rede ex aequo

Olá Visitante27.jun.2022, 15:01:43

Sondagem

Em que partido pensas votar?

CDS-PP
7 (10.1%)
PSD
2 (2.9%)
PS
19 (27.5%)
CDU (PCP + PEV)
3 (4.3%)
BE
23 (33.3%)
Outros partidos
4 (5.8%)
Voto branco
5 (7.2%)
Voto nulo
2 (2.9%)
Não voto
4 (5.8%)

Votos totais: 59

Autor Tópico: Legislativas 2011  (Lida 29968 vezes)

 
Legislativas 2011
#40

Offline Wiko!

  • *****
  • Membro Ultra
  • Género: Masculino
  • Em vão, liberdade...
    • Ruas do Pensamento
Desigualdade? Serviços estatais em queda livre? Gestores públicos sobrevalorizados? Wilko, acabas de descrever um país socialista tintim por tintim. Acabas de descrever a consequência de abdicar da liberdade por motivos de segurança financeira, colocando dinheiro e poder na mão de terceiros para que o usem a seu belprazer em quartos. Vendedores de banha de cobra como o Louçã nunca hão de chegar ao poder, porque vivem de dizer mal das políticas que eles próprios replicariam se pudessem -  são consequências inevitáveis da coercção fiscal em grande escala. Pobreza na população, serviços sociais degradados e altos oficiais em compadrio com o governo são a norma nos países mais socialistas do mundo: Cuba (onde aproximadamente 75% do PIB é tributado) e a Coreia do Norte (onde praticamente 100% do PIB é tributado). Se queres a Escandinávia, adopta as políticas liberais deles que nós não temos (a Suécia não tem salário mínimo, para dar um exemplo) e arranja-me um povo que tenha ética de trabalho e gestão frugal, como o deles. É pena termos o Passos em vez da Margaret Thatcher.

A propósito - os 'verdadeiros culpados' são os senhores do BIS e das suas normas Basel I e II.

Eu considero que não deves ter muitas bases políticas se é essa a ideia que tens do socialismo. Em primeiro lugar, convém que percebas que misturas uma gigantesca miríade de socialismos quando falas de Cuba, da Coreia do Norte, e depois do BE. É que há comunismo, há socialismo democrático, há social-democracia, etc. Depois, baseias todo o teu discurso político (que se bem percebi se situa numa confusão entre a anarquia e o ultra-liberalismo económico) e a crítica a outras correntes ideológicas na questão da tributação, o que é muitíssimo redutor.

Na Escandinávia não praticam nada as políticas liberais que preconizas para o teu país. Têm os impostos mais altos do mundo, a melhor segurança social, os melhores serviços de saúde, de educação: TUDO PÚBLICO. Tem subsídios altíssimos para tudo quanto é doença, desemprego, maternidade, paternidade, etc. Na Suécia não há salário mínimo imposto pelo Estado, porque os sindicatos têm tanta força que impõem contratos colectivos de trabalho com salários elevadíssimos e super-justos (os trabalhadores suecos são os segundos mais caros da UE, os segundos!!). A inexistência de salário mínimo na Suécia não tem que ver com a adopção de nenhuma política de liberalismo económico, mas apenas a confiança na força reivindicativa da força laboral. O Estado não precisa de os proteger porque eles se protegem e bem.

Por fim, os países escandinavos NUNCA (MAS NUNCA MESMO!!!! JAMAIS, EM TEMPO ALGUM!!!!) puseram em prática políticas liberais semelhantes aquelas que preconizava e implementou Margaret Thatcher. São países onde a liberdade alicerçada na protecção que proporcionam à população chega também, obviamente, ao sistema económico e em que o Estado regula e taxa ao máximo todas as actividades económicas para ter a certeza que não são praticados abusos. OK?


