Fórum da rede ex aequo

Outras Conversas => Atualidades, Política e Sociedade => Tópico iniciado por: Topolino em 07.set.2006, 20:54:43

Título: Praxe
Enviado por: Topolino em 07.set.2006, 20:54:43
Olá...

Mais um ano vem aí e a tão esperada recepção dos caloiros chega acompanhada com a vontade de tornar esta nova etapa algo inesquecivel para os mesmos.


Contem aqui as vossas experiências (más ou boas) de forma as pessoas saberem o bem praxar e tirar boas ideias. ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Calipso em 07.set.2006, 21:52:43
Eu vou ser praxada este ano!!! Só espero que não sejam muito maus comigo  lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Diva em 07.set.2006, 21:59:42
Mais um tópico muito interessante...  ;)

Vou deixar aqui a minha opinião (penso, logo existo).

Sou contra as praxes, talvez porque a minha experiência com as praxes não tenham sido nem educativas nem me tenham ajudado de forma nenhuma a conhecer melhor nem a faculdade, nem os colegas de curso...

As praxes que mais me recordo foi terem-nos colocado a mim e aos meus colegas de joelhos a rezar para o Bin Laden (que piada é que isso tem??? e de que serviu??? aliás é de um péssimo senso), as outras praxes eram as habituais, quando nos perguntavam quantos anos tinhamos deviamos responder apenas 1... porque senão riam-se as gargalhadas e perguntavam?? tens assim tantos anus??? e também tinhamos que dizer que vinhamos do curral de coimbra (por ex)...

Também presenciei outras praxes (geralmente todas de joelhos) e não vi nada de educativo nelas... Acredito que existam praxes educativas e que possam ser muito uteis para que os alunos conheçam quer a escola, quer os seus colegas... e penso sinceramente que apenas essas deveriam ser exercidas... Penso também que nenhum aluno deveria ser obrigado a participar nas praxes se assim o entendesse (é um direito que o aluno tem e que geralmente é ignorado e esquecido pelos restantes)

Um episódio que gostei imenso quando me estavam a praxar:
Estava eu e os meus colegas a rezar de joelhos para o Bin Laden ( >:(), quando aparece o meu professor de direito constitucional que por acaso era padre (um excelente professor por sinal e lamento muito a morte dele) e quando ele vivenciou a cena deu um sermão aos "queridos colegas" que nos estavam a praxar...  ;D.. E que sermão... He he  :devil

Título: Re: Praxe
Enviado por: rage em 07.set.2006, 22:10:02
Eu concordo com as praxes menos quando estas são abusivas ou potencialmente prejuciais aos alunos. O objectivo principal da praxe deve ser a integração e diversão dos que são submetidos a ela. Quando esta começa a ser abusiva perde o interesse todo. Há pessoas que simplesmente não estão dispostas a simular actos sexuais (principalmente raparigas), andar de camisa de noite na rua durante o dia, ir a lojas e roubar artigos à frente do vendedor, etc... como conheço vários casos. Acho que deve haver o direito de escolha de participação ou não na praxe sem que no futuro, se seja visto duma forma com desprezo ou indiferença.

Just my opinion.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Calipso em 07.set.2006, 22:23:40
Eu concordo com as praxes menos quando estas são abusivas ou potencialmente prejuciais aos alunos. O objectivo principal da praxe deve ser a integração e diversão dos que são submetidos a ela. Quando esta começa a ser abusiva perde o interesse todo. Há pessoas que simplesmente não estão dispostas a simular actos sexuais (principalmente raparigas), andar de camisa de noite na rua durante o dia, ir a lojas e roubar artigos à frente do vendedor, etc... como conheço vários casos. Acho que deve haver o direito de escolha de participação ou não na praxe sem que no futuro, se seja visto duma forma com desprezo ou indiferença.

Just my opinion.

Opinião legítima e sensata. Também sou a favor das praxes como elemento de descontracção, integração e sobretudo convívio. Mas quanto vão contra a integridade da pessoa o caloiro pode dizer 'Não' :up
Título: Re: Praxe
Enviado por: Topolino em 07.set.2006, 22:31:02
A ideia deste tópico é dar ideias para praxar de forma divertida para os que praxam mas principalmente para os que são praxados.

Cada pessoa tem o seu limite definido e por vezes esse limite é ultrapassado. As praxes não servem para levar a pessoa ao limite para humilha-las. Serve para conhecerem melhor todos os que pertencem ao mesmo grupo, não dando tempo para se sentirem deslocados, perdidos ou até mesmo postos de parte.

Lembro-me que no 1º dia sentia-me sozinho. Mas com a praxe passado 2h já conhecia pessoas que hoje são verdadeiros amigos.

Eu, no ano passado, praxei de inicio os caloiros. Praxes psicológicas que possibilitaram algumas risotas. Mas, no final das praxes, quando iam já para casa eu cheguei ao pé deles e disse: "Se precisarem de algo não hesitem em pedir."

Hoje os caloiros do ano passado chegam ao pé de mim e dizem: "Aqui está um dos veteranos que praxou-nos bem. Ás vezes, alias muitas vezes era mau, mas sempre nos respeitou."
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 20.set.2006, 15:59:20
 Estive até há pouco a ver as praxes de um colega meu que está na FCUL ...
 Encontrei-o na postura típica de todos os caloiros, cabeça baixa e olhos no chão desejando que nenhum veterano dê por conta deles. Mal me viu a mim e aos restantes tratou de esconder-se, mas em vão, pouco depois deu inevitavelmente de caras connosco! Estava envergonhadíssimo! Para falar verdade nem percebo porquê ele até nem cantava mal e nem era dos piores a abanar o r*** ... ( lol ) Embora com um encarecido pedido por nossa parte por um sorriso enquanto era o alvo da mira das nossas máquinas fotográficas, não conseguimos pouco mais do que uma cara de enterro com um sorriso amarelo!
 As brincadeiras seguiram-se bem com os cânticos, o hino, as coreografias, os "enximentos" ...enfim, com tudo o que um verdadeiro caloiro tem direito! De tudo o que vi e daquilo que foi dado a entender como "a sina" daqueles caloiros nos próximos dias não tive a sensação da existência de abusos por parte da comissão de praxes e ainda bem! Sou a favor das praxes assim, ou seja, como uma maneira engraçada de integrar o novo estudante no meio universitário.

Bem vou gozando com os outros enquanto posso ...

enquanto também a minha "hora" não chega ...  [smiley=estiloso.gif]
Título: Re: Praxe
Enviado por: LusoBoy em 20.set.2006, 20:28:21
A minha praxe durou meio dia, depois desisti porque não tinha nada a ver comigo ;D. E não me arrependo nada. Eles fazem com que aquilo pareça obrigatório mas não me fez falta nenhuma. Mas também o meu caso é diferente porque a praxe do meu curso é pior. Pelo que ouvi dizer, foi muito criticada por outros cursos, no início só se viam raparigas a chorar por causa da praxe e muitos tentavam fugir, escondiam-se, etc. Houve lá uns problemas com a comissão de praxe mas nunca percebi muito bem isso. Espero que a tortura e a humilhação não se repita este ano para os novos alunos.
Título: Re: Praxe
Enviado por: rage em 20.set.2006, 21:26:14
A minha praxe durou meio dia, depois desisti porque não tinha nada a ver comigo ;D. E não me arrependo nada. Eles fazem com que aquilo pareça obrigatório mas não me fez falta nenhuma. Mas também o meu caso é diferente porque a praxe do meu curso é pior. Pelo que ouvi dizer, foi muito criticada por outros cursos, no início só se viam raparigas a chorar por causa da praxe e muitos tentavam fugir, escondiam-se, etc. Houve lá uns problemas com a comissão de praxe mas nunca percebi muito bem isso. Espero que a tortura e a humilhação não se repita este ano para os novos alunos.

Qual é a tua faculdade? Engenharia?
Título: Re: Praxe
Enviado por: biki em 20.set.2006, 21:43:41
é bastante estupido haver praxe no meu liceu :S

e consiste em pintar as outras pessoas c todo o tipo de tinta... tinta permanente, guache, tinta de parede... graxa!
Título: Re: Praxe
Enviado por: nuni em 20.set.2006, 21:47:11
O jose falcao é a unica escola secundaria de coimbra que tem praxes, as mais leves sao os tipicos  riscos e etc nos braços e maos feitos com canetas de tinta permanente, os mais chatos sao a pasta de dentes no cabelo, a farinha, os ovos, a maionese..... lol...ate que tem piada!!!...eu proprio levei com um ovo na cabela lol :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: LusoBoy em 20.set.2006, 23:38:14
A minha praxe durou meio dia, depois desisti porque não tinha nada a ver comigo ;D. E não me arrependo nada. Eles fazem com que aquilo pareça obrigatório mas não me fez falta nenhuma. Mas também o meu caso é diferente porque a praxe do meu curso é pior. Pelo que ouvi dizer, foi muito criticada por outros cursos, no início só se viam raparigas a chorar por causa da praxe e muitos tentavam fugir, escondiam-se, etc. Houve lá uns problemas com a comissão de praxe mas nunca percebi muito bem isso. Espero que a tortura e a humilhação não se repita este ano para os novos alunos.

Qual é a tua faculdade? Engenharia?

Ciências da Nutrição e Alimentação.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Petit_Prince em 21.set.2006, 00:30:31
Qq praxe que involva humilhaçao mm q ligeira (ponha-se d 4...) nao e do meu gosto.  :-\
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 28.set.2006, 00:20:43
A minha Faculdade começa dia 2, bem como respectiva praxe! VENHA ELA!!!  ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: biki em 28.set.2006, 00:24:30
vi tantos caloiros c orelhas de burros alinhados a porta do c.c. do bom sucesso lol  lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Prunella.Fuente em 28.set.2006, 01:03:44
Odeio tudo o que "é da praxe".
Título: Re: Praxe
Enviado por: boyptm em 28.set.2006, 01:42:14
Eu estou muito contente... adorei ser praxado, e este ano enquantro embro da comissão de praxe, esá tudo a ser lindo... basta dizer que nós estamos a praxar um curso novo que abriu este ano, e esta noite apareceram 5 pessoas desse curso só para serem praxadas, visto que ás quartas não têm aulas!!!

O pega-monstro este ano tá a fazer um enorme sucesso!!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Oxalá em 28.set.2006, 13:26:10
vai pra longe praxe  >:( não tenho paciência pa isso  >:(
Título: Re: Praxe
Enviado por: jorge11 em 28.set.2006, 13:51:58
a praxe ate e uma coisa interessante...depende e da forma como e feita...a praxe deve ser uma forma para os caloiros se conhecerem uns aos outros e se divertirem ..nao uma forma de os veteranos abusarem deles e se vingarem do eke lhes foi feito...
eu gosto da praxe mas desde ke esta seja usada para os caloiros se divertirem e conhecerem as pessoas com kem vao trabalhar... ke e o que se passa na minha faculdade
Título: Re: Praxe
Enviado por: boyptm em 28.set.2006, 17:36:04
aqui onde eu estou... principamente à noite, a praxe é mesmo para criar amizades... em 3 anos a unica coisa que vi fazerem que não gostei, foi partirem 1 ovo dentro das calças de uma rapariga... e já avisei que este ano isso não vai acontecer porque eu nao deixo!! (ontem nem me deixaram por um bocadinho de espuma pra barba no cabelo das raparigas  :()
Título: Re: Praxe
Enviado por: Before the Dawn em 28.set.2006, 21:01:46
A minha praxe durou meio dia, depois desisti porque não tinha nada a ver comigo ;D. E não me arrependo nada. Eles fazem com que aquilo pareça obrigatório mas não me fez falta nenhuma. Mas também o meu caso é diferente porque a praxe do meu curso é pior. Pelo que ouvi dizer, foi muito criticada por outros cursos, no início só se viam raparigas a chorar por causa da praxe e muitos tentavam fugir, escondiam-se, etc. Houve lá uns problemas com a comissão de praxe mas nunca percebi muito bem isso. Espero que a tortura e a humilhação não se repita este ano para os novos alunos.

Qual é a tua faculdade? Engenharia?

Ciências da Nutrição e Alimentação.

o_O A minha n por acaso...Mas disseram m k a FCNAUP era a praxe das melhores...Não queiras a minha. É lixada =\
Título: Re: Praxe
Enviado por: LusoBoy em 28.set.2006, 21:07:39
Abaixo a praxe :up 8).
Título: Re: Praxe
Enviado por: blueboy em 28.set.2006, 21:14:32
Cada um tem a sua opinião e ninguém é "obrigado" a nada... Eu estou a adorar, não gosto muito dos gritos, mas as praxes não são só isso, de maneira nenhuma. Há actividades muito engraçadas e que me deram a oportunidade de começar a falar com os meus colegas e de aprender muitas coisas acerca da minha faculldade que ainda é grandinha  :)

Be free to choice! E não deixem que abusem de vocês de maneira nenhuma...
Título: Re: Praxe
Enviado por: Doop! em 28.set.2006, 21:28:31
Devo dizer, que depois de ainda mastigar um bocado o que raio me aconteceria, chegar lá e não mais acontecer que sermos convidados para nos sentarmos a conversar foi ligeiramente anti-climático. lol

Antropologia no ISCTE: O Curso-Cadáver.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Wasserfest em 28.set.2006, 21:35:46
As praxes enquanto meio de integrar os caloiros são uma grande aldrabice! No meu ano na praxe eu tava tão farto daquilo e rezando para sobreviver que não conheci ninguem, caloiro ou veterano. Só depois nas aulas é que começei a socializar. Por isso acho que em vez de praxes se deviam fazer coisas mais interessantes, como um peddy paper por Lisboa, algo que a minha faculdade fez (mas tirava a parte dos berros, das pinturas e das caras chateadas dos caloiros!)
Título: Re: Praxe
Enviado por: LusoBoy em 28.set.2006, 22:41:08
As praxes enquanto meio de integrar os caloiros são uma grande aldrabice! No meu ano na praxe eu tava tão farto daquilo e rezando para sobreviver que não conheci ninguem, caloiro ou veterano. Só depois nas aulas é que começei a socializar. Por isso acho que em vez de praxes se deviam fazer coisas mais interessantes, como um peddy paper por Lisboa, algo que a minha faculdade fez (mas tirava a parte dos berros, das pinturas e das caras chateadas dos caloiros!)

Pois, a praxe podia ter alguma coisa a ver com integração e ajuda. Jogos e actividades.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Petit_Prince em 28.set.2006, 22:43:27
Acho interessante que a maioria das pessoas nao consiga distinguir entre: "nao quero ser praxado" e "sou anti-praxe". e fantastico. tb vos acontece?
Título: Re: Praxe
Enviado por: boyptm em 29.set.2006, 02:31:51
Acho interessante que a maioria das pessoas nao consiga distinguir entre: "nao quero ser praxado" e "sou anti-praxe". e fantastico. tb vos acontece?

Completamente... Ainda esta noite, tava a tentar convençer um Sr. a se juntar ao resto dos calorios...  e ele tava a dizer que não queria, assim que eu disse "então é anti-praxe??" ele respondeu logo que não. E acabou por se juntar ao resto do pessoal!!! E a verdade é que eu sai da praia da rocha ás 2:00 e ele ainda lá ficou!!  :)
Título: Re: Praxe
Enviado por: deep green eyes em 29.set.2006, 12:21:41
adorei ter sido praxada e este ano ja praxei... ;D ;D andava ansiosa pa q as ferias acabassem so pa vir praxar as caloirinhas... e caloirinhos tb... ;D ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: hal em 29.set.2006, 15:05:36
Acho a praxe uma parvoíce, mas pronto!  :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: Petit_Prince em 29.set.2006, 20:20:50
Acho a praxe uma parvoíce, mas pronto!  :P

"diz" que quem gosta de praxar gosta de dominar na cama... é o que "diz".  ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Before the Dawn em 29.set.2006, 20:24:40
Eu tnh um espirito dominante mas nao gosto de praxar  lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: boyptm em 29.set.2006, 23:18:11
Acho a praxe uma parvoíce, mas pronto!  :P

"diz" que quem gosta de praxar gosta de dominar na cama... é o que "diz".  ;)

Não sei...  :P


Adorei esta noite... hoje e segunda temos o dia da indeferença... afixamos um comunicado a dizer que as praxes tinham sido suspensas, e foi lindo ver os caloiros virem ter conosco a perguntarem o que se tinha passado, e quando derrepende começamos a ouvi-los a cantarem ao portão na universidade!!! Isto só demonstra que eles tambem gostam das praxes!!!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Tiago em 29.set.2006, 23:24:16
Isto só demonstra que eles tambem gostam das praxes!!!

"Quanto mais me bates mais gosto de ti".
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 02.out.2006, 23:00:03
Isto só demonstra que eles tambem gostam das praxes!!!

"Quanto mais me bates mais gosto de ti".

Se as praxes continuarem a ser como foram as minhas de hoje sou uma caloira a favor de praxes concerteza! Diverti-me imenso ... amanhã há mais!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Diva em 03.out.2006, 21:32:56
Ainda a semana passada ao conversar com um amigo que fez a licenciatura em França ele dizia que lá a praxe só é permitida no primeiro dia de aulas e com regras bastante apertadas...

Não compreendo porque é que em Portugal as praxes são permitidas durante tanto tempo e todos os anos se sabem de exageros praticados na praxe...  >:(

Já é altura de termos regras mais apertadas para as praxes para que estes exageros não continuem a existir...

Título: Re: Praxe
Enviado por: Elfo em 03.out.2006, 22:22:32
Ainda a semana passada ao conversar com um amigo que fez a licenciatura em França ele dizia que lá a praxe só é permitida no primeiro dia de aulas e com regras bastante apertadas...

Não compreendo porque é que em Portugal as praxes são permitidas durante tanto tempo e todos os anos se sabem de exageros praticados na praxe...  >:(

Já é altura de termos regras mais apertadas para as praxes para que estes exageros não continuem a existir...




Subscrevo totalmente...
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 04.out.2006, 00:04:24
Ainda a semana passada ao conversar com um amigo que fez a licenciatura em França ele dizia que lá a praxe só é permitida no primeiro dia de aulas e com regras bastante apertadas...

Não compreendo porque é que em Portugal as praxes são permitidas durante tanto tempo e todos os anos se sabem de exageros praticados na praxe...  >:(

Já é altura de termos regras mais apertadas para as praxes para que estes exageros não continuem a existir...



Pelo menos na minha faculdade é possível declarar-nos anti-praxe, se bem que isso tenha implicações, não represálias, entenda-se: quem for anti-praxe não pode trajar! não pode depois praxar ... etc! Todavia mesmo que aceitemos ser praxados se acharmos que alguma conduta é abusiva devemos comunicar. Hoje por exemplo aconteceu uma veterana querer molhar-nos o cabelo e depois deitar-nos farinha por cima, ou seja, o objectivo era formar uma espécie de pasta que cola! Aceito brincar, mas desta maneira não! Sendo assim uma vez chegada a minha vez eu simplesmente recusei e nada me fizeram.
É verdade que andar numa semana nisto de praxe é bastante cansativo, mas ao mesmo tempo muito divertido, é rídiculo muito das coisas que temos que fazer, ok, mas a píada está ai mesmo! Depois existe a rivalidade entre cursos, rivalidade saudável diga-se! Os cânticos são uma constante, com eles enaltecemos o nosso curso e ao mesmo tempo em tom provocatório e mesmo com coreografias "mandamos abaixo" os outros. Vivo imenso o espírito, aliás eu e todos, já estou super rouca à conta disso!
Quanto aos veteranos, impõe-nos respeito,são duros e nossos "inimigos" apenas naquela semana, é o papel deles, a tradição! Mas eu e os restantes do meu curso não nos podemos queixar muito, os nossos veteranos são uns porreiros hoje já estivemos em amena cavaqueira com eles!  ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: Wasserfest em 04.out.2006, 00:15:28
quem for anti-praxe não pode trajar!

E porque? Até parece que alguem vai controlar as pessoas que trajam ou não! E lá por sermos anti-praxe já não temos o direito de trajar? Eu pergunto quem é que instaurou essas leis idiotas que se transmitem de geração em geração sem que haja o minimo tempo de reflexão para se pensar no que se está a fazer!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Before the Dawn em 05.out.2006, 23:21:48
adorei ter sido praxada e este ano ja praxei... ;D ;D andava ansiosa pa q as ferias acabassem so pa vir praxar as caloirinhas... e caloirinhos tb... ;D ;D

 :dunce caloiraa [smiley=morto.gif] Ai se eu estivesse nas tuas mãos
Título: Re: Praxe
Enviado por: LusoBoy em 06.out.2006, 01:13:21
quem for anti-praxe não pode trajar!
E porque? Até parece que alguem vai controlar as pessoas que trajam ou não! E lá por sermos anti-praxe já não temos o direito de trajar? Eu pergunto quem é que instaurou essas leis idiotas que se transmitem de geração em geração sem que haja o minimo tempo de reflexão para se pensar no que se está a fazer!

Isso é mentira, pode trajar à vontade, é só roupa, não há leis contra isso. Não podem é praxar. O traje nem deveria ser relacionado com a praxe.

O Wasserfest tem toda a razão.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Before the Dawn em 06.out.2006, 11:29:38
Na minha fac se não fores praxado não passas a tribuna. Se não passas a tribuna, não trajas.  :-\
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 06.out.2006, 18:55:49
quem for anti-praxe não pode trajar!
E porque? Até parece que alguem vai controlar as pessoas que trajam ou não! E lá por sermos anti-praxe já não temos o direito de trajar? Eu pergunto quem é que instaurou essas leis idiotas que se transmitem de geração em geração sem que haja o minimo tempo de reflexão para se pensar no que se está a fazer!

Isso é mentira, pode trajar à vontade, é só roupa, não há leis contra isso. Não podem é praxar. O traje nem deveria ser relacionado com a praxe.


 [smiley=muro.gif] É? Agora fiquei confusa, mas afinal és tu ou sou eu que anda naquela faculdade?  [smiley=malabarista.gif]

Título: Re: Praxe
Enviado por: Petit_Prince em 06.out.2006, 19:01:46
Não compreendo porque é que em Portugal as praxes são permitidas durante tanto tempo e todos os anos se sabem de exageros praticados na praxe...  >:(

Como so vai quem quer nao acho que haja necessidade de nd mais apertado... Agora que tenham cuidado pq os profs marcam faltas... Mm na semana dita academica!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Diva em 11.out.2006, 17:50:31
Não compreendo porque é que em Portugal as praxes são permitidas durante tanto tempo e todos os anos se sabem de exageros praticados na praxe... >:(


Como so vai quem quer nao acho que haja necessidade de nd mais apertado... Agora que tenham cuidado pq os profs marcam faltas... Mm na semana dita academica!


Não concordo contigo, infelizmente há muita violência sobretudo psicologica que impedem os alunos de se assumirem anti praxe. Há imensos mitos como alguns que vimos nesta página... Não vale a pena tentarmos tapar o sol com a peneira.. não achas???  ;)


Como estamos novamente no inicio de mais um ano lectivo tive a curiosidade de saber quais as origens da praxe, tão defendidas por uns e tão criticadas por outros…
O que descobri…
  :)


Origem da praxe

A actual praxe académica surge na Universidade de Coimbra. Tem como base uma jurisdição especial, que (o "foro académico"), a qual era aplicada pela Polícia Académica. A organização desta polícia era constituída por alunos, e a hierarquia definida pela antiguidade dos mesmos na universidade. O seu papel era o de zelar pela ordem no campus, e fazer cumprir as horas de estudo e recolher obrigatório por alunos e professores, sob pena de prisão, sobrepondo-se às autoridades oficiais. Também tinha a incumbência de evitar a entrada na faculdade dos habitantes da cidade que não fossem estudantes ou professores. Com estas responsabilidades, misturavam-se rituais de iniciação (ou "investidas"), para os novos alunos, recém-chegados - os caloiros - à universidade, geralmente envolvendo actos de violência.
Pouco mais é conhecido destes rituais, até que em 1727, devido à morte de um aluno, D. João V a proíbe: "Hey por bem e mando que todo e qualquer estudante que por obra ou palavra ofender a outro com o pretexto de novato, ainda que seja levemente, lhe sejam riscados os cursos."

Contestação à praxe.

É difícil precisar quando surgiu pela primeira vez a contestação à praxe. Teófilo Braga, que viria a ser Presidente da República, relatava como no seu tempo os estudantes faltavam às aulas para fugir à praxe. Segundo ele, "Enquanto o estudante vivia em Coimbra, envolvido ou exposto às sangrentas investidas, tinha de andar armado até aos dentes". Em 1902, um grupo de anti praxistas liderados por José de Arruela consegue acabar com o canelão, praxe na qual os novos alunos eram arrastados ao pontapé pelos praxistas na ponte de Coimbra. Em 1903, Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão assinam, em conjunto com outros estudantes, um "Manifesto anti-praxe". Apenas na década de 90 surgem movimentos organizados de combate à praxe, o MATA e o Antípodas. Estes movimentos juntam estudantes na contestação às tradições académicas e têm conseguido criar um clima de debate em torno da praxe, que até aí era assunto tabu. Em 2000 estreia o filme "Rasganço", de Raquel Freire. Apesar de não conter uma mensagem anti-praxe, o filme é por vezes crítico em relação ao fechamento da Universidade de Coimbra. O Conselho de Veteranos emite um comunicado contra a película. Em 2003, o MATA e o Antípodas juntam-se para criar um manifesto anti-praxe. O manifesto foi assinado por dezenas de personalidades, tais como Eduardo Prado Coelho, Baptista Bastos, Pedro Abrunhosa, Pacman, Rosa Mota, Vitorino, José Luís Peixoto, Manuel Cruz, Miguel Guedes e Sérgio Godinho.


Mais uma vez digo que não sou anti-praxe, porém a maioria das praxes que tenho vivenciado não são de forma nenhuma educativas e algumas delas acabam por ser até desumanas…
O mais importante a realçar é que nenhum código da praxe poderá se sobrepor à Declaração Universal dos Direitos Humanos que no seu artigo 5º proclama que Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

Os caloiros não são apenas vítimas de praxes que violam a sua integridade física como em muitos casos são também vítimas de violência psicológica. Convido todos os caloiros a pesquisarem mais sobre as praxes e principalmente sobre os seus direitos em se assumirem como anti praxe. Para tal deixo alguns endereços de alguns movimentos anti praxe. Haverá mais concerteza.


Sites de movimentos anti-praxe

http://praxenao.no.sapo.pt/
http://www.antipodas.web.pt/
http://www.mata.byethost5.com/news.php
http://opa.praxe.org


Deixo uma ideia para praxes, no primeiro dia é essencial a apresentação da faculdade aos caloiros (atenção que é importante que os caloiros não façam esse reconhecimento de joelhos  ;D). Acho também interessante fazer alguns concursos inter cursos, tanto provas físicas (corridas, contorno de obstáculos, mini-futebol, cesto, etc) como provas intelectuais (um concurso de trivial pursuit ou de alguns outros jogos de perguntas e respostas). Ganharia o curso que obtivesse melhores pontuações nas duas provas (atenção que não deverá haver penalizações pesadas para os caloiros pertencentes aos cursos perdedores, tais como simulação de actos sexuais, ou peregrinações de joelhos ;D). Penso que há imensas coisas há fazer, basta haver imaginação e sobretudo bom senso e respeito pelos caloiros.

Um bom ano lectivo para todos.


Título: Re: Praxe
Enviado por: Elfo em 11.out.2006, 22:15:59

Não concordo contigo, infelizmente há muita violência sobretudo psicologica que impedem os alunos de se assumirem anti praxe. Há imensos mitos como alguns que vimos nesta página... Não vale a pena tentarmos tapar o sol com a peneira.. não achas???  ;)




Concordo totalmente... Compreendo que para muitos a praxe tenha sido muito divertida e um momento para fazer novos amigos mas há muitos que se esquecem que isso não foi assim para muitos outros!!!

Sobretudo não concordo com a ideia de que só é praxado quem quer... Pode ser difícil ser-se anti-praxe num meio tão novo como a universidade. A faculdade é um meio novo e muitas vezes a ajuda dos alunos mais velhos pode ser preciosa  e acho que ninguém gosta logo de criar inimizades quando ainda nem amigos ali criaram...

Estou no quarto ano e este foi o primeiro ano em que quis mesmo obserrvar as praxes quase todas. Nunca gostei delas mas este ano arranjei paciencia.
E Sinceramente tenho mesmo pena que a integração dos caloiros seja feita principalmente por veteranos praxantes arrogantes e com um desejo de humilhar os outros que vai do nojento ao patético. Este ano eu e alguns colegas filmámos mesmo alguns praxantes para nos rirmos um pouco. É que há uns que levam aquilo da hierarquia e da obediência tão a sério que se tornam ridículos...parecem neuróticos.  Mas mais tarde foi observar as caras dos caloiros...algumas expressavam alegria é verdade mas a maioria expressava algo que ia da apatia ao medo...
Reparei que varia bastante de curso para curso. A minha faculdade (FCUL) tem vários departamentos e cada um faz praxes diferentes...Espantei-me ao ver que as do meu curso nem eram as piores...Algumas eram mesmo tristes demais para ser verdade. E são tristes porque se baseiam na humilhação e uso, para puro gozo dos veteranos, de indivíduos mais novos e mais fracos (não por o serem em potência mas pela circunstância de recém chegados). Numa Universidade que se diz democrática as praxes são muitas vezes uma traição aos valores que a universidade deve defnder. Exemplos: veteranos que sobem na hierarquia por número de matrículas (quanto mais burros mais alto estão); comissões e tribunais de praxe auto-propostos que não representam nada nem ninguém nem tal o podem fazer porque ninguém os elegeu; a falta de regulamentos de praxe escritos e votados por toda a faculdade, caloiros incluídos...

É verdade que há praxantes que apenas cumprem indicações de veteranos mais velhos e que não fazem determinadas coisas mas enfim....

E é verdade que também há actividades nas praxes engraçadas, que tentam integrar os alunos, mas são muitas vezes poucas num mar de mediocridade.

Sinceramente se é para integrar mesmo, não é necessário:
-Humilhar;
- Obrigar a gritar palvras de ordem como se se tratasse dum exército de fascistas;
- Obrigar a fazer flexões, abdominais e outras ridicularices que só servem para os veteranos se rirem à vontade;
- Obrigar alguém a fazer coisas degradantes e que traiam os valores pessoais de cada um: insultar os pais ou qualquer outra pessoa; fazer jogos sexuais, etc, etc,
- Obrigar os caloiros a ajoelharem-se e deitarem-se!!! ( sim eu já vi isto) perante o veterano mais velho;
- Tratar pessoas como um rebanho de ovelhas;
- Gritar, gritar , gritar como histéricos até que a voz lhes começa a faltar (isto faz me confusão porque me lembra o Hitler histérico nos comícios que dava...)


As melhores amizades que fiz na vida e os meus melhores e mais felizes momentos foram com os meus amigos íntimos da faculdade. Algumas delas com alunos mais velhos. Nenhuma destas amizades nasceu, resultou ou começou na praxe...Bem sei que a minha história é pssoal e que há outras diferentes...

Não defendo o fim da praxe mas apenas a sua mudança, porque tal como está, começa a ser anacrónica no Portugal democrático de hoje. Para mudar basta olhar para algumas faculdades em que as praxes são diferentes e melhores...
Título: Re: Praxe
Enviado por: Petit_Prince em 12.out.2006, 21:32:05
Não concordo contigo, infelizmente há muita violência sobretudo psicologica que impedem os alunos de se assumirem anti praxe. Há imensos mitos como alguns que vimos nesta página... Não vale a pena tentarmos tapar o sol com a peneira.. não achas???  ;)

(...)

Mais uma vez digo que não sou anti-praxe, porém a maioria das praxes que tenho vivenciado não são de forma nenhuma educativas e algumas delas acabam por ser até desumanas…
O mais importante a realçar é que nenhum código da praxe poderá se sobrepor à Declaração Universal dos Direitos Humanos que no seu artigo 5º proclama que Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

Os caloiros não são apenas vítimas de praxes que violam a sua integridade física como em muitos casos são também vítimas de violência psicológica. Convido todos os caloiros a pesquisarem mais sobre as praxes e principalmente sobre os seus direitos em se assumirem como anti praxe. Para tal deixo alguns endereços de alguns movimentos anti praxe. Haverá mais concerteza.


(...)

Deixo uma ideia para praxes, no primeiro dia é essencial a apresentação da faculdade aos caloiros (atenção que é importante que os caloiros não façam esse reconhecimento de joelhos  ;D). Acho também interessante fazer alguns concursos inter cursos, tanto provas físicas (corridas, contorno de obstáculos, mini-futebol, cesto, etc) como provas intelectuais (um concurso de trivial pursuit ou de alguns outros jogos de perguntas e respostas). Ganharia o curso que obtivesse melhores pontuações nas duas provas (atenção que não deverá haver penalizações pesadas para os caloiros pertencentes aos cursos perdedores, tais como simulação de actos sexuais, ou peregrinações de joelhos ;D). Penso que há imensas coisas há fazer, basta haver imaginação e sobretudo bom senso e respeito pelos caloiros.

Um bom ano lectivo para todos.


Bem... Eu falo do meu nariz. A mim ng chatou com isso. Nao ha necessidade de se declarar anti praxe... Posso nao querer ser praxado ms n ter nd contra os outros serem (meu caso e pelo que percebi o teu tb?).

Se calhar participaria na praxe se nao fossem jogos de humilhaçao e simulaçoes sexuais e tudo akilo que referiste... Pelo que ouço contar de antiga/ as coisas funcionavam de forma diferente. havia um outro envolvimento e o objectivo de integraçao era de facto cumprido.

No entanto continuo a dizer q mm q chateiem e mm que sofram represalias cada 1 deve encarar os seus obstaculos como mecanismos de evoluçao e maturaçao... E deve conquistalos da forma que achar melhor...  ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: deep green eyes em 13.out.2006, 16:04:02
adorei ter sido praxada e este ano ja praxei... ;D ;D andava ansiosa pa q as ferias acabassem so pa vir praxar as caloirinhas... e caloirinhos tb... ;D ;D

 :dunce caloiraa [smiley=morto.gif] Ai se eu estivesse nas tuas mãos

podes ter a certeza q eras mttt bem tratada... lol :devil lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: deep green eyes em 13.out.2006, 16:47:16
quem for anti-praxe não pode trajar!
E porque? Até parece que alguem vai controlar as pessoas que trajam ou não! E lá por sermos anti-praxe já não temos o direito de trajar? Eu pergunto quem é que instaurou essas leis idiotas que se transmitem de geração em geração sem que haja o minimo tempo de reflexão para se pensar no que se está a fazer!

Isso é mentira, pode trajar à vontade, é só roupa, não há leis contra isso. Não podem é praxar. O traje nem deveria ser relacionado com a praxe.

O Wasserfest tem toda a razão.

eu acho q isso depende de escola para escola, isto sem certezas m acho q onde eu ando quem se declarar anti praxe fica totalmente excluido das praxes e inclusive n pode usar anel de curso nem ir á missa de bençao das pastas e ads fitas ( destas 2 tenho a certeza foram os unicos pontos q li).qt ao uso do traje acho q sendo anti praxe e apesar do traje ser apenas roupa é o simbolo mor da praxe(onde eu ando so posso praxar trajada).
Título: Re: Praxe
Enviado por: Topolino em 22.out.2006, 15:01:29
Um resumo da praxe este ano.

Após as habituais brincadeiras disse a um caloiro gordito: Diz passe... passado pouco tempo começou a chorar. Perguntei porque chorava ao que disse que era gordo e tinha vergonha. Rapidamente baixei o tom de voz e mandei ele levantar-se e vir cmg para um local sem mta gente. Começei a explicar-lhe que não deve ter vergonha do seu corpo e que jamais alguém o iria gozar por ser como é. Mais calmo regressou à posição inicial. No final do dia o rapoaz alegre e sem T-shirt já corria de alegria.

Fizemos tb um peddy-paper pela cidade para dar a conhecer todos os locais culturais e divertidos da cidade, assim como locais para estudar, com internet grátis e assim.

A praxe serve para unir um grupo que vai interagir durante vários anos. ;)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: candy cane em 26.ago.2007, 16:28:31
Se querias descrição de praxe... Bem, passas uma semana a "sofrer" a sério, que acho que é de manhã à noite (à noite é party!xD). Há uma comissão de praxe que tem 5elementos que são tipo os Deuses da praxe, acima de toda a gente. Nem todos podem praxar, há uma hierarquia muito vincada naquela Escola. Passas de Caloiro a Semi-Puto, depois Puto e por aí afora até seres Finalista ou whatever (isto não só relacionado com a Praxe, também com o número de matrículas). Não me lembro que tipo de praxe é praticada, sei que os caloiros são divididos em manadas e orientados por um veterano que é o Chefe de Manada. As manadas competem umas com as outras em várias actividades a semana toda e ganha a melhor, pronto. Ah, e as praxes é da faculdade toda, os caloiros são misturados, não é várias praxes, cada curso com os seus caloiros.

Ena, que maneira divertida de integrar novos alunos!
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Maria do Saco em 26.ago.2007, 20:33:13
Não sei se estás a ser irónica ou não. lol É que há muita gente que não gosta de praxe, então fico sempre sem saber, mas eu acho que, feita de forma comedida e respeitadora, é uma óptima forma de se conhecer imensa gente e de haver grande diversão, há uma sensação de pertença muito maior porque alguém de facto nos está a dar importância e a querer fazer-nos viver a faculdade. :)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: candy cane em 26.ago.2007, 20:48:45
Estava a ser irónica sim, desculpa. Poderia ter usado alguns bonecos (::), lol) para me fazer entender :)

Se querias descrição de praxe... Bem, passas uma semana a "sofrer" a sério, que acho que é de manhã à noite (à noite é party!xD). Há uma comissão de praxe que tem 5elementos que são tipo os Deuses da praxe, acima de toda a gente. Nem todos podem praxar, há uma hierarquia muito vincada naquela Escola. Passas de Caloiro a Semi-Puto, depois Puto e por aí afora até seres Finalista ou whatever (isto não só relacionado com a Praxe, também com o número de matrículas). Não me lembro que tipo de praxe é praticada, sei que os caloiros são divididos em manadas e orientados por um veterano que é o Chefe de Manada. As manadas competem umas com as outras em várias actividades a semana toda e ganha a melhor, pronto. Ah, e as praxes é da faculdade toda, os caloiros são misturados, não é várias praxes, cada curso com os seus caloiros.

