rede ex aequo

Olá Visitante20.out.2021, 08:23:55

Autor Tópico: Doenças Terminais  (Lida 19746 vezes)

 
Doenças Terminais
#20

S.F

  • Visitante
Jovem com leucemia sai à rua para angariar fundos

Vila Real: família de Mauro Filipe lança campanha para pagar tratamento em França

A família de um jovem de Vila Real, que há três anos combate uma leucemia, lançou uma campanha de angariação de fundos para experimentar um tratamento em França. A decisão de sair à rua foi tomada depois do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO) se ter recusado a responsabilizar-se pelo processo.

A agência Lusa refere que o tratamento de Mauro Filipe foi sugerido pelos médicos que o seguem no IPO do Porto. O problema é que a família do jovem, que tem 23 anos e é pai de uma menina de 11 meses, diz que não tem meios para pagar e, por isso mesmo, saiu à rua à procura de apoio.

A mãe, Filomena Fidalgo, lamenta que o IPO do Porto se tenha recusado remeter o processo do filho ao serviço nacional de saúde francês. Se assim fosse, o Estado português teria de se responsabilizar pelo pagamento do tratamento, que custará dezenas de milhares de euros.

Mauro Filipe viu confirmado o diagnóstico de leucemia poucos dias antes do Natal de 2006. Três anos depois, o jovem já fez dois tratamentos que provocaram a remissão da doença. No Verão, Mauro fez um transplante de medula óssea e ficou curado, mas só por mais três meses.

Aconselhado pelos médicos, o jovem vê com esperança um tratamento num hospital universitário, localizado nos arredores de Paris, que «já teve sucesso em vários doentes». «Em Portugal, os médicos já não têm mais nada para me oferecer no que diz respeito a tratamentos com fins curativos», refere Mauro Filipe à Lusa.

A doença é de progressão muito rápida, por isso o jovem vai ter a primeira consulta em Paris no dia 13 de Novembro.

Familiares e amigos de Mauro Filipe estão a distribuir panfletos e pequenos mealheiros para a angariação de fundos pelas várias lojas comerciais e organizações de Vila Real.

A campanha desenvolvida pela família de Mauro inclui também a venda de rifas e a abertura de uma conta bancária onde poderão ser depositados os donativos:
BPI - 0010.0000.43753910001.70.

Fonte
« Última modificação: 21 de Novembro de 2009 por Anti-Homophobia©A/D✔ »

    Doenças Terminais
    #21

    Soueu20

    • Visitante
    Jovem com leucemia sai à rua para angariar fundos

    Vila Real: família de Mauro Filipe lança campanha para pagar tratamento em França

    A família de um jovem de Vila Real, que há três anos combate uma leucemia, lançou uma campanha de angariação de fundos para experimentar um tratamento em França. A decisão de sair à rua foi tomada depois do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO) se ter recusado a responsabilizar-se pelo processo.

    A agência Lusa refere que o tratamento de Mauro Filipe foi sugerido pelos médicos que o seguem no IPO do Porto. O problema é que a família do jovem, que tem 23 anos e é pai de uma menina de 11 meses, diz que não tem meios para pagar e, por isso mesmo, saiu à rua à procura de apoio.

    A mãe, Filomena Fidalgo, lamenta que o IPO do Porto se tenha recusado remeter o processo do filho ao serviço nacional de saúde francês. Se assim fosse, o Estado português teria de se responsabilizar pelo pagamento do tratamento, que custará dezenas de milhares de euros.

    Mauro Filipe viu confirmado o diagnóstico de leucemia poucos dias antes do Natal de 2006. Três anos depois, o jovem já fez dois tratamentos que provocaram a remissão da doença. No Verão, Mauro fez um transplante de medula óssea e ficou curado, mas só por mais três meses.

    Aconselhado pelos médicos, o jovem vê com esperança um tratamento num hospital universitário, localizado nos arredores de Paris, que «já teve sucesso em vários doentes». «Em Portugal, os médicos já não têm mais nada para me oferecer no que diz respeito a tratamentos com fins curativos», refere Mauro Filipe à Lusa.

    A doença é de progressão muito rápida, por isso o jovem vai ter a primeira consulta em Paris no dia 13 de Novembro.

    Familiares e amigos de Mauro Filipe estão a distribuir panfletos e pequenos mealheiros para a angariação de fundos pelas várias lojas comerciais e organizações de Vila Real.

    A campanha desenvolvida pela família de Mauro inclui também a venda de rifas e a abertura de uma conta bancária onde poderão ser depositados os donativos:
    BPI - 0010.0000.43753910001.70.

