rede ex aequo

Olá Visitante24.jun.2021, 03:23:06

Mensagens recentes

Páginas: [1] 2 3 ... 10
1
Para os/as que estavam a tirar doutoramento na minha vida: estão todos/as chumbados/as.  lol


Tens de...
Acho que precisas de...
Não quero meter-me na tua vida, mas acho que tu...
O que te fazia bem era...
Isso dizes tu agora! lol  (De notar que é um "agora" de vários anos...).
Não achas que...?
Vocês estão as duas solteiras! Podiam juntar-se! lol  (Exacto... é o mesmo que ir ao roupeiro e escolher a roupa para vestir!)  lol  Tenho aqui esta camisa e este casaco livres e vou juntá-los para fazerem parte do outfit de hoje!  lol









2
Tópicos Lúdicos / Re: Palavras que magoam
« Última mensagem por MónicaCarvalhoCasas em Há 2 semanas »
"vai te tratar" e "és maluca"  :P  obrigada a essa pessoa, melhorou a minha autoestima




(dia de ressabiamento)  ::)

Força! Nem sempre é fácil viver desenquadrado, mas deixo-te uma frase que espero que possa ajudar-te:

"Não é sinónimo de saúde, estar bem ajustado a uma sociedade doente."
(Jiddu Krishnamurti).

Uma das minhas terapeutas já me disse várias vezes que casos como o meu não são loucura nenhuma, são o resultado de ter andado a absorver os malucos que nunca tiveram coragem de se escutar e de toda a maldade de pessoas que não têm a capacidade de ver os outros bem. Há pessoas que nos desformatam de tal forma que depois somos mesmo nós a precisar de uns ajustes. (Malucos esses que como substituem as suas dores ao fazerem mal aos outros, raramente vão procurar ajuda e por isso acabamos por ter mais pessoas que até eram bastante capacitadas a ter consultas, e os verdadeiros malucos que provocam danos nunca são tratados... disfarçam-se bem). Há pessoas muito capacitadas de ver as nossas pequenas fissuras e aproveitarem-se das mesmas. Cabe-nos a nós não permitir mais. Temos de ser mais firmes... isso ajuda! E sem culpas!


Uma analogia simples: podes ter a vesícula biliar, o estômago, o fígado saudáveis, mas se comeres fast-food todos os dias, provavelmente ficarão doentes um dia. No meu caso, passa muito por, apesar do meu "feeling", ter dado sempre o benefício da dúvida a toda a gente. Tendencialmente quero ver sempre algo bom nas pessoas. Quis transformar fast-food em comida saudável... e deu no que deu. Mas todo o caminho, todas as dores, são uma bela oportunidade de reconstrução, de aprendizagem,  etc.!


Não ligues a esses comentários. Tenta ser firme!!!
obrigada pelas tuas palavras!

tenho dias que venho aqui deitar umas coisas assim :p
3
Tópicos Lúdicos / Re: Diz um facto!
« Última mensagem por unfold em Há 2 semanas »
Os meus pequenos-almoços de Domingo duram, pelo menos, uma hora. Faço questão que assim seja. Vou comendo, vou bebendo e vou lendo. Alimento o corpo e a alma vagarosamente. Gosto, cada vez mais, de me demorar nos prazeres simples. Acho que o meu estômago fica um pouco confuso. Quando está para começar a digestão, dou mais uma dentada em qualquer coisa.  lol  Começo 3 digestões, pelo menos. Há-de habituar-se.  lol
4
Tópicos Lúdicos / Re: Palavras que magoam
« Última mensagem por unfold em Há 2 semanas »
"vai te tratar" e "és maluca"  :P  obrigada a essa pessoa, melhorou a minha autoestima




(dia de ressabiamento)  ::)

Força! Nem sempre é fácil viver desenquadrado, mas deixo-te uma frase que espero que possa ajudar-te:

"Não é sinónimo de saúde, estar bem ajustado a uma sociedade doente."
(Jiddu Krishnamurti).