Eu acho que a integração aos novos alunos é necessária, quer estejam no terceiro ciclo, no ensino secundário ou na faculdade. O que não gosto é a maneira como os novos alunos são integrados, nesse misto de hierarquização, superioridade e abuso de poder. Não podes negar que se um aluno diz que não quer ser praxado é olhado de lado, pelo menos naquele momento, e é como que excluído desse processo de integração, como se a parte vital da integração fosse a "brincadeira" e até alguma humilhação. Conheço maneiras bem mais giras de conhecer gente nova e de ir a festas.
E que dizes dos casos de abuso de poder nas praxes que acontecem pelo País fora? Conheço o caso de um aluno que ficou com o pénis e os testículos feridos. Conheço o caso de uma aluna que foi humilhada à frente de toda a escola e que depois de ter denunciado o caso publicamente foi excluída e olhada de lado. Foi julgada num "Tribunal de Praxes" e acho que não te preciso dizer como acabou a história. Quero pensar que estes casos são uma minoria (mas não serão assim tão raros pois há muitos alunos que não fazem queixas destas "brincadeiras de integração) mas além destes casos sou contra as praxes pelo abusos de poder que acontecem. Existem várias maneiras de integrar alguém sem a termos de humilhar.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Maria do Saco em 26.ago.2007, 21:18:49
Eu sei que, infelizmente, existem uma cambada de parvos frustrados que abusam do seu poder pois humilhar um caloiro é a única altura da vida em que se sentem alguém pois são um bando de falhados miseráveis! -.-

Mas esses, graças a Deus, não são muitos. Eu fui praxada e bem praxada, das 8h às 20h, fiz 30 por uma linha, chegava todos os dias suja a casa, mas sempre muito feliz! x) É da pessoa, eu para brincadeira estou sempre pronta. E, no caso da Escola onde fui praxada, quem não queria fazer isto ou aquilo, não era obrigado a fazer.

E foi sempre assim que eu praxei. Há uma certa dose de posição hierarquíca superior num veterano a praxar, mas essa é a tradição de Praxe: se um caloiro aguenta o "sofrimento" com a cabeça erguida, é um igual. Mas tem de passar pela Praxe, porque todos passámos por ela para sermos Iguais também. :)

Quanto a olhar de lado para os que se declaram anti-praxe... Não é com grande orgulho que declaro que realmente olhei de lado para os meus caloiros anti-praxe. Porque acho estúpido numa faculdade em que as praxes não são humilhantes nem pesadas psicologicamente e em que basta chamar pel@ padrinho/madrinha para não ter de mexer uma palha durante X ou Y actividade. Mas a verdade é que esses caloiros nunca foram postos à margem pelos colegas e se integraram perfeitamente bem na sua turma. Não conheceram foi os veteranos, porque não passaram tempo nenhum com eles, pronto. :-X

É a minha opinião pessoal de que Praxe é das melhores coisas da tradição académica e, quando corre bem, é das melhores coisas que nos acontece no ano lectivo. Não há alegria numa faculdade como há durante a praxe. É só rambóia e diversão e aquele quentinho no interior de um novo ciclo a desabrochar.

Mas pah, quem não é virado para a brincadeira... Não somos todos iguais. Não quer ser praxado, deixe-se estar, está no seu direito. Por exemplo, os meus pais queriam à viva força que eu me declarasse anti-praxe ou que faltasse às praxes, porque eles odeiam esse tipo de brincadeiras. lol Lá está, é inerente à pessoa.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: candy cane em 30.ago.2007, 17:18:21
E foi sempre assim que eu praxei. Há uma certa dose de posição hierarquíca superior num veterano a praxar, mas essa é a tradição de Praxe: se um caloiro aguenta o "sofrimento" com a cabeça erguida, é um igual. Mas tem de passar pela Praxe, porque todos passámos por ela para sermos Iguais também. :)

Mas porque é que num suposto processo de integração de um aluno no ensino superior este tem de provar que é igual aos outros, aguentando o "sofrimento" de cabeça erguida? Isso não tem nada a ver com a minha definição de integração.

Quanto a olhar de lado para os que se declaram anti-praxe... Não é com grande orgulho que declaro que realmente olhei de lado para os meus caloiros anti-praxe. Porque acho estúpido numa faculdade em que as praxes não são humilhantes nem pesadas psicologicamente e em que basta chamar pel@ padrinho/madrinha para não ter de mexer uma palha durante X ou Y actividade.

Para ti é estúpido para mim é não colaborar com algo que não concordo ;)

Mas pah, quem não é virado para a brincadeira... Não somos todos iguais.

Não tem absolutamente nada a ver com "ser virado para a brincadeira". Tu podes ser uma pessoa extremamente divertida e achares que o processo de integração de um aluno novo no ensino superior não passa por este tipo de praxes.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Thumbnail em 01.set.2007, 06:45:16
Odeio praxes! Acho que não é sequer brincadeira, é abuso e parvoíce pegada!

Gharam, eu estou no fase semi semi ali dentro mas por enquanto ainda sou lool Vais este ano né? Li sobre isso aqui no fórum o ano passado. Conseguiste entrar? :)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Azula em 03.set.2007, 14:02:53
Odeio praxes! Acho que não é sequer brincadeira, é abuso e parvoíce pegada!

Gharam, eu estou no fase semi semi ali dentro mas por enquanto ainda sou lool Vais este ano né? Li sobre isso aqui no fórum o ano passado. Conseguiste entrar? :)

Também não sou apologista de praxes, acho um "ritual" descabido e hipocrita. As praxes servem para os veteranos passarem um bom tempo a rir com as figuras do pessoal novo e para perderem tempo útil. Oba, a vida na faculdade não é uma festa- estas cenas nem se faziam no secundário, não vou agora chegar à faculdade e andar o ano todo a perder tempo em "festividades académicas" e em "tradições" sob pena de não ser integrada, o que é ridículo. A way in conquista-se pela nossa personalidade, não por sermos submetidos a joguinhos deste (e também depende de onde nos vamos meter e se nos queremos meter  :P ). Também oiço muita gente a dizer que o único contacto com os veteranos foi nas praxes e que a suposta "ajuda e integração" não passaram de um "olá, tass?"

Mas compreendo, obviamente, que há quem goste e que se considere este um meio viável para se integrar e fazer novos amigos.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: hottie em 03.set.2007, 14:18:06
Também não sou apologista de praxes, acho um "ritual" descabido e hipocrita. As praxes servem para os veteranos passarem um bom tempo a rir com as figuras do pessoal novo e para perderem tempo útil. Oba, a vida na faculdade não é uma festa- estas cenas nem se faziam no secundário, não vou agora chegar à faculdade e andar o ano todo a perder tempo em "festividades académicas" e em "tradições" sob pena de não ser integrada, o que é ridículo. A way in conquista-se pela nossa personalidade, não por sermos submetidos a joguinhos deste (e também depende de onde nos vamos meter e se nos queremos meter  :P ). Também oiço muita gente a dizer que o único contacto com os veteranos foi nas praxes e que a suposta "ajuda e integração" não passaram de um "olá, tass?"

Mas compreendo, obviamente, que há quem goste e que se considere este um meio viável para se integrar e fazer novos amigos.

Recorde-se que: depende das praxes...
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Azula em 03.set.2007, 14:24:52
Recorde-se que: depende das praxes...

Sim, não ponho isso em causa. De qualquer das maneiras, o princípio inerente a essa prática vai muito mais além da integração, creio.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: hottie em 03.set.2007, 14:27:09
Recorde-se que: depende das praxes...

Sim, não ponho isso em causa. De qualquer das maneiras, o princípio inerente a essa prática vai muito mais além da integração, creio.

Como em todo lado, há pessoas com uma ideia deteriorada e ultrajada destes "rituais".
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: blueboy em 03.set.2007, 16:55:14
Recorde-se que: depende das praxes...

Sim, não ponho isso em causa. De qualquer das maneiras, o princípio inerente a essa prática vai muito mais além da integração, creio.

Como em todo lado, há pessoas com uma ideia deteriorada e ultrajada destes "rituais".

Referes-te às pessoas que comentam, que são anti-praxe ou aos veteranos que praxam?
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: hottie em 03.set.2007, 17:01:57
Recorde-se que: depende das praxes...

Sim, não ponho isso em causa. De qualquer das maneiras, o princípio inerente a essa prática vai muito mais além da integração, creio.

Como em todo lado, há pessoas com uma ideia deteriorada e ultrajada destes "rituais".

Referes-te às pessoas que comentam, que são anti-praxe ou aos veteranos que praxam?

Aos que praxam erradamente.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Azula em 03.set.2007, 18:36:30
Bullying "legal"  :-X
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: yewsub em 04.set.2007, 00:33:04
Odeio praxes! Acho que não é sequer brincadeira, é abuso e parvoíce pegada!

Gharam, eu estou no fase semi semi ali dentro mas por enquanto ainda sou lool Vais este ano né? Li sobre isso aqui no fórum o ano passado. Conseguiste entrar? :)

Não acho que se deva generalizar as coisas;
As minhas praxes foram bastante divertidas e suaves, nada de abusos.. E ajudou-nos (caloiros) muito - foi da forma que conhecemos as instalações todas, assim como uns ao outro (turmas e anos). Não houve nada relacionado com sexo, ofensas, nem nada que se parecesse..
Se fosse hoje, voltava a participar nelas sem pensar duas vezes.. O pior que aconteceu foi provavelmente a aula fantasma - de resto foi tudo pura diversão.. e ninguém é obrigado a participar nelas.
Talvez numas faculdades/cursos sejam piores que outros, mas gostei muito das minhas!
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Thumbnail em 04.set.2007, 00:37:48
Cada um com a sua opinião. Acho que que é ofender as pessoas mesmo que se dê a desculpa de que é por brincadeira. Acho que quando se dá a mão querem logo o braço e depois deste provavelmente exigem logo o corpo todo. Talvez tenhas tido sorte, talvez a situação contigo tenha sido útil. Eu, na minha maneira de ser, teria descoberto as instalações por mim ou com ajuda de outros já com experiência que me quisessem ajudar e teria encontrado pessoas com quem me dar para me sentir à vontade na mesma sem praxes. Aliás até hoje nunca tive praxe e não perdi nada com isso, muito pelo contrário.

É muito bonito quando as coisas são feitas com piada e até exigem apenas um pouco de humor e responsabilidade mas como nunca se fica pelo padrão do aceitável, considero que essas manias académicas são do piorio.

Quem gosta, respeito. Quem abusa, não.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: SapientiaeOpium em 04.set.2007, 08:51:19
Costumo dizer que para crianças é sempre bom uma mão forte. Se se portam bem, têm, se não, tira-se-lhes o brinquedo!
Título: Re: Praxe
Enviado por: MeninO do MaR em 09.set.2007, 18:26:05
Só falta uma semaninha para eu me entreter com os caloirinhos  :devil
Título: Re: Praxe
Enviado por: hottie em 09.set.2007, 18:37:21
Só falta uma semaninha para eu me entreter com os caloirinhos  :devil

Não faço a mínima ideia de quanto tempo falta para se divirtam comigo :P lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Symphonic em 09.set.2007, 18:47:39
Não me posso queixar da minha praxe na UA... foi bastante bem feita, e realmente serviu o seu propósito máximo: a integração dos caloiros e a criação de espírito de equipa. Só tenho a dizer bem da maneira como foi conduzida a minha praxe  :)

É pena que em tantas universidades aconteçam coisas terríveis nas praxes (como em Coimbra) e seja em Aveiro que estas acabem proibidas...  :-X

Já agora, alguém me pode explicar quais foram os verdadeiros motivos para as praxes terem sido proibidas dentro do campus da UA??  ???

Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 09.set.2007, 18:49:25
Só falta uma semaninha para eu me entreter com os caloirinhos  :devil

Que horror, só agora me apercebi de que falta uma semana [smiley=preocupado.gif] *frio na barriga*
Título: Re: Praxe
Enviado por: MeninO do MaR em 09.set.2007, 19:41:31
Não me posso queixar da minha praxe na UA... foi bastante bem feita, e realmente serviu o seu propósito máximo: a integração dos caloiros e a criação de espírito de equipa. Só tenho a dizer bem da maneira como foi conduzida a minha praxe  :)

É pena que em tantas universidades aconteçam coisas terríveis nas praxes (como em Coimbra) e seja em Aveiro que estas acabem proibidas...  :-X

Já agora, alguém me pode explicar quais foram os verdadeiros motivos para as praxes terem sido proibidas dentro do campus da UA??  ???



A praxe da UA é, sem duvida, bastante inofensiva e divertida! adorei os meus tempos de caloiro! Ela foi proibida pq durante uma praxe no meu departamento uma caloira teve um ataque de epilepsia! Nada q tivesse a ver com a praxe, ao q sei a caloira nem tava a ser praxada no momento. e pornto devido ao grande aparato a reitora decidiu proibir. O q n se entende pq nc houve relatos de "má praxe" na UA. Ainda por cima com veteranos cm eu loool q se derretem tds ao ver um caloiro mais aflito :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: MeninO do MaR em 09.set.2007, 19:43:23
Só falta uma semaninha para eu me entreter com os caloirinhos  :devil

Não faço a mínima ideia de quanto tempo falta para se divirtam comigo :P lol


Dia 17 a caloirada vai-se matricular loool por isso uma semana  :devil
Título: Re: Praxe
Enviado por: barthez em 09.set.2007, 20:11:01
É pena que em tantas universidades aconteçam coisas terríveis nas praxes (como em Coimbra) e seja em Aveiro que estas acabem proibidas...  :-X

Desculpa mas estás enganado! ??? Em Coimbra não acontecem coisas terríveis se fores comparar com muitas outras universidades novas que nem códigos de praxes têm. Em Coimbra acontecem abusos de vez em quando como noutro lado qualquer mas aqui há regras bem definidas e ao contrário de muitos sítios quem quebra as regras é castigado, os abusos são punidos sim. ainda há pouco houve gente expulsa da praxe! Aqui a tradição é já antiga e está tudo definidinho no código da praxe e o conselho de veteranos zela para que as coisas corram dentro das regras. Obviamente que isso não implica que não hajam coisas chatas, mas isso pode acontecer em qq lado (até em Aveiro) e pelo menos há coisas que não acontecem mesmo. Há coisas que são expressamente proibidas aqui que não são noutros sítios, sítios onde aí sim acontecem coisas terríveis e incríveis!!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Symphonic em 09.set.2007, 21:04:33
É pena que em tantas universidades aconteçam coisas terríveis nas praxes (como em Coimbra) e seja em Aveiro que estas acabem proibidas...  :-X


Desculpa mas estás enganado! ??? Em Coimbra não acontecem coisas terríveis se fores comparar com muitas outras universidades novas que nem códigos de praxes têm. Em Coimbra acontecem abusos de vez em quando como noutro lado qualquer mas aqui há regras bem definidas e ao contrário de muitos sítios quem quebra as regras é castigado, os abusos são punidos sim. ainda há pouco houve gente expulsa da praxe! Aqui a tradição é já antiga e está tudo definidinho no código da praxe e o conselho de veteranos zela para que as coisas corram dentro das regras. Obviamente que isso não implica que não hajam coisas chatas, mas isso pode acontecer em qq lado (até em Aveiro) e pelo menos há coisas que não acontecem mesmo. Há coisas que são expressamente proibidas aqui que não são noutros sítios, sítios onde aí sim acontecem coisas terríveis e incríveis!!


Eu falei de Coimbra por causa desta notícia:

"Caloiros agredidos em julgamento de praxe
Antiga sede da Académica foi palco do polémico Tribunal de Praxe que terá culminado com agressões


Tânia Moita

Dois caloiros da Universidade de Coimbra terão sido agredidos no decorrer de um tribunal de praxe. A um, os "doutores" terão rapado os pêlos púbicos e rompido parte do escroto, para além de lhe terem dado violentos cachaços que deixaram o aluno com várias nódoas negras e hematomas. A outro, os praxistas terão provocado ferimentos no crânio quando rapavam o cabelo da "vítima".

O primeiro caloiro denunciou o incidente apenas a nível da academia, para evitar que os "agressores", estudantes de medicina, pudessem vir a ter problemas, mais tarde, no eventual acesso a estabelecimentos de saúde públicos. Já o segundo aluno vítima de agressões terá apresentado queixa junto das autoridades policiais da sua área de residência. Facto que o JN não conseguiu confirmar."

http://jn.sapo.pt/2007/05/16/pais/caloiros_agredidos_julgamento_praxe.html (http://jn.sapo.pt/2007/05/16/pais/caloiros_agredidos_julgamento_praxe.html)

...e em Coimbra ninguém põe em causa as praxes por causa disto, e isto eu considero terrível.
Em Aveiro, pelo que eu ouvi dizer, as únicas coisas que aconteceram foi uma caloira que teve um ataque de epilepsia e outro caloiro que terá partido um braço, e por isto foram suspensas as praxes...

O que eu quero dizer é que é absurdo proibir as praxes em Aveiro quando nas outras universidades se passam coisas bem piores e ninguém modifica nada.

P.S.: O código de praxe não quer dizer nada... vocês têm um código tão restritivo em Coimbra, e mesmo assim acontecem coisas como esta...
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Goberne em 09.set.2007, 23:21:00

A propósito de praxes e Licenciaturas e Mestrados.

Um aluno de Mestrado é praxado? E se sim, por quem?

Não me faz sentido, quando a praxe tem muito a ver com hierarquias,  que um aluno de Mestrado seja praxado por um aluno de Licenciatura!

O que me dizem?


P.S. O mesmo raciocínio poderia seguir para os Doutoramentos.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Coubert em 09.set.2007, 23:47:26
lol
na minha faculdade, pelo menos, os alunos de mestrado não são praxados.
nem acho que isso exista em qualquer faculdade.
em primeiro, são pessoas mais velhas, em segundo, têm um espírito diferente e não há tanto aquela ideia de "caloiro".
no máximo poderia acontecer um aluno de mestrado (2 ano), praxar outro de mestrado do primeiro ano. mas, não me parece que isso aconteça!
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Goberne em 09.set.2007, 23:53:33

Pois, claro não me parece de facto algo muito provável, mas com Bolonha isso talvez mude um bocado.


Mas de qualquer das formas a questão fundamental é: Um aluno de Mestrado (1º ano) só pode ser praxado por outro aluno de Mestrado, certo?


Caso contrário, parece-me que as hierarquias se começam a trocar...

Título: Re: Praxe
Enviado por: Cátia. em 09.set.2007, 23:55:11
Só falta uma semaninha para eu me entreter com os caloirinhos  :devil

Que horror, só agora me apercebi de que falta uma semana [smiley=preocupado.gif] *frio na barriga*
:o
já pá semana?  [smiley=desconfortavel.gif]

Não sabia que eramos praxados logo no dia da inscriçao  [smiley=confuso.gif]
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Coubert em 09.set.2007, 23:56:01

Pois, claro não me parece de facto algo muito provável, mas com Bolonha isso talvez mude um bocado.


Mas de qualquer das formas a questão fundamental é: Um aluno de Mestrado (1º ano) só pode ser praxado por outro aluno de Mestrado, certo?


Caso contrário, parece-me que as hierarquias se começam a trocar...


um aluno de mestrado nem deve ser praxado!
não se trata de poder ser ou não praxado. ele não deve ser praxado por ninguém. não faz sentido, é ridiculo. lol
a questão fundamental é saberem se á praxes ou não nos alunos de mestrado, não é quem praxa quem. mas, não me parece muito sensato e lógico um aluno que nem está licenciado estar a praxar um doutor. isso seria o cumulo!
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Goberne em 09.set.2007, 23:59:43

Pois, claro não me parece de facto algo muito provável, mas com Bolonha isso talvez mude um bocado.


Mas de qualquer das formas a questão fundamental é: Um aluno de Mestrado (1º ano) só pode ser praxado por outro aluno de Mestrado, certo?


Caso contrário, parece-me que as hierarquias se começam a trocar...


um aluno de mestrado nem deve ser praxado!
não se trata de poder ser ou não praxado. ele não deve ser praxado por ninguém. não faz sentido, é ridiculo. lol
a questão fundamental é saberem se á praxes ou não nos alunos de mestrado, não é quem praxa quem. mas, não me parece muito sensato e lógico um aluno que nem está licenciado estar a praxar um doutor. isso seria o cumulo!

A questão prendia-se de alguma forma com Bolonha, mas pronto...

Imaginando que quem praxa seria um aluno de 2º ano de Mestrado!

Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Coubert em 10.set.2007, 00:01:01
além disso, os alunos deixam de ser praxados após o segundo natal na faculdade. ou seja, quando já estão a fazer mestrado, há muito que já não são caloiros. isto falando de mestrado integrado, suponho
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Goberne em 10.set.2007, 00:03:27
além disso, os alunos deixam de ser praxados após o segundo natal na faculdade. ou seja, quando já estão a fazer mestrado, há muito que já não são caloiros. isto falando de mestrado integrado, suponho

Não, mas imagina o aluno que tira a licenciatura na universidade X e vai tirar um Mestrado para a universidade Y.

Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Coubert em 10.set.2007, 00:08:03
uhm...
pois com bolonha isso vai tudo mudar.
na minha óptica é: se fores para aqueles horários normais, com os alunos que sempre foram da faculdade, visto seres aluno novo, deves ser praxado. mas, por qualquer pessoa, mesmo por um que nem é licenciado.
mas, se fores para aqueles mestrados como existem agora, acho que não és. mas, eu estou a falar sem saber. perceba-se, eu só tenho uma ideia do que acontece nos mestrados que agora se tiram, na faculdade de direito. de resto, não tenho noção.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Goberne em 10.set.2007, 00:14:09
uhm...
pois com bolonha isso vai tudo mudar.
na minha óptica é: se fores para aqueles horários normais, com os alunos que sempre foram da faculdade, visto seres aluno novo, deves ser praxado. mas, por qualquer pessoa, mesmo por um que nem é licenciado.
mas, se fores para aqueles mestrados como existem agora, acho que não és. mas, eu estou a falar sem saber. perceba-se, eu só tenho uma ideia do que acontece nos mestrados que agora se tiram, na faculdade de direito. de resto, não tenho noção.

Pois, é complexo... Mas mesmo assim o que acho é imaginando que vais para outra Universidade tirar Mestrado, só deves poder ser praxado por alunos do Mestrado.

Como dizeste, não me faz sentido um licenciado ser praxado por projectos de licenciados...

Mas já agora e para terminar a minha sessão de cultura académica: Esquece Bolonha! Um tipo tira sei la Engenharia na Uni X e resolve que quer tirar outro curso de Engenharia. É praxado?

Ele vai para outra faculdade, mas já é Engenheiro enquanto os outros... Serão um dia!
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Coubert em 10.set.2007, 00:18:10
a questão não é aquilo que tu já és, ou deixas de ser. trata-se de seres aluno da faculdade, ou não.
teu tenho um colega que tirou dentária. é médico e foi praxado. não tem nada a ver. quando se fala em caloiro significa que é o primeiro ano que está na faculdade, seja já ele licenciado, ou não :)
Título: Re: Praxe
Enviado por: barthez em 10.set.2007, 06:51:47
Eu falei de Coimbra por causa desta notícia:

"Caloiros agredidos em julgamento de praxe
(...)

...e em Coimbra ninguém põe em causa as praxes por causa disto, e isto eu considero terrível.

P.S.: O código de praxe não quer dizer nada... vocês têm um código tão restritivo em Coimbra, e mesmo assim acontecem coisas como esta...


em Coimbra ninguém põe em causa as praxes por causa do quê? n percebi o q perguntaste... de qq modo acredita q mta gente põe em causa as praxes sim, nomeadamente o pessoal da repúblicas ;)

continuo a dizer q o código é mto importante. coisas más acontecem sempre a questão é q te podes queixar e haver castigos p quem abusa:

"João Luís Jesus, dux veteranorum da UC, vai, nos próximos dias, recolher depoimentos de todos os intervenientes e decidir se o caso chega a Conselho de Veteranos, onde "será avaliada apenas a parte praxista" e de onde poderão sair sanções como a expulsão da praxe. O Dux recorda que a praxe apenas tem sentido "quando é consensual e que o caloiro pode, a qualquer momento recusar determinado ritual " referindo que, nos sete anos em que é dux, nunca teve um caso destes.

Ao JN, o presidente da Direcção Geral da Associação Académica, Paulo Fernandes, disse que este caso é "uma mancha", "ultrapassa o âmbito da praxe" e, por isso mesmo, "deve ser resolvido nas instâncias judiciais"." (tirado da mesma notícia)

Não é por haver leis contra criminosos q não há assassinos e ladrões etc né? :P de qq modo é bom q haja as leis para indicar o q é ou n correcto e para castigar quem n procede bem ;)



e qt à cena do mestrado (por causa de bolonha) eu ouvir dizer há pouco q houve alterações no código da praxe aqui em Coimbra. Foram acrescentadas mais duas categorias (bolonhês e mais n sei quê) às já existentes (caloiro, puto, semi-puto, quartanista e finalista) e devem desaparecer algumas, o cortejo da queima passou para o domingo, tb ouvi q para se ser considerado veterano se tem de ter a licenciatura feita (mas essa n entendi bem), etc etc

http://www.acabra.net/artigo.php?id_artigo=1517
Título: Re: Praxe
Enviado por: Symphonic em 10.set.2007, 14:13:26
Barthez, vou clarificar o que disse, porque acho que não me expressei da melhor forma...

Eu não estou a pôr em causa as praxes, porque no meu caso até achei que foram bastante positivas, depende sempre de caso para caso...

O que eu queria dizer era que o tipo de incidente, o que relatei de Coimbra, parece-me terrível, especialmente quando comparado com os incidentes em Aveiro. Mas eu posso falar de Coimbra como posso falar de tantas outras faculdades e institutos...
E no entanto foi em Aveiro que as praxes foram proibídas... eu tentei estabelecer uma comparação entre os acontecimentos e as consequências, e acho que em Aveiro as medidas tomadas foram verdadeiramente exageradas, sobretudo apreciando essa análise comparativa.

lool isto já tá a ficar um discurso mt cientifico :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: barthez em 11.set.2007, 04:14:27
eu percebi-te ;)

simplesmente no teu discurso apresentaste Coimbra como a representação das terriveis desgraças derivadas às praxes e pá tive de vir defender a minha cidade e a minha universidade. E como sei q há mtos mas mtos abusos terriveis (piores q esses q falas aí) noutros sitios sem regras (sem códigos) em q o pessoal imitou coimbra sem cuidados nenhuns achei mal dares o exemplo de coimbra como um dos sitios piores... só vim elucidar as pessoas para algumas coisas :)

há por exemplo uma coisa q acho mto bem em coimbra q é diferente noutros sítios. Aqui só há madrinhas para raparigas e padrinhos para rapazes, só raparigas praxam raparigas e rapazes praxam rapazes. Tens outros sitios em q é o contrário, outros ainda q têm um de cada, outros onde é como calha. Aqui temos as coisas assim para n haver abusos de um sexo em relação ao outro. N q nos outros sitios com regras como as q indiquei o pessoal abuse a torto e a direito mas o q quero dizer é q em coimbra há uma preocupação pelas coisas pelas regras etc q n há em mtos outros sitios (nomeadamente em mtas universidades e politecnicos mais recentes e sem tradição) Não incluo aqui a Universidade de Aveiro pq também conheço mais ou menos o q se passa por lá ;)

qt a terem sido proibidas aí as praxes... epá lá tá, por abusos de uns são outros os prejudicados :-\
Título: Re: Praxe
Enviado por: surflower em 11.set.2007, 11:58:27
Subscrevo o k a Barthez disse. ;)
Coimbra talvez pelo código e pelas regras ke tem deve ser uma das instituições académicas em k a praxe não é levada para o lado do abuso. E os caloiros sabem k nem toda a gente os pode praxar e k podem sempre invocar o código kando necessário ao recorrer ao tribunal de praxe se as regras não forem respeitadas. Mas isto é muito raro porke os "doutores" também não kerem intimidar ninguém nem criar problemas o pessoal está ali só para passar um bom bocado e divertir-se.
O meu ano de caloira foi memoravel e as praxes não foram nada do outro mundo, alinhei nelas na boa e nao me importava de repetir  lol  lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Gharam em 11.set.2007, 19:28:12
Alguém me sabe dizer quando é que as praxes na FCSH da Nova começam?  ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Templarius em 18.set.2007, 00:58:37
Duas vezes caloiro, e nunca me praxaram ;D Não que tenha fugido, apenas não fui inquirido sobre o meu estatudo na altura.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Arms em 18.set.2007, 01:17:25
Foi divertido entrar no metro e ver tanto caloiro de face pintada e gozar com eles interiormente, como o puto dos Simpsons...

(http://www.geo-trotter.com/afrique/images/haha.gif)

 :devil :devil :devil :devil :devil
Título: Re: Praxe
Enviado por: Coubert em 19.set.2007, 10:36:47
Alguém me sabe dizer quando é que as praxes na FCSH da Nova começam?  ;)
segunda feira, acho eu.
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 19.set.2007, 12:14:12
Eu sou anti tradição académica mas sinto que já comecei a ser praxada de uma maneira muito... discreta. Ao andar na faculdade de letras de gabinete para gabinete e de departamento para departamento perco facilmente a noção de onde estou. Se for pedir ajuda aos funcionários ou me dão indicações muito esquisitas ou dizem que não sabem onde é. Se vou falar com outros alunos cada um me dá uma indicação diferente. Acho que percebem que sou caloira e acham que é engraçado gozar com a minha cara de desespero ao querer ir tratar da papelada a um sítio e não saber onde é. Ontem graças às "indicações" estive em todos os pavilhões quando queria ir para a associação de estudantes que era mesmo ao lado do gabinete de onde eu tinha saído inicialmente [smiley=preocupado.gif] Comecei a estranhar aquelas indicações tão diferentes e quando ouvi duas alunas aos risinhos depois de me terem dito que a AE é no primeiro andar (é na cave) tive a certeza [smiley=semfala.gif]
Título: Re: Praxe
Enviado por: Oxalá em 19.set.2007, 13:56:39
candy, a sério  :o até os funcionários praxam? lol.. custa-me imenso crer que os funcionários não saberiam dar direcções.

eu declarei-me anti-praxe e com isto esperava que não me ajudassem em nada, mas hoje uma rapariga trajada ajudou-me a preencher umas coisas pa matrícula. e até os funcionários ajudaram. bem... a não ser que uma forma de ser praxada é esperar duas horas em pé pa entregar o raio dos papéisssss  :inq

e foi engraçado encontrar lá uma pessoa da minha secundária no mesmo curso.  ::)


 ESCS ESCS ESCS ESCS  ;D ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 19.set.2007, 14:01:15
Amanhã vou ser enterrada, ou melhor, vou ao banho!
Mas eu segunda-feira já praxo os caloirinhos deste ano ...  :devil
Título: Re: Praxe
Enviado por: Cátia. em 19.set.2007, 22:48:55


O facto de ter sido praxada este ano só reforçou a minha posiçao anti-praxe.
Título: Re: Praxe
Enviado por: timmy em 19.set.2007, 22:53:30
calooooiros mwahahahaha :devil

dia 4 começam as minhas actividades praxisticas cm veterano!
be afraid... lol lol :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: Topolino em 19.set.2007, 22:56:00
Lá te vais lembrar da sensação ao dizer: "De 4"  :devil lol mas cuidado, são coisas diferentes lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: timmy em 19.set.2007, 22:58:42
Lá te vais lembrar da sensação ao dizer: "De 4"  :devil lol mas cuidado, são coisas diferentes lol

u pervert! lol lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Topolino em 19.set.2007, 23:00:09
Lá te vais lembrar da sensação ao dizer: "De 4"  :devil lol mas cuidado, são coisas diferentes lol

u pervert! lol lol

Tu é que pensaste coisas perversas. lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: timmy em 19.set.2007, 23:02:24
tu manipulaste a minha mente lol :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 19.set.2007, 23:13:09


O facto de ter sido praxada este ano só reforçou a minha posiçao anti-praxe.

Porque não te declaraste anti-praxe? Ou te recusaste ao que te desagradou?
Título: Re: Praxe
Enviado por: Topolino em 19.set.2007, 23:13:52
O facto de ter sido praxada este ano só reforçou a minha posiçao anti-praxe.

O que aconteceu?
Título: Re: Praxe
Enviado por: Cátia. em 19.set.2007, 23:38:58
O facto de ter sido praxada este ano só reforçou a minha posiçao anti-praxe.
Porque não te declaraste anti-praxe?

O que aconteceu?

Ja sabia que a minha paciencia para aquilo iria acabar rapidamente. Acabou por acontecer pouco tempo depois de me começarem a praxar.
Tentei ser o mais tolerante possivel... e o pouco que fiz nao foi por ter sido obrigada, fi-lo porque quis.
Recusei-me a fazer muita coisa. O que eu vi deixou-me meio abananada. Tive que ir dois dias à faculdade porque no primeiro ( ontem ) nao me deixaram inscrever, literalmente. Só um pouco antes do almoço me dei conta do que tinham feito. Hoje só fui da parte da manha... disseram-me que eu ia a tribunal de praxe por tar a ir embora sem autorização  :inq uhm ya. 
Vi pelo menos uma rapariga a chorar por ter sido maltratada  :-\, falei com ela, tentei acalma-la e lá passou e foi para casa.

Fazem coisas, a meu ver, cujo resultado se distancia e bastante dos objectivos que têm.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 19.set.2007, 23:51:17
Tribunal de praxe  lol  lol  lol Diz-lhes que vais apelar porque a sentença carece de objectividade (bem como toda a instituição)  :P

Concordo contigo quanto ao intuito das algumas praxes. Mas tem calma, go easy, vais conhecer ppl fixe à mesma.  ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 20.set.2007, 09:32:00
candy, a sério  :o até os funcionários praxam? lol.. custa-me imenso crer que os funcionários não saberiam dar direcções.

Se estiverem a praxar ainda é mais grave. Eu percebo o lado engraçado desta minha situação mas deixa de ser engraçado quando toda a gente faz o mesmo [smiley=preocupado.gif]

Hoje só fui da parte da manha... disseram-me que eu ia a tribunal de praxe por tar a ir embora sem autorização  :inq uhm ya.

