nos séculos III e IV DC, mas que sobreviveu em segredo, sendo depois aniquilado de novo quando se deu o escândalo dos Templários. E mesmo assim voltou a sobreviver...

Aconselho-vos que leiam sobre Cristianismo Primitivo e religiões mistéricas do Egipto e da Grécia. É tudo o mesmo. Vão mudar muito como pessoas, perder o medo da morte, dar menos importância à vida material, evoluir espiritualmente...

Oiçam por exemplo Manly Hall, um dos maiores filósofos do século XX:

https://www.youtube.com/watch?v=vItyyyv0PVc (https://www.youtube.com/watch?v=vItyyyv0PVc)

Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: BrunoMCP em 09.mar.2013, 02:08:25
Encarando este tópico como a relação exclusiva entre o catolicismo e o cristianismo, doutrina e religião albergante.

Cristão:
Alguém que acredita na existência do alter-ego de deus "Jeová", e que este enviou Jesus, a sua encarnação terrena, para nos endireitar,

No entanto, dentro de quem é cristão, há quem se diga católico:
alguém que é cristão [especificado anteriormente], mas que para além disso acredita também no que diz a instituição que é a Igreja Católica.

O problema nisto é que ninguém no seu perfeito juízo hoje em dia acredita no que diz a Igreja.
E quando uma pessoa diz que é católica mas que não acredita no que diz a Igreja, temos, obviamente, uma contradição.
Estas pessoas dizem que não se pode levar todas as partes a sério, mas se vamos a escolher a dedo que partes interessam, estamos a construir a nossa própria doutrina.
Um pouco como dizer que enquanto cidadão português obedeço à legislação nacional, mas há certas leis que posso ignorar porque acho parvas.
Nesses casos costumo perguntar se não serão só e simplesmente cristãos, e já cheguei a ver algumas pessoas acabar por concordar.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Diotima em 15.mar.2013, 11:35:43
Encarando este tópico como a relação exclusiva entre o catolicismo e o cristianismo, doutrina e religião albergante.

Cristão:
Alguém que acredita na existência do alter-ego de deus "Jeová", e que este enviou Jesus, a sua encarnação terrena, para nos endireitar,

No entanto, dentro de quem é cristão, há quem se diga católico:
alguém que é cristão [especificado anteriormente], mas que para além disso acredita também no que diz a instituição que é a Igreja Católica.


Acho que no primeiro post a autora do tópico mostra que sabe a diferença entre catolicismo e cristianismo... Ás vezes é bom ler o primeiro post antes de responder... ;)
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: BrunoMCP em 24.mar.2013, 02:28:45
Acho que no primeiro post a autora do tópico mostra que sabe a diferença entre catolicismo e cristianismo... Ás vezes é bom ler o primeiro post antes de responder... ;)

*Às
Devias seguir o teu próprio conselho, para reparares que respondi exactamente ao que ela pretendia.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Diotima em 24.mar.2013, 10:18:00
Respondeste? Então devo ter sido eu que intérpretei mal as tuas palavras... lol Respondendo ao tópico, não sou católica nem cristã porque em mim a dúvida é maior do que a fé. Embora desconfie que muitos que se dizem católicos ou cristãos no geral estão na mesma posição do que eu.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: FilhoDeApolo em 03.nov.2013, 07:32:34
Fiz toda a educação católica, até ao crisma, mas apesar de ainda fazer parte dos escuteiros, eu deixei de acreditar. Fiz tudo até ao fim por respeito à familia, e digamos que o coming out de não acredito mais em deus, não foi bem recebido na família. A minha mãe quando está chateada comigo goza com a minha religião "Vai lá meditar, e a comeres assim ainda te tornas mesmo no Buda."
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: blueboy em 12.nov.2013, 15:45:46
Porque não me faz sentido fazer parte de uma religião organizada. Acredito que a espiritualidade é algo muito pessoal e não precisa, nem deve, estar sujeita ao que os outros pensam e determinam como correto.

Eu sou ateu, logo à partida não sou crente de nehuma religião. Se fosse, seguiria Eru Iluvatar, é tao valido como Deus, Buda ou Allah  ::)
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Spektrum em 31.dez.2013, 23:38:07
Fiz toda a educação católica (cerca de 10 anos de catequese), bem como os rituais de passagem da religião católica (batismo, primeira comunhão, crisma, etc.). Frequentei, também, a missa e participei nos vários eventos religiosos do calendário católico, que aconteciam durante o ano (quaresma, feriados católicos, natal, etc.). Então, porque não sou católica?

Algures no meu 7º ano de catequese comecei a questionar os catequistas e padres acerca das minhas dúvidas, encontrava incoerências nos valores que a literatura católica me tentava transmitir. Tais dúvidas nunca me eram esclarecidas. Os anos passavam e eu via as pessoas a pregarem algo, mas a agirem em sentido oposto. Encarava a missa como um teatro, um ritual algo fingido e falso. As pessoas não a frequentavam porque a sentiam, mas sim porque tinham necessidade de serem vistas (logo, julgadas positivamente porque iam à missa) e que a frequência daquele ritual lhes perdoasse (e eliminasse) os pecados.

Eis que nunca me identifiquei com tal teatralidade, muito menos com os valores hipócritas que apregoavam. Não tenho religião nem creio na existência de entidades superiores ou Deuses. No entanto, respeito e aceito que os outros acreditem e tenham as suas próprias religiões.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: _ricardo_ em 01.jan.2014, 18:27:48
Fiz toda a educação católica (cerca de 10 anos de catequese), bem como os rituais de passagem da religião católica (batismo, primeira comunhão, crisma, etc.). Frequentei, também, a missa e participei nos vários eventos religiosos do calendário católico, que aconteciam durante o ano (quaresma, feriados católicos, natal, etc.). Então, porque não sou católica?

Algures no meu 7º ano de catequese comecei a questionar os catequistas e padres acerca das minhas dúvidas, encontrava incoerências nos valores que a literatura católica me tentava transmitir. Tais dúvidas nunca me eram esclarecidas. Os anos passavam e eu via as pessoas a pregarem algo, mas a agirem em sentido oposto. Encarava a missa como um teatro, um ritual algo fingido e falso. As pessoas não a frequentavam porque a sentiam, mas sim porque tinham necessidade de serem vistas (logo, julgadas positivamente porque iam à missa) e que a frequência daquele ritual lhes perdoasse (e eliminasse) os pecados.

Eis que nunca me identifiquei com tal teatralidade, muito menos com os valores hipócritas que apregoavam. Não tenho religião nem creio na existência de entidades superiores ou Deuses. No entanto, respeito e aceito que os outros acreditem e tenham as suas próprias religiões.

