Fórum da rede ex aequo

Assuntos Gerais => Geral => Tópico iniciado por: bluejazz em 24.fev.2004, 18:20:39

Título: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 24.fev.2004, 18:20:39
Olá,

Esta questão já foi abordada especialmente nos tópicos que falam das marchas do orgulho e muitos argumentos já expostos. Mesmo que possa haver repetição, eis um tópico só sobre o assunto, que introduzo, a partir de um texto (cheio de ironia e sarcasmo) a partir do qual penso que tem interesse reflectir:

24.2.04  
Carnaval mesmo.

http://valedealmeida.blogspot.com/carn.JPG
(Mulher hetero no desfile de carnaval: para quê tanto "orgulho"?)

Encontrei esta peça de heterofobia nojenta no editorial do "Gay Times", publicado em Rainbow City, capital da República de El Gêbêtê:

«Não tenho nada contra os heterossexuais. Acho mesmo que cada qual faz o que bem entende na privacidade das suas casas. E até simpatizo com algumas das reivindicações do movimento hetero, no sentido de combater preconceitos antigos. Mas será mesmo necessário todo aquele exibicionismo nos seus desfiles carnavalescos? Chega o Carnaval e ei-los apostados no frenesi de exibir ostensivamente ancas e protuberâncias mamárias, músculos e pelagens peitorais; elas mostrando quanto podem atiçar o desejo deles e eles insultando a sociedade gay travestindo-se. Não me parece que consigam grande simpatia comportando-se desta maneira. Assim, apenas chocam. E quem choca, afasta as pessoas normais (...)».

Podem enviar protestos para: gaytimes@lgbtnet.lg

posted by mva | 16:41| COMENTE (1)


http://valedealmeida.blogspot.com/
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: HLuso em 24.fev.2004, 20:03:30
Muitos Historiadores relacionam o começo das festas carnavalescas com os cultos feitos pelos antigos para louvar uma boa colheita agrária, já outros historiadores dizem que seu início teria acontecido mais tarde, no Egito, com danças, festas e pessoas mascaradas...

A origem do Carnaval  talvez possa ser ligada aos cultos agrários, às festas egípcias e, mais tarde ao culto a Dionísio, ritual que acontecia na Grécia, entre os anos 605 e 527 a.C.

O que é certo é que a dança, os festejos, os cânticos e a celebração, sempre estiveram presentes na vida e na evolução dos homens e das sociedades.

Assim como a origem do carnaval, as raízes do termo também têm se constituído em objeto de discussão. Para uns, o vocábulo advém da expressão latina "carrum novalis" (carro naval), uma espécie de carro alegórico em forma de barco, com o qual os romanos inauguravam suas comemorações.

Para outros, a palavra seria derivada da expressão do latim "carnem levare", modificada depois para "carne, vale !" (adeus, carne!), palavra originada entre os séculos XI e XII que designava a quarta-feira de cinzas e anunciava a supressão da carne devido à Quaresma....

Face a isso tudo, e se é no Carnaval que a minoria Hetero vem para a rua festejar e também reivindicar preconceitos antigos (segundo a peça do editorial do "Gay Times", publicado em Rainbow City, capital da República de El Gêbêtê)..Fica uma enorme duvida...quando é que a Sociedade Gay Dominante Preconceituosa, Heterofobica, Descriminante vai para a rua festejar o "carne, vale !" (adeus, carne!) ou o "carrum novalis"....?????...




Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Aluap em 26.fev.2004, 13:22:22
bluejazz,

queria só fazer uma pergunta, uma vez que não fui vizitar o blog de onde transcreveste este excerto  :-[

Esse comentário do Gay Times era mesmo um comentário "heterossexista nojento" , ou era apenas um texto carregado de ironia?

Só pergunto isto, porque lendo esse excerto não me parece mais do que algo idêntico ao que muitas vezes se pode ler acerca dos desfiles, ou melhor ainda, marchas de "orgulho" gay...



 :-*

[size=0]perdoa a minha "preguicite"   [/size]
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 26.fev.2004, 13:56:14
Aluap, exacto é uma ironia, como te pareceu.

O discurso é idêntico, não é?... ;)
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Aluap em 28.fev.2004, 16:19:09
 :-[  :blush :-[ não tinha reparado que era precisamente sobre a ironia do texto que falavas na introdução que fizeste   :-[  :blush :-[

E sai um "duuuuuuuhhhhhhhhh" para mim! lol




Será que nem desta forma as pessoas se apercebem o quão ridículas são muitas vezes nos seus raciocínios?

Este texto assim é heterofóbico (confesso que nunca tinha escrito esta palavra - [size=0]sim, porque no post anterior enganei-me e escrevi heterossexista...[/size]lol), mas deve haver muito "boa gente" para quem bastava uma ligeira alteração da palavra heterossexual para homossexual, e o texto passava a ser absoluto e cheio de verdade...


Mas estranho estranho, seria se todos estivéssemos de acordo  :-\
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cactus_cute em 28.fev.2004, 23:41:50
é muitas vezes pelo exagero q se fazem ver os pontos de vista... :) o texto esta inteligente nesse aspecto.
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 01.mar.2004, 12:14:13
Sobre orgulho, exibicionismo e "pridefobia"  ;D vejam a discussão, em curso, no Forum do Porto sobre o Porto Pride 2004...


http://www.ex-aequo.web.pt/forum/index.php?board=26;action=display;threadid=1493;start=15#lastPost (http://www.ex-aequo.web.pt/forum/index.php?board=26;action=display;threadid=1493;start=15#lastPost)

Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: HLuso em 01.mar.2004, 19:23:14
OK..publiquei agora tês mensagens muito sentidas sobre  a minha opinião acerca deste assunto...gostava que lessem e comentassemmm..

Luso
Título: Re:Opinião sobre o âmbito das Prides...
Enviado por: HLuso em 01.mar.2004, 19:42:36
Não resisto em dar a minha opinião sobre este assunto....

Eu sou a favor das manifestações pela reivindicação de direitos e obrigações para o cidadão homossexual...sem duvida que sou a favor disso, e até acho essenciais...

Acontece que este Modelo de Pride, completamente Americanizado, aliás pelo que sei da história, e emendem-me se estiver errado, nasce precisamente nos EUA, após aqueles conflitos de Stonewall, etc etc...

Eu acho que uma manifestação é algo muito sério..quando as pessoas se estão a manifestar, a reivindicar alguma coisa, é porque de alguma forma estão a ser injustiçados, prejudicados e maltratados...Daí que eu seja contra este tipo de pride/manif, pois o formato é de festa, com arraiais e tudo à mistura...Ou seja o âmbito é de diversão e de DESFILE...uma manifestação não é um desfile....

Eu sinceramente não tenho paciencia para andar a festejar nas ruas pelo facto de gay....a Questão do orgulho, na minha opinião é uma americanice...não tenho de ter ou deixar de ter orgulho por ser gay..sou e pronto!!!Ninguem anda a fazer manifestações de orgulho por ser heterossexual!!!!!

O meu espirito para ir a uma manifestação é de raiva, de indignação, de revolta...afinal estou a ser maltratado por uma sociedade que me exclui e me priva de direitos e obrigações identicas a todos os demais...era essa a postura que eu acho credivel e coerente numa manifestação,isto pela minha condição de homossexual nesta sociedade civil...Jamais tenho espirito e disposição para ir para uma pride deste estilo, de festa, alegria etc etc..Tipo queima das fitas...para beber uns copos....!!!!!

O que não invalida que as comunidades gays tambem não organizem festividades, eventos etc etc e que convidem a restante população a participar nisso....mas no âmbito de uma manifestação a postura deveria ser de constrangimento....!!!!!


E deveria haver mais acções..o Dia Mundial do Homossexual, não sei se existe...já que somos uma minoria, porque não um dia de reflexão sobre a nossa natureza e actual condição social...onde se poderiam fazer campanhas de sensibilização, informação (genetica, religiosa, politica etc) distribuição de autocolantes etc etc...

Contudo acredito, e pelo que o forista PortugalGay disse, que também a a comunicação social é culpada por apenas transmitir o lado festivo das tais prides...Não sei...eu pelo que vejo em fotos, e pelo que me contam...ir a uma Pride é Super Divertido!!!!

Ora eu às manifestações que fui na vida, certamente não fui para me divertir...

É apenas uma opiniãooo...

Abraços
Título: Re:Tema para Uma manifestação...
Enviado por: HLuso em 01.mar.2004, 19:44:06
....Em relação ao Índice Tolerância (que se refere a questões como atitudes relativamente à emigração, ao divórcio, ao nacionalismo, aos direitos das mulheres, e aos homossexuais), Portugal surge em último lugar, a seguir aos Estados Unidos.

(...)

Eunice Goes, correspondente em Londres
 
08:51  17 Fevereiro 2004  

http://online.expresso.pt/interior/default.asp?id=24742782  

(publicado por bluejazz no tema "Noticias GLT..")


Isto  é que é um tema para uma MANIFESTAÇÂO...em vez de se andar a copiar Prides Americanas deviamo-nos manifestar por sermos o pais com este vergonhoso indice de tolerancia...Isto sim são temas concretos, sérios e bastantes tristessss!!!!

 
 
 
Título: Re:Sabem o que é Chocar a Sociedade???
Enviado por: HLuso em 01.mar.2004, 19:47:53
Já agora e para acabar...Vocês acham, e nos dias de hoje, que ao se mostrar uns quantos travestis e drag queens, está-se desta forma a chocar a sociedade????Vocês na realidade acreditam nisso??? A Sociedade está farta, e mais que familiarizada, com travestis, drag queens etc etc...pela televisão, cinema estão sempre a aparecer...até no carnaval qualquer vulgar hetero, solta a mulher que há em si....Vocês acham que isso realmente é chocante????

Bem, talvez lá nos EUA, isso seja chocante...No Arkansas, ou no Mississipi, ou naqueles Estados medievais, impregnados de seitas religiosas e de falsos moralismoss..Mas aqui em Portugal, vocês acham que isso choca e/ou sensibiliza alguem???


Por favor....

Sabem o que na realidade chocava?? Se se fizesse uma manifestação em que se mostrasse um grande cartaz a dizer que AINDA HA JOVENS EM PORTUGAL QUE SE SUICIDAM POR SER HOMOSSEXUAIS...e em cima dos carros, em vez de irem uns tantos mascarados de Fred Mercury e travestis aos saltos, se fizesse uma dramatização de um jovem gay, perdido, angustiado, desesperado que caminha para o suicidio...ISSO É CHOCANTE!!!!

Sabem o que é mais chocante também....Se se Mostrasse nessas Manifestações a DOR, O SOFRIMENTO, O TERROR..que muitos de nós vivem quando perdem as suas familias, que os excluem apenas pela sua ssexualidade....ISSO É CHOCANTE....

Querem mais temas para um manifestação séria e verdadeiramente chocante???!!!!!

desculpem o tom, mas é assim que penso....


abraços cordiaissss

deste Luso
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 01.mar.2004, 23:02:56
A idea é fixe...

Mas não percebei como vais representar de forma não estereotipada o "gay" em sofrimento... ainda por cima no meio de uma avenida durante uma marcha de protesto...
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 01.mar.2004, 23:06:33
Mas mudando um bocadinho a questão... como comentam esta notícia?

Responder
[url]http://www.portugalgay.pt/news/index.asp?uid=010304B[/url] ([url]http://www.portugalgay.pt/news/index.asp?uid=010304B[/url])

EUA: Vencedor do Oscar dedica prémio ao namorado
1 Mar 2004

O vencedor do Oscar de melhor curta-metragem de animação, o australiano Adam Elliott emocionou no seu discurso ao receber o prémio. O director do filme de animação de plasticina Harvey Krumpet, dedicou o Oscar à sua amiga Juliette e ao seu “belo namorado Dan”.

MixBrasil (Brasil)

Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: lagarto em 01.mar.2004, 23:44:44
o k ha pa comentar?  :) é normal qnd alguem ganha um oscar e o dedica aos seus amigos mais chegados  :)

Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 02.mar.2004, 09:32:02
Responder
normal

adj. 2 gén.,
conforme à norma ou à regra comum;
que serve de regra, de modelo;
exemplar;
habitual;
ordinário;

Segundo esta definição embora existam obviamente centenas de premiados até hoje com companheiros do mesmo sexo o facto de dedicaram o prémio abertamente às suas caras metades não tem nada de "normal".

Basta ver a celeuma que deu na última edição o Senhor dos Aneis com o actor que fazia o Mago Gandalf de mão dada ao seu namorado.

Ou seja: infelizmente ainda não é nada de "normal".  :P

Por outro lado tendo em conta as pessoas que falam de "exibicionismos" e "bichisses" gostavam de saber como classificavam este tipo de actuação...
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: graven em 02.mar.2004, 13:51:03
HLuso,


Acho que existe lugar e necessidade para ambas as coisas, o Pride e a Manifestação. Algures no tempo e nos espaço deste fórum já tinha dado a minha opinião em relação aos Prides. A meu ver, é necessária a participação de todas as vertentes da vivência homossexual, quer sejam sapatonas, bears, lesbian chics, bichas, corpos  danone, travestis, etc... a lista é interminável. (Atenção! Nunca, em alguma ocasião, uso este adjectivos com o objectivo de ferir os sentimentos de alguém. Muitas pessoas identificam-se com  eles por isso não vejo o mal em utilizá-los de uma forma desprovida de qualquer juízo de valor, se mesmo assim ofender alguém com a sua utilização reconheço o meu erro, peço desculpa e evito a sua utilização com aquela pessoa)
Intrinsecamente, não vejo mal na realização de um ajuntamento, em tons de festa, para celebrar com orgulho, a nossa identidade sexual. O problema reside na ultramediatização de apenas alguns e não do todo. Essa mediatização do todo é essencial para, primeiro, quebrar o esteriótipo, segundo, marcar a presença junto desse adolescentes que se vêm rodeados de símbolos marioritariamente heteressexuais.
Existem de facto datas que, a meu ver, são desprovidas de algum sentimento e servem apenas para fomentar a economia: Dia dos namorados, dia dos mãe e do pai, dia da criança... Mas repara no Dia da Mulher, por exemplo. Não tenho dúvidas que a Mulher conseguiu, à custa de muito soutien queimado do outro lado do Oceano, fazer valer os seus direitos numa sociedade patriarcal. Ou pelo menos em teória... no corpo político, por exemplo, ainda subsiste o sistema de quotas aplicado ao género feminino, o que é um pouco estranho tendo em conta que, para além de terem os mesmo direitos que os homens, são em maior número. Nesse sentido, se é essencial a celebração do dia da Mulher, mais essencial se torna ainda a celebração, em forma de Pride ou outra qualquer, da comunidade LGBT.

Concordo absolutamente contigo na realização dessa manifestação da forma como a enunciaste. É necessário alertar, na forma mais chocante e séria possível para a descriminação na sua forma mais extrema. Assim de repente. lembro-me do jovem homossexual a que pegaram fogo na França. Chocante? Sem dúvida! Hipócrita! Claro que sim... Se fosse um negro, caia logo o Carmo e a Trindade e com toda a razão, uma atitude como estas é completamenta bárbaro e inconcebível no século XXI, independentemente de quem fosse. But one wonders... afinal a discriminação tem diferença de grau?
Título: Re:Marcha PRETA pelo preconceito...
Enviado por: HLuso em 02.mar.2004, 14:13:39
Caro Portugalgay eu não sou encenador, sou apenas um engenheiro civil, mas tenho visto muito teatro, perfomances, exprimentalismos etc etc,,e existem muitas formas de se dramatizar, e de forma MARCANTE, o suicidio de um homossexual , sem se recorrer a estereotipos etc...mas isso era preciso um aconselhamento técnico especializado..existem excelentes encenadores contemporaneos, com ideias muito porreiras...

....No que diz respeito aos cartazes, às partes de texto... é imprescindivel que essa encenação seja acompanhada de cartazes, de paineis, mas feitos de forma explicita e muito VISIVEL..sei lá...de grandes frases que se registe logo..."ESTE JOVEM É PORTUGUES, E QUER SE SUICIDAR POR SER HOMOSSEXUAL"....Este tipo de coisas, bem forte, que a mensagem seja logo captada pela IMPRENSA e população em geral...e que passe para o mundo...

Pode-se organizar uma manifestação que meta os gays Portugueses na boca do MUndo....em vez de se fazer as actuais prides americanizadas, que apenas são mais umas, e que pouca expressão têm na comunicação social internacional,,,PORQUE não organizar algo que realmente marque a diferença....???


POr exemplo: NO AMBITO DE NÓS SERMOS O PAIS COM MENOR INDICE DE TOLERANCIA DO TODA A EUROPA PARA OS HOMOSSEXUAIS....que tal se Organizar uma MARCHA PRETA PELO PRECONCEITO????

Todos os gays e lesbicas nacionais, de todos os generos e feitios, v
Vestidos de Preto (fashion, chic, bears etc etc etc), todos os Travestis Vestidos de preto (podem arranjar uns modelos de preto)...todas as drag queen tambem vestidas de preto, os transexxuais  etc etc...

OU seja uma marcha preta pelo preconceito e pela intolerancia que se vive em Portugal, com divulgalção por toda a Comunicação Social Europeia e Mundial...é Preciso Marcar a Diferença, é preciso que Portugal sinta a sua comunidade Homossexual...

Como diz um amigo meu, Os Portugueses foram tão solidários com o massacre de Timor, porque não se solidarizam com o massacre de que todos os dias somos alvo????


Não imitem os prides americanos, É preciso Originalidade e resolver-mos a questão Nacional!!!!

abraçosss

doLuso
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cactus_cute em 02.mar.2004, 14:33:04
E deveria haver mais acções..o Dia Mundial do Homossexual, não sei se existe...já que somos uma minoria, porque não um dia de reflexão sobre a nossa natureza e actual condição social...onde se poderiam fazer campanhas de sensibilização, informação (genetica, religiosa, politica etc) distribuição de autocolantes etc etc...

de um modo geral concordo c o q dizes HLuso.. no entanto esta citaçao corresponde à unica coisa q acho descabida...
n é p ser uma minoria q se tem direito ou se faz uso de um dia internacional. para isso teriamos o dia mundial da homossexualidade, e n do homossexual... temos o dia mundial da SIDA, o "flagelo do século", e iriamos equiparar a homossexualidade a tal coisa...
ou entao comparariamos c o dia mundial da mulher (q eu como mulher o acho ofensivo, na verdade), apesar da mulher ser até uma maioria...

na verdade, a minha opiniao a cerca dos dias mundiais de, é reforçar a ideia q durante todo o ano, ninguem lhes liga (os "detentores" do dito dia) ou todos os menosprezam. n tem a ver c o elogio a uma minoria (mesmo q ela n o seja, como no caso das mulheres), mas sim c a desculpabilizaçao da sociedade perante as discriminaçoes q vao fazendo nos restantes dias do ano...
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 02.mar.2004, 16:26:21
Vamos lá por partes... em primeiro lugar é preciso perceber que a "Marcha Nacional do Orgulho LGBT" não é uma cópia dos prides americanos...

Pelo menos nas edições que estive presente tratou-se acima de tudo de uma marcha de protesto. E quem esteve lá percebe isso.

Quanto à representação do suicídio de jovens e outras acções adicionais... será que o suicidio de jovens gays é a nossa (LGBT em geral) prioridade? Para todos aqueles que tanto criticam os travestis na marcha, como verão os "gays-vítima"? Como se fazem "cartazes visíveis"? Como se transportam esses cartazes durante toda a marcha?

Em termos da marcha de 2004 as coisas vão ser muito diferentes de anos anteriores e como já temos alguma "massa crítica" de participantes e associações a marcha está planeada em 6 blocos diferentes cada um com o seu tema.

Um dos temas (e que está, em princípio, a cargo da rede ex aequo juntamente com outras associações/grupos) é precisamente a "Educação" e, indirectamente,  a juventude. Faz todo o sentido colocarem a questão do suicídio de gays jovens nessa secção.

Resumindo: este ano a marcha tem lugar para "performances" como a que apresentam e, por sinal, a rede ex aequo é co-responsável pela área onde essa "performance" se enquadra. Agora é só porem  mãos à obra.
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: graven em 02.mar.2004, 16:35:16

Cactus,

Para todo o efeito esse dia já existe, embora de uma forma não-oficial, 27 de Junho.

Responder
ou entao comparariamos c o dia mundial da mulher (q eu como mulher o acho ofensivo, na verdade)...

Ofensivo? Em que aspecto?
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 02.mar.2004, 16:50:53
Dia 28 de Junho...

Stonewall: O bar gay, Stonewall Inn, em Christopher Street, Greenwich Village, Nova Iorque, EUA, que sofreu rusgas da polícia no final dos anos 60. Na noite de 28 de Junho de 1969 os frequentadores do bar reagiram dando origem a uma onda de violência na zona que durou 5 dias. Esta revolta popular é considerada geralmente como o início do movimento do Gay Pride, embora já existissem grupos LGBT organizados anteriores a esta data.

in
http://www.portugalgay.pt/opiniao/dicionario.asp (http://www.portugalgay.pt/opiniao/dicionario.asp)

Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 02.mar.2004, 18:39:39
No seguinte link também há alguma informação sobre o 28 de Junho: :)

http://ex-aequo.web.pt/movimento.html
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: graven em 02.mar.2004, 19:29:40

Pronto... para ser mais preciso foi na madrugada de 28 de Junho. Não encontrei as horas exactas em que a SWAT entrou lá dentro. Uma busca na net indica ambos os dias :)
Título: Re:Desculpem lá mas...
Enviado por: HLuso em 02.mar.2004, 21:02:26
...o 28 ou 27 de Junho em NY, EUA, para mim como Homossexual PORTUGUES não me diz rigorosamente nada...Acho lamentavel que isso tenha acontecido, mas estou convicto, aliás como aconteceu, que as Comunidades Gays Norte Americanas tomaram elas proprias as suas providências...Dentro dos seus proprios contextos sociais, politcos etc..

Por acaso sou a favor da Globalização, mas não de uma globalização Americana...E como tal os Problemas dos Homossexuais Portugueses são diferentes dos Norte Americanos (e dentro deles ainda existem problemas distintos nos vários Estados)...O preconceito é sempre preconceito em todo o mundo, claro..Contudo ele traduz-se de formas diferentes, consoante os povos e as nações...

...Portanto quando falei na tal dramatização, encenação do Suicidio de um Jovem Portugues Homossexual...é no sentido que em Portugal, que por acaso é o pais que eu vivo (e não os EUA), isso AINDA acontece de forma mais frequente que possamos imaginar...Existe um grande atraso estrutural ao nivel das mentalidades neste pais, PORTUGAL, no que diz respeito à questão da Homossexualidade ( e não só claro)..daí que as Manifestações nacionais, devam incidir em temas e problemas nacionais, dando-se enfase ao nosso povo...Somos Gays Portugueses, a viver em Portugal e devemos falar dos problemas que nos afligem aqui na nossa terra...Ou preferem fazer uma manifestação a favor da descriminação homossexual no Botwana???? ??? ???

