Fórum da rede ex aequo

Outras Conversas => Atualidades, Política e Sociedade => Tópico iniciado por: Agamemnon em 11.mai.2010, 23:55:59

Título: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 11.mai.2010, 23:55:59
Eu acho esta imagem:

(http://www.energyinsights.net/cgi-script/csArticles/uploads/128/Oil%20Refinery.jpg)

bem mais bonita do que, por exemplo, esta:

(http://www.lib.washington.edu/subject/Environment/Images/environment4.jpg)


Quais são os vossos sentimentos em relação ao capitalismo? O que entendem por capitalismo?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _tiago_ em 11.mai.2010, 23:58:13
Capitalismo é algo insustentável neste planeta...

No outro dia li que se todos vivêssemos um estilo de vida de um norte americano, precisaríamos de 5 planetas! :o

Acho que isto diz tudo...
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 11.mai.2010, 23:59:07
Capitalismo é algo insustentável neste planeta...

No outro dia li que se todos vivêssemos um estilo de vida de um norte americano, precisaríamos de 5 planetas! :o

Acho que isto diz tudo...


Podes dizer porque é insustentável?

Bem... Eu se ler a bíblia, aprendo que os homossexuais têm de ser apedrejados...... Acreditas em tudo o que lês?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _tiago_ em 12.mai.2010, 00:04:05
Capitalismo é algo insustentável neste planeta...

No outro dia li que se todos vivêssemos um estilo de vida de um norte americano, precisaríamos de 5 planetas! :o

Acho que isto diz tudo...


Podes dizer porque é insustentável?

Bem... Eu se ler a bíblia, aprendo que os homossexuais têm de ser apedrejados...... Acreditas em tudo o que lês?

Bem não me lembro a fonte mas lembro em que era credível...
Quanto á maneira como formulo as minhas opiniões isso sou eu que decido  ;) :)

O petróleo e outros combustíveis fósseis são ilimitados não são? Até a energia nuclear o é!

agora olhando para as energias renováveis onde o rendimento energético e menor...

E acabando se os combustíveis fósseis...onde está a sustentabilidade??

Bem claro podem-se sempre começar a matar para ter acesso a essas coisas...dai as guerras mundiais  ::)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 12.mai.2010, 00:07:17
Não entendo como é que uma afirmação daquelas pode ser "credível". O que significa, tiago?

Calma que não te estava a atacar, de maneira nenhuma! Apenas queria que elaborasses. ;)

Porque equacionas "capitalismo" com "combustíveis fósseis"? Queres elaborar?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _tiago_ em 12.mai.2010, 00:13:35
Ai a estas horas estou cheio de sono para escrever  lol

Bem relaciono combustíveis fósseis com sistema de capitalismo, porque penso não ser possível consumir o que se consome hoje em dia sem os ditos combustíveis fósseis ou produção de energia eléctrica por reacções nucleares.

Aqui fica a notícia: http://www.wwf.pt/o_que_fazemos/planeta_vivo/one_planet_living/indicadores_one_planet_living_e_pegada_ecologica/ (http://www.wwf.pt/o_que_fazemos/planeta_vivo/one_planet_living/indicadores_one_planet_living_e_pegada_ecologica/)  ;)

Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 12.mai.2010, 00:19:18
Vai lá fazer oh-oh. ;)

Mas capitalismo nao é consumo.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _tiago_ em 12.mai.2010, 00:20:49
Vai lá fazer oh-oh. ;)

Mas capitalismo nao é consumo.

E vou  lol

Pois mas o que seria do capitalismo sem o consumo não é...
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: johny.n.1986 em 12.mai.2010, 01:02:30
Na 2ª predominam contrastes entre cores frias, bem como formas abruptas e triangulares. Algo muito empírico e simplista.

Na 1ª também é visível o geometrismo mas existe agora uma maior subtileza estilização de cores, com tonacidades luminosas e quentes que dão um maior sentimento de conforto. Também o céu é de tons mais amenos, com nuvens que deambulam calmamente e se extendem de modo livre e suave, dando asas à imaginação.

Gosto mais da 1ª.

PS: tou-me a conter para não falar do resto  8-)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _Margot_ em 12.mai.2010, 02:21:21
Eu também me sinto mais confortável na 1ª porque sou uma pessoa citadina.

Há muitas pessoas contra o capitalismo mas eu pessoalmente acho o capitalismo um mal necessário. Gostava de ver como era o mundo se não existisse industria nem mercado de oferta e procura nem competitividade.

Mas isto sou eu que sou uma leiga a falar no assunto. ::)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 12.mai.2010, 11:17:04
Na 2ª predominam contrastes entre cores frias, bem como formas abruptas e triangulares. Algo muito empírico e simplista.

Na 1ª também é visível o geometrismo mas existe agora uma maior subtileza estilização de cores, com tonacidades luminosas e quentes que dão um maior sentimento de conforto. Também o céu é de tons mais amenos, com nuvens que deambulam calmamente e se extendem de modo livre e suave, dando asas à imaginação.

Gosto mais da 1ª.

PS: tou-me a conter para não falar do resto  8-)

Fala do resto! :D

Eu adoro a primeira.... Aqueles tubos, o fumo. O propósito nu ali explícito! A racionalidade, o domínio sobre o meio.... Enfim. Sou um apaixonado pelo ser humano.  :D
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _tiago_ em 12.mai.2010, 15:25:29
Na 2ª predominam contrastes entre cores frias, bem como formas abruptas e triangulares. Algo muito empírico e simplista.

Na 1ª também é visível o geometrismo mas existe agora uma maior subtileza estilização de cores, com tonacidades luminosas e quentes que dão um maior sentimento de conforto. Também o céu é de tons mais amenos, com nuvens que deambulam calmamente e se extendem de modo livre e suave, dando asas à imaginação.

Gosto mais da 1ª.

PS: tou-me a conter para não falar do resto  8-)

Fala do resto! :D

Eu adoro a primeira.... Aqueles tubos, o fumo. O propósito nu ali explícito! A racionalidade, o domínio sobre o meio.... Enfim. Sou um apaixonado pelo ser humano.  :D

 lol eu também sou um apaixonado pelo ser humano mas há certas coisas que não gosto na nossas natureza.. :P

Quanto ao ser preciso ou não é tudo muito relativo  ::)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Pulse em 15.mai.2010, 11:08:15
Há muitas pessoas contra o capitalismo mas eu pessoalmente acho o capitalismo um mal necessário. Gostava de ver como era o mundo se não existisse industria nem mercado de oferta e procura nem competitividade.
Porquê?  :inq O ser humano não existia já antes de haver tudo isso?

Mas capitalismo nao é consumo.

E Agamemmon foste tu quem associou o capitalismo ao consumo, ao colocares uma imagem de "uma qualquer coisa industrial". A meu ver a industria só existe para produzir algo que responda à procura...
Já agora criaste este tópico no seguimento do outro sobre "Publico VS Privado" ou é impressão minha?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 15.mai.2010, 11:38:48
Há muitas pessoas contra o capitalismo mas eu pessoalmente acho o capitalismo um mal necessário. Gostava de ver como era o mundo se não existisse industria nem mercado de oferta e procura nem competitividade.
Porquê?  :inq O ser humano não existia já antes de haver tudo isso?

Mas o crescimento económico moderno não faz sentido fora do capitalismo. Antes estávamos no domínio do "produzir suficiente para alimentar". ;)

Mas capitalismo nao é consumo.

E Agamemmon foste tu quem associou o capitalismo ao consumo, ao colocares uma imagem de "uma qualquer coisa industrial". A meu ver a industria só existe para produzir algo que responda à procura...
Já agora criaste este tópico no seguimento do outro sobre "Publico VS Privado" ou é impressão minha?

Entendo... :) Mas eu pus aquelas imagens com outro propósito! Contrastar os tubos, fumo e luzinhas com o natural. Era à estética não à economia que apelava. Mas sim, claro, a indústria só faz sentido se o seu produto for consumido. Não sei se és de economia, mas investiga sobre a Lei de Say.

É impressão. De facto estão em certa medida alinhados. Mas aqui pretendia que se discutisse capitalismo mesmo: as relações de produção, a inovação, a mutação estrutural, etc.  ;)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Pulse em 15.mai.2010, 11:43:25
Mas o crescimento económico moderno não faz sentido fora do capitalismo. Antes estávamos no domínio do "produzir suficiente para alimentar". ;)

E qual é mal de "produzir suficiente para alimentar"?

Entendo... :) Mas eu pus aquelas imagens com outro propósito! Contrastar os tubos, fumo e luzinhas com o natural. Era à estética não à economia que apelava. Mas sim, claro, a indústria só faz sentido se o seu produto for consumido. Não sei se és de economia, mas investiga sobre a Lei de Say.

A minha área é a saúde... Não está de todo relacionada com economia  lol.
Mas não te preocupes que eu pesquiso...  ;)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 15.mai.2010, 11:48:56
Mas o crescimento económico moderno não faz sentido fora do capitalismo. Antes estávamos no domínio do "produzir suficiente para alimentar". ;)

E qual é mal de "produzir suficiente para alimentar"?

Qual é o mal da esperança média de vida ser de 20 anos? Qual é o mal de não haver medicina? Qual é o mal de uma facha enorme da população ser analfabeta? Qual é o mal da mortalidade infantil ultrapassar 50%? Qual é o mal de não termos computadores, aquecimento central, sushi no Porto, quimioterapia? ::)

Querias viver só para comer e dar umas com o teu namorado? ;)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Pulse em 15.mai.2010, 11:56:07
Qual é o mal da esperança média de vida ser de 20 anos? Qual é o mal de não haver medicina? Qual é o mal de uma facha enorme da população ser analfabeta? Qual é o mal da mortalidade infantil ultrapassar 50%? Qual é o mal de não termos computadores, aquecimento central, sushi no Porto, quimioterapia? ::)

Querias viver só para comer e dar umas com o teu namorado? ;)
Why not? Até podemos ter aumentado a esperança média de vida para 80 anos, até podemos ter mil e uma curas para doenças, até podemos ter muita arte e muita cultura, e a que custos conseguimos isso tudo? Achas que somos mais humanos agora? Eu acho que estamos cada vez mais desumanizados, mas é só a minha opinião.

E sim, viver só para comer e dar umas parece-me perfeito.  ;)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 15.mai.2010, 11:59:20
Qual é o mal da esperança média de vida ser de 20 anos? Qual é o mal de não haver medicina? Qual é o mal de uma facha enorme da população ser analfabeta? Qual é o mal da mortalidade infantil ultrapassar 50%? Qual é o mal de não termos computadores, aquecimento central, sushi no Porto, quimioterapia? ::)

Querias viver só para comer e dar umas com o teu namorado? ;)
Why not? Até podemos ter aumentado a esperança média de vida para 80 anos, até podemos ter mil e uma curas para doenças, até podemos ter muita arte e muita cultura, e a que custos conseguimos isso tudo? Achas que somos mais humanos agora? Eu acho que estamos cada vez mais desumanizados, mas é só a minha opinião.

E sim, viver só para comer e dar umas parece-me perfeito.  ;)

Porque achas isso?

Acho que estamos mais humanos, sim! Conseguimos moldar o nosso meio segundo alguns dos nossos valores. Temos um controlo superior sobre aquilo que nos afecta. Somos activos e não passivos. Conseguimos viver mais tempo e melhor com felicidade. Achas mais humano passares os teus dias a pensar como dar de comer aos teus?

Tens razão! Exemplo besta! A mim também soa perfeito! lol Mas pronto... Imagina a tua vida sem lubrificante.... ;D
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Pulse em 15.mai.2010, 12:14:15
Porque achas isso?

Acho que estamos mais humanos, sim! Conseguimos moldar o nosso meio segundo alguns dos nossos valores. Temos um controlo superior sobre aquilo que nos afecta. Somos activos e não passivos. Conseguimos viver mais tempo e melhor com felicidade. Achas mais humano passares os teus dias a pensar como dar de comer aos teus?

Tens razão! Exemplo besta! A mim também soa perfeito! lol Mas pronto... Imagina a tua vida sem lubrificante.... ;D
Mas rapaz, é precisamente nisso que passamos os dias a pensaro, só que em vez de nos preocuparmos em caçar comida preocupamo-nos em arranjar dinheiro para a comprar, e olha que pelo que temos visto tem-se mostrado bem mais dificil do que caçar. :P
Achas mesmo que tens um controlo superior? Estás constantemente a ser controlado pela sociedade em que te inseres, tanto a nivel do desempenho do teu papel social, como do controlo do teu papel psicológico, e vê lá ao ponto a que esse controlo chegou que até te impinge sentimentos de culpa para além de outro tipo de sanções.
Vives mais tempo e melhor? Até podemos viver mais tempo, agora se formos a analisar quanto desse tempo vivemos para nós se calhar o balanço não é assim tão positivo...
Mas já vi que tenho uma perspectiva muito diferente da tua, podemos só concordar em discordar.  lol
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 15.mai.2010, 12:25:53
Porque achas isso?

Acho que estamos mais humanos, sim! Conseguimos moldar o nosso meio segundo alguns dos nossos valores. Temos um controlo superior sobre aquilo que nos afecta. Somos activos e não passivos. Conseguimos viver mais tempo e melhor com felicidade. Achas mais humano passares os teus dias a pensar como dar de comer aos teus?

Tens razão! Exemplo besta! A mim também soa perfeito! lol Mas pronto... Imagina a tua vida sem lubrificante.... ;D
Mas rapaz, é precisamente nisso que passamos os dias a pensaro, só que em vez de nos preocuparmos em caçar comida preocupamo-nos em arranjar dinheiro para a comprar, e olha que pelo que temos visto tem-se mostrado bem mais dificil do que caçar. :P
Achas mesmo que tens um controlo superior? Estás constantemente a ser controlado pela sociedade em que te inseres, tanto a nivel do desempenho do teu papel social, como do controlo do teu papel psicológico, e vê lá ao ponto a que esse controlo chegou que até te impinge sentimentos de culpa para além de outro tipo de sanções.
Vives mais tempo e melhor? Até podemos viver mais tempo, agora se formos a analisar quanto desse tempo vivemos para nós se calhar o balanço não é assim tão positivo...
Mas já vi que tenho uma perspectiva muito diferente da tua, podemos só concordar em discordar.  lol

Sim... Aqui pelo fórum pouco mais do que contrastar posições conseguimos. Mas estou certo de que uma troca de ideias a sério levaria um dos dois a saltar para o outro lado. ;)

Quanto ao que dizes, tens razão! Só que eu queria contrastar com a situação primitiva....