Que palhaçada!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 20.set.2007, 09:36:06
Eu odeio praxes. Brincadeiras e apresentações a caloiros, ok. Praxes propriamente ditas, sejam benignas ou malignas, só pelo facto de ser 'a marca', dispenso. ><
Título: Re: Praxe
Enviado por: KreaTor em 20.set.2007, 12:44:54
lol vou ser praxado agr na egas monizz ....

tenho meduuuuuu  ???
Título: Re: Praxe
Enviado por: xaZinhA em 20.set.2007, 14:16:44
ainda na fui praxada ... mas ja vi  kada praxe  :o
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 20.set.2007, 18:44:46
Eu acabei de chegar do enterro do caloiro, apanhei um banho de todo o tamanho nos carreirinhos e num dos vulcões da expo. Mas diverti-me!
Já não sou caloira, hoje a saga para mim acabou . Segunda-feira segue nova a fornalha deles. Boa sorte  :)
Título: Re: Praxe
Enviado por: timmy em 20.set.2007, 20:19:00
Eu nc tive nenhuma praxe k n gostasse, sempre me diverti, ri bastante mesmo qdo n m podia rir, gozava com a situação.
Posso dizer k ADOREI o meu baptismo, quer eu quer os doutores que me baptizaram nos rimos imenso pk eu basicamente estava a gozar com as perguntas deles! Saí da lá cheio de ovos e farinha? Saí, essa mistura requereu umas boas doses de champô e muita paciência mas acreditem que fazia tudo de novo! ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: xaZinhA em 20.set.2007, 21:31:09
ainda na fui praxada ... mas ja vi  kada praxe  :o

Prepara-te para andares com a mesma tshirt (sem a poderes lavar) o ano inteiro. :P Visto que vais para a ESE.

ui...nem dois seguidos consigo...kto mais um ano inteiro =D
Título: Re: Praxe
Enviado por: pocahontas em 22.set.2007, 01:18:28
se os veteranos praxam os caloiros...os mestres deveriam poder praxar os veteranos, não?  :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 22.set.2007, 01:19:44
se os veteranos praxam os caloiros...os mestres deveriam poder praxar os veteranos, não?  :P

Refuto! Refuto!  [smiley=chicote.gif]

Título: Re: Praxe
Enviado por: pocahontas em 22.set.2007, 02:25:53
se os veteranos praxam os caloiros...os mestres deveriam poder praxar os veteranos, não?  :P

Refuto! Refuto!  [smiley=chicote.gif]



tomara a muitos  lol lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 22.set.2007, 09:45:16
se os veteranos praxam os caloiros...os mestres deveriam poder praxar os veteranos, não?  :P

Refuto! Refuto!  [smiley=chicote.gif]



tomara a muitos  lol lol

Eu já sabia!!Parva!! lol
Eu estou aqui com coisas, mas na prática isso já acontece porque a praxe desde sempre fomenta a existência de uma hierarquia.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Absolut em 22.set.2007, 10:01:30
Prepara-te para andares com a mesma tshirt (sem a poderes lavar) o ano inteiro. :P Visto que vais para a ESE.

 lol Que exagerooOoo.. Fizereram-te isso?!  :P
Eu curti tt mas tt a praxe da ESEC!  :D
Foi mt bem organizada.. Passamos 1 bocado de fome.. pq akilo demorou bué e só davam quequEs  po pessoal ir comendo, mas
de resto foi mt fixe!  ;D Até mostraram os pontos essenciais da cidade!
No ano passado foi + fraca a praxe (ahaha já era doutora) e este ano não sei cmo será, mas
pra semana se descobre!  ;)

Boa sorte aos caloir@s e não se preocupem porque nem tudo é permitido e têm sp o SOS caloiro!  ;D
hihi
se houver respeito é só entrar na onda e aproveitar já q a praxe tá a ser feita
e já q simboliza inumeras coisas...  ;) **
Título: Re: Praxe
Enviado por: pocahontas em 22.set.2007, 14:37:23
se os veteranos praxam os caloiros...os mestres deveriam poder praxar os veteranos, não?  :P

Refuto! Refuto!  [smiley=chicote.gif]




tomara a muitos  lol lol

Eu já sabia!!Parva!! lol
Eu estou aqui com coisas, mas na prática isso já acontece porque a praxe desde sempre fomenta a existência de uma hierarquia.

oh mas os veteranos só são praxados se forem mal comportados  :P acho que até os mestres....que humilhação!!!  :o
Título: Re: Praxe
Enviado por: spirit_girl em 22.set.2007, 14:47:59
praxe kdo entrei na tropa era banhos de agua fria kortes de electricidade.. entre outras lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: MeninO do MaR em 22.set.2007, 18:58:16
Apenas tenho de virar uma mini de pernas para o ar e comprar uma grade para me empurrar  ::) é a lócuuuura
Título: Re: Praxe
Enviado por: indie em 24.set.2007, 00:52:58
caloiros venham eles dia 2 de outubro!!  :devil







Título: Re: Praxe
Enviado por: hottie em 24.set.2007, 19:10:11
Eeeeeeeeeeeeeeeesssssppppeeeeeccctttttaaaaaacccccccccuuuuuuuuullllllllllaaaaaaaaaaarrrrrrrrrrrrreeeeeeessssssssss!!!!!!!!!
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 30.set.2007, 13:16:03
Maçã com bicho (Acho eu da praxe)

Sérgio Godinho


O tempo passa
e lembras com saudade
o saudoso tempo da universidade
foste caloiro
e quintanista
já comes caviar
esquece o alpista

P`ra entrar na universidade
é preciso
prender o humor
na gaiola do riso
ter médias altas
hi-hon, ão-ão
zurrar, ladrar
lamber de quatro o chão

Mas há quem ache
graça à praxe
É divertida (Hi-hon)
Lição de vida (Ão-ão)
Maçã com bicho
acho eu da praxe
É divertida (Mé-mé)
Lição de vida (Piu-piu)
Maçã com bicho
acho eu da praxe

Chamar-se a si mesmo
besta anormal
dá sempre atenuante ao tribunal
é formativo
p`ró estudante
que não quer ser popriamente
um ingnorante

Empurrar fósforos com o nariz
tirar à estupidez a bissectriz
eis causas nobres
estruturantes

eis tradição
sem ser o que era dantes

Mas há quem ache
graça à praxe
É divertida (Hi-hon)
Lição de vida (Ão-ão)
Maçã com bicho
acho eu da praxe
É divertida (Mé-mé)
Lição de vida (Piu-piu)
Maçã com bicho
acho eu da praxe

Não vou usar
mais exemplos concretos
é rastejando
que se ascende aos tectos?
Então vejamos
preto no branco
as cores da razão
porque a praxe eu desanco

Mas há quem ache
graça à praxe
É divertida (Hi-hon)
Lição de vida (Ão-ão)
Maçã com bicho
acho eu da praxe
É divertida (Mé-mé)
Lição de vida (Piu-piu)
Maçã com bicho
acho eu da praxe
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 30.set.2007, 13:44:35
Eu sou 100% a favor da praxe, desde que praticada com cuidado e respeito... este ano, saí de Coimbra e mudei me para uma escola onde não se praxa, e sei bem a falta que a praxe faz... :-\
Com respeito a toda a gente de outros lados, acho que Coimbra tem um ambiente único no nosso país devido a isso mesmo, à praxe. Porque a praxe bem feita dá muito trabalho, precisa de horas de preparação, antes dos caloiros chegarem. Os doutores preocupam-se com os caloiros, e se a praxe existe não é para afirmações pessoais dos praxantes (apesar de alguns a usarem como tal), mas para a integração dos praxados. Tenho pena que nem toda a gente tenha tido contacto com a praxe como eu tive. :-X
Outra coisa que não posso deixar em branco é o uso do traje académico. O traje e a praxe são os símbolos máximos da academia. Acho ridículo pessoas que são anti-praxe, refutarem completamente a praxe no momento de serem praxadas, e chega a serenata da queima e apresentam-se na rua trajadas. (Algumas delas no ano seguinte chegam a praxar os caloiros :o)
A partir do momento que alguém se declara anti-praxe, sendo o traje um símbolo por excelência dessa mesma praxe, é um pouco incoerente o uso do traje. Mas isso fica na consciência de cada um.  ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 30.set.2007, 14:17:08
Outra coisa que não posso deixar em branco é o uso do traje académico. O traje e a praxe são os símbolos máximos da academia. Acho ridículo pessoas que são anti-praxe, refutarem completamente a praxe no momento de serem praxadas, e chega a serenata da queima e apresentam-se na rua trajadas. (Algumas delas no ano seguinte chegam a praxar os caloiros :o)
A partir do momento que alguém se declara anti-praxe, sendo o traje um símbolo por excelência dessa mesma praxe, é um pouco incoerente o uso do traje. Mas isso fica na consciência de cada um.  ;)

Dizer que o traje e a praxe são símbolos da academia, é diferente de dizer que o traje é símbolo da praxe. O traje não é símbolo da praxe coisa nenhuma. Era usado pelos estudantes que acabavam o seu curso- os finalistas, sendo eles praxantes ou não. Hoje em dia é que traje e praxe são associados (e isto é que é incoerência) e o traje é usado até por pessoas do 2º ano e visto como "a farda daqueles que podem praxar".

Felizmente, tenho o espírito académico muito pouco desenvolvido e sempre tenho dinheiro para coisas mais úteis do que um traje   :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: jupiter em 30.set.2007, 16:12:09
acho q deviam acabar de vez com as praxes.
não vejo qual é a piada da humilhação pública dos novos alunos, principalmente numa altura quando eles se sentem mais vulneraveis.
é caso para introduzir o velho ditado "não faças aos outros aquilo que não gostavas q fizessem a ti".
>:(
Título: Re: Praxe
Enviado por: Symphonic em 30.set.2007, 16:20:59
eu gostei da minha praxe :) ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 30.set.2007, 16:37:52
Outra coisa que não posso deixar em branco é o uso do traje académico. O traje e a praxe são os símbolos máximos da academia. Acho ridículo pessoas que são anti-praxe, refutarem completamente a praxe no momento de serem praxadas, e chega a serenata da queima e apresentam-se na rua trajadas. (Algumas delas no ano seguinte chegam a praxar os caloiros :o)
A partir do momento que alguém se declara anti-praxe, sendo o traje um símbolo por excelência dessa mesma praxe, é um pouco incoerente o uso do traje. Mas isso fica na consciência de cada um.  ;)

Dizer que o traje e a praxe são símbolos da academia, é diferente de dizer que o traje é símbolo da praxe. O traje não é símbolo da praxe coisa nenhuma. Era usado pelos estudantes que acabavam o seu curso- os finalistas, sendo eles praxantes ou não. Hoje em dia é que traje e praxe são associados (e isto é que é incoerência) e o traje é usado até por pessoas do 2º ano e visto como "a farda daqueles que podem praxar".

Felizmente, tenho o espírito académico muito pouco desenvolvido e sempre tenho dinheiro para coisas mais úteis do que um traje   :P

1. Apesar do traje ter surgido para tentar minimizar as diferenças aparentes entre os pobres e os ricos, o traje usado hoje em dia (e remeto-me apenas para Coimbra) foi uniformizado apenas com a publicação do primeiro Código de Praxe Académica, datado de 1957. Por isso, se as pessoas não usam os traje antigos, e usam o que foi regulamentado pelo CODIGO DE PRAXE, têm que se sujeitar a ouvir que esse mesmo traje é simbolo da PRAXE. E isto é claro.
Não faz muito sentido, que não usem o traje antigo, e usem o traje tal como ele foi concebido pelo codigo da praxe, e depois venham dizer que o traje não é simbolo da praxe.

2. Os segundo anistas, chamados de semi-putos , praxam, exceptuando algumas instituiçoes que não lhes dão permissão para tal.

Tenho pena que a maioria das pessoas que se insurgem contra a praxe, nunca tenham tida a oportunidade de a viver.
Além do mais a praxe é uma escolha. So é praxado, quem é pela praxe!
Pena que algumas pessoas so escolham vivê-la pelo lado da aparência, e não pelo lado humano que são as amizades e as relações estabelecidas e afirmadas pela praxe. Porque no fim do curso o traje rasga-se, mas a praxe fica na memoria de cada um!

Duras Praxis, Sed Praxis

Deixo so uma questão no ar... Sendo o estudante universitario uma pessoa, supostamente, com consciencia daquilo que faz, e sendo a praxe uma escolha pessoal, porque é que surgem manifestos e associações anti-praxe? So vai quem quer... Se eu não gostar da praxe, simplesmente não vou... Também não acho piada ao sadismo ao masoquismo, mas mesmo assim ainda não me dei ao trabalho de escrever um manifesto anti-sadomasoquismo, se bem que qualquer dia quando não tiver nada pa fazer...
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 30.set.2007, 20:20:56

1. Apesar do traje ter surgido para tentar minimizar as diferenças aparentes entre os pobres e os ricos, o traje usado hoje em dia (e remeto-me apenas para Coimbra) foi uniformizado apenas com a publicação do primeiro Código de Praxe Académica, datado de 1957. Por isso, se as pessoas não usam os traje antigos, e usam o que foi regulamentado pelo CODIGO DE PRAXE, têm que se sujeitar a ouvir que esse mesmo traje é simbolo da PRAXE. E isto é claro.
Não faz muito sentido, que não usem o traje antigo, e usem o traje tal como ele foi concebido pelo codigo da praxe, e depois venham dizer que o traje não é simbolo da praxe.

Coimbra Académica é muito à frente, enfim, se até se legisla praxe. Aqui, em Lisboa, e na maior parte das universidades não existem códigos desses e traja quem quer, independentemente da submissão a regras de praxes. Contudo, aqui em Lisboa, acredita-se que praxe não é nada e também se acredita que o traje é um traje, que o traje é dos estudantes universitários, não dos estudantes-universitários-praxantes-e-praxados. Eu vou presa por usar traje e não me submeter ás regras da praxe? Claro que não, é porque a praxe e o uso do traje não estão contemplados no código civil mas sim em pseudo instituições estudantis, tipo "Tribunal de Praxe".

2. Os segundo anistas, chamados de semi-putos , praxam, exceptuando algumas instituiçoes que não lhes dão permissão para tal.

A minha afirmação não ia no sentido dos estudantes do 2º ano praxarem (praxe não é "lei" nem implica "poder") mas sim no facto de usarem um traje que tradicionalmente se usa no último ano de curso.

Tenho pena que a maioria das pessoas que se insurgem contra a praxe, nunca tenham tida a oportunidade de a viver.
Além do mais a praxe é uma escolha. So é praxado, quem é pela praxe!
Pena que algumas pessoas so escolham vivê-la pelo lado da aparência, e não pelo lado humano que são as amizades e as relações estabelecidas e afirmadas pela praxe. Porque no fim do curso o traje rasga-se, mas a praxe fica na memoria de cada um!

Muitas das pessoas que são contra a praxe são-no porque a viveram, precisamente. Nem toda a praxe é sinónimo de amizade e boas vindas e em casos mais graves são cometidos abusos físicos e psicológicos aos caloiros, ou negas? Ser praxado é uma escolha, sim, frequentemente pelas ideias que se vendem de "companheirismo" e "apoio", contudo, ninguém escolhe ser agredido, por isso, alguém mente.

Deixo so uma questão no ar... Sendo o estudante universitario uma pessoa, supostamente, com consciencia daquilo que faz, e sendo a praxe uma escolha pessoal, porque é que surgem manifestos e associações anti-praxe? So vai quem quer...(...)

Estou totalmente de acordo, mas no caso de muita gente (not mine) a penalização por não ser praxado, pesa. A infeliz exclusão das "actividades académicas" e até mesmo o "pôr de parte". Pessoalmente, não sou contra a praxe benéfica, mas humilhação e abusos, sou, claro, como em tudo o resto. Os manifestos e associações anti-praxe são uma resposta à violência de algumas praxes, como é óbvio, não contra a amizade e as relações pessoais.
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 30.set.2007, 22:12:32
Responder
Coimbra Académica é muito à frente, enfim, se até se legisla praxe. Aqui, em Lisboa, e na maior parte das universidades não existem códigos desses e traja quem quer, independentemente da submissão a regras de praxes. Contudo, aqui em Lisboa, acredita-se que praxe não é nada e também se acredita que o traje é um traje, que o traje é dos estudantes universitários, não dos estudantes-universitários-praxantes-e-praxados. Eu vou presa por usar traje e não me submeter ás regras da praxe? Claro que não, é porque a praxe e o uso do traje não estão contemplados no código civil mas sim em pseudo instituições estudantis, tipo "Tribunal de Praxe".

Nos em Coimbra vêmos a praxe como uma instituição, que tem que ser respeitada. Não é por acaso que alguns actos relativos à praxe são precedidos de actos de abertura com obrigatoriedade de citações em latim e apresentação de objectos obrigatorios. Com isto apenas quero demonstrar que a praxe é practicada com respeito, com conhecimento, e não é apenas um aglomerado de pessoas que vão humilhar os outros.
Na instituição onde estive, durante a semana da praxe, praxava-se de dia, e de noite, enquanto os caloiros tinham o seu merecido descanso, preparava-se a praxe do dia a seguir, e não se dormia. Também isto so para demonstrar que é preciso preparação para se praxar.

A questão do uso do traje por pessoas anti-praxe é basico, é uma questão apenas da consciencia de cada um, mas não é por acaso que os manifestos e associações anti-praxe declaram-se publicamente anti-traje.

Coimbra não é muito a frente por ter um codigo. Coimbra acha necessario legislar a praxe. Pena que outras cidades universitarias tenham a mania de copiar os rituias de Coimbra, sem perceberem a sua essência. A praxe para ser praxe tem que estar regulamentada. Se vocês em Lisboa são vitimas de humilhação por parte de estudantes, estamos na presença de um fenomeno denominado por bullying e não praxe...

Responder
Muitas das pessoas que são contra a praxe são-no porque a viveram, precisamente. Nem toda a praxe é sinónimo de amizade e boas vindas e em casos mais graves são cometidos abusos físicos e psicológicos aos caloiros, ou negas? Ser praxado é uma escolha, sim, frequentemente pelas ideias que se vendem de "companheirismo" e "apoio", contudo, ninguém escolhe ser agredido, por isso, alguém mente.

Isso então é bullying, e não a praxe como a ela é na sua essencia.

Responder
Estou totalmente de acordo, mas no caso de muita gente (not mine) a penalização por não ser praxado, pesa. A infeliz exclusão das "actividades académicas" e até mesmo o "pôr de parte". Pessoalmente, não sou contra a praxe benéfica, mas humilhação e abusos, sou, claro, como em tudo o resto. Os manifestos e associações anti-praxe são uma resposta à violência de algumas praxes, como é óbvio, não contra a amizade e as relações pessoais.

Continuo a dizer que a praxe é uma escolha. Quem a escolhe que a viva por inteiro. E mais digo, a praxe não tem o lado bom e o mau. A praxe é toda ela boa, e toda a gente em Coimbra te vai dizer o mesmo que eu: O melhor ano é o de caloiro! Porque serà?

DVRA PRAXIS SED PRAXIS
Título: Re: Praxe
Enviado por: pocahontas em 01.out.2007, 13:13:12
sou tão má, tão má para os meus caloiritos que quase me convidam para madrinha deles  ::)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 01.out.2007, 13:50:09
Há coisas nas praxes que acho que valem a pena: convívio, conhecimentos pessoais, colectivos e espaciais, brincadeiras... Porém, toda a atitude de escravidão do caloiro por ser 'bicho', 'verme' ou 'nada' é extremamente desagradável. Não pelo que se faz mas pelo modo como se faz. Gajos muitas vezes com metade do meu tamanho a mandar vir comigo ou com outros até mais velhos, com o dobro (ou triplo até) da sabedoria só porque têm um traje e concluiram as cadeiras todas até à data (provavelmente à base de cábulas...)? Retirar méritos aos caloiros só por serem anti-praxe!? Acho absurdo e acho que fiquei marcado por ter gozado mais eu com eles que eles comigo lol Alinhei nas coisas mas nos limites levavam por tabela ahahah
Título: Re: Praxe
Enviado por: Oxalá em 01.out.2007, 21:59:11
hoje no autocarro vi uma miúda que tinha sido praxada e cujo cabelo estava sujo de (acho) maionese e ovos. também tinha muito baton pelos braços e a tshirt molhada. estavam a rir-se dela e ela parecia que estava quase a chorar :(

Título: Re: Praxe
Enviado por: barthez em 02.out.2007, 04:18:43
pá n comparemos as coisas em coinbra das em lisboa. Lisboa tem mto menos "regras", Coimbra tem mais tradição e tal. Só o porto tem coisas q se comparem ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 02.out.2007, 04:32:24
Barthez, no meio desta confusão do que realmente será a tradição académica geral, pergunto (mesmo por estar curioso) como é em Coimbra e que excepções haverá (se é que as há) quanto ao respeito a essas regras? :)
Título: Re: Praxe
Enviado por: barthez em 02.out.2007, 04:50:35
pá lol n te consigo responder assim ::) tenho praqui em casa o livro "o código da praxe" com bastantes páginas ;) talvez uma pesquisazita no google dê qq coisa... mas a praxe em coimbra embarca tanta coisa!!! 8)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 02.out.2007, 04:57:54
Não consegues dar os pontos essenciais? :)

(Que madrugadores d'um raio lol Fórum só para um moderador e uma administradora. Que bueno ;))
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 15:08:20
A quem interessar:

(http://mata.xm.com/toupeira.jpg)
MATA - Movimento Anti "Tradição Académica":

REUNIÃO ABERTA A TODOS: 4ª feira, 3 de Outubro de 2007, esplanada da Faculdade de Letras (entrada principal à esquerda) às 15h00
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 15:26:18
eu continuo a dizer: Praxe e bullying são coisas distintas. Em Coimbra ha regras... Se um caloiro vier dizer que não faz uma determinada coisa porque ofende a sua integridade, não faz e pronto. A Praxe é também uma escolha... Os praxantes têm bom senso. Senão tiverem, temos o Dux Veteranorum e o Magnum Concilium Veteranum para punirem quem não o tem. A praxe acima de tudo é respeito e integração.

Quem, em nome da praxe for vitima de bullying, tem apenas que se queixar as autoridades civis.

Continuo a afirmar, que praxe para ser praxe tem que ser sujeita a um codigo escrito. Nos temos o codigo da praxe, escrito ja na decada de 50 e ja por varias vezes adaptado e alterado, que legisla a Praxe.
Sinceramente acho isto tudo uma falsa questão.
1 Primeiro so vai quem quer
2 Quem for vitima de violencia, o que nunca vi, so tem que ir as autoridades civis
3 Quem for pela praxe, como eu fiz, compre o codigo da praxe antes, para saber os seus direitos. Se lhes recusarem o codigo ou disserem que não ha, é porque não estam ali a praxar, e estão a fazer outra coisa qualquer...

Dura Praxis, Sed Praxis
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 15:29:56
Continuo a afirmar, que praxe para ser praxe tem que ser sujeita a um codigo escrito. Nos temos o codigo da praxe, escrito ja na decada de 50 e ja por varias vezes adaptado e alterado, que legisla a Praxe.
Sinceramente acho isto tudo uma falsa questão.
1 Primeiro so vai quem quer
2 Quem for vitima de violencia, o que nunca vi, so tem que ir as autoridades civis
3 Quem for pela praxe, como eu fiz, compre o codigo da praxe antes, para saber os seus direitos. Se lhes recusarem o codigo ou disserem que não ha, é porque não estam ali a praxar, e estão a fazer outra coisa qualquer..

O mundo não é Coimbra e não é apenas aí que as praxes existem. Se és a favor disso é contigo, agora dizeres que "só é praxado quem quer" só mostra que não estás bem a par do que se faz no resto do país (e também em Coimbra, conheço vários casos de abusos por lá!)
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 15:43:22
Tão diz me uma coisa: como se praxa uma pessoa que não quer?
Título: Re: Praxe
Enviado por: NecroRomancist em 02.out.2007, 15:53:36
Em Évora este ano foi proibido praxar aquando das inscrições,isto é, era proibido a trajantes entrarem no edificio onde se realizavam as inscrições. Basicamente reuniram-se todos à porta e esperavam pela saida dos caloiros, o que de certa forma acho mais assustador.
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 15:56:02
Tão diz me uma coisa: como se praxa uma pessoa que não quer?

Como?! Estás a dizer-me que todas as pessoas, sem excepção!, que são obrigadas a comer com as mãos atadas, a empurrar coisas com o nariz, a lamber paredes, a lavar a rua com escovas de dentes, a cantar em plenos pulmões músicas obscenas no meio da rua (um dia destes ponho aqui as letras das músicas cantadas este ano em Medicina no Santa Maria), a simular actos sexuais no meio da rua fazem-no porque querem e porque acham piada? E o que são as pessoas que acabam a chorar nas praxes? Mariquinhas? Enjoados? Ainda na semana passada eu, que me declarei anti-praxe, fui rabiscada à força por cinco veteranos no átrio da minha faculdade. Saí de lá com o nome do curso nos braços, foi esta a minha "brincadeira" de "integração". Não me senti humilhada mas senti-me desrespeitada. Não, não me perguntaram se queria ser praxada e quando disse que não ninguém me ouviu. Já nem falo das pessoas que são agredidas fisicamente... Existem muitos abusos que acontecem nas praxes. Tu podes não o fazer e pode não ser essa a tua maneira de praxar nem a das pessoas que andam contigo mas não podes dizer que não existem abusos nas praxes, nem sequer em Coimbra.

Se cada aluno que entra no ensino superior é praxado porque quer, então porque é que há veteranos que vão buscar os alunos às salas de aula? Porque é que andam nos corredores a abordar alunos que acham que são caloiros? Porque é que os esperam nas entradas das faculdades? Conheço vários caloiros que queriam ser praxados e por isso foram ter com veteranos. Porque é que não pode ser sempre assim? Porque é que não é a pessoa que escolhe ser praxada que vai ter com eles?
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Hedwig em 02.out.2007, 16:05:05
A quem interessar:

([url]http://mata.xm.com/toupeira.jpg[/url])
MATA - Movimento Anti "Tradição Académica":

REUNIÃO ABERTA A TODOS: 4ª feira, 3 de Outubro de 2007, esplanada da Faculdade de Letras (entrada principal à esquerda) às 15h00


Só n percebo pq é q estes senhores odeiam Tunas... Eu gosto de música, é assim tão mau? N precisam de me andar a comparar a enlatados!  :P
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 16:19:56
A quem interessar:

([url]http://mata.xm.com/toupeira.jpg[/url])
MATA - Movimento Anti "Tradição Académica":

REUNIÃO ABERTA A TODOS: 4ª feira, 3 de Outubro de 2007, esplanada da Faculdade de Letras (entrada principal à esquerda) às 15h00


Só n percebo pq é q estes senhores odeiam Tunas... Eu gosto de música, é assim tão mau? N precisam de me andar a comparar a enlatados!  :P


As tunas fazem parte da "tradição" académica. Em algumas faculdades não podes entrar na tuna se não tiveres sido praxado (era assim há uns anos, talvez já tenha mudado). Se és contra essa "tradição" não vais andar trajado nem entrar na tuna, não te parece? Além disso existem outras opções para aquele/as que procuram um sítio para tocar. Eu sou contra essas "tradições", não te odeio (expressão muito forte, não achas?) por estares numa tuna. Eu até tenho uma grande amiga que é preta é lésbica está numa tuna lol :P.
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 16:20:12
Cada um faz aquilo que quer. Se alguem me for buscar onde for, e eu nao quiser, simplesmente não vou. Ninguem me pode obrigar.
Se vos obrigaram a fazer alguma coisa, contra a vossa vontade, não é praxe... Isso é crime!
Acho que a grande questão aqui é falar de praxe, não de violência fisica/psicologica dentro de um espaço publico. Alguem que coage outrem a fazer alguma coisa, està a cometer um crime, isso não tem nada a ver com a praxe.
Acho que a maioria das pessoas ainda não percebeu isso. A praxe é escolha, e não coacção. Se alguem a pratica, as pessoas em vez de culparem a praxe, devem culpar é os coactores, devem denuncia-los as autoridades civis.
Tenho realmente muita pena que isso aconteça, mas isso não é praxe. é crime. E quem resolve isso, nunca serão associações anti-praxe, mas sim autoridades judiciais.
A praxe é uma escolha. Se não for, não é praxe, é crime, não corresponde então a este assunto.

(as vezes, tarmos a ler o que os outros escrevem, damos-lhe a acentuação que nos apercebemos,e não a correcta. apenas quero dizer, que apesar da minha opinião, estou apenas aqui a expô-la, respeitando a opinião, mesmo que completamente distinta, de cada um. estamos apenas numa conversa de "amigos")
Título: Re: Praxe
Enviado por: deep green eyes em 02.out.2007, 16:22:08
aqui no I.P.B, e no q diz respeito á minha escola as coisas n funcionam assim... lol ...as regras sao relativamente quebradas e as praxes sao mais á base de palhaçadas...n sao violentas m as vezes tb surgem problemas m n sao nd de grave... lol..
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 16:28:18
A praxe que tu fazes pode não ser assim mas a praxe é assim em muitos sítios do país. Por mais que tu repitas que "isso não é praxe, é crime" as coisas não vão deixar de ser assim e por mais que digas que não as manifestações de abuso e violência não acontecem nos momentos de "integração" isso não passará a ser verdade.

Os movimentos anti praxe ou anti "tradição" académica existem para lutar contra esses abusos e dar a conhecer aos novos alunos outra opção, a de dizer não a essa "integração". Se os veteranos que praticam uma praxe diferente daquela que muitas pessoas denunciam neste tópico porque é que esses mesmos, defensores da tradição e da boa e saudável "integração" das praxes, não acusam e não fazem nada contra os veteranos que humilham, abusam e agridem os novos alunos? Pergunto-te (que deves estar mais dentro do assunto que eu), já houve algum veterano acusado por outros veteranos devido a abusos praticados nas praxes? É comum um tribunal de praxe das razão a um aluno que se queixa? É só o caloiro ofendido que se pode queixar?
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 16:36:09
Recebi há dias um e-mail com estas fotografias que foram tiradas do site dos Antípodas (http://www.antipodas.web.pt/):

(http://antipodas.planetaclix.pt/i17.jpg)
(http://antipodas.planetaclix.pt/i1.JPG)
(http://antipodas.planetaclix.pt/i27.jpg)
(http://antipodas.planetaclix.pt/i10.JPG)
(http://antipodas.planetaclix.pt/i30.jpg)
(http://antipodas.planetaclix.pt/i25.jpg)
(http://antipodas.planetaclix.pt/i14.JPG)
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 16:59:25
A praxe que tu fazes pode não ser assim mas a praxe é assim em muitos sítios do país. Por mais que tu repitas que "isso não é praxe, é crime" as coisas não vão deixar de ser assim e por mais que digas que não as manifestações de abuso e violência não acontecem nos momentos de "integração" isso não passará a ser verdade.

Os movimentos anti praxe ou anti "tradição" académica existem para lutar contra esses abusos e dar a conhecer aos novos alunos outra opção, a de dizer não a essa "integração". Se os veteranos que praticam uma praxe diferente daquela que muitas pessoas denunciam neste tópico porque é que esses mesmos, defensores da tradição e da boa e saudável "integração" das praxes, não acusam e não fazem nada contra os veteranos que humilham, abusam e agridem os novos alunos? Pergunto-te (que deves estar mais dentro do assunto que eu), já houve algum veterano acusado por outros veteranos devido a abusos praticados nas praxes? É comum um tribunal de praxe das razão a um aluno que se queixa? É só o caloiro ofendido que se pode queixar?

1. Mas esses movimentos não são contra os abusos, são contra a praxe em si. E até poderiam ter o meu apoio e o de milhares de estudantes pela praxe, se lutassem contra os abusos. E acredito que com o apoio de todos nos, conseguissem mudar alguma coisa nos sitios onde os abusos se practicam. Mas enquanto lutarem contra a praxe em si, nunca vão ter o nosso apoio, porque nos gostamos da praxe. Os momentos dos que mais tenho saudades são os em que fui praxado, sendo poucos aqueles que recordo de praxar. Eu até posso ser contra os abusos, mas não contra a praxe. Por isso, com esse metodo, não acredito que mudem alguma coisa (em Coimbra então esqueçam).

2. Tenho amigos que se declaram logo anti-praxe, mesmo antes de experimentarem, outros que so se declaram mais tarde. Nunca lhes aconteceu nada por isso. Claro que não vão aos jantar dos grupos de praxe, mas isso é logico, apartir do momento que se declararam assim. Tambem tenho amigos que se arrependeram, e que no segundo ano, pediram para serem integrados na praxe, sendo ai praxados como caloiros. Dos amigos anti-praxe, uns trajam, outros apresentam-se sempre a futrica. Ai a minha opinião é claro. Anti-praxe, não deve trajar. Claro que parte da consciencia de cada um.

3. Cheguei a recusar-me ser praxado, em certas brincadeiras que achava constrangedoras. Nunca fui diferenciado por isso. As pessoas mais timidas, que eram as primeiras a recusarem-se a fazer certas coisas, tentaram logo integra-las fazendo outras coisas. Ja foram varias pessoas castigadas, veteranos inclusivé, sendo expulsas algumas da praxe, que é o maximo que se pode fazer. Para o resto existem tribunais civis.l
Qualquer pessoa vitima de abuso, ou qualquer outra que tenha visto pode queixar-se, e se tiver razão essa razão é lhe dada.
As praxes mais pesadas são na sua maioria praticada por semi-putos, estudantes com duas matriculas apenas. Nos sitios que passei, vi algumas vezes semi-putos de quatro, por terem dado segunda ordem, a caloiros que se recusavam a fazer a primeira.

(No que diz respeito as tuas fotos, se reparares bem nos trajes, nenhum é de Coimbra, com excepção da segunda foto, com caloiros da ESEC, Escola Superior de Educação de Coimbra, que se reparares bem, vês os caloiros vestidos como verias alguém no Carnaval, nada de abusivo e so brincadeira...)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Maria do Saco em 02.out.2007, 17:21:11
Eu não percebo essa coisa do M.A.T.A... Deus me perdoe, não quero ofender ninguém e eu até odeio tunas, que acho um tédio descomunal, mas quer dizer... Por não se gostar de praxe corta-se com tudo o que torna único o ensino universitário em Portugal? Não percebo de todo e entristece-me.

E eu que pensava que a F.C.S.H. estava recheada de sexualidades alternativas, pah! Dêem sinais de vida! lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 02.out.2007, 17:49:57

Mas esses movimentos não são contra os abusos, são contra a praxe em si. E até poderiam ter o meu apoio e o de milhares de estudantes pela praxe, se lutassem contra os abusos. E acredito que com o apoio de todos nos, conseguissem mudar alguma coisa nos sitios onde os abusos se practicam. Mas enquanto lutarem contra a praxe em si, nunca vão ter o nosso apoio, porque nos gostamos da praxe.

 No dia que esses movimentos forem só contra o fim dos abusos e não contra o fim da praxe, sou a primeira a apoiar a iniciativa.

 

Os momentos dos que mais tenho saudades são os em que fui praxado, sendo poucos aqueles que recordo de praxar. Eu até posso ser contra os abusos, mas não contra a praxe. Por isso, com esse metodo, não acredito que mudem alguma coisa (em Coimbra então esqueçam).

 Sem dúvida. Já experimentaram perguntar, em faculdades em que não são cometidos abusos, note-se, o que é os caloiros sentiam no 1ºdia de praxes e depois no último? Sem dúvida alguma aposto que grande parte falarão de saudade. Saudade do que se riram, do "espírito de grupo" que sentiram, da união, enfim do quanto se divertiram. Não, não somos manipulados para gostar daquilo assim, como eu e o  black_mirror muitos são os que têm saudades dos tempos de caloiro praxado. Aliás, veja-se o meu caso, já tinha sido baptiizada e praxada numa faculdade, entretanto mudei para onde estou actualmente e eu fiz questão de passar exactamente por tudo o que os outros estavam a passar. Se realmente tivesse sido mau de certeza absoluta que não alinhava!


Tenho amigos que se declaram logo anti-praxe, mesmo antes de experimentarem, outros que so se declaram mais tarde. Nunca lhes aconteceu nada por isso. Claro que não vão aos jantar dos grupos de praxe, mas isso é logico, apartir do momento que se declararam assim. Tambem tenho amigos que se arrependeram, e que no segundo ano, pediram para serem integrados na praxe, sendo ai praxados como caloiros. Dos amigos anti-praxe, uns trajam, outros apresentam-se sempre a futrica. Ai a minha opinião é claro. Anti-praxe, não deve trajar. Claro que parte da consciencia de cada um.


Eu aí não concordo, acho que qualquer pessoa deve poder trajar, quer submetendo-se à praxe ou não.
Acho mal e aí sim de apontar é quando pessoas que não foram praxadas querem praxar. Outro dia uma amiga minha que está numa outra faculdade comentava comigo que o queria fazer. Chamei-a à atenção e perguntei-lhe que lógica tinha, afinal quando foi a altura de caloira dela ela nem foi  e agora já quer submeter os outros a algo que ela se recusou a submeter. Respondeu-me que se tinha apaixonado pelo espírito académico, ri-me e disse-lhe então que estava a sempre a tempo de viver as praxes enquanto caloira, pois, mas isso ela já não quer, é o que eu chamo um espírito académico coerente! (viva a ironia, entenda-se!)

Cheguei a recusar-me ser praxado, em certas brincadeiras que achava constrangedoras. Nunca fui diferenciado por isso. As pessoas mais timidas, que eram as primeiras a recusarem-se a fazer certas coisas, tentaram logo integra-las fazendo outras coisas.

 Também me recusei. E o que me aconteceu? Nada! Fui posta de parte? Não!
 

Ja foram varias pessoas castigadas, veteranos inclusivé, sendo expulsas algumas da praxe, que é o maximo que se pode fazer. Para o resto existem tribunais civis.l
Qualquer pessoa vitima de abuso, ou qualquer outra que tenha visto pode queixar-se, e se tiver razão essa razão é lhe dada.
As praxes mais pesadas são na sua maioria praticada por semi-putos, estudantes com duas matriculas apenas. Nos sitios que passei, vi algumas vezes semi-putos de quatro, por terem dado segunda ordem, a caloiros que se recusavam a fazer a primeira.


Vejamos uma coisa, um caloiro, "bixo", "verme", "besta" e um veterano ou um doutor antes de o serem são pessoas. Se existirem brincadeiras da praxe e já estejam a ser um crime é uma questão de lhe dar o tratamente legal adequado. Eu se estiver na rua e haja de alguma forma um atentado à minha pessoa eu vou fazer exactamente o mesmo caso me apareça um ou grupo de gente trajada.
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 18:03:29
Eu aí não concordo, acho que qualquer pessoa deve poder trajar, quer submetendo-se à praxe ou não.
Acho mal e aí sim de apontar é quando pessoas que não foram praxadas querem praxar. Outro dia uma amiga minha que está numa outra faculdade comentava comigo que o queria fazer. Chamei-a à atenção e perguntei-lhe que lógica tinha, afinal quando foi a altura de caloira dela ela nem foi  e agora já quer submeter os outros a algo que ela se recusou a submeter. Respondeu-me que se tinha apaixonado pelo espírito académico, ri-me e disse-lhe então que estava a sempre a tempo de viver as praxes enquanto caloira, pois, mas isso ela já não quer, é o que eu chamo um espírito académico coerente! (viva a ironia, entenda-se!)

Compreendo a tua opinião, mas eu concordo com o não uso do traje por duas razões:

1 é mais facil para o caloiro o reconhecimento da autoridade praxistica... Os anti-praxe ao usarem traje, podem juntar-se aos estudantes pela praxe, e praxam e ninguém repara. (claro que isto é tudo uma questão moral e de consciencia porque ninguém pode impedir ninguém de usar o traje)

2 o traje de coimbra como é usado agora, não é o antigo. Foi regulamentado pelo codigo de praxe de 1957. Ao se renunciar a praxe, renuncia-se ao codigo de praxe. Consequentemente, ou se usa o traje antigo tradicional, ou acho incoeerente usar-se o traje, da forma como foi "desenhado" pelo codigo da praxe.
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 02.out.2007, 18:15:25
A praxe que tu fazes pode não ser assim mas a praxe é assim em muitos sítios do país. Por mais que tu repitas que "isso não é praxe, é crime" as coisas não vão deixar de ser assim e por mais que digas que não as manifestações de abuso e violência não acontecem nos momentos de "integração" isso não passará a ser verdade.

Os movimentos anti praxe ou anti "tradição" académica existem para lutar contra esses abusos e dar a conhecer aos novos alunos outra opção, a de dizer não a essa "integração". Se os veteranos que praticam uma praxe diferente daquela que muitas pessoas denunciam neste tópico porque é que esses mesmos, defensores da tradição e da boa e saudável "integração" das praxes, não acusam e não fazem nada contra os veteranos que humilham, abusam e agridem os novos alunos? Pergunto-te (que deves estar mais dentro do assunto que eu), já houve algum veterano acusado por outros veteranos devido a abusos praticados nas praxes? É comum um tribunal de praxe das razão a um aluno que se queixa? É só o caloiro ofendido que se pode queixar?