Legislativas 2011
#41

Offline forjaz

  • ***
  • Membro Total
  • Género: Masculino
  • Quoniam unicum non iterabile.
Depois de ler as abalizadas opiniões que os foristas aqui têm publicado, eu que já cá não vinha há uns tempos já nem me lembrava do nick nem da senha, atrevo-me a fazer alguns considerandos acerca do assunto.
Assim, começo por dizer que me espanta a contradição de um povo que tudo contesta, diz mal do governo a torto e a direito e faz do queixume uma imagem de marca, quando tem a oportunidade de mudar, arrisca-se a eleger os mesmos que agora vilipendia.
É claro que  muitos dirão que não foi o governo presente que causou a crise e, porque também é muito português ser cultor do “coitadinhismo”, pensam que se deve reconduzir os que até foram maus, mas foram feitos cair em desgraça pelos mauzões dos outros partidos que não lhes fizeram a vontade.
Certamente que não foi o governo derrubado o único causador do triste estado a que se chegou. Nisso estamos de acordo e não vale a pena estar a repetir chavões. Mas também é verdade que a situação de descalabro económico já vinha sendo denunciada há muito e o governo foi cantando de galo e pondo ao povo uns óculos cor de rosa. Mentiu descaradamente quanto à situação do país e apresentou até dados mirabolantes, como aquela célebre frase do Sr. PM, segundo o qual Portugal seria o primeiro pais a sair da crise. Esta visto…
E o recurso  à ajuda externa que não era necessário, afinal foi-o. Sê-lo-ia mesmo se o PEC 4 fosse aprovado. Mas o caricato é que agora o mesmo recurso é apresentado como sendo uma vitória do governo que disse do mesmo cobras e lagartos.
Agora, em que ficamos? Virar à esquerda? Seja que esquerda for, da mais radical à mais “light”, não será solução para Portugal, porque não o foi para nenhum dos países em que foram encetadas as suas politicas.
As direitas se nalguma coisa pecam é por serem por vezes menos à direita do que deviam. Só numa politica liberal decentemente estruturada se poderá encontrar solução, pese embora facto de esta certeza motivo de dores viscerais a muito boa gente.
Mas se pensarmos que muito da crise actual foi de o Estado ter açambarcado esferas que deviam ser do domínio privado, ainda que sob pretextos hipocritamente filantrópicos, ver-se-á que é assim.
Perante este cenário de cega-rega, começo a crer que tinha razão Júlio César: Nem nos governamos nem nos deixamos governar.
    Forja de Vulcano

    Legislativas 2011
    #42

    Offline strings

    • ***
    • Membro Total
    • Género: Masculino
    • Don't tread on me
    Na Escandinávia não praticam nada as políticas liberais que preconizas para o teu país. Têm os impostos mais altos do mundo, a melhor segurança social, os melhores serviços de saúde, de educação: TUDO PÚBLICO. Tem subsídios altíssimos para tudo quanto é doença, desemprego, maternidade, paternidade, etc. Na Suécia não há salário mínimo imposto pelo Estado, porque os sindicatos têm tanta força que impõem contratos colectivos de trabalho com salários elevadíssimos e super-justos (os trabalhadores suecos são os segundos mais caros da UE, os segundos!!). A inexistência de salário mínimo na Suécia não tem que ver com a adopção de nenhuma política de liberalismo económico, mas apenas a confiança na força reivindicativa da força laboral. O Estado não precisa de os proteger porque eles se protegem e bem.

    Por fim, os países escandinavos NUNCA (MAS NUNCA MESMO!!!! JAMAIS, EM TEMPO ALGUM!!!!) puseram em prática políticas liberais semelhantes aquelas que preconizava e implementou Margaret Thatcher. São países onde a liberdade alicerçada na protecção que proporcionam à população chega também, obviamente, ao sistema económico e em que o Estado regula e taxa ao máximo todas as actividades económicas para ter a certeza que não são praticados abusos. OK?