E depois eu não critico os travestis nas marchas, se o forista Portugalgay ler com atenção os meus textos, eu não critico a sua participação...critico é que o ambiente seja de festa, de desfile etc etc..aliás na minha sugestão de uma MARCHA PRETA pelo preconceito, até sugiro que os travestis e companhia vistam as suas melhores toilettes, mas pretas...!!!! 8) 8) 8)

Quanto a essa história do "Gay-Vitima"...sinto-me ofendido na minha inteligencia..claro que o tema do Suicidio, não é para que tenham penas de nós..alias como expliquei no respectivo texto..é para CHOCAR..o objectivo é chocar..e deixei isso bem claro...!!!!Para além de que ainda é um problema nacional..acredite!!!! >:(

Quanto ao formato descrito para a pride deste ano, acho sem duvida um avanço,muito bem!!! :D :D :D :D


Ao forista graven...Tens razão naquela citação que contra argumenta-te, no que diz respeito ao tal dia do Homossexual...de facto a palavra e o conceito de minoria, está totalmente errado naquele contexto.. :-[ :-[ :-[


Eu sou um pouco frontal, nas minhas opiniões, desculpem-me esse predicado meu...ok???Mas cono isto é um forum, onde também se debate...acho legitimo poder explicitar as minhas ideias, expondo de alguma forma a minha personalidade...

abraçosss

Luso
Título: Re:upsss..confusão
Enviado por: HLuso em 02.mar.2004, 21:05:44
Erro..não foi o forista graven mas sim a forista Cactus...desculpem a confusãooooo..... :P :P :P :P
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 02.mar.2004, 21:11:08
ok... sejamos tecnicamente correctos...

O dia normalmente utilizado como referência a nível mundial é o 28 de Junho.

No entanto os distúrbios começaram na noite de 27 para 28... aliás como se pode ver pela foto da placa existente no local...

(http://portugalgay.pt/stonewall.jpg)

Fica aqui a nota  ;D
Título: Re:Cartazes...
Enviado por: HLuso em 02.mar.2004, 21:14:39
Portugalgay..fazer cartazes bem visiveis é relativamente fácil...existe o metodo do pano branco bem comprido com letras pretas fortes....também se podem fazer cartazes em papel de rolo de projecto, impressos em plotter...etc.etc...passar frases choque, bem visiveis para a comunicação social parece-me o mais fácil..veja-se as manifestações da função publica, propinas etc....as frases até pode ser escritas em forma de letra por pessoa...tipo uma pessoa cada letra...sei lá existem montes de maneiras...e ainda a distribuição de papeis etc...veja-se as eleições partidárias...

Se for preciso abram uma conta para a organização da pride, para comprarem material, ou qualquer coisa do género....
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: graven em 02.mar.2004, 21:51:58


HLuso,

Tens toda a razão, para quê Importar? Desse ponto de vista, 27/28 de Junho ou outro dia qualquer é indiferente, no entanto, não acho que a razão seja por a festa seja Americana (ou de outro país qualquer) mas porque, na nossa história, não temos uma data semelhante que marque um virar de acontecimentos significativo.
Podemos fazer com que isso aconteça... só espero é que desta vez não involva SWATs e amiguinhos como aconteceu em Stonewall.

E daí........... um pelotão de homens forte e entroncados de uniforme tem muita piada. Com barba, de preferência. lol
Título: Re:"Poder Gay"
Enviado por: HLuso em 02.mar.2004, 22:30:12
Responder
não temos uma data semelhante que marque um virar de acontecimentos significativo.

graven, muitos  massacres anti gay, bem mais graves, têm sido praticados diariamente em todo o mundo, em muitos e vários paises..portanto deveriamos catalogar todas as datas e todos os dias, e organizar-mos diariamente uma pride ou outro evento qualquer....esse episódio, para mim, como homossexual, não me  transmite rigorosamente nada, para alem de natural afronta aos direitos humanos e pelo mediatismo que teve...foi uma data que marcou uma viragem de acontecimentos para os norte americanos e para todos aqueles se regem em função dos mesmos...é uma revolta gay sem duvida,na sequencia  da invasão do bar Stonewall,  mas à MODA americana...e que teve impacto naturalmente em todos os paises anglo saxonicos...a conquista do tal  "poder gay", mas  muito americanizado...

Na nossa sociedadezinha portuguesa penso que esse "poder gay" terá de arranjar uma maneira propria de se exprimir..pois não acho muito logico ir-mos de arrasto na Historia dos outros...

Imaginemos que num qualquer bar gay portugues, neste momento entrava uma brigada do ministério da defesa (não sei se o ministro é homofobico ou nao, isto é ficção), achas que haveria uma revolução como a de Stonewall???Acho que não precisavamos de uma data semelhante para haver uma viragem significativa em Portugal...não somos americanos, não é a mesma sociedade...

Mas contudo precisamos sem duvida de uma viragem significativa, de um "poder gay" portugues, mas que assente estruturalmente no nosso contexto...e podemos arranjar formas nossa, proprias, originais, nacionais, de lutarmos pelos nossos direitos, mas à moda portuguesa e não americana...

Não temos de precisar de uma data histórica, americana ou outra qualquer, para reivindicarmos de forma propria os problemas do nosso pais no que diz respeito a esta questão....

É apenas uma opinião...

Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 02.mar.2004, 22:48:38
Sabes HLuso, o 28 de Junho fez de facto muita diferença para muitos países do resto do mundo, especialmente países onde a opressão existia de modo semelhante ou pior...

Quer queiramos ou não, é uma data importante pela forma como este movimento organizado - que começou como espontâneo, uma revolta não programada - se alastrou a outros países (qualquer que tenha sido o método: cópia, partilha, adaptação, etc.).

Gostaria de deixar esta questão: em que país foi redigida a Carta dos Direitos Humanos? Por ter sido num local específico deixa de ser relevante para aqueles que apoiam e acreditam o mesmo noutras zonas geográficas? Deixa de ser relevante para, por exemplo, todo os países ocidentais (e os outros no resto do mundo)?

A homossexualidade vai para muito lá de uma nacionalidade, muito para lá, tal como o sexo de uma pessoa, entre outros exemplos.

Não vejo mal haver dias mundiais de algo, como há em muitas coisas, donde quer que tenha vindo a ideia, desde que pretendam comemorar algo importante ou chamar a atenção para uma luta e a reivindicação contra uma discriminação que não afecta só pessoas de uma nacionalidade, mas pessoas de todas as partes do mundo (uns menos, outros mais).

O dia 28 de Junho é o dial MUNDIAL do movimento civil LGBT na realidade, qualquer que tenha sido a sua origem (calhou ser esta data, pelo mediatismo, dinâmica e efeito que o evento teve). :)
Título: Re:Ok Bluejazz...
Enviado por: HLuso em 02.mar.2004, 23:24:02
Tudo bem Bluejazz...

Mas posso, eu pessoalmente nao reconhecer esse dia como tal...para mim não é significativo que porque nesse bar, em NY, tenham feito uma manifestação etc etc..eu agora tenha de o reconhecer como  o dial MUNDIAL do movimento civil LGBT, e andar a fazer pridezinhas à moda dos americanos..e jamais o aceitarei como tal... que  esse dia tenha conquistado essa importancia pela sua mediatização, para mim é-me completamente indiferente...

Para mim o Dia Mundial do Homossexual ainda está para vir...por exemplo para mim o maior dia, e gostava eu de estar vivo, será quando um Papa aceitar de uma vez por todas a Homossexualidade na sua plenitude....

"A homossexualidade vai para muito lá de uma nacionalidade, muito para lá, tal como o sexo de uma pessoa, entre outros exemplos"

Claro que sim, mas para já  cada nação deve fazer as suas conquistas proprias..os problemas Portugueses, no que diz respeito à homossexualidade, os reais, os do dia-a dia, são decididamente diferentes dos americanos.....o problema geral pode parecer o mesmo, mas as abordagens e os contornos são diferentes...é uma questão de sociedade...e devemos ir ao encontro disso, das especificidades de cada sociedade...por isso é que os paises nórdicos estão muito mais evoluidos, têm uma forma propria, pessoal de abordar e conquistar as coisas, não andam deslumbrados, tipo "maria vai com as outras", a pensar nos EUA etc..isso a mim parece coisa de terceiro mundo..

Porquê que o dial MUNDIAL do movimento civil LGBT não é por exemplo o dia em que na Holanda legalizaram as uniões gays???...Por essa ordem de ideias deveria ser esse dia por exemplo, pelo menos é um pais bem mais interessante...????

Se a revolta de Stonewall ajudou muitos paises do mundo..acho optimo para eles, aqui no burgo, neste tempo todo não notei nada disso...e sabes porque?Porque a nossa abordagem tem de ser outra, em vez de falarmos nos Americanos, temos mesmo é de falar de nós....

PS: Secalhar não estou a me exprimir muito bem..mas espero que tenhas percebido..não??



Título: Re:Sabem o que é Chocar a Sociedade???
Enviado por: Mercury em 02.mar.2004, 23:35:56
(...)em cima dos carros, em vez de irem uns tantos mascarados de Fred Mercury e travestis aos saltos


 
O Problema nao é irem mascarados de Fred Mercury (nao sabia que eras íntimo do senhor!  ;)).....o problema é a atitude, seja a máscara qual for....seja a máscara deles próprios perante a sociedade....às tantas até podem nao ter mesmo máscara nenhuma, e serem mesmo assim....pronto....sao assim tb nao me identifico...mas LIBERDADE Acima de tudo a tudo e a todos os que existem!!!
Eu nao gosto que me "cortem" o espaço....live and let them live....

Eu tenho um baile de máscaras este fds....e vou mascarado sim....de Freddie Mercury.....e a minha atitude nem de perto passa tangente à que descreveste....

Pronto, só tinha de meter o bedelho....pq nao percebo pq associaste as duas ideias.....ou melhor perceber percebo.....pq fizeste a linha de pensamento mais fácil......

  ;)
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 02.mar.2004, 23:37:51
Acho que compreendo, mas não concordo com a "nacionalização americana" dos eventos comemorativos que ocorrem actualmente pelo mundo.

A comemoração do 28 de Junho acontece por vários países da sua própria forma, adaptados ao seu contexto (aliás não conheço nenhum país que faça um "arraial" LGBT para além da marcha, porque arraiais é mais coisa da nossa cultura portuguesa).

Compreendo o "desagrado" por estar ligado a algo que aconteceu nos EUA, se tivermos emc conta que se vive uma hegemonia cultural americana, mas a data não deixa de ter valor por isso, tal como outras datas noutros países noutras épocas influenciaram muitos outros países.

Quanto à marcha portuguesa, a verdade até é que acho que deve ser como outras marchas de protesto, totalmente sóbrias (mas quão sóbrias são as outras na realidade?), mas é só a minha opinião pessoal. Porém a questão do "colorido" e "festa" não apaga apesar de tudo o cariz político que é muito forte (aliás o colorido tem de estar lá, são as cores da bandeira do movimento!). Qualquer pessoa que foi a uma marcha a Lisboa (e eu fui a todas desde que elas acontecem em Lisboa) sabe perfeitamente que não é realmente como transparece nos media, ou, a imagem fica bem incompleta. As marchas costumam estar cheias de frases de reivindicação, cartazes de protesto, etc. Não vou tecer sobre os conteúdos (bons ou maus, pertinentes ou supérfluos, etc), mas que os há, há. E curiosamente a maioria da gente que lá vi sempre, era como outra qualquer, com as suas muito pequenas excepções.

O desafio que costumo fazer é sempre este: apareçam na próxima marcha como "mirones" no lado de fora, para poderem ver com os vossos próprios olhos e então decidir o que pensar dela, com perfeito conhecimento de causa. Fico ele também para ti, se tiveres essa possibilidade. :)
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Hain em 02.mar.2004, 23:46:36
portugal gay wrote:
Responder
Quanto à representação do suicídio de jovens e outras acções adicionais... será que o suicidio de jovens gays é a nossa (LGBT em geral) prioridade?

 Devia ser. Se sabemos que os jovens homossexuais têm uma maior taxa de suicídios... podíamos fazer algo nesse sentido. Não digo dedicar toda a "marcha" ao tema da morte, o que pessoalmente, penso que seria algo mórbido... mas concordo com o HLuso, abordar temas mais "importantes" não seria má ideia.

 O que me leva a perguntar: quais são os temas tratados pela marcha? Qual é a prioridade da marcha?

HLuso wrote:
Responder
Porquê que o dial MUNDIAL do movimento civil LGBT não é por exemplo o dia em que na Holanda legalizaram as uniões gays???...Por essa ordem de ideias deveria ser esse dia por exemplo, pelo menos é um pais bem mais interessante...????

 Bem, historicamente, Stonewall foi o ponto de partida. Provavelmente os casamentos na Holanda nunca aconteceriam se não fosse por Stonewall. O impacto de Stonewall não foi apenas a nível dos EUA, foi (à bela tradição americana) a nível mundial. Gerou um maior reconhecimento dos homossexuais e... o resto é história :)
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 02.mar.2004, 23:55:38
Preso por ter cão, e preso por não ter...

(...) tenho presente que os homossexuais passam dificuldades na sua vida social e profissionais, mas deixe-me que lhe diga que estão a tornar-se e em particular na blogosfera, em algo parecido aos judeus, que passam a vida a anunciar-se vítimas do mundo todo que os rodeia (...)

Gato Gaspar em comentário no Barnabé

Não acho piada a paradas gay, dias do orgulho gay ou a manifestações em que se exalte o estilo de vida sexual de cada um, como não gostaria de ver manifestações de heterossexuais de idêntico teor. (...) Ter orgulho em ser homossexual é tão absurdo como ter orgulho em ser heterossexual. Lembra-me aquelas idiotices do orgulho branco e negro e azul e roxo.

Fernando in Cidadão do Mundo

As duas citações são muito frequentes, já ouvi estas palavras muitas vezes, estas são só as mais recentes que vi. Comecemos então pela primeira, o excesso de auto-vitimização. Este argumento é muitas vezes usado para silenciar reivindicações incómodas de grupos minoritários, os homossexuais e talvez ainda mais os judeus, ouvem isto a toda a hora. É sintomático que as agressões a judeus, que se tornaram cada vez mais habituais em alguns pontos de Europa (França, Bélgica..), tenham pouca ou nenhuma visibilidade na comunicação social. Não devem querer alimentar o suposto excesso de auto-vitimização. Mas a realidade é sempre mais dura que as palavras, ter medo de usar o kippot no metro pelo risco provável de ser espancado por isso, ou o medo de um homem beijar o seu namorado na rua, por também poder ser espancado e insultado por isso, são coisas difíceis de descrever e de imaginar para quem não as vive. Ler todos os dias no jornal opiniões onde me chamam de anormal, ou onde chamam aos judeus de nazis, é profundamente violento. Os nazis precisamente, esses que há apenas 60 anos atrás se propunham eliminar homossexuais e judeus, entre outros... Só faltava vir com a estória do holocausto, e depois não quer que se fale em excesso de auto-vitimização.. - pensará muita gente ao ler estas palavras. Pois, mas o holocausto como referi, foi há apenas 60 anos, nesta Europa que habitamos. Apenas 60 anos, é assim tão difícil imaginar a sua repetição? Infelizmente é-o cada vez menos.. Daí a urgência de denunciar todos os ataques, todas as discriminações, de forma a trava-los, de forma a impedir que se crie uma bola de neve. Porque afinal quando o Villas-Péssimas diz que uma lésbica não é uma mulher na plenitude natural do termo, não faltará quem ache que matar uma lésbica não é um homicídio na plenitude natural do termo. Foi esta ideologia que esteve na origem do holocausto, alguns não eram humanos na plenitude natural do termo, e portanto podiam/deviam ser exterminados.

Passando à segunda citação, sinto até que estou a cometer uma enorme injustiça ao trazer as palavras do Fernando para este post. Mas também discordo da opinião dele, e não queria deixar de a desmontar. Importa no entanto salientar que o Fernando é um amigo da causa, daqueles que importam acarinhar e multiplicar. Mas quando diz que ter orgulho em ser homossexual é tão absurdo como ter orgulho em ser heterossexual tenho mesmo que discordar e manifestar a minha discórdia. Bom seria que assim fosse Fernando, e sonho com o dia em que de facto uma e outra coisa sejam igualmente absurdas. Mas nos dias que correm, claramente não o são. Numa sociedade heterossexista como a nossa, é extremamente complicado para um homossexual aceitar a sua própria homossexualidade. Muitos vivem toda a vida com vergonha da sua condição, e tentam combatê-la sempre. O orgulho homossexual, ou gay pride, surge precisamente por oposição a essa vergonha, para a combater. No fundo o que se diz é que não há motivo para ter vergonha, que não há mal nenhum em ser-se homossexual, que nos podemos sentir orgulhosos de quem somos. Esta mensagem é extremamente importante passar para todos os homossexuais e lésbicas que ainda não se aceitam, sobretudo para os adolescentes se sentirem mais confiantes em si próprios. Num país em que palavras como p********, f***, rabeta, sapatona, maricas etc etc são usadas simultaneamente como insulto e como designação dos homossexuais, o gay pride tem que ser mesmo cultivado e disseminado. Excelente resposta deu a Sara ao chamarem-na de f*** na rua: Com muito gosto! - gritou e bem. Quanto ao straight pride, ele é de facto absurdo, tal como o orgulho branco. Alguém é discriminado por ser heterossexual ou ser branco neste país? É claro que não, tal como espero que em breve ninguém o seja por ser gay ou negro, passando assim o gay pride e o black pride a serem igualmente absurdos. Pois que o seja o quanto antes.

# publicado por Boss @ 17:40

http://renaseveados.blogspot.com/2004_02_29_renaseveados_archive.html#107807641971101049 (http://renaseveados.blogspot.com/2004_02_29_renaseveados_archive.html#107807641971101049)
Título: Re:Mr. Bad Guy..
Enviado por: HLuso em 02.mar.2004, 23:56:01
Falei no Fred Mercury apenas porque recentemente vi umas fotos de uma pride qualquer...onde estavam vários tipos em cima de uma carrinha "mascarados", ou clonados não sei, de fred Mercury aos saltos e em poses bem quentes, dai que me lembrei dessa imagem..mais nada...sem ofensa pessoal...

E por acaso o meu melhor amigo até se veste à António Variações, e se ele fosse comigo a uma pride, ia lhe certamente pedir que fosse sossegadinho, nem que fosse por uns momentos apenas, pois o momento, o da manifestação, deverá  ser de Constragimento...Quem é que escolhe o caminho mais facil então??Não devo ser eu, que passo por mau da fita...

Em tua homenagem até vou ouvir  o "I was born to love you"....

With every single beat of my heart..... ;) ;) ;)

Luso



Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 03.mar.2004, 00:01:56
Responder
Portugalgay..fazer cartazes bem visiveis é relativamente fácil...existe o metodo do pano branco bem comprido com letras pretas fortes....também se podem fazer cartazes em papel de rolo de projecto, impressos em plotter...etc.etc...passar frases choque, bem visiveis para a comunicação social parece-me o mais fácil..veja-se as manifestações da função publica, propinas etc....as frases até pode ser escritas em forma de letra por pessoa...tipo uma pessoa cada letra...sei lá existem montes de maneiras...e ainda a distribuição de papeis etc...veja-se as eleições partidárias...

Se for preciso abram uma conta para a organização da pride, para comprarem material, ou qualquer coisa do género....


HLuso... a participação do PortugalGay.PT na marcha nacional é limitada... fazemos divulgação massiva do evento (incluindo materiais de divulgação), e participamos modestamente no mesmo.

Infelizmente já tivemos (os LGBT) cartazes grandes, garrafais mesmo em outras ocasiões que foram pura e simplesmente ignorados pelos media...

Por exemplo, a ILGA Portugal tinha um cartaz a dizer "Nós Também Somos Família" que era o ÚNICO cartaz de grandes dimensões na Marcha Branca... embora tenha aparecido "quase por engano" em algumas fotos não houve praticamente nenhuma referência na Imprensa.

Nas marchas do orgulho de anos anteriores também tinhamos cartazes grandes sobre diversos assuntos... Ver por exemplo a reportagem em:

http://portugalgay.pt/news/marcha2003/ (http://portugalgay.pt/news/marcha2003/)

com presença da Rede Lilás, Amnistia Internacional, etc... os media pareceram "indiferentes" a essas mensagens... não estou a dizer que não seja importante ter cartazes como os que indicas, mas temos de ter em conta dois factos:

1-Não pode ser na base de "abram uma conta" como se fosse trabalho para "alguém" em abstracto... tem de ser trabalho feito por pessoas em particular. Tu como todos os participantes neste forum tem de por mãos à obra. Infelizmente as associações acabam por ter um grupinho de 5 ou 10 pessoas na direcção e cargos associados sobre as quais fica todo o trabalho e o voluntariado tem demonstrado ser um bem escasso...

2-Não esquecer que por muito boas ideias que tenhamos elas podem ser ignoradas pelos média... não vamos desistir... mas ter noção da realidade e de que as inciativas podem ter resultados nulos. E estar preparado para no ano seguinte fazer melhor...

 :´
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Mercury em 03.mar.2004, 00:04:01
HLuso,

Saida airosa, estiveste mto bem.... ;)
Gostei de te ler....agora! :D

Pois em tua homenagem....Ouço.....

"Living on my own".......

Dee do de de........ ;)


P.S.- Isto é assim, falam no meu menino...e eu fico logo com o microfone aos pinotes....lol
Título: Re:Portugalgay....
Enviado por: HLuso em 03.mar.2004, 00:26:29
É um problema de facto esse da comunicação social...um grande problema....o que se pode fazer, perto da altura da pride, é bombardear toda a comunicação social, via e-mail, Que Têm de divulgar, fotografar AS FRASES CHAVE DA MANIFESTAÇÃO...ou seja teremos de os pressionar a tal...através de um texto, bem escrito etc...transmitir a importancia de, ao invés de só passarem imagens de travestis etc..Têm de passar as FRASES...!!!!

Digam-me depois a data que eu, nas vésperas, faço esse trabalho de bombardeio....

Para já, podia-se neste forum ir-se já escrevendo,sugerindo, frases chave...num post especifico...para haver muitas ideias...


Quanto às direcções das associações etc...Caro Portugalgay, o meu caso pessoal é mesmo muito complicado, pelo menos nesta fase da vida, claro que será melhor um dia...Contudo muitas vezes eu sonhei ir para uma direcção de uma qualquer associação, mas sabes que para isso teria de ter condições especificas...ou seja, abandornar a minha actual carreira, dedicar-me em exclusividade à causa, e partir, neste Portugal, a Louça toda..Portanto eu como sou meio guerreiro, um pouco bélico até, teria de assumir a coisa como uma guerra séria..percebes...Sem papas na lingua e com muita convicção, e bastante persuação, com guarda costas e tudo...!

...mas como não passa de um sonho meu, colaboro desta forma, escrevendo em todo o lado, massacrando, incentivando a uma verdadeira revolta...

Peço desculpa a todo o pessoal pacifista pelos termos usados..!

Quanto à pride em si, neste momento estou muito longe de Lx, para poder me deslocar..como já disse optei por uma vida de urtigão..(ver BD Walt Disney)....

 :D :D :D





Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 03.mar.2004, 00:33:47
Pois... o problema é que raramente há alguém disponível para fazer o que quer que seja...  :P

Note-se que não estou a "pedir" pessoas para a direcção... já ficava todo contente com um grupo fiável de voluntários para trabalharem 15 dias na organização da marcha...  :-[
Título: Re:Campanha...
Enviado por: HLuso em 03.mar.2004, 00:47:01
Pode-se fazer aqui uma campanha de angariação de 15 pessoas nao???

Eu estou mesmo muito longe, de verdade...porque de facto adoro trabalho de produção...embora não seja lá muito democrático..mas enfim...

E que achas das outras ideias???
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 03.mar.2004, 00:50:30
HLuso:

Já agora um parênteses... é preciso ter em conta também a realidade Portuguesa... que eu saiba as únicas pessoas que trabalham a tempo inteiro para os LGBT em Portugal... sou eu próprio porque tenho um site com despesas mínimas e com algumas receitas de publicidade (e um companheiro que ganha o suficiente para cobrir os "buracos"), e o Celso Júnior do Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa (embora neste segundo caso com grandes dificuldades financeiras e apenas com o apoio pontual de amigos).