Vejo que tens uma foto do Che. Olha que o Marx concordava comigo em larga medida.... ::) Ele reconhecia a importância do capitalismo. E nunca pensou em aboli-lo antes da hora H.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Pulse em 15.mai.2010, 12:32:02
Sim... Aqui pelo fórum pouco mais do que contrastar posições conseguimos. Mas estou certo de que uma troca de ideias a sério levaria um dos dois a saltar para o outro lado. ;)

Quanto ao que dizes, tens razão! Só que eu queria contrastar com a situação primitiva....

Vejo que tens uma foto do Che. Olha que o Marx concordava comigo em larga medida.... ::) Ele reconhecia a importância do capitalismo. E nunca pensou em aboli-lo antes da hora H.

Sim, o Ernesto Guevara é um dos meus idolos, não tanto pela questão da revolução mas mais pelo seu percurso. Acho incrivel que ele sendo médico se tenha ligado tanto às questões da desigualdade quando podia ter tido uma vida bem boa sem se ralar com nada.
Quanto ao saltar para o lado do outro, serias tu a saltar para o meu porque sou demasiado teimoso.  :P
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Elijah Keat em 15.mai.2010, 13:35:19
Quanto às primeiras imagens, considero a de baixo bastante mais bonita, mas não sou contra o desenvolvimento da tecnologia, muito pelo contrário.

Penso que um desenvolvimento sustentável é importante. O nosso planeta não tem recursos infinitos, e está-se a lixar para a existência ou não de humanos; como tal, os únicos a preocuparem-se connosco devemos ser nós. Parte dessa preocupação egoísta devia resisdir na preocupação com outrós seres vivos e com o nosso meio ambiente, porque apesar da grande independência que conseguimos, graças às tecnologias, ainda fazemos parte da Natureza, e creio que dificilmente viveremos numa Natureza com características muito diferentes da actual.

Temos capacidade para compreender isso; temos também a consciência de que, como animais, conseguimos alterar o nosso meio, nem sempre para o nosso bem. Agora há que saber jogar com esses aspectos e controlar-mo-nos.

Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 15.mai.2010, 15:35:48
Quanto às primeiras imagens, considero a de baixo bastante mais bonita, mas não sou contra o desenvolvimento da tecnologia, muito pelo contrário.

Penso que um desenvolvimento sustentável é importante. O nosso planeta não tem recursos infinitos, e está-se a lixar para a existência ou não de humanos; como tal, os únicos a preocuparem-se connosco devemos ser nós. Parte dessa preocupação egoísta devia resisdir na preocupação com outrós seres vivos e com o nosso meio ambiente, porque apesar da grande independência que conseguimos, graças às tecnologias, ainda fazemos parte da Natureza, e creio que dificilmente viveremos numa Natureza com características muito diferentes da actual.

Temos capacidade para compreender isso; temos também a consciência de que, como animais, conseguimos alterar o nosso meio, nem sempre para o nosso bem. Agora há que saber jogar com esses aspectos e controlar-mo-nos.



Cute! [smiley=sim.gif]

E gostas da Rand.... Não deves ser má pessoa. :curtain ;)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: tal-go em 16.mai.2010, 00:56:21
Antes estávamos no domínio do "produzir suficiente para alimentar". ;)

O que vocês me foram pôr aqui! Bem, tendo por defeito a minha formação, vou comentar à luz dos meus conhecimentos esta frase que junta dois termos bastante utilizados na minha actividade: "produção" e "alimentar".

À época da criação da CEE, a Europa debatia-se com um grave problema de produção de bens essenciais, fundamentalmente os que provenientes das actividades primárias. A primeira política comunitária, a Política Agrícola Comum PAC, veio enfatizar a produção desenfreada de produtos agrícolas.
Resultado: excedentes, excedentes, excedentes, criando as célebres montanhas de pó branco dentro dos armazéns. E, para não haver abandono da produção agrícola, os Estados asseguravam a compra desses excedentes.
Só que enquanto esses excedentes eram comprados pelos Estados, enquanto os produtores viviam bem e este nosso condomínio de luxo Europeu ia garantindo a compra da produção que ninguém consumia, uma grande parte do Mundo morria à fome. A pressão pública pressionava cada vez mais para que fosse criada uma solução para acabar com este grande paradoxo mundial.
Mais não só a coisa roçava já a indignação como estavam sendo feitos cada vez mais estudos sobre os impactos da superprodução no ecossistema. Maiores produções implicavam um maior uso de fertilizantes, um maior uso de combustíveis e um maior uso de pesticidas. Tudo com as gravosas consequências para o ambiente que hoje em dia já conhecemos. E para as finanças, já que os subsídios aos factores de produção existiam.

2003.
A chamada reforma intercalar da PAC, que no fundo nada mais foi do que uma reorganização completa da PAC, tendo em vista a adaptação da realidade Europeia a partir de 01 de Maio de 2004 com a adesão de mais 10 países para a UE (UE-15 para UE-25) reduziu substancialmente os apoios à produção-por-produção, para os aplicar numa agricultura multifuncional, prestadora de serviços. Serviços produtivos ao fim e ao cabo, serviços ambientais e serviços sociais.
Cada vez mais apoiante de uma agricultura para produzir somente o essencial, evitando os excedentes que são caros sob todos os pontos de vista, a nova PAC apoia também uma agricultura cada vez mais diferenciada, moderna, integrada e social com vista à diversificação da economia no tecido rural.

Ora, nos dias de hoje não faz sentido pensarmos em abandonar o pensamento "produzir somente para alimentar". A sustentabilidade dos nossos recursos depende grandemente desta frase. Produzir para não se utilizar é o maior contra-senso de qualquer sistema económico.

Quanto às imagens, gosto de ambas. Ambas as actividades são respeitáveis, insubstituíveis e nas quais existem empresas capitalistas. Capitalistas no sentido de não serem familiares.
Se uma petroquímica é claramente um negócio, uma herdade vitícola com uma adega aberta a visitas (enoturismo) e a serviços de vinificação para terceiros, também é um negócio. Ambos empregam pessoas, ambas metem pão na casa de muita gente.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 16.mai.2010, 01:02:45
Ora, nos dias de hoje não faz sentido pensarmos em abandonar o pensamento "produzir somente para alimentar". A sustentabilidade dos nossos recursos depende grandemente desta frase. Produzir para não se utilizar é o maior contra-senso de qualquer sistema económico.

Não percebi a implicação. A produção de subsistência porque não consegues produzir mais, sendo mesmo essa difícil, não se relaciona com a segunda parte.

Mas YEP! Abaixo PAC. ::)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: tal-go em 16.mai.2010, 01:36:18
A produção deve ser sustentável a todos os níveis. Não vamos produzir 30 quando sabemos que nunca vendemos mais do que 20.
Os contratos pré-produção servem essencialmente para isso mesmo. Limitar um tecto máximo para a produção, procurando ainda assim altos níveis de rendimento do processo.

Quanto à PAC, não vejo condições nenhumas para que seja desmantelada. É uma política essencial para a agricultura Europeia e para todos os valores por ela produzidos.


(http://reignofterroir.com/wp-content/uploads/2009/11/Vinha_Colares_Areia-1.jpg)
(Colares)
Respondendo à questão "O que aqui vê que pode ser vendido?",
muitos responderiam: Cacho.
O cacho pode ser para comer ou para vinificar dependendo das suas características e dos objectivos. Mas então e o resto? Esta arte de vinhos Atlânticos, cada vez mais em perigo, é feita na região de Colares. Isto também é património. Isto também se vende! Com a redução da área vitícola de Colares, os rendimentos obtidos da produção não chegam para assegurar a continuidade deste património e como os produtores não estão a par dos rendimentos que dali podem obter, a região vai definhando ao sabor da pressão imobiliária.
E é isso que a nova PAC quer fazer: sensibilizar cada vez mais os produtores que eles são detentores de uma série de recursos dos quais podem tirar rendimentos. Têm que os explorar e rentabilizar melhor, para que seja desnecessário aumentar as produções para níveis insustentáveis só para auferirem os rendimentos pretendidos. E assim garantem-se as três funções da nova agricultura (produtiva - de alimentos, social - enquanto geradora de empregos e âncora para a população em certas zonas e ambiental - aumentando a biodiversidade e prevenindo certos problemas).
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: giffs em 16.mai.2010, 02:40:21
Eu sou ABSOLUTAMENTE contra o capitalismo e anti-capitalista.

é um sistema que apenas cria mais desigualdade e injustiça social.  Mais para os mesmos, menos para os mesmos. E dizem os fascistas (=ao que tem fobia do comunismo) que conseguem equilibrar a economia e desenvolver um país beneficiando os mesmos. O problema é que os mesmos só pensam nesses mesmos.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 16.mai.2010, 11:16:57
Eu sou ABSOLUTAMENTE contra o capitalismo e anti-capitalista.

é um sistema que apenas cria mais desigualdade e injustiça social.  Mais para os mesmos, menos para os mesmos. E dizem os fascistas (=ao que tem fobia do comunismo) que conseguem equilibrar a economia e desenvolver um país beneficiando os mesmos. O problema é que os mesmos só pensam nesses mesmos.

Eu estou convencido que o capitalismo é o único sistema económico que cria prosperidade para a generalidade da população. Por isso deixo-te o desafio de elaborares a tua frase. :)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _Margot_ em 16.mai.2010, 16:53:10
Há muitas pessoas contra o capitalismo mas eu pessoalmente acho o capitalismo um mal necessário. Gostava de ver como era o mundo se não existisse industria nem mercado de oferta e procura nem competitividade.
Porquê?  :inq O ser humano não existia já antes de haver tudo isso?
Expressei-me mal.
Gostava de ver o mundo, no sentido de todos os homens que habitam o mundo. Talvez tenha sido uma afirmação arrogante, mas não consegui encontrar nenhuma expressão melhor.
Eu estou convencido que o capitalismo é o único sistema económico que cria prosperidade para a generalidade da população.
[smiley=sim.gif]
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Soueu20 em 16.mai.2010, 18:38:42
Sou um apaixonado pelo ser humano... Mas sou muito mais pela natureza, isso explica logo a minha opinião....
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 18.mai.2010, 02:16:10

Acho que estamos mais humanos, sim! Conseguimos moldar o nosso meio segundo alguns dos nossos valores. Temos um controlo superior sobre aquilo que nos afecta. Somos activos e não passivos. Conseguimos viver mais tempo e melhor com felicidade. Achas mais humano passares os teus dias a pensar como dar de comer aos teus?


O capitalismo que te tenta manipular, inculcar, oprimir e que te direcciona para aquilo que interessa, o lucro, tornou-te mais activo e mais humano?

Deve ser por isso que grande parte da população não quer saber de arte, filosofia, nada. Só consomem o que lhe dão e estão cada vez mais burros e robots.

O capitalismo está a invadir a vida das pessoas de forma a fazer-nos uma lobotomia progressiva. Perdemos a capacidade de pensar. Somos só números.



PS- Declaração de interesses: não sou de extrema-esquerda, nem anti-americano.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 18.mai.2010, 02:27:09
Ao longo da História ficou provado que o capitalismo é o melhor sistema económico. Contudo, sem ética e responsabilidade social, o capitalismo entra em crise. Por isso, tem de ser regulado pelo Estado em dialéctica com a sociedade. Abomino o comunismo, o socialismo e o liberalismo desenfreado. Sou pelo liberalismo com responsabilidades sociais e pela social-democracia cristã.

EDIT:

sou tendencialmente anti-americano, não pelas mesmas razões que a esquerda. Desde a Segunda Guerra Mundial que a Europa entrou em decadência, e fomos invadidos pela dita «cultura» americana, tendência que se acentuou nos anos 80. Falo da «cultura» da música ligeira, da literatura «light», dos filmes que são entretenimento e não cinema enquanto Arte. Começámos a desprezar a Literatura, a Filosofia, a História, a verdadeira Ciência. A cultura americana do pragmatismo visa apenas o benefício imediato. É a cultura do lucro rápido e desenfreado, sem valores éticos, morais, sem respeito por valores como a Dignidade, a Estética, a Beleza. É a cultura da ciência dos  estudos de poucos meses baseados em inquéritos, dos livros de biografias de quem não tem biografia, é a transformação da «cultura» em lucro e do lucro em «cultura».

Por algum motivo, todas as grandes ideias científicas que mudaram a nossa vida surgiram antes da Segunda Guerra, na Europa. Falo de Einstein, Bohr, Lavoisier, entre outros. Tudo o que apareceu depois, na generalidade, foram apenas evoluções tecnológicas a partir de alterações paradigmáticas preconizadas na Europa. Há uns tempos, um prémio Nobel da Física alertava para a ausência de estudos a longo prazo devido a esta cultura de origem americana.

O liberalismo americano desenfreado, muito ao estilo do partido Republicano, despreza a Poesia, a História, a Filosofia ou a Sociologia.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 18.mai.2010, 02:37:35
Acho que se fala num sistema mundial. E aí este capitalismo aliado à globalização é altamente destrutivo - de pessoas, de cultura, do ambiente.

Concordo completamente com a segunda parte do teu post, só não considero isso anti-americanismo.

É um drama. O entretenimento americano está a esvaziar as pessoas e a matar a arte e a filosofia. A Europa sempre teve maior sensibilidade para a arte e a cultura. Já ninguém quer saber. Querem é ir ver o Transformers e ouvir a Rihanna.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 18.mai.2010, 02:46:20
Acho que se fala num sistema mundial. E aí este capitalismo aliado à globalização é altamente destrutivo - de pessoas, de cultura, do ambiente.

Concordo completamente com a segunda parte do teu post, só não considero isso anti-americanismo.

É um drama. O entretenimento americano está a esvaziar as pessoas e a matar a arte e a filosofia.

Back Room, concordo com a questão da globalização. É um drama para o planeta, e um sonho para os liberais extremistas do dinheiro sem pátria.

Esta discussão sobre o esvaziamento cultural nunca foi feita no nosso país, mas noutras universidades noutros países europeus os jovens de esquerda e de direita já estão atentos ao problema. Por aqui, só os vejo preocupados com a Queima das Fitas e com a praxe, embora haja uma minoria muito residual ligadas a algumas causas.