    Fonte



    Alguem sabe algo a respeito deste jovem?

    Recuperou?

      Doenças Terminais
      #22

      Offline _Margot_

      • *****
      • Membro Elite
      • Género: Feminino
      • The show must go on!
      A minha avó paterna morreu com cancro do pulmão tinha eu uns.. 3 anos talvez. Tenho pouquissimas recordações.
      Recentemente foi diagnosticado um tumor maligno nos intestinos ao meu pai. Estou um pouco assustada porque nunca me morreu ninguém próximo (essa avó morreu mas eu era pequenina nem tinha bem consciencia). A única maneira que tenho de reagir é pensar positivo, pensar que TEM que correr tudo pelo melhor, se eu puser sequer a hipótese de que as coisas podem não correr bem, dou em doida.
        "Be anything but a coward, a pretender, an emotional crook, a whore: I'd rather have cancer than a dishonest heart." Truman Capote - Breakfast at Tiffany's

        Doenças Terminais
        #23

        spirit_girl

        • Visitante
        Jovem com leucemia sai à rua para angariar fundos

        Vila Real: família de Mauro Filipe lança campanha para pagar tratamento em França

        A família de um jovem de Vila Real, que há três anos combate uma leucemia, lançou uma campanha de angariação de fundos para experimentar um tratamento em França. A decisão de sair à rua foi tomada depois do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO) se ter recusado a responsabilizar-se pelo processo.

        A agência Lusa refere que o tratamento de Mauro Filipe foi sugerido pelos médicos que o seguem no IPO do Porto. O problema é que a família do jovem, que tem 23 anos e é pai de uma menina de 11 meses, diz que não tem meios para pagar e, por isso mesmo, saiu à rua à procura de apoio.

        A mãe, Filomena Fidalgo, lamenta que o IPO do Porto se tenha recusado remeter o processo do filho ao serviço nacional de saúde francês. Se assim fosse, o Estado português teria de se responsabilizar pelo pagamento do tratamento, que custará dezenas de milhares de euros.

        Mauro Filipe viu confirmado o diagnóstico de leucemia poucos dias antes do Natal de 2006. Três anos depois, o jovem já fez dois tratamentos que provocaram a remissão da doença. No Verão, Mauro fez um transplante de medula óssea e ficou curado, mas só por mais três meses.

        Aconselhado pelos médicos, o jovem vê com esperança um tratamento num hospital universitário, localizado nos arredores de Paris, que «já teve sucesso em vários doentes». «Em Portugal, os médicos já não têm mais nada para me oferecer no que diz respeito a tratamentos com fins curativos», refere Mauro Filipe à Lusa.

        A doença é de progressão muito rápida, por isso o jovem vai ter a primeira consulta em Paris no dia 13 de Novembro.

        Familiares e amigos de Mauro Filipe estão a distribuir panfletos e pequenos mealheiros para a angariação de fundos pelas várias lojas comerciais e organizações de Vila Real.

        A campanha desenvolvida pela família de Mauro inclui também a venda de rifas e a abertura de uma conta bancária onde poderão ser depositados os donativos:
        BPI - 0010.0000.43753910001.70.

        Fonte



        Alguem sabe algo a respeito deste jovem?

        Recuperou?


        Faleceu

          Doenças Terminais
          #24

          Soueu20

          • Visitante
          Jovem com leucemia sai à rua para angariar fundos

          Vila Real: família de Mauro Filipe lança campanha para pagar tratamento em França

          A família de um jovem de Vila Real, que há três anos combate uma leucemia, lançou uma campanha de angariação de fundos para experimentar um tratamento em França. A decisão de sair à rua foi tomada depois do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO) se ter recusado a responsabilizar-se pelo processo.

          A agência Lusa refere que o tratamento de Mauro Filipe foi sugerido pelos médicos que o seguem no IPO do Porto. O problema é que a família do jovem, que tem 23 anos e é pai de uma menina de 11 meses, diz que não tem meios para pagar e, por isso mesmo, saiu à rua à procura de apoio.

          A mãe, Filomena Fidalgo, lamenta que o IPO do Porto se tenha recusado remeter o processo do filho ao serviço nacional de saúde francês. Se assim fosse, o Estado português teria de se responsabilizar pelo pagamento do tratamento, que custará dezenas de milhares de euros.

          Mauro Filipe viu confirmado o diagnóstico de leucemia poucos dias antes do Natal de 2006. Três anos depois, o jovem já fez dois tratamentos que provocaram a remissão da doença. No Verão, Mauro fez um transplante de medula óssea e ficou curado, mas só por mais três meses.