A verdade é que não há nenhuma associação que tenha condições para sustentar com um ordenado mínimo quem quer que seja (que é qq coisa à volta os 350 EUR em Portugal).

Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 03.mar.2004, 00:52:59
Eu acho algumas das ideias muito interessantes... mas é preciso perceber os problemas logísticos de as pôr em prática.

SIM, VOCÊS AÍ QUE ESTÃO A LER ISTO!

Seria muito interessante ter um grupinho que trabalhasse no assunto, brigado né?

;D
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Pandora em 03.mar.2004, 01:02:09
Não quero estar a dizer disparates quanto a algo que não conheço muito bem.
Pareceu-me - do que pude ler - que falavam das manifestações de orgulho e do trabalho nelas envolvido (e não só).

Mas chamou-me a atenção o que foi escrito por ti, portugalgay.pt, e sem querer meter a "foice em seara alheia"... gostava, no entanto, de dizer que a ex aequo tem vindo a fazer "trabalho" no que diz respeito aos LGBT´s.

Provavelmente não terás dito de má fé (tenho a certeza que não) que eras o único (mais um amigo teu) a trabalhar a tempo inteiro.

Mas a observação permite-me dizer que a ex aequo tem sido a tempo inteiro e com resultados francamente bons. Quando inerente ao espírito está uma vontade verdadeiramente boa.

Foi também, através da ex aequo, que pude compreender e aceitar algumas coisas... (e curiosamente tendo eu ultrapassado a idade limite da Associação, foi exactamente nela que encontrei certa maturidade).
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: joão paulo (PG) em 03.mar.2004, 01:09:28
ok... vamos lá ver se percebem as minhas palavras: PESSOAS... falei de PESSOAS... não de associações....

É óbvio que a rede ex aequo (como outras associações) têm muito mais trabalho feito do que eu, sozinho, consigo fazer... o meu ponto é que não há pessoas a trabalhar a tempo inteiro nas associações (que eu saiba). E só fiz essa nota como comentário ao HLuso, provavelmente habituado a situações "lá fora" onde uma associação tem funcionários pagos a tempo inteiro...

Foi só isto... nem mais nem menos...

Peço desculpa se as minhas palavras no post anterior foram mal entendidas...  
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Pandora em 03.mar.2004, 01:12:03
oh! Peço desculpa, se então interpretei mal.
Também não era essa a minha intenção :)

Bom Trabalho!  ;)
Título: Re:Bluejazz,a questão do orgulho...
Enviado por: HLuso em 03.mar.2004, 01:43:50
Bluejazz..

Li atentamente o texto...e compreendo!

Mas penso contudo de outra forma..ou antes, preferia que as coisas fossem de outra forma...Porque na realidade, vistas bem essas mesmas coisas, não existe mesmo orgulho heterossexual...portanto não deviamos apelar a um orgulho gay, para reivindicarmos todas as nossas questões..eu como já disse noutro texto sou a favor das manifestações etc...mas também não concordo com a questão do Orgulho...

Eu não tenho de ter orgulho em ser gay, nem deixar de o ter, sou e ponto final...!!!

(A natureza fez-me louro e de olhos azuis, ou moreno e de olhos castanhos, não tenho necessariamente de sentir orgulho nisso, mas posso ter, não tenho de ter vergonha, mas tambem posso ter...)

Acho que muitos dos jovens que se suicidam por serem homossexuais, não o fazem por não terem orgulho na sua sexualidade...não penso que a questão seja essa..a questão básica é o medo, o terror, o pânico da não aceitação por se ser homossexual...

Ou seja a questão de se ter vergonha não me parece colmatada, ou contraposta,  ao se ter orgulho...ainda mais quando o assunto é a sexualidade, uma das caracteristicas mais naturais da nossa existencia, incontornável...

A vergonha não significa ausencia de orgulho.....

Pode-se efectivamente nunca se por a questão do orgulho, porque na realidade  apenas se é, e ponto final (mais nada, nunca se colocar a dualidade orgulho/vergonha)!!!  

Contudo, e sabendo que se é, pode-se ter vergonha de se assumir isso para si mesmo por variadas razões, não sendo necessariamente o orgulho o caminho para essa tal aceitação....Ou seja o orgulho de se ser alguma coisa, não apaga necessariamente alguma vergonha que eventualmente se possa ter sobre isso....


Então se a vergonha não vem necessariamente da ausencia do orgulho, de onde poderá ela vir????

Acho para já que existem vários tipos de vergonha...a vergonha pessoal, coisas de que me envergonho a mim mesmo, e a vergonha social (misturada ou nao)...coisas das quais me envergonho em assumir aos outros, mas que não tenho vergonha em mim mesmo, e que me envergonho perante os outros e em mim mesmo tambem...Em qualquer uma dessas vergonhas não é necessariamente o orgulho o  antidoto receitado...

Bater no peito com força e dizer, eu tenho orgulho em ser gay, porque foi assim que nasci!!Mete respeito, sem duvida...

...Mas não acho que seja esse o caminho...pois Pode o Homofobico, também ele  bater no peito, e dizer, eu sou homofobico e tenho orgulho disso, nasci assim!!!!

E não saimos disso....!!!!!!!!!!


Se me chamarem maricas, não tenho de dizer, com muito orgulho...não tenho de ter orgulho em me chamarem nomes, não ando a insultar ninguemm!!!!!...Sou homossexual, não tenho de sentir orgulho em ser insultado pela minha sexualidade, portanto para insulto, insulto e meio..ou então socalhada!!!Isso de dar a outra face...Quem não sente não é filho de boa gente..

Portanto toda essa história do orgulho versus vergonha etc...são caminhos muito sinuosos...Eu acho que em vez de orgulho deveria ser, assim como existe o belo natural..o Gay Natural..filosofia da Naturalidade Gay..sou Gay e isso é natural, está na Natureza e ponto final!!!!EXiste melhor do que a Natureza???

Naturalidade Gay!!!!Com ou sem orgulho, com ou sem vergonha...

Um dia os tempos evoluirão e de certeza que esta guerra quase clubista, do orgulho nisto e orgulho naquilo desaparecerá...e o Orgulho que poderemos ter será apenas o de sermos uma sociedade evoluida, em comunhão com a Natureza, e que aceita  naturalmente as leis naturais das coisas..esse é o unico orgulho que admito, o de se alcançar a naturalidade dos factos e de se desparasitar a mente humana de virus destrutivos, poluentes e preconceituosos...


Tenho orgulho em ser natural!!!!!
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 03.mar.2004, 02:36:13
HLuso, limitei-me a copiar com fonte um texto de um jovem homossexual. Não há necessidade de dirigires-te a mim directamente (embora não haja mal) a responder a ele, porque não sou sua autora. Trouxe-o porque acho que é uma perspectiva interessante e que deve ser partilhada. :)

Aliás a minha opinião pessoal sobre esta questão pode ser encontrada noutro tópico daqui do Geral que é exclusivamente sombra sobre marchas do orgulho:

http://www.ex-aequo.web.pt/forum/index.php?board=3;action=display;threadid=822

Ainda outro, creio eu, mas não o encontro neste momento.

Espero que não penses que estão a tentar lutar contra ti verbalmente neste tópico. Pessoalmente acho importante (como já disse antes) que exponhas as tuas ideas e pensamentos, (desde que seja feito sempre de forma respeitosa como é requirido a todos os membros de acordo com as regras do fórum e como tens feito de facto). Por discordar em ideias contigo não passo a estar contra ti ou querer ir a um combate em que um tem de convencer o outro. ;)

Se não pensas nada do que referi no parágrafo anterior, podes esquecê-lo... ;D :P
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: renaseveados em 03.mar.2004, 03:30:57
Sou eu o autor do texto!  8)

Estou registado há muito no fórum, mas confesso não ser um cliente habitual..

Ora vamos lá ver, a naturalidade de que fala o HLuso, acho que é mais ou menos o que falo na conclusão do meu texto, ou seja, que espero que um dia a homossexualidade seja encarada por tod@s com naturalidade, sem fazer distinção heteros/homos, positivas ou negativas..

mas estamos tão longe desse dia.. e sobretudo quando se é adolescente, e falo da minha própria adolescência, e parece que todas as referências a homossexuais que temos são negativas, qdo era miúdo nem conhecia a palavra homossexual, só conhecia os insultos, é mto importante ver q há pessoas q são homossexuais, são felizes, não escondem a sua sexualidade, não sentem vergonha, tem orgulho em serem quem são. E a sexualidade de cada um, é parte essencial do ser humano, quando temos orgulho em nós, isso implica ter orgulho na nossa sexualidade também. Porque eu sou quem sou, também por ser homossexual, se fosse heterossexual seria necessariamente diferente.. não digo melhor nem pior, digo apenas que seria diferente. Logo se tenho orgulho em mim, também tenho na minha homossexualidade.

E esse orgulho importa ser mostrado para que quem viva com vergonha de si próprio, lutando contra o que sente, veja que nada disso faz sentido, pois até há quem venha para a rua mostrar o quanto gosta de si, e o quanto gosta de si enquanto pessoa homossexual. No dia em que já ninguém tiver vergonhas, medos, em que ninguém seja perseguido por isso.. em que toda a gente, trate toda a gente com a tal naturalidade, as manifestações de orgulho extinguir-se-ão naturalmente...

Boss. ;D
Título: Re:bluejazz..
Enviado por: HLuso em 03.mar.2004, 22:29:35
heheeheh...não bluejazz...não penso nada disso...bem, para ser sincero deixo-me levar um pouco pela escrita e pela divagação e adoro um bom debate escrito..especialmente quando se pode filosofar um pouco (pseudo filosofar no meu caso secalhar...hehe)..mas sabes adoro mesmo escrever e deixo-me embalar pela palavras e pelas ideias...mas mais nada...contra argumentar é sempre um desafio estimulante..

Mas mais nada....nada de combates de uns convencerem os outros...hehehe..achei montes de piada esta tua expressão...

Aliás, da parte que me toca, so te tenho a gradecer, a ti e a tantas outras pessoas, que tantos textos informativos e técnicos aqui têm publicado, e que sem duvida enriquecerem a minha cultura e capaciade de argumentar estas questões da homossexualidade...estava mesmo a precisar desta base estrutural de informação..como já disse por aí, a leitura de determinados conteudos deste espaço deveria ser mesmo obrigatoria..Fantastico!
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 03.mar.2004, 22:33:20
 :up ;D
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: graven em 04.mar.2004, 11:58:21
Ainda sobre a questão do orgulho (permeada sempre de alguma humildade, afinal é orgulho é um pecado mortal lol)...

Eu tenho orgulho em mim próprio. Em mim como um todo, desde a parte psicológica, passando pelo comportamento e acabando na componente física.  Ser homossexual é uma pequena manifestação do "Eu" por isso, sim, tenho orgulho em ser homossexual sem no entanto fazer disso a minha única cruzada pessoal na vida. Sou assim e sou como os demais e pronto... acho que dá para conciliar ambas coisas.

Se há coisa que eu aprendi ao longo dos anos, mais exactamente na adolescência, foi de nunca deixar o meu amor-próprio, e consequentemente o orgulho na minha pessoa quer seja por ser homossexual ou por ter olhos azuis, em mãos alheias.

[off_topic]
O que alimentou este post, perguntam vocês? Não acrescenta nada de novo ao que tinha dito... Eu sei, e peço desculpa pelo offtopic, mas acordei muito bem disposto :) E quis partilhar a minha boa disposição com tod@s. :D
EXCELENTE DIA PARA VOCÊS!
[/off_topic]
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: barthez em 04.mar.2004, 19:11:59
Se há coisa que eu aprendi ao longo dos anos, mais exactamente na adolescência, foi de nunca deixar o meu amor-próprio, e consequentemente o orgulho na minha pessoa quer seja por ser homossexual ou por ter olhos azuis, em mãos alheias.

Pois.. a minha opinião é mesmo o contrário... :P lol eu sinto-me muito bem comigo mesma, o meu amor-próprio vai muito bem de saúde mas não tenho nenhum orgulho especial em ser homossexual ou ser morena ou ser mulher... :) não sou melhor nem pior que os outros! :-X o que às vezes me acontece é ter orgulho nalguma acção que faça, nalgum trabalho ou nalguma ajuda a quem precisa... 8)

ou seja, não tenho orgulho nas coisas inatas (+ ou -) que me caracterizam mas sim nas minhas acções/atitudes... :P :P (assim como às vezes posso ter vergonha de coisas que FAÇA mas nunca terei de coisas que SOU... :inq)

enfim... cada um tem a sua opinião ;)
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 03.jun.2004, 10:52:32
Agora que se aproximam as datas das comemorações do PRIDE em todo o mundo...

Opinem! :D ::) :P
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: MLDark em 10.jun.2004, 04:59:57
Sinceramente não dou muito valor a essas datas.
Não sinto necessidade de participar em manifestações, nem de ser exibicionista.
Qual o efeito-mudança q produz uma manif do genero?
 + aceitação?!

Sentir-me-ia muito + orgulhosa e feliz, se pudesse sair, no dia-a-dia, andar na rua, de mão dada, abraçada, com a mulher q amo. Ir aqui, acolá, naturalmente sem gestos contidos.
E principalmente sem ter q ouvir: "Olha, duas f****!"
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 10.jun.2004, 09:54:33
Sinceramente não dou muito valor a essas datas.
Não sinto necessidade de participar em manifestações, nem de ser exibicionista.
Qual o efeito-mudança q produz uma manif do genero?
 + aceitação?!

Sentir-me-ia muito + orgulhosa e feliz, se pudesse sair, no dia-a-dia, andar na rua, de mão dada, abraçada, com a mulher q amo. Ir aqui, acolá, naturalmente sem gestos contidos.
E principalmente sem ter q ouvir: "Olha, duas f****!"

Que falou em exibir-se?!... ;)

E que tal uma marcha para dizer que existimos e que queremos os mesmos direitos?

Sabes que se não houvesse gente a lutar pelos teus direitos - a exibir-se como tu dizes... - a homossexualidade ainda estaria proibida por lei como esteve até 1982.

:)
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 10.jun.2004, 10:29:38
A marcha é uma marcha tal como as que são feitas por trabalhadores, estudantes e afins. Tem objectivos de protesto e reinvidicação, neste caso dos direitos das pessoas LGBT.

O que é aliado a ela é que, tendo em conta que somos uma população (ainda) bastante invisível também é uma oportunidade de dizer que existimos de facto, e somos muitos e diversificad@s, ao contrário das falsas crenças. E não só isso... que também há muitas pessoas não-LGBT a apoiar, o que significa que esta marcha também é dos simpatizantes, dos que não concordam com a discriminação e preconceito.

A marcha tem uma importância muito grande a nível político, e alguma no social, porque é o momento em que é possível chamar a atenção para o que falta actualmente mudar nas leis, o que é discriminatório. Não costuma haver momento maior de visibilidade política do que este no nosso país para as questões LGBT.

Por outro lado, a visibilidade no dia-a-dia também é muito importante, mas as reivindicações políticas também são importantes para que as leis mudem, e o nosso dia-a-dia de certo modo também mude nessa área. Nesses termos, o único momento que temos para todos dizer juntos: "Sim, queremos que estas leis mudem!" é mesmo na marcha. As associações e colectivos LGBT limitam-se a organizar o evento para que vocês possam fazer esse protesto e reivindicação em conjunto.

Sobre a questão do orgulho, convido a ler o manifesto, que tem uma menção específica do que quer dizer:

Apesar de agora ser explicitamente proibida pela nossa Constituição, a discriminação com base na orientação sexual continua a existir na lei e, sobretudo, na realidade. Num clima de retrocesso económico e social, a homofobia tem ressurgido até a partir de lugares de poder político e mediático. Mas não fazemos luto – convertemo-lo sempre em luta. Ao mundo da discriminação, desenhado a preto e branco, contrapomos a diversidade do arco-íris. À vergonha que o preconceito e a homofobia pretendem impor-nos, contrapomos o orgulho de termos construído a nossa auto-estima e de lutarmos contra a discriminação. Temos vergonha, sim, de sermos cidadãs e cidadãos de um país em que, 30 anos depois do 25 de Abril e quase 20 anos depois da adesão à UE, haja ainda tanto por fazer pela diversidade e contra a discriminação. Apesar do Euro 2004, das eleições europeias, e das novas adesões à UE que pressupõem a eliminação de disposições discriminatórias em função da orientação sexual, é ainda preciso dizer aos poderes políticos que também somos Europa!
 
Para ler o resto do manifesto sigam o link:
http://portugalpride.org/elgebete/2004/txt02.asp
Título: Re:A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: louro18 em 17.ago.2004, 01:26:00
 ::) ::) 8)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 07.jun.2005, 21:45:06
Mas um tópico tirado do baú, até porque... estamos quase no período dos prides em todo o mundo...
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Whisper em 08.jun.2005, 02:32:19
Isto poracaso é um assunto que eu penso muito sobre.... Termos orgulho em ser gay, eu não tenho orgulho em ser gay, tal como não tenho orgulho de ter olhos castanhos ou de gostar de bananas. Eu tenho orgulho sim de ser a pessoa que sou! Eu sou eu, o sexo da pessoa de qual gosto, a comida que gosto, a musica que oiço são apenas coisas que fazem parte de mim, são coisas que formam a minha pessoa. A meu ver nenhuma delas sozinha devia ser considerada um motivo de orgulho, mas sim tudo junto fomando a pessoa que sou.
Eu comprendo que nas marchas e afins uma pessoa tenha que tar mais exposta e que andam com cartazes a dizer eu sou gay, ou tenho orgulho em ser gay e so on (suponho eu, porque nunca fui a nenhuma), usam isso para demonstrar que somos muitos e que somos iguais aos heteros. No entanto a meu ver vejo-o não como exbicionismo mas não sei algo que me desagrada, continuo achar como já escrevi no topico sobre as marchas que isso parece que nos diferencia um bocado dos heteros, por andarmos pelas ruas a dizer que somos gays e que temos orgulho enquanto eles não fazem nada disso (sim eu sei que somos uma minoria que sofre perconceitos porisso somos um caso um pouco a parte). Mas cada um defende a sua opinião, se existem pessoas que acham que isso nos ajuda, força =).
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 08.jun.2005, 07:55:10
Estou em desacordo contigo... :)


De todas as formas, decidi apenas comentar o teu último parágrafo. ;)

continuo achar como já escrevi no topico sobre as marchas que isso parece que nos diferencia um bocado dos heteros, por andarmos pelas ruas a dizer que somos gays e que temos orgulho enquanto eles não fazem nada disso.

Os hetero têm as cenas de afecto sem olhar para o lado. Podem andar de mãos dadas sem que a sua integridade fisica e psíquica seja posta em causa. Os hetero, muitos deles, passam a vida a dizer que o casamento é uma instituição apenas para homem e mulher como se isso fosse ser mais que todos os outros. Não consideras isso uma forma de orgulho hetero!!? :)

Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: oziris em 08.jun.2005, 10:48:53


 Eu gostaria de ir mas neste momento não me permite "dar a cara", lamento a minha falta de coragem.
 Não considero exibicionismo, mas sim o dia em que todos lgbt que têm a coragem para o fazer, saem à rua e manifestam o seu ogulho pela sua opção sexual.
 Apenas tenho um pequeno senão , algumas pessoas exibem.se de uma maneira mais extravagante que por vezes "choca" algumas pessoas, agora manifestaçoes de carinho na via publica, nada tenho contra, porque os heterossexuais tambem o fazem, somos seres livres de manifestar o nosso amor.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 08.jun.2005, 12:04:19
Oziris, eu não usaria o termo "opção sexual". A palavra opção pressupõe a ideia de escolha e como sabemos os homossexuais não escolhem a sua orientação sexual, pelo menos a sua maioria... o uso deste termo não é de certo modo real e funciona contra nós para aqueles que consideram a heterossexualidade a única orientação sexual "natural" e "inata" e tudo o resto uma escolha.

Quanto a dar a cara, cada um tem o seu tempo, eu compreendo-te perfeitamente... quanto à questão do orgulho aqui já referido, acho que não funciona muito bem a palavra em Português, mas quando ela vem junto a Gay ou LGBT não está com o sentido comum em Português, mas como o significado de oposto a vergonha e como orgulho de ser-se como é apesar de todo o preconceito e discriminação.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: oziris em 08.jun.2005, 12:25:36
Oziris, eu não usaria o termo "opção sexual". A palavra opção pressupõe a ideia de escolha e como sabemos os homossexuais não escolhem a sua orientação sexual, pelo menos a sua maioria... o uso deste termo não é de certo modo real e funciona contra nós para aqueles que consideram a heterossexualidade a única orientação sexual "natural" e "inata" e tudo o resto uma escolha.


 Nunca tinha pensado nessa forma, mas aceito a tua explicação... sim é inato e natural.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: barthez em 08.jun.2005, 12:44:28
quanto à questão do orgulho aqui já referido, acho que não funciona muito bem a palavra em Português, mas quando ela vem junto a Gay ou LGBT não está com o sentido comum em Português, mas como o significado de oposto a vergonha e como orgulho de ser-se como é apesar de todo o preconceito e discriminação.


eu vinha mesmo escrever isto ;) tb me fazia um bocado impressão essa cena do ORGULHO... mas lá está, há certas palavras cujo significado, devendo ser mais amplo, se reduz algo um pouco negativo :-\ ainda para mais, como falou a blue, em inglês não soa tão mal (há tantas outras palavras nestas ciscunstâncias :P)

No entanto desde q interiorizei q o ORGULHO aparece como oposição à VERGONHA (que ainda muitos homossexuais sentem além de que muita gente - homofóbica - se esforça para que sintamos :-X) q aceito perfeitamente essa palavra :D apesar de usar quase sempre PRIDE ;) :P
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Whisper em 08.jun.2005, 20:10:13
Estou em desacordo contigo... :)


De todas as formas, decidi apenas comentar o teu último parágrafo. ;)

continuo achar como já escrevi no topico sobre as marchas que isso parece que nos diferencia um bocado dos heteros, por andarmos pelas ruas a dizer que somos gays e que temos orgulho enquanto eles não fazem nada disso.

Os hetero têm as cenas de afecto sem olhar para o lado. Podem andar de mãos dadas sem que a sua integridade fisica e psíquica seja posta em causa. Os hetero, muitos deles, passam a vida a dizer que o casamento é uma instituição apenas para homem e mulher como se isso fosse ser mais que todos os outros. Não consideras isso uma forma de orgulho hetero!!? :)



Não num considero isso como uma forma de orgulho hetero, porque essas coisas a que tu referiste é algo a qual nos fomos habituados aceitar desde muitos novos, é algo que aprendemos e crescemos  e não pensamos duas vezes sobre isso. Aposto que a maior parte das pessoas que aqui andam que so descobiram mais tarde na vida apos terem tido relações heteros que eram gay e no entanto quando eram heteros nunca pensaram nesses assuntos. A questão do casamento ser so para o homem e para a mulher é geralmente mais visto so pelos catolicos é um bocado um caso a parte. Mas também não o vejo como orgulho hetero mas sim um genero de lei que foi imposta a muitos anos atras e que as pessoas ainda a seguem pois não "sabem" melhor....
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 08.jun.2005, 22:00:00
A questão do casamento ser so para o homem e para a mulher é geralmente mais visto so pelos catolicos é um bocado um caso a parte. Mas também não o vejo como orgulho hetero mas sim um genero de lei que foi imposta a muitos anos atras e que as pessoas ainda a seguem pois não "sabem" melhor....