    Mentira, de cima a baixo. Não é mentira o que descreves - as consequências positivas que inventaste é que são mentira.

    Para já, alguns exemplos concretos de liberalismo - vou-me cingir à Suécia. Tem:

    • A 22ª maior liberdade económica do mundo de acordo com o Wall Street Journal, à frente da nossa miserável 69ª posição.
    • Maior liberdade empresarial e financeira que os EUA.
    • Menos restrições ao comércio externo que os EUA.
    • Uma defesa dos direitos proprietários equiparável.
    • Imposto máximo sobre as empresas de 28%. Nos EUA é de 39.3%

    (Nota: a Dinamarca alcança invariavelmente lugares mais altos nestas estatísticas e classificações, por ter um mercado laboral mais desregulado).

    Agora, a explicar o porquê dos aspectos positivos que, de facto, existem na Suécia. A maior patranha saída desse post é de que a Suécia nunca adoptou medidas à là Thatcher. Entre 1860 e 1950, a Suécia passou de pobreza rural a 4º país mais rico do mundo (atrás dos EUA e Suíça) graças a políticas liberais: ausência de restrições ao comércio, tributação do PIB jamais superior a 10%, etc. as tolices Sociais Democratas a partir de 1932 não surtiram grande efeito até aos anos 50, graças ao oportunismo económico face a uma Europa em ruínas após 1945 (a Suécia não participou na Segunda Grande Guerra). Quase todas as grandes empreas suecas (Volvo, Saab, Ericsson) foram fundadas neste período pré-socialista.

    Nos anos 50 começou o maior aumento de tributação e despesa pública (em tempo de paz, claro) na hstória da economia moderna. Entre 1950 e 1976, a tributação do PIB aumentou de menos de 10% para mais de 50%. A irresponsabilidade fiscal esquerdista desvalorizou a moeda e precipitou uma crise inflaccionária de crédito, sobretudo por exigência dos sindicatos. A bolha rebentou finalmente em 1992 após uma década de estagnação: a Suécia tinha caído para 20º lugar nas comparações intercionais, e até hoje não recuperou o seu ranking pré-1950. Tem havido desde então alguma melhoria, graças ao abandono da taxa de câmbio fixa, à privatização de monopólios estatais e à desregulação dos sectores das telecomunicações e dos transportes. Mesmo assim, o crescimento económico da Suécia era já frugal comparado com o resto da Europa antes da crise económica.

    Vamos agora para a minha parte preferida:
    • O número de empregos na Suécia é 6% mas baixo que em 1990, um trend que começou já nos anos 80 antes das liberalizações posteriores.
    • O governo sueco altera desonestamente as estatísticas de desemprego para não reflectir várias realidades:
      • Os indemnizados a longo prazo e os trabalhadores em período de baixa contam como regularmente empregados.
      • As donas de casa praticamente não existem, sendo frequente o uso de infantários públicos. Quem é empregue pelo estado para tomar conta de crianças conta para as estatísticas de emprego; o mesmo não acontece com os pais que ficam em casa.
      • Os desempregos são regularmente mandados para 'actividades políticas do mercado de trabalho', uma fraude governamental criada para iludir estatísticas.
      • Incluindo reformas antecipadas e pessoas que vivem de subsídios para a doença, a taxa de desemprego na Suécia é de 25% em 2006 (antes da crise!). Os reformados antecipados a mamar de quem trabalha são 540 000. Entre imigrantes, a taxa de desemprego é de 50%.
      • O escalão decimal mais baixo da população Sueca tem aproximadamente os mesmos rendimentos do escalão equivalente nos EUA. As classe média e média-alta Americana são mais prósperas.

    Fontes: Markus Bergstrom, The Scandinavian-Welfare Myth Revisited; Stefan Karlsson, The Sweden Myth.