          Aconselhado pelos médicos, o jovem vê com esperança um tratamento num hospital universitário, localizado nos arredores de Paris, que «já teve sucesso em vários doentes». «Em Portugal, os médicos já não têm mais nada para me oferecer no que diz respeito a tratamentos com fins curativos», refere Mauro Filipe à Lusa.

          A doença é de progressão muito rápida, por isso o jovem vai ter a primeira consulta em Paris no dia 13 de Novembro.

          Familiares e amigos de Mauro Filipe estão a distribuir panfletos e pequenos mealheiros para a angariação de fundos pelas várias lojas comerciais e organizações de Vila Real.

          A campanha desenvolvida pela família de Mauro inclui também a venda de rifas e a abertura de uma conta bancária onde poderão ser depositados os donativos:
          BPI - 0010.0000.43753910001.70.

          Fonte



          Alguem sabe algo a respeito deste jovem?

          Recuperou?


          Faleceu


          :(

            Doenças Terminais
            #25

            Agamemnon

            • Visitante
            A minha avó paterna morreu com cancro do pulmão tinha eu uns.. 3 anos talvez. Tenho pouquissimas recordações.
            Recentemente foi diagnosticado um tumor maligno nos intestinos ao meu pai. Estou um pouco assustada porque nunca me morreu ninguém próximo (essa avó morreu mas eu era pequenina nem tinha bem consciencia). A única maneira que tenho de reagir é pensar positivo, pensar que TEM que correr tudo pelo melhor, se eu puser sequer a hipótese de que as coisas podem não correr bem, dou em doida.

            Boa sorte queen! Não sei em que estado está mas hoje em dia há tratamentos de qualidade. O conselho que te posso dar é estares sempre em cima do processo. Sê dura com os médicos dele, exige-lhes, faz barulho nas instituições e nunca mas nunca confies neles, neste sentido. Está sempre com mil olhos e não delegues. Sim, não és especialista em oncologia (creio eu), mas faz perguntas, fala com outros médicos, fala com enfermeiros, está atenta à literatura, etc. Não os deixes tomar decisões por ti.

            É possível que o teu pai passe por uma fase de completa delegação dos tratamentos, i.e., de nem querer bem saber o que lhe fazem... Para ele isso pode ser psicologicamente proveitoso, agora alguém tem de se envolver MESMO.

            Outra coisa que te quero dizer, é que mesmo que não se consiga curar, há tratamentos que prolongam a vida com qualidade. Portanto se por acaso, e em princípio não  ;), o pior se confirmar, pensa que ainda podes ter muitos momentos de qualidade com ele.

            Eu sei precisamente aquilo por que passas. E isto que te digo é de experiência própria, não de senso comum. Se precisares de falar sobre o assunto, estás à vontade! Força  :-*

              Doenças Terminais
              #26

              Offline Boreas

              • *****
              • Moderação Sénior
              • Membro Vintage
              • Género: Masculino
              • "Tu és rato!"
              A minha avó paterna morreu com cancro do pulmão tinha eu uns.. 3 anos talvez. Tenho pouquissimas recordações.
              Recentemente foi diagnosticado um tumor maligno nos intestinos ao meu pai. Estou um pouco assustada porque nunca me morreu ninguém próximo (essa avó morreu mas eu era pequenina nem tinha bem consciencia). A única maneira que tenho de reagir é pensar positivo, pensar que TEM que correr tudo pelo melhor, se eu puser sequer a hipótese de que as coisas podem não correr bem, dou em doida.

              Boa sorte queen! Não sei em que estado está mas hoje em dia há tratamentos de qualidade. O conselho que te posso dar é estares sempre em cima do processo. Sê dura com os médicos dele, exige-lhes, faz barulho nas instituições e nunca mas nunca confies neles, neste sentido. Está sempre com mil olhos e não delegues. Sim, não és especialista em oncologia (creio eu), mas faz perguntas, fala com outros médicos, fala com enfermeiros, está atenta à literatura, etc. Não os deixes tomar decisões por ti.

              É possível que o teu pai passe por uma fase de completa delegação dos tratamentos, i.e., de nem querer bem saber o que lhe fazem... Para ele isso pode ser psicologicamente proveitoso, agora alguém tem de se envolver MESMO.

              Outra coisa que te quero dizer, é que mesmo que não se consiga curar, há tratamentos que prolongam a vida com qualidade. Portanto se por acaso, e em princípio não  ;), o pior se confirmar, pensa que ainda podes ter muitos momentos de qualidade com ele.