Revejo-me muito no teu comentário porque a minha experiência é parecida. Tive uma educação católica, dez anos de catequese e para além disso passei grande parte do ensino básico num colégio católico. Acabei por não fazer o crisma, apesar de ter frequentado a catequese até ao fim, após muita discussão (no sentido construtivo do termo) com a minha catequista. Ela acabou por perceber a minha decisão, porque para além das dúvidas que eram crescentes, não me identificava com os rituais da missa, da comunhão, da confissão e tudo o resto. Era algo que já não fazia sentido para mim. Escolhi não fazer porque iria fazê-lo apenas porque sim, e não ficaria bem comigo mesmo estando a fazer quase por obrigação algo que para muitas pessoas é sagrado, coisa que respeito, mas com a qual não me consigo identificar.

Passei por uma fase em que achei que não acreditava em nada (algo próximo do ateísmo). Mas durou pouco e hoje posso dizer que acredito que existe um deus; vejo-o como alguma qualquer entidade superior, apesar de ainda não estar pacificado interiormente quanto ao que acho que é o seu papel no universo e em relação à humanidade. Com o tempo talvez venha a encontrar uma resposta que para mim faça sentido, ou talvez não, mas é um caminho de procura que é interessante percorrer.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: BrunoMCP em 05.jan.2014, 08:58:35
Eu sou ateu, logo à partida não sou crente de nehuma religião. Se fosse, seguiria Eru Iluvatar, é tao valido como Deus, Buda ou Allah  ::)

Atenção que Deus e Allah são a mesma coisa apenas em línguas diferentes, e Buda é mais válido que ambos, porque foi uma pessoa, como Jesus ou Júlio César.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Excidium em 05.jan.2014, 12:43:42
Sou ateu porque acho que consigo viver sem a ajuda da fé e porque considero que um dogma é algo de perigoso, na medida em que veicula valores associados a comportamentos e que um não pode existir sem o outro. Não gosto que me dictem o que fazer para merecer um paraiso e acredito mais na humanidade do que em deus algum.  :) Não gosto da pseudo-moral e da consciência culpabilizadora das religiões: porque é que não se poderia ser moral e justo e não crente?

Para além disso, acho que muitas religiões e especialmente a religião católica são hipócritas na maneira como criam uma hierarquia das formas de amor. Uma religião que só fala de amor do início ao fim, e que depois rejeita a homossexualidade como uma perversão, não faz sentido para mim.

E quanto à ideia de existir um deus, não me parece muito provável (mas isto é completamente subjectivo)  e como sou uma pessoa excessivamente racional, não acredito nisso.  ;D
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: PsyGirl_Av em 07.jan.2014, 14:18:34
Penso que no fundo nunca o fui. Simplesmente a minha família rotulou-me assim, à semelhança dos rótulos que já lhes pertenciam. No entanto, distanciei-me da religião em idades muito precoces, nomeadamente, a partir do momento em que percebi que esta não dava respostas consistentes às perguntas que eu tinha por fazer.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Cardo em 13.jan.2014, 21:26:40
Fui à Missa no Sabado passado buscar algum conforto e pedir perdão a Deus pelo que tenho feito ao longo da minha vida, em relaç
ao às outras pessoas, e consegui um certo alivio, embora momentaneo não sei :(
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Kareem em 30.mar.2014, 21:58:54
Alhamdulillah!

Catolicismo e a palavra de Allah são opostas por natureza.
Não sou cristão muito menos católico.
Enviam-me uma mensagem e ao invés de a venerar, venero o mensageiro? Não faz sentido. Nem "idolatrar as pedras e as rochas"
Basta pensarem um bocado, se alguém esfaqueasse a vossa mãe, usavam um colar com uma faca?
Se alguém usasse uma caneta para matar os vossos filhos, teriam colares de caneta?
Astaghfirullah
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: V24 em 03.abr.2014, 23:06:21
Alhamdulillah!

Catolicismo e a palavra de Allah são opostas por natureza.
Não sou cristão muito menos católico.
Enviam-me uma mensagem e ao invés de a venerar, venero o mensageiro? Não faz sentido. Nem "idolatrar as pedras e as rochas"
Basta pensarem um bocado, se alguém esfaqueasse a vossa mãe, usavam um colar com uma faca?
Se alguém usasse uma caneta para matar os vossos filhos, teriam colares de caneta?
Astaghfirullah

Entendo o raciocínio, contudo o cristão pode concentrar-se na ressurreição de Jesus que é um aspecto mais luminoso da história de vida do Mestre. Os aspectos soturnos do cristianismo não me apelam nem sou apologista deles (crucifixos sangrentos [smiley=nao.gif] ).
Se és muçulmano então respeitas Jesus (Issa) como um dos profetas, certo? Mas há que ver que para os cristãos Jesus é considerado o Filho de Deus, pode não fazer sentido para ti. Mas respeitemos as crenças uns dos outros. ;)
Não esqueçamos os seguidores de Jesus ao longo da história que fizeram o bem à humanidade: eles seguiram a Sua mensagem.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Kareem em 04.abr.2014, 13:33:16
Alhamdulillah!

Catolicismo e a palavra de Allah são opostas por natureza.
Não sou cristão muito menos católico.
Enviam-me uma mensagem e ao invés de a venerar, venero o mensageiro? Não faz sentido. Nem "idolatrar as pedras e as rochas"
Basta pensarem um bocado, se alguém esfaqueasse a vossa mãe, usavam um colar com uma faca?
Se alguém usasse uma caneta para matar os vossos filhos, teriam colares de caneta?
Astaghfirullah

Entendo o raciocínio, contudo o cristão pode concentrar-se na ressurreição de Jesus que é um aspecto mais luminoso da história de vida do Mestre. Os aspectos soturnos do cristianismo não me apelam nem sou apologista deles (crucifixos sangrentos [smiley=nao.gif] ).
Se és muçulmano então respeitas Jesus (Issa) como um dos profetas, certo? Mas há que ver que para os cristãos Jesus é considerado o Filho de Deus, pode não fazer sentido para ti. Mas respeitemos as crenças uns dos outros. ;)
Não esqueçamos os seguidores de Jesus ao longo da história que fizeram o bem à humanidade: eles seguiram a Sua mensagem.

Mashallah sim respeito Jesus, sempre era um profeta de Allah  :)
Respeito todas as religiões que tenham uma linha de conduta moral fixa, aliás o Qur'an diz que é completamente proibido desrespeitar as outras religiões.
Mas a palavra de Allah era para venerar Deus, não o profeta. E é por isso que não há imagens de santos nem de profetas no Islão. (O único simbolo que possam reconhecer no Islão é uma lua, mas isto é assim porque o caléndario muçulmano é um calendário lunar)
 Porque o único que deve ser venerado é Allah e Allah não tem forma física, é omnipotente, omnipresente e omnisciente. Se soubésseis...  :)
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: V24 em 05.abr.2014, 01:12:56
Alhamdulillah!