    P.S. - Não me lembrava que também tinha aqui estes dados, cortesia do 'Europe's World' de 2007. Entre 1997 e 2007, o rendimento do escalão mais baixo da população Irlandesa cresceu 8 vezes mais rápido que o da Sueca, e o da Britânica cresceu 6 vezes mais rápido. Maldito neoliberalismo.



      Legislativas 2011
      #43

      Offline forjaz

      • ***
      • Membro Total
      • Género: Masculino
      • Quoniam unicum non iterabile.
      --------------------------------------------------------------------------------

      Como gosto de fazer de advogado do Diabo (que também o merece, dado ser cidadão do mundo e nem o deve ter pela segurança social), aqui fica uma provocação ao STRINGS:
       Embora os exemplos dos desastres das práticas marxistas pelo mundo sejam demasiados para ilustrar quanto tais ideologias são perniciosas, não te parece que centrar os sucessos das politicas liberaris nos paises Escandinavos é demasiado redutor como ilustração?
      Aqui fica o repto.
        Forja de Vulcano

        Legislativas 2011
        #44

        Offline Miguel★

        • *****
        • Membro Elite
        • Género: Masculino
        • Sonhador apaixonado
          • A Minha Intensa Paixão
        CDS-PP e PCP desvalorizam resultado da sondagem

        Enquanto o CDS-PP entende que a sondagem não tem credibilidade, o PCP defende que mais do que em estudos de opinião, na hora de votar, os portugueses devem pensar na sua condição de vida.

        Se as eleições fossem hoje, o PS venceria, apesar de só com um ponto acima do PSD, segundo o barómetro da Marktest para a TSF e Diário Económico.

        O secretário-geral do CDS-PP considerou que esta sondagem não «tem qualquer credibilidade», até porque é feita pelo mesmo centro de sondagens que há dois anos «a quatro dias do CDS ter tido 10,5 por cento dava cinco por cento ao CDS».

        O democrata-cristão lembrou que a sondagem feita há um mês, conhecida na véspera de Passos Coelho pedir maioria absoluta, dava maioria ao presidente do PSD.

        Agora, comentou João Almeida, os «erros sucessivos do PSD fazem gerar uma insegurança nesse partido».

        Também Vasco Cardoso, da comissão política do PCP, disse que o partido não atribui particular importância à sondagem e recomendou aos portugueses não se deixarem influenciar por estudos de opinião, mas votarem em «função das suas condições de vida».

        http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1835112&tag=sondagens

        Quando estão por baixo as sondagens não têm "credibilidade". Quando estão à frente, são do mais credível que há. Os políticos portugueses estão cada vez mais perspicazes. lol

        Legislativas 2011
        #45

        Offline forjaz

        • ***
        • Membro Total
        • Género: Masculino
        • Quoniam unicum non iterabile.
        Li isto há pouco. Aqui fica, cada qual pense o que quiser...
        ..........................................................................................
        Álvaro Santos Pereira, economista, diz à Renascença, que este acordo com a "troika" "é o maior atestado de incompetência atribuido ao governo por uma organização internacional". Vídeo aqui: http://www.rr.pt/multimedia_video.aspx?fid=170&fileID=293253

        Contudo, para alguém que discorde desta opinião, devo dizer que ontem foi noticiado com dados estatisticos que o provam, que nos seis anos de Governo de Sócrates se gastou mais que nos 31 anteriores, desde o 25 de Abril. E, pior que tudo, com fins de somenos interesse, ou nenhuma mesmo e claros casos de beneficiação pessoal.
        « Última modificação: 6 de Maio de 2011 por forjaz »
          Forja de Vulcano

          Legislativas 2011
          #46

          Offline Miguel★

          • *****
          • Membro Elite
          • Género: Masculino
          • Sonhador apaixonado
            • A Minha Intensa Paixão
          PS de novo à frente do PSD

          O PS (36%) ultrapassou o PSD (34%) e lidera as intenções de voto na última sondagem da Universidade Católica para o JN. O CDS/PP está a crescer (10%) mas a soma dos dois partidos de centro-direita deixa-os cada vez mais longe da maioria absoluta.