Em muitos países não católicos o casamento é apenas para homem e mulher já que apenas na Bélgica, Holanda e em alguns estados do Canadá os LGB podem casar.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Whisper em 08.jun.2005, 22:54:33
oh tambem não disse que era sempre visto, disse geralmente  :P. Não sei qual a verdadeira razão do casamento ser visto so entre o homem e a mulher, secalhar porque eles são mais e são os que dão mais "nas vistas", num sei, mas continuo a não ve-lo como orgulho hetero...
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: blink em 08.jun.2005, 23:49:45
Estou em desacordo contigo... :)


De todas as formas, decidi apenas comentar o teu último parágrafo. ;)

continuo achar como já escrevi no topico sobre as marchas que isso parece que nos diferencia um bocado dos heteros, por andarmos pelas ruas a dizer que somos gays e que temos orgulho enquanto eles não fazem nada disso.

Os hetero têm as cenas de afecto sem olhar para o lado. Podem andar de mãos dadas sem que a sua integridade fisica e psíquica seja posta em causa. Os hetero, muitos deles, passam a vida a dizer que o casamento é uma instituição apenas para homem e mulher como se isso fosse ser mais que todos os outros. Não consideras isso uma forma de orgulho hetero!!? :)



Na minha opiniao, se uma das coisas que mais enojam a comunidade hetero são as paradas gays, se queremos ser aceites e a igualdade, pq lhes haveremos de esbanjar com paradas gays para mostrar-mos o nosso orgulho? Ou será que homossexualidade é sinónimo de homens vestidos de mulheres a dançarem em cima de carros e etceteras e tal?
Não devíamos antes mostrar o orgulho gay demonstrando que fazemos um bom trabalho no emprego como os outros, que ajudamos quem precisa quando precisa, que somos e que temos amigos, que amamos,...? Se isto para muita gente já é suficientemente pouco credível, para quê atiçar a fogueira?

Quanto as marchas, não há tanto exibicionismo, mas mesmo assim para mim não acho que seja a melhor maneira de mostrar o nosso orgulho.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 08.jun.2005, 23:55:06
Ou será que homossexualidade é sinónimo de homens vestidos de mulheres a dançarem em cima de carros e etceteras e tal?

Isso não é orgulho gay, é orgulho trans. Aí é que está grande questão. Não confundir identidade de género com orientação sexual e não discriminar aqueles que na expressão da sua identidade de género são diferentes.

Existe infelizmente uma transfobia brutal. :wor
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: blink em 08.jun.2005, 23:59:02
Então mas um homem vestido de mulher, não é trans, é um homem vestido de mulher!
Quer dizer, so se a forma de os trans se exiberem nas marchas e disfarçando-se, é isso blue??
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: blink em 09.jun.2005, 00:13:49
Quando dei a minha opiniao nao foi com o objectivo de "apontar o dedo" as marchas e paradas, mas n sei, com  tanto que oiço e vejo, pergunto-me se às vezes essas amnifestações não tenham o efeito contrario...
No outro dia ao almoço com os meus colegas  mostraram no telejornal uma parada na Holanda, podem ate calcular tudo aquilo que ouvi...
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 09.jun.2005, 01:41:59
Então mas um homem vestido de mulher, não é trans, é um homem vestido de mulher!
Quer dizer, so se a forma de os trans se exiberem nas marchas e disfarçando-se, é isso blue??


É um travesti (se for um homem que gosta vestir roupas ditas de mulher) ou então uma transexual (ambos enquadram-se no grupos de pessoas transgéneras). No ano passado houve a presença da @t, a associação em Portugal de identidade de género e tinham o seu carro próprio na marcha. Creio que era esse grupo que tinha algumas pessoas vestidas de forma mais glamorosa e chamativa. A maioria dos presentes nesse carro, se não me engano, são transexuais M-F. Essas pessoas não são homossexuais, mas transexuais (a identidade de género é independente da orientação sexual - estas mulheres transexuais tanto podem ser heterossexuais, como homossexuais). Portanto não estão a representar gays e lésbicas, mas pessoas transexuais (ou no mínimo transgéneras). A marcha não é só gay, mas LGBT e incluí este grupo também. E especialmente gostaria que soubesses que os trans não estão por isso de todo a "disfarçar-se" na marcha, mas sim a ser eles próprios. Disfarçam-se realmente é no dia-a-dia quando não podem vestir-se assim, como gostariam, ou quando não podem exprimir aquilo que acreditam ser a sua verdadeira identidade de género (no caso dos transexuais).

Para mais info sobre o que é um travesti e o que é um(a) transexual sugiro visitar as seguintes páginas:

http://www.ex-aequo.web.pt/transgenderismo.html

http://www.ex-aequo.web.pt/glossario.html
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: blink em 09.jun.2005, 22:54:59
Ok obrigado pela informação  ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: N´guxi em 10.jun.2005, 11:06:19
Pessoalmente não sou exibicionista, mas isso já faz parte da minha forma de ser. Quanto ao orgulho, todos devemos te-lo por nós, no entanto não me revejo em marchas ou coisas do género. Ainda que seja uma forma de luta, pessoalmente não é a minha, todas as minhas conquistas pessoais não foram feitas pelo meio do choque, e esta não será de certeza.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 10.jun.2005, 12:31:59
Ainda que seja uma forma de luta, pessoalmente não é a minha, todas as minhas conquistas pessoais não foram feitas pelo meio do choque, e esta não será de certeza.

Mas uma marcha não tem que chocar... Como é a tua forma de luta? Tens uma ou simplesmente é-te indiferente? :)                         
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: super em 10.jun.2005, 15:32:51
Eu já coloquei parte da minha opinião no tópico:

http://www.ex-aequo.web.pt/forum/index.php?topic=5203.0

Mas só agora vi o que o Luso escreveu e sem duvida que não poderia estar mais de acordo com as seguintes palavras:

Não resisto em dar a minha opinião sobre este assunto....

Eu sou a favor das manifestações pela reivindicação de direitos e obrigações para o cidadão homossexual...sem duvida que sou a favor disso, e até acho essenciais...

Acontece que este Modelo de Pride, completamente Americanizado, aliás pelo que sei da história, e emendem-me se estiver errado, nasce precisamente nos EUA, após aqueles conflitos de Stonewall, etc etc...

Eu acho que uma manifestação é algo muito sério..quando as pessoas se estão a manifestar, a reivindicar alguma coisa, é porque de alguma forma estão a ser injustiçados, prejudicados e maltratados...Daí que eu seja contra este tipo de pride/manif, pois o formato é de festa, com arraiais e tudo à mistura...Ou seja o âmbito é de diversão e de DESFILE...uma manifestação não é um desfile....

(...)

Contudo acredito, e pelo que o forista PortugalGay disse, que também a a comunicação social é culpada por apenas transmitir o lado festivo das tais prides...Não sei...eu pelo que vejo em fotos, e pelo que me contam...ir a uma Pride é Super Divertido!!!!

Ora eu às manifestações que fui na vida, certamente não fui para me divertir...


Já agora e para acabar...Vocês acham, e nos dias de hoje, que ao se mostrar uns quantos travestis e drag queens, está-se desta forma a chocar a sociedade????Vocês na realidade acreditam nisso??? A Sociedade está farta, e mais que familiarizada, com travestis, drag queens etc etc...pela televisão, cinema estão sempre a aparecer...até no carnaval qualquer vulgar hetero, solta a mulher que há em si....Vocês acham que isso realmente é chocante????

Bem, talvez lá nos EUA, isso seja chocante...No Arkansas, ou no Mississipi, ou naqueles Estados medievais, impregnados de seitas religiosas e de falsos moralismoss..Mas aqui em Portugal, vocês acham que isso choca e/ou sensibiliza alguem???


Por favor....

Sabem o que na realidade chocava?? Se se fizesse uma manifestação em que se mostrasse um grande cartaz a dizer que AINDA HA JOVENS EM PORTUGAL QUE SE SUICIDAM POR SER HOMOSSEXUAIS...e em cima dos carros, em vez de irem uns tantos mascarados de Fred Mercury e travestis aos saltos, se fizesse uma dramatização de um jovem gay, perdido, angustiado, desesperado que caminha para o suicidio...ISSO É CHOCANTE!!!!

Sabem o que é mais chocante também....Se se Mostrasse nessas Manifestações a DOR, O SOFRIMENTO, O TERROR..que muitos de nós vivem quando perdem as suas familias, que os excluem apenas pela sua sexualidade....ISSO É CHOCANTE....

Querem mais temas para um manifestação séria e verdadeiramente chocante???!!!!!

desculpem o tom, mas é assim que penso....


abraços cordiaissss

deste Luso



Acho que a grande parte das opiniões sobre este tema batem muito na tecla da aceitação da diferença...(brain washing?)... anyway não me vou repetir, apenas digo que não poderia estar mais de acordo com o Luso.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 10.jun.2005, 18:58:20
Se não vais aceitar o outro diferente de ti, como queres que te aceitem a ti, se fores diferente também? Há uns que são filhos de um deus menor?

O tal brainwashing... no comments. :wor

Continua a haver transfobia e resume-se a isso no que tenho lido em geral até agora. O problema não é haver obscenidade, palavrões, provocação agressiva (até porque não há)... é haver umas pessoas lá com cores coloridas e com roupas que supostamente só o sexo oposto pode usar.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: nakedboy em 11.jun.2005, 00:31:26
Orgulho e excibicionismo...
Quando eu reflecti sobre este assunto pela primeira vez (e nas vezes que se seguiram) - sem ter visto este tópico, é a primeira vez - a minha opnião era contra o exibicionismo e o orgulho era "ridiculo" (desculpem :-[).
Mas agora, e depois de pensar seriamente no assunto, ter descoberto o fórum, a minha ideia é completamente diferente!
Tenho orgulho em ser gay, orgulho em não a esconder na rua, e orgulho em poder mostrar isso mesmo através dos meus pins que uso no meu saco (arco-iris e relação gay ;D) bem como a demosntração de afectos em público.
Exibicionsimo? Com orgulho!! :D
Porque acho que é assim que se combate a discriminação. O direito à indiferença. Com a visibilidade!
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 11.jun.2005, 08:02:28
Orgulho e excibicionismo...
Quando eu reflecti sobre este assunto pela primeira vez (e nas vezes que se seguiram) - sem ter visto este tópico, é a primeira vez - a minha opnião era contra o exibicionismo e o orgulho era "ridiculo" (desculpem :-[).
Mas agora, e depois de pensar seriamente no assunto, ter descoberto o fórum, a minha ideia é completamente diferente!
Tenho orgulho em ser gay, orgulho em não a esconder na rua, e orgulho em poder mostrar isso mesmo através dos meus pins que uso no meu saco (arco-iris e relação gay ;D) bem como a demosntração de afectos em público.
Exibicionsimo? Com orgulho!! :D
Porque acho que é assim que se combate a discriminação. O direito à indiferença. Com a visibilidade!

 [smiley=bateria.gif] :up [smiley=sim.gif] [smiley=estiloso.gif] [smiley=orgulhoso.gif] ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: N´guxi em 11.jun.2005, 10:40:22
Ainda que seja uma forma de luta, pessoalmente não é a minha, todas as minhas conquistas pessoais não foram feitas pelo meio do choque, e esta não será de certeza.

Mas uma marcha não tem que chocar... Como é a tua forma de luta? Tens uma ou simplesmente é-te indiferente? :)                         

Infelizmente a imagens das marchas é puro exibicionismo e não é encarado como uma luta. Uma coisa que acontece uma vez por ano e nada mais. De certeza que não será com algo que acontece 1 vez por ano que se ganhará muita coisa. Penso eu, talvez esteja enganado redondamente.
Provavelmente não estarei preparado para enfrentar a sociedade, como eu, milhares de jovens, é comum que as pessoas mais velhas já tenham passado essa etapa. Creio que cada pessoa terá que ter o seu tempo para reflectir sobre isso, e ganhar a segurança para o fazer.
Todos temos uma forma de luta, nem que seja a interior. A minha passa por "educar" aqueles que me são próximos não deixando discriminar. É um começo.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 11.jun.2005, 10:44:52
Infelizmente a imagens das marchas é puro exibicionismo e não é encarado como uma luta.

Mas referes-te a exibicionismo da homossexualidade? Numa marcha contra o racismo ou a guerra as pessoas estão também a exibir-se? É que já estive nalgumas marchas e a questão do barulho, música e cânticos com frases reinvidicativas existem em todas as marchas em que participei.

Continuo a não perceber que exibicionismos existe... :wor
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: N´guxi em 11.jun.2005, 10:49:11
Essa frase refere-se ao que o mundo Heterossexual vê nas marchas. Não sou eu que o digo. Todo o aparato de pessoal vestido de forma "excentrica" a beijarem-se é entendido como isso.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 11.jun.2005, 11:18:25
Eu diria o mundo heterossexual e homossexual... e algumas pessoas nesses mundos e não todas...

Já se escreveu muito sobre este assunto e eu, pessoalmente, entendo (e concordo mesmo com algumas) as reservas e argumentos de algumas pessoas, mas acho antes de tudo que é preciso ser capaz de colocar o preconceito de parte.

Não vejo objectivamente nada de negativo e objeccionável na marcha LGBT em Portugal. E se achamos a imagem que passa má (mas pensar que travestis e transexuais é mau é ser-se preconceituoso com este grupo) , passa por nós contribuir para uma mudança. Ou então um diálogo muito franco, que inclua todos/as, todas  pessoas de cada tipo e feitio para pensarmos o que fazer e se estamos certos/errados, que estratégia é correcta ou exclusionária...

É que não ir a uma marcha porque existe um grupo que se representa com o qual não nos identificamos, parece-me o mesmo que não ir à marcha do 25 de Abril só porque existe um ou mais grupos com os quais não nos identificamos.

A alma, o ethos da marcha LGBT não é nem nunca será exibicionismo, mas permitir que todas as pessoas debaixo do guarda-chuva LGBT (e já agora os que não são e estão contra a discriminação) se possam representar e visivelmente protestar contra as discriminação institucionais, legais e sociais que ainda sofremos. A questão de ser só um dia não é só isso. É um dia em que se chama a atenção para este assunto de modo mais visível e se cria oportunidade de procura de informação, de debate, de diálogo, de reflexão e de veiculação de uma mensagem em Portugal e entre as pessoas que vivem neste país.

Se de facto todas as pessoas LGBT se mobilizassem para a marcha (principalmente aquelas que podem) este número teria um impacto muito importante. Para verem que somos muitos, muitos mais que as pessoas imaginam.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: super em 11.jun.2005, 13:14:02
Acho que a grande parte das opiniões sobre este tema batem muito na tecla da aceitação da diferença...(brain washing?)...

O tal brainwashing... no comments. :wor
 

Sim bluejazz, encontrarás pessoas com “opinião de partido” (não necessariamente neste fórum). Não tenho nada contra isso mas se calhar não existe nem se cria espaço para debate nessas situações.
Pessoalmente, não tenho nada contra o que se faz agora (no sentido discriminativo, como já acusaram), ponho é em duvida a questão da visibilidade. Há que distinguir “a alma da marcha LGBT” e a realidade que temos (que pode ou não estar a corresponder). Estaremos a passar a imagem e a mensagem que realmente queremos? Se sim óptimo! Ora.. :wor

Provavelmente a minha opinião adultera a “alma” da marcha…é uma questão de idealismos, I think. Aqui vai opinião: e às tantas é aqui a resposta do porquê de tanto homossexual não ir a certas marchas - idealismos, identificação do eu...quem sabe [smiley=preocupado.gif]
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Groove em 12.jun.2005, 13:29:03
aqui a resposta do porquê de tanto homossexual não ir a certas marchas - idealismos, identificação do eu...quem sabe [smiley=preocupado.gif]
...Eu diria mais exaltação do ego...  ::) Porque o Eu é aquilo que nós somos simplesmente, a nossa essência, sem orgulhos ou complexos (o outro extremo), ao contrário do ego que é aquilo que criamos mentalmente para nos protegermos e nos darmos uma auto-importância...

Em relação ao tema, já tinha dado um contributo numa thread semelhante. Acho que orgulho em ser branco, preto, gay, hetero, bi, portuense, lisboeta e/ou semelhantes superficialidades, é completamente ridículo. Penso que devemos apenas aceitarmo-nos como nós somos, e aos outros também - dando ênfase ao facto de que o conceito de aceitação engloba o sentimento de confiança e aconchego em relação a nós mesmos e aos outros, o que talvez algumas pessoas buscam, a meu ver erradamente, nesse tal "orgulho", que é um extremo. Sou, por isto, a favor de marchas e manifs a favor dos direitos humanos, contra a discriminação e repressão, mas tendo em conta que isto é um assunto sério que não se derve transformar numa festa (pois perde credibilidade)... em Portugal acontece que a tal marcha está depois ligada a uma dessas tais festas de "orgulho", e é muito fácil pelos media, e pelas massas em geral, meter tudo no mesmo saco e associar a causa a uns tais exibicionistas muito "orgulhosos" e excêntricos (ou então "tarados sexuais").

É importante, no entanto, dizer que eu aceito TODAS as pessoas como elas são, mesmo aqueles que fazem mal aos outros, porque eles estão apenas confusos e a tentar também encontrar um caminho, e não me compete a mim julgar ninguém nem promover a divisão das pessoas em sociedade, mas sim a união e a integração de TODOS. Neste caso específico, é-me indiferente se algum GLBT anda para aí vestido excentricamente e com vibradores nas mãos a dançar e a chamar a atenção (num certo contexto, até tem a sua piada)... mas, quando isso é associado a uma causa que é bastante mais séria e menos superficial do que esse tipo de comportamento, entristece-me, porque tira de facto credibilidade à causa. No entanto, aceito e acho muito bem que toda a gente se exprima como se quer exprimir, como é óbvio  ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Darkmagicien em 12.jun.2005, 13:47:03
eu concordo contigo Groove... porque eu fui exibicionista e isso consite mesmo em exaltar o ego!!! eu sentia que devia mostrar-m a toda a gente!!! mas agora sou muito mais controlado!!!
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: super em 12.jun.2005, 16:44:14
Sim Groove, sendo “exaltadora do ego” ou não, eu quero é focar-me na visibilidade que determinadas acções causam na sociedade. E tal como disseste, existem comportamentos que retiram alguma credibilidade à manifestação….provavelmente por causa dos próprios padrões e imagens de credibilidade da nossa sociedade. Ora vejamos…
Porque é que um executivo não anda com um vestido vermelho, lábios pintados, pernas rapadas, salto de 12 cm em plena reunião de potenciais compradores? Será que ninguém o levaria a sério? Mas…que sociedade mais conservadora a nossa…evil people! Tsc! Tsc!
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: katchoo em 12.jun.2005, 19:09:30
Acho que orgulho em ser branco, preto, gay, hetero, bi, portuense, lisboeta e/ou semelhantes superficialidades, é completamente ridículo. Penso que devemos apenas aceitarmo-nos como nós somos, e aos outros também - dando ênfase ao facto de que o conceito de aceitação engloba o sentimento de confiança e aconchego em relação a nós mesmos e aos outros, o que talvez algumas pessoas buscam, a meu ver erradamente, nesse tal "orgulho", que é um extremo.


'Orgulho glbt' seria algo desnecessário, como você diz, se as pessoas não fossem ensinadas a ter vergonha por serem gays, ou trans. A questão é que a parte da sociedade que ainda é homofóbica faz com que grande parte da população acredita que isso seja algo do qual deveríamos nos envergonhar.

Daí a real necessidade da afirmação do orgulho ou, como eu costumo falar, brincando com amigos, da 'falta de vergonha glbt'.     ;)

Dito isso, eu ando um pouco afastada das Paradas GLBT aqui, do Brasil. Já trabalhei em várias Paradas do Rio de Janeiro, como voluntária do Grupo Arco-Íris ([url]http://www.arco-iris.org.br[/url]), mas vejo essa diferença apontada entre a 'alma' e a realidade do evento. Ou, talvez, seja apenas um sintoma de minha leve depressão, não sei.

Me deixa impaciente, e um pouco irritada, que se façam as Paradas (em seu formato atual) há exatos 10 anos, aqui no Brasil, e eu ainda tenha amigas que mentem sobre suas namoradas para não só a família, mas colegas de faculdade, com a desculpa de que podem perder possibilidades acadêmicas.

Me vejo obrigada a respeitar essa forma de pensar, porque não posso achar que apenas eu estoui certa, claro. Mas, pessoalmente, sinto isso como algo horrível, a que eu nunca me submeteria. Me deprime um pouco, na verdade.

E aí, as Paradas. Ando meio cansada disso.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Groove em 12.jun.2005, 19:26:21
Sim Groove, sendo “exaltadora do ego” ou não, eu quero é focar-me na visibilidade que determinadas acções causam na sociedade. E tal como disseste, existem comportamentos que retiram alguma credibilidade à manifestação….provavelmente por causa dos próprios padrões e imagens de credibilidade da nossa sociedade. Ora vejamos…
Porque é que um executivo não anda com um vestido vermelho, lábios pintados, pernas rapadas, salto de 12 cm em plena reunião de potenciais compradores? Será que ninguém o levaria a sério? Mas…que sociedade mais conservadora a nossa…evil people! Tsc! Tsc!

super,
Sim, de facto a sociedade ainda é muito conservadora, mas não podemos querer tudo de um dia para o outro. Hoje se fores para uma reunião só de fato, mas já sem gravata e com ténis em vez de sapatos, podes ser olhado de lado mas já há mais abertura... Agora de vestido vermelho e lábios pintados, é preciso esperar mais algum tempo lol As pessoas são lentas a habituarem-se à mudança.
Mas, de volta ao assunto principal, a minha conclusão é esta: nós temos de jogar com as armas que temos e com a sociedade que temos. Ou seja, não podemos ignorar os padrões da sociedade que temos e depois achar que a nossa mensagem vai chegar a toda a gente sem ser mal interpretada, porque obviamente isso não vai acontecer. Se defendemos uma causa séria, temos de nos comportar de forma séria - vestidos de fato ou de drag queen, a mim tanto me faz, desde que não se faça de uma manif uma festa de "orgulho", um exibicionismo puro a puxar ao vulgar e com alusões óbvias ou menos óbvias ao sexo... No caso que referi, a Marcha em Lx está associada ao Arraial Pride, e depois os media metem tudo no mesmo saco. Que sirva de lição porque, de facto, as 2 coisas não deviam estar associadas, porque não se misturam assuntos sérios com festas e exibicionismo - tens de jogar pelas regras do jogo para conseguires ganhá-lo; só assim conseguirás depois mudares as regras e criares tu o teu próprio jogo.  ;)

'Orgulho glbt' seria algo desnecessário, como você diz, se as pessoas não fossem ensinadas a ter vergonha por serem gays, ou trans. A questão é que a parte da sociedade que ainda é homofóbica faz com que grande parte da população acredita que isso seja algo do qual deveríamos nos envergonhar.
Daí a real necessidade da afirmação do orgulho ou, como eu costumo falar, brincando com amigos, da 'falta de vergonha glbt'. ;)
katchoo,
Sim, compreendo onde queres chegar e concordo que é a sociedade que pode provocar esse sentimento. Aliás, em tudo. Se fores reparar, as pessoas procuram em si mesmas traços, gostos ou opiniões nas quais possam ter o tal "orgulho" para se sentirem parte de algo, integradas (exs: orgulho em ser de determinada cidade, orgulho em gostar de terminado clube, ... mas isso não leva a mais do que uma sensação de integração ilusória, porque provém de conceitos superficiais). Mas pergunto: não será mais lógico fazer uma aceitação interna nossa e dos outros que nos rodeiam, sejam eles como forem, e amarmo-nos e respeitarmo-nos incondicionalmente, do que irmos para extremos de "orgulhos"? É que, tal como tu afirmaste, chegar aos extremos do "orgulho" (ou então do outro extremo, os complexos e a fobia) é exactamente o que a sociedade quer, infelizmente. A sociedade fomenta essa polaridade. E depois o que acontece quando se fomenta essa polaridade? Sempre mais discordância, mais divisâo, mais "ghettos" (a todos os níveis, até mesmo intelectuais), em vez de união e fraternidade. Enquanto se nos aceitarmos a nós mesmos e aos outros, tal como somos, sem orgulhos e auto-importâncias fabricadas exageradas, com simplicidade e respeito, tudo se torna mais tranquilo e fácil, na minha opinião  :)

Responder
Me deixa impaciente, e um pouco irritada, que se façam as Paradas (em seu formato atual) há exatos 10 anos, aqui no Brasil, e eu ainda tenha amigas que mentem sobre suas namoradas para não só a família, mas colegas de faculdade, com a desculpa de que podem perder possibilidades acadêmicas.

