rede ex aequo

Olá Visitante28.nov.2021, 14:10:06

Autor Tópico: Quando é que é mesmo amor?  (Lida 5333 vezes)

 
Quando é que é mesmo amor?
#20

Offline Caty Elric

  • **
  • Membro Júnior
  • Género: Feminino
Acho que o típico cliché "quando for amor saberás" se aplica bem, falo por experiência. Na primeira vez que me apaixonei, senti "coisas" que nunca tinha sentido - borboletas na barriga, pensamentos constantes em relação à pessoa, imaginar momentos futuros (casar, ter filhos, ir passear, etc), vontade constante de estar com ela, ficar triste e com saudades sem estar com a sua presença - sendo que por ser a primeira vez que tive essas sensações consegui somar 1+1 e perceber que era amor. E claro, o facto de ser curioso permitiu, que ainda ante de me apaixonar, pesquisasse sobre o amor e como se manifesta.

Já me disseram, até aqui no fórum que cada vez que nos apaixonamos temos sensações diferentes, algo que, se é verdade, ainda não tive oportunidade de comprovar porque só me apaixonei uma vez. Ainda assim penso eu (apesar de poder estar enganado) que as sensações que já referi são típicas de quem está apaixonado.

Mas sim, acho que o cliché que falei resume tudo. Porque o amor acima de tudo sente-se, não se explica :)

Senti o mesmo essas coisas todas que falaste tbm so me apaixonei uma vez e as vezes acontece-me a paixao que tenho pela pessoa reascender conforme as atitudes dele para comigo e isso.
Acho o amor complicado porque sao duas pessoas... E quando os dois n querem o mesmo, mesmo ambos dizendo que se amam as coisas complicam mais quem me dera poder resolver isto...

    Quando é que é mesmo amor?
    #21

    diabo_a_quatro

    • Visitante
    Vou "fugir" de definições ou de tentar explicar e partilhar uma frase que me diz algo e que é um pouco relacionada com o tema.

    "Embora o meu objetivo seja compreender o amor, e embora sofra por causa das pessoas a quem entreguei o meu coração... hoje vejo que aqueles que me tocaram a alma não conseguiram despertar o meu corpo, e aqueles que tocaram o meu corpo não conseguiram atingir a minha alma." (Paulo Coelho, 2003)

      Quando é que é mesmo amor?
      #22

      Offline Quetzal

      • ***
      • Membro Total
      • Género: Feminino
      Quando não há dúvidas.

        Quando é que é mesmo amor?
        #23

        Offline Mico

        • ****
        • Membro Sénior
        • Género: Masculino
        Cada vez mais a expressão "amor à primeira vista" me parece impossível. Quanto muito seria "paixão à primeira vista".
        Penso que o amor é algo que se sabe o que é quando se sente, sim.
        Mas algo que só se pode sentir depois de verdadeiramente conhecermos alguém.
        E, muito importante também, algo que não é exclusivo numa relação amorosa. Mesmo sem falar do amor fraternal/de família.
        Ah, e que pode dar muitas e muitas voltas.


        Conhecer alguém novo deixa-nos certamente uma primeira impressão diferente.


        Se estamos na praia e vemos passar alguém atraente ficamos certamente curiosos; talvez até desenvolvamos uma certa paixão, centrada no físico.
        Numa app de dating temos oportunidade de procurar um perfil que encaixe nos nossos gostos, tanto físicos como, em certa medida, afetivos. Já levamos uma certa expetativa na hora de falar com essa pessoa.
        No trabalho começam todos por ser noves colegas. À partida se calhar até associamos logo que aquelas pessoas todas não vão passar disso. A não ser aquela pessoa gire que esperamos que venha a gostar de nós! Se calhar até pode vir a ser work husband/wife/whatever!


        Nesta fase acho que o máximo que sentimos é paixão. Seja física ou emocional. À medida que o tempo passa essa paixão vai sendo "refinada".