Catolicismo e a palavra de Allah são opostas por natureza.
Não sou cristão muito menos católico.
Enviam-me uma mensagem e ao invés de a venerar, venero o mensageiro? Não faz sentido. Nem "idolatrar as pedras e as rochas"
Basta pensarem um bocado, se alguém esfaqueasse a vossa mãe, usavam um colar com uma faca?
Se alguém usasse uma caneta para matar os vossos filhos, teriam colares de caneta?
Astaghfirullah

Entendo o raciocínio, contudo o cristão pode concentrar-se na ressurreição de Jesus que é um aspecto mais luminoso da história de vida do Mestre. Os aspectos soturnos do cristianismo não me apelam nem sou apologista deles (crucifixos sangrentos [smiley=nao.gif] ).
Se és muçulmano então respeitas Jesus (Issa) como um dos profetas, certo? Mas há que ver que para os cristãos Jesus é considerado o Filho de Deus, pode não fazer sentido para ti. Mas respeitemos as crenças uns dos outros. ;)
Não esqueçamos os seguidores de Jesus ao longo da história que fizeram o bem à humanidade: eles seguiram a Sua mensagem.

Mashallah sim respeito Jesus, sempre era um profeta de Allah  :)
Respeito todas as religiões que tenham uma linha de conduta moral fixa, aliás o Qur'an diz que é completamente proibido desrespeitar as outras religiões.
Mas a palavra de Allah era para venerar Deus, não o profeta. E é por isso que não há imagens de santos nem de profetas no Islão. (O único simbolo que possam reconhecer no Islão é uma lua, mas isto é assim porque o caléndario muçulmano é um calendário lunar)
 Porque o único que deve ser venerado é Allah e Allah não tem forma física, é omnipotente, omnipresente e omnisciente. Se soubésseis...  :)

As imagens no cristianismo servem para relembrar e direccionar o pensamento do crente para a entidade espiritual aí representada (Cristo, os santos, os anjos, etc). O culto de imagens é um excesso condenados por vários Papas e documentos religiosos da Igreja. O uso das imagens é uma tradição que surgiu. Naturalmente, que se formos a ver bem, elas não são necessárias para a vida espiritual. Mas há que ter em conta que num mundo de analfabetos como era o da Idade Média europeia, esse tipo de representações serviam para ensinar a religião e as Escrituras às pessoas.
São questões culturais. Os protestantes dispensaram as imagens. Para mim são formas igualmente válidas de prática religiosa. Naturalmente, que religiões como a corrente protestante e o Islamismo fazem mais apelo ao mundo interior do crente, enquanto que o catolicismo e a ortodoxia ensinam mais pelas imagens e o culto exterior complexo.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: dre_o em 05.abr.2014, 02:22:44
Corrijam-me se tiver errado mas:

Os cristãos, (cristianismo), são pessoas que seguem e praticam os ensinamentos de Deus, (pai, filho e espírito santo). Ou seja, não se regem por nenhuma imagem, ou santos, anjos, coisas desse género. É uma religião abraâmica, que se foca no Novo Testamento, ou seja, desde o dia em que Jesus nasceu, pois o mundo antes deste acontecimento estava "perdido e afundado no pecado".

Os católicos, (catolicismo), são pessoas que além de seguirem e praticarem os ensinamentos de Deus, adoram também os santos, adoram as suas estátuas e imagem. O que é bastante errado tendo em conta que há uma passagem na bíblia, (livro seguido por eles), que diz que "(...)não adorarão outro além do vosso Deus;", ou algo do género, não sei as palavras com exactidão.

Depois há ainda os evangélicos, (evangelismo), religião que já segui bem perto. Devo dizer que esta se aproxima bastante do "cristianismo base", se assim lhe podermos chamar.

Podia-me alongar no tópico mas só queria deixar este pequeno "detalhe".
Muita gente confunde Cristianismo com Catolicismo.

Já agora, não sigo nenhuma religião actualmente. As minhas crenças são bastante a nível espiritual e de consciência humana.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: uhrh9 em 05.abr.2014, 08:38:24
Sou cristã porque fui formada dentro dos valores cristãos.
Mas é só um promenor.  Não acho que haja religioes erradas. Ha sim fundamentalismo hipocrisia arrogancia. É o Homem que a utiliza segundo a conveniencia.

Religião é, pode se cultural
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Kareem em 05.abr.2014, 12:51:20
Alhamdulillah!

Catolicismo e a palavra de Allah são opostas por natureza.
Não sou cristão muito menos católico.
Enviam-me uma mensagem e ao invés de a venerar, venero o mensageiro? Não faz sentido. Nem "idolatrar as pedras e as rochas"
Basta pensarem um bocado, se alguém esfaqueasse a vossa mãe, usavam um colar com uma faca?
Se alguém usasse uma caneta para matar os vossos filhos, teriam colares de caneta?
Astaghfirullah

Entendo o raciocínio, contudo o cristão pode concentrar-se na ressurreição de Jesus que é um aspecto mais luminoso da história de vida do Mestre. Os aspectos soturnos do cristianismo não me apelam nem sou apologista deles (crucifixos sangrentos [smiley=nao.gif] ).
Se és muçulmano então respeitas Jesus (Issa) como um dos profetas, certo? Mas há que ver que para os cristãos Jesus é considerado o Filho de Deus, pode não fazer sentido para ti. Mas respeitemos as crenças uns dos outros. ;)
Não esqueçamos os seguidores de Jesus ao longo da história que fizeram o bem à humanidade: eles seguiram a Sua mensagem.

Mashallah sim respeito Jesus, sempre era um profeta de Allah  :)
Respeito todas as religiões que tenham uma linha de conduta moral fixa, aliás o Qur'an diz que é completamente proibido desrespeitar as outras religiões.
Mas a palavra de Allah era para venerar Deus, não o profeta. E é por isso que não há imagens de santos nem de profetas no Islão. (O único simbolo que possam reconhecer no Islão é uma lua, mas isto é assim porque o caléndario muçulmano é um calendário lunar)
 Porque o único que deve ser venerado é Allah e Allah não tem forma física, é omnipotente, omnipresente e omnisciente. Se soubésseis...  :)

As imagens no cristianismo servem para relembrar e direccionar o pensamento do crente para a entidade espiritual aí representada (Cristo, os santos, os anjos, etc). O culto de imagens é um excesso condenados por vários Papas e documentos religiosos da Igreja. O uso das imagens é uma tradição que surgiu. Naturalmente, que se formos a ver bem, elas não são necessárias para a vida espiritual. Mas há que ter em conta que num mundo de analfabetos como era o da Idade Média europeia, esse tipo de representações serviam para ensinar a religião e as Escrituras às pessoas.
São questões culturais. Os protestantes dispensaram as imagens. Para mim são formas igualmente válidas de prática religiosa. Naturalmente, que religiões como a corrente protestante e o Islamismo fazem mais apelo ao mundo interior do crente, enquanto que o catolicismo e a ortodoxia ensinam mais pelas imagens e o culto exterior complexo.

