Fórum da rede ex aequo

Assuntos Gerais => Geral => Tópico iniciado por: Pulse em 03.jul.2010, 16:32:58

Título: A relação dos Serviços de Saúde com os LGBTs - experiências
Enviado por: Pulse em 03.jul.2010, 16:32:58
Bem, julgo não haver um tópico semelhante, ou pelo menos não encontrei.
O titulo do tópico pode não ser suficientemente claro mas o que gostaria de debater convosco aqui é se, no vosso entender e naquilo que são as vossas experiências, os serviços de saúde se encontram preparados ou lidam de forma adequada com as questões da orientação sexual e da identidade de género?
Isto dava um bom tema de discussão para uma reunião. xD
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: - Miguel - em 03.jul.2010, 16:44:39
Falo pela vivência que tenho em ambiente hospital, não no geral.

O tema de orientação sexual no meio em que me rodeio nunca foi discriminatório, já que de algumas vezes que falei do assunto a receptividade foi boa, contudo fui informado, por uma profissional de saúde - entenda-se médica - que as mentes por vezes não são assim tão abertas e receptivas à diferença, sugerindo-me inclusivamente a não abordar muito esses assuntos, já que alguns dos seus colegas ao saberem manifestam-se de forma diferente perante e na ausência do doente.

Pronto é só isso que tenho a dizer sobre o assunto :( mas, é um bom assunto sim senhor! ;)
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Pulse em 04.jul.2010, 18:30:26
Eu não percebi se estavas a falar na óptica de utilizador do SNS ou na óptica de um dos agentes deste, como profissional ou estudante, podes esclarecer?  lol
Eu penso que os serviços de saúde se encontram principalmente desajustados para pessoas transexuais, uma vez que essa pessoa será tratada de acordo com o género do corpo biológico, ou seja se aparecer lá um transexual que é homem com corpo de mulher, será tratado como mulher o que, imagino, deva ser extremamente desagradável.
Gostava de "ouvir" mais opiniões...  :-[
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: - Miguel - em 08.jul.2010, 15:56:51
Não sou profissional de saúde, nem estou a estudar para tal.

O que falei foi enquanto necessitado do SNS.
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: pinkie em 08.jul.2010, 17:32:19
Aquelas enfermeiras que vêm falar ás escolas de sexo seguro também se pode considerar que estejam a prestar um serviço de saúde, certo? 
A prevenção é importante e eu noto que infelizmente a informação que nos dão na escola é toda dirigida a adolescentes heterossexuais. E quando há informação dirigida a homossexuais , é apenas uma leve referencia a dizer que os homens homossexuais também tem que usar preservativo. Então e as mulheres homossexuais?
E mesmo se perguntarmos algo relacionado com isso, elas nunca sabem responder muito bem.
Acho que uma vez que há dessas palestras na escola, essas acções de formação e o que mais podiam abordar também o tema da homossexualidade e da identidade de género, pois tenho a certeza que há por ai muitos adolescentes confusos e talvez desprotegidos sem acesso á informação.
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Blackdi em 08.jul.2010, 19:39:57
Concordo inteiramente com o Pulse. Os transexuais são as principais vítimas dum sistema de saúde demasiado arcaico, sobretudo, quando falamos de mentalidades.  :P

No entanto, não são as únicas vítimas. As mulheres lésbicas também não têm a vida facilitada, sobretudo na especialidade de Ginecologia. Todos os médicos partem do princípio que a actividade sexual de uma mulher cinge-se ao homem, o que nem sempre corresponde à verdade. Acreditem, é extremamente embaraçoso vermo-nos obrigadas a confessar que o nosso parceiro sexual não é um homem, mas uma mulher.  :-X  :-[
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Pulse em 08.jul.2010, 19:42:04
Aquelas enfermeiras que vêm falar ás escolas de sexo seguro também se pode considerar que estejam a prestar um serviço de saúde, certo? 
A prevenção é importante e eu noto que infelizmente a informação que nos dão na escola é toda dirigida a adolescentes heterossexuais. E quando há informação dirigida a homossexuais , é apenas uma leve referencia a dizer que os homens homossexuais também tem que usar preservativo. Então e as mulheres homossexuais?
E mesmo se perguntarmos algo relacionado com isso, elas nunca sabem responder muito bem.
Acho que uma vez que há dessas palestras na escola, essas acções de formação e o que mais podiam abordar também o tema da homossexualidade e da identidade de género, pois tenho a certeza que há por ai muitos adolescentes confusos e talvez desprotegidos sem acesso á informação.