        A pessoa que vimos na praia se calhar volta no dia seguinte, se calhar não. Se não fizermos nada em relação ao assunto eventualmente acabamos por esquecer tão depressa quanto apareceu.
        Aquela pessoa que conhecemos na app e pouco sabíamos pode acabar por se revelar compatível; à medida que nos passamos a conhecer melhor e nos encontramos, percebemos os gostos que partilhamos ou não e o tipo de pessoa que somos. Podemos começar a sentir algo mais forte, mais afetivo e até a idealizar um futuro ao lado delx.
        No trabalho pode haver aquela pessoa que acaba por nos acolher no grupo (empresa, projeto, o que seja) e que se preocupa em garantir que está tudo bem connosco. E depois combinamos saídas fora do trabalho, passamos a socializar num ambiente não-laboral; se calhar até nos leva em novas experiências. E também neste caso podemos começar a sentir algo mais; até porque já conhecemos muito dessa pessoa (não é por acaso que se diz que no trabalho está a segunda família; especialmente quando se passa 8 horas no mesmo espaço com as mesmas pessoas).


        No fundo, quer no caso de uma relação que começou numa app quer no caso de uma que começou no trabalho, podemos acabar por sentir uma forte paixão pelas pessoas em causa. Algo que nos mantém acordados de noite, a pensar no que pode acontecer, a fazer planos para o futuro e a desejar passar mais tempo com elxs. E ainda assim pode não ser amor.


        Então, sim, começa a verdadeira descoberta.


        Começamos uma relação com a pessoa da app. Começamos a partilhar o dia-a-dia, as rotinas, os hábitos. Começamos a planear férias em conjunto, as idas e vindas de/para o trabalho. As compras, as contas; as famílias, os amigos. Começam a acontecer os desentendimentos, as discussões por causa de certos comportamentos. Começamos a descobrir e a tentar lidar com outros defeitos em cada um. Começamos a juntar as peças dos vários comportamentos que temos, o que dizemos e realmente fazemos, como nos comportamos quando há desentendimentos. Há muito a aprender sobre as pessoas nas alturas em que nem tudo está bem. E depois pensamos no futuro, no que queremos para nós e se a pessoa com quem estamos e já partilhámos muitos momentos felizes é de facto a quem queremos confiar o nosso futuro.


        Com a pessoa do trabalho, começamos a partilhar mais de nós enquanto pessoas. Percebemos que uma relação amorosa está fora de questão. Mas sentimo-nos confortáveis para continuar com uma amizade. Convidamos-nos para jantar em casa uma da outra, com a família ou cara-metade; planemos férias, começamos a ir ao ginásio juntes. Partilhamos histórias da juventude, umas mais alegres e outras mais tristes. E apoiamo-nos mutuamente nas alturas em que a vida não corre bem; em que há problemas, quer de saúde física quer mental. E também temos discussões e desentendimentos; alturas em que deixamos a outra pessoa ficar mal. E, quando isso acontece apercebemo-nos do que já passámos juntos e do quanto ela já esteve lá para nós. E que, aconteça o que acontecer, esta pessoa é a mais importante para nós e queremos mantê-la na nossa vida.  E não há nenhum problema, por mais sério que seja, que vai acabar essa relação. Pode levar é mais tempo a sarar feridas, mas elas saram sempre. Aliás, parte do nosso bem estar passa a ser o bem estar da outra pessoa.


        E acabamos por descobrir que na nossa relação amorosa, mais do que amor, havia uma paixão que se foi desvanecendo. E que na nossa amizade foi crescendo um sentimento que, mesmo não sendo correspondido da mesma forma, não deixa de ser amor.
          É tudo uma questão psicológica...

          Quando é que é mesmo amor?
          #24

          Offline hpc

          • **
          • Membro Júnior
          • Género: Feminino
          • Descrevo quem sou.
          Quando as pessoas ficam!

            Quando é que é mesmo amor?
            #25

            Offline unfold

            • ***
            • Membro Total
            Quando as pessoas ficam!

            Onde? Na vida ou "dentro do coração"?
            Se for "na vida"... às vezes as pessoas não ficam por amor, ficam por outras coisas. Contra mim falo, porque já fiquei durante algum tempo sem pertencer ali. Demorei a aperceber-me que não era ali que queria estar e só muito mais tarde percebi tudo o que fiz, as minhas escolhas, o porquê de algumas decisões. Uma vez nuns tópicos contigo falaste algo sobre sermos autênticos, ou sermos quem somos e já andava a "estudar-me" nessa altura, mas devo confessar que foi nessa troca de ideias que tivemos que me apercebi que ainda não sabia tanto sobre mim quanto achava. Uma das coisas foi achar que conseguia sair sempre dos sítios onde não queria estar, mas afinal não conseguia. Ao ler-te comecei a questionar-me, ainda mais, e com essas questões consegui chegar um pouco mais além. Agradeço-te essa troca de ideias.
            Por vezes a nossa alma, coração, o que queiram chamar-lhe, está dentro de uma masmorra a pedir-nos ajuda para sair, mas nós não ouvimos. Preferimos ouvir as vozes "racionais"... preferimos acreditar que o "normal" é estar ali... deixamo-la estar. Até que os seus gritos são insuportáveis e quando o são há dois tipos de acção: vamos a correr salvá-la, dizer-lhe que ela é o mais importante e que as vozes dos outros não interessam, ou deixamo-la lá a apodrecer até deixar de existir... as pessoas que não conseguem reagir e que vão contra elas são aquelas que nós vemos por ai, que têm um corpo, mas do qual já não sai luz.
            « Última modificação: 30 de Maio por unfold »
              Dress code: lealdade.
              Se as minhas derrotas tiverem o cunho da minha verdade, nunca foram derrotas: foram sempre vitórias do princípio ao fim.

              Quando é que é mesmo amor?
              #26

              Offline Klebsiella

              • **
              • Membro Júnior
              • Género: Feminino
              Quando as pessoas ficam!

              Eu diria que é quando as pessoas querem, genuinamente, ficar... Há quem fique sem o querer, mas há também quem não fique, apesar de querer muito ficar!! Alguns amores devem falar mais alto do que outros, como é o caso do amor próprio...
                There is no elevator to success... You have to take the stairs!!

                Quando é que é mesmo amor?
                #27
                Não  sei. Boa questão essa! Nunca encontrei o "tal amor.para sempre" ou o "verdadeiro amor".

                  Quando é que é mesmo amor?
                  #28

                  Offline unfold

                  • ***
                  • Membro Total
                  O amor é básico e depende de um conjunto de hormonas. A magia do amor não é maior do que a magia de alguém gostar ou não de chocolate, gostar mais de um tipo de chocolate do que de outro, gostar de café ou não, etc. Quem tem menor capacidade olfativa, por exemplo, tem menor probabilidade de se apaixonar. Sociologicamente foi importante enquanto esperança e escape da realidade durante e no fim de duas guerras mundiais, e comercialmente foi e continua a ser um tema muito explorado. A grande indústria cinematográfica não deixa ninguém esquecer o amor durante um segundo e sobrevive muito à custa da idealização do amor - tendo acompanhado as diversas variantes ao longo das décadas. Quanto às novelas televisivas, sem esse ingrediente nada seriam. A indústria livreira também se aproveitou e continua a aproveitar da idealização e nem os contos infantis, ao longo de várias décadas, escaparam: as crianças deviam ser felizes a viverem as amizades e a brincarem sem estarem preocupadas em arranjar alguém para namorar com 5 ou 6 anos de idade, embora saiba que elas também têm, por natureza, instintos e hormonas que as leve a tal, mas dá-se - ou deu-se em décadas anteriores - uma importância, a meu ver, descabida em emparelhar/ namorar / casar / acasalar. O comércio e a sobrevivência da espécie agradecem.  lol




                  Raramente o amor é realmente "mágico". E na maioria das vezes o que começa por ser "amor" transforma-se em hábito.
                  « Última modificação: Terça-feira por unfold »
                    Dress code: lealdade.
                    Se as minhas derrotas tiverem o cunho da minha verdade, nunca foram derrotas: foram sempre vitórias do princípio ao fim.

                     

                    Tópicos relacionados

                      Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                    390 Respostas
                    70469 Visualizações
                    Última mensagem 4 de Julho de 2013
                    por Dééé
                    218 Respostas
                    72284 Visualizações
                    Última mensagem 26 de Abril de 2016
                    por anasofiacsilva
                    Amor sem sexo ou sexo sem amor?

                    Iniciado por Niniokoala « 1 2 ... 20 21 » Saúde e Bem-estar

                    412 Respostas
                    74992 Visualizações
                    Última mensagem 29 de Agosto de 2016
                    por maybe1day
                    2 Respostas
                    1952 Visualizações
                    Última mensagem 16 de Agosto de 2010
                    por fmateus
                    5 Respostas
                    1549 Visualizações
                    Última mensagem 13 de Setembro de 2016
                    por Bc