Não é a existência de imagens que é condenável mas sim a idolatração das mesmas. A separação de Allah em três quando Allah é único e só. Rezar a Jesus não é rezar a Allah. No médio-oriente o analfabetismo era tão comum como na Europa (obviamente que havia uma aristocracia que tinha estes conhecimentos, mas a Europa também tinha nomeadamente Nobrezas e Cleros) e isso não influenciou o mundo árabe (e persa)  a venerar imagens nem formas físicas. Aliás Mohammed (SWT) não sabia ler nem escrever e no entanto recitou o Qur'an aos seus seguidores. A Bíblia também apela aos seguidores de Jesus para não comerem porco ou para não venerarem imagens pois estas são fictícias, e no entanto escolhem ignorar muitas coisas que não lhes convêm. Não era minha intenção fazer dawaa mas relembro que a Torah foi o livro que Allah deu aos Judeus e estes cometeram sacrilégio quando esconderam o livro sagrado do seu próprio povo para que mantivessem poder e influência. Esconderam a vinda de Mohammed (SWT) e de Issa para que o seu próprio povo fosse considerado superior.

É uma religião que historicamente tem se provado ser extremamente versátil mashallah
Não posso dizer o mesmo do catolicismo
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: V24 em 06.abr.2014, 18:46:08
Mas aí temos uma questão técnica em relação à teologia cristã.
É que há uma distinção entre "dulia" - veneração como um respeito profundo.
E "latria" a adoração que só é devida a Deus.
Daí não haver mal nenhum em ter imagens no catolicismo.
Quanto aos árabes e persas: a cultura pré-islâmica era rica em imagens. Elas só desapareceram progressivamente após o século VIII à medida que a religião muçulmana se expandiu. Mas sim, há uma coisa em que tens razão no Oriente as pessoas eram mais instruídas que no Ocidente e existiam bastantes sábios/cientistas, escritores, sacerdotes e administradores de propriedades que sabiam ler e fazer contas.

Pois a questão da Trindade é outra.
Tal como o Corão é o livro sagrado do Islão, os Evangelhos são parte da Bíblia  que é o livro sagrado cristão.
Nos evangelhos surgem vários fundamentos para a doutrina da Trindade. Começando logo com os primeiros versos do Evangelho de S. João.
Trata-se tudo de diferenças teológicas entre as duas religiões. Vejam-se antes os frutos das mesmas. Há pessoas que as seguem que se conseguem aperfeiçoar e tornarem-se melhores? Excelente.
Não há porque entrar em grandes pormenores. ;)
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Kareem em 06.abr.2014, 21:01:32
Mas aí temos uma questão técnica em relação à teologia cristã.
É que há uma distinção entre "dulia" - veneração como um respeito profundo.
E "latria" a adoração que só é devida a Deus.
Daí não haver mal nenhum em ter imagens no catolicismo.
Quanto aos árabes e persas: a cultura pré-islâmica era rica em imagens. Elas só desapareceram progressivamente após o século VIII à medida que a religião muçulmana se expandiu. Mas sim, há uma coisa em que tens razão no Oriente as pessoas eram mais instruídas que no Ocidente e existiam bastantes sábios/cientistas, escritores, sacerdotes e administradores de propriedades que sabiam ler e fazer contas.

Pois a questão da Trindade é outra.
Tal como o Corão é o livro sagrado do Islão, os Evangelhos são parte da Bíblia  que é o livro sagrado cristão.
Nos evangelhos surgem vários fundamentos para a doutrina da Trindade. Começando logo com os primeiros versos do Evangelho de S. João.
Trata-se tudo de diferenças teológicas entre as duas religiões. Vejam-se antes os frutos das mesmas. Há pessoas que as seguem que se conseguem aperfeiçoar e tornarem-se melhores? Excelente.
Não há porque entrar em grandes pormenores. ;)

As imagens eram comuns devido as religiões politeístas e claro que lentamente foram desaparecendo.
Existem muitas mais contradições para além da trindade e das imagens, como a guerra santa, os anjos, os Jinn, e claro...Sheytan! (Relembro que nós não somos a primeira criação com livre-arbítrio)
Venerar outro sem ser Allah, lamento mas não considero um pormenor, no dia da Al-Qaria Allah o fogo do inferno irá julgar os do lado esquerdo em 3 grupos. O que fez a vida dificil aos fieis, aos arrogantes, e aos que fizeram imagens para idolatração. Eu até punha aqui um video para explicar mas acho que vocês tiram os vídeos (eu acho que li um tópico sobre isso)
Preferes olhar para as consequências da religião (em tornar-mo-nos melhores pessoas) Isso poderia funcionar se não houvesse contradição.
Falo da Jihad claro, algo que é transcendente e algo que a meus olhos é perfeitamente aceitável, onde o cristianismo/catolicismo critica severamente (embora o tivessem feito) [já revelei um bocadinho da minha corrente islâmica, enfim espero que compreendem ;D ]
Existem inúmeras pessoas que julgam o Islão sem ler o livro, algo que é inaceitável (sim, já li a Bíblia)
"O Islão é uma religião de ciência e conhecimento, quando o catolicismo é uma religião de pura analogia e superstição" (Já viram "O Exorcista" versão muçulmana? hhhhhhhhh asério que gostava de ver!  ;D ) As religiões também se dividiram entre o máximo de tolerância onde a palavra "religião" nem faz diferença, o moderado entre os dois, e o extremismo que contradiz os pilares da própria religião.
Mashallah o profeta disse que todos vão para Jennah, exceto os que não quiserem, exceto os que não acreditam.
Allah perdoa tudo e todos, até blasfémia, se se arrependerem, mas se não for o caso subhanallah  e Allah pergunta "preferes o inferno, do que estar comigo?
Iblis (sheytan) diz: "Oh Allah deixa-me viver, dá-me tempo, vamos testar esta gente que preferiste a mim" e Allah respondeu à duaa
Sheytan diz: "Oh Allah, pela tua honra irei desencaminhá-los enquanto as almas tiverem corpos, irei levá-los para o mal e Allah diz: Pela minha honra e glória, quando eles voltarem, eu vou perdoá-los"

Não sou digno de fazer dawaa mas tenho que partilhar algumas coisas do Islão, é como encontrar um grande dom e não poder partilhar mas inshallah os corações serão abertos aos justos :) Allahu Akbar

 
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: T-Rex em 07.abr.2014, 19:01:47
Eu até punha aqui um video para explicar mas acho que vocês tiram os vídeos (eu acho que li um tópico sobre isso)
É permitido incluir vídeos nos posts, desde que não sejam videos com conteúdo que quebre alguma das regras do fórum (https://www.rea.pt/forum/index.php?topic=3126.0) ;)

Eu não estou a participar nesta conversa, mas estou a acompanhar e a achar o debate que se instalou bastante interessante :P
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: V24 em 08.abr.2014, 01:29:24
Mas aí temos uma questão técnica em relação à teologia cristã.
É que há uma distinção entre "dulia" - veneração como um respeito profundo.
E "latria" a adoração que só é devida a Deus.
Daí não haver mal nenhum em ter imagens no catolicismo.
Quanto aos árabes e persas: a cultura pré-islâmica era rica em imagens. Elas só desapareceram progressivamente após o século VIII à medida que a religião muçulmana se expandiu. Mas sim, há uma coisa em que tens razão no Oriente as pessoas eram mais instruídas que no Ocidente e existiam bastantes sábios/cientistas, escritores, sacerdotes e administradores de propriedades que sabiam ler e fazer contas.