Me vejo obrigada a respeitar essa forma de pensar, porque não posso achar que apenas eu estoui certa, claro. Mas, pessoalmente, sinto isso como algo horrível, a que eu nunca me submeteria. Me deprime um pouco, na verdade.

E aí, as Paradas. Ando meio cansada disso.
Compreendo. Mas também temos de reflectir que cada pessoa é um caso. E há casos em que as pessoas não têm outra opção senão esconderem a sua orientação sexual para poderem ter uma vida mais tranquila, subirem na profissão, etc... É triste, mas o que importa é que nós nos sintamos bem connosco próprios - porque quando é assim, se por acaso tivermos de esconder a verdade, estamos de consciência tranquila porque sabemos quem somos e que apenas fizemos essa opção porque não nos restava outra e porque temos objectivos que não podem ser ignorados.  :) De qualquer forma, na minha opinião, se o formato das Paradas fosse mais conteúdo e menos forma, teria muito mais êxito... porque penso que o objectivo é por as pessoas e os media a discutir o assunto de forma séria, portanto deve-se apostar mais no conteúdo e menos na forma, é a minha opinião - mas sempre respeitando a livre expressão de cada um, claro. Como disse, desde que não se confundam reinvindicações de direitos com festas e exibicionismo...
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 12.jun.2005, 21:28:43
Que sirva de lição porque, de facto, as 2 coisas não deviam estar associadas, porque não se misturam assuntos sérios com festas e exibicionismo - tens de jogar pelas regras do jogo para conseguires ganhá-lo; só assim conseguirás depois mudares as regras e criares tu o teu próprio jogo.  ;)

Pessoalmente não acho que as 2 seja misturadas (tanto que são 2 e não 1 já por serem diferentes e as respectivas reportagens são cada uma) e não compreendo muito bem onde é que uma festa é exibicionismo e especialmente o arraial pride em Lisboa...
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Wolf em 12.jun.2005, 22:57:12
mas como kerem vocês mudar as mentalidades, se mesmo assim  querem mostrar a realidade às pessoas com paninhus quentes?

vamos mostrar que a homossexualidade existem, mas com cuidado.. naaaaa

a verdade tem de ser nua e crua, e só assim, completamente sincera, é k chega ás pessoas.se escondermos parte dela, o k garante às pessoas k ñ escondemos a parte fulcral dela? 

mostramos mãos dadas, mas ñ beijos, mostramos estilos de vida estereotipados, mas ñ "exentricidades". oh não, isso não. ñ vão as velhinhas chocar-se!

por mim, olhem, que se choquem as velhinhas, os miudos, e toda a gente! o choque é forte, mas passa, e a transição tem sempre esta faceta, a brusca. as pessoas acabam por se habituar se virem algo, agora se nunca o virem nunca se hão de habituar.

 :)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: katchoo em 13.jun.2005, 05:36:34
Mas também temos de reflectir que cada pessoa é um caso. E há casos em que as pessoas não têm outra opção senão esconderem a sua orientação sexual para poderem ter uma vida mais tranquila, subirem na profissão, etc...

Como eu disse, eu me obrigo a respeitar a opinião de minhas amigas que vivem assim. Não discuto, e busco não julgar. Mas sou humana e, inevitavelmente, tenho meus momentos menos compreensivos. Em relação à família, ok, é mesmo complicado. Agora, quando é em relação à trabalho e faculdade... Em dias como hoje, não consigo deixar de encarar isso como falta de fibra moral. Uma falha de caráter.

Uau, para quem não pretende julgar, eu exagero, não?     :o

Mas não posso ser hipócrita. Esse julgamento passa por minha cabeça, às vezes. Quando vejo as pessoas lutando por seus direitos e ainda sendo criticadas, e vejo outras, escondendo seus amores, negando seus sentimentos para amigos e colegas de trabalho, apenas para se darem bem, tenho ânsias.

Mas pode ser apenas síndrome de fim de domingo...    :-\

Não levem a mal meu desabafo. Há dias...
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: super em 13.jun.2005, 14:28:54
mas como kerem vocês mudar as mentalidades, se mesmo assim  querem mostrar a realidade às pessoas com paninhus quentes?

vamos mostrar que a homossexualidade existem, mas com cuidado.. naaaaa

Wolf, mas a maioria dos homossexuais tem de ser extravagante? É isso a realidade?
Eu sinceramente já estou farta, mas fartinha até à pontinha do cabelo, de ouvir misturas entre homossexual (especialmente masculino) e bondage. Temos um homem homossexual com relativo sucesso na vida e posição social e o que é que se ouve a seu respeito? Praticas sadomasoquistas, e exibicionistas durante a noite, porque ser gay é isso mesmo! É vestir cabedal pegar no chicote e essas coisas… :inq
Acho que como já um forense disse, temos que jogar com as armas que temos na sociedade que temos. Já toda a gente está cansada de saber que existem as mais variadas formas e existencialismos gay. Gosto de pensar que estou a ser correctamente entendida, não estou aqui para ter afirmações que revelem algum xenofobismo, apenas não gosto das associações que existem em torno da homossexualidade e é uma pena que a sociedade só veja ou melhor…só realce os comportamentos negativos (ex. sexo desprotegido, promiscuidade, prostituição e alguma obscuridade) à homossexualidade. Na minha humilde opinião, acho que não é com o formato de festa que temos que vamos algum dia mudar isto quando em pleno desfile (sim, eu já vi!) há pessoas a terem comportamentos de promiscuidade. Não sei se por revolta ou exaltação do ego mas a verdade é que por causa dessas atitudes há comentários e associações menos agradáveis.

katchoo, peço para passarem pelo fórum onde se discutem “problemas técnicos” para te tirarem a duvida de como usar o “citar”. Já é a segunda vez que usas citações em meu nome que não foram escritas por mim (super) mas sim por outro nick. ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Wolf em 14.jun.2005, 00:10:23


Wolf, mas a maioria dos homossexuais tem de ser extravagante? É isso a realidade?
Eu sinceramente já estou farta, mas fartinha até à pontinha do cabelo, de ouvir misturas entre homossexual (especialmente masculino) e bondage. Temos um homem homossexual com relativo sucesso na vida e posição social e o que é que se ouve a seu respeito? Praticas sadomasoquistas, e exibicionistas durante a noite, porque ser gay é isso mesmo! É vestir cabedal pegar no chicote e essas coisas… :inq


ñ sei onde foste encontrar essa opinião no meu post. mas o k eu digo e volto a referir, é k NÃO se deve censurar os comportamentos ditos menos normais.tenham, ou não implicações seja com o k for (homossexualidade, por exemplo). 
obviamentemente k os homossexuais ñ têm de ser todos extravagantese não o são, como todos os grupos sociais do planeta, há uns k sim, e outros k não. mas porquê tanto medo, censura e evergonha dentro de um grupo, já só por si tão maltratado pela sociedade. acho k nos devemos despreocupar com o k os outros pensam. e ñ devemos criticar aqueles k tal como nós, só kerem ser como são.

aquele que julga não deve ter medo de ser julgado.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: candy cane em 23.mar.2006, 23:53:01
Se um casal heterossexual se exibe num jardim público quando ficam aos beijos durante horas porque é que não o posso fazer? Porque eles estão "entusiasmados" e eu sou uma exibicionista que não quer fazer mais nada além de chocar as pessoas com a minha "opção" de vida? :inq
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: HLuso em 24.mar.2006, 01:31:06
Em Portugal em qualquer pride, os homossexuais não deverão mostrar orgulho, nem qualquer tipo de exibicionismo ou alegria...o desfile tem de ser em formato de coitadinhos, todos a chorar, vestidos de desgraçadinhos, com bolas de ferro nos pés, forcas no pescoço...Portugal jamais admite que a marcha gay possa ter um caracter alegre (como a holandesa por exemplo)..este é um pais melodramiatico, negativo, cinzento, demagogo...

Não ha pachorra!
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: SafeLight em 24.mar.2006, 01:37:32
Em Portugal em qualquer pride, os homossexuais não deverão mostrar orgulho, nem qualquer tipo de exibicionismo ou alegria...o desfile tem de ser em formato de coitadinhos, todos a chorar, vestidos de desgraçadinhos, com bolas de ferro nos pés, forcas no pescoço...Portugal jamais admite que a marcha gay possa ter um caracter alegre (como a holandesa por exemplo)..este é um pais melodramiatico, negativo, cinzento, demagogo...

Não ha pachorra!

Entristece-me ter de concordar contigo.. Mas: se temos consciencia de tudo isso k dizes (com o kual concordo em grande parte)  cabe-nos a nós ter a atitude correcta.. ensiná-los! Estar presentes! começar por termos nós proprios uma atitude positiva para k unidos possamos contagiar todos! Parece uma beca utópico, eu sei.. mas "é pork sou jovem" lol tenho sangue na guelra e tenho um país para educar.. (POR*A, ATÉ TOU EMOCIONADO.. :'()
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: HLuso em 24.mar.2006, 01:49:04
Em Portugal em qualquer pride, os homossexuais não deverão mostrar orgulho, nem qualquer tipo de exibicionismo ou alegria...o desfile tem de ser em formato de coitadinhos, todos a chorar, vestidos de desgraçadinhos, com bolas de ferro nos pés, forcas no pescoço...Portugal jamais admite que a marcha gay possa ter um caracter alegre (como a holandesa por exemplo)..este é um pais melodramiatico, negativo, cinzento, demagogo...

Não ha pachorra!

Entristece-me ter de concordar contigo.. Mas: se temos consciencia de tudo isso k dizes (com o kual concordo em grande parte)  cabe-nos a nós ter a atitude correcta.. ensiná-los! Estar presentes! começar por termos nós proprios uma atitude positiva para k unidos possamos contagiar todos! Parece uma beca utópico, eu sei.. mas "é pork sou jovem" lol tenho sangue na guelra e tenho um país para educar.. (POR*A, ATÉ TOU EMOCIONADO.. :'()

heeheh...és um querido, mas o pais não precisa só de se educar,a educação é positiva, mas só tem valor se for acompanhada com evolução... o pais precisa de evoluir e deixar de ser tão periferico e mesquinho..o pais tem de sorrir, ser positivo, ser humano e não cruel, não viver tão obcecado com a saudade e pensar mais no futuro, ser construtivo e não destrutivo, ser bem-dizente e não mal-dizente, ser inovador e não retrogrado etc etc...

Este pais é um grande bando de carpideiras sempre a chorar e viciados no deita abaixo...é horrivel!
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: SafeLight em 24.mar.2006, 02:09:12
Este pais é um grande bando de carpideiras sempre a chorar e viciados no deita abaixo...é horrivel!

Eskeceste-te de mensionar a inveja portuguesa, meu amigo! essa tb é um dos principais problemas..
Um país pobre não se pode mudar sem dinheiro... :-\
Por isso as pessoas são más e invejosas e criticam-nos pork somos exibicionistas,
Sei lá, eles até podem ter inveja em mts casos...
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: exibe-te.com em 23.jun.2006, 17:07:51
Pois eu sou da opinião que todos temos um pouco de exibicionistas, às vezes a sociedade é que rotula com facilidade demais, faz juízos de valor, e o facto de uma pessoa se mostrar passa logo a exibição (com uma conotação negativa)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: hal em 23.jun.2006, 20:04:12
Se um casal heterossexual se exibe num jardim público quando ficam aos beijos durante horas porque é que não o posso fazer? Porque eles estão "entusiasmados" e eu sou uma exibicionista que não quer fazer mais nada além de chocar as pessoas com a minha "opção" de vida? :inq

Completamente de acordo.  :)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: lost_head em 24.jun.2006, 23:02:24
Se um casal heterossexual se exibe num jardim público quando ficam aos beijos durante horas porque é que não o posso fazer? Porque eles estão "entusiasmados" e eu sou uma exibicionista que não quer fazer mais nada além de chocar as pessoas com a minha "opção" de vida? :inq

Completamente de acordo.  :)

nem mais [smiley=martelo.gif]
uma das coisas k me deixe triste e irritada é saber k vou na rua com a minha namorada e ñ lhe poss dar a mão ou dar-lhe 1 bj...pq fica td a olhar e alguem conhecido pode ver...é frustrante...um casal hetero faz td e mais alguma coisa e ninguem diz nd!!
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 25.jun.2006, 12:39:06
uma das coisas k me deixe triste e irritada é saber k vou na rua com a minha namorada e ñ lhe poss dar a mão ou dar-lhe 1 bj...pq fica td a olhar e alguem conhecido pode ver...é frustrante...um casal hetero faz td e mais alguma coisa e ninguem diz nd!!

Muitos LGB já fazem demosntrações de afecto em público e ninguém lhes diz nada. Se mais e mais perdesse medos e vergonhas passaria a ser banal. Comum aos olhos de todos.

PS. Muitas pessoas já nem olham para o facto de serem dois homens ou duas mulheres e se o fazem esboçam um sorriso. Quanto a insultos também os há porque os há em todas as vertentes das nossas vidas.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: hal em 25.jun.2006, 12:41:19
Muitos LGB já fazem demosntrações de afecto em público e ninguém lhes diz nada. Se mais e mais perdesse medos e vergonhas passaria a ser banal. Comum aos olhos de todos.

PS. Muitas pessoas já nem olham para o facto de serem dois homens ou duas mulheres e se o fazem esboçam um sorriso. Quanto a insultos também os há porque os há em todas as vertentes das nossas vidas.

Eu fui apanhada a beijar a minha namorada no cinema e a funcionária nem abriu a boca!  [smiley=orgulhoso.gif]

Passámos por ela com um simples sorriso...  ;D
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: SafeLight em 26.jun.2006, 01:48:18
na minha optica, são conceitos k não fazem kkr sentido por si só..

só preciso de respeito..
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 26.jun.2006, 14:51:55
Muitos LGB já fazem demosntrações de afecto em público e ninguém lhes diz nada. Se mais e mais perdesse medos e vergonhas passaria a ser banal. Comum aos olhos de todos.

PS. Muitas pessoas já nem olham para o facto de serem dois homens ou duas mulheres e se o fazem esboçam um sorriso. Quanto a insultos também os há porque os há em todas as vertentes das nossas vidas.

Eu fui apanhada a beijar a minha namorada no cinema e a funcionária nem abriu a boca!  [smiley=orgulhoso.gif]

Passámos por ela com um simples sorriso...  ;D

Até porque com a boca aberta podia-lhe entrar m mosc ou algo do género e não seria nada agradável...
Título: Re:Opinião sobre o âmbito das Prides...
Enviado por: nunno em 23.jul.2006, 22:12:48
Não resisto em dar a minha opinião sobre este assunto....

Eu sou a favor das manifestações pela reivindicação de direitos e obrigações para o cidadão homossexual...sem duvida que sou a favor disso, e até acho essenciais...

Acontece que este Modelo de Pride, completamente Americanizado, aliás pelo que sei da história, e emendem-me se estiver errado, nasce precisamente nos EUA, após aqueles conflitos de Stonewall, etc etc...

Eu acho que uma manifestação é algo muito sério..quando as pessoas se estão a manifestar, a reivindicar alguma coisa, é porque de alguma forma estão a ser injustiçados, prejudicados e maltratados...Daí que eu seja contra este tipo de pride/manif, pois o formato é de festa, com arraiais e tudo à mistura...Ou seja o âmbito é de diversão e de DESFILE...uma manifestação não é um desfile....

Eu sinceramente não tenho paciencia para andar a festejar nas ruas pelo facto de gay....a Questão do orgulho, na minha opinião é uma americanice...não tenho de ter ou deixar de ter orgulho por ser gay..sou e pronto!!!Ninguem anda a fazer manifestações de orgulho por ser heterossexual!!!!!

O meu espirito para ir a uma manifestação é de raiva, de indignação, de revolta...afinal estou a ser maltratado por uma sociedade que me exclui e me priva de direitos e obrigações identicas a todos os demais...era essa a postura que eu acho credivel e coerente numa manifestação,isto pela minha condição de homossexual nesta sociedade civil...Jamais tenho espirito e disposição para ir para uma pride deste estilo, de festa, alegria etc etc..Tipo queima das fitas...para beber uns copos....!!!!!

O que não invalida que as comunidades gays tambem não organizem festividades, eventos etc etc e que convidem a restante população a participar nisso....mas no âmbito de uma manifestação a postura deveria ser de constrangimento....!!!!!


E deveria haver mais acções..o Dia Mundial do Homossexual, não sei se existe...já que somos uma minoria, porque não um dia de reflexão sobre a nossa natureza e actual condição social...onde se poderiam fazer campanhas de sensibilização, informação (genetica, religiosa, politica etc) distribuição de autocolantes etc etc...

Contudo acredito, e pelo que o forista PortugalGay disse, que também a a comunicação social é culpada por apenas transmitir o lado festivo das tais prides...Não sei...eu pelo que vejo em fotos, e pelo que me contam...ir a uma Pride é Super Divertido!!!!

Ora eu às manifestações que fui na vida, certamente não fui para me divertir...

É apenas uma opiniãooo...

Abraços


Eu não concordo totalmente com os desfiles de orgulho gay em Portugal ou no Mundo. Acho que o orgulho é uma variante da nossa maneira de ser que reflecte a nossa postura em sociedade e perante nós mesmos. E pensando assim, acho que é um pouco ridículo desfilar ao longo de uma grande avenida agitando bandeiras e gritando palavras de ordem como se estivessemos a reivindicar os nossos direitos, enquanto homossexuais, negados pela sociedade. Mas os direitos humanos são válidos para qualquer ser humano a partir do momento em que nasce. Aliás, não são destinguidos direitos da pessoa x da pessoa y e por ai a fora... porque partimos dos pressuposto que todos temos os mesmos direitos e existe igualdade entre todos os seres humanos. Agora, o que pode complicar mais as coisas é a aceitação da sociedade pelos homossexuais, como se tivessemos que ser submetidos a um processo de aceitação por um comité consultivo ou multidisciplinar... o que mais uma vez é ridiculo. Ora, onde quero chegar é ao seguinte: não somos nós que devemos reclamar algo que há partida já nos está garantido em pé de igualdade para com todas as criaturas vivas deste mundo, mas é a maneira de ser da sociedade homofóbica que deve mudar. Agora, devemos ser nós a mudá-la? Na minha opinião não. Porque estariamos a agir como se fossemos uma minoria, como se fossemos obrigados a suprimir tal efeito que menosprezo. Acho que as tais 'pride parades' valorizam ao extremo esta problemática, acabando ás vezes por cair no ridiculo comum. É obvio que estes assuntos devems ser descutidos porque até têm certa relevância para serem questionados. Mas precisamos nós verdadeiramente de justificar à sociedade que somos quem somos e porquê? Ou devemos antes pensar com nós próprios que somos nós que vivemos a nossa vida, e que não é preciso uma manifestação nem muito menos desfile para justificar que estamos felizes a alguém? Acho que acima de tudo temos que nos aceitar a nós próprios. Se a sociedade (homofóbica) não nos aceitar, são eles que estão errados e não nós e devemos preocupar-nos sempre e em primeiro lugar com o facto de estarmos bem como somos.  :)  Se lhes conseguirmos fazer ver que não estão correctos e despromover o seu etnocentrismo (que acaba mais por ser estupidez), ainda melhor  ;)  :P
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: betogay em 23.jul.2006, 22:19:52
Responder
Eu não concordo totalmente com os desfiles de orgulho gay em Portugal ou no Mundo. Acho que o orgulho é uma variante da nossa maneira de ser que reflecte a nossa postura em sociedade e perante nós mesmos. E pensando assim, acho que é um pouco ridículo desfilar ao longo de uma grande avenida agitando bandeiras e gritando palavras de ordem como se estivessemos a reivindicar os nossos direitos, enquanto homossexuais, negados pela sociedade. Mas os direitos humanos são válidos para qualquer ser humano a partir do momento em que nasce. Aliás, não são destinguidos direitos da pessoa x da pessoa y e por ai a fora... porque partimos dos pressuposto que todos temos os mesmos direitos e existe igualdade entre todos os seres humanos. Agora, o que pode complicar mais as coisas é a aceitação da sociedade pelos homossexuais, como se tivessemos que ser submetidos a um processo de aceitação por um comité consultivo ou multidisciplinar... o que mais uma vez é ridiculo. Ora, onde quero chegar é ao seguinte: não somos nós que devemos reclamar algo que há partida já nos está garantido em pé de igualdade para com todas as criaturas vivas deste mundo, mas é a maneira de ser da sociedade homofóbica que deve mudar. Agora, devemos ser nós a mudá-la? Na minha opinião não. Porque estariamos a agir como se fossemos uma minoria, como se fossemos obrigados a suprimir tal efeito que menosprezo. Acho que as tais 'pride parades' valorizam ao extremo esta problemática, acabando ás vezes por cair no ridiculo comum. É obvio que estes assuntos devems ser descutidos porque até têm certa relevância para serem questionados. Mas precisamos nós verdadeiramente de justificar à sociedade que somos quem somos e porquê? Ou devemos antes pensar com nós próprios que somos nós que vivemos a nossa vida, e que não é preciso uma manifestação nem muito menos desfile para justificar que estamos felizes a alguém? Acho que acima de tudo temos que nos aceitar a nós próprios. Se a sociedade (homofóbica) não nos aceitar, são eles que estão errados e não nós e devemos preocupar-nos sempre e em primeiro lugar com o facto de estarmos bem como somos. Se lhes conseguirmos fazer ver que não estão correctos e despromover o seu etnocentrismo (que acaba mais por ser estupidez), ainda melhor
 

Subscrevo  lol


betogay
Título: Re:Opinião sobre o âmbito das Prides...
Enviado por: Phoenix em 23.jul.2006, 22:21:04
Não resisto em dar a minha opinião sobre este assunto....

Eu sou a favor das manifestações pela reivindicação de direitos e obrigações para o cidadão homossexual...sem duvida que sou a favor disso, e até acho essenciais...

Acontece que este Modelo de Pride, completamente Americanizado, aliás pelo que sei da história, e emendem-me se estiver errado, nasce precisamente nos EUA, após aqueles conflitos de Stonewall, etc etc...

Eu acho que uma manifestação é algo muito sério..quando as pessoas se estão a manifestar, a reivindicar alguma coisa, é porque de alguma forma estão a ser injustiçados, prejudicados e maltratados...Daí que eu seja contra este tipo de pride/manif, pois o formato é de festa, com arraiais e tudo à mistura...Ou seja o âmbito é de diversão e de DESFILE...uma manifestação não é um desfile....