A Comissão de Praxes é constítuida por um grupo de pessoas que são responsáveis pela organização das praxes e rege-se por um regulamento, no entanto e como em qualquer "grupo organizado" nem sempre existem aqueles que o cumprem, como tal quando assim acontece, como por exemplo em casos de abusos nas praxes essas devem ser convidadas a sair. Para além da exclusão do membro da Comissão de Praxes não sei outro modo de chamar à responsabilidade a Comissão de Praxes, claro que obviamente assegurar que a mesma ou que outras de outra ordem não se repitam, mas acho que sempre que há um abuso notório se deve passar-se para um tratamento legal do caso com o indivíduo ou indivíduos envolvidos na situação.
Título: Re: Praxe
Enviado por: barthez em 02.out.2007, 18:18:15
eu respeito muito o movimento anti-praxe e acho q têm razão em muitas coisas. No entanto sempre me fascinou a questão da praxe, por toda a tradição que existe aqui em coimbra e o espírito q sempre tive.

Eu tb acho, e já aqui falei disso, que em coimbra, há mais regras e pode-se realmente queixar-se aos veteranos (e sim candy há castigos aplicados a quem praxa sem cumprir as regras). Há coisas (como nessas fotos) que são proibidas aqui. Molhar as pessoas, fazê-las estar na lama, usar certas tintas, meter mixórdias no cabelo, etc...

Agora tb n tenhas ilusão, black_mirror, q acontecem coisas más (crimes sim!) e q há pessoas q têm medo de se queixarem ou desconhecem q o podem fazer. É verdade q tá tudo mais organizado que em muito lado, mas pessoas parvas há em qq sítio e n significa q n se possa obrigar a fazer coisas q n se quer ou q n haja gente q se sinta mal!... Acredito que a maioria se sentirá bem, pois praxe significa (ou deve significar) integração e começo de amizades com aqueles q estrão um bom par de anos connosco :)

qt ao traje, a questão nem é essa! Os próprio anti-praxistas (os verdadeiros, n os q só querem fugir às praxes e depois já praxam os outros) são os primeiros a não querer usar o traje, já q isso é o símbolo da praxe!! Por exemplos, as famosas republicas de coimbra são anti-praxe e tb têm os seus códigos etc.

Pode ser q aí em lisboa, mIsS (se é aí q estudas) tenha lógica quem é contra a praxe poder andar trajado, mas aqui em Coimbra não ;)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Hedwig em 02.out.2007, 18:24:05
Só n percebo pq é q estes senhores odeiam Tunas... Eu gosto de música, é assim tão mau? N precisam de me andar a comparar a enlatados!  :P

As tunas fazem parte da "tradição" académica. Em algumas faculdades não podes entrar na tuna se não tiveres sido praxado (era assim há uns anos, talvez já tenha mudado). Se és contra essa "tradição" não vais andar trajado nem entrar na tuna, não te parece? Além disso existem outras opções para aquele/as que procuram um sítio para tocar. Eu sou contra essas "tradições", não te odeio (expressão muito forte, não achas?) por estares numa tuna. Eu até tenho uma grande amiga que é preta é lésbica está numa tuna lol :P.

O q dizes é verdade, eu fui praxada na Tuna, é obrigatório. Só q, ao contrário das praxes da faculdade em q, como disseste, há pessoas q são praxadas mesmo sem querer pq são rodeadas por alunos mais velhos e ficam sem mto mais opções, na Tuna só entra quem quer.

Não estou a defender a praxe, até pq nunca acreditei na maior parte das coisas que se diz por aí para a defender, mas acho que, neste caso, o ataque do MATA não faz mto sentido. É simples, só entra quem quer. Quem não quer e mesmo assim quer fazer música pode, como tu disseste, procurar outro sítio para tocar.

(N estava a dizer q odeiam as pessoas das Tunas - pelo menos acho q n, espero eu!  :P -, mas sim o conceito de "Tuna")
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 02.out.2007, 18:33:01

1. Mas esses movimentos não são contra os abusos, são contra a praxe em si. E até poderiam ter o meu apoio e o de milhares de estudantes pela praxe, se lutassem contra os abusos. (...)

Se a praxe fosse exclusivamente sinónimo de amizade e integração estes movimentos não existiam. Vocês que praxam também deviam lutar contra os abusos, não interessa se fazes parte da associação anti-praxe ou não. O conceito de abuso, como eu o uso (e talvez por isto te custe um pouco perceberes a minha posição quanto às praxes) não se relaciona apenas com a agressão física. Para mim é já um abuso ter um tipo a gritar-me aos ouvidos e a mandar-me fazer flexões e a chamar-me caloira porca ou a dizer que não presto e que quem manda ali é ele. Desconheço as praxes praticadas em Coimbra, mas duvido muito que se cinjam a aspectos didácticos.

2. Tenho amigos que se declaram logo anti-praxe, mesmo antes de experimentarem, outros que so se declaram mais tarde.(...)

Chama-se aprendizagem ...aprendemos com os erros dos outros. Só vais entender o receio desses amigos em alinhar na praxe quando admitires que praxe não é aquilo que dizes ser. Devia ser, mas não é.

(...) As pessoas mais timidas, que eram as primeiras a recusarem-se a fazer certas coisas, tentaram logo integra-las fazendo outras coisas. (...)
As praxes mais pesadas são na sua maioria praticada por semi-putos, estudantes com duas matriculas apenas. (...)

Seria sensato analizar se essas pessoas são de facto tímidas ou se acham certas "brincadeiras" humilhantes ou nocivas. Dizer que quem se recusa a submeter a praxe ou é anti praxe ou é tímido é realmente um grande disparate a favor de quem praxa. Não interessa se quem praxa é do 2º ano ou do 5º, interessa é que não seja puto de mentalidade, mas já percebi que aí em Coimbra têm regras para colocar nesses "cargos" pessoas decentes.

Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 18:35:52
Agora tb n tenhas ilusão, black_mirror, q acontecem coisas más (crimes sim!) e q há pessoas q têm medo de se queixarem ou desconhecem q o podem fazer. É verdade q tá tudo mais organizado que em muito lado, mas pessoas parvas há em qq sítio e n significa q n se possa obrigar a fazer coisas q n se quer ou q n haja gente q se sinta mal!... Acredito que a maioria se sentirá bem, pois praxe significa (ou deve significar) integração e começo de amizades com aqueles q estrão um bom par de anos connosco :)

Mas para esses casos, estao os senhores na Sa da Bandeira, que passam o dia a coçar a micose :-X, que necessitam que lhes deêm trabalho! Se ha violencia, têm que a denunciar...
Agora a praxe não é isso! :-\
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 02.out.2007, 18:49:46

Pode ser q aí em lisboa, mIsS (se é aí q estudas) tenha lógica quem é contra a praxe poder andar trajado, mas aqui em Coimbra não ;)

É em Lisboa sim.  :)
Na teoria não se pode, agora se isso se cumpre, eu não sei. Apenas posso falar da minha anterior faculdade e da actual, tanto numa como na outra isso cumpre-se.


Se a praxe fosse exclusivamente sinónimo de amizade e integração estes movimentos não existiam. Vocês que praxam também deviam lutar contra os abusos, não interessa se fazes parte da associação anti-praxe ou não.

O que é queres dizer com lutar? Vamos ver uma coisa, se eu sou a favor da verdadeira praxe, a única que defendo, que tem como objectivo a integração, a única forma que posso lutar é apenas manifestando o meu desagrado e denunciando os colegas que cometem excessos. De outra forma eu não posso, por pior que eu ache o que está a ser feito eu não posso simplesmente chegar ao pé do meu colega e agredi-lo ou qualquer coisa do género! No máximo tento demovê-lo do que está a fazer, como o cheguei a fazer muitas vezes. Lá está, vai muito da consciência de cada um (ou da falta dela também!)

 
O conceito de abuso, como eu o uso (e talvez por isto te custe um pouco perceberes a minha posição quanto às praxes) não se relaciona apenas com a agressão física. Para mim é já um abuso ter um tipo a gritar-me aos ouvidos e a mandar-me fazer flexões e a chamar-me caloira porca ou a dizer que não presto e que quem manda ali é ele.

 Quem está nessas condições que se declare anti-praxe ou então que não vá!
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 18:54:04
Se a praxe fosse exclusivamente sinónimo de amizade e integração estes movimentos não existiam. Vocês que praxam também deviam lutar contra os abusos, não interessa se fazes parte da associação anti-praxe ou não.
Ao praxar corretamente, ao denunciar doutores que estão a praxar mal, estamos a lutar contra os abusos. Não preciso de ser funfamentalista e lutar contra a praxe em si. Dou um exemplo disso: apesar de os actos terroristas serem na sua maioria impulsionados por ligações religiosas, não é a lutar contra a religião em si que vamos ajudar. ???

Chama-se aprendizagem ...aprendemos com os erros dos outros. Só vais entender o receio desses amigos em alinhar na praxe quando admitires que praxe não é aquilo que dizes ser. Devia ser, mas não é.
A praxe é o que vem consagrado no codigo da praxe. Se não esta no codigo não é praxe. é outra coisa qualquer. Chamem lhe brincadeiras de mau gosto, chamem violencia, bullying, não sei...
A unica questão que ainda não percebi é: cada um tem livre arbitrio de fazer aquilo que quer, se sou pela praxe, tudo bem, se sou anti-praxe, tudo bem na mesma. Se ha pessoas, alguns milhares, que gostam da praxe, porque é que outros vêm lutar contra isso? ???
Quem não gosta, não vai.
Eu ja disse que não gosto de sadismo, ou masoquismo, mas quem gostar que pratique, não quero saber disso, nem vou lutar contra isso!

Seria sensato analizar se essas pessoas são de facto tímidas ou se acham certas "brincadeiras" humilhantes ou nocivas. Dizer que quem se recusa a submeter a praxe ou é anti praxe ou é tímido é realmente um grande disparate a favor de quem praxa. Não interessa se quem praxa é do 2º ano ou do 5º, interessa é que não seja puto de mentalidade, mas já percebi que aí em Coimbra têm regras para colocar nesses "cargos" pessoas decentes.
Eu não disse isso. Disse que havia situaçoes em que as pessoas timidas eram as primeiras a recusar-se, e que em vez de serem discriminadas, como aqui alguns dizem, eram integradas doutra forma.

 DVRA PRAXIS SED PRAXIS!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 02.out.2007, 18:56:53

Se a praxe fosse exclusivamente sinónimo de amizade e integração estes movimentos não existiam. Vocês que praxam também deviam lutar contra os abusos, não interessa se fazes parte da associação anti-praxe ou não.

O que é queres dizer com lutar? Vamos ver uma coisa, se eu sou a favor da verdadeira praxe, a única que defendo, que tem como objectivo a integração, a única forma que posso lutar é apenas manifestando o meu desagrado e denunciando os colegas que cometem excessos. De outra forma eu não posso, por pior que eu ache o que está a ser feito eu não posso simplesmente chegar ao pé do meu colega e agredi-lo! No máximo tento demovê-lo do que está a fazer, como o cheguei a fazer muitas vezes.

? Tu também LUTAS pelos direitos LGBT ao murro? Polissemia da palavra "luta", dá desconto. É isso mesmo Miss, que acho que devem fazer, denunciar, não espancar o colega, como é óbvio. A minha resposta veio no seguimento da conversa com o black-mirror, em que ele diz:

Citação de: black_mirror
Mas esses movimentos não são contra os abusos, são contra a praxe em si. E até poderiam ter o meu apoio e o de milhares de estudantes pela praxe, se lutassem contra os abusos. (...)

Vocês podem não dar apoio ao movimento anti praxe na íntegra, como é lógico, mas sim fazê-lo do modo que referiste. Já percebi a confusão neste ponto.

O conceito de abuso, como eu o uso (e talvez por isto te custe um pouco perceberes a minha posição quanto às praxes) não se relaciona apenas com a agressão física. Para mim é já um abuso ter um tipo a gritar-me aos ouvidos e a mandar-me fazer flexões e a chamar-me caloira porca ou a dizer que não presto e que quem manda ali é ele.
Declara-te anti-praxe, simples.

E assim me declaro. Mas essa resposta tua vem no seguimento de alguma coisa? Vamos lá a ver, eu dei a minha definição de abuso porque o black mirror crê que não existem abusos na praxe, que praxe é tudo o que não contém abusos. E agora eu digo que esses actos por mim referidos como abusos são também praxe e tu, pelos vistos, dás-me razão se a única coisa que me dizes é "ok, declara-te anti praxe e não sofrerás com isso". Estás a perceber o sentido da conversa?
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 19:05:48
E assim me declaro. Mas essa resposta tua vem no seguimento de alguma coisa? Vamos lá a ver, eu dei a minha definição de abuso porque o black mirror crê que não existem abusos na praxe, que praxe é tudo o que não contém abusos. E agora eu digo que esses actos por mim referidos como abusos são também praxe e tu, pelos vistos, dás-me razão se a única coisa que me dizes é "ok, declara-te anti praxe e não sofrerás com isso". Estás a perceber o sentido da conversa?

Para mim, abusos é praxar fora do regulamentado pelo codigo da praxe. Para ti, abusos são chamar
Responder
caloira porca
.
Isso para mim não é abuso... DVRA PRAXIS SED PRAXIS!... Se achas mal, citando a miss: declara-te anti-praxe. Humm? Ja te declaraste? Então? Qual é o problema?
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 02.out.2007, 19:12:46

E assim me declaro. Mas essa resposta tua vem no seguimento de alguma coisa? Vamos lá a ver, eu dei a minha definição de abuso porque o black mirror crê que não existem abusos na praxe, que praxe é tudo o que não contém abusos. E agora eu digo que esses actos por mim referidos como abusos são também praxe e tu, pelos vistos, dás-me razão se a única coisa que me dizes é "ok, declara-te anti praxe e não sofrerás com isso". Estás a perceber o sentido da conversa?

Claro perfeitamente. O achar que é abuso ou não vai muito da sensibilidade de cada um e do "espírito" com que estás ali. Digo-te,muitas das coisas a que eu me sujeitei " no meu estado normal" eu mandava-os dar-lhes uma curva ao bilhar grande, mas estava tão numa de desportiva, de me divertir a divertir os outros que eu alinhava. Pegando num dos teus exemplos, se me chamassem porca eu ria-me redonda na cara do veterano porque numa situação normal eu não consentia.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 02.out.2007, 19:13:07
Para mim abusos é praxar fora do regulamentado pelo codigo da praxe. Para ti, abusos são chamar
Responder
caloira porca
.
Isso para mim não é abuso...

Pois, se o dito código disser, tu fazes.

enganei-me, queria dizer caloira E porca, assim como um variado conjunto de adjectivos depreciativos que nada têm a ver com "integração", na minha humilde lógica...
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 02.out.2007, 19:14:35
Claro perfeitamente. O achar que é abuso ou não vai muito da sensibilidade de cada um e do "espírito" com que estás ali. Digo-te,muitas das coisas a que eu me sujeitei " no meu estado normal" eu mandava-os dar-lhes uma curva ao bilhar grande, mas estava tão numa de desportiva, de me divertir a divertir os outros que eu alinhava. Pegando num dos teus exemplos, se me chamassem porca eu ria-me redonda na cara do veterano porque numa situação normal eu não consentia.

Percebo o teu ponto de vista. Mas, no meu, a praxe ideal seria constituida por actividades passíveis de serem feitas "no meu estado normal"  ;)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 19:16:47
nirky e Hedwig:
O MATA é Anti "tradição" académica (nas quais se incluem as tunas), não é só anti praxe. Dizer que lá porque o MATA é contra as praxes não deveria criticar as tunas não faz sentido.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 02.out.2007, 19:17:34
Se achas mal, citando a miss: declara-te anti-praxe. Humm? Ja te declaraste? Então? Qual é o problema?

Ehehe,
" se achas mal haver discriminação, declara-te anti-discriminação. Já te declaraste? Então? Qual é o problema?"
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 19:23:01
Ja percebi o teu ponto de vista... Pensava que falavas de outros abusos... Esses abusos, não referidos no codigo da praxe, estão considerados no codigo civil. Ninguem te pode chamar nada ofensivo, excepto quando tem o teu consentimento. Se tem a tua permissão, tudo bem... Se te perguntam o que tu és pela praxe e tu dizes que és a favor, pronto... nada a fazer... Ou te declaras anti praxe ou tens que andar a ouvir asneiras...
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 19:32:56
Azula, que achas de irmos jantar a Coimbra e eu e a Miss praxamos-te?
Nao te chamamos porca nem caloira!
Fazes uma coisa simples... humm!!
JA sei... Ponho-te a empurrar a estatua do Dom Dinis (muito original,lol)... Basta que ele se mova 1 milimetro, e acabamos ali com a praxe!
ehehe
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 02.out.2007, 19:35:46
Azula, que achas de irmos jantar a Coimbra e eu e a Miss praxamos-te?
Nao te chamamos porca nem caloira!
Fazes uma coisa simples... humm!!
JA sei... Ponho-te a empurrar a estatua do Dom Dinis (muito original,lol)... Basta que ele se mova 1 milimetro, e acabamos ali com a praxe!
ehehe

 lol Se me pagarem o jantar vou  :devil

Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 19:38:07
lol Se me pagarem o jantar vou  :devil

Se o Dom Dinis se mover, pago com todo o prazer!
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 02.out.2007, 19:39:16
Azula, que achas de irmos jantar a Coimbra e eu e a Miss praxamos-te?
Nao te chamamos porca nem caloira!
Fazes uma coisa simples... humm!!
JA sei... Ponho-te a empurrar a estatua do Dom Dinis (muito original,lol)... Basta que ele se mova 1 milimetro, e acabamos ali com a praxe!
ehehe

 lol

lol Se me pagarem o jantar vou  :devil

Se o Dom Dinis se mover, pago com todo o prazer!

Nesse caso eu até te ofereço o almoço!  :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 02.out.2007, 19:40:32
Quero ler cânticos de vários cursos, venham eles, venham eles! 
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Hedwig em 02.out.2007, 20:07:28
nirky e Hedwig:
O MATA é Anti "tradição" académica (nas quais se incluem as tunas), não é só anti praxe. Dizer que lá porque o MATA é contra as praxes não deveria criticar as tunas não faz sentido.

Tens toda a razão. E essa é uma das razões pq n gosto mto deles. Acho q s devem respeitar os gostos dos outros, desde que não façam mal a ng, está claro. Por isso, reconheço a importância de um movimento "anti"-praxe, pq quem não quer ser praxado deve poder escolhê-lo. Mas daí a querer acabar com a tradição toda, já n acho muito bem. Era como eu agora ser contra as procissões, por ser ateia.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Templarius em 02.out.2007, 20:14:28
Também não gosto de praxes, nem desse tipo de tradições. Quem quer entrar nelas, que o faça, mas não gosto quando somos inquiridos para participar, e quando eventualmente levam a mal por não querermos. Existem outras formas de conhecimento do pessoal, sem ser por esta via.
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 20:33:42
1. Mas esses movimentos não são contra os abusos, são contra a praxe em si. E até poderiam ter o meu apoio e o de milhares de estudantes pela praxe, se lutassem contra os abusos. E acredito que com o apoio de todos nos, conseguissem mudar alguma coisa nos sitios onde os abusos se practicam. Mas enquanto lutarem contra a praxe em si, nunca vão ter o nosso apoio, porque nos gostamos da praxe.

Ninguém te pede para te juntares a movimentos anti praxe ou anti "tradição" académica. Agora só porque não concordas com isso vais deixar de lutar contra abusos? Mais vale deixar que os abusos continuem a ser praticados do que fazer alguma coisa, é isso?

Tambem tenho amigos que se arrependeram, e que no segundo ano, pediram para serem integrados na praxe, sendo ai praxados como caloiros. Dos amigos anti-praxe, uns trajam, outros apresentam-se sempre a futrica. Ai a minha opinião é claro. Anti-praxe, não deve trajar. Claro que parte da consciencia de cada um.

black_mirror e mIsS, sobre os vossos amigos que não foram praxados e agora querem praxar ou que usam traje quando disseram ser contra a "tradição académica": Eu também conheço muitas pessoas hipócritas em vários temas e nem por isso retiram a razão aos que defendem essas causas.

(No que diz respeito as tuas fotos, se reparares bem nos trajes, nenhum é de Coimbra, com excepção da segunda foto, com caloiros da ESEC, Escola Superior de Educação de Coimbra, que se reparares bem, vês os caloiros vestidos como verias alguém no Carnaval, nada de abusivo e so brincadeira...)

Isso é argumento? Não é em Coimbra então tudo bem? Aquilo são praxes, não percebes?

1 é mais facil para o caloiro o reconhecimento da autoridade praxistica...

É absurdo como usam a palavra "autoridade" com a maior das naturalidades. O que é que uma pessoa no último ano de curso fez para ter alguma "autoridade" sobre mim ou sobre uma pessoa que queira (ou tenha sido forçada) ser praxada?

A unica questão que ainda não percebi é: cada um tem livre arbitrio de fazer aquilo que quer, se sou pela praxe, tudo bem, se sou anti-praxe, tudo bem na mesma. Se ha pessoas, alguns milhares, que gostam da praxe, porque é que outros vêm lutar contra isso? ???
Quem não gosta, não vai.
Eu ja disse que não gosto de sadismo, ou masoquismo, mas quem gostar que pratique, não quero saber disso, nem vou lutar contra isso!

"Se há pessoas, alguns milhares, que gostam da escravatura, porque é que os outros vêm lutar contra isso? Quem não gosta não tem escravos!"
"Se há pessoas, alguns milhares, que apoiam o casamento entre homossexuais, porque é que outros vêm lutar contra isso? Quem não gosta não casa!"
"Se há pessoas, alguns milhares, que são a favor do aborto, porque é que outros vêm lutar contra isso? Quem não gosta não aborta!"

A questão é que há pessoas que não concordam com a ideia imposta e têm todo o direito de se manifestar. Especialmente quando são cometidos abusos ao abrigo dessas ideias.

E quanto aos abusos, eu por acaso também me refiro a outros, mas diz-me, chamar "porca" a uma pessoa ao abrigo de uma "tradição" de "integração" não é grave? Tratar uma pessoa por "bixo", "verme" ou "besta" não é grave?
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: candy cane em 02.out.2007, 20:37:09
nirky e Hedwig:
O MATA é Anti "tradição" académica (nas quais se incluem as tunas), não é só anti praxe. Dizer que lá porque o MATA é contra as praxes não deveria criticar as tunas não faz sentido.

Tens toda a razão. E essa é uma das razões pq n gosto mto deles. Acho q s devem respeitar os gostos dos outros, desde que não façam mal a ng, está claro.

E essa é uma das razões porque não gosto muito de ti. Acho que deves respeitar o gosto dos outros, desde que não te façam mal, está claro. Isto faz sentido? Vês alguém do MATA a desrespeitar os outros? ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 02.out.2007, 20:45:46
Ninguém te pede para te juntares a movimentos anti praxe ou anti "tradição" académica. Agora só porque não concordas com isso vais deixar de lutar contra abusos? Mais vale deixar que os abusos continuem a ser praticados do que fazer alguma coisa, é isso?

Alguém disse isso? Eu não...

black_mirror e mIsS, sobre os vossos amigos que não foram praxados e agora querem praxar ou que usam traje quando disseram ser contra a "tradição académica": Eu também conheço muitas pessoas hipócritas em vários temas e nem por isso retiram a razão aos que defendem essas causas.
E

Isso é argumento? Não é em Coimbra então tudo bem? Aquilo são praxes, não percebes?
Vamos dar um exemplo extremo. Eu chego me ao pé de ti trajado, dou-te um muro e digo que é praxe...
Tu em vez de ires a policia, inscreves-te na M.A.T.A.?

É absurdo como usam a palavra "autoridade" com a maior das naturalidades. O que é que uma pessoa no último ano de curso fez para ter alguma "autoridade" sobre mim ou sobre uma pessoa que queira (ou tenha sido forçada) ser praxada?

O papa é a autoridade maxima da religiao catolica. Que raio tem ele para ser autoridade? Humm! é so autoridade para os catolicos. Humm? A religiao é opção?
Tal como a praxe...

E quanto aos abusos, eu por acaso também me refiro a outros, mas diz-me, chamar "porca" a uma pessoa ao abrigo de uma "tradição" de "integração" não é grave? Tratar uma pessoa por "bixo", "verme" ou "besta" não é grave?
O meu grupo de amigos trata-se por porcos e porcas. Porquê? Não sei... Nunca ninguém se queixou, e é so uma questão de brincadeira...
E porquê? Porque é consentido...
Tal como a praxe...

Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Hedwig em 02.out.2007, 21:06:14
nirky e Hedwig:
O MATA é Anti "tradição" académica (nas quais se incluem as tunas), não é só anti praxe. Dizer que lá porque o MATA é contra as praxes não deveria criticar as tunas não faz sentido.

Tens toda a razão. E essa é uma das razões pq n gosto mto deles. Acho q s devem respeitar os gostos dos outros, desde que não façam mal a ng, está claro.

E essa é uma das razões porque não gosto muito de ti. Acho que deves respeitar o gosto dos outros, desde que não te façam mal, está claro. Isto faz sentido? Vês alguém do MATA a desrespeitar os outros? ;)

Bem, a partir do momento em que vejo cartazes a dizer coisas como "Tunas só em latas" ou coisas do género não posso dizer que esteja a ser propriamente respeitada...

E embora eu saiba que um movimento é feito de pessoas (que acho que era o que estavas a tentar dizer, certo?), a partir do momento em que existe enquanto movimento definido ganha uma nova dimensão, passa a ter uma espécie de identidade própria, acho que é uma das propriedades emergentes dos grupos.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Maria do Saco em 02.out.2007, 21:51:40
Eu acho que um movimento anti-tradição é, à partida, um movimento repressor. Tudo bem que a tradição académica tem muitas actividades de cariz duvidoso, mas não deixa de ser uma tradição com alguns séculos de existência e com regras e normas registadas.

Para mim haver um movimento M.A.T.A. não é muito diferente de me aparecer agora aí um grupo que é contra as tradições do Natal ou coisa parecida. Pah, nem toda a gente faz, nem toda a gente pratica, mas não há necessidade de se andar por aí "NÃO COMAS PERU (ou whatever) NA CEIA DE NATAL". É que quer-se dizer... Parece que hoje em dia anda tudo louco, faz-se movimentos pró e contra tudo e mais alguma coisa! -.-

Não há necessidade. Não quer ser praxado, não é. Se o veterano olha de lado, não se perde nada que ele com certeza é parvo. E acabou. Não andam por aí cartazes e reuniões a mandar abaixo os anti-praxe, cada qual tem a sua opinião, vamos todos conviver alegremente. ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: pocahontas em 03.out.2007, 02:08:07
Quero ler cânticos de vários cursos, venham eles, venham eles! 

eh oh lé DESIGN é que é, DESIGN é que é, DESIGN é que é!!!!  ;D ;D ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 03.out.2007, 10:46:36
Sinceridade das sinceridades? Só o nome 'praxe' estraga tudo porque, para mim, uma praxe equivale a uma marca. Parece que por se ser caloiro se tem de andar a sofrer o que os senhores 'dos altos' querem e passar vergonhas na rua por depois não haver muito boa gente que se limpe antes de chegar a casa ou a qualquer outro local que a isso o permita. É estupidamente ridículo e motivo de ainda mais insultos lá fora.

O que se anda para aqui a dizer em defesa da praxe é muito bonito mas para mim, mesmo achando que aparentemente quem aqui a defendeu até é mais fiel ao que considero correcto e importante nessa tal (triste) 'marca', só essas musiquinhas ordinárias irritam-me, sufocam-me, entristecem-me. Afinal são superiores ou piores que nós, 'caloirada', 'vermes inúteis que não sabem nada'?

Na verdade, a praxe passou da tradição de integração, convívio e brincadeira respeitosa e simpática a troça do caloiro e delírio pela fácil e tendenciosa acção de exagero para com este nessa já referida dura praxis sed praxis (praxe é dura mas é praxe!) muito ao género do bárbaro latino dura lex sed lex (lei é dura mas é lei). Isto só me faz lembrar o seguinte: pode até ser errado, mas é assim que as coisas são só porque os senhores que se julgam muito bons por serem mais velhos, mais avançados no ano de curso ou mais altos que nós (que também há esses) o consideram assim.

Na praxe a que literalmente me submeti por ter simpatizado com dois fulanos, deu para ver quão ordinários, inúteis, convencidos, ridículos e pequeninos eram cada um deles. Uns queriam fazer troça com a maioria dos pormenores de cada um, outros brincavam respeitosamente o que atenuava a barbárie e outros armavam-se em chefes militares, sendo que armar implica que se julgam ao nível mas só fazem pior de tão desqualificado que é, despromevido de respeito, educação, classe e, perdoem-me, rigor. Já para não falar que o essencial está em falta: o campo militar e a oferta para esse tipo de práticas. Achei baixo e nunca respeitarei quem seja como aquela cambada no respeito, claro está, que exigem. São pessoas (salvo seja, diria) para mim como qualquer outra. Só tenho pena que algo que podia ser incrível se torne numa treta pegada.

Acho que a praxe está entregue à fraqueza humana: abuso do poder. Se inicialmente era engraçada, hoje, é censura, totalitarismo e promovida de gente reles sobre as quais indago inclusive como terão passado a todas as cadeiras e que tipo de formações se encontrarão no futuro. Porém, estamos a tempo de mudar e aí entra o M.A.T.A. e, no M.A.T.A., devíamos contar, sim, com todos os que sejam contra a troça para com o caloiro. Há praxistas que praxam sem abusos e também a eles lhe irrita quem pratica abusos. Penso que era de nos unir e lutar por uma formação académica melhor! (Fica é a eterna pergunta: o que é o abuso para cada um de nós?...)

Coisas que me irritam são, à parte do que se faz na praxe, a exclusão do caloiro no jantar, do apoio universitário por parte dos colegas veteranos, da participação académica como se não fizesse parte e ainda da oportunidade de trajar! O traje é de quem chega ao 2º por ter conseguido resultados e pertencer já à casa, não é de quem anda para aí a fazer o que quer e bem lhe apetece dos meninos e meninas que entram na faculdade (sim, porque muitos nem 18 anos têm ainda feitos e a verdura é de facto imensa!).

Fala-se inclusive das queixas ao sector civil ao revés de ao Magnum Concilium Veteranorum mas eu pergunto-me de que nos adiantam ambas quando não é uma questão de agressão física mas de exageros justificavelmente limpos pela submissão do caloiro? Claro que devia ser assim mas e sê-lo?

Nem sempre as nossas ideias, por mais correctas que pareçam, o são e nem sempre pensamos todos da mesma maneira ainda que nos dediquemos ao mesmo. Por essa razão, aqueles que são contra o que de mau existe na praxe (nesse nome que substitui a tradição académica e a banaliza deturpando-a e sujando-a) deviam-se unir e deviam lutar!

Diria o Almada Negreiros, basta, pum, basta!
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 03.out.2007, 13:56:58
Eu não me vou estender muito nesta questão, porque ja o fiz varias vezes,e cada pessoa que chega, não traz argumentos novos, tudo o que dizem ja foi dito.
Portanto, enquanto não aparecer nada de novo não me pronunciarei mais.

Quem for pela praxe, que seja praxado.
Quem não for, que não se diexe.
Para se praxar alguem que não queira, é necessario usar violencia... E mesmo assim é muito dificil. Se a usarem existem muitas secções da policia em Portugal que podem e devem ser usadas!

DVRA PRAXIS, SED PRAXIS!



Ps: Segundo o codigo de praxe para se praxar não é preciso passar o ano, até podes ser veterano estando no primeiro ano,não sei porquê tanta gente vem aqui dizer o contrario.
Título: Re: Praxe
Enviado por: SapientiaeOpium em 03.out.2007, 14:26:07
Sou mais radicalista. É como com crianças, ou se dá e se sabe ter, ou se a caso se transcende limites, fica-se sem nada. Com infantilidades, por vezes, venha o radicalismo. Afinal, o contrário também acontece, verdade?
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 03.out.2007, 14:29:55
neste forum toda a gente vem reclamar tolerancia e compreensão da sociedade, mas depois no momento de serem eles proprios a ser tolerantes e compreensivos não se vê nada!  :-X
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: blueboy em 03.out.2007, 15:35:34
Acho o M.A.T.A. uma grande, enorme, gigantesca inutilidade! Ok, estou a ser demasiado forte, mas como já disseram, e porque nunca é demais repetir, ninguém é obrigado a participar nas praxes, NINGUÉM! A partir do momento em que pessoas que de livre vontade aceitam uma brincadeira não vejo porque razão vêm umas pessoas que por não qererem participar nessa brincadeira estejam contra a sua existência. Sentem-se isolados? Porque não fazem entre eles uma recepção alternativa dos novos alunos? Eu não praxo, acho parvo a maioria das coisas que se fazem, mas fui praxado e gostei muito. Amigos meus praxam e acreditem que dá muito trabalho, é uma coisa organizada e serve não só para brincar com os caloiros como para mostrar-lhes certas coisas importantes e ajudá-los nos primeiros dias. Assiti no início ao inquérito que faziam aos caloiros e foram muito prestáveis mesmo para aqueles que eram anti-praxe, simplesmente esses não podiam estar presentes na altura das praxes nem participar nas actividades promovidas pela comissão de praxe, mas não estavam porque assim optaram.

Se as pessoas que organizam esse movimento se declaram como liberais (penso eu) que deixem as pessoas escolher como passam a sua vida académica, há uma alternativa e toda a gente é informada, toda a gente no meu curso sabe muito bem que a qualquer altura pode desistir sem qualquer dano académico. Não podem obrigar uma tradição a acabar. Simplesmente porque não lhes afecta em nada. Os únicos que se podem pronunciar são os envolvidos. Não há efeitos económicos relevantes, não há efeitos sociais que se espalhem além dos praxantes-praxados, não há efeitos ambientais significativos. Por amor de Deus!!!
Título: Re: Praxe
Enviado por: SapientiaeOpium em 03.out.2007, 19:10:26
Isso foi pelo que eu disse?
Título: Re: Praxe
Enviado por: pocahontas em 03.out.2007, 19:29:14
Quero ler cânticos de vários cursos, venham eles, venham eles! 

eh oh lé DESIGN é que é, DESIGN é que é, DESIGN é que é!!!!  ;D ;D ;D

Básico  :P

Nós, os de farmácia, os de farmácia somos os maiorais e na hora da doença, é para as farmácias que eles correm, mais mais mais mais...
(de notar, que ao contrário de vocês, coloco as músicas com a respectiva cor de curso!!)


não seja por isso  :P aqui vai:

Dêem-me um d ... D
Dêem-me um e ... E
Dêem-me um s ... S
Dêem-me um i ....  I
Dêem-me um g ... G
Dêem-me um n ... N

e o que é que dá?? o que é que dá??
DEEEEEEEEESIGNNNN!!!! DESIGN! DESIGN! DESIGN!  ;D ;D ;D

Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Buu em 03.out.2007, 19:58:17
Entrei este ano para o Técnico e passei pelas praxes! Como não podia passar?! Quase que era das coisas mais esperadas (isso e as TUNAS xD) de entrar para uma fac :) e posso aidna dizer que todos os dias saia de lá com um grande sorriso na carade contentamento, pois as praxes do meu curso foram as mais organizadas e nada humilhantes como ouvi histórias de outras faculdades. Simplesmente do melhor  ;D

Agora, há quem goste e há quem não goste. Quem não gosta deveria ser respeitado na sua escolha de não ser praxado e pelo que vi este ano correu tudo bem por aqueles lados  :)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Azula em 03.out.2007, 22:53:41
Acho o M.A.T.A. uma grande, enorme, gigantesca inutilidade! Ok, estou a ser demasiado forte, mas como já disseram, e porque nunca é demais repetir, ninguém é obrigado a participar nas praxes, NINGUÉM! (...)

E as actividades da praxe têm alguma utilidade? Promove-se a integração a fazer flexões e levar com farinha no cabelo?  lol

... Olha, tens aqui um testemunho de uma pessoa que foi praxada À FORÇA (universalizar as tuas observações não é correcto):

(...) Ainda na semana passada eu, que me declarei anti-praxe, fui rabiscada à força por cinco veteranos no átrio da minha faculdade. Saí de lá com o nome do curso nos braços, foi esta a minha "brincadeira" de "integração". Não me senti humilhada mas senti-me desrespeitada. Não, não me perguntaram se queria ser praxada e quando disse que não ninguém me ouviu.(...)

Era isto praxe ou não?

(...) Não podem obrigar uma tradição a acabar. Simplesmente porque não lhes afecta em nada. Os únicos que se podem pronunciar são os envolvidos. Não há efeitos económicos relevantes, não há efeitos sociais que se espalhem além dos praxantes-praxados, não há efeitos ambientais significativos. Por amor de Deus!!!

Não concordo com o extremismo do M.A.T.A quanto ás tunas e trajes, mas "ser tradição" continua a não ser argumento nenhum (é como nas touradas). Se falarmos de ofensas e abusos, há efeitos pessoais mais que justificados...

Eu acho que um movimento anti-tradição é, à partida, um movimento repressor. Tudo bem que a tradição académica tem muitas actividades de cariz duvidoso, mas não deixa de ser uma tradição com alguns séculos de existência e com regras e normas registadas.

Regredir é não questionar regras que PODEM prejudicar, regredir é legislar disparates.

Para mim haver um movimento M.A.T.A. não é muito diferente de me aparecer agora aí um grupo que é contra as tradições do Natal ou coisa parecida.