Uma das minhas terapeutas já me disse várias vezes que casos como o meu não são loucura nenhuma, são o resultado de ter andado a absorver os malucos que nunca tiveram coragem de se escutar e de toda a maldade de pessoas que não têm a capacidade de ver os outros bem. Há pessoas que nos desformatam de tal forma que depois somos mesmo nós a precisar de uns ajustes. (Malucos esses que como substituem as suas dores ao fazerem mal aos outros, raramente vão procurar ajuda e por isso acabamos por ter mais pessoas que até eram bastante capacitadas a ter consultas, e os verdadeiros malucos que provocam danos nunca são tratados... disfarçam-se bem). Há pessoas muito capacitadas de ver as nossas pequenas fissuras e aproveitarem-se das mesmas. Cabe-nos a nós não permitir mais. Temos de ser mais firmes... isso ajuda! E sem culpas!


Uma analogia simples: podes ter a vesícula biliar, o estômago, o fígado saudáveis, mas se comeres fast-food todos os dias, provavelmente ficarão doentes um dia. No meu caso, passa muito por, apesar do meu "feeling", ter dado sempre o benefício da dúvida a toda a gente. Tendencialmente quero ver sempre algo bom nas pessoas. Quis transformar fast-food em comida saudável... e deu no que deu. Mas todo o caminho, todas as dores, são uma bela oportunidade de reconstrução, de aprendizagem,  etc.!


Não ligues a esses comentários. Tenta ser firme!!!
5
Tópicos Lúdicos / Re: Cheguei à Conclusão que...
« Última mensagem por unfold em Há 2 semanas »
que é sozinha que eu vou ficar... eis o meu destino  lol

Duas! No meu caso é 50/50: 50% destino e 50% escolha! :) Não há nada errado nisso. Não tem de andar toda a gente emparelhada. A sociedade é que nos coloca esses padrões na cabeça... contos infantis, filmes, novelas... durante muitas décadas, a história foi sempre a mesma, excepto dois ou três poetas místicos desde o ano 1200 (que eu conheça... não os conheço a todos). O resto, até há poucos anos, era tudo príncipes e princesas, heróis prontos a cortar a cabeça do "rival", o ideal de uma casinha e duas pessoas a viver lá dentro, a trazerem rebentos ao mundo, até aos ciúmes, traições, filhos bastardos, relações incestuosas, o drama, o horror, a tragédia. Conheces aquele jogo que é o jogo da memória, em que há cartões com duas imagens iguais? Às vezes sinto que sou um desses cartões, mas sem outro cartão para fazer par, e que acabou por sair do jogo! :D
6
Tópicos Lúdicos / Re: Palavras que magoam
« Última mensagem por MónicaCarvalhoCasas em Há 2 semanas »
"vai te tratar" e "és maluca"  :P  obrigada a essa pessoa, melhorou a minha autoestima




(dia de ressabiamento)  ::)
7
Tópicos Lúdicos / Re: Cheguei à Conclusão que...
« Última mensagem por MónicaCarvalhoCasas em Há 2 semanas »
que é sozinha que eu vou ficar... eis o meu destino  lol
8
Outras Conversas / Re: Filosofando
« Última mensagem por unfold em Há 2 semanas »
Quando foi que a maioria se permitiu retrair tanto? Quantos dos que se cruzam connosco na rua, são eles próprios, e quantos saíram de casa colocando o chip da fantochada? Lembro-me daquela senhora, no elevador, que conteve a vontade de rir. Como se rir fosse proibido. Penso no porquê de o ter feito, no porquê de não se ter permitido dar uma gargalhada no elevador. Será que só se ri em casa, nos ambientes seguros? Que amarras serão as dela? Quando foi que nos esquecemos que podemos dançar na rua, que podemos abrir os braços e abraçar a chuva que cai do céu? A maioria já não repara nessas coisas? Não sabe que pode? Quando é que as pessoas podem ser elas? É por isso que nos dizem que devemos ir de vez em quando para um local onde ninguém nos conheça? Ah, estou a ver... temos de ir para um local onde ninguém nos conheça, porque nesse local perdemos o peso de podermos ser identificados e, então, podemos ser nós próprios? Ah, teatro durante 343 dias por ano... e nos 22 dias que temos de férias, podemos ser nós, sem amarras? Que triste que isso deve ser. Manter a pose, viver direito 343 dias... e ser livre e espontâneo durante 22 dias.
9
Tópicos Lúdicos / Re: O que fazes/ouves neste momento?
« Última mensagem por unfold em Há 2 semanas »
https://www.youtube.com/watch?v=IiYVsPBZkhk&list=RDMM