Eu sinceramente não tenho paciencia para andar a festejar nas ruas pelo facto de gay....a Questão do orgulho, na minha opinião é uma americanice...não tenho de ter ou deixar de ter orgulho por ser gay..sou e pronto!!!Ninguem anda a fazer manifestações de orgulho por ser heterossexual!!!!!

O meu espirito para ir a uma manifestação é de raiva, de indignação, de revolta...afinal estou a ser maltratado por uma sociedade que me exclui e me priva de direitos e obrigações identicas a todos os demais...era essa a postura que eu acho credivel e coerente numa manifestação,isto pela minha condição de homossexual nesta sociedade civil...Jamais tenho espirito e disposição para ir para uma pride deste estilo, de festa, alegria etc etc..Tipo queima das fitas...para beber uns copos....!!!!!

O que não invalida que as comunidades gays tambem não organizem festividades, eventos etc etc e que convidem a restante população a participar nisso....mas no âmbito de uma manifestação a postura deveria ser de constrangimento....!!!!!


E deveria haver mais acções..o Dia Mundial do Homossexual, não sei se existe...já que somos uma minoria, porque não um dia de reflexão sobre a nossa natureza e actual condição social...onde se poderiam fazer campanhas de sensibilização, informação (genetica, religiosa, politica etc) distribuição de autocolantes etc etc...

Contudo acredito, e pelo que o forista PortugalGay disse, que também a a comunicação social é culpada por apenas transmitir o lado festivo das tais prides...Não sei...eu pelo que vejo em fotos, e pelo que me contam...ir a uma Pride é Super Divertido!!!!

Ora eu às manifestações que fui na vida, certamente não fui para me divertir...

É apenas uma opiniãooo...

Abraços


Eu não concordo totalmente com os desfiles de orgulho gay em Portugal ou no Mundo. Acho que o orgulho é uma variante da nossa maneira de ser que reflecte a nossa postura em sociedade e perante nós mesmos. E pensando assim, acho que é um pouco ridículo desfilar ao longo de uma grande avenida agitando bandeiras e gritando palavras de ordem como se estivessemos a reivindicar os nossos direitos, enquanto homossexuais, negados pela sociedade. Mas os direitos humanos são válidos para qualquer ser humano a partir do momento em que nasce. Aliás, não são destinguidos direitos da pessoa x da pessoa y e por ai a fora... porque partimos dos pressuposto que todos temos os mesmos direitos e existe igualdade entre todos os seres humanos. Agora, o que pode complicar mais as coisas é a aceitação da sociedade pelos homossexuais, como se tivessemos que ser submetidos a um processo de aceitação por um comité consultivo ou multidisciplinar... o que mais uma vez é ridiculo. Ora, onde quero chegar é ao seguinte: não somos nós que devemos reclamar algo que há partida já nos está garantido em pé de igualdade para com todas as criaturas vivas deste mundo, mas é a maneira de ser da sociedade homofóbica que deve mudar. Agora, devemos ser nós a mudá-la? Na minha opinião não. Porque estariamos a agir como se fossemos uma minoria, como se fossemos obrigados a suprimir tal efeito que menosprezo. Acho que as tais 'pride parades' valorizam ao extremo esta problemática, acabando ás vezes por cair no ridiculo comum. É obvio que estes assuntos devems ser descutidos porque até têm certa relevância para serem questionados. Mas precisamos nós verdadeiramente de justificar à sociedade que somos quem somos e porquê? Ou devemos antes pensar com nós próprios que somos nós que vivemos a nossa vida, e que não é preciso uma manifestação nem muito menos desfile para justificar que estamos felizes a alguém? Acho que acima de tudo temos que nos aceitar a nós próprios. Se a sociedade (homofóbica) não nos aceitar, são eles que estão errados e não nós e devemos preocupar-nos sempre e em primeiro lugar com o facto de estarmos bem como somos.  :)  Se lhes conseguirmos fazer ver que não estão correctos e despromover o seu etnocentrismo (que acaba mais por ser estupidez), ainda melhor  ;)  :P
A minha interpretação ao ler o teu post quase que se resume a que devemos nos calar sobre todos os direitos que "somos privados" e sobre as discrimanações que "sofremos".  :-\
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: nunno em 23.jul.2006, 23:00:11
não! longe de mim! acredito que a minha opinião não tenha sido lá muito bem expressa e não quero levar a mas interpretacoes do meu post (eu nao tou habituado a escrever em foruns). eu disse no post que, apesar da minha opiniao, estas problematicas devem ser reflectidas e problematizadas. alias, nem quero com isso dizer que nao nos devemos manifestar. mas so k as vezes nao se justificam muitas manifestacoes que acabam por ser mais desfiles... apenas quero dizer que, no seguimento do topico, estas manifestacoes nao se justificam pelo orgulho e exibixionismo, que acabam por transpor uma imagem que nao sera a mais correcta, acabando quase por parecer que estamos ali na manidestacao porque somos diferentes, o que é um pouco contraditorio. é certo que somos diferentes na opcao sexual mas, por sua vez, esta nao condena a diferença. alias, por aquilo que li desde que estou inscrito neste forum, todos os esforcos sao feitos para que nos sintamos em ex-aequo com o resto do mundo. empatados, no sentido literal da palavra. iguais num mundo de diferencas mas k nao sao descriminatorias da nossa identidade...
em relacao aos direitos e aos deveres e ao facto de nos sentirmos diferentes e a tudo a si inerente, prefiro deixar para outro topico que seja mais coerente com o assunto, pa nao nos alargarmos...

espero ter sido mais claro desta vez e peco desculpa por ter sido demasiado confuso ao explicar...  :up

abracos
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 24.jul.2006, 13:56:33
Confesso que às vezes, demasiadas (infelizmente), fico perplexa com o que encontro aqui no fórum. Se não faz sentido para muitos de vós marchas que reivindiquem os nossos direitos então tão pouco deveria fazer sentido este fórum e a associação rede ex aequo. É que as pessoas que marcham, são as mesmas que se juntaram para criar este espaço e esta associação, mas já vi que todos encaram muito bem o vosso dia-a-dia e não necessitam qualquer tipo de apoio ou luta por direitos igual.

Fico contente em sabê-lo (NOT).

 >:(

Não há pior b****** que a bicha que critica outros LGBT e não tem espelhos em casa.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Wasserfest em 24.jul.2006, 14:00:40
Se não faz sentido para muitos de vós marchas que reivindiquem os nossos direitos então tão pouco deveria fazer sentido este fórum e a associação rede ex aequo.

Falo por mim mas acho que muitos se poderao rever nas minhas palavras. A questão não é se faz sentido ou não uma marcha, para mim faz sentido, no entanto muitos talvez discordem de a forma como elas são organizadas ou dizendo melhor da imagem que passa para o exterior, imagem esta tantas vezes deturpada e hiperbolizada como uma imagem lasciva e ordinária. No entanto acho que a Marcha do Porto, pelo que vi, teve uma óptima ideia (a das máscaras), e era esse tipo de Marchas que eu gostaria de ver, no entanto a minha opinião vale o que vale  ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 24.jul.2006, 14:06:42
Se não faz sentido para muitos de vós marchas que reivindiquem os nossos direitos então tão pouco deveria fazer sentido este fórum e a associação rede ex aequo.

Falo por mim mas acho que muitos se poderao rever nas minhas palavras. A questão não é se faz sentido ou não uma marcha, para mim faz sentido, no entanto muitos talvez discordem de a forma como elas são organizadas ou dizendo melhor da imagem que passa para o exterior, imagem esta tantas vezes deturpada e hiperbolizada como uma imagem lasciva e ordinária. No entanto acho que a Marcha do Porto, pelo que vi, teve uma óptima ideia (a das máscaras), e era esse tipo de Marchas que eu gostaria de ver, no entanto a minha opinião vale o que vale  ;)

Lasciva e ordinária?!... Desculpa, mas como vi que não falamos do mesmo a minha argumentação termina aqui. Resta apenas dizer que todas as marchas realizadas em Portugal - LISBOA - não distam das realizadas no Porto.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Wasserfest em 24.jul.2006, 14:09:22
Se não faz sentido para muitos de vós marchas que reivindiquem os nossos direitos então tão pouco deveria fazer sentido este fórum e a associação rede ex aequo.

Falo por mim mas acho que muitos se poderao rever nas minhas palavras. A questão não é se faz sentido ou não uma marcha, para mim faz sentido, no entanto muitos talvez discordem de a forma como elas são organizadas ou dizendo melhor da imagem que passa para o exterior, imagem esta tantas vezes deturpada e hiperbolizada como uma imagem lasciva e ordinária. No entanto acho que a Marcha do Porto, pelo que vi, teve uma óptima ideia (a das máscaras), e era esse tipo de Marchas que eu gostaria de ver, no entanto a minha opinião vale o que vale  ;)

Lasciva e ordinária?!... Desculpa, mas como vi que não falamos do mesmo a minha argumentação termina aqui. Resta apenas dizer que todas as marchas realizadas em Portugal - LISBOA - não distam das realizadas no Porto.

Peço-te que entendas que eu não disse que a marcha era lasciva e ordinaria, apenas disse que a comunicação social muitas vezes tenta passar essa imagem acentuando-a da forma que pode. E eu digo isto porque foi a ideia com que eu fiquei dos vários anos de espectador de sofá. Porem tenho a noção que a imagem real é diferente da imagem concebida....
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 24.jul.2006, 14:10:58
Mas se os media disserem que dão carros no fundo do poço vais a correr saltar para dentro do mesmo?! ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Wasserfest em 24.jul.2006, 14:14:35
Mas se os media disserem que dão carros no fundo do poço vais a correr saltar para dentro do mesmo?! ;)

Eu não ia porque já sou uma pessoa minimamente esclarecida, mas ambos sabemos que muita gente iria. Infelizmente a comunicação social é um meio muito poderoso, e infelizmente porque a maior parte das vezes consegue passar a imagem errada, em vez de usar a sua influencia para mudar o panorama para algo mais positivo.
Nós que estamos dentro do assunto por assim dizer, não podemos de qualquer forma achar que as pessoas que nunca se confrontaram com o tema da homossexualidade tenham a capacidade de julgamento que nós temos ao ver tais imagens  ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: cacao em 24.jul.2006, 14:34:14
Mas se os media disserem que dão carros no fundo do poço vais a correr saltar para dentro do mesmo?! ;)

Eu não ia porque já sou uma pessoa minimamente esclarecida, mas ambos sabemos que muita gente iria. Infelizmente a comunicação social é um meio muito poderoso, e infelizmente porque a maior parte das vezes consegue passar a imagem errada, em vez de usar a sua influencia para mudar o panorama para algo mais positivo.
Nós que estamos dentro do assunto por assim dizer, não podemos de qualquer forma achar que as pessoas que nunca se confrontaram com o tema da homossexualidade tenham a capacidade de julgamento que nós temos ao ver tais imagens  ;)

Porque dizes que ambos sabemos?

Eu estou por dentro do assunto. Tu estás? ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Wasserfest em 24.jul.2006, 14:37:41
Mas se os media disserem que dão carros no fundo do poço vais a correr saltar para dentro do mesmo?! ;)

Eu não ia porque já sou uma pessoa minimamente esclarecida, mas ambos sabemos que muita gente iria. Infelizmente a comunicação social é um meio muito poderoso, e infelizmente porque a maior parte das vezes consegue passar a imagem errada, em vez de usar a sua influencia para mudar o panorama para algo mais positivo.
Nós que estamos dentro do assunto por assim dizer, não podemos de qualquer forma achar que as pessoas que nunca se confrontaram com o tema da homossexualidade tenham a capacidade de julgamento que nós temos ao ver tais imagens  ;)

Porque dizes que ambos sabemos?

Eu estou por dentro do assunto. Tu estás? ;)

Porque sei que tu estás e sei que eu com toda a informação que aqui absorvi tambem estou  ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: v em 24.jul.2006, 17:41:41
You say tomato, I say tomátó.


Thing is, a questão é que as pessoas envolvidas no activismo e por sua vez participação nas marchas têm uma opinião e fundamento para uma visão mais abrangente do que se passa nas marchas. Porque cria, organiza, participa, vê. Tem uma visão a 200%... quem está apenas a participar tem uma visão de 80 a 90% do que se passa.

Mas ao ter uma visão de 200% pode não ver percentagens do que é assimilado por quem vê 90% e vice versa.

É óbvio que houve evolução nas marchas, mas o conceito geral... é sempre o mesmo. Será que isso no final é benéfico?
Certo, revindicar as mesmas questões pois são as mesmas (ou quase todas), mas a forma como é feito, está a surtir efeito? A mensagem que se quer passar, está a ser efectivamente assimilada? O que se pode fazer de novo? Em que moldes? Que meios? No que é que as associações podem melhorar num esforço conjunto efectivo? Como tornar o panorama actual das associações LGBT mais coerente e unitário ao nível da imagem que é transmitida ao público?

São perguntas que devem ser efectuadas. E deixarmo-nos (regra geral) do mostra ou não a cara, daquele ou este que está com lantejoulas ou não numa única marcha. Penso que no contexto nacional surte pouco efeito prático, pois os problemas vêm de raiz e não numa avenida.

Cada vez mais me cansa o criticismo desprovido de acção efectiva. Sugestiva.

Por exemplo... simples métodos de comunicação. LGBT, acham que quem vê esta sigla sabe imediatamente sobre o que se trata?
Será que a marcha é o 'produto' mais eficáz na luta pelos direitos das associações? Há outros meios mais eficázes? Se sim, quais?







Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Scorpio_Angel em 24.jul.2006, 17:49:28
Cada vez mais me cansa o criticismo desprovido de acção efectiva. Sugestiva.


Não podia concordar mais contigo.


Por exemplo... simples métodos de comunicação. LGBT, acham que quem vê esta sigla sabe imediatamente sobre o que se trata?


Na marcha no Porto tivemos esse cuidado. Foi efectivamente uma das questões levantadas (e quanto a mim, bastante válida, uma vez que um dos objectivos é sensibilizar para a questão, logo também informar). 
Como tal optou-se pela descrição completa na faixa introdutória da marcha (o que exigiu ginástica matemática lol), entre outros materiais de divulgação. ;)

http://portugalgay.pt/news/porto2006/marcha%20(29).jpg
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bluejazz em 16.nov.2007, 14:05:47
O orgulho não é nem mais nem menos que a auto-estima em excesso que é preciso ter diariamente para aguentar a quantidade de estupidez e porcaria que dizem sobre ti, para que a nossas pernas não tremam, para que consigamos andar para a frente e tentar mudar as coisas.

Pedro Zerolo, político gay do PSOE (Espanha)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Scorpio_Angel em 16.nov.2007, 15:57:03
O orgulho não é nem mais nem menos que a auto-estima em excesso que é preciso ter diariamente para aguentar a quantidade de estupidez e porcaria que dizem sobre ti, para que a nossas pernas não tremam, para que consigamos andar para a frente e tentar mudar as coisas.

Pedro Zerolo, político gay do PSOE (Espanha)

De acordo. Retirava o somente o "em excesso" por ser algo redundante a meu ver...

PS. É pena que (fora dos meandros mais esclarecidos neste ponto) só uma pequena parte da população conheça o Pedro Zerolo, apesar de algum reconhecimento que tem tido. Foi um dos obreiros da mudança que tem ocorrido em Espanha nos últimos anos (causa LGBT mas não só) e uma é sem dúvida uma personalidade digna de referência.  :)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: BrunoMCP em 28.jun.2013, 14:42:43
Abrindo um tópico velho, só porque sim.

Antes de mais, se há coisa que aprendi nos meus últimos anos com a rede ex aequo, é que o orgulho existe como contradição da vergonha que nos impõe a sociedade.

Depois, as marchas podem ser vistas tanto pelo protesto e reivindicação de direitos e visibilidade, como pela celebração da História e do progresso da causa.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cardo em 04.jul.2013, 08:18:49
Abrindo um tópico velho, só porque sim.

Antes de mais, se há coisa que aprendi nos meus últimos anos com a rede ex aequo, é que o orgulho existe como contradição da vergonha que nos impõe a sociedade.

Depois, as marchas podem ser vistas tanto pelo protesto e reivindicação de direitos e visibilidade, como pela celebração da História e do progresso da causa.

Tambem se pode ver as marchas como exibicionismo.

Eu não concordo muito marchas e não voou às mesmas, desde que vi coisas que não era suposto em 2009 na Marcha, perdi toda a vontade.

Infelizmente poucos ali na Marcha defendem os verdadeiros direitos LGBT, os outros passeam e engatam!
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: JDelgado em 07.jul.2013, 14:54:23
Abrindo um tópico velho, só porque sim.

Antes de mais, se há coisa que aprendi nos meus últimos anos com a rede ex aequo, é que o orgulho existe como contradição da vergonha que nos impõe a sociedade.

Depois, as marchas podem ser vistas tanto pelo protesto e reivindicação de direitos e visibilidade, como pela celebração da História e do progresso da causa.


Tambem se pode ver as marchas como exibicionismo.

Eu não concordo muito marchas e não voou às mesmas, desde que vi coisas que não era suposto em 2009 na Marcha, perdi toda a vontade.

Infelizmente poucos ali na Marcha defendem os verdadeiros direitos LGBT, os outros passeam e engatam!


Não concordo com tigo.
Eu fui varias vezes a marcha de Lisboa e não vi nada disso.
Sim, existe um ambiente de festa(como eu acho que deve ser), mas não vi nada que me chocasse, mas também tem uma grande componente reivindicativa, e eu acho que a marcha não é so importante para ca a nível nacional, mas também como forma de manisfestação e de luta pelo lgbts de outros paizes tais como a Russia onde não pode haver qualquer tipo de espressão dos LGBTs em publico ou.
E não podemos esquece tambem que a marcha é uma comomoração dos acontecimentos de Stonewall riots
http://en.wikipedia.org/wiki/Stonewall_riots (http://en.wikipedia.org/wiki/Stonewall_riots)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: mau_feitio em 07.jul.2013, 20:38:37
Não se trata de "exibir" nossa sexualidade, ou "jogar na cara das pessoas" – é só corrigir aquela presunção concebida e assumida pela sociedade na maior parte do tempo, de que todo mundo é hétero também.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cardo em 08.jul.2013, 11:25:36
Abrindo um tópico velho, só porque sim.

Antes de mais, se há coisa que aprendi nos meus últimos anos com a rede ex aequo, é que o orgulho existe como contradição da vergonha que nos impõe a sociedade.

Depois, as marchas podem ser vistas tanto pelo protesto e reivindicação de direitos e visibilidade, como pela celebração da História e do progresso da causa.


Tambem se pode ver as marchas como exibicionismo.

Eu não concordo muito marchas e não voou às mesmas, desde que vi coisas que não era suposto em 2009 na Marcha, perdi toda a vontade.

Infelizmente poucos ali na Marcha defendem os verdadeiros direitos LGBT, os outros passeam e engatam!


Não concordo com tigo.
Eu fui varias vezes a marcha de Lisboa e não vi nada disso.
Sim, existe um ambiente de festa(como eu acho que deve ser), mas não vi nada que me chocasse, mas também tem uma grande componente reivindicativa, e eu acho que a marcha não é so importante para ca a nível nacional, mas também como forma de manisfestação e de luta pelo lgbts de outros paizes tais como a Russia onde não pode haver qualquer tipo de espressão dos LGBTs em publico ou.
E não podemos esquece tambem que a marcha é uma comomoração dos acontecimentos de Stonewall riots
[url]http://en.wikipedia.org/wiki/Stonewall_riots[/url] ([url]http://en.wikipedia.org/wiki/Stonewall_riots[/url])


Eu vejo muito exibicionismo, lamento não ter os olhos de quem não o vê... Mas também é como disse, desde 2009 que não vou a nenhuma, porque chegou me aquele ano para perceber que não sou de marchas... Sou de viver o meu dia a dia normal, mostrando que apesar de homossexual sou normal.

Spoiler (clica para mostrar/esconder)

Mas lá está, são opiniões, e quem gosta vai, quem não gosta não vai, isto é como em tudo... Por exemplo não gostei do arraial deste ano, mas o de 2011 ainda me bate "forte" cá dentro, porque foi brutal! Mas o de 2009 também foi para esquecer.

Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Arch em 15.jul.2013, 00:04:38
Nunca, até à data, fui a uma marcha, mas pelo que vejo de fora (e até posso estar errado) acho que se assiste a um exibicionismo exacerbado.
Considero que é preciso saber separar o que é o orgulho e a necessidade de reivindicação de direitos, e não vejo essa separação a ser feita.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: beautifulflower em 15.jul.2013, 00:27:51
Nunca, até à data, fui a uma marcha, mas pelo que vejo de fora (e até posso estar errado) acho que se assiste a um exibicionismo exacerbado.
Considero que é preciso saber separar o que é o orgulho e a necessidade de reivindicação de direitos, e não vejo essa separação a ser feita.

Eu acho que há aqui uma questão que ainda não foi suficientemente esclarecida.
Marchas e paradas não são a mesma coisa, certo?
Tenho a ideia de que uma marcha esta inclinada para uma vertente de manifestação e luta pelos direitos lgbt enquanto que a parada é uma festa, comemoração. Certo?
Talvez meter os dois termos no mesmo saco acabe criando um certo desentendimento e uma visão distorcida daquilo que é uma marcha e daquilo que é uma parada.
Uma coisa é estarmos a festejar quem outrora fomos, quem somos e todo o caminho percorrido e o que conseguimos alcançar. Ai nao vejo porque nao deve cada pessoa ter a liberdade de se expressar da maneira que mais desejar ...
Outra coisa é uma marcha e um movimento protestante que requerem uma postura mais séria e contida. (Na minha opiniao)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Arch em 15.jul.2013, 01:44:42
Nunca, até à data, fui a uma marcha, mas pelo que vejo de fora (e até posso estar errado) acho que se assiste a um exibicionismo exacerbado.
Considero que é preciso saber separar o que é o orgulho e a necessidade de reivindicação de direitos, e não vejo essa separação a ser feita.

Eu acho que há aqui uma questão que ainda não foi suficientemente esclarecida.
Marchas e paradas não são a mesma coisa, certo?
Tenho a ideia de que uma marcha esta inclinada para uma vertente de manifestação e luta pelos direitos lgbt enquanto que a parada é uma festa, comemoração. Certo?
Talvez meter os dois termos no mesmo saco acabe criando um certo desentendimento e uma visão distorcida daquilo que é uma marcha e daquilo que é uma parada.
Uma coisa é estarmos a festejar quem outrora fomos, quem somos e todo o caminho percorrido e o que conseguimos alcançar. Ai nao vejo porque nao deve cada pessoa ter a liberdade de se expressar da maneira que mais desejar ...
Outra coisa é uma marcha e um movimento protestante que requerem uma postura mais séria e contida. (Na minha opiniao)

Sem dúvida. E tal como eu nunca tinha parado para pensar dessa forma, a confusão continua e continuará a ser feita.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cardo em 27.set.2013, 13:51:11

Nunca, até à data, fui a uma marcha, mas pelo que vejo de fora (e até posso estar errado) acho que se assiste a um exibicionismo exacerbado.
Considero que é preciso saber separar o que é o orgulho e a necessidade de reivindicação de direitos, e não vejo essa separação a ser feita.
[/quote]

Eu acho que há aqui uma questão que ainda não foi suficientemente esclarecida.
Marchas e paradas não são a mesma coisa, certo?
Tenho a ideia de que uma marcha esta inclinada para uma vertente de manifestação e luta pelos direitos lgbt enquanto que a parada é uma festa, comemoração. Certo?
Talvez meter os dois termos no mesmo saco acabe criando um certo desentendimento e uma visão distorcida daquilo que é uma marcha e daquilo que é uma parada.
Uma coisa é estarmos a festejar quem outrora fomos, quem somos e todo o caminho percorrido e o que conseguimos alcançar. Ai nao vejo porque nao deve cada pessoa ter a liberdade de se expressar da maneira que mais desejar ...
Outra coisa é uma marcha e um movimento protestante que requerem uma postura mais séria e contida. (Na minha opiniao)
[/quote]

Infelizmente não é o que acontece... De sério nada tem... Quem será que não se lembra daqueles que tinham escrito em varias cartolinas: Homem que é homem leva no....  E houve alguém da organização que proibido aquilo? Ou pediu para eles retirarem? Ou falou que aquela forma de luta não ajudarei em nada, criando apenas mais preconceito contra os LGBT´s?