Ora ai está uma dimensão da qual não me tinha lembrado. Sim são serviços de saúde, são essencialmente educação mas visam obter ganhos de saúde.
É verdade, é muito simples abordar a questão da utilização do preservativo mas existe uma muito maior vastidão de actividades durante o acto sexual que podem representar riscos para a saúde e como tal necessitam de ser trabalhados junto dos jovens.

Concordo inteiramente com o Pulse. Os transexuais são as principais vítimas dum sistema de saúde demasiado arcaico, sobretudo, quando falamos de mentalidades.  :P

No entanto, não são as únicas vítimas. As mulheres lésbicas também não têm a vida facilitada, sobretudo na especialidade de Ginecologia. Todos os médicos partem do princípio que a actividade sexual de uma mulher cinge-se ao homem, o que nem sempre corresponde à verdade. Acreditem, é extremamente embaraçoso vermo-nos obrigadas a confessar que o nosso parceiro sexual não é um homem, mas uma mulher.  :-X  :-[

Já te aconteceu, Blackdi? Como é que reagiram os profissionais nessa circunstância?
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Blackdi em 08.jul.2010, 20:00:52
Aquelas enfermeiras que vêm falar ás escolas de sexo seguro também se pode considerar que estejam a prestar um serviço de saúde, certo? 
A prevenção é importante e eu noto que infelizmente a informação que nos dão na escola é toda dirigida a adolescentes heterossexuais. E quando há informação dirigida a homossexuais , é apenas uma leve referencia a dizer que os homens homossexuais também tem que usar preservativo. Então e as mulheres homossexuais?
E mesmo se perguntarmos algo relacionado com isso, elas nunca sabem responder muito bem.
Acho que uma vez que há dessas palestras na escola, essas acções de formação e o que mais podiam abordar também o tema da homossexualidade e da identidade de género, pois tenho a certeza que há por ai muitos adolescentes confusos e talvez desprotegidos sem acesso á informação.

Ora ai está uma dimensão da qual não me tinha lembrado. Sim são serviços de saúde, são essencialmente educação mas visam obter ganhos de saúde.
É verdade, é muito simples abordar a questão da utilização do preservativo mas existe uma muito maior vastidão de actividades durante o acto sexual que podem representar riscos para a saúde e como tal necessitam de ser trabalhados junto dos jovens.

Concordo inteiramente com o Pulse. Os transexuais são as principais vítimas dum sistema de saúde demasiado arcaico, sobretudo, quando falamos de mentalidades.  :P

No entanto, não são as únicas vítimas. As mulheres lésbicas também não têm a vida facilitada, sobretudo na especialidade de Ginecologia. Todos os médicos partem do princípio que a actividade sexual de uma mulher cinge-se ao homem, o que nem sempre corresponde à verdade. Acreditem, é extremamente embaraçoso vermo-nos obrigadas a confessar que o nosso parceiro sexual não é um homem, mas uma mulher.  :-X  :-[

Já te aconteceu, Blackdi? Como é que reagiram os profissionais nessa circunstância?

Sim, há poucos meses atrás tive de me revelar perante um ginecologista e uma enfermeira do hospital da minha cidade.

Na altura, fez-se um silêncio na sala e foi como se eu não tivesse dito nada, o que tornou a situação ainda mais embaraçosa. No entanto, apercebi-me que a enfermeira ficou algo sensibilizada pela minha coragem.