Pois a questão da Trindade é outra.
Tal como o Corão é o livro sagrado do Islão, os Evangelhos são parte da Bíblia  que é o livro sagrado cristão.
Nos evangelhos surgem vários fundamentos para a doutrina da Trindade. Começando logo com os primeiros versos do Evangelho de S. João.
Trata-se tudo de diferenças teológicas entre as duas religiões. Vejam-se antes os frutos das mesmas. Há pessoas que as seguem que se conseguem aperfeiçoar e tornarem-se melhores? Excelente.
Não há porque entrar em grandes pormenores. ;)

As imagens eram comuns devido as religiões politeístas e claro que lentamente foram desaparecendo.
Existem muitas mais contradições para além da trindade e das imagens, como a guerra santa, os anjos, os Jinn, e claro...Sheytan! (Relembro que nós não somos a primeira criação com livre-arbítrio)
Venerar outro sem ser Allah, lamento mas não considero um pormenor, no dia da Al-Qaria Allah o fogo do inferno irá julgar os do lado esquerdo em 3 grupos. O que fez a vida dificil aos fieis, aos arrogantes, e aos que fizeram imagens para idolatração. Eu até punha aqui um video para explicar mas acho que vocês tiram os vídeos (eu acho que li um tópico sobre isso)
Preferes olhar para as consequências da religião (em tornar-mo-nos melhores pessoas) Isso poderia funcionar se não houvesse contradição.
Falo da Jihad claro, algo que é transcendente e algo que a meus olhos é perfeitamente aceitável, onde o cristianismo/catolicismo critica severamente (embora o tivessem feito) [já revelei um bocadinho da minha corrente islâmica, enfim espero que compreendem ;D ]
Existem inúmeras pessoas que julgam o Islão sem ler o livro, algo que é inaceitável (sim, já li a Bíblia)
"O Islão é uma religião de ciência e conhecimento, quando o catolicismo é uma religião de pura analogia e superstição" (Já viram "O Exorcista" versão muçulmana? hhhhhhhhh asério que gostava de ver!  ;D ) As religiões também se dividiram entre o máximo de tolerância onde a palavra "religião" nem faz diferença, o moderado entre os dois, e o extremismo que contradiz os pilares da própria religião.
Mashallah o profeta disse que todos vão para Jennah, exceto os que não quiserem, exceto os que não acreditam.
Allah perdoa tudo e todos, até blasfémia, se se arrependerem, mas se não for o caso subhanallah  e Allah pergunta "preferes o inferno, do que estar comigo?
Iblis (sheytan) diz: "Oh Allah deixa-me viver, dá-me tempo, vamos testar esta gente que preferiste a mim" e Allah respondeu à duaa
Sheytan diz: "Oh Allah, pela tua honra irei desencaminhá-los enquanto as almas tiverem corpos, irei levá-los para o mal e Allah diz: Pela minha honra e glória, quando eles voltarem, eu vou perdoá-los"

Não sou digno de fazer dawaa mas tenho que partilhar algumas coisas do Islão, é como encontrar um grande dom e não poder partilhar mas inshallah os corações serão abertos aos justos :) Allahu Akbar

Como é que concilias a Jihad com o mandamento "Não matarás"? O conceito de "guerra santa" não é um dogma oficial da igreja católica -foi uma ideia propaganda por mentes perversas -, enquanto que no Islão é algo que está nos incluído nos 5 pilares.
O único lugar onde a democracia foi conservada durante a Idade Média foi dentro dos conventos beneditinos onde a vida comunitária era regulada pelos votos dos irmãos. Os maiores médicos, astronómos e cientistas foram monges e freiras, e mantinham escolas importantíssimas como é que explicas isso? Não deveriam ser lugares de ignorância segundo a tua perspectiva?
Por acaso conheço o "exorcista" à muçulmana pesquisa Dunia Lain no youtube. Esse programa indonésio é mesmo estranho haha. Exorcisam jinns por tudo e por nada. Se formos ambos justos há que reconhecer que ambos os programas/filmes só visam o sensacionalismo e não reflectem a sobriedade de ambas as religiões.

Em relação às contradições: há uma diferença muito importante entre as escrituras islâmicas e as judaico-cristãs. O Corão é um livro uniforme, enquanto que a Bíblia é um conjunto de livros que foram aparecendo ao longo de cerca de 2000 anos. Tens o relato do Génesis inspirado em histórias sumérias, tens os livros dos Profetas que reflectem as diferentes personalidades de cada um, e tens os Evangelhos que também têm diferenças entre eles. E porquê? Porque cada parte da Bíblia põe a ênfase num aspecto diferente da Revelação, isso não implica que não existam princípios comuns importantes nos quais se baseia a religião cristã. Claro que para cristãos fundamentalistas que veem tudo literalmente dá asneira. Mas isso acontece em todas as religiões.

Penso que és plenamente livre de expores as tuas crenças. Agora para mim o que importa é ter uma espiritualidade e não convencer ninguém a pensar como eu, mas gosto de dialogar e partilhar ideias como estamos a fazer.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: filsim em 08.abr.2014, 11:35:35
Mas aí temos uma questão técnica em relação à teologia cristã.
É que há uma distinção entre "dulia" - veneração como um respeito profundo.
E "latria" a adoração que só é devida a Deus.
Daí não haver mal nenhum em ter imagens no catolicismo.
Quanto aos árabes e persas: a cultura pré-islâmica era rica em imagens. Elas só desapareceram progressivamente após o século VIII à medida que a religião muçulmana se expandiu. Mas sim, há uma coisa em que tens razão no Oriente as pessoas eram mais instruídas que no Ocidente e existiam bastantes sábios/cientistas, escritores, sacerdotes e administradores de propriedades que sabiam ler e fazer contas.