Mas dentro da nossa direita há muita gente preocupada com a globalização e com o ambiente. É o caso dos Monárquicos (não aqueles do PM).

EDIT: assim como na esquerda há muitos liberais do dinheiro sem pátria encapotados.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 18.mai.2010, 02:49:37
Acredito.

Mas é inevitável que um dia surja um movimento forte no sentido contrário. Espero.
Pode é ser tarde de mais.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 18.mai.2010, 03:00:37
Acredito.

Mas é inevitável que um dia surja um movimento forte no sentido contrário. Espero.
Pode é ser tarde de mais.

Back Room, eu já faço a minha parte no dia a dia...

- Vou de bicicleta para a faculdade, sou aliás o único na minha faculdade a fazê-lo (e estamos em Lisboa...);

- Não entro em centros comerciais, compro a roupa na Baixa, não como em cadeias de fast-food e tento comprar apenas produtos  portugueses e de produtores locais e tradicionais;

- Não vejo filmes americanos, a não ser que anteveja alguma qualidade artística;

- Não compro um único livro de literatura light;

- Tento comprar sempre marcas de roupa europeias;

- Sou activista da Quercus.

Nós também podemos fazer a nossa parte na luta pela identidade e pela cultura portuguesa e europeia.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: _Margot_ em 18.mai.2010, 18:06:12
Quero ver se percebi bem... A globalização é um drama?

A internet, as distâncias serem cada vez mais curtas, o acesso sem limites a tudo o que quisermos são dramas?
Poder falar com pessoas que vivem do outro lado do mundo através do telefone ou do computador, quando antigamente só por carta e mesmo assim às vezes se estraviava é um drama? Conhecer todas as culturas que eu quiser em vez de ouvir falar num país chamado Japão ou México é um drama?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 18.mai.2010, 19:15:17

Acho que estamos mais humanos, sim! Conseguimos moldar o nosso meio segundo alguns dos nossos valores. Temos um controlo superior sobre aquilo que nos afecta. Somos activos e não passivos. Conseguimos viver mais tempo e melhor com felicidade. Achas mais humano passares os teus dias a pensar como dar de comer aos teus?


O capitalismo que te tenta manipular, inculcar, oprimir e que te direcciona para aquilo que interessa, o lucro, tornou-te mais activo e mais humano?

Deve ser por isso que grande parte da população não quer saber de arte, filosofia, nada. Só consomem o que lhe dão e estão cada vez mais burros e robots.

O capitalismo está a invadir a vida das pessoas de forma a fazer-nos uma lobotomia progressiva. Perdemos a capacidade de pensar. Somos só números.

Não te importas de contrastar o capitalismo com o sistema que advogas no que toca a esses pontos que criticas? :)

É que nem há arte/filosofia/etc se o problema económico básico não for resolvido. E não há outro sistema que eu conheça que consiga manter a generalidade das pessoas fora do limiar da sobrevivência. Quando é que a grande parte da população quis saber de arte, filosofia, etc.?

Se é aquilo que me interessa como me está a inculcar, oprimir ou a manipular? Se me tornou mais atractivo? Pelos teus pressupostos sim porque me permitiu fazer algo que me interessa... (Isto é um convite a reformulares aquela tua frase. Sei que não é bem aquilo que queres dizer. ;))

Perdemos a capacidade de pensar, mas se não fosse a capacidade produtiva que a economia capitalista tem posto à nossa disposição crês que estaríamos intelectualmente melhores? Acho que somos menos um "número" hoje do que no ancien regime, por exemplo. Tu não? Queres elaborar o que entendes por "um número"?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 19.mai.2010, 01:54:30
Ninguém disse que a globalização era um drama. Eu falei globalização aliada ao capitalismo. E não me refiro ao capitalismo simplesmente como uma economia essencialmente liberal, porque eu sou a favor de uma economia liberal. Mas com RESPONSABILIDADE. Eu referia-me ao capitalismo desenfreado norte-americano, que atropela tudo e todos à procura do lucro. Atropela a cultura, atropela o ambiente, atropela os países do hemisfério Sul.

Quanto ao seres um número... espanta-me que alguém que já deu provas de ser tão culto como tu não queira perceber o que quero dizer com isso. Achas que a grande parte da população caminha para ter uma capacidade de pensar e reflectir sobre o que quer que seja? Não me acredito.
Está tudo tão bem explicado pelo Apollo, que não sei o que queres que te diga mais.

Ninguém aqui critica uma economia liberal, criticamos o fim de qualquer preocupação social em nome do lucro. Os países desenvolvidos europeus sempre tiveram mais sensibilidade cultural do que têm hoje e do que possivelmente terão amanhã. E mais identidade.
Não entendo como podes ser incapaz de ver que a população está cada vez mais cega e burra por causa do entretenimento americano.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 19.mai.2010, 21:35:31
Ai ai Back Room. Vou ter de ser minucioso contigo, hoje. :)

A Europa sempre teve maior sensibilidade para a arte e a cultura. Já ninguém quer saber. Querem é ir ver o Transformers e ouvir a Rihanna.

Isto não é verdade. Querem ir ver o Transformers e ouvir a Rihanna.... Alguma vez quiseram outra coisa? TU não queres e tens a possibilidade de não o fazer. Graças a quê? E a globalização não ajuda também? Também não é verdade que a Europa sempre tenha tido mais sensibilidade... Desde que os EUA são nação que têm contribuído de forma notável para a arte e cultura. Dizer que é "menos sensível" é um pouco vácuo, não achas? Não precisas que te relembre o impacto social, cultural, filosófico da revolução americana, ou de nomes como Henry James ou Rawls.  :)

Quanto ao que o Apollo disse... Não posso concordar com nada. Se quiseres posso elaborar.

Ninguém disse que a globalização era um drama. Eu falei globalização aliada ao capitalismo. E não me refiro ao capitalismo simplesmente como uma economia essencialmente liberal, porque eu sou a favor de uma economia liberal. Mas com RESPONSABILIDADE. Eu referia-me ao capitalismo desenfreado norte-americano, que atropela tudo e todos à procura do lucro. Atropela a cultura, atropela o ambiente, atropela os países do hemisfério Sul.

Quanto ao seres um número... espanta-me que alguém que já deu provas de ser tão culto como tu não queira perceber o que quero dizer com isso. Achas que a grande parte da população caminha para ter uma capacidade de pensar e reflectir sobre o que quer que seja? Não me acredito.
Está tudo tão bem explicado pelo Apollo, que não sei o que queres que te diga mais.

Ninguém aqui critica uma economia liberal, criticamos o fim de qualquer preocupação social em nome do lucro. Os países desenvolvidos europeus sempre tiveram mais sensibilidade cultural do que têm hoje e do que possivelmente terão amanhã. E mais identidade.
Não entendo como podes ser incapaz de ver que a população está cada vez mais cega e burra por causa do entretenimento americano.

Capitalismo é absolutamente impossível sem responsabilidade... Já o Adam Smith o dizia (não falava em capitalismo). Não achas um pouco irónico que se ouça hoje que há "excesso de liberalização", de "capitalismo desenfreado", de "preocupação absurda com o lucro", de "excessos materialistas", de "atropelos" e na notícia seguinte "carga fiscal nunca foi tão alta", "Sector Público bate recorde atingindo 50% do PIB", "Jean-Claude Trichet aumenta as taxas de juro" (Nos EUA é igual mutatis mutandis)? O Greenspan quando era novo (e minimamente credível) escreveu um ensaio chamado "The Assault on Integrity" - a ideia base é a de que se o Estado diz "artigo com a característica X não pode ser vendido", tu nunca mais te vais preocupar com a existência ou não da característica X, e o produtor que fazia esforços para estabelecer uma reputação de X-free, vê a sua vantagem competitiva eliminada. Quando procuramos oferecer artificialmente "responsabilidade social", criamos o efeito perverso de não só destruir a que existia naturalmente como a pouca que continuará a existir terá origem coerciva. Mas o argumento é sempre "e imaginem se não houvesse a lei!" ;) Um exemplo próximo está nas lojas online. Não sei se fazes compras online, mas na maior parte das lojas se tu dizes que não recebes eles sem piar enviam-te de novo ou reembolsam-te. Então as americanas.... Não dão chance! ;)

Não creio que a grande parte da população caminhe para isso, apenas acho que a grande parte da população não sai muito do sítio... Mas sinceramente acho que a população está cada vez mais informada sobre as coisas que lhe dizem respeito. Não posso concordar nem que a população esteja cada vez mais burra, nem que a eventual causa disto seja o entretenimento americano. Na pior das hipóteses está igual. Em Portugal ainda temos taxas de analfabetismo absurdas. Dizer que hoje lêem Nicolas Sparks até nem é mau, se pensares que há 100 anos essa mesma pessoa nem um jornal conseguia ler. Claro que eu não estou a ser exigente. Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?" O ónus da prova de que isto é culpa do americanismo é teu. :)

Eu se quero um livro de um autor erudito hoje consigo aceder-lhe com uma facilidade inaudita - graças à Internet. Se eu quero uma ópera rara - a Naxos gravou de certeza. Se eu quero um filme de autor - a Amazon tem o DVD a bom preço de certeza. God Bless America! 8-)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 21.mai.2010, 14:59:16
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 21.mai.2010, 15:50:28
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.


Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 21.mai.2010, 19:57:21
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.


Black Room, se pegarmos em muitas listas de «críticos americanos» de melhores livros da década ou de livros mais marcantes surgem porcarias como Dan Brown ou Nicholas Sparks. Em parte da comunicação social americana substituiu-se o elogio da verdadeira literatura pelo elogio do entretenimento escrito. Infelizmente, a moda já chegou a Portugal, e vemos autores que escrevem literatura de cordel do século XXI a receber prémios literários (nem digo nomes para não ferir susceptibilidades).

O mesmo no cinema, onde se privilegia o lixo... aliás, no século XXI o lixo já ganha Óscars. O cinema americano lançou excelentes obras até meados dos anos 70, muitas das quais dirigidas por mestres de origem europeia, sublinhe-se. Contudo, as últimas três a três décadas e meia são para esquecer, salvo uma ou outra rara excepção. E vemos os críticos darem boas notas a lixo, coisa que certamente os críticos dos anos 50 não fariam. Não concebo a recepção do público dos anos 40 ou 50 perante o engraçadismo aparolado de um American Pie, que como se sabe foi um êxito de bilheteira.

As televisões também têm a culpa. Não passam clássicos do cinema europeu e americano, e limitam-se a transmitir a porcaria do Hollywood actual.

O público americano, na sua maioria, está estupidificado pela literatura light, pela música ligeira estilo Lady Gaga e pelo lixo dos grandes estúdios. Parte do público europeu segue o mesmo caminho.

Os antídotos para o lixo americano actual  são:

- os autores clássicos: Eça de Queiroz, Victor Hugo, Alexandre Dumas, Emile Zola, George Orwell, Platão, Aristóteles, Cervantes, Edgar Allan Poe, Dante, etc;

- a música clássica

- o cinema europeu ou o cinema do período de ouro de Hollywood (anos 40/50, alguma coisa dos anos 60 e 70).
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 21.mai.2010, 20:59:30
Eu adoro Alexandre Dumas... Mas também é de cordel. :P
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 21.mai.2010, 21:05:29
Eu adoro Alexandre Dumas... Mas também é de cordel. :P

Não é nada! Que asneira! Já leste a Dama das Camélias?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 21.mai.2010, 21:09:19
Ah! Referias-te ao fils... :P Não! Nunca li nada do filho! Mas por acaso a dama está na minha wishlist da amazon.fr há uns três anos! Outras prioridades. :P

Mas o pai dele é cordel! E eu adoro! 8-)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 21.mai.2010, 21:10:27
Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 21.mai.2010, 21:21:29
Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 21.mai.2010, 21:27:39
Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)

O maior adepto do liberalismo que até agora encontrei na literatura francesa foi o Marquês de Sade.

EDIT: adoro Sade e Céline, adoro «escritores malditos».
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 21.mai.2010, 21:30:30
Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)

O maior adepto do liberalismo que até agora encontrei na literatura francesa foi o Marquês de Sade.

EDIT: adoro Sade e Céline, adoro «escritores malditos».


O Sade não era adepto de nada........ :P.................. Nem o francês dele se safa!

As 120 journées são muito mais comunistas do que capitalistas. ::)


Prefiro malditos como o Paul Verlaine.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 21.mai.2010, 21:31:59
Oh, qual cordel... tem densidade narrativa suficiente para não ser cordel... eu agora ando mais pelo Céline... conheces?

Bien sûr.... Gostas? E o Victor?

Oh... É cordel! Quando o contrastas com o Victor Hugo por exemplo......... Não é Margarida Rebelo Pinto, mas é cordel.

E o Victor Hugo se fosse consistente era o maior adepto do capitalismo laissez-faire. Estou sempre sempre a dizer-lho. Ele ainda não concordou. Há ali umas coisinhas. Mas eu vou conseguir convencê-lo. (Eu tenho uma relação com o Victor desde puto...)

O maior adepto do liberalismo que até agora encontrei na literatura francesa foi o Marquês de Sade.

EDIT: adoro Sade e Céline, adoro «escritores malditos».


O Sade não era adepto de nada........ :P.................. Nem o francês dele se safa!

As 120 journées são muito mais comunistas do que capitalistas. ::)


Prefiro malditos como o Paul Verlaine.

Já leste o Justine?

EDIT: não me recordo de ler alguma coisa comunista nos 120 dias de Sodoma, mas li aquilo com 17 anos, já não me recordo bem.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 22.mai.2010, 00:03:43
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.


Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 22.mai.2010, 01:05:38
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.


Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

Back, relações de poder existem no capitalismo e em qualquer outro regime. Tens de dar tu uma alternativa! Essa tua visão das pessoas como entidades sem arbítrio e passivas nas escolhas é-me estranha.

"A maior parte das pessoas não têm capacidade para discernir." - Se não têm, também não têm para perceber a sua situação. Eu percebo a minha e tenho acesso a toda a cultura de que preciso! Não preciso da rádio ou do cinema local para me fornecerem cultura. Há outras formas. Volto a perguntar-te: afinal o que sugeres?

P.S. Eu não sou "americanista"!
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 22.mai.2010, 01:26:11
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.


Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

BackRoom, a questão é esta: se a TV já foi melhor (e foi), se o cinema de massa já foi melhor, se a música ligeira que fazia sucesso já foi melhor, o que levou a esta degradação?

