Outras Conversas > Espiritualidade, Sobrenatural e Religião

Por que não sou/sou cristão e/ou católic@

(1/12) > >>

Elizabeth Siddal:
Olá a tod@s :)

"Por Que Não Sou Cristão" é o título de um livro do filósofo Bertrand Russel. Lembrei-me de pegar no título deste livro e criar um tópico para saber os motivos que os levam a ser ou não cristãos, a ser ou não católicos. Não são católicos porque não se identificam com a doutrina da igreja católica? Não são católicos porque não acreditam nos padres? Mas acreditam em Deus e em Jesus Cristo? Porquê?  São cristãos mas não católicos? Acreditam nos valores básicos da Igreja (católica ou outra cristã) mas não seguem à risca?

Enfim, gostaria que comentassem o tópico.

Philippos13:
A resposta curta a esta questão seria: não sou cristão/católico porque a minha capacidade de raciocinar não mo permite.

Nunca acreditei verdadeiramente em Deus. Esta ausência de crença religiosa começou por ser apenas indiferença: durante muito tempo não me preocupei com a religião nem com Deus porque não tinham qualquer papel na minha vida. Mais tarde, à medida que fui amadurecendo ideias, percebi que era importante examinar com cuidado as minhas ideias acerca de Deus, tanto para me conhecer a mim próprio como para poder formar uma opinião informada sobre o assunto. Após alguns anos em que me dediquei (com mais ou menos afinco) a investigar o assunto e reflectir sobre ele, concluí que a única posição razoável seria o ateísmo. E tem sido esta a minha posição em relação a Deus desde então.

Quanto à Igreja Católica em particular, não me identifico com muitas das suas posições. No entanto, li a Bíblia e, apesar de muito do que lá está não fazer sentido fora do contexto histórico e cultural em que foi escrito, existem algumas ideias interessantes. No entanto, parece-me que algumas dessas ideias, as mais consensuais, correspondem a valores morais que não têm nada a ver com Deus ou a religião. Por exemplo, se eu escrevesse um livro que defendesse a existência de unicórnios e que advogasse também a paz como objectivo fundamental para a humanidade, não seria difícil conceber que muitas pessoas se identificassem com o segundo ponto sem acreditarem no primeiro (ou mesmo negando a veracidade do primeiro). É mais ou menos isto que sinto em relação a alguns (repito, alguns) valores presentes na Bíblia e promovidos pela Igreja Católica.

Elizabeth Siddal:

--- Citação de: Philippos13 em 27 de Julho de 2012 ---

Quanto à Igreja Católica em particular, não me identifico com muitas das suas posições. No entanto, li a Bíblia e, apesar de muito do que lá está não fazer sentido fora do contexto histórico e cultural em que foi escrito, existem algumas ideias interessantes. No entanto, parece-me que algumas dessas ideias, as mais consensuais, correspondem a valores morais que não têm nada a ver com Deus ou a religião. Por exemplo, se eu escrevesse um livro que defendesse a existência de unicórnios e que advogasse também a paz como objectivo fundamental para a humanidade, não seria difícil conceber que muitas pessoas se identificassem com o segundo ponto sem acreditarem no primeiro (ou mesmo negando a veracidade do primeiro). É mais ou menos isto que sinto em relação a alguns (repito, alguns) valores presentes na Bíblia e promovidos pela Igreja Católica.

--- Fim de Citação ---

A verdade é que esses valores, pelo menos muitos deles, não são tão consensuais e são um produto da moral judaico-cristã. Mesmo quando não somos crentes estamos, no mundo ocidental, empregnados dessa moral. Toma como exemplo a monogamia ou mesmo a ideia de paz: se fores a outros povos, a poligamia é a regra e muitos outros advogam a guerra. Nós temos estes valores que são mais ou menos comuns no mundo ocidental porque somos um produto da moral judaico-cristã...

