Cidades com e sem núcleo lgbti > Setúbal

Casos de homofobia na Margem sul

<< < (2/5) > >>

almadagayboy:

--- Citação de: cris.chubbybear em 29 de Agosto de 2009 ---Sim ja fui vitima de uma extrema homofobia... Eu e o meu namorado...

Na praia... :(... Demos um beijo em publico, e pronto lá veio uma senhora a querer baternos, a gritar que nem uma histerica a dizer que nos eramos umas aberraçoes da natureza, que deveriamos morrer, que se fossemos filhos dela ela nos queimava vivos... Que iriamos arder no fogo do inferno... Etc etc etc... E isto foi a um mes atras... E ouvir aquilo dou tanto, ams tanto :(

--- Fim de Citação ---

na margem sul existe a praia 19, das maiores praias LGBT do país, onde se pode estar perfeitamente à vontade com manifestações de afecto com o namorado/a. agora andar aos beijos em praias não lgbts é um bocado mal... pois, apesar de estarmos no nosso direito, podemos estar a ferir susceptibilidades de muita gente, incluindo crianças, que possam estar ao nosso lado. há que haver respeito e ser respeitado. mas acreditem numa coisa, se eu estivesse numa praia não lgbt, com o meu filho ou sobrinho pequenino e estivessem LGBTs ou HETEROS num amaço pegado à vista de toda a gente (genero sexo ao vivo) eu próprio manifestaria a minha reprovação. há sitios para tudo. e olhem que sou super liberal com a vida! há beijos e beijos, há amaços e amaços, há que respeitar e ser respeitado.

eu vivo em almada com o meu boy e nunca presenciei nenhum caso de homofobia na margem sul (mas tb nunca me coloquei em situações que pudessem criar constrangimento algum).

até há um bar LGBT friendly em Almada - o manga rosa (com admissão muito bem seleccionada),  onde podemos estar verdadeiramente à vontade e a conhecida discoteca Mister Gay. Se houvesse homofobia na margem sul, os homofóbicos fariam uma espera à porta desses sitios, e não fazem. é super pacífico.

eu gosto de viver em Almada.

sweet_poison:
Olá,

Pessoalmente nunca me senti descriminada por estas bandas. Em relação ao que vejo à minha volta, para além de algumas boquinhas foleiras que ouço para pessoa X e Y, nunca vi nada de muito alarmante e espero que assim continue.

mr.blue:
por acaso, sim...das minhas primeiras!
a semana passada, exactamente há uma semana andava com um rapaz....e ele veio ter à minha escola, saímos e fomos passear. E demos um beijo na boa. Mesmo com toda a gente a olhar....
No dia seguinte, na hora de saida, ia a sair....e um grupo d raparigas a falar com um grupo d rapazes ao longe aponta para a entrada donde eu tava a passar. Nao tinha percebido o pq daqilo e fiqei: "q maluquinhas"....passei pelos rapazes e eles a olharem para mim duma maneira. fiqei algo confuso, do genero...a q s deve isto tudo?
só dps mais à frente, ouvi a palavra p********...e percebi! decidi nao ligar! enfim! q s há-d fazer com neandearthais?

- Miguel -:

--- Citação de: almadagayboy em 7 de Setembro de 2009 ---na margem sul existe a praia 19, das maiores praias LGBT do país, onde se pode estar perfeitamente à vontade com manifestações de afecto com o namorado/a. agora andar aos beijos em praias não lgbts é um bocado mal... pois, apesar de estarmos no nosso direito, podemos estar a ferir susceptibilidades de muita gente, incluindo crianças, que possam estar ao nosso lado. há que haver respeito e ser respeitado. mas acreditem numa coisa, se eu estivesse numa praia não lgbt, com o meu filho ou sobrinho pequenino e estivessem LGBTs ou HETEROS num amaço pegado à vista de toda a gente (genero sexo ao vivo) eu próprio manifestaria a minha reprovação. há sitios para tudo. e olhem que sou super liberal com a vida! há beijos e beijos, há amaços e amaços, há que respeitar e ser respeitado.

--- Fim de Citação ---

Não compreendo como é que se pode dizer que é um bocado mal manifestar afecto onde quer que seja, principalmente porque no contexto das praias não há, que eu saiba, uma clausula quanto aos afectos e de quem os pode realizar.

Falo de afectos, onde estão contemplados os beijos, abraços e não cenas de cariz sexual, pois essas não são permitidas em locais de acesso livre/publico. Isto para dizer o quê, reparo que nem sempre os patamares dos afectos são equilibrados quanto às diferentes orientações sexuais bem como à reprovação demonstrada. Um episódio de um beijo (simples) entre duas pessoas do mesmo sexo, é capaz de ser contado, posteriormente, como uma situação escandalosa onde o beijo deu lugar a uma cena digna de censura.

Como habitante destas zonas, já assisti a alguns episódios de discriminação. Não me calei quando os discriminantes eram conhecidos, questionei quanto à sensatez dos gestos e à razão pelo que assisti e compreendi como por vezes o estar-se no grupo onde um diz morde o outro diz esfola é um imperativo para que se continue a pertencer a esse grupo, mesmo que por vezes as opiniões sejam um pouco divergentes às atitudes tomadas.

Por fim subscrevo: "há que respeitar e ser respeitado", nos mesmos quadrantes e com as mesmas exigências independentemente das diferenças sexuais, de género, e outras que aqui não são chamadas.

:-* e [[]] para tod@s.

timtimboy:
Pessoal...infelizmente existem inúmeros casos de homofobia,quer na margem sul,quer  por todo o nosso pais e estrangeiro....eu pessoalmente já fui alvo de homofobia...na escola básica  secundaria...mas nunca liguei..e deixava sempre passar...infelizmente as coisas chegaram a este ponto...mas só cabe a nós mudar as mentalidades deste povo...temos de ser unidos e tentar que atitudes que essas pessoas tem não as leva a lado nenhum....força pessoal...a vida são dois dias e temos de  ao menos tentar...e conseguir mudar certas e determinadas mentalidades e preconceitos...

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

[*] Página anterior

Ir para versão completa