EDIT: eu vejo uma solução, que é a formação de públicos, mas isso implica uma alteração radical da política de ensino.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 22.mai.2010, 09:44:16
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.


Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

BackRoom, a questão é esta: se a TV já foi melhor (e foi), se o cinema de massa já foi melhor, se a música ligeira que fazia sucesso já foi melhor, o que levou a esta degradação?

EDIT: eu vejo uma solução, que é a formação de públicos, mas isso implica uma alteração radical da política de ensino.

Uma política de ensino pública subsidiada com dinheiro retirado coercivamente dos cidadãos........
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Soueu20 em 22.mai.2010, 13:29:32
O Capitalismo esta agora a mostrar as suas consequências que não terão retrocesso...

Isto piorara cada vez mais... A crise Mundial Económica e acima de tudo de Valores (guiada em certa parte pelo capitalismo) piorará dia a dia, e não há como voltar atras, sendo que apenas podemos esperar... Ate ao dia   D.....

Nada que grandes profetas da humanidade não tivessem advertido...

Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 22.mai.2010, 18:16:08
O Capitalismo esta agora a mostrar as suas consequências que não terão retrocesso...

Isto piorara cada vez mais... A crise Mundial Económica e acima de tudo de Valores (guiada em certa parte pelo capitalismo) piorará dia a dia, e não há como voltar atras, sendo que apenas podemos esperar... Ate ao dia   D.....

Nada que grandes profetas da humanidade não tivessem advertido...



Esta não é um crise do capitalismo, mas da economia mista.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 22.mai.2010, 18:53:22
Tu podes sempre responder-me "Mas agora que sabem ler, porque promovem o Sparks em vez de lerem a Ilíada?"

Respondo com essa pergunta e respondo já à pergunta também: por causa da americanização. Por causa do entretenimento de m****, atrofiante, que eles impingem ao mundo.

Nacionalidade Nicholas Sparks? Americano.
Proveniência da esmagadora maioria do cinema comercial que invade as salas? América.
Proveniência da esmagadora maioria da música pop comercial que invade as rádios? América.

São factos.


Mas eles não "impingem"... Eles oferecem! São competitivos! Eu não leio Nicholas Sparks, só vejo alguns filmes comerciais e tenho um ipod! O que querias de facto, rapaz?

O que eu queria? Queria cinema nas salas, música nas rádios, etc. Não queria entretenimento de péssima qualidade.

Oferecem? Ahah! Há muitas formas de impingir. Não sei em que mundo vives. A maior parte das pessoas não têm a tua capacidade para discernir. Não lhes chegam essas coisa todas a que dizes ter acesso.
À maior parte das pessoas, a publicidade faz chegar apenas o lixo que os americanos nos querem fazer consumir. O entretenimento é um produto que eles vendem como ninguém.

O teu americanismo cega-te de forma incrível. Quando dizes que esses tipos de produtos são apenas oferecidos, enfim... eles são martelados!
É muito politicamente correcto dizer que com a internet as pessoas têm acesso a muita coisa. É verdade. Mas alguns não chegam a ter conhecimento da maior parte das coisas. Essas outras coisas a que tu dizes ter acesso, é preciso conhecer. E conheceriam, se não fossem esses produtos americanos pronto-a-consumir.

BackRoom, a questão é esta: se a TV já foi melhor (e foi), se o cinema de massa já foi melhor, se a música ligeira que fazia sucesso já foi melhor, o que levou a esta degradação?

EDIT: eu vejo uma solução, que é a formação de públicos, mas isso implica uma alteração radical da política de ensino.

Uma política de ensino pública subsidiada com dinheiro retirado coercivamente dos cidadãos........

Uma política de ensino onde o Estado formule os programas e onde avalie regularmente os alunos via exames finais.

EDIT: isto não é a crise do capitalismo, como foi dito. É a crise do socialismo e da social-democracia.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 22.mai.2010, 19:52:58
Uma política de ensino onde o Estado formule os programas e onde avalie regularmente os alunos via exames finais.

EDIT: isto não é a crise do capitalismo, como foi dito. É a crise do socialismo e da social-democracia.

Edit certíssimo. :up

Quanto ao resto, abomino. Estado formular programas? Doentio! Os pais das crianças é que têm de decidir o quê e onde elas aprendem num sistema de escolas competitivo.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 22.mai.2010, 20:01:16
Uma política de ensino onde o Estado formule os programas e onde avalie regularmente os alunos via exames finais.

EDIT: isto não é a crise do capitalismo, como foi dito. É a crise do socialismo e da social-democracia.

Edit certíssimo. :up

Quanto ao resto, abomino. Estado formular programas? Doentio! Os pais das crianças é que têm de decidir o quê e onde elas aprendem num sistema de escolas competitivo.

Doentio? Os empregados do meu pai devem ser óptimos a escolher o que os filhos devem aprender... isso é utópico e perigoso! O Estado deve formular os programas, no entanto, depois cada escola decide se quer ensinar algo mais para além dos programas oficiais.

EDIT: se conhecesses o país real não pensarias assim.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 22.mai.2010, 23:36:23
Sim, a solução é formar o público. A resposta ao "porque é a qualidade tem piorado?" é uma estupidificação progressiva e a adaptação da oferta ao nível intelectual e de exigência reduzido. Assim, há-de piorar sempre. Deve-se levar as massas até à arte, não a arte até às massas. Se não quando repararmos, deixa de o ser.

Sugiro que o Estado imponha quotas por nacionalidade e, principalmente, por género na música e no cinema. É contra a minha forma de pensar, mas é necessário porque não se escolhe pela qualidade mas sim pelo lucro que cada produto gera. Ou isso ou o apoio estatal para criação de vias independentes de oferta desses produtos com mais qualidade.
E que se reforme completamente o ensino público. Que eduque para fazer pensar e sentir. E que se exija alguma coisa no resto, não é como se faz agora.
E sugiro que as produções americanas, já que são milionárias, paguem taxas elevadíssimas para poderem ser distribuídas nas salas portuguesas. E que se use esse dinheiro para financiar o cinema português. É isso que se faz em França. E resulta.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 23.mai.2010, 01:24:58
Doentio? Os empregados do meu pai devem ser óptimos a escolher o que os filhos devem aprender... isso é utópico e perigoso! O Estado deve formular os programas, no entanto, depois cada escola decide se quer ensinar algo mais para além dos programas oficiais.

EDIT: se conhecesses o país real não pensarias assim.

Não sejas paternalista. :P

Se achas que eles estão a escolher mal, conversa com eles e convence-os a metê-los em escolas que ensinem coisas que tu aches certas. Os programas das escolas formulados pelo Estado estão longe de ser neutros. Estão carregadíssimos de ideologia. O Estado controlar a educação é um dos exemplos mais acabados daquilo que abomino. Dá-lhe um um controlo sobre as mentes assustador!

Sim, a solução é formar o público. A resposta ao "porque é a qualidade tem piorado?" é uma estupidificação progressiva e a adaptação da oferta ao nível intelectual e de exigência reduzido. Assim, há-de piorar sempre. Deve-se levar as massas até à arte, não a arte até às massas. Se não quando repararmos, deixa de o ser.

Sugiro que o Estado imponha quotas por nacionalidade e, principalmente, por género na música e no cinema. É contra a minha forma de pensar, mas é necessário porque não se escolhe pela qualidade mas sim pelo lucro que cada produto gera. Ou isso ou o apoio estatal para criação de vias independentes de oferta desses produtos com mais qualidade.
E que se reforme completamente o ensino público. Que eduque para fazer pensar e sentir. E que se exija alguma coisa no resto, não é como se faz agora.
E sugiro que as produções americanas, já que são milionárias, paguem taxas elevadíssimas para poderem ser distribuídas nas salas portuguesas. E que se use esse dinheiro para financiar o cinema português. É isso que se faz em França. E resulta.


Meu Deus... Portanto vamos tirar àqueles que fazem coisas de que o público de facto gosta para subsidiar aqueles que os burocratas consideram mais "artísticos" ou, ainda pior, aqueles que por arbitrariedade são nacionais. Vamos usar força física contra aqueles que produziram porque achamos que eles não têm uma verdadeira capacidade de escolha, são estúpidos! E como eles são estúpidos nem sabem do que gostam. Portanto temos toda a legitimidade em taxá-los a eles e àqueles que se associam a eles de forma a promovermos aquilo que NÓS, que não produzimos senão este problema nem sequer se colocava, consideramos melhor... :o Sim senhor... A juventude vai bem! Excelente visão do mundo.

Às vezes dá-me vontade, quando leio coisas destas, de chamar o positivismo de volta...
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 23.mai.2010, 01:49:08
Sim, sei que os programas estão carregados de ideologia. Um exemplo é a forma como se trata o tema do aquecimento global. Mas isso não impede que o Estado possa delinear uma linha programática comum e neutra, avaliada em exames no quarto ano, sexto, nono e em nos anos de liceu. Para além dessa linha programática comum, as escolas e os professores poderão escolher os seus programas. Uma total liberdade programática no nosso país seria um desastre. Não conheço nenhum país da Europa Ocidental onde isso aconteça, nem na liberal Inglaterra. Estás a ser extremista.´

O Estado deve assegurar a instrução e não a educação. O Estado deve assegurar que todos os cidadãos tenham acesso a uma instrução que lhes permita estruturar o seu pensamento e que os prepare para serem independentes na sociedade moderna. 

 
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 23.mai.2010, 01:51:30
Sim, sei que os programas estão carregados de ideologia. Um exemplo é a forma como se trata o tema do aquecimento global. Mas isso não impede que o Estado possa delinear uma linha programática comum, avaliada em exames no quarto ano, sexto, nono e em nos anos de liceu. Para além dessa linha programática comum, as escolas e os professores poderão escolher os seus programas. Uma total liberdade programática no nosso país seria um desastre. Não conheço nenhum país da Europa Ocidental onde isso aconteça, nem na liberal Inglaterra. Estás a ser extremista.´

Seria um desastre porquê? Estou a ser extremista? Tu também! ::)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 23.mai.2010, 01:53:52
Sim, sei que os programas estão carregados de ideologia. Um exemplo é a forma como se trata o tema do aquecimento global. Mas isso não impede que o Estado possa delinear uma linha programática comum, avaliada em exames no quarto ano, sexto, nono e em nos anos de liceu. Para além dessa linha programática comum, as escolas e os professores poderão escolher os seus programas. Uma total liberdade programática no nosso país seria um desastre. Não conheço nenhum país da Europa Ocidental onde isso aconteça, nem na liberal Inglaterra. Estás a ser extremista.´

Seria um desastre porquê? Estou a ser extremista? Tu também! ::)

Dá total liberdade às escolas para escolher os programas em Portugal. Seria uma experiência sociológica interessantíssima. Abolias os exames nacionais, os programas, e cada escola tinha total liberdade para fazer os seus programas.

EDIT: lamento, mas aqui eu é que estou a ser o sensato. Com essa opinião demonstras apenas que desconheces a sociedade portuguesa e o país real.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 23.mai.2010, 01:56:44
 :P Porque tu decidiste que conheces! Estás a ser circular oh Apollo! :)

Porque consideras que seria desastroso escolas privadas competirem nomeadamente com programas? Associações de escolas, certificados de qualidade surgiriam. Privados e eficientes. E os pais teriam uma panóplia de diferentes programas para optarem! Não vejo desastre nenhum..........
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 23.mai.2010, 02:21:37
Vamos tirar? Mas vamos tirar o quê? Qual a diferença de as distribuidoras das mega-produções americanas terem que pagar para ver os seus filmes rodados nas salas portuguesas?

É assim tão desprezível colocar uma taxa para a entrada desses filmes que ia ajudar os portugueses que querem fazer cinema e não têm como?
Será a França, por exemplo, assim tão desprezível?

Se fosse a ti boicotava o cinema francês, só porque exigem que lhes paguem 0,00000001% do orçamento de um filme para ele passar lá. Que por acaso, é um dos motivos para o cinema francês ter a vitalidade que tem.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Apollo em 23.mai.2010, 02:23:28
:P Porque tu decidiste que conheces! Estás a ser circular oh Apollo! :)

Porque consideras que seria desastroso escolas privadas competirem nomeadamente com programas? Associações de escolas, certificados de qualidade surgiriam. Privados e eficientes. E os pais teriam uma panóplia de diferentes programas para optarem! Não vejo desastre nenhum..........

Mas nisso concordo contigo.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 23.mai.2010, 02:25:12
Vamos tirar? Mas vamos tirar o quê? Qual a diferença de as distribuidoras das mega-produções americanas terem que pagar para ver os seus filmes rodados nas salas portuguesas?

É assim tão desprezível colocar uma taxa para a entrada desses filmes que ia ajudar os portugueses que querem fazer cinema e não têm como?
Será a França, por exemplo, assim tão desprezível?

Se fosse a ti boicotava o cinema francês, só porque exigem que lhes paguem 0,00000001% do orçamento de um filme para ele passar lá. Que por acaso, é um dos motivos para o cinema francês ter a vitalidade que tem.

É tão desprezível como eu passar por ti na rua e te obrigar a me dares um cêntimo. É uma questão de princípio! Não inicio o uso da força contra ninguém! E racionalizar isso em nome da arte é apenas deturpar a questão. Não vou boicotar o cinema francês porque seria absurdo. Sou libertário e também se puder recebo todas as bolsas públicas que há! Não é incoerência, é ajustar comportamentos à coerção. ;)

:P Porque tu decidiste que conheces! Estás a ser circular oh Apollo! :)

Porque consideras que seria desastroso escolas privadas competirem nomeadamente com programas? Associações de escolas, certificados de qualidade surgiriam. Privados e eficientes. E os pais teriam uma panóplia de diferentes programas para optarem! Não vejo desastre nenhum..........

Mas nisso concordo contigo.

Mas era isso que aconteceria se liberalizasses completamente. ;)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 23.mai.2010, 02:27:50
A forma como os filmes americanos dominam as salas portuguesas é através do uso da força, a mediática. Não é uma escolha livre.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 23.mai.2010, 02:43:29
A forma como os filmes americanos dominam as salas portuguesas é através do uso da força, a mediática. Não é uma escolha livre.