Além de todo o embaraço que senti, também senti algum receio que aqueles 2 profissionais de saúde não respeitassem o sigilo profissional a que estão obrigados e fizessem algum comentário no hospital, o que significaria um autêntico desastre para mim, pois nessa unidade hospitalar trabalham algumas pessoas que me conhecem.

Curiosamente, voltei a reencontrar o ginecologista em ambiente hospitalar há poucas semanas e ele foi extremamente profissional e tratou-me muito bem. O seu profissionalismo acabou por fazer-me esquecer por completo que ele é uma das raras pessoas fora do meu círculo de amigos que conhecem a minha verdadeira orientação.
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Pulse em 08.jul.2010, 20:04:41
Ainda bem Blackdi, fico feliz por saber.  :)
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Blackdi em 08.jul.2010, 20:15:35
Ainda bem Blackdi, fico feliz por saber.  :)

Obrigada.  :)

Alguém me sabe responder, se no que toca à formação de profissionais de saúde existe alguma abordagem por parte dos programas curriculares relativamente aos serviços de saúde e às questões da orientação sexual e da identidade de género?
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Pulse em 08.jul.2010, 20:18:07
Posso-te dizer que no caso da enfermagem essas questões são abordadas, embora de forma leve. Contudo costumam ser mais sobre a homossexualidade do que propriamente a identidade de género e o transgenderismo.

Deixo-vos a pergunta então. Acham que no que diz respeito ao transgenderismo, o profissional de saúde deve questionar o utente sobre qual o seu género?
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Agamemnon em 08.jul.2010, 20:29:09
Acho este tema muitíssimo interessante. Infelizmente, não tenho nada de especial a dizer-te, Pulse. Nunca me senti discriminado, nem dava grande tempo. Se o médico agisse de forma homofóbica saía do consultório, fazia uma reclamação e ia a outro. O que há mais são médicos paí. Graças a Deus posso dizer isto. :P

Do que tenho ouvido dizer, corre o boato que na FMUP a homofobia reina brutalmente, segundo alunos GB meus conhecidos. Mas de resto não sei mais nada.

Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Pulse em 08.jul.2010, 21:42:21
Do que tenho ouvido dizer, corre o boato que na FMUP a homofobia reina brutalmente, segundo alunos GB meus conhecidos. Mas de resto não sei mais nada.
Provavelmente por parte dos alunos...
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Agamemnon em 08.jul.2010, 21:49:50
Do que tenho ouvido dizer, corre o boato que na FMUP a homofobia reina brutalmente, segundo alunos GB meus conhecidos. Mas de resto não sei mais nada.
Provavelmente por parte dos alunos...

Diz que não só... Que os professores é que são os piores. Mas que fale disso quem de direito. :) A minha faculdade é friendly, por isso...
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Inesmargarida em 15.jul.2010, 02:00:19
Aquelas enfermeiras que vêm falar ás escolas de sexo seguro também se pode considerar que estejam a prestar um serviço de saúde, certo? 
A prevenção é importante e eu noto que infelizmente a informação que nos dão na escola é toda dirigida a adolescentes heterossexuais. E quando há informação dirigida a homossexuais , é apenas uma leve referencia a dizer que os homens homossexuais também tem que usar preservativo. Então e as mulheres homossexuais?
E mesmo se perguntarmos algo relacionado com isso, elas nunca sabem responder muito bem.
Acho que uma vez que há dessas palestras na escola, essas acções de formação e o que mais podiam abordar também o tema da homossexualidade e da identidade de género, pois tenho a certeza que há por ai muitos adolescentes confusos e talvez desprotegidos sem acesso á informação.
concordo, acho que os alunos homossexuais tem tanto direito a informação quantos os heterossexuais. Este pais tem mesmo de mudar.
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: MuscleCub em 15.jul.2010, 03:18:34
Acho este tema muitíssimo interessante. Infelizmente, não tenho nada de especial a dizer-te, Pulse. Nunca me senti discriminado, nem dava grande tempo. Se o médico agisse de forma homofóbica saía do consultório, fazia uma reclamação e ia a outro. O que há mais são médicos paí. Graças a Deus posso dizer isto. :P

Do que tenho ouvido dizer, corre o boato que na FMUP a homofobia reina brutalmente, segundo alunos GB meus conhecidos. Mas de resto não sei mais nada.