          De acordo com a sondagem do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP) para o JN, DN, RTP e Antena 1, entre Abril e Maio o PS subiu três pontos percentuais, enquanto o PSD acusa um trambolhão de cinco pontos.

          Se se considerar o bloco de centro-direita, a queda do PSD (cinco pontos) só parcialmente é compensada pela subida do CDS-PP (três pontos). Em conjunto, os dois partidos têm agora 44%, menos dois pontos do que no mês passado. E portanto mais longe de uma maioria absoluta no próximo Parlamento.

          Ficha técnica

          Esta sondagem foi realizada pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP) para a Antena 1, a RTP, o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias nos dias 30 de Abril e 1 de Maio de 2011. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes em Portugal Continental. Foram seleccionadas aleatoriamente dezanove freguesias do país, tendo em conta a distribuição da população recenseada eleitoralmente por regiões NUT II (2001) e por freguesias com mais e menos de 3200 recenseados. A selecção aleatória das freguesias foi sistematicamente repetida até os resultados eleitorais das eleições legislativas de 2009 e presidenciais de 2011 nesse conjunto de freguesias, ponderado o número de inquéritos a realizar em cada uma, estivessem a menos de 1% do resultados nacionais dos cinco maiores partidos ou candidatos. Os domicílios em cada freguesia foram seleccionados por caminho aleatório e foi inquirido em cada domicílio o mais recente aniversariante recenseado eleitoralmente na freguesia. Foram obtidos 1370 inquéritos válidos, sendo que 58% dos inquiridos eram do sexo feminino, 33% da região Norte, 20% do Centro, 34% de Lisboa e Vale do Tejo, 6% do Alentejo e 6% do Algarve. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição da população com 18 ou mais anos residentes no Continente por sexo, escalões etários e grau de instrução, na base dos dados do INE, e por região e habitat na base dos dados do recenseamento eleitoral. A taxa de resposta foi de 52,4%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1370 inquiridos é de 2,6%, com um nível de confiança de 95%.

          http://www.jn.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=1845329

          Legislativas 2011
          #47

          Offline Shitmydadsays

          • ***
          • Membro Total
          JM Star, não seja por isso


          A pouco menos de um mês das eleições legislativas antecipadas, marcadas para dia 5 de Junho, surgem também as sondagens.

           

          Na sondagem realizada pela Universidade Católica para o Diário de Notícias o PS regista 36% das intenções de voto e ultrapassa o PSD (34%). O Partido Socialista sobe nas intenções de voto, em relação a Abril, cujo valor era de 33%.

          O CDS-PP também sobe de 7 para 10%, tocando de posição com os Verdes, que sobe de 8% para 9%. Quanto ao Bloco de Esquerda, este cai de 6 para 5%.


          O número de indecisos continua elevado, rondando os 30%, e mantêm-se, praticamente inalterados, os 15% que não vão votar para eleger o próximo primeiro-ministro.


          Já a Eurosondagem feita para a SIC, Expresso e Renascença atribui a vitória ao PSD, mas sem maioria. O partido liderado por Passos Coelho ficaria a pouco mais de 3% do PS, que teria menos 4% do que nas últimas legislativas (36,5%).


          Quanto ao CDS-PP ultrapassaria os 11%, enquanto que o Bloco de Esquerda passaria para último lugar.


          Esta manhã, na TSF, Pedro Silva Pereira reagiu à sondagem que atribui a vitória ao PS dizendo: “Os portugueses reconhecem que numa situação difícil para o país, uma governação responsável e uma liderança corajosa é aquilo que melhor serve os interesses nacionais para defender Portugal”.

            Legislativas 2011
            #48

            Offline Wiko!