Estamos a falar de pessoas que são humilhadas e obrigadas a fazer certas "brincadeirinhas", não de perus recheados  :P
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: blueboy em 03.out.2007, 23:21:52
Esses casos em que obrigam as pessoas, ou pintam à força são uma realidade desconhecida no meu curso, e como falamos sempre através da nossa experiência. Falas em abuso? Mas que abuso é esse se a suposta pessoa abusada não o encara como tal. comparas com tourada? O Touro pode escolher se quer ser picado ou não? Tradição nunca é justificação, mas a tradição prevalece enquanto os valores das pessoas que a fazem se mantenham, e portanto a praxe vai continuar a existir até deixar de haver pessoas que queiram praxar e pessoas que queiram ser praxadas. Não é um acto tão cruel e desumano, humilhante ou desrespeitador, é um jogo, que ao fim de duas semanas acaba, e garanto-te que para a maioria é uma óptima experiência (falo dos casos que conheço). Mas diz-me qual a necessidade de um movimento para acabar com a tradição académica? É assim tão mau haver tunas? trajes? praxes? Eu detesto Tunas, incluindo a da minha faculdade e no entanto não quero acabar com ela, gosto de ouvir e tenho amigos lá, mas eu seria incapaz porque não me identifico de todo com as praxes e hierarquias que lá existem. Eu até gostava de experimentar música, mas tenho mais opções, ninguém me obriga a integrar a Tuna académica.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Azula em 03.out.2007, 23:33:25
Esses casos em que obrigam as pessoas, ou pintam à força são uma realidade desconhecida no meu curso, e como falamos sempre através da nossa experiência.

E onde é que isso do teu curso é relevante para a discussão? Estamos a discutir abusos e praxe, não praxe-no-curso-do-Blueboy. Ou achas que por haver uma praxe tão boa quanto aquela do teu curso devemos deitar por terra o combate à praxe abusiva?

Falas em abuso? Mas que abuso é esse se a suposta pessoa abusada não o encara como tal. comparas com tourada? O Touro pode escolher se quer ser picado ou não?

Exacto, o touro não pode escolher. E não leste já que a candy TAMBÉM NÃO ESCOLHEU??? Não vou meter-lhe palavras na boca mas, para miml, pintarem-na contra o consentimento dela é um abuso, não achas?

Não é um acto tão cruel e desumano, humilhante ou desrespeitador, é um jogo, que ao fim de duas semanas acaba, e garanto-te que para a maioria é uma óptima experiência (..)

Certas praxes são, uma vez mais, não estamos a falar apenas da praxe do teu curso e não é nada relevante a duração da praxe, como se isso fosse justificação.

Mas diz-me qual a necessidade de um movimento para acabar com a tradição académica? É assim tão mau haver tunas? trajes? praxes?(...)

No post anterior eu disse " acho o MATA excessivo no que que concerne ás tunas e trajes". Eu não quero saber se existe tradição académica ou deixa de existir, é igual "ao litro", nem se existe praxe integradora e benéfica e blablabla. O que tenho andado a dizer é que se deve combater a praxe que não é assim, que é o contrário, abusiva.
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 03.out.2007, 23:40:11
Isso é argumento? Não é em Coimbra então tudo bem? Aquilo são praxes, não percebes?
Vamos dar um exemplo extremo. Eu chego me ao pé de ti trajado, dou-te um muro e digo que é praxe...
Tu em vez de ires a policia, inscreves-te na M.A.T.A.?

Estás a comparar uma "tradição" de "integração" onde existem abusos a uma agressão vinda do nada e sem nenhuma "justificação" (por mais estúpida que seja). Qual é o objectivo?

E quanto aos abusos, eu por acaso também me refiro a outros, mas diz-me, chamar "porca" a uma pessoa ao abrigo de uma "tradição" de "integração" não é grave? Tratar uma pessoa por "bixo", "verme" ou "besta" não é grave?
O meu grupo de amigos trata-se por porcos e porcas. Porquê? Não sei... Nunca ninguém se queixou, e é so uma questão de brincadeira...
E porquê? Porque é consentido...
Tal como a praxe...

A praxe é uma brincadeira? Um aluno veterano que me praxa está a brincar comigo? Que raio de brincadeira é essa em que eu não posso retribuir na mesma moeda a quem "brinca" comigo? Quando uma pessoa diz que se sente abusada e humilhada tu não tens o direito de questionar isso nem de tirar importância aos sentimentos dessa pessoa.
E não é porque tu chamas "porc@s" às pessoas do teu grupo de amigos que podes chamar o mesmo a pessoas que não conheces de lado nenhum e que entraram este ano para a tua faculdade. Eu admito que os meus amigos me chamem f*** e nunca irei permitir que tu me chames isso.

Renovem os argumentos... Sempre os mesmos não da...

Se releres todas as tuas intervenções neste tópico verás que tu também te repetes muitas vezes. Também não passas do mesmo.
E se continuas a dizer que ninguém é praxado obrigado, ou mentes descaradamente ou não estás tão informado sobre as praxes como pensas estar.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: candy cane em 04.out.2007, 00:10:00
Bem, a partir do momento em que vejo cartazes a dizer coisas como "Tunas só em latas" ou coisas do género não posso dizer que esteja a ser propriamente respeitada...

E eu sinto-me desrespeitada quando ouço as músicas sexistas e homofóbicas de muitas tunas. E quando tenho de ouvir um veterano e vários membros das tunas a andarem atrás de mim a cantar músicas com letras a gozar com o pessoal anti praxe :)

Eu acho que um movimento anti-tradição é, à partida, um movimento repressor. Tudo bem que a tradição académica tem muitas actividades de cariz duvidoso, mas não deixa de ser uma tradição com alguns séculos de existência e com regras e normas registadas.

E eu acho que um movimento com uma hierarquia estabelecida e onde uma pessoa que está há mais tempo naquela faculdade se sente no direito de me dar ordens é, à partida, um movimento repressor.
E porque é que eu não posso contestar essa tradição (que tu própria disseste que tem actividades de cariz duvidoso)?

Para mim haver um movimento M.A.T.A. não é muito diferente de me aparecer agora aí um grupo que é contra as tradições do Natal ou coisa parecida. Pah, nem toda a gente faz, nem toda a gente pratica, mas não há necessidade de se andar por aí "NÃO COMAS PERU (ou whatever) NA CEIA DE NATAL". É que quer-se dizer... Parece que hoje em dia anda tudo louco, faz-se movimentos pró e contra tudo e mais alguma coisa! -.-


Mas diz-me qual a necessidade de um movimento para acabar com a tradição académica? É assim tão mau haver tunas? trajes? praxes? Eu detesto Tunas, incluindo a da minha faculdade e no entanto não quero acabar com ela, gosto de ouvir e tenho amigos lá, mas eu seria incapaz porque não me identifico de todo com as praxes e hierarquias que lá existem. Eu até gostava de experimentar música, mas tenho mais opções, ninguém me obriga a integrar a Tuna académica.

Ninguém no M.A.T.A. anda a proibir os novos alunos de serem praxados, limitam-se a dizer que eles têm outra opção e que, caso ainda não tenham pensado nisso, podem contestar essa "tradição". Aquilo que tu dizes ser loucura eu chamo de liberdade de expressão. Se existe uma "tradição" que aceita a existência de hierarquias e poderes dentro dos estudantes do ensino superior porque é que eu não posso criar ou integrar um grupo que conteste isso?

Acho o M.A.T.A. uma grande, enorme, gigantesca inutilidade!

E eu acho que a "tradição" académica é uma grande, enorme, gigantesca inutilidade!

Porque não fazem entre eles uma recepção alternativa dos novos alunos?

Se tivesses noção da dimensão do M.A.T.A saberias que isso é impossível de fazer. É impossível o M.A.T.A. estar presente em todas as Faculdades de Lisboa no início do ano ;)

Se as pessoas que organizam esse movimento se declaram como liberais (penso eu) que deixem as pessoas escolher como passam a sua vida académica, há uma alternativa e toda a gente é informada, toda a gente no meu curso sabe muito bem que a qualquer altura pode desistir sem qualquer dano académico. Não podem obrigar uma tradição a acabar.

Mas achas que os membros do M.A.T.A., ou de qualquer outro movimento anti "tradição" académica, ou de qualquer outro movimento anti praxe, não deixam as pessoas escolher como passam a sua vida académica? O M.A.T.A. contesta a tradição e apresenta a alternativa de a contestar, não força ninguém a dizer "não" à praxe. Não anda de sala em sala a dizer "quem não quiser ser praxado que venha connosco". Não força ninguém a não ser praxado. Ninguém anda a prometer apontamentos aos alunos que se recusem a não serem praxados. Limitam-se a mostrar essa opção e os interessados tomam a iniciativa de irem ter com eles.

E muito honestamente não percebo como é que és capaz de dizer que as pessoas não são obrigadas a aceitar a praxe. Pode não ser a maioria mas eu conheço muitos casos de pessoas que foram de facto forçadas a serem praxadas. Conheço casos de pessoas a quem lhes foram escondidos os sapatos para não poderem fugir. Conheço casos de pessoas que foram agarradas e atiradas para lagos. Conheço o meu caso em que me agarraram à força e me riscaram os braços. São apenas alguns (e até os casos mais leves) de abusos de poder praticados nas praxes da nossa Universidade.

Pessoal, esta discussão está fora do tópico. Amanhã (hoje estou muito cansada [smiley=morto.gif]) vou mudar os posts relacionados com praxes e com o M.A.T.A (aqueles que foram feitos depois do meu post a divulgar a reunião) para o tópico "Praxes" no sub-fórum OUTRAS CONVERSAS. Até lá continuem a escrever aqui até para que haja um seguimento lógico :)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Hedwig em 04.out.2007, 01:49:19
Bem, a partir do momento em que vejo cartazes a dizer coisas como "Tunas só em latas" ou coisas do género não posso dizer que esteja a ser propriamente respeitada...

E eu sinto-me desrespeitada quando ouço as músicas sexistas e homofóbicas de muitas tunas. E quando tenho de ouvir um veterano e vários membros das tunas a andarem atrás de mim a cantar músicas com letras a gozar com o pessoal anti praxe :)

Bem, mas isso já não tem a ver com praxe, encontras sexismo e homofobia em mtas outras músicas, n é?  ;)

Nunca andei a perseguir ou a gozar com pessoas anti-praxe enquanto estava na Tuna, nem sei de ninguém da minha Tuna que o tenha feito. Não estou a dizer que seja sempre assim (parece que tu tens uma experiência diferente), mas não podemos generalizar o comportamento de alguns elementos de uma Tuna a todas as Tunas; cada uma tem os seus estatutos, e pelo que sei estes não passam por perseguir o pessoal anti-praxe.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 04.out.2007, 06:42:08
Isso é argumento? Não é em Coimbra então tudo bem? Aquilo são praxes, não percebes?
Vamos dar um exemplo extremo. Eu chego me ao pé de ti trajado, dou-te um muro e digo que é praxe...
Tu em vez de ires a policia, inscreves-te na M.A.T.A.?

Estás a comparar uma "tradição" de "integração" onde existem abusos a uma agressão vinda do nada e sem nenhuma "justificação" (por mais estúpida que seja). Qual é o objectivo?


Exacto! Quando se fala em abusos, black_mirror, engloba-se todo e qualquer tipo de exagero comportamental. Será difícil ao comum veterano perceber que cantar essas músicas, berrar como berra, troçar como troça e ainda exigir certas 'brincadeiras' como exige é do mais reles que há? Um veterano supostamente é superior. Será isso superior ou deliberadamente inferior?

Porém, repara, o que se critica aqui não é tanto o que se faz porque se deixa nem o que se faz de engraçado numa praxe (porque, sim, também há ainda praxes - ou parte delas - bem interessantes!). Critica-se, sim, o modo bárbaro como a maioria se lhes dedica e o modo abusivo, quase ilícito, como alguns procedem só porque têm na mão, nesse momento, pensam eles, todo o poder.

E não esqueçamos algo muito importante: muitos jovens que se submetem às praxes, podendo ser por curiosidade ou até gostar, fazem-no sobretudo para não ficarem mal vistos na sua faculdade, entre futuros colegas e, sobretudo, veteranos e pastoranos (penso que se escreva assim).

O meu grupo de amigos trata-se por porcos e porcas. Porquê? Não sei... Nunca ninguém se queixou, e é so uma questão de brincadeira...
E porquê? Porque é consentido...
Tal como a praxe...

Consentido? Entre pessoas próximas! A praxe é consentida, mas isso dá-te liberdade para fazer o que queres e bem te apetece!? A praxe consente uma integração, uma brincadeira. A maioria não brinca, ofende, magoa, troça, rebola e, sinceramente, revela-se na sua esmagadora maioria, reles, pequenina, deseducada e abusiva.

Sou mais radicalista. É como com crianças, ou se dá e se sabe ter, ou se a caso se transcende limites, fica-se sem nada. Com infantilidades, por vezes, venha o radicalismo. Afinal, o contrário também acontece, verdade?

Também há essa hipótese mas admito que acho que seria de evitar isso uma vez haver praxes engraçadas e pessoas decentes a realizá-las em alguns sítios. Porém, concordo, se não se sabe brincar e se depois da luta tudo se mantiver, será de gritar pelo fim dos abusos das aberrações que os praticam (sim, veterano=aberração tal como caloiro=bicho, verme, nada!). Será de lhes tirar o brinquedo de vez e quiçá no futuro remodelar a tradição académica (também era tradição queimar mulheres na fogueira só porque eram against Cristianismo e praticavam actos diferentes aos ritos Cristãos. Era isso bom? Claro que não mas todos diziam que sim. Mudou ou não mudou?) As tradições são habitualmente fracas precisamente porque vêm do passado e o passado é tão ou mais pequenino que o presente.. Se não se cresce que se pretende? Ser adulto?
Título: Re: Praxe
Enviado por: Topolino em 04.out.2007, 11:53:44
E quanto aos abusos, eu por acaso também me refiro a outros, mas diz-me, chamar "porca" a uma pessoa ao abrigo de uma "tradição" de "integração" não é grave? Tratar uma pessoa por "bixo", "verme" ou "besta" não é grave?

Tens um amigo teu que te chama assim na brincadeira. É grave? Quando uma pessoa vai à praxe tem de ter a noção que é um ritual, uma brincadeira, algo que vão sempre recordar com momentos de convívio, engraçados, divertidos, que nunca pensaram que iam experimentar. Agora se vais para a praxe sem saber o que ela é na realidade e levas mitos errados contigo é claro que vai sentir tudo como uma ofensa.

Se uma pessoa é ofendida só tem que reagir a isso. Se não gosta da praxe não é praxado. Como é obvio essa pessoa depois não irá conviver com os que estão a ser praxados durante as praxes. Eu fui praxado, bem praxado como costumo dizer, porque nunca levei a peito o que me disseram, levei tudo no tom da brincadeira. No início temia alguns veteranos que sem traje eram pessoas excelentes. No entanto, vi coisas que considero abuso mas tb vi a vetaranos a impedir esses abusos. Quando comecei a praxar eu fui muitas vezes mauzinho e sempre que reparava que o caloiro não estava a gostar chamava-o de parte e conversava com ele para lhe explicar que se tratava tudo de uma brincadeira, mas que se sentisse "abusado" que viesse falar cmg. Ao ver colegas meus a praxar eu intervinha quando "abusavam" um pouco ou quando chamavam certos nomes como "pane*****" e assim e hoje a praxe na ESSUA em Aveiro é considerada uma das mais justas e menos abusadoras.

Conclusão: Lutar contra a praxe? NÃO! Lutar contra os abusos? SIM! Obrigar a haver uma comissão de controlo de abusos dentro de cada curso? SIM!

Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: blueboy em 04.out.2007, 12:23:42
Bem, a partir do momento em que vejo cartazes a dizer coisas como "Tunas só em latas" ou coisas do género não posso dizer que esteja a ser propriamente respeitada...

E eu sinto-me desrespeitada quando ouço as músicas sexistas e homofóbicas de muitas tunas. E quando tenho de ouvir um veterano e vários membros das tunas a andarem atrás de mim a cantar músicas com letras a gozar com o pessoal anti praxe :)

Bem, mas isso já não tem a ver com praxe, encontras sexismo e homofobia em mtas outras músicas, n é?  ;)

Nunca andei a perseguir ou a gozar com pessoas anti-praxe enquanto estava na Tuna, nem sei de ninguém da minha Tuna que o tenha feito. Não estou a dizer que seja sempre assim (parece que tu tens uma experiência diferente), mas não podemos generalizar o comportamento de alguns elementos de uma Tuna a todas as Tunas; cada uma tem os seus estatutos, e pelo que sei estes não passam por perseguir o pessoal anti-praxe.

Pois Hedwig, parece que a nossa faculdade é muito diferente das outras.

Eu não praxei este ano, e a única música que canto é o hino e umas outras, recuso-me a cantar músicas homófobas e sexistas além destas e sinceramente já tive discussões com os meus colegas por causa disso. O que eu acho que está mal são as pessoas que usam a praxe como satisfação pessoal, como uma maneira de se sentirem melhores. Tipo: Sou um fustrado, vou mandar este caloiro andar a dar cambalhotas no cimento. Eu compreendo porque muitas pessoas não querem fazer praxe, eu próprio pus isso em causa, o que não percebo é porque querem acabar com ela.
Há sítios onde as pessoas podem queixar-se sobre esses abusos, ninguém, seja quem for pode interferir com a tua vida a não ser que tu o consintas, se isso te acontceu candy cane podes fazer queixa. Já agora, na última reunião um grupo de amigas pintou-te à "força" e pelo que vi até gostaste, foi divertido. Já pensaste que para muitas pessoas os veteranos que as praxam também podem ser vistos como amigos? Que podem realmente divetir-se com aquilo?
Eu sou a favor da escolha, e sou contra um grupo que quer tirar opções de escolha, e como tu própria disseste não tem nada para as substituir. Ou seja, os novos alunos chegam, andam ali à toa, não tem quem os ajude, não conhecem os colegas, não há integração, ou esta ocorre muito mais lentamente do que com uma recepção organizada, seja de que tipo for.
E quanto ao movimento, o ano passado interromperam uma coreografia que eu e os meus colegas estavamos a fazer para distribuir panfletos, nós estavamos super-divertidos e mesmo depois de dizermos que não queriamos eles insistiram, papel desperdiçado, porque o que lá estava escrito, fora as ofensas aos nossos vateranos e a nós, já nós sabíamos. quando chega um novo aluno, a primeira coisa que se faz é indicar onde ficam os serviços de secretaria, se já tirou a senha, pedimos o nome para uma lista e perguntamos se quer fazer parte da praxe. Se a pessoa disser que sim, explicamos o que vai acontecer, que a pessoa pode sempre desistir, que sempre que se sentir mal, seja por doença ou qualquer coisa pode pedir despensa, que se alguma coisa for contra a sua idealogia pode também desistir,e que se alguém a obrigar fazer alguma coisa que não queira ou contra a sua vontade pode fazer queixa.

Azula, eu também sou contra os abusos, sou contra a "praxe" forçada, sou contra isso tudo. E já agora, acho que a opinião das pessoas se baseia na sua experiência, ou fizeste algum estudo sobre a praxe a nível nacional? Eu acho que interessa aquilo que eu digo, como interessa o que todos dizem, Estamos aqui a discutir um tema que nos é relativamente próximo e é normal que vamos buscar as nossas referencias ao que nos é dado no dia-a-dia.
Podes não concordar com aquilo que digo, e podes achar até rídiculo ou confuso (o rapaz não percebe nada disto, é tão limitado!). Pois, posso não ler muitos livros, nem ter uma grande noção das teorias filosóficas e da psicologia, mas tenho direito a expressar-me sem correr o risco de ser ridicularizado.
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Croft em 04.out.2007, 17:38:03
Baseada APENAS na minha experiência digo que não gostei das praxes. Logo para começar cheguei à faculdade e partiram do princípio que eu estava lá e adorava aquilo portanto mandaram-me logo um berro e arrastaram-me para um sítio. Na verdade eu estava lá porque pensava que ia ter aulas de apresentação, já que não percebia (nem percebo) nada de nada. Então não me fui embora, acontece que os veteranos juntaram os caloiros todos e com um ar de grande gozo no meio daquela confusão toda, mandaram três berros manipuladores do género "QUEM É CONTRA AS PRAXES PODE DIZER AGORA E VAI-SE EMBORA!" Não posso dizer que estive lá por obrigação...mas sendo eu caloira, no meio de tanta tanta gente com os olhinhos tipo a ver quem era anti-praxe, era óbvio que com o medo (e não digo que seja fraca, porque na minha situação, num ambiente diferente, é normal que me feche e tenha medo) eu não ia levantar o braço e dizer "EU SOU EU SOU!". Nem quero imaginar o que me fariam! A humilhação que seria! Então sugeitei-me, fui humilhada, assisti a uma situação explícita de homofobia, só asneiradas sexistas, porcarias de índole sexual, que violou a minha maneira de ser e de pensar. Por isso, eu apenas digo que não gostei da praxe. E quando digo que sou anti-praxe é porque não gosto de estar prsente ou achar gozo a elas. Não vou dizer que quero acabar com elas ou que deviam ser acabadas, só vou pedir que me respeitem. Não quero que façam troça de mim ou me humilhem por eu dizer que não quero estar presente nas praxes. No entanto, respeito plenamente quem queira estar ou quem goste. Isso não é comigo. De certeza que nenhum de nós gostava que numa multidão de heteros nos dissessem "QUEM É GAY, BI OU LÉSBICA E NÃO QUEIRA ESTAR PRESENTE TEM TODO O DIREITO DE SAIR!" e depois nós assumiamo-nos e iamo-nos embora com toda a gente a melgar-nos a cabeça. A comparação até pode não ser a ideal, mas o tipo de sentimentos que podem sentir numa ocasião destas eram os mesmo que eu sentia no meio de montes de gente que achava graça às coisas que estava a fazer e eu de repende saía dali a desafiar e do contra, para fazerem troça de mim até à estação...

Portanto, eu não quero acabar com a tradição de maneira alguma, mas uma vez que eu respeito os outros, por favor respeitem-me a mim! E quando vejo alguém a dizer que gosta de praxes, para além disso para mim ser indiferente e eu não gostar nem menos nem mais da pessoa por causa disso, gostava de a ouvir dizer que defende que elas continuem não porque é uma tradição (porque assim sendo as touradas que são crueis tinham motivos para continuarem na "moda"), mas simplesmente porque essas pessoas acham que é uma maneira engraçada de receber os caloiros. Então, eu aí respeito mais, nem vou contra as ideias de ninguém, apenas não quero ser praxada.  :)
Título: Re: Técnico/Faculdades em geral
Enviado por: Azula em 04.out.2007, 19:10:21
Azula, eu também sou contra os abusos, sou contra a "praxe" forçada, sou contra isso tudo. E já agora, acho que a opinião das pessoas se baseia na sua experiência, ou fizeste algum estudo sobre a praxe a nível nacional? Eu acho que interessa aquilo que eu digo, como interessa o que todos dizem, Estamos aqui a discutir um tema que nos é relativamente próximo e é normal que vamos buscar as nossas referencias ao que nos é dado no dia-a-dia.
Podes não concordar com aquilo que digo, e podes achar até rídiculo ou confuso (o rapaz não percebe nada disto, é tão limitado!). Pois, posso não ler muitos livros, nem ter uma grande noção das teorias filosóficas e da psicologia, mas tenho direito a expressar-me sem correr o risco de ser ridicularizado.

Blueboy, eu tenho muita pena que não tenhas percebido o fio condutor da conversa e me venhas com essas advertências reaccionárias. Eu não precisei de ler nenhuma psicologia ou filosofia para responder aos teus posts. Mas eu simplifico:

1- Azula disse que a praxe pode ser uma coisa má
2- Blueboy diz que no seu curso não há praxe má
3- Azula diz que a praxe não se faz só no curso do blueboy, logo, que pode ser má e que a há, de facto, má.

O facto de NO TEU CURSO existir praxe boa, não ANULA o facto de existir praxe má, que era a minha tese, logo, a informação "a praxe é boa no curso do Blueboy" não é relevante. Estou-me a fazer entender?

Em caso algum te ridicularizei (a não ser que o adjectivo "irrelevante" seja uma ofensa para ti) ou disse que o que transmites não tem interesse e acho muito mau da tua parte fazeres-me essa acusação, ainda por cima recheada de ironias. Talvez devesses voltar a ler tudo para perceberes o tema da conversa e os argumentos apresentados, porque confundido creio mesmo que estás. Acho muito bem que fales da tua experiência pessoal, assim como todos falamos, agora não podes é universalizá-la e dizeres-me "no meu curso não há nada disso" em resposta a "existe praxe má".
Título: Re: Praxe
Enviado por: Franja em 04.out.2007, 20:30:27
Praxes.. traje... tradição académica... não significam nada para mim, ponto final.
Gastar o meu português com este tema é pura perda de tempo.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 07.out.2007, 14:44:14
Eu adoro os trajes e adoro certas coisas no espírito académico, mas certos temas das tunas, certas acções deliberadas dos estudantes e certas tradições como as praxes dispensam-se. Sobretudo quando o que se faz é por gozo e não por convívio e apoio ao 'caloiro'.
Título: Re: Praxe
Enviado por: indie em 24.out.2007, 21:53:44
A Noite Negra ontem no Porto foi o cúmulo da má organização. enfiiiiiiiim.



Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Symphonic em 26.out.2007, 20:07:07
A Noite Negra ontem no Porto foi o cúmulo da má organização. enfiiiiiiiim.

Spoiler (clica para mostrar/esconder)

foram os teus caloiros que andaram à porrada com os alunos de Braga??
afinal de contas o que é que se passou por lá?

No ano passado foi em Aveiro e não houve problemas... =P
Título: Re: Praxe
Enviado por: Azula em 17.dez.2007, 21:59:16
BE quer linha verde de apoio às vítimas das praxes académicas

Lisboa, 13 Dez (Lusa) - O Bloco de Esquerda vai propor a criação de uma linha verde de apoio jurídico e psicológico às vítimas das praxes académicas e pedir a audição de responsáveis pelas instituições onde se verificaram problemas graves com esta prática.

A informação foi dada à Lusa pela assessoria de imprensa do BE depois de uma intervenção política sobre o tema no plenário da Assembleia da República, onde o deputado José Moura Soeiro exigiu "um compromisso político" contra a violência nas praxes académicas, repto que contou com o apoio de PS e PSD.

Na sua primeira intervenção em plenário, José Moura Soeiro, que substituiu na semana passada a deputada Alda Macedo, comparou a situação actual das praxes nas universidades à da violência doméstica no passado, onde foi preciso um sinal político de condenação.

"É isso que é preciso fazer com a praxe. Não aceitar a naturalidade e a inevitabilidade, não aceitar a arbitrariedade como regra e a imposição de todas as violências com a impunidade garantida. O Estado de Direito não pode ficar à porta da Universidade", apelou José Soeiro.

Esta intervenção surge na sequência de casos recentes de dois alunos - um da Escola Superior Agrária de Coimbra e outro de Elvas - que ficaram paraplégicos na sequência de praxes académicas.

"A praxe tem sido um legar de excepção onde todas as violências são permitidas", afirmou José Moura Soeiro, apelando a um "compromisso político" contra estas situações.

Na resposta, o PS, pelo deputado Fagundes Duarte, manifestou a suta "concordância total" com a intervenção do BE.

"Algumas praxes académicas têm ocupado o papel de verdadeiros actos de violência gratuita legitimados por tradições que não existem", afirmou o deputado socialista, manifestando a disponibilidade do grupo parlamentar do PS para "fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que a legalidade entre no mundo académico".

Também o vice-presidente da bancada social-democrata Pedro Pinto considerou que José Moura Soeiro "entrou com o pé direito" no Parlamento ao trazer este tema a debate.

"Estamos ao seu lado e estaremos na disposição de acabar com isto que tem acontecido nas universidades e que é uma verdadeira pouca-vergonha", afirmou Pedro Pinto.

 fonte (http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=313832&visual=26&tema=1)
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 18.dez.2007, 00:08:44
BE quer linha verde de apoio às vítimas das praxes académicas
Esta intervenção surge na sequência de casos recentes de dois alunos - um da Escola Superior Agrária de Coimbra e outro de Elvas - que ficaram paraplégicos na sequência de praxes académicas.
 fonte ([url]http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=313832&visual=26&tema=1[/url])


Nao conheço o caso de Elvas, mas o caso da ESAC, apesar de ter sido durante a real praxe, não esteve directamente ligado a nenhuma praxe.
 :-X

Quando as premissas são errôneas, não se pode pedir muito das conclusões.
BE quer linha verde de apoio às vítimas das praxes académicas
"Algumas praxes académicas têm ocupado o papel de verdadeiros actos de violência gratuita legitimados por tradições que não existem"

A julgar pelos 900 euros que pago de propinas, não estou a ver o gratuito, senhor deputado.

BE quer linha verde de apoio às vítimas das praxes académicas
 "fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que a legalidade entre no mundo académico".


Boa... Vão trazer a legalidade para o mundo acadêmico? Será desta que vao por em practica o artigo 74 da constituição?

Spoiler (clica para mostrar/esconder)


JAD_Ok, Praxe segura, fala a Joana Amaral Dias? Em que posso ser util?
Calorio_Olha queria fazer queixa de uns indivíduos de fato preto que me obrigaram a estar de 4.
JAD_E obrigaram-no como? Usaram violência?
Calorio_Não. Usaram uns olhares tão sedutores que não consegui resistir e fiz tudo o que eles mandaram.
JAD_Mas têm a certeza que não foi agredida.
Calorio_Não, nem me tocaram.
JAM_ Espere um momento.

JAM_Oh Louçã, que posso fazer a este caso?
FC_Assedio sexual... Sem duvida.

JAM_Olha, va queixar-se ao reitor de assedio.
Caloiro_Ao reitor?
JAM_Sim, nao se esta a queixar de abuso por parte de alunos?
Caloiro_Não. Foi foram os empregados da Massimo Dutti.
JAM_Não faz mal. Faz queixa da praxe na mesma.
Caloiro_Ok. Vou fazer. Muito Obrigado.
JAM_Faça m so um pequeno favor. Vote BE.
Título: Re: Praxe
Enviado por: MindControl em 18.dez.2007, 08:03:06

JAD_Ok, Praxe segura, fala a Joana Amaral Dias? Em que posso ser util?
Calorio_Olha queria fazer queixa de uns indivíduos de fato preto que me obrigaram a estar de 4.
JAD_E obrigaram-no como? Usaram violência?
Calorio_Não. Usaram uns olhares tão sedutores que não consegui resistir e fiz tudo o que eles mandaram.
JAD_Mas têm a certeza que não foi agredida.
Calorio_Não, nem me tocaram.
JAM_ Espere um momento.

JAM_Oh Louçã, que posso fazer a este caso?
FC_Assedio sexual... Sem duvida.

JAM_Olha, va queixar-se ao reitor de assedio.
Caloiro_Ao reitor?
JAM_Sim, nao se esta a queixar de abuso por parte de alunos?
Caloiro_Não. Foi foram os empregados da Massimo Dutti.
JAM_Não faz mal. Faz queixa da praxe na mesma.
Caloiro_Ok. Vou fazer. Muito Obrigado.
JAM_Faça m so um pequeno favor. Vote BE.


LOL!
Basicamente deve ser o que iria ou vai acontecer se essa linha existir.

A praxe só vai quem quer e só obedece quem quer. Agora é assim se me mandassem atirar me de um pinheiro abaixo...eu penso que o pessoal que vai pa maioria das faculdades tem 2 dedos de teste e perguntar: "Mas isso tem algum jeito?!"
Cenas para integrar o pessoal, jogos com os caloiros, parvoices que tais por mim tudo bem...resto é totalmente dispensavel!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 18.dez.2007, 10:01:35
Oh meus senhores, à praxe só vai quem quer e dentro dela só faz aquilo a que se predispõe, assim como à rua só vai quem quer e, uma vez lá, só sofre aquilo que o acaso lhe proposer ou - melhor - exigir.

Eu não sou contra as praxes mas sim contra a parvoíce que muita boa gente nelas faz e, pior, contra abusos óbvios e não tão escassos quanto isso que se sofrem. Parece que se gosta muito de dizer 'quem tem um palmo de testa saberá avaliar, sendo caloiro, se faz ou não, afastando-se, caso opte pelo não, do local e eventualmente da praxe', mas parece que quem não tem um palmo de testa é quem não percebe que o mal é de quem, surto de força, surto de barbarie, surto de inconsciência e vandalismo, obriga, em grupos que se autoritarizam por terem o dobro do tamanho do indíviduo em questão ou mesmo por serem um grupo e ele não, obrigando-o a ser praxado nem que seja com uma pintinha de cor florescente ou algo que o valha como sinal de praxe. Parece ridículo fazer uma tempestade deste pormenor? Pois claro, mas quando se trata de um pormenor entre muitos, para facilitar, que se grite, que se pegue por baixo.

O problema e o motivo principal destes movimentos, creio, prende-se com os actos de desrespeito e absurdo descontrolo da parte dos senhores muy nobres e importantes que dão pelo cognome veterano ou pastorano. Estou-me nas tintas se há quem goste e sinceramente o que me apraz é saber que ainda há coisas que se aproveitam nas praxes e na vida académica mas e o resto? Ah e tal não acredito nisso... Pois, eu ah e tal já vi e soube de pintas, de arrastões, de pancada, you name it. Se isto não vos parece um problema, tenho pena, mas nem sempre o que não se vê é sinal de que não existe.

Que não se abulem totalmente as praxes e que se as eduque, claro. Que se acabe com isto? Certamente. Se a brincadeira continuar - bom remédio - tire-se o brinquedo à criançada.

Reconsiderem, senhores académicos... Reconsiderem...
Título: Re: Praxe
Enviado por: MindControl em 18.dez.2007, 10:50:54
Em comentário ao post anterior...

Bem nas praxes penso que não existe a história ou levas com uma pinta na testa ou levas com a naifa! Por isso penso que a analogia não é das mais correctas.
Não sou a favor da humilhação nem de brincadeiras que possam atingir a integridade fisica ou moral. Apenas acredito que a praxe pode ser feita dentro dos limites do bom senso com todo o pessoal a divertir se e a conhecer se!Provavelmente digo isto devido a minha boa experiência com a praxe.
Mas uma pessoa que queira facilmente faltar é só não ir as primeiras semanas/dias que costumam ser de praxes e está o caso arrumado!Agora sinceramente, algumas das informações sobre a praxe que saltam pelas casas a dentro são completamente surpreendentes. Para os veteranos que as pedem, simplesmente, já era idade de ter juizo e para quem as faz, é como já disse, por mais coação que houvesse eu não saltaria de uma ponte ou faria qualquer das situações que estão descritas.
Sei perfeitamente que há situações que intimidam e se for necessário acabar as praxes para que se acabe com as parvoices...força nisso. Não esquecer que há casas e casas e o que se pratica numa escola de tras os montes não é o mesmo que numa faculdade em lisboa mas se para haver ordem é preciso pagar o justo pelo pecador por mim tudo bem.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 18.dez.2007, 15:40:52
Talvez não exista algo tão forte, MindControl, mas certamente existirá desrespeitos parecidos. Não preciso de uma naifa para me sentir injustiçado (aliás a naifa é só um objecto, as pessoas são um complexo). Creio ter deixado claro que era um pormenor. Agora que o leiam como acharem melhor.
Título: Re: Praxe
Enviado por: misu em 18.dez.2007, 15:54:07
As praxes são sempre Dolus bonus... O que é certo é que às vezes a intenção é mesmo magoar alguém... acho.
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 18.dez.2007, 18:41:17
Tem me parecido que a coação que aqui se tem descrito é pura demagogia. Sempre pensei que existissem dois tipos de seres universitários. Os pela praxe e os anti-praxe.
Os pela praxe são a favor da praxe, praticando-a ou não.
Os anti-praxe são contra a praxe.

Quem for anti-praxe e se deixar praxar,so os vejo de duas maneiras: ou são pouco inteligentes, ou mudaram de opinião.
Os que se deixarem praxar e forem vitimas de violência também têm boa alternativa: QUEIXEM-SE AS AUTORIDADES COMPETENTES!

Agora quem pensa que vai conseguir acabar com a praxe, està muito enganado.
Eu ja passei por três estabelecimentos de ensino superior... Um de ensino tradicional com praxe da antiga. Um estabelecimento recente, com a chamada "nova praxe". E um estabelecimento dito anti-praxe.

Acho estranho as pessoas gostarem de ser caloiros, sendo a praxe uma coisa "assim tao horrivel". Acho estranho acharem que o melhor ano é o primeiro. Acho estranho que a maioria das pessoas que se insurge contra a praxe nunca a tenha vivido. Acho estranho!

Acabarem com os abusos: mt bem. Acabarem com a praxe: não acredito. :devil


Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 18.dez.2007, 21:38:05

Azula, ainda sobre a notícia que aqui deixaste está aqui o vídeo da participação do mais novo deputado no Parlamento: http://www.youtube.com/watch?v=w9TSipCGYo8 ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 18.dez.2007, 22:54:15
Liberdade de expressão é o direito de manifestar opiniões livremente. É um conceito basilar nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral.

O discurso livre é também apoiado pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, especificamente no seu artigo 19, e pelo artigo 10 da Convenção Européia dos Direitos Humanos, embora esse direito não seja exercido em vários países e, em geral, não seja ilimitado.

Os governos podem, sob a égide das Organização das Nações Unidas e dos países que dela fazem parte, limitar formas particulares de expressão, tais como aquelas que promovam o incitamento ao ódio racial, nacional ou religioso ou ainda o apelo à violência contra um indivíduo ou uma comunidade.

Segundo a legislação internacional, as limitações ao discurso livre devem atender a três condições: ser baseadas na Lei, perseguir um objetivo reconhecido como legítimo e ser necessárias à realização desse objetivo.

Dentre os objetivos considerados legítimos está a proteção dos direitos e da integridade moral de outros (proteção contra a difamação, calúnia ou injúria); a proteção da ordem pública, da segurança nacional, da saúde e do bem comum.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Chevalier_du_ciél em 18.dez.2007, 23:06:28
eu sou uma das anti praxe portante ... axo bem mas na vdd não sei se serve de grande apoio ...  :P praxe sucka lets move on pah
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 19.dez.2007, 00:18:50
E o primeiro ano só é porreiro por causa das praxes, black_mirror? E a vida académica só é vida académica por causa das praxes, black_mirror?
Título: Re: Praxe
Enviado por: L.A. em 19.dez.2007, 00:37:46
Não sou fanática pela praxe mas gosto de 'conviver'  :devil ::) com os meus caloiros  lol e com @s doutor@s tb.

Conheço algumas actividades praxistiscas de determinadas faculdades e acho um verdadeiro abuso. Nem sei como é q os caloiros de submetem a certas coisas.
Neste aspecto dou-me por feliz. No meu ano de caloira (e posteriormente) os caloiros são tratados com respeito e não há abuso por parte dos doutores.

Fico contente por ver que os caloiros estão animados é sinal que estamos a fazer um bom trabalho  ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: MindControl em 19.dez.2007, 04:32:50
Não sou fanática pela praxe mas gosto de 'conviver'  :devil ::) com os meus caloiros  lol e com @s doutor@s tb.

Conheço algumas actividades praxistiscas de determinadas faculdades e acho um verdadeiro abuso. Nem sei como é q os caloiros de submetem a certas coisas.
Neste aspecto dou-me por feliz. No meu ano de caloira (e posteriormente) os caloiros são tratados com respeito e não há abuso por parte dos doutores.

Fico contente por ver que os caloiros estão animados é sinal que estamos a fazer um bom trabalho  ;)

Sem dúvida!Felizmente comigo foi a mesma coisa.
É muito bacano quando o pessoal está todo a conviver a dizer parvoices. A ideia do 1 ano ser o "melhor" é porque o pessoal vai mais ás festas pois ainda não sabe a carga de trabalho que vem ai, conhece montes de gente, faz amizades (algumas que ficam durante toda a vida), conhece a sua nova casa e etc...não esquecer que nas praxes e maioria das festas que se fazem é para os caloiros logo o pessoal até se sente mais especial! lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 19.dez.2007, 06:40:53
Certamente. Limitei-me a fazer a minha voltinha em torno do seguinte parágrafo:

Responder
Acho estranho as pessoas gostarem de ser caloiros, sendo a praxe uma coisa "assim tao horrivel". Acho estranho acharem que o melhor ano é o primeiro. Acho estranho que a maioria das pessoas que se insurge contra a praxe nunca a tenha vivido. Acho estranho!

Eu apenas acho estranho que se seja tão ferranho a uma coisa quando já houve vários testemunhos de que as coisas não são tão assim. Aliás, permitam-me completar:

Responder
Os pela praxe e os anti-praxe.
Os pela praxe são a favor da praxe, praticando-a ou não.
Os anti-praxe são contra a praxe.

Os pela praxe que a praticam ou não mas que são criticos ao que muitos universitários fazem e está em torno disso neste tópico...

Responder
Os que se deixarem praxar e forem vitimas de violência também têm boa alternativa: QUEIXEM-SE AS AUTORIDADES COMPETENTES

Claro:
'Senhor polícia, desculpe interromper o seu dia de fazer coisa nenhuma mas é que acabaram de me pintar a cara sem eu deixar! Faça alguma coisa...'

Ou então:

'Por favor, aqueles tipos acabaram de me empurrar contra uma parede só por eu não ter aceite ser praxado como forma de me assustar e incentivar ao contrário. Faça-se justiça!'

Quem é que faz ou sequer pode alguma coisa? Quanto muito faz-se como o outro que até Deus colocou em tribunal, mas daí a que se ganhe alguma coisa com isso...

A questão é simples: há erros e é desses que se fala. Acho estranho, sim, para além do que o black_mirror denunciou achar também, que se seja tão ferranho quando a questão é sobretudo tentar resolver o que está mal!
Título: Re: Praxe
Enviado por: black_mirror em 21.dez.2007, 03:20:47
Porque não? Estas a subestimar a nossa justiça?
Título: Re: Praxe
Enviado por: dadharmabum em 21.dez.2007, 04:54:35
Preferia não o fazer.
Título: Re: Praxe
Enviado por: temporary_user em 21.dez.2007, 05:02:20
Preferia não o fazer.

Preferias não fazer queixa caso fosses vítima de violência? Porquê?
Título: Re: Praxe
Enviado por: dadharmabum em 21.dez.2007, 05:04:52
Preferia não o fazer.


Preferias não fazer queixa caso fosses vítima de violência? Porquê?


Porque preferia não o fazer.

oh pelamordadeus: http://en.wikipedia.org/wiki/Bartleby,_the_Scrivener
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 21.dez.2007, 09:07:51
Porque não? Estas a subestimar a nossa justiça?

Subestimar?
Título: Re: Praxe
Enviado por: Rogue em 25.dez.2007, 23:43:55
expulsaram-me da praxe!  ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: Thumbnail em 01.jan.2008, 10:16:08
Expulsaram-te porquê? lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Maharet em 09.mar.2008, 16:03:23
Eu tirei o meu curso na Agrária de Santarem (sim daqueles que estam (ainda) em tribunal)... e fiz parte da comissão de praxe durante 3anos... Com esta pequena introdução acho desnecessario dizer que sou a favor das praxes.. obvio que tudo com bom senso!!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Rogue em 09.mar.2008, 16:40:48
Expulsaram-te porquê? lol

recusei-me a fazer uma coisa que foi pedida so a mim porque tinha que ria para a aula.
Título: Praxe
Enviado por: atirSimao em 26.set.2008, 21:31:11
Ola pessoal
Precisava de uma ajudinha. Este ano entrou na praxe uma caloira com uma doença, lupus, ela so pode estar sentada ou de pe (pouco tempo) apoiada nas muletas. Como ve o resto dos caloiros a serem praxados e a fazerem actividades que ela n pode fazer sente se mal e triste.  :( O q eu vos peço sao ideias de actividades que todos possam fazer, incluindo ela. Passei grandes e ineskeciveis momentos na praxe o ano passado, quero que ela tb passe por eles e k nao seja so pelo problema que tem k vai impedir isso.

Deem ideias pf

thanks :)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Interpol em 27.set.2008, 15:27:21
Ola pessoal
Precisava de uma ajudinha. Este ano entrou na praxe uma caloira com uma doença, lupus, ela so pode estar sentada ou de pe (pouco tempo) apoiada nas muletas. Como ve o resto dos caloiros a serem praxados e a fazerem actividades que ela n pode fazer sente se mal e triste.  :( O q eu vos peço sao ideias de actividades que todos possam fazer, incluindo ela. Passei grandes e ineskeciveis momentos na praxe o ano passado, quero que ela tb passe por eles e k nao seja so pelo problema que tem k vai impedir isso.

Deem ideias pf

thanks :)

Bem, eu falo por mim, mas as  melhores praxes que tive foi sentado nos cafés, em confraternização com os caloiros e doutores (e nos copos, claro). Éramos obrigados a dizer de onde éramos, o nosso nome e outras coisas mais, e depois o pessoal batia palmas e todos bebíamos uma mistela qualquer que nos davam. Conheci montes de gente assim.
Título: Re: Praxe
Enviado por: pallladio em 27.set.2008, 15:51:30
confesso que nao sou grande fan de praxes... nao acho que sejam metodo nenhum de integraçao dos caloiros.
Nos unicos anos que trajei... fiz sempre questao de levar os caloiros a conhecer a faculdade e tal...
e acho que tudo o resto so serve para os "doutores" se sentirem superiores...
Título: Re: Praxe
Enviado por: Zwei em 27.set.2008, 21:26:40
Bleh! Começo o tormento esta semana. Estou cheio de vontade, claro...  :-\
Título: Re: Praxe
Enviado por: pallladio em 27.set.2008, 21:29:40
Bleh! Começo o tormento esta semana. Estou cheio de vontade, claro...  :-\

boa sorte...
Título: Re: Praxe
Enviado por: Zwei em 27.set.2008, 21:32:02
Obrigado. Hei-de sobreviver. :P
Título: Praxe
Enviado por: atirSimao em 28.set.2008, 15:09:34
obrigada pela ajuda interpol vou tentar fazer alguma coisa parecida c isso.

A nossa praxe é diferente, nós nao tratamos mal nem fazemos mal aos caloiros...fazemos actividades, jogos, concursos, ensinamos musicas e coreografias. A praxe é a integraçao dos novos alunos na universidade.. e é isso k fazemos, fui caloira o ano passado e acreditem k fiz amigos para toda a vida...toda a gente se conhece la dentro, devido a praxe. ;)

Título: Re: Praxe
Enviado por: corema em 28.set.2008, 15:25:15
Obrigado. Hei-de sobreviver. :P

Só tens de participar nas praxes se quiseres. Ninguém pode ser obrigado a participar se não concordar ou não quiser. Eu não fui praxada, nem nunca praxei ninguém. E não me venham dizer que há sítios mais complicados ou em que não podemos fazer o que quisermos. Se não quiserem participar em alguma praxe, obrigar-vos é ilegal.

Na Universidade do Minho, local onde trabalho a praxe é intensiva e dura imenso tempo. Não tem nada a ver com o sítio onde tirei o curso. Onde tirei o curso havia imensa praxe no início do ano, mas depois acabava. Aqui é mais intensiva nesta altura do ano, mas dura até à semana académica. Já houve variadíssimos problemas por causa da praxe nesta instituição e este ano, saiu uma circular interna, que nos obriga enquanto docentes e/ou funcionários a controlar o que se passa. Se formos confrontados com algum tipo de situação que possa ser considerada ofensiva ou que vá contra os estatutos internos da universidade, temos de a denunciar e intervir. Se não o fizermos seremos acusados por tabela, por negligência e conivência com tais actos.
Acho muito bem e aplaudo esta instituição, embora continue a achar que deveriam ser ainda mais radicais.
Todos os anos, somos obrigados a ouvir coisas do mais ordinário possível aos gritos. Ver alunos a fazer as figuras mais tristes possíveis, desde comerem relva a terem de limpar e arrumar a casa dos "doutores". Pessoas que são rebaixadas aos gritos em pleno campus universitário, que rastejam na lama sem motivo aparente, pessoas que se insultam com comentários homofóbicos, machistas, sexistas... Vemos também muitas praxes em que a vida sexual do caloiro é posta em praça pública, pessoas a simular actos sexuais... caloiros que ficam sem almoçar. Entre milhentas outras situações deploráveis que nem vale a pena descrever, como por exemplo aquele maravilhoso dia em que resolvem fazer os caloiros beber até cair para o lado. Nesse dia durante a tarde, podemos assistir pelo campus de gualtar a uma data de gente que se rasteja por lá em condições anormais, a vomitar por tudo quanto é sítio, ambulâncias que vêm buscar os que entram em coma alcoolico. Enfim...
Acho a praxe algo de absolutamente vergonhoso, não percebo como é que o facto de me embebedar, ou ter de comer relva, ou limpar as casas dos outros me pode ajudar a inserir na comunidade universitária. Antes pelo contrário. Caloiro não é bicho!!!! Caloiro é alguém que entrou para a universidade e que merece exactamente o mesmo respeito e regalias que todos os outros que já lá estavam e se autointitulam de doutores sem o serem.
Já agora aproveito para deixar outro aparte. Ser cardeal não é motivo de orgulho! A maior parte dos tipos que anda a praxar sendo cardeal, são uns vadios que andam na universidade a engonhar e a gastar o dinheiro do estado e dos pais sem cumprirem com a sua obrigação que é estudar e acabar o curso.
Desculpem o radicalismo, mas a cada ano que passa cada vez conheço melhor este meio e cada vez me repugna mais.
Deviam efectivamente proibir a praxe, é uma tradição que rebaixa as pessoas e alimenta elitismos parvos dentro do meio académico.

Não estou a dizer que todas as praxes são assim, mas são a maioria e o espírito da maioria dos "doutores" é esse. Acho que o fundamento da praxe está errado.
Título: Re: Praxe
Enviado por: PedroSilvaa em 28.set.2008, 15:26:28
Eu vou ter as minhas praxes amanha... tou ancioso pelo facto de td ser novidade... espero k m divirta pk n e minha intençao ir pra la sentir me humilhado
Título: Re: Praxe
Enviado por: deepsoul em 28.set.2008, 15:42:56
Eu quando estava prestes a entrar para o meu primeiro dia de praxes já lá vão 2 anos, estava apreensivo e com medo, devo confessar. Não podia ter ficado mais surpreendido, foi giríssimo. E foi giríssimo porquê? Porque são praxes fixes e sem serem abusivas. É assim que devem de ser: não abusivas. Quer queiram quer não, as praxes são um óptimo meio de aproximação e de quebrar o gelo, sobretudo entre eles mesmos (caloiros). 
Título: Re: Praxe
Enviado por: saturnine em 28.set.2008, 16:22:11
Responder
Só tens de participar nas praxes se quiseres. Ninguém pode ser obrigado a participar se não concordar ou não quiser. Eu não fui praxada, nem nunca praxei ninguém. E não me venham dizer que há sítios mais complicados ou em que não podemos fazer o que quisermos. Se não quiserem participar em alguma praxe, obrigar-vos é ilegal.

Na Universidade do Minho, local onde trabalho a praxe é intensiva e dura imenso tempo. Não tem nada a ver com o sítio onde tirei o curso. Onde tirei o curso havia imensa praxe no início do ano, mas depois acabava. Aqui é mais intensiva nesta altura do ano, mas dura até à semana académica. Já houve variadíssimos problemas por causa da praxe nesta instituição e este ano, saiu uma circular interna, que nos obriga enquanto docentes e/ou funcionários a controlar o que se passa. Se formos confrontados com algum tipo de situação que possa ser considerada ofensiva ou que vá contra os estatutos internos da universidade, temos de a denunciar e intervir. Se não o fizermos seremos acusados por tabela, por negligência e conivência com tais actos.
Acho muito bem e aplaudo esta instituição, embora continue a achar que deveriam ser ainda mais radicais.
Todos os anos, somos obrigados a ouvir coisas do mais ordinário possível aos gritos. Ver alunos a fazer as figuras mais tristes possíveis, desde comerem relva a terem de limpar e arrumar a casa dos "doutores". Pessoas que são rebaixadas aos gritos em pleno campus universitário, que rastejam na lama sem motivo aparente, pessoas que se insultam com comentários homofóbicos, machistas, sexistas... Vemos também muitas praxes em que a vida sexual do caloiro é posta em praça pública, pessoas a simular actos sexuais... caloiros que ficam sem almoçar. Entre milhentas outras situações deploráveis que nem vale a pena descrever, como por exemplo aquele maravilhoso dia em que resolvem fazer os caloiros beber até cair para o lado. Nesse dia durante a tarde, podemos assistir pelo campus de gualtar a uma data de gente que se rasteja por lá em condições anormais, a vomitar por tudo quanto é sítio, ambulâncias que vêm buscar os que entram em coma alcoolico. Enfim...
Acho a praxe algo de absolutamente vergonhoso, não percebo como é que o facto de me embebedar, ou ter de comer relva, ou limpar as casas dos outros me pode ajudar a inserir na comunidade universitária. Antes pelo contrário. Caloiro não é bicho!!!! Caloiro é alguém que entrou para a universidade e que merece exactamente o mesmo respeito e regalias que todos os outros que já lá estavam e se autointitulam de doutores sem o serem.
Já agora aproveito para deixar outro aparte. Ser cardeal não é motivo de orgulho! A maior parte dos tipos que anda a praxar sendo cardeal, são uns vadios que andam na universidade a engonhar e a gastar o dinheiro do estado e dos pais sem cumprirem com a sua obrigação que é estudar e acabar o curso.
Desculpem o radicalismo, mas a cada ano que passa cada vez conheço melhor este meio e cada vez me repugna mais.
Deviam efectivamente proibir a praxe, é uma tradição que rebaixa as pessoas e alimenta elitismos parvos dentro do meio académico.

Não estou a dizer que todas as praxes são assim, mas são a maioria e o espírito da maioria dos "doutores" é esse. Acho que o fundamento da praxe está errado.

concordo plenamente ^^
Título: Re: Praxe
Enviado por: ChildoftheMoon em 28.set.2008, 17:45:07

Só tens de participar nas praxes se quiseres. Ninguém pode ser obrigado a participar se não concordar ou não quiser. Eu não fui praxada, nem nunca praxei ninguém. E não me venham dizer que há sítios mais complicados ou em que não podemos fazer o que quisermos. Se não quiserem participar em alguma praxe, obrigar-vos é ilegal.

Na Universidade do Minho, local onde trabalho a praxe é intensiva e dura imenso tempo. Não tem nada a ver com o sítio onde tirei o curso. Onde tirei o curso havia imensa praxe no início do ano, mas depois acabava. Aqui é mais intensiva nesta altura do ano, mas dura até à semana académica. Já houve variadíssimos problemas por causa da praxe nesta instituição e este ano, saiu uma circular interna, que nos obriga enquanto docentes e/ou funcionários a controlar o que se passa. Se formos confrontados com algum tipo de situação que possa ser considerada ofensiva ou que vá contra os estatutos internos da universidade, temos de a denunciar e intervir. Se não o fizermos seremos acusados por tabela, por negligência e conivência com tais actos.
Acho muito bem e aplaudo esta instituição, embora continue a achar que deveriam ser ainda mais radicais.
Todos os anos, somos obrigados a ouvir coisas do mais ordinário possível aos gritos. Ver alunos a fazer as figuras mais tristes possíveis, desde comerem relva a terem de limpar e arrumar a casa dos "doutores". Pessoas que são rebaixadas aos gritos em pleno campus universitário, que rastejam na lama sem motivo aparente, pessoas que se insultam com comentários homofóbicos, machistas, sexistas... Vemos também muitas praxes em que a vida sexual do caloiro é posta em praça pública, pessoas a simular actos sexuais... caloiros que ficam sem almoçar. Entre milhentas outras situações deploráveis que nem vale a pena descrever, como por exemplo aquele maravilhoso dia em que resolvem fazer os caloiros beber até cair para o lado. Nesse dia durante a tarde, podemos assistir pelo campus de gualtar a uma data de gente que se rasteja por lá em condições anormais, a vomitar por tudo quanto é sítio, ambulâncias que vêm buscar os que entram em coma alcoolico. Enfim...
Acho a praxe algo de absolutamente vergonhoso, não percebo como é que o facto de me embebedar, ou ter de comer relva, ou limpar as casas dos outros me pode ajudar a inserir na comunidade universitária. Antes pelo contrário. Caloiro não é bicho!!!! Caloiro é alguém que entrou para a universidade e que merece exactamente o mesmo respeito e regalias que todos os outros que já lá estavam e se autointitulam de doutores sem o serem.
Já agora aproveito para deixar outro aparte. Ser cardeal não é motivo de orgulho! A maior parte dos tipos que anda a praxar sendo cardeal, são uns vadios que andam na universidade a engonhar e a gastar o dinheiro do estado e dos pais sem cumprirem com a sua obrigação que é estudar e acabar o curso.
Desculpem o radicalismo, mas a cada ano que passa cada vez conheço melhor este meio e cada vez me repugna mais.
Deviam efectivamente proibir a praxe, é uma tradição que rebaixa as pessoas e alimenta elitismos parvos dentro do meio académico.

Não estou a dizer que todas as praxes são assim, mas são a maioria e o espírito da maioria dos "doutores" é esse. Acho que o fundamento da praxe está errado.

Concordo Totalmente!

Daqui a uns aninhos ( 2/3 anos ) se tudo correr bem vou para a Universidade (Universidade do Minho é o meu objectivo), porém uma das minhas decisões, que já tomei, e não fazer praxe. Simplesmente não concordo com as praxes, ja vi muita coisa de que não gostei nada. =\
Título: Re: Praxe
Enviado por: PedroSilvaa em 29.set.2008, 19:13:44
Boas pessoal foi o meu primeiro dia de praxe enquanto caloiro e....

Experiencia a n repetir....

Passar um aviao termos k nos deitar no xao, tirar o sapato e dar ao colega pra ele por na cara como protecçao de uma possivel bomba xeirando o xole e vice versa é claro... Brincadeiras mesmo estupidas
Título: Re: Praxe
Enviado por: Sorriso metálico em 29.set.2008, 19:29:00
Não fui praxada, mas este ano, o barulho era tal, que o Conselho Directivo teve que acabar mais cedo com as praxes!já não há paciência para os gritos e espalhafatos a que obrigam os caloiros . Onde ando, Escola Superior de Educação de LIsboa( ESELx), obrigam os caloiros a comer toda a refeição com colher de plástico: desde a sopa até à sobremesa,mas este ano, os comiam com a boca e atados uns aos outros. De resto,nada por aí alem, uns cânticos do curso e tal...com uma musica deveras engraçada pelo meio, que é comum a todas(a maioria,são raparigas) ..lol. O cumulo,foi mesmo uma veterana ( 2º ano) andar com um megafone no refeitório( coisa pouco normal) e esse dito cujo,ainda tocava a musica do titanic...Já bem bastava a gritaria de todos os caloiros, imagem a gaja com o megafone que, volta e meia, tocava o titanic...resultado,foi la uma prof falar com a tipa pa se calarem um pouco!remédio santo..lol,calaram-se que nem ratinhos..lol
Mas apesar de tudo,uma pessoa chega a um ponto de já não poder com tanta gritaria....
O que me vale, é que é so mais este ano e acabou-se!lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: saturnine em 29.set.2008, 22:34:14
Boas pessoal foi o meu primeiro dia de praxe enquanto caloiro e....

Experiencia a n repetir....

Passar um aviao termos k nos deitar no xao, tirar o sapato e dar ao colega pra ele por na cara como protecçao de uma possivel bomba xeirando o xole e vice versa é claro... Brincadeiras mesmo estupidas

 ??? isso é idiota e não tem piada nenhuma.
as praxes deviam ser uma maneira de integrar os novos alunos, não de os humilhar. não digo andarem cm eles "ao colo", mas há determinadas brincadeiras q são ridículas e em vez de os ajudarem na sua integração no meio e de os entusiasmarem, só os deixam mais reticentes quanto à sua condição >:(
Título: Re: Praxe
Enviado por: PedroSilvaa em 29.set.2008, 22:56:04
Boas pessoal foi o meu primeiro dia de praxe enquanto caloiro e....

Experiencia a n repetir....

Passar um aviao termos k nos deitar no xao, tirar o sapato e dar ao colega pra ele por na cara como protecçao de uma possivel bomba xeirando o xole e vice versa é claro... Brincadeiras mesmo estupidas

 ??? isso é idiota e não tem piada nenhuma.
as praxes deviam ser uma maneira de integrar os novos alunos, não de os humilhar. não digo andarem cm eles "ao colo", mas há determinadas brincadeiras q são ridículas e em vez de os ajudarem na sua integração no meio e de os entusiasmarem, só os deixam mais reticentes quanto à sua condição >:(


simplesmente esta semana n volto a por la os pes quando começarem as aulas normais vou n m identifikei mto nakelas brincadeiras
Título: Re: Praxe
Enviado por: pallladio em 29.set.2008, 22:59:00
Boas pessoal foi o meu primeiro dia de praxe enquanto caloiro e....

Experiencia a n repetir....

Passar um aviao termos k nos deitar no xao, tirar o sapato e dar ao colega pra ele por na cara como protecçao de uma possivel bomba xeirando o xole e vice versa é claro... Brincadeiras mesmo estupidas

 ??? isso é idiota e não tem piada nenhuma.
as praxes deviam ser uma maneira de integrar os novos alunos, não de os humilhar. não digo andarem cm eles "ao colo", mas há determinadas brincadeiras q são ridículas e em vez de os ajudarem na sua integração no meio e de os entusiasmarem, só os deixam mais reticentes quanto à sua condição >:(


simplesmente esta semana n volto a por la os pes quando começarem as aulas normais vou n m identifikei mto nakelas brincadeiras

nao sao brincadeiras de pessoas que deviam estar no ensino superior por serem inteligentes e cultas...
é mesmo coisas basicas...
nao existe paciencia pa praxes...
lolol a pala destes comentarios em tom de voz bem alto... junto a uma comissao de praxe esta semana que passou enquanto estive no porto... ia sendo morto por uns olhares.
Título: Re: Praxe
Enviado por: castlox em 30.set.2008, 00:27:38
Fui poucos dias... rapidamente desisti pois tinha mais q fazer do q andar a rebolar no chao e a fingir q tava no familia superstar...
Título: Re: Praxe
Enviado por: whatshername em 30.set.2008, 19:02:41
Boas pessoal foi o meu primeiro dia de praxe enquanto caloiro e....

Experiencia a n repetir....

Passar um aviao termos k nos deitar no xao, tirar o sapato e dar ao colega pra ele por na cara como protecçao de uma possivel bomba xeirando o xole e vice versa é claro... Brincadeiras mesmo estupidas


começo amanha na lusofona e sinceramente nao tenho grande vontade .. se correr mal só volto qd tiver mesmo aulas

ha brincadeiras q sao estupidas e desnecessarias, em vez de integrarem o caloiro fazem o contrario
Título: Re: Praxe
Enviado por: Cali em 30.set.2008, 19:47:12
no meu ano de caloiro...
as praxes das duas primeiras semanas ate foram porreiras, mas depois aquilo tornou-se uma seca... e era uma estupides.
eles ja nao sabiam o que fazer connosco e entao mandavam-nos encher!!!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Chevalier_du_ciél em 30.set.2008, 22:00:21
Eu sou anti praxe , nunca fui praxada ... Antes de iniciar a minha vida académica já tinha decidido que achava a praxe ridicula e que portanto não me interessava participar. ::)
Título: Re: Praxe
Enviado por: FalsoDeus em 30.set.2008, 22:39:05
a minha faculdade não praxa ;D ou isso ou só antes da Queima, não percebi muito bem os rumores

either way, se o objectivo é integração, já vai tarde na Queima, por isso... ::)
Título: Re: Praxe
Enviado por: MeninO do MaR em 30.set.2008, 23:35:40
a minha faculdade não praxa ;D ou isso ou só antes da Queima, não percebi muito bem os rumores

either way, se o objectivo é integração, já vai tarde na Queima, por isso... ::)

entrar numa faculdade sem ser praxado nao tem graça nenhuma! O 1º ano de universidade é, de todos, o melhor precisamente pq ha praxe!  ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: FalsoDeus em 30.set.2008, 23:40:52
entrar numa faculdade sem ser praxado nao tem graça nenhuma! O 1º ano de universidade é, de todos, o melhor precisamente pq ha praxe!  ;D

 Lá está, como não tenho sequer opção de escolha, não sinto falta. Gostaria de ter tido, mas whatever. Provavelmente não tinha tempo para ir de qualquer maneira ^^;
Título: Re: Praxe
Enviado por: Reborn em 01.out.2008, 23:59:44
A praxe.

Antes de entrar para a Universidade pensava ser anti-praxe. Depois apercebi-me de que aquilo não tinha mesmo nada demais e resumia-se a aturar a disposição dos praxantes e ouvir palavrões pela tarde fora. Serviu defacto para melhorar a integração de toda a gente. Tenho pena daqueles que fizeram daquilo um frete. Há quem ache uma parvalheira a tradição, but then, existe tanta coisa inútil que se faz nesta vida...
Este ano perdi a cabeça e resolvi comprar o traje para poder praxar, e também porque acho um piadão coleccionar símbolos na capa e um dia ficar com a recordação. Não ando na praxe a f**** a cabeça a ninguém, mas é giro mandar os caloiros fazer coisas ridículas só porque sim. Acabamos todos a rir, praxados e praxantes, e rir faz bem à saúde.  lol

Um dos grandes defeitos de muita praxe por aí, as piadas homofóbicas. :S
Título: Re: Praxe
Enviado por: candy cane em 03.out.2008, 00:02:12
a minha faculdade não praxa ;D ou isso ou só antes da Queima, não percebi muito bem os rumores

either way, se o objectivo é integração, já vai tarde na Queima, por isso... ::)

entrar numa faculdade sem ser praxado nao tem graça nenhuma! O 1º ano de universidade é, de todos, o melhor precisamente pq ha praxe!  ;D

LOL?

Entrar numa faculdade tem graça porque temos acesso a um tipo de conhecimento que não tinhamos no ensino secundário, porque conhecemos pessoas novas, porque fazemos amigos, porque convivemos com pessoas diferentes de nós, com as quais não estariamos normalmente. Não por permitires que alguém que anda no ensino superior há mais tempo que tu te dê ordens, grite contigo, te chame nomes para só depois te tratar como "amigo".
Título: Re: Praxe
Enviado por: PedroSilvaa em 03.out.2008, 14:51:51
fim das praxes na mnha faculdade yupii lololol ja so falta mesmo o baptismo et voi la :P
Título: Re: Praxe
Enviado por: Oxalá em 03.out.2008, 17:38:42
a minha faculdade não praxa ;D ou isso ou só antes da Queima, não percebi muito bem os rumores

either way, se o objectivo é integração, já vai tarde na Queima, por isso... ::)

entrar numa faculdade sem ser praxado nao tem graça nenhuma! O 1º ano de universidade é, de todos, o melhor precisamente pq ha praxe!  ;D

[smiley=desconfortavel.gif]

no início da faculdade a última coisa de que precisava era ter alguém a gritar comigo, a humilhar-me.

(...)

Este ano perdi a cabeça e resolvi comprar o traje para poder praxar, e também porque acho um piadão coleccionar símbolos na capa e um dia ficar com a recordação. Não ando na praxe a f**** a cabeça a ninguém, mas é giro mandar os caloiros fazer coisas ridículas só porque sim. Acabamos todos a rir, praxados e praxantes, e rir faz bem à saúde.  lol

(...)

[smiley=desconfortavel.gif]
[smiley=desconfortavel.gif]

a ideia de que as praxes são para os caloiros tá errada, pelo que me vou apercebendo.
eu praxo porque quero mandar
eu praxo porque quero andar de traje
eu praxo porque quero mostrar às pessoas que tou ali há mais tempo

eu praxo porque quero integrar...? right. era bom era.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Semi_Sweet_Charity em 03.out.2008, 19:15:29
As praxes se forem bem feitas são uma optima forma de se conhecer a universidade e as pessoas, alem de tambem se poder conhecer a terra onde se irá estudar! :D
Claro que existem aqueles que nao conhecem o significado da palavra razoavel!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Reborn em 04.out.2008, 00:33:03
a minha faculdade não praxa ;D ou isso ou só antes da Queima, não percebi muito bem os rumores

either way, se o objectivo é integração, já vai tarde na Queima, por isso... ::)

entrar numa faculdade sem ser praxado nao tem graça nenhuma! O 1º ano de universidade é, de todos, o melhor precisamente pq ha praxe!  ;D

[smiley=desconfortavel.gif]

no início da faculdade a última coisa de que precisava era ter alguém a gritar comigo, a humilhar-me.

(...)

Este ano perdi a cabeça e resolvi comprar o traje para poder praxar, e também porque acho um piadão coleccionar símbolos na capa e um dia ficar com a recordação. Não ando na praxe a f**** a cabeça a ninguém, mas é giro mandar os caloiros fazer coisas ridículas só porque sim. Acabamos todos a rir, praxados e praxantes, e rir faz bem à saúde.  lol

(...)

[smiley=desconfortavel.gif]
[smiley=desconfortavel.gif]

a ideia de que as praxes são para os caloiros tá errada, pelo que me vou apercebendo.
eu praxo porque quero mandar
eu praxo porque quero andar de traje
eu praxo porque quero mostrar às pessoas que tou ali há mais tempo

eu praxo porque quero integrar...? right. era bom era.

Não entendi bem a alusão ao meu post pelo que escreveste no seu seguimento... fique claro que eu não disse que as praxes são exclusivamente para os caloiros nem o quis dar a entender. Desminto toda a gente que disser que é só para eles. A praxe é para praxantes e praxados (um à parte: e não para aquela plateia que muitas vezes se põe a assistir à dita e que me irrita bastante).

Eu praxo porque me quero divertir,  também quero um dia mandar na minha vida, não em pessoas. Andar de traje é auto-praxe para que se saiba, nem no mais frio dos dias o traje deixa de ser abafado. Eu estou efectivamente ali à mais tempo, se alguém se sentir ofendido com isso paciência. Praxante não é sinónimo de repetente nem de burro. As pessoas estão na praxe de livre vontade, ninguém é violentado se não quiser participar. É óbvio que existe alguma pressão psicológica para aqueles caloiros que pensam que têm o rei na barriga e que são independentes e estão acima da praxe. Esses caloiros ignoram que a praxe não é a uma mera inferiorização/humilhação do indíviduo, tem muito mais que ver com aprender a aceitar normativas que nos são impostas pelos outros e pela vida em comunidade (seja ela a académica). Implica engolir um sapito ou outro claro, mas isso são coisas que a pessoa tem de fazer a vida toda.
Não entendo muito bem aquelas pessoas que atacam a praxe. Deduzo que ou nunca partiparam na praxe, ou participaram e tiveram o azar de apanhar más pessoas como praxantes, ou simplesmente por uma questão de feitio são incapazes de se colocar em situações de submissão. Aos últimos aconselho vivamente a que se habituem, na praxe ou fora dela, ao longo da vida, há-de aparecer aquela situação em que vão ter de engolir um sapo (sendo que este sapo específico responde pelo nome de Orgulho). A praxe não ataca a dignidade do individuo porque é algo colectivo, de praxantes para praxados, de pessoas para pessoas que nem/mal se conhecem.
Como em tudo na vida a praxe deve ser encarada com moderação, e cabe não só aos praxantes como também aos praxados saber medir os seus limites.

Eu gostei da minha praxe e espero que os 'meus' caloiros gostem da deles. Em momentos menos formais a gente conversa e eles sabem que se houver algo que eles não querem ou não sabem fazer podem sempre dizê-lo com o risco de incorrer em penas menores, mas perfeitamente toleráveis. Fora isto quem não sabe é como quem não vê. Irrita-me ver funcionar uma espécie de preconceito contra a praxe, toma-se a parte pelo todo, e as praxes são todas horríveis e bárbaras e as pessoas dignas devem passar com toda a sua graça por cima da tradição académica. Portanto, calo-me agora. U_U
Título: Re: Praxe
Enviado por: torey em 05.out.2008, 03:20:19
a minha faculdade não praxa ;D ou isso ou só antes da Queima, não percebi muito bem os rumores

either way, se o objectivo é integração, já vai tarde na Queima, por isso... ::)

entrar numa faculdade sem ser praxado nao tem graça nenhuma! O 1º ano de universidade é, de todos, o melhor precisamente pq ha praxe!  ;D

LOL?

Entrar numa faculdade tem graça porque temos acesso a um tipo de conhecimento que não tinhamos no ensino secundário, porque conhecemos pessoas novas, porque fazemos amigos, porque convivemos com pessoas diferentes de nós, com as quais não estariamos normalmente. Não por permitires que alguém que anda no ensino superior há mais tempo que tu te dê ordens, grite contigo, te chame nomes para só depois te tratar como "amigo".

eu nao o diria melhor. vamos amar esta senhora pela sua inteligencia
Título: Re: Praxe
Enviado por: EvilMadScientist em 05.out.2008, 13:44:17

Não entendi bem a alusão ao meu post pelo que escreveste no seu seguimento... fique claro que eu não disse que as praxes são exclusivamente para os caloiros nem o quis dar a entender. Desminto toda a gente que disser que é só para eles. A praxe é para praxantes e praxados (um à parte: e não para aquela plateia que muitas vezes se põe a assistir à dita e que me irrita bastante).

Eu praxo porque me quero divertir,  também quero um dia mandar na minha vida, não em pessoas. Andar de traje é auto-praxe para que se saiba, nem no mais frio dos dias o traje deixa de ser abafado. Eu estou efectivamente ali à mais tempo, se alguém se sentir ofendido com isso paciência. Praxante não é sinónimo de repetente nem de burro. As pessoas estão na praxe de livre vontade, ninguém é violentado se não quiser participar. É óbvio que existe alguma pressão psicológica para aqueles caloiros que pensam que têm o rei na barriga e que são independentes e estão acima da praxe. Esses caloiros ignoram que a praxe não é a uma mera inferiorização/humilhação do indíviduo, tem muito mais que ver com aprender a aceitar normativas que nos são impostas pelos outros e pela vida em comunidade (seja ela a académica). Implica engolir um sapito ou outro claro, mas isso são coisas que a pessoa tem de fazer a vida toda.
Não entendo muito bem aquelas pessoas que atacam a praxe. Deduzo que ou nunca partiparam na praxe, ou participaram e tiveram o azar de apanhar más pessoas como praxantes, ou simplesmente por uma questão de feitio são incapazes de se colocar em situações de submissão. Aos últimos aconselho vivamente a que se habituem, na praxe ou fora dela, ao longo da vida, há-de aparecer aquela situação em que vão ter de engolir um sapo (sendo que este sapo específico responde pelo nome de Orgulho). A praxe não ataca a dignidade do individuo porque é algo colectivo, de praxantes para praxados, de pessoas para pessoas que nem/mal se conhecem.
Como em tudo na vida a praxe deve ser encarada com moderação, e cabe não só aos praxantes como também aos praxados saber medir os seus limites.

Eu gostei da minha praxe e espero que os 'meus' caloiros gostem da deles. Em momentos menos formais a gente conversa e eles sabem que se houver algo que eles não querem ou não sabem fazer podem sempre dizê-lo com o risco de incorrer em penas menores, mas perfeitamente toleráveis. Fora isto quem não sabe é como quem não vê. Irrita-me ver funcionar uma espécie de preconceito contra a praxe, toma-se a parte pelo todo, e as praxes são todas horríveis e bárbaras e as pessoas dignas devem passar com toda a sua graça por cima da tradição académica. Portanto, calo-me agora. U_U

clap clap clap :up

bastance sucinto e esclarecedor. Sou da mesma opinião.

Até agora os caloiros que foram praxados adoraram a semana que preparámos para eles.
Se fosse só para humilhar não creio que a Comissão e ajuda não se dessem a tanto trabalho a preparar os dias. Era só chegar lá e tudo o que viesse á baila era feito.
Nem só bárbaros e selvagens fazem as praxes.

Fazer coisas ridiculas tem duplo efeito:
Os tímidos abrem-se mais, porque depois de fazer essas tais coisas ridículas não têm muito a temer (perante os colegas) que algo que os envergonhe (expliquei-me mal, mas espero que tenham compreendido).
Os com a "crista alta" baixam-na, porque não podem continuar a manter a imagem de superiodidade perante os outros.

Se um caloiro for com espírito de divertimento e abertura só se vai divertir.
 ;D
Título: Re: Praxe
Enviado por: corema em 05.out.2008, 18:16:44
É óbvio que há praxes e praxes. No entanto, o problema é o conceito de praxe, é todo o significado e simbolismo que envolve. Na minha opinião a praxe está errada. Se querem inserir os alunos do primeiro ano arranjem outra forma qualquer de o fazer, não tem de ser praxando-os. Rituais de iniciação existem aos montes e em tudo quanto é sítio, uns errados outros certos, não sei, mas na minha opinião a praxe está errada e tem o seu quê de fascista (que por acaso é um quê muito grande). Por alguma razão por alturas de manifestações e grandes movimentos revolucionários (final dos anos 60) se acabou com as praxes. A tradição só foi repescada muito tempo depois e aos poucos foi tomando proporções cada vez maiores. A praxe está identificada com repressões e jogos de poder onde eles nunca deveriam existir.
Eu sou anti praxe, sempre fui e tenciono continuar a ser... Trabalhando numa universidade aproveito todos os meios que posso para contrariar a sua existência.
Título: Re: Praxe
Enviado por: risingstranger em 06.out.2008, 13:08:51
a minha faculdade não praxa ;D ou isso ou só antes da Queima, não percebi muito bem os rumores

either way, se o objectivo é integração, já vai tarde na Queima, por isso... ::)

entrar numa faculdade sem ser praxado nao tem graça nenhuma! O 1º ano de universidade é, de todos, o melhor precisamente pq ha praxe!  ;D
É óbvio que há praxes e praxes. No entanto, o problema é o conceito de praxe, é todo o significado e simbolismo que envolve. Na minha opinião a praxe está errada. Se querem inserir os alunos do primeiro ano arranjem outra forma qualquer de o fazer, não tem de ser praxando-os. Rituais de iniciação existem aos montes e em tudo quanto é sítio, uns errados outros certos, não sei, mas na minha opinião a praxe está errada e tem o seu quê de fascista (que por acaso é um quê muito grande). Por alguma razão por alturas de manifestações e grandes movimentos revolucionários (final dos anos 60) se acabou com as praxes. A tradição só foi repescada muito tempo depois e aos poucos foi tomando proporções cada vez maiores. A praxe está identificada com repressões e jogos de poder onde eles nunca deveriam existir.
Eu sou anti praxe, sempre fui e tenciono continuar a ser... Trabalhando numa universidade aproveito todos os meios que posso para contrariar a sua existência.

LOL?

Entrar numa faculdade tem graça porque temos acesso a um tipo de conhecimento que não tinhamos no ensino secundário, porque conhecemos pessoas novas, porque fazemos amigos, porque convivemos com pessoas diferentes de nós, com as quais não estariamos normalmente. Não por permitires que alguém que anda no ensino superior há mais tempo que tu te dê ordens, grite contigo, te chame nomes para só depois te tratar como "amigo".

eu podia falar mas... é isto que elas as duas disseram. se a 'coisa' está ideologicamente errada que bem pode advir dela?  e isso de se usar a integraçao humana como moeda de troca é completamente errado, e tem um peso indiscutivel na mente das pessoas. é obvio que toda a gente tem livro arbitrio mas isso é uma condicionante.

além disso há a presunçao de que uns são melhores que outros. (pk?!  :o) enfim...
Título: Re: Praxe
Enviado por: mIsS em 06.out.2008, 19:01:09
A praxe.

Antes de entrar para a Universidade pensava ser anti-praxe. Depois apercebi-me de que aquilo não tinha mesmo nada demais e resumia-se a aturar a disposição dos praxantes e ouvir palavrões pela tarde fora. Serviu defacto para melhorar a integração de toda a gente. Tenho pena daqueles que fizeram daquilo um frete. Há quem ache uma parvalheira a tradição, but then, existe tanta coisa inútil que se faz nesta vida...
Este ano perdi a cabeça e resolvi comprar o traje para poder praxar, e também porque acho um piadão coleccionar símbolos na capa e um dia ficar com a recordação. Não ando na praxe a f**** a cabeça a ninguém, mas é giro mandar os caloiros fazer coisas ridículas só porque sim. Acabamos todos a rir, praxados e praxantes, e rir faz bem à saúde.  lol

Um dos grandes defeitos de muita praxe por aí, as piadas homofóbicas. :S

O cântico do meu curso "goza" com os homessexuais.... ao apelidar os engenheiros de p*********. Acho uma tremenda falta de gosto, já para não falar que dividiram os caloiros por grupos com uma certa temática e duas delas gozavam claramente com os LGB e para meu espanto também com os T!
 :-\

Título: Re: Praxe
Enviado por: Reborn em 06.out.2008, 23:17:42
A praxe.

Antes de entrar para a Universidade pensava ser anti-praxe. Depois apercebi-me de que aquilo não tinha mesmo nada demais e resumia-se a aturar a disposição dos praxantes e ouvir palavrões pela tarde fora. Serviu defacto para melhorar a integração de toda a gente. Tenho pena daqueles que fizeram daquilo um frete. Há quem ache uma parvalheira a tradição, but then, existe tanta coisa inútil que se faz nesta vida...
Este ano perdi a cabeça e resolvi comprar o traje para poder praxar, e também porque acho um piadão coleccionar símbolos na capa e um dia ficar com a recordação. Não ando na praxe a f**** a cabeça a ninguém, mas é giro mandar os caloiros fazer coisas ridículas só porque sim. Acabamos todos a rir, praxados e praxantes, e rir faz bem à saúde.  lol

Um dos grandes defeitos de muita praxe por aí, as piadas homofóbicas. :S

O cântico do meu curso "goza" com os homessexuais.... ao apelidar os engenheiros de p*********. Acho uma tremenda falta de gosto, já para não falar que dividiram os caloiros por grupos com uma certa temática e duas delas gozavam claramente com os LGB e para meu espanto também com os T!
 :-\



Pois, como disse as coisas que mais desgosto é precisamente a homofobia (nunca vi transfobia). Quando os caloiros dos doutores gritam "Em cada engenheiro há um p********" fico um tanto triste porque penso "Antes assim fosse... :-\". Mas pronto nem tudo na vida são rosas...

E para acrescentar, não sabia nada dos antecendentes da praxe que a Corema mencionou, mas continuo a não ver o porquê de acabar com a praxe. Para a minha geração a praxe já está desprendida desse simbolismo do passado, é só uma brincadeira parva. E a desculpa de que é integração também não a considero como argumento muito válido, dado que há mesmo outra maneiras mais construtivas de integrar os caloiros. Pronto, a praxe é brincadeira pela parvalheira brincadeira, nada mais :p
Título: Re: Praxe
Enviado por: SuedeGirl em 11.jan.2011, 18:51:28
Adorei a minha praxe mesmo...também na FLUL não se passa mesmo nada, comparada com outros casos.
Diverti-me imenso, passeamos pela cidade, conheci colegas e veteranos até de outros cursos, foi um convívio excelente, bons tempos mesmo que recordo com muita saudade. Também praxei mas aconteceu tudo num ambiente saudável, nada que pusesse em causa a integridade das pessoas, e recordo que os caloiros nessa altura também gostaram imenso.
Agora, é certo que existem outras praxes, e há coisas que são realmente inadmissíveis, e os caloiros podem/devem recusar serem praxados.
Título: Re: Praxe
Enviado por: tesoura em 17.jan.2011, 21:29:19
...Bem a minha 1ª praxe foi fantástica!! ADOREI!! Foi na ESCS! toda a faculdade participou...dividiram os caloiros em equipas e dps tivemos que jogar contra equipas! foi bem divertido! (ainda assim não escapei de fazer de croquete pelo menos uma vez)! a minha 2ª praxe...(pk no entanto mudei de faculdade) foi um bocado morna...mas deu para conhecer as pessoas e criar laços! Este ano fui chefe de praxe e também fizemos jogos populares com os caloiros! tipo futebol humano caloiros versus veteranos, jogo do lenço etc... pensámos em promover laços entre os mais novos e os mais velhos!! Os caloiros gostaram tanto que agora só pensam em ser eles a praxar LOL! Por isso axo que os tratámos bem  :devil
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 03.jul.2011, 03:19:07
Eu tive e ainda ando a ter um muito má esperiencia devido as praxes.

Na minha faculdade (ISEL) é muito frequente haver cânticos muito homofobicos como nomes como p******** e afins simulações de actos de actos sexuais onde a homossexualidade é tida com uma coisa negativa e repugnante , e essa homofobia acaba por ser transposta para todo o ambiente académico/escolar.
Acontece que eu descobri a minha homossexualidade quando ja estava no 2º ano na minha faculdade, apesar de estar no 1º ano do curso por eu ter mudado de curso, e o que eu senti foi uma enorme repressão e um enorme panico. Devido a toda a homofobia que se vive senti que ia ser escluido e mal tratado se fosse descoberto, senti-me mal em estar na faculdade, senti que não era bem vindo la, senti que la eu não pdia ser "eu" sobe pena de ser escluido. Devido a iso tudo o meu rendimento escolar descheu imenso.
Entretanto acabei por me assumir e contei ao pessoal as razões porque eu me sentia mal, e o resultado foi muito negativo, disseram que não ia para os comentários so por haver um gay na faculdade e nos tínhamos de apanhar com aquilo e aguentar, cheguei a falar e  expor a minha situação a pessoal que pertence a comissão de praxes tendo obtido o mesmo resultado
Devido a essas situações eu fui pedir apoio ao gabinete de apoio ao aluno na minha faculdade, o qual me pedui para espor o caso por escrito ao presidente do isel, assim o fiz e não obtive resultados práticos nenhuns. Devido a isso decidi fazer uma denuncia do que se passava a inspecção geral do ensino superior onde espos o meu caso, e dai resultou um auto de declaração que foi enviado ao ISEL e ao IPL , tendo resultado num inquérito onde são confirmados esses caticos homofobicos , mas esses são considerados aceitaveis, por supostamente não serem dirigidos a ninguém e de serem tradição la a muito tempo. Para alem disso relatei o caso ao observatório da educação da rede ex aequo, donde o meu caso apareceu referido no meu ultimo relatorio e onde foi noticiado na comunicação social.
Resultado, agora ando a sofrer uma grande retaliação verbal e psicológicas, com ameaças indirectas a minha integridade fisica, o pessoal passa a vida a mandar-me bocas e apontar-me o dedo, os meus supostos amigos abandonaram-me completamente, sinto um grande hostilidade no ambiente na faculdade e sinto-me completamnete sozinho, não tenho apoio ninhum por parte do ISEL, e até tenho receio de vir a ser prejudicado nas notas. O que vale é que tenho tido apoio de verdadeiros amigos de fora e que se não fossem eles eu não estaria aqui hoje...

Fica aqui o meu desabafo.




Título: Re: Praxe
Enviado por: doorbell em 05.dez.2011, 14:23:20
Tenho a dizer que fui praxada e gostei muito.
Estava receosa, pois já tinha ouvido várias opiniões e histórias menos boas, e acredito que muitas sejam verdade. Mas pelo ISCTE, é tudo muito no âmbito de integrar os caloiros e tornar uma experiência memorável e divertida.
Adorei a experiência  e penso que a praxe não deve ser generalizada pois cada faculdade e alunos "faz" da praxe algo diferente.

Fica aqui um pequeno testemunho meu  :)
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 06.dez.2011, 00:08:56
Confesso que tive muita pena de não ter praxes como deve ser.
Onde eu estudo não há espírito de integração, grande do pessoal que usa o trage e que anda nisso faz por vaidade e para ganhar superioridade sobre os outros, pelo menos foi o que eu senti
Título: Re: Praxe
Enviado por: Spedy em 28.abr.2012, 03:54:26
JDelgado, espero que as coisas pelo ISEL andem mais calmas este ano  ;)

lettes és de que curso no ISCTE?

Eu sou praxante no ISCTE há algum tempo, tendo sido este ano em que participei mais (nos outros anos não participava muito na primeira semana de praxe, porque estava sempre ausente)! Lembro-me bem do ano em que fui praxado. Faltei há primeira semana de praxe, porque tinha medo e estava a trabalhar na altura. Entretanto fui praxado com os caloiros de 2ª fase. Não foi nada de especial. Numa hora já estávamos despachados. Ao longo do ano não fui mais praxado, nem me lembro se houve praxe ou não, mas por não me conhecerem talvez não dissessem nada. Lembro-me perfeitamente que foi o enterro do caloiro no ISCTE que me marcou mais, porque foi aí que vi um espírito de união enorme e um gosto pela praxe gigante, que me fez arrepender imenso (até hoje) de ter faltado à primeira semana de praxe!

No entanto, todas as vezes que praxo tento sempre incutir respeito, responsabilidade, diversão e união entre os caloiros, mas especialmente tento sempre transmitir aquele sentimento que tive no enterro do caloiro! Afinal, a praxe não é apenas para fazer brincadeiras parvas! No fundo, pode ser também uma lição de vida! Afinal, o que é feito na praxe, é feito ao longo da vida! A praxe serve para que se conheçam com mais facilidade, mas também serve para que aprendam que são todos tratados com o mesmo respeito e nenhum caloiro está acima de outro! Durante a praxe, aprendem que devem ter regras e cumpri-las! Essencialmente, serve para que os caloiros se divirtam ao máximo, porque a praxe é feita a pensar neles e para eles! Pelo menos é assim que é feita no meu curso! Acredito e espero que seja assim feita no ISCTE! E desejava imenso que fosse assim praticada por todo o país!
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 30.abr.2012, 00:39:45
Aqui no Isel as coisas andam mais ou menos
Eu na praxe, não gosto muito do estilo militarista da sena e o baixo nível de linguagem,alem de anularem completamente a personalidade dos caloros, eu pessoalmente não gosto nem admitio que me trantem dessa maneira seija na praxe seja onde for.
Em em relação as regras, eu não gosto de ter pessoal a mandar em mim e na minha vida só porque andam na faculdade a mais tempo. Se há coisa que eu preso muito é a minha libedade para ser quem sou e a minha identidade, e acho que isso é retirado ou não é respeitado nas praxes
Outra coisa que eu não gosto muito é os jogos/chatagem emocionais que fazem com os caloiros que não querem partecipar em alguma actividade e/ou praxe, alem de os jogos de poder que acontecem nos bastidores
Título: Re: Praxe
Enviado por: Spedy em 30.abr.2012, 03:37:07
Essa questão do respeitar os caloiros, abuso de poder, etc. Existe em todo o lado, a questão é como as coisas são feitas!
Regras e respeito na praxe, sempre existiu e sempre irá existir. Como é óbvio, tanto caloiros como praxantes têm de ter respeito mútuo! Não é por te mandarem fazer cenas na praxe, que não te estão a respeitar!
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 01.mai.2012, 03:02:35
Eu acho que as coisas não são tão leves como tu dizes, pelo menos pela minha esperiencias.
Acho que a praxe de momento é muito agressiva e noto que os veteranos são muitas vezes agressivos com os caloiros, e depois fazem sempre um grande chantagem emocional para os caloiros participar em actividade que até nem se sentem bem a vontade e que não queria fazer, fazer-nos porque simplesmente foram forçados, para se integrarem no grupo, sobre o risco de serem apontados e de serem escluidos do grupo, basta olhar para a cara deles para se perceber isso, eu as vejes fico com muita pena deles so de olhar para as caras. e alem disso é muito facil os caloiros caírem nesses jogos, estão no sitio onde não conhecem ninguem, muitas veses a viver numa terra onde nunca tiveram, é mais que óbvio que eles estão numa posição bastante fragis psicologicamente e/ou emocionalmente e os veteranos aproveita-se muito disso.
Eu pessoalmente não me senti integrado de forma alguma, muito pelo contrario, só me senti escluido por não me sentir avontade na àquele tipo de ambiente
Título: Re: Praxe
Enviado por: Spedy em 01.mai.2012, 04:28:21
Não vou dizer isto porque apenas quero dizer que os outros é que fazem mal e nós não. Mas também depende bastante da faculdade (espírito académico que é lá vivido) e especialmente do curso em questão. Por exemplo na minha faculdade a praxe é do melhor que pode haver, mesmo existindo pessoas que não gostam. Mas a praxe também varia de curso para curso, mas o principal está lá: desejo que os caloiros se divirtam! Falo apenas pelo meu curso, mas quando alguém não quer participar, conversamos com a pessoa para tentar que participe e se divirta, mas se não quiser não obrigamos ninguém e muito menos a iremos excluir futuramente!

Mas principalmente, depende sempre do sítio onde se esteja a estudar
Título: Re: Praxe
Enviado por: Pulse em 06.out.2012, 18:22:23
Leiam este texto, que me parece de todo pertinente.  :)

Citação de: João Mineiro ([url]http://www.esquerda.net/opiniao/praxe-acad%C3%A9mica-percursos-significados-e-formas-de-combate/24906[/url])
Praxe Académica: percursos, significados e formas de combate

Qualquer tipo de ativismo que queira contrariar a praxe e o que ela representa não se faz nunca com base na hostilização das pessoas que nela participam, mas sim na criação de espaços alternativos, que preenchendo a função da praxe, podem, com tempo, esvaziar a sua hegemonia.

OPINIAO | 5 OUTUBRO, 2012 - 00:38 | POR JOÃO MINEIRO
1. Percursos

Nas universidades, nos jardins, nos transportes, nas praças, dezenas de pessoas vestidas de preto dão ordens a outras, que fielmente e de olhos no chão obedecem. Chama-se praxe académica. E ainda arrasta multidões.

A praxe académica é um ritual transversal em quase todas as instituições universitárias. Acontece essencialmente nas primeiras semanas do ano letivo e é a partir dela que se organizam quase todas as iniciativas de início do ano. Mas nem sempre foi assim.

Desde a institucionalização da praxe, na Universidade de Coimbra, muita alteração se fez ao seu objetivo e à sua prática. Desde a sua proibição por D. João V - "Hey por bem e mando que todo e qualquer estudante que por obra ou palavra ofender a outro com o pretexto de novato, ainda que seja levemente, lhe sejam riscados os cursos."-, a praxe sofreu, no século posterior, século XIX, uma alteração profunda caracterizada pelo aumento da violência. No século XIX, a praxe mais comum era o canelão – prática que consistia nos estudantes mais velhos darem pontapés nas canelas dos novos alunos – e também o rapanço – que consiste em rapar pelos aos estudantes. Em 1902, o canelão foi abolido mas só com a implantação da República é abolida a praxe. Durante o Estado Novo esta é recuperada, e novamente se dissipa a seguir ao 25 Abril, fruto de tempos em que outros motivos estimulavam a organização coletiva.

A praxe, como a conhecemos hoje, é fruto de uma densificação pós Abril, em particular fruto massificação praxista dos anos 70. A praxe foi (re)implantada nas décadas posteriores e foi acompanhada pela tomada das Associações Académicas pelas juventudes partidárias dos partidos do poder. Associações Académicas que continuam a ser importantes estruturas de base e apoio da cultura praxista. O próprio livro sobre a história da JSD mostra como a praxe foi estruturante para a hegemonia da direita nas Universidades. Com a massificação da praxe, os rituais institucionalizam-se, as hierarquias ganham força, os rituais multiplicam-se de ano para a ano, e cria-se, ainda que simbolicamente, a ideia de “tradição académica”. É essa a “tradição” com que quase todos os estudantes de primeiro ano se deparam.

2. Significados

O conceito de praxe é marcadamente polissémico, isto é, um conceito a que diferentes pessoas atribuem diversos significados. Mas ela é marcada também por um processo de institucionalização através de regulamentos que definem regras e incrustam códigos simbólicos e morais. Seja a maioria dos estudantes ou não, é verdade que a praxe arrasta multidões e não tenho dúvidas em afirmar que a maioria dessas multidões participa na praxe porque nela conhece pessoas, cria grupos, gera amizades, produz solidariedade coletiva. Mas esses pressupostos, que me parecem maioritários em quem no primeiro dia decide ir à praxe, não nos devem impedir de fazer a crítica política e cultural.

A praxe é uma estrutura profundamente hierárquica, apoiada num tipo de organização forte e com regras rígida. Por todos os casos que conhecemos podemos com firmeza dizer que a praxe é violenta física, simbólica e psicologicamente. Aproveita-se de fragilidades pessoais, de estigmas e de preconceitos hegemónicos. É profundamente machista, promove uma submissão da mulher e do seu corpo perante a virilidade da masculinidade. É homofóbica, exortando o uso de expressões como “gay”, “p********”, “vão levar no c*”, “vão ser enrabados” como sinónimos de insulto a outros cursos ou escolas. É antidemocrática, baseada em ordens e imposições, sobre as quais os caloiros têm o dever de obedecer, olhando para o chão e não levantando objeções.

3. Formas de combate

Para muitos estudantes a praxe é a única forma que têm de, no início do ano, conhecerem pessoas e se sentirem familiarizados com o curso, a universidade e a cidade. A praxe cria amizades, integra, gera redes futuras de companheirismo e gera solidariedades grupais. Mas ela só parece ser praticamente inquestionável pela maioria dos estudantes porque não existem, de facto, iniciativas alternativas no início do ano, capazes de preencher essas funções. Por muito que se proclamem apelos a iniciativas alternativas à praxe, as experiências concretas que temos neste ano, estão reduzidas a experiências de uma ou duas Associações de Estudantes que criaram estes espaços.

Qualquer tipo de ativismo que queira contrariar a praxe e o que ela representa não se faz nunca com base na hostilização das pessoas que nela participam, mas sim na criação de espaços alternativos, que preenchendo a função da praxe, podem, com tempo, esvaziar a sua hegemonia. E isso depende do trabalho de base e da capacidade de construir ideias e iniciativas nas Universidades. Só gerando redes de socialização de outro tipo, a praxe pode perder o espaço que ocupa. Deve ser essa a direção do combate democrático à praxe.

Além disso, só levando a política para as universidades pode ser contrariado o caciquismo. Só disputando cultural e politicamente as universidades, as opressões e as estruturas representadas pela praxe podem ser questionadas e postas em cheque. É esse o desafio coletivo que nos interpela. É essa a responsabilidade sobre a qual não poderemos falhar.

Se a praxe se conseguiu implementar com tanta força não há nenhuma razão para que a democracia e a igualdade na integração não se possam implementar também. Afinal de contas, nenhum de nós tem menos capacidade que os praxistas.
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 08.out.2012, 00:19:51
Ja tinha lido isso no face.
Acho que é um artigo muito pertinente e sobrescrevo o que esta escrito
Título: Re: Praxe
Enviado por: Safira em 08.out.2012, 00:38:07
As pessoas parece que acham que quanto mais humilhante for a praxe, mais digno do curso será o aluno.
Ás vezes parece que realmente é assim que pensam  [smiley=chicote.gif]
Título: Re: Praxe
Enviado por: Spektrum em 25.jan.2014, 20:59:24
Em 4 horas, uma página em defesa da praxe no facebook conseguiu cerca de 5 mil "likes", enquanto que, por exemplo, uma página em defesa da coadopção por casais homossexuais conseguiu os mesmos "likes" no período de uma semana.
Sinceramente, e com convicções pessoais à parte, isto só revela que os nossos estudantes se preocupam mais com a defesa de tradições cuja verdadeira origem desconhecem do que com questões sociais urgentes. São estes os cidadãos que as universidades educam para o futuro. Uma verdadeira fornada de gente vazia de conteúdo e inerte intelectual e socialmente. Revolta-me, bastante!

Fixe é suportar uma ditadura camuflada num sistema autoritário e hierárquico mas, ao mesmo tempo, bué de fixe porque somos sociais e integrados na vida académica. Incute-se a passividade e o espírito maria vai com as outras, partilham-se fotografias ilegais de exames de outros anos e tenta-se passar ao máximo de cadeiras por meios pouco ortodoxos. Ao mesmo tempo, contribui-se para o aumento de doentes em lista de espera para transplantes hepáticos e pratica-se um bullying socialmente aceite, vulgo praxe. Já para nem falar no dinheiro a fundo perdido gasto pelos cabeções que contam já com dois dígitos de matrículas.
E, no fundo, é isto que se transmite naquilo a que chamam o espírito académico (praxe): como ser bem sucedido socialmente, enquanto se obtém sucesso e mérito através de acções fraudulentas. A praxe é apenas um espelho da sociedade que temos.

Sou contra a praxe. Mas reconheço que existem algumas praxes, em pouquíssimas universidades, que são positivas e uma boa ajuda na integração. Mesmo assim, são apenas uma gota no oceano. O cenário global é completamente diferente.

Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: Praxe
Enviado por: PsyGirl_Av em 25.jan.2014, 22:38:33
Concordo em completo, Spek. Haters gonna hate, mas a vida é mesmo assim. É uma vergonha como certas práticas desprovidas de civismo ganham um apoio exacerbado por conta de pressões sociais. É tudo um ritual, semelhante aos que são praticados em tribos do suposto terceiro mundo (e nós é que somos desenvolvidos?!). Felizmente, nem sempre os ditos praxantes são tão drásticos e ditadores, pelo que pessoalmente não tive grandes problemas (mesmo assim tive pequenos arrufos). Fui praxada (digamos que cedi à pressão social, era ingénua), mas não praxei. Não podia dar continuidade a algo com o qual discordo - seria hipócrita. Mas, ao contrário das notícias recentes, não culpabilizo unicamente os supostos doutores... Os caloiros são responsáveis por se colocarem na posição de submissos. Sim, têm pressões sociais, e é complicado não ceder quando se está sozinho numa cidade desconhecida e sem qualquer suporte social. No entanto, existe muita vida para lá das praxes, e as amizades também surgem para os chamados anti-praxe. Claro que existem os alunos que gostam de ser praxados e de, posteriormente, praxar. Mas isso é um escolha, por isso os alunos também têm direito de dizer "não", sem sofrer pressões. Esse é o problema! Aceita-se que queiram ser praxados (são uns porreiros!), mas quando alguém se recusa, quase que existe uma "sabotagem" por parte dos veteranos, de modo a os outros caloiros rejeitarem as ovelhinhas negras. Além de tudo isso, existem as práticas associadas à praxe, as quais chocam com os meus ideiais: homofobia (sim, existe!), consumo excessivo de álcool (deixa os caloiros mais festivos), constantes brincadeiras de teor sexual e desperdício de alimentos para sujar os caloiros.

Acima de tudo, haja respeito, civismo e bom-senso! Querem ajudar à integração? Então parem de massacrar física e psicologicamente os membros mais recentes das vossas academias (pelo menos, aqueles que não querem).
Título: Re: Praxe
Enviado por: HigherThanMe em 26.jan.2014, 04:46:48
As discussões hilariantes que eu tenho lido, no facebook, à custa da praxe. É tudo a mudar fotos de perfil. Sicraninho gostou do evento "A culpa é da praxe", fulaninho gostou da página "Pela praxe académica". Jeez, são tipo máfia. Adoro especialmente o argumento "Não se fala na praxe". E com isto não quero dizer que sou anti-praxe, mas convenhamos que há situações caricatas.

A minha opinião no meio disto tudo é a seguinte: para um evento cívico não se mobilizava nem 1/4 dos jovens. #shame
Título: Re: Praxe
Enviado por: woman_angel em 26.jan.2014, 11:59:45
Os temas tem a importancia que as pessoas lhes dao. Eu como estudante d Coimbra vivi toda a tradiçao académica (das mais fortes segundo dizem por ai). Praxei e fui praxada, trajei e vi trajarem e jamais precisei d m submeter a situaçoes de submissão ou de ridicularidade.. as praxes que vivi foram d integraçao, foram d jogos colectivos, angariaçao d alimentos/recolha para instituiçoes por ai fora... nunca ngm m ofendeu como eu tambem nao ofendi quem chegou dp d mim.
É tao simples como: ngm obriga nada a ninguem, as pessoas sao maiores d idade e livres d se declararem anti praxe ou d se recusarem a praxes humilhantes.
Com isto nao estou a defender mas a dizer que ha praxes e praxes. So faz parte quem quer e eu fiz sp parte porque me respeitaram, caso contrario ngm me apanhava la.

Enviado do meu GT-S7582 através de Tapatalk

Título: Re: Praxe
Enviado por: Arch em 26.jan.2014, 16:57:43
Os temas tem a importancia que as pessoas lhes dao. Eu como estudante d Coimbra vivi toda a tradiçao académica (das mais fortes segundo dizem por ai). Praxei e fui praxada, trajei e vi trajarem e jamais precisei d m submeter a situaçoes de submissão ou de ridicularidade.. as praxes que vivi foram d integraçao, foram d jogos colectivos, angariaçao d alimentos/recolha para instituiçoes por ai fora... nunca ngm m ofendeu como eu tambem nao ofendi quem chegou dp d mim.
É tao simples como: ngm obriga nada a ninguem, as pessoas sao maiores d idade e livres d se declararem anti praxe ou d se recusarem a praxes humilhantes.
Com isto nao estou a defender mas a dizer que ha praxes e praxes. So faz parte quem quer e eu fiz sp parte porque me respeitaram, caso contrario ngm me apanhava la.

Enviado do meu GT-S7582 através de Tapatalk

Comigo passou-se o mesmo. Aderi à praxe enquanto caloiro, não me senti humilhado e houve o bom senso de fazerem pequenos jogos e brincadeiras; havia a opção de querer ou não ser praxado, e ninguém foi excluido de nada. Mas, naturalmente, percebo a "pressão", pois muitos colegas meus vinham de fora (e isto aconteceu em Lisboa), sem conhecer ninguém, e este foi o primeiro contacto com novas pessoas. No ano a seguir praxei, foi decidido manter o mesmo espirito e felizmente o feedback foi igualmente bom.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Tex em 27.jan.2014, 11:17:49
Relativamente à minha experiência de praxe, o que posso dizer é que nunca me senti humilhado nem nunca me obrigaram a fazer nada do que não quisesse. E assim o fiz com os meus caloiros, no ano passado. Fizemos brincadeiras, contámos piadas, fizemos teatros, tanta coisa...! O meu curso é relativamente pequeno: entram 25 a 30 pessoas por ano e a maior parte delas é anti-praxe. Confesso que, no meu ano, houve uma grande cisão entre os anti e os pró-praxe, com o grupo de praxe a ser muitas vezes excluído de actividades da turma. No entanto, regra geral é que o curso dá-se todo bem, não se nota qualquer atrito entre os grupos que já referi. Aliás, muitas vezes, no ano passado, os doutores deram aulas de apoio aos alunos do primeiro ano e, umas vezes mais, outras menos, muitas pessoas apareceram.

Compreendo igualmente que existam praxes violentas e sem qualquer nexo. Já assisti a esses momentos, mas também já vi as situações a serem resolvidas. Aliás, na minha Universidade (Minho), os órgãos máximos da praxe começam desde o início a andar de olho em cursos que sejam mais problemáticos (inclusive, uma comissão de praxe já foi desfeita). De qualquer forma, relativamente a essas situações, sou completamente a favor que sejam tomadas medidas que as possam, de facto, contrariar. Recuso-me, contudo, a ver as praxes a serem proibidas, porque, e falando no meu caso outra vez, quando fui para Braga, vindo de uma terra do interior de Portugal, foram essas mesmas praxes que me ajudaram. Libertei-me, abri os olhos, senti-me mais eu e, ao contrário do que já li num comentário aleatório noutro site, fiz amigos para a vida. E sei que os fiz.

Tudo isto para dizer o quê?
Há que haver bom senso naquilo que se faz ou se deixa de fazer. Todos nós temos a liberdade para dizer sim ou não. Acho que todos nós possuímos aquilo a que se chama livre-arbítrio e, portanto, temos mais do que a capacidade em escolher o que queremos. Eu tive a sorte de ter uma experiência de praxe (enquanto caloiro e enquanto praxante) muito boa e, para ser sincero, gostava de transmitir isso às gerações futuras.

É apenas a minha opinião ;) 
Título: Re: Praxe
Enviado por: castlox em 27.jan.2014, 14:11:55
Eu devo ter ido à praxe uns 2 ou 3 dias... não fui mais pq achei que não era para mim, mas tb pq n me sentia mto bem com todo aquele ambiente. E quando digo q n me sentia bem, n era por ser mal tratado (pq não o fui), mas sim pq era inseguro e decidi não enfrentar certas coisas. Entretanto já se passaram uns 6 anos e já sou completamente diferente. Sou mais confiante e se fosse hoje nem pensava duas vezes: ia à praxe.  Aliás hj em dia arrependo-me bastante de não ter ido, pq são aquele tipo de coisas que só se pode viver numa certa altura da vida.

Claro que acho que nada deve cair em exagero, mas na maioria das vezes não é. Eu concordo com a praxe quando o objectivo desta é a integração.

Relativamente do que aconteceu no Meco... realmente foi triste, mas não me parece que ninguém deva ser processado ou julgado pelo que aconteceu. pelo que percebi o ritual seria entrar no mar. O problema foi eles não conhecerem a zona...
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 01.fev.2014, 15:44:17
Eu tive e ainda ando a ter um muito má esperiencia devido as praxes.
 Na minha faculdade (ISEL) é muito frequente haver cânticos muito homofóbicos como nomes como paneliro e afins simulações de actos de actos sexuais onde a homossexualidade é tida com uma coisa negativa e repugnante , e essa homofobia acaba por ser transposta para todo o ambiente académico/escolar.
 Acontece que eu descobri a minha homossexualidade quando ja estava no 2º ano na minha faculdade, apesar de estar no 1º ano do curso por eu ter mudado de curso, e o que eu senti foi uma enorme repressão e um enorme panico. Devido a toda a homofobia que se vive senti que ia ser escluido e mal tratado se fosse descoberto, senti-me mal em estar na faculdade, senti que não era bem vindo la, senti que la eu não pdia ser "eu" sobe pena de ser escluido. Devido a isto tudo o meu rendimento escolar desceu imenso.
 Entretanto acabei por me assumir e contei ao pessoal as razões porque eu me sentia mal, e o resultado foi muito negativo, disseram que não ia para os comentários so por haver um gay na faculdade e nos tínhamos de apanhar com aquilo e aguentar, cheguei a falar e expor a minha situação a pessoal que pertence a comissão de praxes tendo obtido o mesmo resultado
 Devido a essas situações eu fui pedir apoio ao gabinete de apoio ao aluno na minha faculdade, o qual me pedui para espor o caso por escrito ao presidente do isel, assim o fiz e não obtive resultados práticos nenhuns. Devido a isso decidi fazer uma denuncia do que se passava a inspecção geral do ensino superior onde espos o meu caso, e dai resultou um auto de declaração que foi enviado ao ISEL e ao IPL , tendo resultado num inquérito onde são confirmados esses caticos homofobicos , mas esses são considerados aceitaveis, por supostamente não serem dirigidos a ninguém e de serem tradição la a muito tempo. Para alem disso relatei o caso ao observatório da educação da rede ex aequo, donde o meu caso apareceu referido no meu  relatorio de 2011 e 2013 e onde foi noticiado na comunicação social.
 Resultado,  sofri uma grande retaliação verbal e psicológicas, com ameaças indirectas a minha integridade fisica, o pessoal passa a vida a mandar-me bocas e apontar-me o dedo, chegando ao ponto de inclusive terem me gozado em frente de toda a gente quando eu ia a casa de banho , os meus supostos amigos abandonaram-me completamente, sinto um grande hostilidade no ambiente na faculdade e sinto-me completamente sozinho, não tive muito apoio  por parte do ISEL,  O que vale é que tenho tido apoio de verdadeiros amigos de fora e que se não fossem eles eu não estaria aqui hoje


 Isto foi escrito por um colega meu num grupo do face onde eu alertava os meus colegas para o facto de andar um individuo dentro do campos onde me assaltou dentro de um pavilhão de aulas
"ueres o apoio dos estudantes do isel? devias ter pensado nisso antes de fazeres a queixa que fizeste contra as praxes do isel! portanto se levares uma ou duas lambadas e te roubarem qualquer coisa, é para o lado que eu durmo melhor! AH e by the way, eu sou daqueles que grita bem alto nas praxes, os gritos que tu não gostas de ouvir porque ficas ofendida! processa-me " posso dizer que exitiram mais comentários deste, alias esta foram mesmo as primeiras reacções da comunidade académica depois de eu ter feito o aviso no face
Título: Re: Praxe
Enviado por: rk em 01.fev.2014, 16:31:27
JDelgado, ha gente estupida e gente fixe em todas as universidades, de certeza que havera pessoal fixe no isel e que nao e homofobico, de qq das formas acaba o curso o mais depressa possivel ou entao muda de universidade se nao te sentes bem na tua segunda casa..
Keep ya head up
Título: Re: Praxe
Enviado por: lxmartini em 26.mar.2014, 20:05:43
A minha experiência foi sempre positiva, assim como de todos os meus colegas. estou no 3º ano. :)
NADA a ver com o que a TVI passa nas suas "reportagens".
Título: Re: Praxe
Enviado por: Forbidden em 27.mar.2014, 21:43:48
A minha experiência foi sempre positiva, assim como de todos os meus colegas. estou no 3º ano. :)
NADA a ver com o que a TVI passa nas suas "reportagens".

Pois, mas as reportagens retratam casos que existem, nao sao fantasia. Adoro quando atacam os jornalistas por exporem o podre da situaçao  ::)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Juh' em 27.mar.2014, 23:01:16
A minha experiência foi sempre positiva, assim como de todos os meus colegas. estou no 3º ano. :)
NADA a ver com o que a TVI passa nas suas "reportagens".