Não, mas lá está, pedimos liberdade para todos, mas alguns confundem liberdade com libertinagem.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: rk em 27.set.2013, 15:27:43

Infelizmente não é o que acontece... De sério nada tem... Quem será que não se lembra daqueles que tinham escrito em varias cartolinas: Homem que é homem leva no....  E houve alguém da organização que proibido aquilo? Ou pediu para eles retirarem? Ou falou que aquela forma de luta não ajudarei em nada, criando apenas mais preconceito contra os LGBT´s?

Não, mas lá está, pedimos liberdade para todos, mas alguns confundem liberdade com libertinagem.

Desculpa la mas quem es tu ou quem quer que seja para impedir alguem de levar um cartaz a dizer "homem que e homem leva no r******/c*?" Wtf? quer dizer as pessoas podem ser lgbts e ir as manifs, mas desde que levem coisas autorizadas?Desde que esteja tudo dentro dos "padroes"? Dos TEUS padroes? Tu podes nao gostar dessa forma de expressao, mas quereres que seja proibida e ridiculo, e autoritario. Nao curtes o cartaz leva outro, a dizer que "homem que e homem faz as escondidas" ou o que tu quiseres, agora n venhas ai com moralismos decidir sobre o que se pode ou nao levar.  "Ou falou que aquela forma de luta não ajudarei em nada, criando apenas mais preconceito contra os LGBT´s?" ---> Isto e uma opiniao tua, pessoal, e nao quer dizer que esteja correcta. Se nao gostas de uma forma de luta, nao a exercas, mas nao tens o direito de a impedir ;)
Quanto a questao do orgulho e visibilidade, acho que e essencial para combater o preconceito.. Quantas e quantas pessoas n ficam "enojadas" ao verem 2 casais lgbts a beijarem se, ou ate de maos dadas! O esconder algo q e natural so faz com que seja mais marginalizada..
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cardo em 27.set.2013, 18:24:13
RK, não sou ninguém, até porque não tenho esse poder de proibir nada, apenas de dar a minha opinião, assim como deste a tua, no entanto existem várias formas de dar opinião.

 No entanto na minha opinião, uma marcha de defesa dos direitos LGBT serve para defender em direitos de LGBT, não de direitos Sexuais (digo actos sexuais, que isso cada um fará os mesmo entre 4 paredes, não tendo ninguem, nem eu nada a ver com isso, caso contrario, toda a historia dos lgbts de luta pelos seus direitos seria um embuste. O que não é o caso.

Em relação ao teu comentário, desculpa, mas tive de o comunicar à moderação, uma vez que não tens respeito nenhum pelas normas do forum, nem pelos seus membros, ao contrario de mim, que as respeito na integra.
 Talvez, portanto, sejas daquelas pessoas que ao invés de lutar contra o preconceito, apenas o incentiva mais, através de uma má educação e de uma libertinagem pouco responsavel perante não contra a tua pessoa, mas contra a dos restantes membros do fórum.

A vida dos LGBT´s não é apenas libertinagem, mas se assim pensas, lamento por ti.
Eu no entanto luto pelos direitos dos LGBTs todos os dias, seja junto família, amigos, trabalho, na rua, mas jamais confundirei defesa dos meus direitos enquanto ser humano LGBT com os direitos a poder ter as relações sexuais como quiser, com quem quiser, onde quiser, desde que não publicamente a não ser em espaços proprios para tal,  porque até agora, dentro de 4 paredes nada disso é proibido e não está negado a ninguem em Portugall.

Se há coisa que oiço todos os dias é pessoas a dizer que apoiam os direitos dos LGBT´s, mas que deveriamos actuar de diferente forma, porque a marcha apesar de trazer beneficios, tambem trás muitos aspectos negativos, porque são esses que se ilustram mais nas mentes das pessoas.


Spoiler (clica para mostrar/esconder)

E já agora, se eu sou ninguem para proibir algo numa marcha, quem serás tu, para estragar tudo por aquilo que luto?


Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: rk em 28.set.2013, 00:31:58
RK, não sou ninguém, até porque não tenho esse poder de proibir nada, apenas de dar a minha opinião, assim como deste a tua, no entanto existem várias formas de dar opinião.
Ainda bem que reconheces que nao es ninguem para proibir o que cada pessoa leva para uma manifestacao, apesar de desejares que sejam censurados pela organizacao, ou quica sujeitos a uma aprovacao previa? Mas e um passo no progresso, o proximo e perceberes que ninguem e dono de uma manifestacao, que ela e feita pelas pessoas que a compoem e que e algo muito mais rico e complexo do que qualquer "orientacao" da organizacao.
Quanto as formas de dar a opiniao, nao sou um gajo de falinhas mansas, digo o que penso directamente, e do que veja nao te ofendi, apesar da tua insinuacao de censurar cartazes seja bastante ofensiva. Nao so essa opiniao mas outras que tens demonstrado no forum, nomeadamente de achares que os lgbt nao devem poder adoptar por causa da "libertinagem" como se n houvesse "libertinagem" nos heteros, sendo cada caso um caso, como varios users ja demonstraram no topico em questao.
Responder
No entanto na minha opinião, uma marcha de defesa dos direitos LGBT serve para defender em direitos de LGBT, não de direitos Sexuais (digo actos sexuais, que isso cada um fará os mesmo entre 4 paredes, não tendo ninguem, nem eu nada a ver com isso, caso contrario, toda a historia dos lgbts de luta pelos seus direitos seria um embuste. O que não é o caso.
Nao percebo bem essa questao dos "direitos sexuais"... Achas que nao se deve lutar pelos direitos sexuais? Nao estarao os direitos LGBT's tambem ligados aos direitos sexuais? Quantas e quantas conquistas sexuais levaram a conquistas lgbt's? Basta ver periodos/momentos de ruptura com os valores da moralidade existente que levaram a uma maior aceitacao dos direitos de todos os individuos. Ou achas que os hippies era so malta a fumar ganzas? A transformacoes na sociedade ocorrem quando ha rupturas, quando as coisas sao conquistadas. De que serve poderes te casar e nao poderes dar um beijo em publico ao teu namorado? E esse o pais/mundo que queres? Eu quero poder estar em qq lado e ser LIVRE de beijar quem quiser, sem me lixarem o juizo com isso, de nada servem as conquistas legais se n existe uma transformacao na sociedade nesse sentido.
Responder
Em relação ao teu comentário, desculpa, mas tive de o comunicar à moderação, uma vez que não tens respeito nenhum pelas normas do forum, nem pelos seus membros, ao contrario de mim, que as respeito na integra.
Comunica a quem quiseres, ainda bem que es um law abiding citizen ;)
Responder
Talvez, portanto, sejas daquelas pessoas que ao invés de lutar contra o preconceito, apenas o incentiva mais, através de uma má educação e de uma libertinagem pouco responsavel perante não contra a tua pessoa, mas contra a dos restantes membros do fórum.
Em primeiro lugar, nao fiz nenhum ataque pessoal, no entanto tu acusas toda a gente de libertinagem, que caso nao saibas o que significa eu esclareco te: devasidao, "vida de libertino"->Que ou quem revela um comportamento moralmente desregrado, centrado nos prazeres sexuais.  Acaso dormes na minha cama, ou sequer conheces me para saber se eu sou libertino ou nao? Quem anda a fazer ataques pessoais a quem? Nao que eu me ofenda nao te preocupes ;)

Responder
A vida dos LGBT´s não é apenas libertinagem, mas se assim pensas, lamento por ti.
Ao contrario de ti eu nao me baseio em preconceitos, ou experiencias passadas que correram mal para julgar um todo pela metade. Os lgbt's sao pessoas, e como tal sao iguais a tantas outras pessoas que adoptam variados estilos de vida, posicoes politicas, religiosas, racistas, etc. Cada um deve viver da forma que achar melhor e se sentir bem, mas claro ha sempre os defensores da moralidade vigente que acham devem poder mandar na vida dos outros. E nao lamentes por mim, felizmente nao tenho esse preconceito logo nao vivo iludido ;). No entanto devias reflectir sobre as tuas opinioes baseadas em preconceitos que espalhas pelo forum, e pensar seriamente que as pessoas(os lgbt's incluidos) nao sao todas iguais :)

Responder
Eu no entanto luto pelos direitos dos LGBTs todos os dias, seja junto família, amigos, trabalho, na rua, mas jamais confundirei defesa dos meus direitos enquanto ser humano LGBT com os direitos a poder ter as relações sexuais como quiser, com quem quiser, onde quiser, desde que não publicamente a não ser em espaços proprios para tal,  porque até agora, dentro de 4 paredes nada disso é proibido e não está negado a ninguem em Portugall.
Entao basicamente achas que as pessoas deviam ter direitos iguais, desde que nao manifestem afecto em publico? Desde que o facam no seu canto, as escondidas? Mais uma vez digo: de que serve uma lei a dizer que nao ha discriminacao baseada na orientacao sexual e que discriminar e crime, e que podes casar, e depois vais no metro e fazes uma festa na cabeca de alguem com quem estejas e es olhado com um olhar de nojo? De que servem todas essas leis quando nao podes andar livremente com uma pessoa do mesmo sexo sem ouvir bocas homofobicas? O que tu nao compreendes e que enquanto for uma coisa escondida, enquanto ser lgbt for marginalizado e feito as "escondidas", como se fosse algo de errado, o preconceito vai existir.. So quando as pessoas comecarem a VER que sao pessoas iguais as outras e que comecam a mudar a mentalidade. Ou achas que houve alguma lei a dizer que as mulheres podiam andar de saia? E as primeiras que andaram n foram marginalizadas? "Ai que vadias a mostrarem as pernas!". E agora nao e algo normal? E porque? Porque as pessoas comecaram a agir normalmente. E quem diz saia diz usar qualquer outra coisa que na epoca era moralmente mal visto.
Responder
Se há coisa que oiço todos os dias é pessoas a dizer que apoiam os direitos dos LGBT´s, mas que deveriamos actuar de diferente forma, porque a marcha apesar de trazer beneficios, tambem trás muitos aspectos negativos, porque são esses que se ilustram mais nas mentes das pessoas.
Pois olha eu tambem ja ouvi esse mesmo argumento das mesmas pessoas que dizem "tou na boa com os gays, desde que seja longe de mim". Ou o tipico: "eu nao sou racista, mas filha minha nao namora com pretos".  Ou seja na pratica toda a gente e muito politicamente correcta, mas quando vais a ver na verdade apenas adoptaram um discurso "confortavel".
Se essas pessoas acham q a marcha tras aspectos negativos e sao esses q ficam nas mentes dessas pessoas, temos pena. O movimento lgbt e que tem que reflectir nisso, porque e a parte interessada, e para cada um desses q diz isso, ha outros tantos que estao na boa com a marcha e que ficam com "ilustracoes positivas" nas suas mentes :)

Responder
Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Envia para onde quiseres ;)

Responder
E já agora, se eu sou ninguem para proibir algo numa marcha, quem serás tu, para estragar tudo por aquilo que luto?
Mas porque e que as pessoas terem diferentes formas de agir estraga o que quer que seja? Tu lutas por um objectivo e com pessoas que partilham o mesmo modo de funcionar e objectivos, se essa tua luta esta a ser destruida pela luta alheia ( lol ) entao tens que demarcar melhor as tuas posicoes, para que nao te confundam ;) e arranjar mais apoiantes para as tuas lutas moralistas contra a preversao moral e decadente da comunidade lgbt, cambada de libertinos. Depois quando forem muitos a organizar marchas puritanas e com aprovacao de cartazes, formas de vestir, do que dizer e quando dizer e tao estrondosas que abafem as ditas marchas cheias de pessoas tendencialmente livres que se vestem como querem, gritam o que querem, escrevem o que querem, e amam quem querem, entao ai finalmente os lgbt's serao respeitados :) Desde que nao ajavardem muito claro q isto ninguem gosta de ver rabetas a solta pelas ruas, as ruas sao so para os heteros, os outros q fiquem dentro das 4 paredes ;)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: frozzen em 11.out.2013, 20:38:13
pessoalmente acho o conceito de orgulho uma parvoice redonda. porquê ter orgulho de uma característica?.. Tenho uns lábios bonitos e um nariz grande, sou alta, etcetc.. mas nao sinto orgulho de nada disto. Sinto orgulho das coisas que alcancei na vida, das coisas pelas quais me esforcei e que ''conquistei'', ou seja, coisas que requerem esforço, persistencia e trabalho. Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''. Orgulho, a meu ver, é marginalizante, porque é como se tivessemos a dizer que há algo de errado connosco mas que nos orgulhamos disso. Não, a mensagem que eu gostaria de transmitir é precisamente, que não há nada absolutamente nada de errado em nós, há uma diferença que não nos torna realmente diferentes e que deviamos ter a mesma confiança em nós que todo o resto das pessoas no mundo.
Ou seja, traduzindo isto para possíveis situações de discriminação/bocas no dia a dia, a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho'', mas sim agir partindo do principio que é obvio que ter outra orientação sexual não é motivo para existir aquela discriminação/conversa e ficar a olhar para a pessoa cm um ar de ''nem estou a perceber o comentário, porque é absurdo'', pessoalmente penso que com esta atitude chegariamos mais longe do que com a cena toda do orgulho
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: V24 em 12.out.2013, 00:28:40
pessoalmente acho o conceito de orgulho uma parvoice redonda. porquê ter orgulho de uma característica?.. Tenho uns lábios bonitos e um nariz grande, sou alta, etcetc.. mas nao sinto orgulho de nada disto. Sinto orgulho das coisas que alcancei na vida, das coisas pelas quais me esforcei e que ''conquistei'', ou seja, coisas que requerem esforço, persistencia e trabalho. Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''. Orgulho, a meu ver, é marginalizante, porque é como se tivessemos a dizer que há algo de errado connosco mas que nos orgulhamos disso. Não, a mensagem que eu gostaria de transmitir é precisamente, que não há nada absolutamente nada de errado em nós, há uma diferença que não nos torna realmente diferentes e que deviamos ter a mesma confiança em nós que todo o resto das pessoas no mundo.
Ou seja, traduzindo isto para possíveis situações de discriminação/bocas no dia a dia, a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho'', mas sim agir partindo do principio que é obvio que ter outra orientação sexual não é motivo para existir aquela discriminação/conversa e ficar a olhar para a pessoa cm um ar de ''nem estou a perceber o comentário, porque é absurdo'', pessoalmente penso que com esta atitude chegariamos mais longe do que com a cena toda do orgulho

Assino por baixo. Podemos e devemos mobilizar-nos para lutar pelos nossos direitos e agir com naturalidade em relação a quem somos...daí a fazer figuras pouco edificantes e usar linguagem reles em cartazes de marchas vai uma grande diferença. Quem quer respeito dá-se ao respeito.
A atitude que recomendas é muito melhor que um confronto em que ficam duas pessoas a reclamar uma com a outra e ninguém muda de opinião.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Endovélico em 12.out.2013, 10:42:03
pessoalmente acho o conceito de orgulho uma parvoice redonda. porquê ter orgulho de uma característica?.. Tenho uns lábios bonitos e um nariz grande, sou alta, etcetc.. mas nao sinto orgulho de nada disto. Sinto orgulho das coisas que alcancei na vida, das coisas pelas quais me esforcei e que ''conquistei'', ou seja, coisas que requerem esforço, persistencia e trabalho. Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''. Orgulho, a meu ver, é marginalizante, porque é como se tivessemos a dizer que há algo de errado connosco mas que nos orgulhamos disso. Não, a mensagem que eu gostaria de transmitir é precisamente, que não há nada absolutamente nada de errado em nós, há uma diferença que não nos torna realmente diferentes e que deviamos ter a mesma confiança em nós que todo o resto das pessoas no mundo.
Ou seja, traduzindo isto para possíveis situações de discriminação/bocas no dia a dia, a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho'', mas sim agir partindo do principio que é obvio que ter outra orientação sexual não é motivo para existir aquela discriminação/conversa e ficar a olhar para a pessoa cm um ar de ''nem estou a perceber o comentário, porque é absurdo'', pessoalmente penso que com esta atitude chegariamos mais longe do que com a cena toda do orgulho

Assino por baixo. Podemos e devemos mobilizar-nos para lutar pelos nossos direitos e agir com naturalidade em relação a quem somos...daí a fazer figuras pouco edificantes e usar linguagem reles em cartazes de marchas vai uma grande diferença. Quem quer respeito dá-se ao respeito.
A atitude que recomendas é muito melhor que um confronto em que ficam duas pessoas a reclamar uma com a outra e ninguém muda de opinião.

Pessoalmente vejo a palavra orgulho como sendo o oposto de vergonha. Neste caso sim, há o orgulho LGBT = o não ter vergonha de ser o que sou.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: frozzen em 12.out.2013, 17:20:12
pessoalmente acho o conceito de orgulho uma parvoice redonda. porquê ter orgulho de uma característica?.. Tenho uns lábios bonitos e um nariz grande, sou alta, etcetc.. mas nao sinto orgulho de nada disto. Sinto orgulho das coisas que alcancei na vida, das coisas pelas quais me esforcei e que ''conquistei'', ou seja, coisas que requerem esforço, persistencia e trabalho. Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''. Orgulho, a meu ver, é marginalizante, porque é como se tivessemos a dizer que há algo de errado connosco mas que nos orgulhamos disso. Não, a mensagem que eu gostaria de transmitir é precisamente, que não há nada absolutamente nada de errado em nós, há uma diferença que não nos torna realmente diferentes e que deviamos ter a mesma confiança em nós que todo o resto das pessoas no mundo.
Ou seja, traduzindo isto para possíveis situações de discriminação/bocas no dia a dia, a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho'', mas sim agir partindo do principio que é obvio que ter outra orientação sexual não é motivo para existir aquela discriminação/conversa e ficar a olhar para a pessoa cm um ar de ''nem estou a perceber o comentário, porque é absurdo'', pessoalmente penso que com esta atitude chegariamos mais longe do que com a cena toda do orgulho

Assino por baixo. Podemos e devemos mobilizar-nos para lutar pelos nossos direitos e agir com naturalidade em relação a quem somos...daí a fazer figuras pouco edificantes e usar linguagem reles em cartazes de marchas vai uma grande diferença. Quem quer respeito dá-se ao respeito.
A atitude que recomendas é muito melhor que um confronto em que ficam duas pessoas a reclamar uma com a outra e ninguém muda de opinião.

Pessoalmente vejo a palavra orgulho como sendo o oposto de vergonha. Neste caso sim, há o orgulho LGBT = o não ter vergonha de ser o que sou.


Para mim não é preciso ter o oposto de vergonha. Não há motivo para ter vergonha nem motivo para ter orgulho. É uma característica tal como outra qualquer, sei la... para quê sobrevalorizá-la.
Defendo avidamente o conceito de ''So what?'', em vez do conceito de ''Tenho orgulho''. Quero igualdade, e igualdade para mim é que a minha homossexualidade tenha tanta relevancia no mundo como a heterossexualidade de outra pessoa qualquer, não menos, e também certamente, não mais.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Endovélico em 12.out.2013, 17:30:03
pessoalmente acho o conceito de orgulho uma parvoice redonda. porquê ter orgulho de uma característica?.. Tenho uns lábios bonitos e um nariz grande, sou alta, etcetc.. mas nao sinto orgulho de nada disto. Sinto orgulho das coisas que alcancei na vida, das coisas pelas quais me esforcei e que ''conquistei'', ou seja, coisas que requerem esforço, persistencia e trabalho. Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''. Orgulho, a meu ver, é marginalizante, porque é como se tivessemos a dizer que há algo de errado connosco mas que nos orgulhamos disso. Não, a mensagem que eu gostaria de transmitir é precisamente, que não há nada absolutamente nada de errado em nós, há uma diferença que não nos torna realmente diferentes e que deviamos ter a mesma confiança em nós que todo o resto das pessoas no mundo.
Ou seja, traduzindo isto para possíveis situações de discriminação/bocas no dia a dia, a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho'', mas sim agir partindo do principio que é obvio que ter outra orientação sexual não é motivo para existir aquela discriminação/conversa e ficar a olhar para a pessoa cm um ar de ''nem estou a perceber o comentário, porque é absurdo'', pessoalmente penso que com esta atitude chegariamos mais longe do que com a cena toda do orgulho

Assino por baixo. Podemos e devemos mobilizar-nos para lutar pelos nossos direitos e agir com naturalidade em relação a quem somos...daí a fazer figuras pouco edificantes e usar linguagem reles em cartazes de marchas vai uma grande diferença. Quem quer respeito dá-se ao respeito.
A atitude que recomendas é muito melhor que um confronto em que ficam duas pessoas a reclamar uma com a outra e ninguém muda de opinião.

Pessoalmente vejo a palavra orgulho como sendo o oposto de vergonha. Neste caso sim, há o orgulho LGBT = o não ter vergonha de ser o que sou.


Para mim não é preciso ter o oposto de vergonha. Não há motivo para ter vergonha nem motivo para ter orgulho. É uma característica tal como outra qualquer, sei la... para quê sobrevalorizá-la.
Defendo avidamente o conceito de ''So what?'', em vez do conceito de ''Tenho orgulho''. Quero igualdade, e igualdade para mim é que a minha homossexualidade tenha tanta relevancia no mundo como a heterossexualidade de outra pessoa qualquer, não menos, e também certamente, não mais.

Concordo, o problema é que a realidade não é bem assim. É um bocado difícil viver normalmente com uma característica que é olhada de lado. A tua homossexualidade não tem tanta relevância no mundo como a heterossexualidade de outra pessoa qualquer... Para mim a questão de orgulho é demonstrar que não tenho vergonha/medo/whatever de ser gay... Tenho orgulho em ser o que sou = não tenho vergonha nem tento esconder.
Eu também quero igualdade, mas não me parece que já a tenho.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cardo em 12.out.2013, 19:26:11
pessoalmente acho o conceito de orgulho uma parvoice redonda. porquê ter orgulho de uma característica?.. Tenho uns lábios bonitos e um nariz grande, sou alta, etcetc.. mas nao sinto orgulho de nada disto. Sinto orgulho das coisas que alcancei na vida, das coisas pelas quais me esforcei e que ''conquistei'', ou seja, coisas que requerem esforço, persistencia e trabalho. Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''. Orgulho, a meu ver, é marginalizante, porque é como se tivessemos a dizer que há algo de errado connosco mas que nos orgulhamos disso. Não, a mensagem que eu gostaria de transmitir é precisamente, que não há nada absolutamente nada de errado em nós, há uma diferença que não nos torna realmente diferentes e que deviamos ter a mesma confiança em nós que todo o resto das pessoas no mundo.
Ou seja, traduzindo isto para possíveis situações de discriminação/bocas no dia a dia, a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho'', mas sim agir partindo do principio que é obvio que ter outra orientação sexual não é motivo para existir aquela discriminação/conversa e ficar a olhar para a pessoa cm um ar de ''nem estou a perceber o comentário, porque é absurdo'', pessoalmente penso que com esta atitude chegariamos mais longe do que com a cena toda do orgulho

Assino por baixo. Podemos e devemos mobilizar-nos para lutar pelos nossos direitos e agir com naturalidade em relação a quem somos...daí a fazer figuras pouco edificantes e usar linguagem reles em cartazes de marchas vai uma grande diferença. Quem quer respeito dá-se ao respeito.
A atitude que recomendas é muito melhor que um confronto em que ficam duas pessoas a reclamar uma com a outra e ninguém muda de opinião.