            • *****
            • Membro Ultra
            • Género: Masculino
            • Em vão, liberdade...
              • Ruas do Pensamento
            A maior parte dos analistas estrangeiros fica extraordinariamente perplexa com o facto de, no nosso país, que não tem um sistema bipartidário, as pessoas votarem desde sempre, há mais de 30 anos, nos mesmos dois partidos que têm feito, sempre, asneira da grossa (PS, PSD, CDS). Enfim, já se dava alguma mudança...

            Legislativas 2011
            #49

            Offline johny.n.1986

            • *****
            • Membro Ultra
            • Género: Masculino
            • bang bang, I shot you down!
            A maior parte dos analistas estrangeiros fica extraordinariamente perplexa com o facto de, no nosso país, que não tem um sistema bipartidário, as pessoas votarem desde sempre, há mais de 30 anos, nos mesmos dois partidos que têm feito, sempre, asneira da grossa (PS, PSD, CDS). Enfim, já se dava alguma mudança...

            Concordo.
            Mas para isso era preciso a população não ser inculta. Caso contrário, os políticos têm um incentivo a fazer novela.
              With my feet on the air and my head on the ground

              Legislativas 2011
              #50

              Offline SoWhat

              • *****
              • Membro Elite
              • Género: Masculino
              A maior parte dos analistas estrangeiros fica extraordinariamente perplexa com o facto de, no nosso país, que não tem um sistema bipartidário, as pessoas votarem desde sempre, há mais de 30 anos, nos mesmos dois partidos que têm feito, sempre, asneira da grossa (PS, PSD, CDS). Enfim, já se dava alguma mudança...

              Concordo.
              Mas para isso era preciso a população não ser inculta. Caso contrário, os políticos têm um incentivo a fazer novela.

              Sim realmente, fala-se mal de um dos três grandes do futebol há logo barraca. Mas no que toca à política "ninguém" quer saber. Era o Cristiano Ronaldo candidatar-se à Presidência da República e estávamos feitos! xD

                Legislativas 2011
                #51

                Offline Back Room

                • *****
                • Membro Elite
                • Género: Masculino
                Branco.

                Votei Fernando Nobre nas presidenciais. Aprendi a lição.

                O vazio ideológico e o discurso ultra-demagógico anti-partidos é sempre muito perigoso. Pode ser que agora as pessoas aprendam.

                Bloco de Esquerda .. Que mais?  ;)

                eheh É isso mesmo :)

                Criticas o perigo de eu votado no vazio e num discurso ultra-demagógico... e votas BE?!

                Haja coerência.
                  "I started being proud of being gay, even though I wasn't." Kurt Cobain.

                  "Quelle est votre plus grand ambition dans la vie? Devenir immortel... et puis... mourir." À Bout de Souffle, Godard.

                  "One of the great tragedies of mankind is that morality has been hijacked by religion." Arthur C. Clark

                  Legislativas 2011
                  #52

                  Offline Wiko!

                  • *****
                  • Membro Ultra
                  • Género: Masculino
                  • Em vão, liberdade...
                    • Ruas do Pensamento
                  Branco.

                  Votei Fernando Nobre nas presidenciais. Aprendi a lição.

                  O vazio ideológico e o discurso ultra-demagógico anti-partidos é sempre muito perigoso. Pode ser que agora as pessoas aprendam.

                  Bloco de Esquerda .. Que mais?  ;)

                  eheh É isso mesmo :)

                  Criticas o perigo de eu votado no vazio e num discurso ultra-demagógico... e votas BE?!

                  Haja coerência.

                  Sim, há coerência. Obrigado :)

                  Legislativas 2011
                  #53

                  Offline tal-go

                  • *****
                  • Membro Ultra
                  • Género: Masculino
                  • Um sonho...o Mundo.
                  Para que fique claro: não votei nunca BE, não vou votar BE e não me revejo no discurso do BE...mas se há coisa que o discurso do BE é, é precisamente não ser vazio.
                  Eles têm apresentado soluções e não caem na armadilha do facilitismo ao apregoar meia dúzia de ideais que toda a gente já sabe que não passam de palavras de político de turno.