Pois a questão da Trindade é outra.
Tal como o Corão é o livro sagrado do Islão, os Evangelhos são parte da Bíblia  que é o livro sagrado cristão.
Nos evangelhos surgem vários fundamentos para a doutrina da Trindade. Começando logo com os primeiros versos do Evangelho de S. João.
Trata-se tudo de diferenças teológicas entre as duas religiões. Vejam-se antes os frutos das mesmas. Há pessoas que as seguem que se conseguem aperfeiçoar e tornarem-se melhores? Excelente.
Não há porque entrar em grandes pormenores. ;)

As imagens eram comuns devido as religiões politeístas e claro que lentamente foram desaparecendo.
Existem muitas mais contradições para além da trindade e das imagens, como a guerra santa, os anjos, os Jinn, e claro...Sheytan! (Relembro que nós não somos a primeira criação com livre-arbítrio)
Venerar outro sem ser Allah, lamento mas não considero um pormenor, no dia da Al-Qaria Allah o fogo do inferno irá julgar os do lado esquerdo em 3 grupos. O que fez a vida dificil aos fieis, aos arrogantes, e aos que fizeram imagens para idolatração. Eu até punha aqui um video para explicar mas acho que vocês tiram os vídeos (eu acho que li um tópico sobre isso)
Preferes olhar para as consequências da religião (em tornar-mo-nos melhores pessoas) Isso poderia funcionar se não houvesse contradição.
Falo da Jihad claro, algo que é transcendente e algo que a meus olhos é perfeitamente aceitável, onde o cristianismo/catolicismo critica severamente (embora o tivessem feito) [já revelei um bocadinho da minha corrente islâmica, enfim espero que compreendem ;D ]
Existem inúmeras pessoas que julgam o Islão sem ler o livro, algo que é inaceitável (sim, já li a Bíblia)
"O Islão é uma religião de ciência e conhecimento, quando o catolicismo é uma religião de pura analogia e superstição" (Já viram "O Exorcista" versão muçulmana? hhhhhhhhh asério que gostava de ver!  ;D ) As religiões também se dividiram entre o máximo de tolerância onde a palavra "religião" nem faz diferença, o moderado entre os dois, e o extremismo que contradiz os pilares da própria religião.
Mashallah o profeta disse que todos vão para Jennah, exceto os que não quiserem, exceto os que não acreditam.
Allah perdoa tudo e todos, até blasfémia, se se arrependerem, mas se não for o caso subhanallah  e Allah pergunta "preferes o inferno, do que estar comigo?
Iblis (sheytan) diz: "Oh Allah deixa-me viver, dá-me tempo, vamos testar esta gente que preferiste a mim" e Allah respondeu à duaa
Sheytan diz: "Oh Allah, pela tua honra irei desencaminhá-los enquanto as almas tiverem corpos, irei levá-los para o mal e Allah diz: Pela minha honra e glória, quando eles voltarem, eu vou perdoá-los"

Não sou digno de fazer dawaa mas tenho que partilhar algumas coisas do Islão, é como encontrar um grande dom e não poder partilhar mas inshallah os corações serão abertos aos justos :) Allahu Akbar

Se formos a ver as bases dum livro como outro não são muito diferentes, mudam palavras mas acabm por ter o mesmo propósito, essa passagem que tu citaste de sheytan é a mesma registada no livro de Jó na biblia e quem diz essa parte diz outras, e depois tambem tens de ver qual biblia é que pegas, existem muitas onde foram adicionados livros vários séculos após a mortede cristo onde a sua autenticidade poderá ser posta em causa visto que sao os livros que criam mais discordância com o resto da biblia. Já agora respondendo ao tópico, neste momento nao participo de nenhum culto religioso.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Kareem em 08.abr.2014, 12:00:01
Antes de tudo quero dizer que não estou a tentar converter, não sou digno o suficiente para espalhar a palavra de Allah 
aliás se o fizesse faria duaa para isso, pela mesma razão de Camões n'Os Lusiadas. ;D

Primeiro de tudo "não matarás" é um regra que Allah ordenou, mas (agora entramos no factor historico) Mohammed (swt) e os seus seguidores foram perseguidos e torturados e depois de muitos anos de opressão, por fim Allah dá permissão a Mohammed para lutar, aí aparece as primeiras referencias à Jihad, ou guerra santa. Mas não se deixem enganar pois Allah é misericordioso e omnisciente, e estabelece as primeiras éticas de guerra:
Jihad só é permitida em duas situações:
-"Jihad é a palavra de justiça a um sultão opressivo" No caso de terem lideres e governantes tiranos e corruptos (corrupção moral)
-"Jihad é permitida quando o Khalifa for atacado" Allah criou a terra e disse: Agora faço um Khalifa (Aqui Khalifa significa terra dos muçulmanos)
E após a permissão da Jihad as proibições foram reveladas:
-Não magoarás as mulheres
-Não magoarás as crianças
-Não magoarás as árvores
-Não magoarás os sábios (idosos)
Agora, porque é que eu defendo a Jihad? Muito simples, se eu fosse Khilafah astagfirullah e houvesse um pais que fizesse um holocausto a uma etnia, declarava Jihad. Isto porque me revolta profundamente que na segunda guerra mundial ninguém fez nada, fecharam os olhos ao que se passava astagfiullah.
"A única coisa necessária para o triunfo do mal, são os homens de bem não fazerem nada" Edmund Burke
Não fazer nada não é neutro, é pior! É por isso que apoio a Jihad. Guerra pela moralidade. Pelo que está certo e astagfirullah se houver holocausto em Portugal eu quereria que as outras nações fizessem alguma coisa por nós. Eu percebo o sentimento de honra do "não matarás" mas pergunta aos milhões de fantasmas se a honra é importante. O silêncio é a resposta.

Primeiro de tudo, democracia é poder do povo, não é poder da aristocracia nem do clero, povo é todo, não é uma parte, sejam conventos ou não. Democracia não existia à excepção dos países que davam mais poder à burguesia como na República das Províncias Unidas e da Inglaterra. E até esses casos não são exemplares.
Segundo, eles tinham conhecimentos porque a igreja os manteve desde o império romano, para consolidar a posição do clero e da religião. O objectivo era influência e poder. Eles mantinham escolas importantíssimas? claro! escolas teológicas, ou religiosas. E muitos dos conhecimentos eram baseados na religião sem provas empíricas, como por exemplo a terra que está no centro do universo. Enquanto que no mundo árabe e persa, já se sabia plenamente, não só que a terra girava em torno do sol, mas também sabiam a circunferência exacta da terra (Iraq) . Sim na minha opinião os "sábios" da Europa neste tempo eram ignorantes. Porque misturam conhecimento com fé. O Islão proibiu isso, porque Allah gosta sempre dos que procuram conhecimento. O Islão é ciência e o conhecimento, porque é no Qur'an que se refere o feto, o embrião, as órbitas da terra e até os ciclos menstruais etc. Legisla sobre os casamentos, os negócios, a mulher, mata o racismo e a xenofobia, recusa a escravidão porque somos todos escravos de Allah, logo não faz sentido haver intermédios. (Isto tudo há mais de 1400 anos atrás) Não estou a dizer que não tinham fé, aliás têm bastante, mas nunca deixaram-se cegar aos conhecimentos do mundo e à realidade.
Eu sei que existem vários livros na religião cristã mas inshallah a muçulmana também se orienta para além do Qur'an, os Al-hadiths e Al-Mutawa