If you tell me I'm wrong, wrong
I don't wanna be right, right
If you tell me I'm wrong, wrong
I don't wanna be right


 [smiley=bateria.gif] 
10
Outras Conversas / Re: O que mata o Amor?
« Última mensagem por unfold em Há 2 semanas »
A sociedade mata o amor. A forma como se vê o amor. De todas as formas.


Tu que me falavas tanto de paz e amor, afinal vês o amor não correspondido como um cancro, e o amor não correspondido não é um cancro. Tu que tanto falavas de paz e amor, não suportas ver-me bem e feliz ao lado das minhas ex-namoradas, porque no fundo dessa "paz" toda que tens, tens um monte de sentimentos que nunca assumiste nem aos teus amigos mais próximos. Às vezes algumas coisas doem, claro que sim, mas depende muito da forma como se olham as coisas. O que prevalece deve ser o bom, deve ser a energia boa que nos faz sentir, deve ser a partilha... se não pudermos direccionar esse amor à pessoa que amamos, podemos direccioná-lo de tantas outras formas. Mas a tua inveja fez-te querer colocares-me nunca caixa fechada muito escura, para que a minha luz não fosse vista, como quem guarda um pirilampo para que ele não espalhe a sua luz. Como te enganaste... como te enganaste em relação a mim... e como quase conseguiste fazê-lo comigo. Penso em ti e percebo que nunca foste minha amiga e eu perdoei tantas coisas pela amizade, mas, de facto, não temos nada a ver uma com a outra e, no fundo, tu só querias colocar-me a falar para conseguires separar ou juntar as pessoas à tua maneira. Quem pensas que és para manobrares as relações interpessoais dessa forma? Quando te acontece a ti não seres correspondida, escondes-te dos teus amigos para não verem a tua fragilidade... mas depois pensas que podes mandar no que os outros sentem em relação uns aos outros? Até podes fazê-lo durante algum tempo, mas sabes uma coisa? Um dia as nossas dores serão as dores dos outros, e nessses momentos... a verdade, a clareza, virá ao de cima. Olho para ti e percebo que no meio da tua energia toda e palavras aceleradas, nunca me falaste muito sobre ti... fazes perguntas mas se os outros tas fazem, respondes com charadas. Nem sequer te conheço... porque tu não te dás a conhecer. Tens medo de te dares a conhecer. Eu, no meio de toda a baralhação e dores (muitas vezes transferidas...) já não tenho esse medo. Não sou sempre coerente e mostro essa incoerência? E depois? Quem está a auto-conhecer-se ainda está em mudança... não tem de ser absolutamente coerente em tudo. Eu, pelo menos, tenho coragem de o fazer. Já tu... navegas nas vidas dos outros para fugires de ti e divides para reinar. É triste... tanta paz e tanto amor...


Sabes o que é que é incoerente? É dizeres a todo o mundo que devemos ficar felizes com a felicidade dos outros, mas quando vês alguém que consegue fazê-lo, dizeres: "Tens de estar triste, porque o normal é estares triste." Já tinha ultrapassado a "fase" em que pensavas que eu estava há muito tempo, mas, por algum motivo, quiseste empurrar-me para lá. Estás tão enganada. A mim o que me custa é, unicamente, a quebra de laços, principalmente o da amizade. Quanto ao resto, quer tu queiras, quer não queiras, estou muito bem resolvida. E garanto-te que não me empurras mais vez nenhuma. Porque, finalmente, tirei-te o comando. Se não consegues ser igual, não faz mal... cada um está onde está, mas não queiras que os outros não consigam só porque tu não consegues.
Páginas: [1] 2 3 ... 10