                    Legislativas 2011
                    #54

                    Offline forjaz

                    • ***
                    • Membro Total
                    • Género: Masculino
                    • Quoniam unicum non iterabile.
                    .
                    Eles têm apresentado soluções e não caem na armadilha do facilitismo ao apregoar meia dúzia de ideais que toda a gente já sabe que não passam de palavras de político de turno.

                    Falta saber, meu caro, é a validade e exequibilidade das mesmas soluções. Por exemplo, para mim, as ideias que têm proposto para evitar a intervenção do FMI são irrealistas.
                      Forja de Vulcano

                      Legislativas 2011
                      #55

                      Offline forjaz

                      • ***
                      • Membro Total
                      • Género: Masculino
                      • Quoniam unicum non iterabile.
                      li o compromisso eleitoral do Bloco. gostei do diagnóstico:


                      - mobilização da poupança e reforço da banca pública



                      E como se leva isso a cabo? Nacionalizando a banca privada?
                        Forja de Vulcano

                        Legislativas 2011
                        #56

                        Offline johny.n.1986

                        • *****
                        • Membro Ultra
                        • Género: Masculino
                        • bang bang, I shot you down!
                        "A pequena e média poupança popular deve ser concentrada através da emissão de títulos com rendimentos razoáveis e obrigações ligadas a projectos públicos dinamizados no sector empresarial do Estado"

                        ?? Quais? A AdP que está preste a despedir gente para pagar dividendos, ou a TAP que é volátil ao preço do petróleo e passa a vida em greve? Depois as obrigações entram em default. Vago.


                        "o Bloco propõe a reorientação para a CGD dos 12 mil milhões de euros previstos para apoio à banca privada. Só a solidez do banco público permite uma estratégia sustentável de crédito à economia"

                        ?? Quem lhe diz que o crédito a prestar pela CGD é aplicado em coisas "sustentáveis" ? Primeiro que defina o que é para ele um projecto sustentável, e depois venha então defender estas trapalhadas. E pelo meio, que veja a quem é que o BES, o BCP e o BPI andaram a conceder crédito e em que montantes. Cor-de-rosinha.
                          With my feet on the air and my head on the ground

                          Legislativas 2011
                          #57

                          Offline Miguel★

                          • *****
                          • Membro Elite
                          • Género: Masculino
                          • Sonhador apaixonado
                            • A Minha Intensa Paixão
                          Empate perfeito entre PS e PSD

                          O PS e o PSD têm ambos 36% na sondagem efectuada pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião (CESOP) da Universidade Católica Portuguesa (CESOP) para o DN, JN, RTP e Antena 1 nos dias 21 e 22 de Maio, logo a seguir ao debate televisivo entre José Sócrates e Pedro Passos Coelho.

                          Apesar do resultado dar um empate perfeito, os sociais-democratas sobem dois pontos percentuais em relação ao último inquérito de opinião, publicado a 6 de Maio, o que pode representar uma inversão da tendência anterior.

                          Também mantêm a mesma intenção de voto o CDS, com 10%, e a CDU, com 9% - o que, em termos de técnica de sondagem, em que o intervalo de erro é de 2,5%, é considerado um empate técnico. O BE, apesar de se manter na última posição, sobe agora de 5% para 6%.

                          A amostra revela que há ainda 28% de indecisos entre as pessoas que, declarando estar dispostas a ir votar (não são abstencionistas), dizem que ainda não decidiram em que partido vão colocar a cruz no boletim de voto.

                          Mesmo assim, comparando estes resultados com os barómetros de Abril e de 6 de Maio, verifica-se uma descida relativamente ao número de indecisos e dos que dizem votar branco ao nulo, que são agora 32% (28+4), quando eram 33% (30+3) há quinze dias e 37% (35+2) no mês passado.