Sim, é verdade. Astagfirullah há fundamentalismo nas duas religiões. Assim como Al-Qaeda no Islão e Anders Breivic no Catolicismo (ou cristianismo já não me lembro) E isso até o ministro da Arábia Saudita (não sei o nome dele) disse que "Os ateus não são terroristas, mas sim os terroristas é que são ateus" Ou seja, a religião não tem poder no fundamentalismo nem o fundamentalismo tem poder na religião.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Forbidden em 08.abr.2014, 21:10:21
Antes de tudo quero dizer que não estou a tentar converter, não sou digno o suficiente para espalhar a palavra de Allah 
aliás se o fizesse faria duaa para isso, pela mesma razão de Camões n'Os Lusiadas. ;D

Primeiro de tudo "não matarás" é um regra que Allah ordenou, mas (agora entramos no factor historico) Mohammed (swt) e os seus seguidores foram perseguidos e torturados e depois de muitos anos de opressão, por fim Allah dá permissão a Mohammed para lutar, aí aparece as primeiras referencias à Jihad, ou guerra santa. Mas não se deixem enganar pois Allah é misericordioso e omnisciente, e estabelece as primeiras éticas de guerra:
Jihad só é permitida em duas situações:
-"Jihad é a palavra de justiça a um sultão opressivo" No caso de terem lideres e governantes tiranos e corruptos (corrupção moral)
-"Jihad é permitida quando o Khalifa for atacado" Allah criou a terra e disse: Agora faço um Khalifa (Aqui Khalifa significa terra dos muçulmanos)
E após a permissão da Jihad as proibições foram reveladas:
-Não magoarás as mulheres
-Não magoarás as crianças
-Não magoarás as árvores
-Não magoarás os sábios (idosos)
Agora, porque é que eu defendo a Jihad? Muito simples, se eu fosse Khilafah astagfirullah e houvesse um pais que fizesse um holocausto a uma etnia, declarava Jihad. Isto porque me revolta profundamente que na segunda guerra mundial ninguém fez nada, fecharam os olhos ao que se passava astagfiullah.
"A única coisa necessária para o triunfo do mal, são os homens de bem não fazerem nada" Edmund Burke
Não fazer nada não é neutro, é pior! É por isso que apoio a Jihad. Guerra pela moralidade. Pelo que está certo e astagfirullah se houver holocausto em Portugal eu quereria que as outras nações fizessem alguma coisa por nós. Eu percebo o sentimento de honra do "não matarás" mas pergunta aos milhões de fantasmas se a honra é importante. O silêncio é a resposta.

Primeiro de tudo, democracia é poder do povo, não é poder da aristocracia nem do clero, povo é todo, não é uma parte, sejam conventos ou não. Democracia não existia à excepção dos países que davam mais poder à burguesia como na República das Províncias Unidas e da Inglaterra. E até esses casos não são exemplares.
Segundo, eles tinham conhecimentos porque a igreja os manteve desde o império romano, para consolidar a posição do clero e da religião. O objectivo era influência e poder. Eles mantinham escolas importantíssimas? claro! escolas teológicas, ou religiosas. E muitos dos conhecimentos eram baseados na religião sem provas empíricas, como por exemplo a terra que está no centro do universo. Enquanto que no mundo árabe e persa, já se sabia plenamente, não só que a terra girava em torno do sol, mas também sabiam a circunferência exacta da terra (Iraq) . Sim na minha opinião os "sábios" da Europa neste tempo eram ignorantes. Porque misturam conhecimento com fé. O Islão proibiu isso, porque Allah gosta sempre dos que procuram conhecimento. O Islão é ciência e o conhecimento, porque é no Qur'an que se refere o feto, o embrião, as órbitas da terra e até os ciclos menstruais etc. Legisla sobre os casamentos, os negócios, a mulher, mata o racismo e a xenofobia, recusa a escravidão porque somos todos escravos de Allah, logo não faz sentido haver intermédios. (Isto tudo há mais de 1400 anos atrás) Não estou a dizer que não tinham fé, aliás têm bastante, mas nunca deixaram-se cegar aos conhecimentos do mundo e à realidade.
Eu sei que existem vários livros na religião cristã mas inshallah a muçulmana também se orienta para além do Qur'an, os Al-hadiths e Al-Mutawa

Sim, é verdade. Astagfirullah há fundamentalismo nas duas religiões. Assim como Al-Qaeda no Islão e Anders Breivic no Catolicismo (ou cristianismo já não me lembro) E isso até o ministro da Arábia Saudita (não sei o nome dele) disse que "Os ateus não são terroristas, mas sim os terroristas é que são ateus" Ou seja, a religião não tem poder no fundamentalismo nem o fundamentalismo tem poder na religião.

Pois sinceramente o Islao e uma religiao que nao merece grande respeito. Nesse assunto fiquei bastante esclarecido quando li o "Furia Divina", do JRS. No Islao ha uma regra (que agora nao me recordo o nome) que diz que as coisas que Ala diz mais recentes anulam as anteriores... ora, todas as coisas bonitas do Corao (que os sufis seguem) de amor e paz, e tudo isso que e bonito, foram anuladas pelas leis mais recentes, as leis de odio, violencia, guerra. Nao ha volta a dar, basta ler o Corao... e pena e que o publico em geral nao saiba desta lei. Portanto, um "verdadeiro" crente, seria como os terrorristas, porque eles e que estao a seguir os preceitos do Islao, de matar os infieis, de tratar as mulheres como inferiores, etc... o Islao e uma religiao muito perigosa, mesmo. Mas o Judaismo e igual (o Antigo Testamento e medonho), e o Cristianismo so e diferente porque a mensagem de Jesus anulou muita das coisas horriveis do AT - a mensagem de paz, amor e compreensao anula a mensagem de odio e violencia do AT, e apesar dos defeitos que tem, e a melhor das tres. A minha opiniao e esta, e vale o que vale.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: V24 em 13.abr.2014, 08:16:34
Bem, o que deve ficar bem compreendido é que há pessoas boas e más em todas as fés. Independentemente das regras.
O Mal manifesta-se quando as pessoas abdicam do livre arbítrio e discernimento e seguem tudo cegamente.

Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Kareem em 15.abr.2014, 12:05:41
Exato concordo plenamente! Alhamdulillah
já agora, ainda não fui a nenhuma reunião um dia destes hei de ir inshallah  ;D
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: random_dude em 12.nov.2014, 22:04:23
Tenho um grande historial no catolicismo. Primeira-comunhão, Comunhão Solene e Crisma. Frequentei, inclusive, um grupo de jovens católicos durante mais de um ano. Assim que os meus pais me permitiram gerir a minha vida, pus o catolicismo logo de parte. Na verdade, nunca fui verdadeiramente católico, nunca acreditei verdadeiramente em Deus e há várias passagens bíblicas que me incomodam. É um Deus contraditório, que tanto nos ama condicionalmente como nos quer ver a arder caso nos lhes prestemos vassalagem. É um Deus que pede a um pai para matar o filho como prova de fé. É um Deus xenófobo, homofóbico e misógino. 
Felizmente, isto não é os US e não há por cá tal coisa como "coming out as an atheist". 
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Endovélico em 24.mar.2015, 16:19:44
Eu não sou religioso porque nunca frequentei qualquer tipo de ensino religioso, basicamente. E, em certa parte, devido à educação. Não sou religioso, não entendo o que um crente sente e como entende o mundo, mas penso que seja um desafio, sendo cristão, acreditando na biblia, conseguir complementar pensamentos tão distintos e opostos como a teoria da evolução e a ideia do "criador".
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: Sara Cristina em 05.abr.2015, 11:27:00
Olá a tod@s :)

"Por Que Não Sou Cristão" é o título de um livro do filósofo Bertrand Russel. Lembrei-me de pegar no título deste livro e criar um tópico para saber os motivos que os levam a ser ou não cristãos, a ser ou não católicos. Não são católicos porque não se identificam com a doutrina da igreja católica? Não são católicos porque não acreditam nos padres? Mas acreditam em Deus e em Jesus Cristo? Porquê?  São cristãos mas não católicos? Acreditam nos valores básicos da Igreja (católica ou outra cristã) mas não seguem à risca?

Enfim, gostaria que comentassem o tópico.


  Ora, achei este tópico extremamente interessante então vim dar aqui o meu contributo.
  Bem, eu quando era mais nova sempre fui "obrigada" a ir á missa e a praticar aquilo que lá nos ensinavam. Com o passar do tempo, vim cada vez me afastando mais por várias razões que muitas delas adequa-se a muita e boa gente.
  Primeiramente, desde sempre que a religião cristã obriga a ser ter medo de tudo, até na idade média era assim, ou seja, se fizéssemos um disparate por mais pequeno que fosse diziam sempre "se fizeres mal vais para o inferno" ou "se praticares sempre o bem vais para o céu". Condicionaram até as crianças mais inocentes a ter medo de tudo.
  Em segundo lugar, o negócio que está montado por detrás da igreja católica. Não é preciso ser muito bom observador para ver que a igreja não é nada mais nada menos que um puro negócio. Basta vermos o Vaticano. Milhares e milhares de euros entram naquele cofre todos os dias. Toda a comunidade eclesiástica lá vive á grande e á francesa enquanto estão milhões de pessoas incluindo crianças a passar fome e a morrerem de doenças em Africa.
  Em terceiro lugar, a mim irrita-me profundamente saber que assuntos como a pedofilia na igreja católica são tão abafados e condenam e criticam os homossexuais por amarem alguém do mesmo sexo. E eu pergunto, qual destes casos é pior? A pedofilia pois claro. E depois á aqueles que dizem "Ah e tal, mas na bíblia ensina que o homem deve amar a mulher e a mulher o homem". Sejamos racionais desde quando é que a mulher é que vem da costela do homem? Nós próprios sabemos que nas leis da natureza as coisas não funcionam assim. De qualquer das maneiras sempre inferiorizaram a mulher em tudo, como se a bíblia tivesse sido escrita com um toque divino... a bíblia foi escrita por HOMENS, homens iguais a todos nós. Poderia haver partes acerca da homossexualidade na bíblia, mas só como não dava boa imagem á Inquisição cortaram ou então as paginas foram mal traduzidas ao longo dos séculos. Antes de Cristo a homossexualidade era muito bem aceite em diversos países basta olharmos para o exemplo da Grécia.
  Por ultimo, depois deste grande testamento ahah, é de notar que tudo o que a igreja católica pratica é o oposto dos ensinamentos que estão na bíblia e por isso e por todas as razões que mencionei anteriormente é que decidi a não pertencer a nenhuma religião. Prefiro ser uma observadora social.
Título: Re: Por que não sou/sou cristão e/ou católic@
Enviado por: MarkusVieira em 05.abr.2015, 13:19:01
Bem o meu relato sera grande porque tenho uma boa opinião sobre religiões e quase todas,
porque eu ja fui testemunha de jeova, católico , evangélico budista, e já tentei ate ser judaico e até espirita.
agora vocês me perguntam por que,
eu sempre tive um desejo de saber se existia algum deus, e se houvesse alguma das religiões teria que estar certas
na religião católica vi muita coisas boas como os princípios , mas os princípios vêem de casa não de uma religião.
respeitar amar o próximo eu nao preciso de religião para o fazer apenas faço porque sou uma pessoa boa.
na missa via o que via era pessoas a falar da vida das outras a comentar roupas. e a dar dinheiro.
ate conheci uma padre que era gay, e questionei porque ele era gay . porque a universidade para ser "padre" é toda paga. eles são te casa carro e um salário, alguem quer mais alguma coisa? ehehhehe
Já os evangélicos são vais artistas penso eu, eles fazem teatro gritam contigo, mas eu ja fui um dos rapazes que tremia no palco e ele " tiravam o demónio" de dentro de mim , e no final pagavam me 50 euros pela actuação e estava tudo bem. um pastor recebia mais que uma pessoa que trabalhava 8 horas por dias, e outra vez sao isentos de qualquer tipo de descontos
os testemunhas de Jeová tínhamos que seguir o que o ancião nos dizia, os princípios sao os mesmo, apenas o dinheiro também esta envolvido e tive que perder todos os meus amigos e familiares porque apenas não era testemunhas de jeova.
tentei ser judaico mas as regras são muito duras, o mesmo nos hindus eu sofria descriminação só porque nao era "natural" como eles.( dos países como índia)
Fui para espirita para ver se encontrava alguma resposta pelo menos se ouve se algu deus neste mundo, desisti depois de algum tempo por saber que o dinheiro que esta envolvido em tudo.
virei budista pelos principios do budismo porque eu sou uma pessoa que pratico o bem quase diariamente , e tento ajudar muitas pessoas
por fim com 24 anos de vida sou ateu.
Apenas sou ateu porque todas os princípios as respostas tudo apenas depende de mim, eu tenho que fazer por mim não por algum ser.
obrigado se leram tudo. e respeito a fé de todos.
Bjinhos e abraços