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH Nope! :)

Há várias formas de poder, certo! Mas esse de que falas não é uso de força física! É qualitativamente muito diferente. E muito mais insinuante fugidio. Uma das razões porque sou libertário passa por aqui: há sempre novas formas de poder que se sobrepõe às anteriores - procura controlar uma, outra surge.

Tema muito interessante e difícil o das relações de poder. ;) Mas não lhe chames de uso da força! É que não é!
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Back Room em 23.mai.2010, 02:46:01
É muito diferente claro. O resultado é muito maior. Mas pelos vistos, não é tão grave. Sinto um alerta de hipocrisia.  ;D Mas sim, quero que me expliques depois a tua visão sobre isso.  :)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: giffs em 27.jun.2010, 11:56:27
Sim, já agora gostaria de saber. É apenas a formatação dos indivíduos para não pensarem na desgraça....[na maneira como os banqueiros e outros que tais os roubam todos os dias]. Como esta colectânea fantástica do mundial. Para "entreterem".
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 27.jun.2010, 12:04:41
Sim, já agora gostaria de saber. É apenas a formatação dos indivíduos para não pensarem na desgraça....[na maneira como os banqueiros e outros que tais os roubam todos os dias]. Como esta colectânea fantástica do mundial. Para "entreterem".

Giffs, queres elaborar? É que não consegui ligar ao que vinha atrás. ??? (Já foi escrito há tanto tempo! :-\)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: giffs em 28.jun.2010, 10:45:47
gostaria de saber o que pensas, sim.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Agamemnon em 28.jun.2010, 11:22:29
gostaria de saber o que pensas, sim.

Querida eu queria comentar! Mas não percebi muito bem o que querias dizer. :) Podes elaborar? :-*
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: sugar em 06.set.2010, 23:22:02
Não sou propriamente a favor mas dado as circunstâncias acho que já nem conseguiríamos viver sem ele
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Miguel★ em 29.jul.2011, 22:14:16
Capitalismo é a erva daninha das sociedades actuais. Capitalismo não é mais do que outra denominação que se dá ao Liberalismo, denominação inventada pelos capitalistas britânicos John Locke e Adam Smith. Não percebi porque é que estes senhores tinham tanto medo em usar o termo "capitalismo". Honestamente, liberalismo soa-me muito pior, dá ideia de anarquia económica, em que é cada um por si e quem é pobre que se amanhe.  

Defendo a expansão económica, mas noutros parâmetros. O termo Capitalismo, no sentido lato, não me agrada e chega até a irritar-me. O capitalismo exige crescimento económico contínuo, e, inevitavelmente, esgota os recursos naturais finitos da Terra e outros recursos amplamente utilizados.

O capitalismo está associado à 1) desigual distribuição de rendimento e poder, é uma tendência de monopólio ou oligopólio no mercado; 2) imperialismo, 3) "guerra" contra-revolucionária e várias formas de exploração económica e cultural, 4) "repressão" dos trabalhadores e sindicalistas e 5) fenómenos como a alienação social, desigualdade económica, desemprego e instabilidade económica.

Muitas religiões também são contra este modelo económico. O judaísmo tradicional, o cristianismo e o islamismo proíbem emprestar dinheiro a juros, embora os métodos bancários tenham sido desenvolvidos em todos os três casos e adeptos de todas as três religiões são autorizados a emprestar para aqueles que estão fora da sua religião.

Como socialista, acho o capitalismo um sistema irracional em que a produção e a direcção da economia não são planeadas, criando muitas incoerências e contradições internas.

Contudo, não acho que as críticas do Marxismo ao Capitalismo façam sentido. Os marxistas defendiam o derrubo do capitalismo que levaria ao socialismo, até à sua transformação que daria origem ao comunismo. E muitos aspectos do capitalismo estiveram sob ataque do movimento anti-globalização, que é essencialmente contrário ao capitalismo corporativo. Eu sou a favor da Globalização, só que ela não foi feita como devia ter sido. Faltou moderação e controlo por parte dos Estados. Portanto, para mim nem Marxismo nem Capitalismo fazem sentido. Eu fico no meio e no meio é que está a virtude. lol  
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Pulse em 29.jul.2011, 22:28:43
Não sou propriamente a favor mas dado as circunstâncias acho que já nem conseguiríamos viver sem ele


Há quem pense em alternativas. ;)
Project Earth: A Resource Based Economy Explained (http://www.youtube.com/watch?v=XDhSgCsD_x8#ws)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: strings em 29.jul.2011, 23:52:40
Capitalismo é a erva daninha das sociedades actuais.


Só no seu estado actual.

Capitalismo não é mais do que outra denominação que se dá ao Liberalismo,


Errado. O Liberalismo é uma ideologia com diversas vertentes, uma das quais é a economia liberal assente na propriedade privada. Dizem-lhe também respeito a igualdade perante a lei, a separação de poderes, o consentimento dos governados, etc. é a ideologia fundadora da democracia ocidental.

denominação inventada pelos capitalistas britânicos John Locke e Adam Smith.


Smith é posterior a Locke e foi quem explicitou os fundamentos da economia, que haviam sido previamente ignorados sob a lógica da 'economia moral'. 

Não percebi porque é que estes senhores tinham tanto medo em usar o termo "capitalismo".


Não podiam ter medo de um termo que ainda não existia.

Honestamente, liberalismo soa-me muito pior, dá ideia de anarquia económica, em que é cada um por si e quem é pobre que se amanhe.


O argumento atrasado mental da 'anarquia económica' é ocasionalmente papagueado por malta dos PCs e afins, mas encontra-se desmentido desde que a Economia nasceu enquanto 'ciência'. A economia é necessariamente descentralizada por reflectir sociedades e populações também elas descentralizadas: tem em conta a unidade irredutível do indivíduo enquanto componente da sociedade. A burocracia centralizada é incapaz de responder aos estímulos da oferta com procura adequada, noção que se encontra na base do problema do cálculo económico (https://secure.wikimedia.org/wikipedia/en/wiki/Economic_calculation_problem), apresentado como crítica ao socialismo pelos austríacos e jamais rejeitado.   

O capitalismo exige crescimento económico contínuo, e, inevitavelmente, esgota os recursos naturais finitos da Terra e outros recursos amplamente utilizados.


Não (https://secure.wikimedia.org/wikipedia/en/wiki/Free-market_environmentalism).

O capitalismo está associado à 1) desigual distribuição de rendimento e poder, é uma tendência de monopólio ou oligopólio no mercado;


Não existe nenhum monopólio na História que praticasse preços de monopólio (isto é, cujos preços não reflectissem potencial concorrencial de outros agentes) sem intervenção do Estado.

2) imperialismo,


Mais Estado.

3) "guerra" contra-revolucionária e várias formas de exploração económica e cultural,


Isto francamente não me diz nada. Estás a falar do golpe de '73 no Chile? Que raio é 'exploração cultural'?

4) "repressão" dos trabalhadores e sindicalistas


As aspas são bastante apropriadas.

e 5) fenómenos como a alienação social, desigualdade económica, desemprego e instabilidade económica.


Mais uma vez - sob a sua aplicação actual, sim.

Como socialista, acho o capitalismo um sistema irracional em que a produção e a direcção da economia não são planeadas, criando muitas incoerências e contradições internas.


(http://supercaras.com/wp-content/uploads/2011/01/blank_facepalm_224.gif)

Mais uma vez... os da tua ala nunca foram capazes de responder a esta (https://secure.wikimedia.org/wikipedia/en/wiki/Economic_calculation_problem) crítica dessa posição. Este livro (http://www.wook.pt/ficha/socialism/a/id/383717) deitou por água abaixo esse ponto de vista já na década de 1920, prevendo correctamente muitas das características da futura economia soviética.



Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Miguel★ em 30.jul.2011, 00:35:00
Strings, eu não percebo o teu problema com o Estado. Se fosse uma empresa a cobrar os teus impostos eras roubado, meu caro. Esse "ódio" àquilo que é público chega a ser imoral. Um país é um Estado, não é uma Empresa. Eu nem sequer precisava de dizer isto, acho eu.

Tu por duas vezes, no teu comentário, admites que o Capitalismo foi e é mal aplicado em termos práticos. Se o Capitalismo é prejudicial a uma sociedade por que é que o apoias? Não existem sistemas perfeitos, mas uns são bastante piores do que outros. É tudo muito bonito na teoria mas depois vê-se como é. O capitalismo não funciona! Vai ser sempre assim e já se viu que este sistema económico só é danificador (alienação social, desigualdade económica, desemprego e instabilidade económica). Se gostas tanto de Capitalismo / Liberalismo (é basicamente o mesmo, embora tu negues convenientemente) devias apresentar propostas alternativas à sua correcta aplicação. Uma coisa é certa, ninguém critica aquilo que é bom. Ou então eu não te estaria a pedir alternativas...
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: strings em 30.jul.2011, 04:03:41
Strings, eu não percebo o teu problema com o Estado. Se fosse uma empresa a cobrar os teus impostos eras roubado, meu caro. Esse "ódio" àquilo que é público chega a ser imoral. Um país é um Estado, não é uma Empresa. Eu nem sequer precisava de dizer isto, acho eu.

Se eu não pagar impostos, sou preso. Se eu não fizer compras no Pingo Doce ou não abrir conta no BPI, é uma escolha voluntária sem consequências. O Estado usa a violência, a empresa usa a persuasão. É tão simples quanto isso. 

Tu por duas vezes, no teu comentário, admites que o Capitalismo foi e é mal aplicado em termos práticos. Se o Capitalismo é prejudicial a uma sociedade por que é que o apoias?

Pelo amor de Deus. Tu lês o que escreves? Admitindo que é mal aplicado em termos práticos, defendo a sua aplicação de maneira diferente. Penso que esta seja uma dedução bastante linear e lógica. O actual sistema económico - podes chamar-lhe o que quiseres - é, sim, prejudicial de muitas maneiras, desde já a crise em que nos encontramos. Isto não significa que só haja dois caminhos: ou o actual, ou o do socialismo. O capitalismo pode e deve ser aplicado de uma maneira diferente, a qual foi defendida por pessoas como Ludwig von Mises e continua a ser defendida pelo instituto baptizado em seu nome, com pessoas como Walter Block, Thomas Woods e Thomas J. DiLorenzo. Eles são os mais vigorosos críticos do actual sistema económico, a que podes chamar capitalismo ou outra coisa qualquer; é-me indiferente.

Se gostas tanto de Capitalismo / Liberalismo (é basicamente o mesmo, embora tu negues convenientemente) devias apresentar propostas alternativas à sua correcta aplicação.

Estás na lua? Alguma vez leste os meus posts? Clicaste nos meus links para artigos ou livros? Se o fizeste, para me vires agora pedir alternativas deves estar com profunda amnésia. Forneci material e ideias que divergem das políticas actuais. Vai ver. Também expliquei claramente porque é que o Liberalismo não é sinónimo de Capitalismo. Pode ser 'conveniente' ou não, mas é correcto.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Miguel★ em 30.jul.2011, 17:50:07
Mas qual violência? Violência é o que essas grandes empresas fazem às pessoas, que cobram preços absurdos. Isso não faz qualquer sentido. Um país sem Estado é acéfalo. É como se fosse uma pessoa sem cérebro. Não tem pés nem cabeças o que aclamas. Vais ter de pagar impostos sempre. Faz parte da vida, isso é viver em sociedade. Um país não é uma empresa, em que é cada um por si. Um cidadão que se preze paga impostos para contribuir para o bom funcionamento da sociedade em que está inserido. Um bom cidadão não é como esses capitalistas que fazem de tudo para fugir ao fisco e que se estão a marimbar para quem está na rua a passar fome. Um cidadão tem deveres para com o seu Estado. E isso vai ser sempre assim.

Mas por que é que tu negas que Capitalismo e Liberalismo são a mesma coisa sem apresentar justificações concretas? Por que eu ainda não li uma frase tua a mencionar diferenças. Escreves muita coisa, forneces links e nada. Nada nessas repostas longas diz que Capitalismo e Liberalismo são coisas diferentes. Sabes porquê? Porque são exactamente a mesmíssima coisa e tu não sabes dar a volta à questão. Os dois termos mascaram-se um ao outro e propõem que os agentes económicos sejam movidos por um impulso de crescimento e desenvolvimento económico e são contrários à intervenção do Estado na economia.

O Capitalismo não funciona, muito menos em Portugal que ainda nem é uma economia europeia muita avançada. É avançada, mas não está ao nível de um sistema económico desses. E depois o povo português, enraivecido com o Governo anterior, vota em partidos como o PSD que põem praticamente o país inteiro à venda e admiram-se de estar a empobrecer cada mais e mais por causa dos grandes senhores das empresas que se passam só porque facturaram menos 1 milhão que no mês passado. Não tenho pena nenhuma. Aprende-se com os erros.

E outra coisa, Ludwig von Mises foi um tremendo capitalista. Tem zero de credibilidade para criticar o socialismo. Esperavas o quê? Que elogiasse? Por favor. Ele não estava em cima de muro nenhum, não era neutro. Ele era tendencioso naquilo que dizia e esqueceu-se de falar nas falhas que o capitalismo tem. Esqueceu-se convenientemente.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: strings em 31.jul.2011, 22:14:11
Mas qual violência? Violência é o que essas grandes empresas fazem às pessoas, que cobram preços absurdos. Isso não faz qualquer sentido. Um país sem Estado é acéfalo. É como se fosse uma pessoa sem cérebro.

Isto não me diz nada. É suposto ser um argumento?

Não tem pés nem cabeças o que aclamas. Vais ter de pagar impostos sempre. Faz parte da vida, isso é viver em sociedade. Um país não é uma empresa, em que é cada um por si. Um cidadão que se preze paga impostos para contribuir para o bom funcionamento da sociedade em que está inserido.

Irrelevante. Se só houvesse uma maneira de encarar as funções e papel do Estado, não existiam partidos políticos diferentes. Se a realidade que descreves fosse inevitável, a Catalunha não tinha tido o sistema que teve na Guerra Civil Espanhola, nem Christiania teria o sistema que tem em Copenhaga, nem a Islândia teria tido o sistema que teve na Idade Média. Mais uma vez, agradecia que fundamentasses as opiniões.

Um bom cidadão não é como esses capitalistas que fazem de tudo para fugir ao fisco e que se estão a marimbar para quem está na rua a passar fome. Um cidadão tem deveres para com o seu Estado. E isso vai ser sempre assim.

Demagogia =/= argumento.