Philippos13:

--- Citação de: Elizabeth Siddal em 30 de Julho de 2012 ---
--- Citação de: Philippos13 em 27 de Julho de 2012 ---

Quanto à Igreja Católica em particular, não me identifico com muitas das suas posições. No entanto, li a Bíblia e, apesar de muito do que lá está não fazer sentido fora do contexto histórico e cultural em que foi escrito, existem algumas ideias interessantes. No entanto, parece-me que algumas dessas ideias, as mais consensuais, correspondem a valores morais que não têm nada a ver com Deus ou a religião. Por exemplo, se eu escrevesse um livro que defendesse a existência de unicórnios e que advogasse também a paz como objectivo fundamental para a humanidade, não seria difícil conceber que muitas pessoas se identificassem com o segundo ponto sem acreditarem no primeiro (ou mesmo negando a veracidade do primeiro). É mais ou menos isto que sinto em relação a alguns (repito, alguns) valores presentes na Bíblia e promovidos pela Igreja Católica.

--- Fim de Citação ---

A verdade é que esses valores, pelo menos muitos deles, não são tão consensuais e são um produto da moral judaico-cristã. Mesmo quando não somos crentes estamos, no mundo ocidental, empregnados dessa moral. Toma como exemplo a monogamia ou mesmo a ideia de paz: se fores a outros povos, a poligamia é a regra e muitos outros advogam a guerra. Nós temos estes valores que são mais ou menos comuns no mundo ocidental porque somos um produto da moral judaico-cristã...

--- Fim de Citação ---

Concordo plenamente. Quando me referi a valores "consensuais", estava a referir-me a ideias mais gerais como "não matarás", por exemplo. A ideia que eu pretendia transmitir era a de que se pode ser a favor de alguns princípios morais que estão presentes na Bíblia ou nas posições da Igreja Católica sem que se seja crente. Esta ideia é importante porque muitas vezes (talvez não no nosso país, mas nos EUA é frequente utilizarem-se estes argumentos) os ateus são encarados como "amorais"/"imorais" quando na realidades os valores e a religião são coisas muito diferentes.

Aerys II:

--- Citação de: Elizabeth Siddal em 27 de Julho de 2012 ---Olá a tod@s :)

"Por Que Não Sou Cristão" é o título de um livro do filósofo Bertrand Russel. Lembrei-me de pegar no título deste livro e criar um tópico para saber os motivos que os levam a ser ou não cristãos, a ser ou não católicos. Não são católicos porque não se identificam com a doutrina da igreja católica? Não são católicos porque não acreditam nos padres? Mas acreditam em Deus e em Jesus Cristo? Porquê?  São cristãos mas não católicos? Acreditam nos valores básicos da Igreja (católica ou outra cristã) mas não seguem à risca?

Enfim, gostaria que comentassem o tópico.

--- Fim de Citação ---

Creio que a pergunta não é "porque não sou cristão?"

Porque haveria de o ser? Porque é que os cristãos deste fórum ou de outro sítio qualquer o são? O mais provável é porque foram criados num lar cristão, frequentaram uma catequese, cresceram num país onde se vêem mais igrejas que mesquitas ou templos budistas, porque viram os amigos sujeitos às mesmas pressões ideológicas a irem para a catequese e porque cresceram rodeados de expressões que realçam a cultura judaico-cristã que permeia o nosso país.

Eu não sou cristão pela mesma razão que não sou islâmico, hinduísta ou asatrú.

Nunca houve nada que me levasse a supôr a existência de uma entidade sobrenatural, ainda menos com as características altamente específicas atribuídas ao deus cristão. Nunca  vi necessidade nenhuma de seguir o que meia dúzia de malucos escreveu num livro - que, e isto sim parece milage, se tornou num best-seller - e que contraria as minhas necessidades mais básicas para ser feliz. Nunca houve nada que me levasse a pôr de parte o meu raciocínio lógico e capacidade de interpretação do mundo baseada nos meus sentidos para aceitar uma teoria altamente fantasiosa sem qualquer fundamento físico (ainda que tenha alguma consistência lógica interna) que me prejudicasse a mim ou a pessoas que nunca me fizeram mal nenhum, como me parece que uma moral podre como a cristã faz.

Isto pondo de um modo mais simples:

- não há nada que me indique a existência de um deus ou outra entidade sobrenatural (isto inclui mas não está restrita aos seres da mitologia cristã);
- a moral cristã vai contra a minha ideologia.

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa