Outras Conversas > Espiritualidade, Sobrenatural e Religião

Por que não sou/sou cristão e/ou católic@

<< < (2/12) > >>

Philippos13:

--- Citação de: Aerys II em 3 de Agosto de 2012 ---Eu não sou cristão pela mesma razão que não sou islâmico, hinduísta ou asatrú.

--- Fim de Citação ---

Isto é uma ideia, na minha opinião, fundamental. As nossas concepções religiosas são fortemente condicionadas pelo meio histórico e cultural em que nascemos. Tivéssemos nós nascido na Grécia antiga e veneraríamos Zeus e o resto do panteão dos deuses. Se nascemos numa família cristã, então será o Cristianismo a infiltrar as nossas ideias religiosas. A nossa religião é (não totalmente, mas em grande parte) um fruto arbitrário da região geográfica onde nascemos e do tempo em que nascemos.

TheEchoOfNight:

--- Citação de: Aerys II em 3 de Agosto de 2012 ---Porque haveria de o ser? Porque é que os cristãos deste fórum ou de outro sítio qualquer o são? O mais provável é porque foram criados num lar cristão, frequentaram uma catequese, cresceram num país onde se vêem mais igrejas que mesquitas ou templos budistas, porque viram os amigos sujeitos às mesmas pressões ideológicas a irem para a catequese e porque cresceram rodeados de expressões que realçam a cultura judaico-cristã que permeia o nosso país.

--- Fim de Citação ---

No meu caso, foi exactamente isto. Até começar a pensar por mim, era católico, e era católico por dogma. Tivesse nascido no Tibete, ia para o templo entoar uns mantras, provavelmente.
Entretanto, comecei a aperceber-me de que o Deus em que acreditava não era minimamente plausível -- caso contrário, seria tudo uma enorme injustiça --, e a crença, então, foi-me passando. Mas o processo ainda foi moroso, que as coisas enraizadas oferecem resistência ao shutdown da base de dados.
Actualmente, sou daqueles que nem acreditam, nem deixam de acreditar, o que para muitos é sinónimo de agnosticismo. Eu temo que o agnosticismo seja mais que isso; então, limito-me a dizer que não sigo qualquer tipo de religião. Se Deus tivesse de ser obrigatoriamente uma entidade que connosco se preocupa, era ateu, pela certa, mas, como ainda resta a faceta do criador e do legislador, fico sem pensar coisíssima nenhuma.

Quanto aos valores transmitidos por livros «sagrados» como a Bíblia, só queria acrescentar que qualquer mulher que preze a igualdade devia, no mínimo, abominar aquele livro. Por aquelas bandas, são completamente vistas como sexo decorativo, o ser que deve honrar o marido e inferiorizar-se a ele. É absolutamente ridículo. E é com conhecimento de causa que falo, que eu, no total, até devo ter perdido muitas horas de existência a ler a coisa.

Ana Raquel:
não sigo qualquer tipo de religião porque todas elas ditam uma data de regras que não se adequam ao meu modo de estar e porque essas próprias regras são quebradas pelas pessoas que se dizem transmissoras da palavra e do exemplo. Julgo que se pensar nas coisas de uma forma racional e interpretativa conseguimos perceber que muitas das « imposições impostas» pelas religiões foram criadas para camuflar/esconder outras criadas anteriormente, mas que no entanto não podiam passar a erros pois aí iria ser posta em causa a credibilidade de tudo o que esse falante ditou.

Nessi:
Boa noite,

Antes de dar a minha resposta concreta gostava de opinar em relação a todos os que dizem que não são cristãos... A verdade é que todos nós o somos um pouco pois o Cristianismo está inserido na nossa cultura, então não é verdade que celebramos o Natal, um evento cristão que simboliza o nascimento de Jesus? E a Páscoa, que simboliza o seu retorno? E não nos casamos pelo Igreja, estando assim a submetermo-nos às "leis" do casamento propostas pelo Cristianismo? Para além de que a maior parte de nós é baptizado à nascença (prática a qual não concordo sinceramente, pois do meu ponto de vista é quase como que impingir-nos uma religião)! Eu p.e. fui baptizada e se em bebé pudesse falar tinha pedido que não o fizessem... Por isso, de uma maneira ou de outra, quer queiramos quer não, todos nos temos um pouco de "Cristãos" dentro de nós.