Mas já disseste a algum médico que eras homossexual, bissexual ou alternativamente que ias para a cama com homens, ou então, bahh, algo do género? Eu nunca tive coragem, e digo isto porque tenho familiares e amigos de família que são médicos ou psicólogos e o que oiço lá por casa não me motiva nada a dizer a um médico ou psicólogo os meus gostos sexuais...
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Agamemnon em 15.jul.2010, 12:12:26
Acho este tema muitíssimo interessante. Infelizmente, não tenho nada de especial a dizer-te, Pulse. Nunca me senti discriminado, nem dava grande tempo. Se o médico agisse de forma homofóbica saía do consultório, fazia uma reclamação e ia a outro. O que há mais são médicos paí. Graças a Deus posso dizer isto. :P

Do que tenho ouvido dizer, corre o boato que na FMUP a homofobia reina brutalmente, segundo alunos GB meus conhecidos. Mas de resto não sei mais nada.



Mas já disseste a algum médico que eras homossexual, bissexual ou alternativamente que ias para a cama com homens, ou então, bahh, algo do género? Eu nunca tive coragem, e digo isto porque tenho familiares e amigos de família que são médicos ou psicólogos e o que oiço lá por casa não me motiva nada a dizer a um médico ou psicólogo os meus gostos sexuais...

Já! ;) Mas segundo o que ouço do pessoal de medicina, essa tua impressão está muito certa. Pelo que me dizem (não é a minha experiência), a homofobia reina nesses meios. :)
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Pulse em 01.dez.2010, 18:38:14
Eu posso dizer que há uns tempos tive um orientador de estágio extremamente homofóbico, não o transparecia para os doentes obviamente, mas quando estava entre colegas era uma coisa por demais...
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: Xenon em 05.dez.2010, 11:39:47
Eu posso dizer que há uns tempos tive um orientador de estágio extremamente homofóbico, não o transparecia para os doentes obviamente, mas quando estava entre colegas era uma coisa por demais...

Que tristeza [smiley=nao.gif]

Essa posição é inaceitável para alguém com estudos superiores e que deveria, supostamente, já ter uma mentalidade evoluída o suficiente para aceitar o leque de diferentes orientações sexuais...
Título: Re: Serviços de Saúde e a orientação sexual e identidade de género
Enviado por: *Annabelle* em 05.dez.2010, 12:37:54
Antes de mais quero felicitar o Pulse pela abertura deste tópico deveras pertinente  :)


Sou estudante de enfermagem (prestes a terminar o curso) e, por enquanto, não tenho conhecimento de situações que desrespeitem a pessoa/doente, nomeadamente, no que diz respeito a orientação sexual.
Estou neste momento a lembrar-me de duas situações que assisti em ensino clínico e que me deixaram admirada, pela positiva. A primeira aconteceu no meu 2º ano, no estágio de Enfermagem ao Adulto e Idoso, quando fiquei responsável pela prestação de cuidados a um senhor homossexual e casado com uma senhora. Claro que esta situação foi alvo de alguns boatos por alguns enfermeiros. Contudo, louvo a atitude de alguns enfermeiros em abordar o assunto com o senhor, visto este ser um assunto que perturbava o mesmo. E o sigilo, ao que sei, foi respeitado, pois a esposa deste senhor não sabia que o senhor mantinha um relacionamento extra-conjugal. O senhor internado, de certa forma, sabia gerir as horas de visita com os enfermeiros, e foi possível que tanto a mulher, como o seu companheiro o fossem visitar em horários diferentes.
Pode-vos parecer uma situação estranha, mas enfatizo desta o respeito pela dignidade deste senhor, independemente da sua orientação sexual. Claro que o facto da sua esposa desconhecer todas esta situação foi também abordada com o senhor.