Mas por que é que tu negas que Capitalismo e Liberalismo são a mesma coisa sem apresentar justificações concretas? Por que eu ainda não li uma frase tua a mencionar diferenças.

Nesse caso sugiro que releias o meu último post.

Escreves muita coisa, forneces links e nada. Nada nessas repostas longas diz que Capitalismo e Liberalismo são coisas diferentes. Sabes porquê? Porque são exactamente a mesmíssima coisa e tu não sabes dar a volta à questão. Os dois termos mascaram-se um ao outro e propõem que os agentes económicos sejam movidos por um impulso de crescimento e desenvolvimento económico e são contrários à intervenção do Estado na economia.

Vou então repetir-me, apesar de não ser em princípio necessário: a economia liberal capitalista é uma componente do Liberalismo, que implica diversos outros ramos, entre os quais o consentimento dos governados, a separação de poderes e a igualdade perante a lei (basicamente os alicerces da democracia ocidental). Nunca disse que eram antónimos.  

O Capitalismo não funciona, muito menos em Portugal que ainda nem é uma economia europeia muita avançada.

Se estás a argumentar que o capitalismo liberal não funciona em economias pouco avançadas, isso leva-me a deduzir que és um recém chegado de Saturno. Por alguma razão Hong Kong era uma aldeia piscatória quando o meu avô nasceu, e agora é o que é.

E depois o povo português, enraivecido com o Governo anterior, vota em partidos como o PSD que põem praticamente o país inteiro à venda e admiram-se de estar a empobrecer cada mais e mais por causa dos grandes senhores das empresas que se passam só porque facturaram menos 1 milhão que no mês passado. Não tenho pena nenhuma. Aprende-se com os erros.

Já sabes, ou devias saber, que estou-me nas tintas para o PSD.

E outra coisa, Ludwig von Mises foi um tremendo capitalista. Tem zero de credibilidade para criticar o socialismo. Esperavas o quê? Que elogiasse? Por favor. Ele não estava em cima de muro nenhum, não era neutro. Ele era tendencioso naquilo que dizia e esqueceu-se de falar nas falhas que o capitalismo tem. Esqueceu-se convenientemente.

OK, então mais vale calares-te agora, porque sendo um tremendo opositor do capitalismo também não és isento e não tens direito de o criticar (a propósito, boa sorte a encontrar uma crítica que seja por parte de alguém que não se oponha ao que critica). O von Mises aborda sim as falhas do sistema, mas não vale a pena discutir isso já que não tens interesse em saber o mínimo que seja daquilo que criticas, pelo que me dás a entender.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: absolut_ em 24.abr.2012, 00:52:22
Strings, eu não percebo o teu problema com o Estado. Se fosse uma empresa a cobrar os teus impostos eras roubado, meu caro. Esse "ódio" àquilo que é público chega a ser imoral. Um país é um Estado, não é uma Empresa. Eu nem sequer precisava de dizer isto, acho eu.

Se eu não pagar impostos, sou preso. Se eu não fizer compras no Pingo Doce ou não abrir conta no BPI, é uma escolha voluntária sem consequências. O Estado usa a violência, a empresa usa a persuasão. É tão simples quanto isso.



"Voluntária sem consequências"
Não, porque se não fizeres no Pingo Doce, vais fazer ao Continente ou noutra qualquer do género, certo?
Então o teu acto voluntário está limitado apenas entre as hipóteses capitalistas. Isto porque a mercearia do lado fechou. (Acho que não preciso explicar porquê!)
O mesmo se passa a abrir conta no BPI, se não foi no BPI, terá de ser noutro qualquer, e se fores a ver, vai tudo dar ao mesmo! Estás-me a dizer que também posso escolher entre abrir um conta à ordem ou a prazo.. Ah! Sim tenho escolha entre elas. Não tenho escolha entre não abrir nenhuma. Se trabalhas numa empresa tens que ter uma conta para receberes.
Portanto não te satisfaças só porque crês que podes alguma hipótese de escolha. Não tens.



O Capitalismo não funciona, muito menos em Portugal que ainda nem é uma economia europeia muita avançada.

Se estás a argumentar que o capitalismo liberal não funciona em economias pouco avançadas, isso leva-me a deduzir que és um recém chegado de Saturno. Por alguma razão Hong Kong era uma aldeia piscatória quando o meu avô nasceu, e agora é o que é.

E outra coisa, Ludwig von Mises foi um tremendo capitalista. Tem zero de credibilidade para criticar o socialismo. Esperavas o quê? Que elogiasse? Por favor. Ele não estava em cima de muro nenhum, não era neutro. Ele era tendencioso naquilo que dizia e esqueceu-se de falar nas falhas que o capitalismo tem. Esqueceu-se convenientemente.

OK, então mais vale calares-te agora, porque sendo um tremendo opositor do capitalismo também não és isento e não tens direito de o criticar (a propósito, boa sorte a encontrar uma crítica que seja por parte de alguém que não se oponha ao que critica). O von Mises aborda sim as falhas do sistema, mas não vale a pena discutir isso já que não tens interesse em saber o mínimo que seja daquilo que criticas, pelo que me dás a entender.


Falas de Hong Kong por poucas palavras, facilmente te respondo. "Capitalismo" principal função é "capital"="lucro", claro que algum tem que se sair bem para tantos outros estarem mal, o desequilíbrio tem que estar a cair para algum lado! Não é lógico?
Não é lógico também ser impossível mantê-lo? E achas possível haver equilíbrio entre o capitalismo? Se houvesse, é porque estavam todos muito mal e ninguém estava a conseguir atingir o objectivo. Não?


Quanto ao teu último texto, só o citei para te relembrar que não tens o direito de mandar calar ninguém. Quanto muito respondes a defender aquilo que acreditas.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: winkie em 23.jul.2012, 02:40:09
o capitalismo só tem um objectivo: capital. Dinheiro. Não para os outros, não para a nação mas para mim, para o meu bolso.
Mas em comparação com o comunismo...Ganha!!!!!!!!!!!!
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Thought em 23.jul.2012, 02:41:47
o capitalismo só tem um objectivo: capital. Dinheiro. Não para os outros, não para a nação mas para mim, para o meu bolso.
Mas em comparação com o comunismo...Ganha!!!!!!!!!!!!

 :up
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: miL@gres em 24.jul.2012, 05:25:21
Atuar de facto actuam se estiveres a falar em representaçoes teatrais. O que eu estou a falar é de factos, realizações.

Por exemplo, há uns tempos tive uma empresa e por mudança de ramo tive necessidade de a fechar. O banco nao me deixava fechar as contas, porque havia um cheque que tinha passado há uns meses á conservatória que ainda nao estava depositado. Tive que me deslocar à conservatória e pedir por muito favor que encontrassem o cheque e o depositassem para eu poder fechar a conta corrente da empresa.

Por isso, das duas três, ou há pouco profissionalismo, ou poucos trabalhadores, já que dinheiro há imenso mas muito mal gerido.

 :-X

Título: Re: Capitalismo
Enviado por: winkie em 25.jul.2012, 23:23:12
Atuar de facto actuam se estiveres a falar em representaçoes teatrais. O que eu estou a falar é de factos, realizações.

Por exemplo, há uns tempos tive uma empresa e por mudança de ramo tive necessidade de a fechar. O banco nao me deixava fechar as contas, porque havia um cheque que tinha passado há uns meses á conservatória que ainda nao estava depositado. Tive que me deslocar à conservatória e pedir por muito favor que encontrassem o cheque e o depositassem para eu poder fechar a conta corrente da empresa.

Por isso, das duas três, ou há pouco profissionalismo, ou poucos trabalhadores, já que dinheiro há imenso mas muito mal gerido.

 :-X


Eu não estava a falar disso, mas tudo bem
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Speek em 31.jul.2012, 15:31:04
Mas qual violência? Violência é o que essas grandes empresas fazem às pessoas, que cobram preços absurdos. Isso não faz qualquer sentido. Um país sem Estado é acéfalo. É como se fosse uma pessoa sem cérebro. Não tem pés nem cabeças o que aclamas. Vais ter de pagar impostos sempre. Faz parte da vida, isso é viver em sociedade. Um país não é uma empresa, em que é cada um por si. Um cidadão que se preze paga impostos para contribuir para o bom funcionamento da sociedade em que está inserido. Um bom cidadão não é como esses capitalistas que fazem de tudo para fugir ao fisco e que se estão a marimbar para quem está na rua a passar fome. Um cidadão tem deveres para com o seu Estado. E isso vai ser sempre assim.

O Capitalismo não funciona, muito menos em Portugal que ainda nem é uma economia europeia muita avançada. É avançada, mas não está ao nível de um sistema económico desses. E depois o povo português, enraivecido com o Governo anterior, vota em partidos como o PSD que põem praticamente o país inteiro à venda e admiram-se de estar a empobrecer cada mais e mais por causa dos grandes senhores das empresas que se passam só porque facturaram menos 1 milhão que no mês passado. Não tenho pena nenhuma. Aprende-se com os erros.

Se o anterior governo se mantivesse no poder como estariam as contas públicas? Acreditas que estariam melhores??
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: absolut_ em 10.out.2012, 12:22:25
Mas qual violência? Violência é o que essas grandes empresas fazem às pessoas, que cobram preços absurdos. Isso não faz qualquer sentido. Um país sem Estado é acéfalo. É como se fosse uma pessoa sem cérebro. Não tem pés nem cabeças o que aclamas. Vais ter de pagar impostos sempre. Faz parte da vida, isso é viver em sociedade. Um país não é uma empresa, em que é cada um por si. Um cidadão que se preze paga impostos para contribuir para o bom funcionamento da sociedade em que está inserido. Um bom cidadão não é como esses capitalistas que fazem de tudo para fugir ao fisco e que se estão a marimbar para quem está na rua a passar fome. Um cidadão tem deveres para com o seu Estado. E isso vai ser sempre assim.

O Capitalismo não funciona, muito menos em Portugal que ainda nem é uma economia europeia muita avançada. É avançada, mas não está ao nível de um sistema económico desses. E depois o povo português, enraivecido com o Governo anterior, vota em partidos como o PSD que põem praticamente o país inteiro à venda e admiram-se de estar a empobrecer cada mais e mais por causa dos grandes senhores das empresas que se passam só porque facturaram menos 1 milhão que no mês passado. Não tenho pena nenhuma. Aprende-se com os erros.

Se o anterior governo se mantivesse no poder como estariam as contas públicas? Acreditas que estariam melhores??

Oxalá tenha dito isso porque tal como a maioria parece que só vê, é uma (esta) democracia com dois partidos.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: MarisaG em 10.out.2012, 15:08:53
Respondendo sem pesquisar e utilizando o senso comum.

Para mim, capitalismo, muito grosseiramente, tem a ver com "só ver dinheiro à frente".
Exemplo: Só interessa a produtividade, as condições de trabalho serão secundárias.
 
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Joker em 13.out.2012, 01:28:37
Capitalismo é a erva daninha das sociedades actuais. Capitalismo não é mais do que outra denominação que se dá ao Liberalismo, denominação inventada pelos capitalistas britânicos John Locke e Adam Smith. Não percebi porque é que estes senhores tinham tanto medo em usar o termo "capitalismo". Honestamente, liberalismo soa-me muito pior, dá ideia de anarquia económica, em que é cada um por si e quem é pobre que se amanhe.   

Defendo a expansão económica, mas noutros parâmetros. O termo Capitalismo, no sentido lato, não me agrada e chega até a irritar-me. O capitalismo exige crescimento económico contínuo, e, inevitavelmente, esgota os recursos naturais finitos da Terra e outros recursos amplamente utilizados.

O capitalismo está associado à 1) desigual distribuição de rendimento e poder, é uma tendência de monopólio ou oligopólio no mercado; 2) imperialismo, 3) "guerra" contra-revolucionária e várias formas de exploração económica e cultural, 4) "repressão" dos trabalhadores e sindicalistas e 5) fenómenos como a alienação social, desigualdade económica, desemprego e instabilidade económica.

Muitas religiões também são contra este modelo económico. O judaísmo tradicional, o cristianismo e o islamismo proíbem emprestar dinheiro a juros, embora os métodos bancários tenham sido desenvolvidos em todos os três casos e adeptos de todas as três religiões são autorizados a emprestar para aqueles que estão fora da sua religião.

Como socialista, acho o capitalismo um sistema irracional em que a produção e a direcção da economia não são planeadas, criando muitas incoerências e contradições internas.

Contudo, não acho que as críticas do Marxismo ao Capitalismo façam sentido. Os marxistas defendiam o derrubo do capitalismo que levaria ao socialismo, até à sua transformação que daria origem ao comunismo. E muitos aspectos do capitalismo estiveram sob ataque do movimento anti-globalização, que é essencialmente contrário ao capitalismo corporativo. Eu sou a favor da Globalização, só que ela não foi feita como devia ter sido. Faltou moderação e controlo por parte dos Estados. Portanto, para mim nem Marxismo nem Capitalismo fazem sentido. Eu fico no meio e no meio é que está a virtude. lol 
Quase dá pena ler um post destes, explica muito bem porque é que o país é apenas pobre e repleto de falhados. Mas como ainda nem tenho sono, vou por partes:

Em 1º lugar, ervas daninhas na sociedade são pessoas que acham que quem trabalhou mais (para ganhar mais) deve dar alguma coisa a quem trabalha pouco (e portanto, ganha pouco).

Em 2º lugar, não é "quem é pobre que se amanhe". É "quem é pobre, se quer deixar de o ser, que trabalhe mais e/ou melhor". É extremamente simples e qualquer pessoa consegue perceber isto: é preciso trabalhar bem para se viver bem. As coisas não aparecem porque se acha que tem direito.

Em 3º lugar, há uma coisa, que apesar de simples, as pessoas têm que meter na cabeça e aceitar: a população é desigual e a sociedade é desigual: há pessoas que trabalham muito, há pessoas que trabalham pouco e há ainda pessoas que não trabalham rigorosamente nada, são parasitas e não dão contributo algum à sociedade e, portanto, é ridiculo achar que devem todos ter as mesmas regalias e/ou direitos que quem trabalha (quer dizer, é natural que os falhados as queiram ter, mas acaba por ser irrelevante).

(a parte da religião... whatever)

Em 4º lugar, "como socialista" bom, aí dizes tudo. Não é por acaso que este caos em que o país está é fruto directo de múltiplos governos socialistas... apoiados por "ervas daninhas", que acharam que era boa ideia brincar com coisas sérias.