Pois, mas as reportagens retratam casos que existem, nao sao fantasia. Adoro quando atacam os jornalistas por exporem o podre da situaçao  ::)

e eu adoro que as pessoas pensem que só existe o podre da situação. acho engraçado que nenhum jornalista se da ao trabalho de ver o outro lado, verdadeiro da palavra praxe.
mas claro, da muito mais audiencias falar de tragedias e coisas mas!
tenho consciencia que existem situaçoes dessas, de abuso, violência fisica e verbal, e muito mais.. mas isso nao se chama de praxe! so porque é praticado com um traje academico e acham que estao a fazer praxe, nao estao! como tudo na vida, nao se pode generalizar.

eu perdi um grande amigo na praia do Meco. Um amigo que vivia para a Praxe. Dava-se de alma e coraçao a fazer o que fazia. Orgulhava-se e muito daquilo que fazia.
Os acidentes acontecem. Eles nao foram obrigados a nada, nao estavam de pes atados coisa nenhuma, nem nunca viram a frente o tal livro do ritual do diabo ou m**** do genero.
Se fosse um grupo de amigos, vestidos normalmente e tivesse acontecido o mesmo, faziam o mesmo escabeche que estao a fazer agora? Claro que nao.

Faço parte da praxe ha 4 anos, um deles fui caloira. Como caloira, a minha integridade fisica e psicologica nunca foi prejudicada. Fui praxada por pessoas com bom senso, valores, humildade mas nao deixavam de ser rigidas. E até hoje, sou praxante por tudo o que me ensinaram nos ultimos 4 anos e nunca prejudiquei nenhum caloiro meu. Isto, é Praxe.

:) beijos e abraços

Enviado do meu DARKMOON através de Tapatalk

Título: Re: Praxe
Enviado por: Di HF em 03.jun.2014, 03:31:45
Eu adorei a praxe. Fui praxada, apesar de não ter concluído a praxe por ter desistido, mas caso vote a entrar, serei praxada outra vez.

Há gente que abusa das praxes e tive um doutor e uma mestre a fazê-lo. Tive uma doutora a chatear-se com um doutor por minha causa, para me defender. Nem toda a gente sabe praxar, é verdade.
Enquanto a praxe for cantar, conhecer a cidade, conhecer pessoas, falar sobre o curso, trocar material e informações, fazer jogos e tirar as pessoas (não só os caloiros mas também os praxadores) de casa, muito bem.

As praxes são diferentes em todas as instituições, em todos os cursos... A minha experiência foi boa. E pouca gente vejo a falar mal da praxe e que foi praxada.
Título: Re: Praxe
Enviado por: gang.coper.lover em 03.jun.2014, 13:20:29
Eu fui praxado este ano e devo dizer que se tivesse desistido quando me apeteceu desistir tinha perdido o melhor. No inicio tambem não gostei nada, nunca me gozaram, nem nada do genero, só não gostava de lá andar. Mas depois tudo melhorou, comecei a conhecer melhor as pessoas e acabei por criar um grupo de amigos mesmo bastante chegado. Somos mais de 50% praxistas no primeiro ano (cena que não é mesmo nada normal no Porto) e na ultima sessão de praxe deste ano as raparigas sairam quase todas a chorar porque não iam voltar a ser praxadas, e os gajos notava se que sentiam o mesmo, só não mostravam com lágrimas. Fui praxado este ano e para o ano vou praxar, para ensinar aos próximos caloiros tudo o que aprendi com a praxe este ano
Claro que houve situações de gozo, mas é um gozo que não se leva a mal. Uma pessoa deve saber distinguir quando uma coisa que foi dita é sentida ou não, e quando não é, deve-se levar na brincadeira. Somos jovens, se não formos brincar agora, quando é que vai ser?
Título: Re: Praxe
Enviado por: Juh' em 12.ago.2014, 20:48:45
Eu fui praxado este ano e devo dizer que se tivesse desistido quando me apeteceu desistir tinha perdido o melhor. No inicio tambem não gostei nada, nunca me gozaram, nem nada do genero, só não gostava de lá andar. Mas depois tudo melhorou, comecei a conhecer melhor as pessoas e acabei por criar um grupo de amigos mesmo bastante chegado. Somos mais de 50% praxistas no primeiro ano (cena que não é mesmo nada normal no Porto) e na ultima sessão de praxe deste ano as raparigas sairam quase todas a chorar porque não iam voltar a ser praxadas, e os gajos notava se que sentiam o mesmo, só não mostravam com lágrimas. Fui praxado este ano e para o ano vou praxar, para ensinar aos próximos caloiros tudo o que aprendi com a praxe este ano
Claro que houve situações de gozo, mas é um gozo que não se leva a mal. Uma pessoa deve saber distinguir quando uma coisa que foi dita é sentida ou não, e quando não é, deve-se levar na brincadeira. Somos jovens, se não formos brincar agora, quando é que vai ser?

quem me dera que houvesse mais pessoas como tu a dar o seu testemunho da experiência da Praxe. só os revoltados é que se manifestam, só os que foram MAL PRAXADOS é que têm algo a dizer..e com razão, obvio. Mas muito pouca gente defende o nome Praxe, muito pouca gente sabe o real significado de Praxe.
Este vai ser o meu 4º e último ano a Praxar e tenho orgulho em dizer que nunca faltei ao respeito a nenhum caloiro meu, nunca prejudiquei psicologica ou fisicamente, nunca obriguei nenhum deles a fazer algo contra a sua vontade. E em todos estes 4 anos, cada 'fornada' de caloiros que chegava ao fim do primeiro ano, abandonavam com lágrimas o estatuto de Caloiro, pois queriam mais e mais. Uma das melhores experiencias da minha vida, que nunca mas nunca vou esquecer. Digam o que disserem, inventem as desculpas que quiserem, não podem generalizar Praxe.
E que nunca toquem no assunto do Meco em vão, para dizer barbaridades! Porque eu, perdi um grande amigo naquela praia...e não culpo a Praxe! And that's it...

:) kisses and hugs!
Título: Re: Praxe
Enviado por: tendinite em 12.ago.2014, 23:52:08
Eu sou praxista também. Tive um ano fixe de caloira: atividades giras, noites divertidas, bons amigos, sentido de união e etc.
Mas sinceramente praxe não é uma coisa que aprecie. Aquilo é entusiasmante para quem tem 18/19 anos e saiu do ninho dos pais. A minha falta de vontade talvez advenha da praxe na minha casa ser desprovida de interesse. Quem está a praxar dá 3 pontapés na gramática por cada frase, tem metade ou mais das cadeiras do curso para trás, e não sabe ter uma conversa minimamente interessante.
Só acho que as praxes têm potencial para ser uma coisa muito melhor, mas não são.

E o que mais me incomoda é quando a comissão de praxe está embriagada a praxar, ou quando obrigam os caloiros/doutores com menos matrículas a beber. E eu sou das que gosta de beber. Simplesmente incomoda-me quando fazem pressão com os outros.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Spektrum em 16.ago.2014, 15:29:58
Quem está a praxar dá 3 pontapés na gramática por cada frase, tem metade ou mais das cadeiras do curso para trás, e não sabe ter uma conversa minimamente interessante. 
[...]
E o que mais me incomoda é quando a comissão de praxe está embriagada a praxar, ou quando obrigam os caloiros/doutores com menos matrículas a beber. E eu sou das que gosta de beber. Simplesmente incomoda-me quando fazem pressão com os outros.

Esses foram alguns dos factores que me levaram a não participar mais na praxe. Sei que pareço arrogante ao dizê-lo, mas nunca me agradou a ideia de receber ordens de pessoas que, embora mais velhas, não têm moral (nem experiência de vida, inteligência ou cultura) para o fazer.

E imporem as suas ideologias sobre as minhas? Não, obrigada. Sobretudo quando são mais pobres do que aquelas que tenho.

Seria completamente a favor da praxe, e incentivá-la-ia, caso soubessem aproveitar todo o seu potencial em prol da integração, bem-estar e troca de conhecimento entre estudantes. Mas, do que observo, a única partilha de conhecimento que verifico é a da linguagem brejeira (e do roteiro das tascas e demais lugares onde a higiene não abunda) e a suposta integração passa por se envolver com um doutor (após possuírem algumas gramas de álcool no sangue) durante as noites da latada/queima.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Lightning em 16.ago.2014, 17:46:13
Quem está a praxar dá 3 pontapés na gramática por cada frase, tem metade ou mais das cadeiras do curso para trás, e não sabe ter uma conversa minimamente interessante. 
[...]
E o que mais me incomoda é quando a comissão de praxe está embriagada a praxar, ou quando obrigam os caloiros/doutores com menos matrículas a beber. E eu sou das que gosta de beber. Simplesmente incomoda-me quando fazem pressão com os outros.

Esses foram alguns dos factores que me levaram a não participar mais na praxe. Sei que pareço arrogante ao dizê-lo, mas nunca me agradou a ideia de receber ordens de pessoas que, embora mais velhas, não têm moral (nem experiência de vida, inteligência ou cultura) para o fazer.

E imporem as suas ideologias sobre as minhas? Não, obrigada. Sobretudo quando são mais pobres do que aquelas que tenho.

Seria completamente a favor da praxe, e incentivá-la-ia, caso soubessem aproveitar todo o seu potencial em prol da integração, bem-estar e troca de conhecimento entre estudantes. Mas, do que observo, a única partilha de conhecimento que verifico é a da linguagem brejeira (e do roteiro das tascas e demais lugares onde a higiene não abunda) e a suposta integração passa por se envolver com um doutor (após possuírem algumas gramas de álcool no sangue) durante as noites da latada/queima.

oh god... :o Que degredo!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Atomic em 18.ago.2014, 21:14:47
Uma das coisas que sou contra na praxe é a pressão posta nos alunos do 1º ano para fazerem parte, muitas pessoas acabam por ir não por gostarem mas por não pararem para pensar que podem não ir. Pessoalmente eu desisti da praxe logo apos a primeira experiencia que tive, não só eu não tenho postura para ouvir ensinamentos de outras pessoas que contrariam o que eu acredito e sigo, como não senti que fossem para integrar como se diz, as pessoas que eu conheço que foram ate podem defender isso, e estou certo que provavelmente fizeram um ou dois amigos lá, mas se lhes perguntasses algo sobre outra pessoa fora essas duas, não me seriam capazes de dizer nada, mesmo passando umas 5 horas semanais com esse mesmo grupo.

Apesar disso eu sou o primeiro a defender que toda a gente deve experimentar, consciente de que é uma escolha, pessoalmente não achei que a praxe me fosse dar algo que valesse a pena, mas há quem goste
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 23.ago.2014, 03:40:26
Quem está a praxar dá 3 pontapés na gramática por cada frase, tem metade ou mais das cadeiras do curso para trás, e não sabe ter uma conversa minimamente interessante. 
[...]
E o que mais me incomoda é quando a comissão de praxe está embriagada a praxar, ou quando obrigam os caloiros/doutores com menos matrículas a beber. E eu sou das que gosta de beber. Simplesmente incomoda-me quando fazem pressão com os outros.

Esses foram alguns dos factores que me levaram a não participar mais na praxe. Sei que pareço arrogante ao dizê-lo, mas nunca me agradou a ideia de receber ordens de pessoas que, embora mais velhas, não têm moral (nem experiência de vida, inteligência ou cultura) para o fazer.

E imporem as suas ideologias sobre as minhas? Não, obrigada. Sobretudo quando são mais pobres do que aquelas que tenho.

Seria completamente a favor da praxe, e incentivá-la-ia, caso soubessem aproveitar todo o seu potencial em prol da integração, bem-estar e troca de conhecimento entre estudantes. Mas, do que observo, a única partilha de conhecimento que verifico é a da linguagem brejeira (e do roteiro das tascas e demais lugares onde a higiene não abunda) e a suposta integração passa por se envolver com um doutor (após possuírem algumas gramas de álcool no sangue) durante as noites da latada/queima.

Também partilho da mesma opinião e acrescento que uma das coisas que eu também não gostei e não concordo e com a homofobia que muitas vezes existe
Título: Re: Praxe
Enviado por: Spektrum em 23.ago.2014, 11:29:26
Também partilho da mesma opinião e acrescento que uma das coisas que eu também não gostei e não concordo e com a homofobia que muitas vezes existe
Está subjacente à opressão. :´ A praxe poderia ser um excelente meio para desmitificar o preconceito de que ser homossexual é negativo! Mas quem está à frente dela (embora alguns sejam homossexuais) não possui carácter para vislumbrar tal ideia.

Sempre que me lembro, quando alguém é mais fraco fisicamente ou, simplesmente, acanhado, o comentário que ouve é "o caloiro só pode ser m*ricas, porque não se fala com as colegas" ou "não consegue encher 10?! você é m*ricas?!" Quando criticam algo extremamente depreciativo, o adjectivo utilizado é "pan*leiro" ou "b*cha".  :´

Irrita-me profundamente o facto de, quando frequentei a praxe, os doutores/mestres que estavam à frente dela serem homossexuais e fazerem comentários como os anteriormente referidos; os próprios homossexuais a fechar os olhos à sua realidade e a depreciarem a comunidade à qual pertencem. É de uma hipocrisia, no mínimo, doentia!
A praxe marcou-me imenso, sobretudo porque pude constatar que a sociedade continua estanque no pensamento tosco, como o analisado nas obras de crítica social do ensino secundário. Os tempos passam, mas existem certos valores que não se conseguem erradicar.  :-\
Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Título: Re: Praxe
Enviado por: BabyT em 23.ago.2014, 14:12:57
Quem está a praxar dá 3 pontapés na gramática por cada frase, tem metade ou mais das cadeiras do curso para trás, e não sabe ter uma conversa minimamente interessante. 
[...]
E o que mais me incomoda é quando a comissão de praxe está embriagada a praxar, ou quando obrigam os caloiros/doutores com menos matrículas a beber. E eu sou das que gosta de beber. Simplesmente incomoda-me quando fazem pressão com os outros.

Esses foram alguns dos factores que me levaram a não participar mais na praxe. Sei que pareço arrogante ao dizê-lo, mas nunca me agradou a ideia de receber ordens de pessoas que, embora mais velhas, não têm moral (nem experiência de vida, inteligência ou cultura) para o fazer.

E imporem as suas ideologias sobre as minhas? Não, obrigada. Sobretudo quando são mais pobres do que aquelas que tenho.

Seria completamente a favor da praxe, e incentivá-la-ia, caso soubessem aproveitar todo o seu potencial em prol da integração, bem-estar e troca de conhecimento entre estudantes. Mas, do que observo, a única partilha de conhecimento que verifico é a da linguagem brejeira (e do roteiro das tascas e demais lugares onde a higiene não abunda) e a suposta integração passa por se envolver com um doutor (após possuírem algumas gramas de álcool no sangue) durante as noites da latada/queima.

Posso dizer que estes também foram alguns dos motivos que me levaram a desistir da praxe logo no 1º dia. Além de estar num curso maioritariamente de rapazes (ou seja todas as brincadeiras que presenciei no primeiro dia foram bastante violentas e sempre a rebaixar) hoje passados 4 anos posso afirmar que aquelas pessoas que estavam naquele dia a mandar-nos fazer aquelas coisas são as que têm mais cadeiras em atraso e com notas mais baixinhas.
Também sou a primeira a afirmar que ainda para mais num curso maioritamente masculino foi mais difícil a integração e fazer amigos, mas soube na altura escolher logo 1 ou 2 pessoas para fazer grupos de trabalho que mantive até hoje. Com o avançar do curso notei que os bons alunos como iam progredindo acabaram por se engrupar e hoje dou-me relativamente bem com bastantes pessoas, não são amigos, mas quando é preciso trocar ideias, opiniões, trabalhos estão lá essas pessoas.
Acho que a praxe é importante para pessoas extrovertidas, que gostem de jantares e saídas à noite e esse tipo de diversão, que eu enquanto pessoa que não bebe álcool e introvertida não se sente à vontade. Se calhar se tivesse voltado no 2º dia de praxe as coisas teriam sido diferentes. Agora se melhores ou piores já não sei.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Spektrum em 23.ago.2014, 15:00:22
Spoiler (clica para mostrar/esconder)

Concordo. Embora tenha amigos que são excelentes alunos, e igualmente devotos às actividades praxísticas, também constatei que, em geral, os mais fiéis à praxe se tornaram alunos mais desleixados e, consequentemente, deixam mais UC's para trás. A meu ver, creio ser uma má gestão de prioridades (e tempo) por parte de pessoas que facilmente se deixam maravilhar pelo espírito de pertença que a praxe acarta, mas sou apenas uma mera observadora a opinar! Não tomo tal anotação como facto científico, nem acho que a praxe se possa correlacionar, desse modo, com o aproveitamento escolar. Como disse, tenho amigos que adoram a praxe, participam assiduamente nela, e são excelentes alunos. Uma coisa não impede a outra, mas nem todos conseguem tal proeza.

Em relação aos introvertidos, e por experiência própria falo, senti-me um pouco excluída devido a tal característica. O facto de rejeitar o álcool e as saídas à noite também não ajudou muito à integração. Os meus colegas viam-me como uma marrona que passava a vida fechada em casa a estudar, rejeitando todas as propostas para sair. Certo é que nunca quis sair com aquelas pessoas, tinha mais que fazer, e mesmo que não tivesse, antes só do que mal acompanhada!
Spoiler (clica para mostrar/esconder)
Foi difícil encontrar pessoas com os mesmos objectivos que eu: ir às aulas, cooperar nos trabalhos e passar às UC's com a melhor nota possível, pelo que dificilmente encontrei grupos de trabalho ou criei laços com os meus colegas. Maior parte dos jovens perde-se no meio de toda a novidade. :-X
Título: Re: Praxe
Enviado por: RFields em 24.ago.2014, 01:56:35
Só tenho a agradecer à Praxe do ISCTE.
"Dizem que somos loucos da cabeça... Somos a família mais unida. Melhor trajeto das nossas vidas" :D
Este ano lá estarei a praxar os caloiros :)
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 30.ago.2014, 03:35:00
Também partilho da mesma opinião e acrescento que uma das coisas que eu também não gostei e não concordo e com a homofobia que muitas vezes existe
A praxe poderia ser um excelente meio para desmitificar o preconceito de que ser homossexual é negativo! Mas quem está à frente dela (embora alguns sejam homossexuais) não possui carácter para vislumbrar tal ideia.



Concordo a 100%.
A praxe deveria estar na linha da frente contra a homofobia e contra qualquer tipo de descriminação, a praxe até podia ser um importante apoio nesse aspecto, agora falta é muita vezes vontade de mudar as coisas e existe muita falta de coragem para  defender os LGBTs contra estas situações de opressão e descriminação
Título: Re: Praxe
Enviado por: Kaiser em 18.set.2014, 11:16:41
http://expresso.sapo.pt/-praxe-na-universidade-e-na-vida-integra-te-na-cobardia=f681558#ixzz2fxEuiBLE

Vale a pena ler.

Acredito que há pessoas que tenham boas experiencias com as praxes e blablabla etc sejam muito felizes parabens. Mas está-vos a falhar aqui algo muito importante. A praxe não é um problema humano, é um problema institucional.

Ao participarem nas praxes só estão a contribuir para a continuação de um cancro institucional que incute a submissão como normal às pessoas. Que as formata completamente. O individuo desaparece. O espirito critico não é bem vindo e inclusivé é visto como negativo. Qualquer pessoa que questione a instituição e a "tradição" (lol) da praxe é criticada e excluida, conscientemente ou inconscientemente. Obviamente ou subvertidamente.

Por estas razões eu assumo-me  contra a praxe (e bastante radical acrescento), é um mecanismo de formatação e de submissão a uma "autoridade" (lol) e a uma "tradição" (huehuehue) que não existe, nunca existiu, nem nunca existirá.
Título: Re: Praxe
Enviado por: lxmartini em 18.set.2014, 13:08:48
Considero ser um pouco extremista dizer que a praxe elimina qualquer individualização, espirito crítico e afins. Aliás, se o eliminar e´durante as actividades praxísticas, e apenas. e para a larga maioria, as actividades praxísticas são para a borga.
Agora, eu participei na praxe, e tudo o que afirmas acontecer, não ocorreu em mim nem em ninguem que conheça... acho que algumas pessoas veem filmes a mais.. ou reportagens da tvi  lol
Título: Re: Praxe
Enviado por: Kaiser em 18.set.2014, 13:14:43
É exactamente isto que estava a falar. Qualquer pessoa que questione a "tradição" da praxe é logo ridicularizada. "Vês muitos filmes e reportagens da tvi loplolololololoolololo".
Título: Re: Praxe
Enviado por: lxmartini em 18.set.2014, 13:31:41
Mas não falei aquilo por questionares a praxe. Qualquer pessoa pode faze-lo. Tenho bastantes amigos que o fazem. eu próprio sou da opinião que alguns estabelecimentos deviam optar por uma praxe mais soft!
eu falei aquilo porque, de facto, tu não questionaste... tu simplesmente lançaste suposições e teorias sobre algo que se calhar nem vivenciaste. Lançaste teorias sobre as pessoas que a frequentam quando nem as conheces nem sabes o que as move...

Desculpa, mas questionar e´levantar questões pertinentes sobre algum assunto de modo a obter informações fundamentadas sobre ele. e, com todo o respeito, limitaste-te a lançar bazucas  lol

A praxe e´daquelas coisas em que vai quem quer. em que vai quem gosta. Criticar o que os outros gostam só porque NÓS não gostamos e´algo um tanto pouco tirano. :p

Título: Re: Praxe
Enviado por: Kaiser em 18.set.2014, 13:46:42
Mas não falei aquilo por questionares a praxe. Qualquer pessoa pode faze-lo. Tenho bastantes amigos que o fazem.
eu falei aquilo porque, de facto, tu não questionaste... tu simplesmente lançaste suposições e teorias sobre algo que se calhar nem vivenciaste. Lançaste teorias sobre as pessoas que a frequentam quando nem as conheces nem o que as move...

Desculpa, mas questionar e´levantar questões pertinentes sobre algum assunto de modo a obter informações fundamentadas sobre ele. e, com todo o respeito, limitaste-te a lançar bazucas  lol

A praxe e´daquelas coisas em que vai quem quer. em que vai quem gosta. Criticar o que os outros gostam só porque NÓS não gostamos e´algo um tanto pouco tirano. :p

Mostra-me um exemplo de uma pessoa a questionar a praxe sem ser imediatamente afogado com argumentos que não tenham nada a ver ou que não sejam puras falacias. Fico a aguardar.

Isto não são suposições nem teorias. É o que eu concluo a observar a pratica da praxe. Eu nunca fui a uma praxe nem faço intenção de ir, mas isso é completamente irrelevante. A praxe é uma instituição e eu tenho o direito de lançar as criticas que eu quiser e ninguem me pode impedir de o fazer. E volto a dizer caso não tenhas percebido. A praxe não é um problema humano. Conhecer quem participa nelas ou o facto de haver pessoas que gostam da praxe é completamente irrelevante. A praxe é um problema institucional.

Eu limitei-me a dizer o que eu pessoalmente acho da praxe. Tu limitaste-te a ridiculizares tudo o que disse dizendo que "vejo muitos filmes"  :zzz E a dizer que "limitei-me a lançar bazucas". Eu nunca disse que a minha opinião e digo novamente pessoal seria imparcial. Eu disse no post anterior logo que era uma anti-praxista radical inclusivé. Tu no entanto limitas-te a policiar o meu tom e as minhas opiniões dizendo que só estou praqui a mandar "bazucas". Pronto ok a minha opinião é parva e não conta para nada, bela argumentação.

"A praxe só vai quem quer". Em teoria é tudo assim. Tal como um trabalhador indiano a matar-se a trabalhar no Qatar a construir estadios por uma malga de arroz tambem só está lá "porque quer", não é? O argumento de só vai quem quer não pega quando há doutores e outros estudantes a assediar os estudantes novos para irem para as praxes. E esse assédio pode acontecer e acontece (que já me foi possivel testemunhar varias instancias de isto acontecer e ouvir reclamaçoes de estudantes a passarem por isso) tanto de forma consciente e visivel, como de forma inconsciente e subtil.

A prioridade devia ser dada as pessoas que se sentem ofendidas e oprimidas pela instituição da praxe, pois este é o grupo de maior risco. Em vez disso da-se prioridade ao fulano que diz "Mas eu gosto da praxe herp derp". Parabens.

Estamos conversados.
Título: Re: Praxe
Enviado por: lxmartini em 18.set.2014, 14:16:24
A comparação foi tão descabida que perdi qualquer vontade de responder. :S
Como falei, algumas instituições às vezes vão longe demais. Porem, a maioria não e´assim.
O teu radicalismo cega o teu julgamento.

Abraço.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Kaiser em 18.set.2014, 18:49:24
Essa conclusão foi apenas eu a levar o "só vai quem quer" à sua extremidade logica para demonstrar o que realmente é o "só vai quem quer".
Título: Re: Praxe
Enviado por: Brooklyn Nights em 18.set.2014, 20:56:21
Entrei agora para a Universidade de Coimbra e estou a adorar a praxe. É verdade que por causa daquilo que aconteceu no Meco isto levou um abanão, porque agora não há um dia em que não chegue ao pé de mim um veterano e me pergunte se eu estou a divertir-me, se aconteceu alguma coisa que eu não gostei, se houve algum abuso, coisas assim. Para ser sincero, eu acho que eles (os doutores e veteranos) estão com um bocadinho de receio que caso aconteça alguma coisa a comunicação social possa pegar nisso e voltar a criar um escândalo. Mas Coimbra é Coimbra, aqui a praxe tem muito mais impacto do que noutros locais.
Título: Re: Praxe
Enviado por: lxmartini em 19.set.2014, 11:26:16
Essa conclusão foi apenas eu a levar o "só vai quem quer" à sua extremidade logica para demonstrar o que realmente é o "só vai quem quer".

Continua desprovido de sentido. Demonstra nada em concreto nem novo na conversa inicial.
Peace out!  ;)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Kaiser em 19.set.2014, 13:28:35
Se tu o dizes.  ::)
Título: Re: Praxe
Enviado por: gang.coper.lover em 20.set.2014, 10:47:28
Mas não falei aquilo por questionares a praxe. Qualquer pessoa pode faze-lo. Tenho bastantes amigos que o fazem.
eu falei aquilo porque, de facto, tu não questionaste... tu simplesmente lançaste suposições e teorias sobre algo que se calhar nem vivenciaste. Lançaste teorias sobre as pessoas que a frequentam quando nem as conheces nem o que as move...

Desculpa, mas questionar e´levantar questões pertinentes sobre algum assunto de modo a obter informações fundamentadas sobre ele. e, com todo o respeito, limitaste-te a lançar bazucas  lol

A praxe e´daquelas coisas em que vai quem quer. em que vai quem gosta. Criticar o que os outros gostam só porque NÓS não gostamos e´algo um tanto pouco tirano. :p

Mostra-me um exemplo de uma pessoa a questionar a praxe sem ser imediatamente afogado com argumentos que não tenham nada a ver ou que não sejam puras falacias. Fico a aguardar.

Isto não são suposições nem teorias. É o que eu concluo a observar a pratica da praxe. Eu nunca fui a uma praxe nem faço intenção de ir, mas isso é completamente irrelevante. A praxe é uma instituição e eu tenho o direito de lançar as criticas que eu quiser e ninguem me pode impedir de o fazer. E volto a dizer caso não tenhas percebido. A praxe não é um problema humano. Conhecer quem participa nelas ou o facto de haver pessoas que gostam da praxe é completamente irrelevante. A praxe é um problema institucional.

Eu limitei-me a dizer o que eu pessoalmente acho da praxe. Tu limitaste-te a ridiculizares tudo o que disse dizendo que "vejo muitos filmes"  :zzz E a dizer que "limitei-me a lançar bazucas". Eu nunca disse que a minha opinião e digo novamente pessoal seria imparcial. Eu disse no post anterior logo que era uma anti-praxista radical inclusivé. Tu no entanto limitas-te a policiar o meu tom e as minhas opiniões dizendo que só estou praqui a mandar "bazucas". Pronto ok a minha opinião é parva e não conta para nada, bela argumentação.

"A praxe só vai quem quer". Em teoria é tudo assim. Tal como um trabalhador indiano a matar-se a trabalhar no Qatar a construir estadios por uma malga de arroz tambem só está lá "porque quer", não é? O argumento de só vai quem quer não pega quando há doutores e outros estudantes a assediar os estudantes novos para irem para as praxes. E esse assédio pode acontecer e acontece (que já me foi possivel testemunhar varias instancias de isto acontecer e ouvir reclamaçoes de estudantes a passarem por isso) tanto de forma consciente e visivel, como de forma inconsciente e subtil.

A prioridade devia ser dada as pessoas que se sentem ofendidas e oprimidas pela instituição da praxe, pois este é o grupo de maior risco. Em vez disso da-se prioridade ao fulano que diz "Mas eu gosto da praxe herp derp". Parabens.

Estamos conversados.

Ad hominem, ad hominem everywhere. Nao há nenhum argumento aqui, apenas insultos porque não concordaram com a tua opinião
Título: Re: Praxe
Enviado por: Kaiser em 20.set.2014, 14:58:10
E é porque queres  ::)
Título: Re: Praxe
Enviado por: Juh' em 23.set.2014, 15:12:57
Apesar de tudo o que aconteceu no último ano, esta semana de praxe correu bem melhor do que estava à espera. Para meu 5º e último ano, foi uma semana de praxe memorável, e sei que os caloiros estavam lá porque queriam, e pediam por mais. Ao fim de 5 dias ja conheciam os colegas todos e ja se abraçavam e sentiam o espirito de união. Estavam exaustos sim, mas de rir e se divertirem. :) que continue assim por muitos e muitos anos!
Título: Re: Praxe
Enviado por: Flanc em 27.set.2014, 18:37:07
Vou deixar aqui a minha opinião, principalmente porque me irrita a forma como a praxe está a ser retratada pelos media.
 Fui praxado e praxei em Évora, na nossa tradição a praxe dura cerca de um mês e meio, não olhamos nos olhos dos srs. estudantes, não falamos com eles como se fossem nossos amigos, não somos amigos no facebook, a nossa relação é de bicho - sr. estudante. Já fui ambos e digo com todo o orgulho que AMEI a tradição académica de Évora.
 Há alguns problemas na praxe, é óbvio, problemas que são, devo acrescentar, a preocupação nº 1 dos que praxam como deve de ser. Antes de começarmos a praxar eu e a minha turma procuramos todas as doenças, problemas de saúde e alergias que os bichos pudessem ter, respeitámos os seus problemas psicológicos, mas não os tratamos como se fossem nossos amigos, tivemos sempre a certeza de que essa linha nunca era atravessada.
 A praxe é dura? É, sim, ninguém disse que não seria. Há estudos que demonstram que grupos para os quais lutamos para entrar são os mais valorizados, por exemplo, um clube de milionários, é valorizado porque nem todas as pessoas podem lá entrar. Portanto, não me venham dizer que a praxe exclui os que não são praxados, não, a praxe estabelece fortes relações num grupo de indivíduos no qual quem não foi praxado não entrou porque não quis. A praxe não serve, na minha opinião, para propagar boas ondas ou para mensagens de justiça social, a praxe já tem uma finalidade, que, curiosamente, tende a ser desvalorizada pelas pessoas anti-praxe. Acima de tudo é de lembrar que a praxe é completamente opcional , por isso, só participa quem quer. Depois há argumentos como "Ah, eu não participei e fui excluindo do grupo, por isso a praxe é praticamente obrigatória", bom, e como é que isso é mau? Estas pessoas quiseram participar em actividades nas quais não tinham a obrigação de participar, por muito incomodas que fossem (sim, porque ninguém gosta de levar com polpa de tomate na cabeça), e por isso recebem regalias, formam amizade com pessoas que já participam na universidade há mais tempo, têm acesso a um espaço no qual conseguem mais facilmente formar amizades com os seus pares, não podemos, certamente, esperar que alguém que decidiu não participar na parte chata tenha também as regalias dos que decidiram participar. A praxe serve como ferramenta de desinibição e integração, só porque não inclui os que não participam não quer dizer que é um instrumento de exclusão. Acima de tudo, não me canso de dizer que a praxe é obrigatória e que mesmo os que não participam podem integrar-se num grupo sem problemas. Um dos meus melhores amigos na universidade nunca participou em praxes e era dos indivíduos mais bem integrados na turma.
P.s. curiosamente, uma grande parte da oposição à praxe vem de pessoas que nunca participaram nem tencionam participar na praxe, enquanto os que estão a favor participaram na praxe, dá que pensar.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Di HF em 28.set.2014, 12:26:01
Vou apenas fazer aqui um breve comentário para as pessoas antipraxe perceberem um pouco o que se passa na praxe.
Um dia qualquer na praxe, gozaram com a homossexualidade e tiveram comportamentos homofóbicos. Não todos, mas alguns dos doutores. Fiquei muito mal, quase que quis desistir da praxe. No dia seguinte dirigi-me à pessoa que estava responsável por aquelas atitutes. Ele pediu-me desculpa, sentiu-se mal, voltou a pedir desculpa. Prometeu (e está a cumprir) que iria fazer de tudo para acabar com essas situações e que se algum dia algo do género voltasse a acontecer, ele seria a primeira pessoa a parar a situação.
Isto para dizer que quando alguém sentir alguma coisa incorreta na praxe, basta falar sobre isso. Eles irão corrigir o erro. E lembrem-se de outra coisa, se alguém fizer algo incorreto noutro local, jamais o corrigirão.
Título: Re: Praxe
Enviado por: JDelgado em 28.set.2014, 17:31:57

No meu caso não foi bem assim, muito pelo contrario, eu senti-me mal na praxe por causa  de situações como essas, e expliquei ao pessoal as razões pelas quais não me senti bem, e posso dizer que para alem de não me terem respeitado nem me terem ouvido, ainda fui marcado e gozada ao longos dos anos pelo pessoal, posso dizer que praxe foi das piores coisas que passei no ensino superior, fio porque na altura era uma pessoa muito timido e muito intrvertido e com pouca autoestima, fui porque fui bastante coagido e não consegui dizer que não, pois não eu estava bastante sozinho e com bastante receio da reacção do pessoal receio esses que se vieram a confirmar, pois eu fui bastante mal tratado por ter dito que não gostava da praxe e por me ter queixado, chegando ao extremo de me terem feito esperas nos wc.

Se o pessoal se ente revoltado por  o pessoal anti-praxe se andar a falar da praxe, eu então pesso imensa desculpa mas eu também sinto imensa revolta  pela praxe, por o que me ela fez passar e pelo grande sofrimento que esta me causou, sinto imensa revolta pelos maus tratos que sofri e com isso, chegando ao ponto de chegar a uma altura onde não me sentia bem na minha faculdade e ver o meu desempanho a ser prejudicado, sinto-me revoltado por sentir que com isto perdi uma faze importante da minha vida, uma vez que não conseguir ter uma vida social e me ter sentido integrado no ambiente académico pois passei grande parte da minha vida académica sozinho, sendo que isto contribui bastante para o meu estado de solidão que me encontro neste momento, ja que oa amigos do sencundario cada um ja segui a sua vida e agora fiquei praticamente sem ninguém, e sinto tambem bastante reolval pela falta de tolerância e pela falta de repto que muitas do pessoal "da praxe" não saber ouvir e ser pouco intolerante com o pessoa que não gostou da praxe o que é "antipraxe"

Eu a unica coisa que eu queria estar a vontade num ambiente académico, , onde pudesse estar a vontade,  ter um grupo de amigos, onde me senti-se bem, onde pudesse estar acompanho e onde pudesse sair e divertir-me também, sem ter tido de passar por esse ambiente hostil/agressivo/militar da praxe...
Título: Re: Praxe
Enviado por: Di HF em 28.set.2014, 17:59:28
JDelgado, lamento imenso por a tua experiência ter sido tão negativa. É mau para quem gosta da praxe e vive realmente aquilo, ouvir alguém falar assim, que passou coisas más, que sofreu... Esse não é o objetivo.

Pelo que tenho lido aqui, foste a primeira pessoa com razão a falar em ser antipraxe.

Espero que hoje já consigas dizer que não com mais facilidade. Não és obrigado a fazer nada que não queiras. E falo isto a nível de vida e não a respeito deste tema.

Boa sorte para ti. E que tudo corra pelo melhor.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Flanc em 28.set.2014, 19:00:46
Spoiler (clica para mostrar/esconder)

Devo dizer que é mesmo muito triste saber que existe este tipo de pessoas a praxarem. JDelgado, espero que entendas que pessoas como eu defenderam a praxe até à morte, mas nunca defenderemos as pessoas que praxam, muito menos aqueles que utilizam a praxe como veículo para degradar os outros. Como já disse a praxe é dura e é suposto ser dura, mas não serve para humilhar os outros. Posso dizer-te que tanto a ser praxado como a praxar nunca sofri uma situação semelhante, felizmente nunca insultei nenhum dos meus bichos nem me senti insultado ... A praxe de facto não é para todos e estaria a mentir se não confessasse que passei por momentos que preferi não passar (não de humilhação, mas, por exemplo, de stress), porém se tivesse que o repetir, repetiria, porque a verdade é que a minha turma beneficiou muito com isso, em 3 anos, mesmo com as nossas zangas habituais, mantivemos-nos unidos à semelhança do que acontece, como referistes na tua analogia, em esquadrões militares.
No entanto o que aconteceu contigo não tem desculpa, e entendo perfeitamente que sejas anti-praxe.
Título: Re: Praxe
Enviado por: Atomic em 11.mar.2018, 14:31:12
Sinto que volta e meia na minha vida a discussão da praxe volta, talvez por eu ser anti-praxe/praxis-indiferente x)


Pessoalmente compreendo que a praxe não é para todos e definitivamente nunca foi para mim algo relevante, sempre detestei o conceito. Estava no outro dia a discutir a questão do "ah, se não queres não tens de ir, por isso tudo pode ser feito a partir daí". Embora concorde que a praxe tem todo o direito a continuar, aí discordo bastante. Há pessoas que estão em posições de fragilidade e que vão ceder às pressões que são feitas e não é por no todo elas escolherem que aquilo é benéfico para eles, é preciso ter cuidado se em certos episódios os limites não são passados.


Adorava ler testemunhos praxistas queer de 2018 though, ouvi dizer que volta e meia há uns episódios interessantes e bastante cómicos.