Agora, em resposta ao tópico concretamente... Embora tenha sido baptizada e tenha ido à catequese quando era pequena, e sempre tenha sido encorajada a rezar e a ir à igreja, nunca me identifiquei muito com esse estilo de vida... Nunca me dediquei muito à religião. Para além de que, sendo eu uma pessoa muito terra-a-terra, ao tomar conhecimento das passagens da Bíblia à medida que crescia, não conseguia acreditar em nada do que estava lá escrito... Parece-me muito conto de fadas! Há muia coisa mal explicada no referido livro e não consigo acreditar mesmo, por mais que tente... Para além do mais, quando era pequenina rezava muito à noite, ao vir para a cama, a pedir que as coisas melhorassem, que a violência cá em casa aligeirasse e isso nunca acontecia, pelo contrário, por isso acho que fui ficando com a ideia que Deus não me ouvia e deixei de acreditar nele. E acho que me falta um pouco de fé, pois não consigo identificar-me com nenhuma religião, não consigo interiorizar nada que passa do sobrenatural do meu ponto de vista, e tenho um certo medo disso pois acho importante ter fé, acreditar em algo por mais insignificante que seja, algo que nos dê força diária e eu não tenho isso... Isso preocupa-me um bocado mas enfim, não vivo infeliz por isso!

Philippos13:

--- Citação de: Nessi em 4 de Setembro de 2012 ---Antes de dar a minha resposta concreta gostava de opinar em relação a todos os que dizem que não são cristãos... A verdade é que todos nós o somos um pouco pois o Cristianismo está inserido na nossa cultura, então não é verdade que celebramos o Natal, um evento cristão que simboliza o nascimento de Jesus? E a Páscoa, que simboliza o seu retorno? E não nos casamos pelo Igreja, estando assim a submetermo-nos às "leis" do casamento propostas pelo Cristianismo? Para além de que a maior parte de nós é baptizado à nascença (prática a qual não concordo sinceramente, pois do meu ponto de vista é quase como que impingir-nos uma religião)! Eu p.e. fui baptizada e se em bebé pudesse falar tinha pedido que não o fizessem... Por isso, de uma maneira ou de outra, quer queiramos quer não, todos nos temos um pouco de "Cristãos" dentro de nós.

--- Fim de Citação ---

Em primeiro lugar, não celebro o Natal, quem o celebra são os meus pais e como eu tenho por hábito passá-lo com eles estou presente. Mas não associo o Natal ao cristianismo. O Natal, originalmente, era uma festividade pagã. A data do 25 de Dezembro foi escolhida pelos cristãos (tal como muitas outras festas cristãs, incluindo a Páscoa) de forma a coincidir com a data dessa festividade pagã de modo a que fosse mais fácil converter esses pagãos ao cristianismo. O cristianismo "absorveu" as festividades pagãs, não as criou.

Em segundo lugar, não tenho qualquer intenção de me casar pela igreja, e considero no mínimo contraditório ou incoerente alguém o fazer não sendo cristão/católico.

Em terceiro lugar, não sou baptizado. Felizmente, os meus pais decidiram que esperariam até eu ter idade para decidir. No entanto, se fosse baptizado, já teria, aos 18 anos, anulado o baptismo. Uma vez mais, sentir-me-ia hipócrita se estivesse baptizado não sendo cristão.

Finalmente, não acho que nada disso tenha a ver com a nossa crença em Deus. O Natal, a Páscoa, o casamento católico, o baptismo, são práticas religiosas inseridas na nossa sociedade às quais alguns de nós não conseguem escapar, pelo menos no início das nossas vidas. No entanto, acredito que uma pessoa coerente que não seja cristã tem todas as condições para evitar essas práticas a partir do momento em que atinge a idade em que se encarrega de tomar as suas próprias decisões.

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

[*] Página anterior

Ir para versão completa