                          DN

                          Legislativas 2011
                          #58

                          Offline Miguel★

                          • *****
                          • Membro Elite
                          • Género: Masculino
                          • Sonhador apaixonado
                            • A Minha Intensa Paixão
                          Primeiro mandou as Novas Oportunidades (para quem não teve possibilidades de estudar anteriormente) abaixo e agora o Doutor Passos Coelho admitiu a hipótese de referendar novamente a Lei do Aborto, contrariando assim a população de um país que votou maioritariamente "Sim". Eu nunca vi nada parecido. Mas quem é que discute a vontade popular num país democrático? Só mesmo os políticos portugueses. As mulheres que apoiavam alguém assim ou um partido destes devem redimir-se imediatamente. E estendo essa hipótese aos LGBT, porque tanto o PSD ou o CDS iriam tentar revogar a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo se alcançassem o poder. Marquem as minhas palavras. É preciso combater o conservadorismo da Direita portuguesa. Olhem para as Direitas de outros países europeus, muito mais liberais e avançadas (e por isso é que conseguem chegar ao Governo, ao contrário do PSD que não governa sem coligação há 16 anos). É preciso deitar estes políticos no caixote do lixo, ou seja, não votar neles.

                          Não sou comunista nem radical, mas um voto na CDU ou no BE nesta altura do campeonato é muito mais legítimo do que nesta Direita fracassada, irrelevante e desprezível que se formou em Portugal.
                          « Última modificação: 27 de Maio de 2011 por JM Star »

                            Legislativas 2011
                            #59

                            Offline SofiaDiener

                            • *****
                            • Membro Ultra
                            • Género: Feminino
                            • caixotedetralha.blogspot.com
                              • Caixote de Tralha
                            Primeiro mandou as Novas Oportunidades (para quem não teve possibilidades de estudar anteriormente) abaixo e agora o Doutor Passos Coelho admitiu a hipótese de referendar novamente a Lei do Aborto, contrariando assim a população de um país que votou maioritariamente "Sim". Eu nunca vi nada parecido. Mas quem é que discute a vontade popular num país democrático? Só mesmo os políticos portugueses. As mulheres que apoiavam alguém assim ou um partido destes devem redimir-se imediatamente. E estendo essa hipótese aos LGBT, porque tanto o PSD ou o CDS iriam tentar revogar a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo se alcançassem o poder. Marquem as minhas palavras. É preciso combater o conservadorismo da Direita portuguesa. Olhem paras as Direitas de outros países europeus, muito mais liberais e avançadas (e por isso é que conseguem chegar ao Governo, ao contrário do PSD que não governa sem coligação há 16 anos). É preciso deitar estes políticos no caixote do lixo, ou seja, não votando neles.

                            Não sou comunista nem radical, mas um voto na CDU ou no BE nesta altura do campeonato é muito mais legítimo do que nesta Direita fracassada, irrelevante e desprezível que se formou em Portugal.

                            Concordo. Sou de direita, mas a direita actual tornou-se num bando de beatas caquécticas e fundamentalistas...não posso votar neles...não faz sentido nenhum.
                              - sejam felizes -

                               

                              Tópicos relacionados

                                Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                              105 Respostas
                              19477 Visualizações
                              Última mensagem 22 de Fevereiro de 2011
                              por icognita
                              13 Respostas
                              4211 Visualizações
                              Última mensagem 22 de Maio de 2011
                              por Maped
                              1 Respostas
                              1580 Visualizações
                              Última mensagem 28 de Maio de 2011
                              por Templarius
                              0 Respostas
                              2385 Visualizações
                              Última mensagem 27 de Março de 2011
                              por filipepaulo
                              16 Respostas
                              4253 Visualizações
                              Última mensagem 25 de Novembro de 2015
                              por carolinalg