Não resisti a escrever isto porque hoje foi um dia particularmente desagradável do ponto de vista político-económico:
Li na 1ª página do jornal Público que os meus pais, que sempre trabalharam com a maior dedicação que podiam, vão pagar praticamente metade do que ganham em IRS, que a somar a outras taxas, resulta em cerca de 55% do ordenado; ouvi um "professor" (prefiro só chamar-lhe besta) meu a queixar-se muito que pagava impostos "para os alunos do Técnico andarem a faltar às aulas e a não estudarem". Bom, se os impostos fossem todos para pagar pelos alunos universitários, muito bem estaria o país. É claro que na cabeça deste mentecapto é preferivel andar a pagar RSI's à escumalha inútil que não faz mais do que vandalizar, roubar, prejudicar quem trabalha e não fazer um chavo da vida.

É por estas e por outras, que só espero por acabar o curso, pirar-me daqui para fora e dizer "não se preocupem, vai correr tudo bem!" (o que infelizmente acaba por ser verdade para os parasitas da sociedade que não fazem nada da vida, pois concerteza vão continuar a receber dinheiro por não trabalharem absolutamente nada, retirado a quem de facto faz algo de proveitoso).
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: TheEchoOfNight em 13.out.2012, 02:07:01
Quase dá pena ler um post destes, explica muito bem porque é que o país é apenas pobre e repleto de falhados. Mas como ainda nem tenho sono, vou por partes:

Em 1º lugar, ervas daninhas na sociedade são pessoas que acham que quem trabalhou mais (para ganhar mais) deve dar alguma coisa a quem trabalha pouco (e portanto, ganha pouco).

Em 2º lugar, não é "quem é pobre que se amanhe". É "quem é pobre, se quer deixar de o ser, que trabalhe mais e/ou melhor". É extremamente simples e qualquer pessoa consegue perceber isto: é preciso trabalhar bem para se viver bem. As coisas não aparecem porque se acha que tem direito.

Em 3º lugar, há uma coisa, que apesar de simples, as pessoas têm que meter na cabeça e aceitar: a população é desigual e a sociedade é desigual: há pessoas que trabalham muito, há pessoas que trabalham pouco e há ainda pessoas que não trabalham rigorosamente nada, são parasitas e não dão contributo algum à sociedade e, portanto, é ridiculo achar que devem todos ter as mesmas regalias e/ou direitos que quem trabalha (quer dizer, é natural que os falhados as queiram ter, mas acaba por ser irrelevante).

(a parte da religião... whatever)

Em 4º lugar, "como socialista" bom, aí dizes tudo. Não é por acaso que este caos em que o país está é fruto directo de múltiplos governos socialistas... apoiados por "ervas daninhas", que acharam que era boa ideia brincar com coisas sérias.

Não resisti a escrever isto porque hoje foi um dia particularmente desagradável do ponto de vista político-económico:
Li na 1ª página do jornal Público que os meus pais, que sempre trabalharam com a maior dedicação que podiam, vão pagar praticamente metade do que ganham em IRS, que a somar a outras taxas, resulta em cerca de 55% do ordenado; ouvi um "professor" (prefiro só chamar-lhe besta) meu a queixar-se muito que pagava impostos "para os alunos do Técnico andarem a faltar às aulas e a não estudarem". Bom, se os impostos fossem todos para pagar pelos alunos universitários, muito bem estaria o país. É claro que na cabeça deste mentecapto é preferivel andar a pagar RSI's à escumalha inútil que não faz mais do que vandalizar, roubar, prejudicar quem trabalha e não fazer um chavo da vida.

É por estas e por outras, que só espero por acabar o curso, pirar-me daqui para fora e dizer "não se preocupem, vai correr tudo bem!" (o que infelizmente acaba por ser verdade para os parasitas da sociedade que não fazem nada da vida, pois concerteza vão continuar a receber dinheiro por não trabalharem absolutamente nada, retirado a quem de facto faz algo de proveitoso).

É a primeira vez que leio uma coisa da tua parte que, além de não ser fútil, tem algum interesse.
De resto, teria coisas a apontar, mas, ao contrário de ti, tenho vontade de me deitar.
Boas compras, entretanto.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Joker em 13.out.2012, 09:02:05
É a primeira vez que leio uma coisa da tua parte que, além de não ser fútil, tem algum interesse.
De resto, teria coisas a apontar, mas, ao contrário de ti, tenho vontade de me deitar.
Boas compras, entretanto.
É claro que vindo de alguém como tu, não esperaria nada melhor do que um comentário desse género, mesquinho e a transbordar de ideias pré-concebidas, mesmo sem fazeres a mais pálida ideia sobre o que sou ou o que faço.

E obrigado, sei que as vou fazer :)
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: TheEchoOfNight em 13.out.2012, 15:58:28
É a primeira vez que leio uma coisa da tua parte que, além de não ser fútil, tem algum interesse.
De resto, teria coisas a apontar, mas, ao contrário de ti, tenho vontade de me deitar.
Boas compras, entretanto.
É claro que vindo de alguém como tu, não esperaria nada melhor do que um comentário desse género, mesquinho e a transbordar de ideias pré-concebidas, mesmo sem fazeres a mais pálida ideia sobre o que sou ou o que faço.

E obrigado, sei que as vou fazer :)
Nada disse sobre a tua personalidade: dei a minha opinião sobre as coisas que escreves pelo fórum.
O preconceito não coexiste com o fundamento. A partir do momento em que leio, posso opinar com conhecimento de causa sobre o que por aqui se vai escrevendo. Não preciso de saber quem é o autor do comentário, ou o que faz; preciso tão-somente de ler, porque é disso que se trata.

Quase dá pena ler um post destes, explica muito bem porque é que o país é apenas pobre e repleto de falhados. Mas como ainda nem tenho sono, vou por partes:

Em 1º lugar, ervas daninhas na sociedade são pessoas que acham que quem trabalhou mais (para ganhar mais) deve dar alguma coisa a quem trabalha pouco (e portanto, ganha pouco).

Em 2º lugar, não é "quem é pobre que se amanhe". É "quem é pobre, se quer deixar de o ser, que trabalhe mais e/ou melhor". É extremamente simples e qualquer pessoa consegue perceber isto: é preciso trabalhar bem para se viver bem. As coisas não aparecem porque se acha que tem direito.

Em 3º lugar, há uma coisa, que apesar de simples, as pessoas têm que meter na cabeça e aceitar: a população é desigual e a sociedade é desigual: há pessoas que trabalham muito, há pessoas que trabalham pouco e há ainda pessoas que não trabalham rigorosamente nada, são parasitas e não dão contributo algum à sociedade e, portanto, é ridiculo achar que devem todos ter as mesmas regalias e/ou direitos que quem trabalha (quer dizer, é natural que os falhados as queiram ter, mas acaba por ser irrelevante).

(a parte da religião... whatever)

Em 4º lugar, "como socialista" bom, aí dizes tudo. Não é por acaso que este caos em que o país está é fruto directo de múltiplos governos socialistas... apoiados por "ervas daninhas", que acharam que era boa ideia brincar com coisas sérias.

Não resisti a escrever isto porque hoje foi um dia particularmente desagradável do ponto de vista político-económico:
Li na 1ª página do jornal Público que os meus pais, que sempre trabalharam com a maior dedicação que podiam, vão pagar praticamente metade do que ganham em IRS, que a somar a outras taxas, resulta em cerca de 55% do ordenado; ouvi um "professor" (prefiro só chamar-lhe besta) meu a queixar-se muito que pagava impostos "para os alunos do Técnico andarem a faltar às aulas e a não estudarem". Bom, se os impostos fossem todos para pagar pelos alunos universitários, muito bem estaria o país. É claro que na cabeça deste mentecapto é preferivel andar a pagar RSI's à escumalha inútil que não faz mais do que vandalizar, roubar, prejudicar quem trabalha e não fazer um chavo da vida.

É por estas e por outras, que só espero por acabar o curso, pirar-me daqui para fora e dizer "não se preocupem, vai correr tudo bem!" (o que infelizmente acaba por ser verdade para os parasitas da sociedade que não fazem nada da vida, pois concerteza vão continuar a receber dinheiro por não trabalharem absolutamente nada, retirado a quem de facto faz algo de proveitoso).
Terminada a emissão da telenovela, vou fazer só um reparo ao que realmente interessa: esse teu princípio de que todo o pobre é um vadio e todo o rico subiu a pulso é absolutamente implausível. Falas como se a sociedade se regesse por uma meritocracia, e não houvesse uma miríade de indivíduos que ascendem por tráfico de influências, evasão fiscal e o diabo a quatro; do mesmo modo que falas como se não houvesse o outro lado, o lado de todos aqueles que se fartam de trabalhar para ganhar uma porcaria de uns 500 euros. E é só isto que me faz espécie na resposta que deste ao JM. De resto, acho que tens toda a razão quando dizes que o trabalhador não devia andar a pagar mais impostos que o vagabundo. O curioso da coisa, infelizmente, é que, não raro, o vagabundo é o rico e o trabalhador é o pobre. E estes ricos conseguem ser tão ou mais parasitas que os sem-tostão vadios e subsidiodependentes.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: absolut_ em 15.out.2012, 10:43:18
Terminada a emissão da telenovela, vou fazer só um reparo ao que realmente interessa: esse teu princípio de que todo o pobre é um vadio e todo o rico subiu a pulso é absolutamente implausível. (...) De resto, acho que tens toda a razão quando dizes que o trabalhador não devia andar a pagar mais impostos que o vagabundo. O curioso da coisa, infelizmente, é que, não raro, o vagabundo é o rico e o trabalhador é o pobre. E estes ricos conseguem ser tão ou mais parasitas que os sem-tostão vadios e subsidiodependentes.

Ora nem mais!

E ideia mais pré-concebida que esta,

Em 2º lugar, não é "quem é pobre que se amanhe". É "quem é pobre, se quer deixar de o ser, que trabalhe mais e/ou melhor". É extremamente simples e qualquer pessoa consegue perceber isto: é preciso trabalhar bem para se viver bem. As coisas não aparecem porque se acha que tem direito.

Em 3º lugar, há uma coisa, que apesar de simples, as pessoas têm que meter na cabeça e aceitar: a população é desigual e a sociedade é desigual: há pessoas que trabalham muito, há pessoas que trabalham pouco e há ainda pessoas que não trabalham rigorosamente nada, são parasitas e não dão contributo algum à sociedade e, portanto, é ridiculo achar que devem todos ter as mesmas regalias e/ou direitos que quem trabalha (quer dizer, é natural que os falhados as queiram ter, mas acaba por ser irrelevante).

é impossivel!

Se houvesse pré-disposição da tua parte em questionar e aprender alguma coisa, poderia ser uma conversa interessante.
Mas sendo o modo ingénuo e acusatório com que te mostras, da minha parte desejo-te uma boa viagem!
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Joker em 15.out.2012, 19:32:07
E ideia mais pré-concebida que esta,

Em 2º lugar, não é "quem é pobre que se amanhe". É "quem é pobre, se quer deixar de o ser, que trabalhe mais e/ou melhor". É extremamente simples e qualquer pessoa consegue perceber isto: é preciso trabalhar bem para se viver bem. As coisas não aparecem porque se acha que tem direito.

Em 3º lugar, há uma coisa, que apesar de simples, as pessoas têm que meter na cabeça e aceitar: a população é desigual e a sociedade é desigual: há pessoas que trabalham muito, há pessoas que trabalham pouco e há ainda pessoas que não trabalham rigorosamente nada, são parasitas e não dão contributo algum à sociedade e, portanto, é ridiculo achar que devem todos ter as mesmas regalias e/ou direitos que quem trabalha (quer dizer, é natural que os falhados as queiram ter, mas acaba por ser irrelevante).

é impossivel!

Se houvesse pré-disposição da tua parte em questionar e aprender alguma coisa, poderia ser uma conversa interessante.
Mas sendo o modo ingénuo e acusatório com que te mostras, da minha parte desejo-te uma boa viagem!
queres desenvolver, em vez de disparares a tua frustração por onde calha?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: absolut_ em 16.out.2012, 16:46:41
E ideia mais pré-concebida que esta,

Em 2º lugar, não é "quem é pobre que se amanhe". É "quem é pobre, se quer deixar de o ser, que trabalhe mais e/ou melhor". É extremamente simples e qualquer pessoa consegue perceber isto: é preciso trabalhar bem para se viver bem. As coisas não aparecem porque se acha que tem direito.

Em 3º lugar, há uma coisa, que apesar de simples, as pessoas têm que meter na cabeça e aceitar: a população é desigual e a sociedade é desigual: há pessoas que trabalham muito, há pessoas que trabalham pouco e há ainda pessoas que não trabalham rigorosamente nada, são parasitas e não dão contributo algum à sociedade e, portanto, é ridiculo achar que devem todos ter as mesmas regalias e/ou direitos que quem trabalha (quer dizer, é natural que os falhados as queiram ter, mas acaba por ser irrelevante).


é impossivel!

Se houvesse pré-disposição da tua parte em questionar e aprender alguma coisa, poderia ser uma conversa interessante.
Mas sendo o modo ingénuo e acusatório com que te mostras, da minha parte desejo-te uma boa viagem!

queres desenvolver, em vez de disparares a tua frustração por onde calha?


Terei todo o gosto a pôr-te a par de alguma, espero contudo, que faças depois a tua parte de procurar alguma coisa e de ter alguma critica construtiva!

Por exemplo,

"Segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE), a taxa de desemprego entre os jovens subiu em Portugal para 23,4% no terceiro trimestre do ano, o que se traduz em 99 mil cidadãos com menos de 25 anos sem trabalho."

Fonte:
http://economico.sapo.pt/noticias/desemprego-nos-jovens-em-portugal-atinge-os-23_104571.html (http://economico.sapo.pt/noticias/desemprego-nos-jovens-em-portugal-atinge-os-23_104571.html)

Agora tem em conta que são os que estão inscritos.

Vamos agora chamar a esta gente "cambada de preguiçosos", até porque esta gente, ninguém quer trabalhar! É tão bom sentir que na melhor das hipóteses, dependemos sejam dos pais (porque para eles a situação é melhor!), seja dos subsídios, ou de onde for. Eu adoro ver os meus pais, que trabalharam toda a vida e descontaram com promessas de saúde e reformas, em que agora mais que nunca tem dificuldades de pagar comida e necessidades básicas! Bem lhes digo para trabalharem mais! Que se reformem mais tarde! E que não adoeçam, não vá haver essa despesa..