Assino por baixo para os dois comentarios.

Nada como agir com naturalidade!!! Orgulho? Tenho, basicamente de ser assim, completamente natural :).

Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: T-Rex em 13.out.2013, 12:23:18
Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''.

Isso não é, basicamente, a mesma coisa que dizer que temos orgulho?...

Eu tenho um bocado de pena que a palavra 'orgulho' esteja tão estigmatizada dentro dos círculos LGBT. Parece que ter orgulho, para algumas pessoas, é algo negativo, sinónimo de 'exibicionismo' (como se pode ver no título deste mesmo tópico :P ). Não tem nada a ver uma coisa com a outra. Eu tenho tanto orgulho na minha orientação sexual como tenho do meu nariz: ambas são caracteristicas fora do meu controlo, mas são minhas e eu gosto muito delas. A diferença é que não tenho milhares de pessoas a dizer que sou uma má pessoa por causa do meu nariz, portanto não tenho necessidade nenhuma de dizer a essas pessoas "nah, o meu nariz nao tem mal nenhum, é parte de mim e tenho imenso orgulho nele" ("Nose pride!" lol). Já em relação à orientação sexual, tenho imensa gente a tentar  discriminar-me por causa dela... e aí sim, apetece-me responder-lhes de volta a dizer que tenho orgulho nela e que as outras pessoas nao têm direito nenhum de me rebaixar por causa disso.

Ou seja, aqui o orgulho surge como resistência à parvoice homofóbica toda que existe na sociedade. A noção do "orgulho LGBT" não pode ser descontextualizada do contexto de onde surgiu. Surgiu da necessidade de contrariar a homofobia, não do exibicionismo. Ao dizer que temos orgulho não nos estamos a marginalizar, as outras pessoas é que nos marginalizam. A questão do orgulho surgiu precisamente para combater essa marginalização.

a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho''

Porque não? Eu compreendo que haja pessoal que prefira a estratégia de ignorar (que é igualmente válida e também resulta), mas porque é que dar essa resposta é desadequado? Não vejo mal nenhum neste tipo de confrontos, até acho algo positivo: os homofóbicos devem ser confrontados com a sua própria parvoice. Se não o forem, ficam homofóbicos para sempre e as coisas não andam para a frente.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: JDelgado em 13.out.2013, 17:53:03
Penso que a palavra orgulho deveria ser substituida por completo no mundo LGBT por algo como ''auto-confiança'', ''amor pelo próprio''.

Isso não é, basicamente, a mesma coisa que dizer que temos orgulho?...

Eu tenho um bocado de pena que a palavra 'orgulho' esteja tão estigmatizada dentro dos círculos LGBT. Parece que ter orgulho, para algumas pessoas, é algo negativo, sinónimo de 'exibicionismo' (como se pode ver no título deste mesmo tópico :P ). Não tem nada a ver uma coisa com a outra. Eu tenho tanto orgulho na minha orientação sexual como tenho do meu nariz: ambas são caracteristicas fora do meu controlo, mas são minhas e eu gosto muito delas. A diferença é que não tenho milhares de pessoas a dizer que sou uma má pessoa por causa do meu nariz, portanto não tenho necessidade nenhuma de dizer a essas pessoas "nah, o meu nariz nao tem mal nenhum, é parte de mim e tenho imenso orgulho nele" ("Nose pride!" lol). Já em relação à orientação sexual, tenho imensa gente a tentar  discriminar-me por causa dela... e aí sim, apetece-me responder-lhes de volta a dizer que tenho orgulho nela e que as outras pessoas nao têm direito nenhum de me rebaixar por causa disso.

Ou seja, aqui o orgulho surge como resistência à parvoice homofóbica toda que existe na sociedade. A noção do "orgulho LGBT" não pode ser descontextualizada do contexto de onde surgiu. Surgiu da necessidade de contrariar a homofobia, não do exibicionismo. Ao dizer que temos orgulho não nos estamos a marginalizar, as outras pessoas é que nos marginalizam. A questão do orgulho surgiu precisamente para combater essa marginalização.

a reacção adequada não deveria ser ''Sou assim e tenho muito orgulho''

Porque não? Eu compreendo que haja pessoal que prefira a estratégia de ignorar (que é igualmente válida e também resulta), mas porque é que dar essa resposta é desadequado? Não vejo mal nenhum neste tipo de confrontos, até acho algo positivo: os homofóbicos devem ser confrontados com a sua própria parvoice. Se não o forem, ficam homofóbicos para sempre e as coisas não andam para a frente.

Concordo 100%com tigo
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: BrunoMCP em 16.out.2013, 23:34:34
Orgulho é a rejeição da vergonha e afirmação perante a sociedade.

Quem diz que o orgulho é disparate pode ainda não ter compreendido plenamente o conceito, e/ou não estar completamente à vontade com a sua própria identidade.
A melhor forma de alguém se sentir representado pela marcha é estar presente numa.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: l.e.artist em 17.out.2013, 15:47:23
Orgulho é a rejeição da vergonha e afirmação perante a sociedade.

Quem diz que o orgulho é disparate pode ainda não ter compreendido plenamente o conceito, e/ou não estar completamente à vontade com a sua própria identidade.
A melhor forma de alguém se sentir representado pela marcha é estar presente numa.
Concordo.
Para mim o orgulho em ser gay, é fazer parte de uma comunidade que durante a história tem lutado muito pelos seus direitos e pela aceitação na sociedade. E actualmente as pessoas esquecem-se de como era antigamente, e acham que não precisam de continuar a lutar por novos direitos, porque ainda temos um longo percurso. Porque mesmo no nosso país, por exemplo ser gay em Faro e ser gay em Lisboa é totalmente diferente, e quando não há visibilidade nada muda. E em tempos de crise económica e social as coisas ainda pioram.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: V24 em 18.out.2013, 10:19:31
Orgulho é a rejeição da vergonha e afirmação perante a sociedade.

Quem diz que o orgulho é disparate pode ainda não ter compreendido plenamente o conceito, e/ou não estar completamente à vontade com a sua própria identidade.
A melhor forma de alguém se sentir representado pela marcha é estar presente numa.
Concordo.
Para mim o orgulho em ser gay, é fazer parte de uma comunidade que durante a história tem lutado muito pelos seus direitos e pela aceitação na sociedade. E actualmente as pessoas esquecem-se de como era antigamente, e acham que não precisam de continuar a lutar por novos direitos, porque ainda temos um longo percurso. Porque mesmo no nosso país, por exemplo ser gay em Faro e ser gay em Lisboa é totalmente diferente, e quando não há visibilidade nada muda. E em tempos de crise económica e social as coisas ainda pioram.

Nisso concordo a crise económica tende a promover um retrocesso nos direitos e liberdades individuais.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bookerdewitt em 17.jun.2014, 22:27:42
Quando as pessoas começam a falar em marchas de orgulho hetero só demonstram uma grande falta de contextualização histórico social que por sua vez também é necessária para entender os fundamentos das Gay Prides, sejam elas em que zona do mundo forem porque dizer que a Gay Pride em Portugal é uma imitação da Americana é a mesma coisa que tirar a legitimidade aos movimentos estudantis de todo o mundo porque são uma imitação do Maio de 68 na França.

Eu consigo perceber ambos os lados da questão e eu própria não sou uma pessoa particularmente virada para as Prides, mas acho que é importante saber reconhecer o seu valor e não fazer oposições um bocado infantilizadas e provocadoras como Prides Hetero e afins. Para percebermos a necessidade das gay pride basta termos capacidade de abstração suficiente para percebermos que ainda somos cidadãos de segunda.

Acho que o objectivo de uma Pride não passa tanto por dizermos que somos iguais mas sim que existimos, estamos aqui, somos seres humanos independentemente das nossas igualdades ou diferenças. As pessoas acusam-nos de acentuarmos ainda mais as nossas diferenças com esses eventos, e daí? Para provarmos que merecemos respeito e igualdade enquanto seres humanos temos que nos normalizar?temos que provar que somos "bem comportadinhos"? Todas as pessoas têm as suas idiossincrasias, não precisam de se comportar como humanóides formatados para que as reconheçam como seres humanos com os mesmos direitos.

Sugiro que vejam um documentário chamado "Stonewall Uprising" que em termos de contextualização é óptimo, por isso vou deixar aqui o trailer :)
https://www.youtube.com/watch?v=NZUZKtko4R0 (https://www.youtube.com/watch?v=NZUZKtko4R0)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: muntyak em 17.jun.2014, 23:56:24
Não concordo com marchas/paradas de orgulho gay nos moldes que são normalmente feitas. Acho que tais marchas e eventos só acentuam a discriminação porque fazem com que as pessoas LGBT sejam vistas como um "grupo" de pessoas extravagantes e muito diferentes... É que parece que em vez de festejarem o "orgulho" vão fazer demonstrações carnavalescas, em nudez parcial ( ??? :wor ), com trajes exuberantes e só se vêem os típicos extremos estereotipados do "mundo" gay, ou seja homens muito femininos ou travestis, e ainda todo o tipo de exibição de fantasias sexuais (bondage, SM, etc.) e ainda demonstrações "carnais" deliberadas em público. Isto para não falar em todo o tipo de bandeiras, ícones e símbolos que só servem para criar uma segregação entre homos e heteros...  :-X Eu gostava que tais marchas servissem para afirmar que as pessoas LGBT são na verdade cidadãos como os outros que têm vidas normais, com famílias e amigos, e fora da típica boémia dos clubes gays e círculos gays "fechados", porque seria uma abordagem neutral que surtiria impacto e efeitos nas políticas e leis. Os países do leste europeu e tantos outros ao redor do mundo estão cada vez mais longe de terem leis igualitárias precisamente porque vêem os gays como um grupo social à parte, de costumes "estranhos" incompatíveis com a moral do país, e ainda para mais com as ditas influências ocidentais que costumam aclamar. A igualdade começa com a semelhança e não com a diferenciação acentuada que é mostrada neste tipo de marchas. Na minha opinião o orgulho gay é um conceito válido mas é para ser mostrado e vivido de outra forma e perspectiva, nomeadamente através de eventos que incluíssem o resto da população, dando a conhecer o lado mais banal e que nos torna a todos seres humanos.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bookerdewitt em 18.jun.2014, 00:51:04
Não concordo com marchas/paradas de orgulho gay nos moldes que são normalmente feitas. Acho que tais marchas e eventos só acentuam a discriminação porque fazem com que as pessoas LGBT sejam vistas como um "grupo" de pessoas extravagantes e muito diferentes... É que parece que em vez de festejarem o "orgulho" vão fazer demonstrações carnavalescas, em nudez parcial ( ??? :wor ), com trajes exuberantes e só se vêem os típicos extremos estereotipados do "mundo" gay, ou seja homens muito femininos ou travestis, e ainda todo o tipo de exibição de fantasias sexuais (bondage, SM, etc.) e ainda demonstrações "carnais" deliberadas em público. Isto para não falar em todo o tipo de bandeiras, ícones e símbolos que só servem para criar uma segregação entre homos e heteros...  :-X Eu gostava que tais marchas servissem para afirmar que as pessoas LGBT são na verdade cidadãos como os outros que têm vidas normais, com famílias e amigos, e fora da típica boémia dos clubes gays e círculos gays "fechados", porque seria uma abordagem neutral que surtiria impacto e efeitos nas políticas e leis. Os países do leste europeu e tantos outros ao redor do mundo estão cada vez mais longe de terem leis igualitárias precisamente porque vêem os gays como um grupo social à parte, de costumes "estranhos" incompatíveis com a moral do país, e ainda para mais com as ditas influências ocidentais que costumam aclamar. A igualdade começa com a semelhança e não com a diferenciação acentuada que é mostrada neste tipo de marchas. Na minha opinião o orgulho gay é um conceito válido mas é para ser mostrado e vivido de outra forma e perspectiva, nomeadamente através de eventos que incluíssem o resto da população, dando a conhecer o lado mais banal e que nos torna a todos seres humanos.

Eu consigo perceber em parte o que queres dizer  :) Só que tenho alguns problemas com a ideia de termos de mostrar que somos "como os outros" com vidas "normais" para nos verem como seres humanos que merecem equidade social. Independentemente de nos identificarmos ou não a Pride acaba por ter contornos carnavalescos precisamente porque é uma celebração de reconhecimento, não é propriamente uma manifestação nos moldes convencionais
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: T-Rex em 18.jun.2014, 14:04:31
Só que tenho alguns problemas com a ideia de termos de mostrar que somos "como os outros" com vidas "normais" para nos verem como seres humanos que merecem equidade social.
Exato! Mete-me alguma confusão essa ideia de que, se sairmos um bocado do que é "normativo" nesta sociedade, então já não merecemos ser tratados com dignidade. Para mim isso não faz absolutamente sentido nenhum. Cada um deve ser livre de ser como é, independentemente de se encaixar no que a sociedade acha que é "normal" ou não. Um homem super "efeminado", de saia, maquilhagem e tiques tem tanta legitimidade para estar nas marchas a reivindicar os seus direitos como um homem completamente "normativo" - e a presença de pessoas mais "extravagantes" não prejudica a luta pelos nossos direitos! Nós deviamos incentivar a diversidade, não reprimi-la. A luta pelos direitos LGBT é uma luta pelos direitos de todas as pessoas LGBT, não apenas das pessoas bonitinhas que não chamam atenção e que encaixam bem na sociedade.

Mais curioso ainda é o facto de eu, que já participei em várias marchas, nunca ter visto nem metade dos cenários "carnavalescos" que as pessoas descrevem. A coisa mais "sexualmente explicita" que alguma vez vi numa marcha deve ter sido... sei lá, dois homens de tronco nu a marchar de mãos dadas. Que de sexualmente explicito nem tem nada, mas foi o mais "próximo" que me lembrei neste momento. Drag queens também nem vê-los, acho que consigo contar pelos dedos de uma mão o numero de travestis que vi nas marchas a que fui. E acho mal. Acho que deviam haver mais pessoas "extravagantes" e "nao normativas" nas marchas. Porque essas pessoas existem, e deviam sentir-se suficientemente confortáveis para aparecer nas marchas tal como são. Eu acho que o facto de haverem tão poucas pessoas nao normativas nas marchas é mau sinal, é sinal que essas pessoas ainda sentem que não podem ou devem aparecer nas marchas; se calhar por terem medo de sofrer as consequências de se assumirem publicamente (os medos habituais, homofobia, transfobia, tretas da sociedade); e além disto ainda têm de aturar pessoas dentro da própria comunidade LGBT a dizerem-lhes que não deviam aparecer nas marchas? A dizer que são elas as culpadas de não sermos levados a sério? A dizer que são demasiado extravagantes para participar num evento que, supostamente, comemora a tolerância, aceitação e diversidade? Não consigo deixar de ver uma enorme hipocrisia neste tipo de mindset.

O espírito da luta pelos direitos LGBT devia ser mais "eu tenho direito à dignidade porque sou um ser humano" e não tanto "eu tenho direito à dignidade porque me encaixo bem na sociedade e sou muito normalzinho e igual a voces". Hoje em dia quase que parece que ser "diferente" é uma coisa má, se és diferente, não apareças na marcha, vais dar-nos mau nome, não mereces ser visto em público à minha beira. Tretas.

Mas já estou a ressabiar bem mais do que tinha planeado quando comecei a escrever este post, LOL.

Eu gosto das marchas. Já participei em algumas e pretendo continuar a participar. Acho que as marchas não são apenas um evento de reivindicação de direitos mas também de celebração dos direitos que já alcançamos e é uma boa oportunidade para dar alguma visibilidade a minorias que, durante o resto do ano, caem no esquecimento.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: bookerdewitt em 18.jun.2014, 18:29:15
«(...)Porque essas pessoas existem, e deviam sentir-se suficientemente confortáveis para aparecer nas marchas tal como são(...)»

«(...)O espírito da luta pelos direitos LGBT devia ser mais "eu tenho direito à dignidade porque sou um ser humano" e não tanto "eu tenho direito à dignidade porque me encaixo bem na sociedade e sou muito normalzinho e igual a voces"(...)»

Concordo muito com isto que disseste T-Rex :)

Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: JDelgado em 18.jun.2014, 21:58:51
Concordo com o T-Rex

Spoiler (clica para mostrar/esconder)

Eu por acaso na primeira vez que fui a marcha de Lisboa fiquei um bocado desiludido neste aspecto, acho que a nossa marcha ainda é muita fraquinas nesse aspecto, ainda há muito preconceito em relação as pessoas mais diferentes, o que na minha opinião acaba por ser um reflexo do machismo e da homo/transfobia que ainda existe no seio da população lgbt a nível nacional


Eu acho importante estas marchas, não só como forma de renvidicação de direitos como uma celebração dos mesmos e da diversidade tanto a nível de orientação sexual, como de identidade e expressão de genero. É importante porque da visibilidade a essas pessoas, alerta para a descriminação, e o facto de as pessoas virem assim para as ruas é uma incebtivo pode ser um apio para todas as oucras que se querem assumir e que muitas vezes vivem a ambientes fechados, e alem disso muitas das pessoas que vão a estas marcha tem como esse local um dos poucos onde se podem expressar e assumir aquilo que são.

Custa-me muito ouvir e ler algumas opiniões sobre quem deve ou não deve aparecer nas marchas, por elas são feitas para toda a gente e não para alguns. E mais; quem anda ai apontar o dedo as pessoas "mais extravagantes" devia se informar mais um bocadinho sobre historia LGBT como e porque  que surgiram estas marchas e da elevada importância que as pessoas ditas extravagantes tiveram na lutas dos direitos LGBTs, é triste e revoltante  ver essas pessoas que tiverem um papel importante serem agora atacadas e escluidas pelas pessoas que eles propios defenderam
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: V24 em 22.jun.2014, 02:23:08
Eu não vou a marchas. Sou perfeitamente normal. O meu código é não admitir que ninguém me critique ou tente rebaixar por causa daquilo que gosto...é só isso que é preciso fazer.
Agora se vão encolher-se a um canto a chorar por causa do homofóbico mau, e só se sentem fortes em bandos...
Well...à vontade é um país livre
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: T-Rex em 22.jun.2014, 02:51:57
Agora se vão encolher-se a um canto a chorar por causa do homofóbico mau, e só se sentem fortes em bandos...
Well...à vontade é um país livre

A união faz a força ;) Eu também sou perfeitamente "normal" (o que quer que entendas por "normal" anyway), nao entendo o que é que as marchas têm a ver com o ser "normal" ou não.

Se bem que a ideia das marchas não é chorar num canto por causa do big bad homophobe, é precisamente o contrário, é mostrar que não vamos aturar as tretas homo/bi/transfóbicas que nos atiram à cara, e dizer isso mesmo publicamente. Além das razões habituais: dar visibilidade, reivindicar direitos, celebrar as conquistas, etc.
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Thought em 25.jun.2014, 18:06:28
Não concordo com marchas/paradas de orgulho gay nos moldes que são normalmente feitas. Acho que tais marchas e eventos só acentuam a discriminação porque fazem com que as pessoas LGBT sejam vistas como um "grupo" de pessoas extravagantes e muito diferentes... É que parece que em vez de festejarem o "orgulho" vão fazer demonstrações carnavalescas, em nudez parcial ( ??? :wor ), com trajes exuberantes e só se vêem os típicos extremos estereotipados do "mundo" gay, ou seja homens muito femininos ou travestis, e ainda todo o tipo de exibição de fantasias sexuais (bondage, SM, etc.) e ainda demonstrações "carnais" deliberadas em público. Isto para não falar em todo o tipo de bandeiras, ícones e símbolos que só servem para criar uma segregação entre homos e heteros...  :-X Eu gostava que tais marchas servissem para afirmar que as pessoas LGBT são na verdade cidadãos como os outros que têm vidas normais, com famílias e amigos, e fora da típica boémia dos clubes gays e círculos gays "fechados", porque seria uma abordagem neutral que surtiria impacto e efeitos nas políticas e leis. Os países do leste europeu e tantos outros ao redor do mundo estão cada vez mais longe de terem leis igualitárias precisamente porque vêem os gays como um grupo social à parte, de costumes "estranhos" incompatíveis com a moral do país, e ainda para mais com as ditas influências ocidentais que costumam aclamar. A igualdade começa com a semelhança e não com a diferenciação acentuada que é mostrada neste tipo de marchas. Na minha opinião o orgulho gay é um conceito válido mas é para ser mostrado e vivido de outra forma e perspectiva, nomeadamente através de eventos que incluíssem o resto da população, dando a conhecer o lado mais banal e que nos torna a todos seres humanos.

Gostei muito do que foi dito, acho que estas marchas, deviam ser bastante divulgadas, junto das escolas e etc de forma a incluir todo o tipo de pessoas, sendo algo mais discreto e "sério"
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: JDelgado em 26.jun.2014, 02:09:58
Todas a marchas tem um manifesto e no final existem vários colectivos que fazem um discurso no final onde é dito quais as razão de la estar e por que lutam.

Também acho que podia haver maior divulgação da marcha de forma a incentivar mais participantes, e podia ser mais falada a nível de comunicação social

Em relação as pessoas discretas, não concordo porque a marcha foi feita mesmo para as pessoas saírem do armário e demonstrarem aquilo que são sem qualquer tipo de problema, caso contrario a marcha não fazia qualquer tipo de sentido, pois um dos objectivos da marcha é mesmo esse, lutar contra a normatividade imposta da sociedade em relação a orientação sexual, identidade e expressão de genro, e mostrar e dar visibilidade que existem diversas forma de se viver a sexualidade e diversas forma de identidade e expressão de genro.

Não é suposto uma pessoa identificar-se com toda a gente que vai a marcha, cada um vai e representa-se a sim propio, sendo que pode haver pessoas com que uma pessoa se identifique mais e outras que se identifique mesmo, por isso é que é bom existir diversidade de pessoas nas marcha
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: Cardo em 09.jul.2014, 13:57:02
Marcha do orgulho gay, não me identifico com a mesma, e não é por não participar na mesma que deixarei, ou que terei menos voz ativa na defesa dos direitos humanos dos LGBT, porque prefiro fazer esse ativismo diariamente, junto de amigos, familia, colegas de trabalho, e na rua.

Ouve alguém que me disse que eu devia ter homofobia internalizada pelo facto de não me identificar com a marcha LGBT, e por não participar nela, mas, se formos por ai haveria muito a falar.

Gosto que as pessoas Trans, bi, homo, poli, tri, o que sejam, defendam as suas caracteristicas com naturalidade. Fora disso para mim não faz qualquer sentido.

Agora dizerem que eu ser um homofóbico por não participar na marcha e acima de tudo por não viajar na mesma é descabido. 

Existe espaço para todos na sociedade LGBT, os que se identificam com e os que não se identificam com... Que tal respeitarmos as ideias de cada um? Fariamos a diferença, porque calariamos um preconceito dentro de outro preconceito ;).
Título: Re: A questão do "orgulho" e do "exibicionismo"
Enviado por: V24 em 13.jul.2014, 14:52:58
Cada um que faça o que desejar. Aliás cada vez mais deixo de querer saber. Sejam muito felizes, sinceramente.
Desde que não me chateiem, é naquela xD