No ano passado, no meu 3º ano, realizei estágio de Enfermagem de Saúde da Mulher, num Centro de Saúde e apareceu-me uma adolescente grávida, acompanhada da mãe para realizar um Interrupção Voluntária da Gravidez. A menina estava, claro, muito nervosa e pouco comunicativa. Eu, juntamente com a enfermeira, fizemos a consulta e enquanto a enfermeira tentava explorar os motivos pelo qual não foi ou foi usada incorrectamente protecção durante o acto sexual, e lhe explicava a colocação do preservativo, eu observava a mãe e a filha e reparei que algo mais incomodava esta adolescente. Após a consulta, e enquanto esta rapariga esperava pela consulta médica, perguntei-lhe se ela gostaria de falar comigo um pouco mais, até porque tinha uns folhetos para lhe dar. A menina assentiu e levei-a para um gabinete. Após alguma conversa, a menina acabou por referir que achava que era homossexual e tentava negar para si mesma o que sentia, e que, por esse motivo, teve relações sexuais com um rapaz "para tentar provar a si mesma que não gostava de raparigas". A mãe desconhecia este facto. Antes de se ir embora, encorajei a menina a vir às consultas de planeamento familiar e que podia fazê-lo sozinha, estando mais à vontade para falar com os profissionais de saúde. Visto o meu estágio estar a acabar e por achar que aquela informação era de extrema importância, perguntei à menina se poderia contar à enfermeira responsável pelo programa de planeamento familiar. Esta assentiu e assim o fiz. E ao que parece, correu tudo bem  :)


Pessoalmente, tive uma má e uma boa experiência com dois médicos ginecologistas. A primeira vez que fui a uma consulta de ginecologia, não hesitei e muito envergonhada, contei ao médico que era lésbica e que mantinha um relacionamento estável. A expressão facial do médico mudou radicalmente e não quis realizar a citologia, afirmando que eu ainda tinha o íman, embora eu afirma-se o oposto.
A segunda e última consulta, também foi com um médico do mesmo Hospital que elogiou a minha coragem para contar a minha orientação sexual.  Realizou todos os exames necessários e correu tudo bem  :)
Título: Re: A relação dos Serviços de Saúde com os LGBTs - experiências
Enviado por: Kolthar em 24.abr.2011, 22:29:56
Aconteceu algo a uns meses atras que me deixou estupida foi observar um comentario horrivel de uma professional de saude.
Bom estava despachada e resolvi ir fumar um cigarro e estava sossegada com um pensamento vasto quando reparo uma assistente operacional a dizer as suas colegas " Ah eu tenho horror a lesbicas eu gosto e de C**alho grande e grosso " Deu para perceber que devia estar a referir-se a uma paciente naquele serviço que por acaso tinha assim uns traços masculinos.
Eu nao gostei minimamente desse comentario e respondi-lhe atao vai embora daqui porque nao tens perfil para estares na area de saude e estás a ocupar um lugar de muitos que são pessoas menos baixas que tu. para estares aqui tens que ter ética cumprir a deontologia e seres humanitaria e com um comentario desses o teu lugar nao pertence a esta area.
E ela nao gostou do que ouviu e resmungou baixinho que nem percebi mas a partir desse dia tenho andado de olho nela e avaliar o seu comportamento.
Título: Re: A relação dos Serviços de Saúde com os LGBTs - experiências
Enviado por: Radiant_Jaguar em 24.abr.2011, 22:46:40
Acho muito interessante este tópico!
Obrigado por partilharem as vossas experiências!

Acho realmente necessário que estas experiências fiquem descritas na internet para que se combata a homofobia/transfobia existente nos serviços de saúde.