Isto dando um muito pequeno exemplo e fácil de compreensão, oxalá o entendas! Acredito que quem já nasceu de vendas nos olhos e de boca cheia, seja difícil de ver de onde vem a comida! Mas tal como eu, estão mais pessoas, que sabemos que é possível melhor tanto para mim, como para o meu vizinho e por isso saímos à rua e lutamos contra essa ideia burra e idiota que o mundo é assim, uns são mais que outros.

E não estou frustrada, só tenho pena que defendas com tanta garra uma ideia tão egoísta.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Joker em 16.out.2012, 22:09:39
Eu percebo o teu ponto de vista, até mais do que pensas provavelmente. Sempre convivi com dificuldades à minha volta, quer através de amigos ou vizinhos (felizmente nunca na primeira pessoa, e ao contrário do que pensas, dou muito valor a isso).

Mas quanto a esses dados estatísticos que referes, que percentagem desses jovens não são de cursos (que nem se deviam chamar cursos) de meia tigela, que já sabiam à partida que não iam ter emprego? Não é que tenhamos que ser todos médicos e engenheiros, mas sinceramente hoje em dia ir para cursos como por exemplo: Arquitectura, Psicologia, Educação de Infância, Fisioterapia, Enfermagem, é quase estar a pedir das duas uma: ou um passaporte para ir trabalhar para o estrangeiro (que eu apoio fortemente e também pretendo fazer: Portugal está acabado, não há aqui nada para a nossa geração, muito menos boas oportunidades de carreira/sucesso) ou um passaporte para o centro de emprego mais próximo... É que é muito giro isso de 'seguir o que se gosta', muitas vezes disfarçado de 'seguir o que parece mais fácil', mas há que pensar um bocadinho mais longe... As pessoas têm que parar de quererem ter as hipóteses de escolha conforme aquilo que escolhem, e passarem a escolher aquilo que as hipóteses lhes dão, isto é: não é "eu quero ter emprego porque quero tirar o curso X" mas sim "eu quero tirar o curso Y porque quero ter emprego", há que ser racional! E falo no meu caso, divertia-me muito mais num curso de Marketing ou de Gestão, sou absolutamente fanático por essas áreas, mas em vez disso fui para uma Engenharia, que me pareceu ser uma melhor rampa de lançamento...

PS: e é preciso ver mais do que "é licenciado"... é preciso perguntar "mas é licenciado EM QUÊ?" porque é uma dura realidade que as pessoas até conseguem ver, mas recusam-se a aceitar e compreender: as pessoas não são todas iguais!

PS2: quanto à tua situação, naturalmente que a lamento, mas os tempos estão dificeis para todos, e isto te posso garantir: quem ganha mais, está a pagar muito mais! É que apetece dizer ao ministro das Finanças "ai a dívida externa, dividindo por todos, dá 17000€ a cada? então tome lá a minha parte da dívida e para mim isto fica resolvido". Pois, era bom, mas há muito boa gente que vai pagar muito mais que isso.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: absolut_ em 17.out.2012, 11:30:08
Fico contente por começarmos de outra forma mais calma!

Eu percebo o teu ponto de vista, até mais do que pensas provavelmente. Sempre convivi com dificuldades à minha volta, quer através de amigos ou vizinhos (felizmente nunca na primeira pessoa, e ao contrário do que pensas, dou muito valor a isso).

E das valor de que forma? Dizendo que essas não merecem tanto como tu?


Mas quanto a esses dados estatísticos que referes, que percentagem desses jovens não são de cursos (que nem se deviam chamar cursos) de meia tigela, que já sabiam à partida que não iam ter emprego? Não é que tenhamos que ser todos médicos e engenheiros (...)

Nem te fies tanto que é seguro.

É que é muito giro isso de 'seguir o que se gosta', muitas vezes disfarçado de 'seguir o que parece mais fácil', mas há que pensar um bocadinho mais longe... As pessoas têm que parar de quererem ter as hipóteses de escolha conforme aquilo que escolhem, e passarem a escolher aquilo que as hipóteses lhes dão, isto é: não é "eu quero ter emprego porque quero tirar o curso X" mas sim "eu quero tirar o curso Y porque quero ter emprego", há que ser racional!

De todo o teu texto, esta é a parte que eu mais discordo! Mas entendo razão porque a disseste.
Eu pessoalmente recuso-me a viver em função do dinheiro. (e certamente vais-me perguntar "do que estas à espera então?") Mas trabalho não é uma coisa que me assuste, gosto de trabalhar. Inclusive tenho vários dias que trabalho mais de 10 horas, e fins-de-semana! E se converte-se o meu trabalho em dinheiro, garanto-te que o que ganho não paga 1/3 do meu trabalho! Em contrapartida, não me falta nada, tenho onde dormir, e gosto de ir trabalhar todos os dias (até porque não o encaro como trabalho=esforço contrariada) e prefiro viver todos os dias a fazer algo que goste e quero. A ter um trabalho pelo qual eu não gosto, mas que tenho que fazer esse esforço diariamente porque o capitalismo assim o diz e ainda me criou o desejo de ter um iphone5 que terá uma duração máxima de 2 anos (já nem contando com a obsolescência programa do próprio objecto, mas sim, porque fica desactualizado!)
E chateia-me essa manipulação do capitalismo sobre as pessoas.
Tu dirias-me agora, "mas se elas querem viver assim, tem que se submeter!" Pois, não pela simples razão de que é insustentável. É impossível a nível ambiental, humano, etc manter esse desejo de consumo que o capitalismo nos ensina.
É difícil sentir tão fortemente essa impossibilidade, porque vivemos aqui na Europa, mas se vivêssemos num outro país onde diariamente viria parar todo o lixo dos países mais consumistas e nós tivéssemos que lutar diariamente para comer seja o que for, ou beber água! Era outra história..
E a esses consideramos nós, países e pessoas de terceira categoria, que são menos que nós que não querem trabalhar.. não.
E mudando de assunto porque este dava para outra discussão!

Resumindo que o capitalismo é mau, manipulador, ilusório, que nos põe uns contra os outros, que nos mata? Sem dúvida.


(...) mas há que pensar um bocadinho mais longe...

Não é isto pensar um bocadinho mais longe? Ou pensar mais longe é "faz-te à vida, dentro do que te damos (nós o sistema), escolhe."
É uma falsa escolha, não estás a escolher o que queres, escolhes o que o sistema precisa.

Quanto ao resto que dizes, são problemas do capitalismo..

PS: "As pessoas não são todas iguais!" Hã? Qual a tua categoria? E dá as graças por teres nascido cá. Que se os teus pais tivessem emigrado para outro país antes de nasceres, e esse país entrasse em guerra e tivesses tu menos condições! Já não serias da mesma.. talvez de C para baixo? Aí haverias tu de me dizer que não mereces tanto comer, nem afecto, como eu.

PS2: Em momento nenhum quis compaixão! (não te estou a atacar!)
Viesse quem fosse ter a lata de me pedir a mim 17000 euros! Não pago. Que a paguem eles. Que foram os capitalistas da treta que a fizeram, e ainda nos obrigam a paga-la. Haviamos todos de recusar a paga-la!
Haviamos todos de ir atrás dos que a fizeram.
O povo não devia ser escravo deste sistema podre.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: the end em 28.fev.2013, 04:15:36
Vivemos uma fase diferente do que chama-mos capitalismo, hoje temos o capitalismo de casino, veja-se o exemplo do sistema bancário mundial.
Este sistema não tem apenas aspectos negativos, pois, vivemos numa época de progresso tudo possível devido ao sistema capitalista. Contudo, este sistema deveria ser reformado pois já não vai de encontro às necessidades da população mundial
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Diotima em 16.mar.2013, 22:13:01
Marx previa que o capitalismo ia implodir devido a várias contradições internas do sistema capitalista. Questiono-me se não estamos a assistir a essa implosão...
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Endovélico em 17.mar.2013, 20:51:01
Marx previa que o capitalismo ia implodir devido a várias contradições internas do sistema capitalista. Questiono-me se não estamos a assistir a essa implosão...

Creio que sim. Aprendi que o capitalismo está desenhado para ter ciclos positivos e negativos. Suponho que estejamos num ciclo negativo.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Tex em 28.mar.2013, 15:12:20
Marx previa que o capitalismo ia implodir devido a várias contradições internas do sistema capitalista. Questiono-me se não estamos a assistir a essa implosão...

Creio que sim. Aprendi que o capitalismo está desenhado para ter ciclos positivos e negativos. Suponho que estejamos num ciclo negativo.

Sem qualquer dúvida.
O sistema capitalista acaba por estar programado para ter estas crises (e o ciclo das mesmas são quase sempre o mesmo). Isto, pelo menos a mim, e sem ter lido todo e qualquer comentário feito neste tópico, levanta duas questões, ou uma questão combinada,: são estas crises capazes de acabar com o sistema capitalista?; é o sistema capitalista capaz de conseguir recuperar desde ciclos viciosos, mantendo as suas características?

Quais são as vossas opiniões?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: strings em 28.mar.2013, 20:03:08
O capitalismo não está programado para ter crises. O que está programado para ter crises é o sistema de moeda fiduciária.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Diotima em 29.mar.2013, 20:43:16
Bem, em primeiro o capitalismo não está programado... E depois acho que se confia demasiado na lei da oferta e da procura. Por exemplo, o mercado de emprego também é "regulado" pela lei da oferta e da procura. Só que quando a oferta de emprego é pouca tens pessoas que passam mal. Não são produtos, não são números, são pessoas. É o que Marx chamou de exército de desempregados. Por outro lado tens o mercado da energia. Nos anos 70 houve uma crise petrolífera e o gasoleo/gasolina tiveram de ser racionados. Actualmente tens preços altíssimos dos combustíveis. Ora, a economia assenta nos combustíveis! Transporte de produtos, agricultura, pescas, todos sofrem! Tens ainda as grandes empresas como a sonae ou o pingo doce que têm preços baixos as custas dos produtores! Marx também previa que as pequenas empresas iam ser "engolidas" pelas grandes e que os pequenos empresários iam mais tarde ou mais cedo trabalhar por conta doutrém. Mas não há emprego! Não te parece que todas estas questões são falhas do capitalismo que conduzem a crises neste sistema?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: strings em 30.mar.2013, 19:58:42
Bem, em primeiro o capitalismo não está programado... E depois acho que se confia demasiado na lei da oferta e da procura. Por exemplo, o mercado de emprego também é "regulado" pela lei da oferta e da procura. Só que quando a oferta de emprego é pouca tens pessoas que passam mal. Não são produtos, não são números, são pessoas. É o que Marx chamou de exército de desempregados. Por outro lado tens o mercado da energia. Nos anos 70 houve uma crise petrolífera e o gasoleo/gasolina tiveram de ser racionados. Actualmente tens preços altíssimos dos combustíveis. Ora, a economia assenta nos combustíveis! Transporte de produtos, agricultura, pescas, todos sofrem! Tens ainda as grandes empresas como a sonae ou o pingo doce que têm preços baixos as custas dos produtores! Marx também previa que as pequenas empresas iam ser "engolidas" pelas grandes e que os pequenos empresários iam mais tarde ou mais cedo trabalhar por conta doutrém. Mas não há emprego! Não te parece que todas estas questões são falhas do capitalismo que conduzem a crises neste sistema?

São falhas do sistema económico que nós temos, e que foi o Marx que baptizou de capitalismo. Não são falhas inerentes do sistema de livre mercado, que não tem nada a ver com a captura de regulação ou os bancos centrais.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Diotima em 30.mar.2013, 21:11:48
Podes-me explicar a diferença? Isto é, queres dizer que se o mercado fosse inteiramente livre e não houvesse qualquer tipo de regulamentação essas falhas não existiriam?
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: strings em 31.mar.2013, 03:07:20
Podes-me explicar a diferença? Isto é, queres dizer que se o mercado fosse inteiramente livre e não houvesse qualquer tipo de regulamentação essas falhas não existiriam?

Demoraria algum tempo a explicar em pormenor, mas basicamente o ciclo de 'ups and downs' do nosso sistema económico depende de um sistema monetário, inerentemente fraudulento, cuja coordenação entre poupanças e investimentos é arbitrária, por ser definida por bancos centrais cujos cálculos e estimativas se pretendem basear em informação tácita, descentralizada e em perpétua mudança. Estas políticas levam, durante os tempos de bonança económica, ao investimento excessivo nos sectores da economia mais dependentes do valor das taxas de juro, por funcionarem a longo prazo (tal como a construção civil), iludido por uma taxa de juro que não reflecte o real valor das poupanças disponíveis para esse investimento. Após rebentar a bolha é necessário um doloroso processo de reestruturação da  economia, que passa pelo desemprego, à medida que os sectores inflaccionados são forçosamente delapidados. Isto, claro, quando se deixa que o processo de correção ocorra, daí todos conhecerem a depressão que se seguiu ao crash de 1929, mas não a que se seguiu ao crash de 1921.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: Diotima em 31.mar.2013, 18:52:46
Bem eu até concordo com o que dizes (como poderia não concordar?) mas acho que o problema ou as falhas do capitalismo são multifactoriais. Por outro lado o capitalismo puro em que tudo corre bem só existe nos livros pois na vida real é bem diferente. Desde logo porque o depende do contexto onde está inserido e é influenciado por esse contexto. Contextos diferentes, problemas diferentes . Não há em nenhum lado o sistema capitalista puro e perfeito, é uma impossibilidade.
Título: Re: Capitalismo
Enviado por: sleepy_heart em 25.out.2019, 16:34:28
A concorrência desleal não começa na placenta, nem no dia do nascimento, nem aos 18 anos. A concorrência desleal começa quando dois indivíduos, acidentalmente ou programadamente, têm a possibilidade de colocar um ser humano no mundo: más decisões são aos milhões. O mundo que os recebe e quem o gere sabe que os mercados funcionam entre a oferta e a procura e nenhum economista ou político deseja o equilíbrio: a média é desejada por quem está abaixo e não acima dela... e a pobreza é o que sustenta a riqueza - e vice-versa - e não o equilíbrio entre os dois fossos.