              Eu sei precisamente aquilo por que passas. E isto que te digo é de experiência própria, não de senso comum. Se precisares de falar sobre o assunto, estás à vontade! Força  :-*

              Completissimamente de acordo!
              Passei pelo mesmo numa altura da minha vida em que não tinha capacidade de fazer nada e não existiam os recursos de informação que existem actualmente (em 1995 tinha eu 10 anos) e ainda nos dias de hoje questiono-me (já o fazia na altura) se foram tomadas as decisões correctas quanto a certos tratamentos... sempre de olho e procura ter sempre o máximo de opiniões profissionais possíveis.
              Boa sorte e muita força  :-*
                Just live!!! WILL POWER HOPE COMPASSION LOVE

                Doenças Terminais
                #27

                Offline Guyton

                • **
                • Membro Júnior
                • Género: Masculino
                • A passarinhar...
                Actualmente quando se falar em doenças terminais pensa-se logo em cancro.. Faz todo o sentido, tem todo o mérito MAS Não se esqueçam do enorme número de doentes HIV+ que estão já numa fase terminal.. Quem já visitou uma enfermaria de doenças infecciosas sabe bem qual o ambiente que por ali reina.. Porque, ao contrário dos doentes oncológicos, muitos daqueles doentes estão completamente sozinhos.
                  "Mais vale sonharmos a nossa vida do que vivê-la, embora vivê-la seja também sonhar." - Proust

                  Doenças Terminais
                  #28

                  Soueu20

                  • Visitante
                  Actualmente quando se falar em doenças terminais pensa-se logo em cancro.. Faz todo o sentido, tem todo o mérito MAS Não se esqueçam do enorme número de doentes HIV+ que estão já numa fase terminal.. Quem já visitou uma enfermaria de doenças infecciosas sabe bem qual o ambiente que por ali reina.. Porque, ao contrário dos doentes oncológicos, muitos daqueles doentes estão completamente sozinhos.

                  Sim é muito triste essas realidades...

                  Eu inscrevi me para ser voluntario no IPO, para conversar e dar animo a doentes com Cancro...

                  Mas tb gostava que pudesse fazer algo mais alargado a outros doentes...

                  Deve ser tão triste ter uma doença grave, para não falar do sofriemento das pessoas...

                  Vejo pela minha tia que ha 10 anos que luta contra o cancro, todos eles malignos, com tratamentos muito fortes que a têm destruido... De um cancro da mama, passou pos pulmoes e agora esta no cerebro...

                  Ela todos os dias diz:

                  Não aguento mais, Deus leva me daqui...

                  :(

                  É horrivel assistir ao que ela passa, as dores, aos vomitos depois de uma sessão de quimio e a magreza extrema, palidez e falta de vida nela :(...

                  Sabem as vezes eu tb peço a Deus que a leve o mais rapido possivel... Ela desde ha 10 anos que não vive, apenas sofre e sofre, e volta a sofrer :(

                  Paz

                    Doenças Terminais
                    #29

                    Agamemnon

                    • Visitante
                    Uma coisa que acontece muito nas pessoas com doenças terminais é juntarem aos sintomas da doença um conjunto de sintomas psicossomáticos. Não é raro os sintomas piorarem nos dias a seguir a receber-se uma má notícia e melhorarem depois de uma boa, por exemplo.

                    Manter o doente com esperança pode ser uma boa forma de diminuir o seu sofrimento. Por outro lado podemos estar a mentir-lhe e até sujeita-lo a tratamentos desnecessários.  :-\

                      Doenças Terminais
                      #30

                      Offline _Margot_

                      • *****
                      • Membro Elite
                      • Género: Feminino
                      • The show must go on!
                      A minha avó paterna morreu com cancro do pulmão tinha eu uns.. 3 anos talvez. Tenho pouquissimas recordações.
                      Recentemente foi diagnosticado um tumor maligno nos intestinos ao meu pai. Estou um pouco assustada porque nunca me morreu ninguém próximo (essa avó morreu mas eu era pequenina nem tinha bem consciencia). A única maneira que tenho de reagir é pensar positivo, pensar que TEM que correr tudo pelo melhor, se eu puser sequer a hipótese de que as coisas podem não correr bem, dou em doida.

                      Boa sorte queen! Não sei em que estado está mas hoje em dia há tratamentos de qualidade. O conselho que te posso dar é estares sempre em cima do processo. Sê dura com os médicos dele, exige-lhes, faz barulho nas instituições e nunca mas nunca confies neles, neste sentido. Está sempre com mil olhos e não delegues. Sim, não és especialista em oncologia (creio eu), mas faz perguntas, fala com outros médicos, fala com enfermeiros, está atenta à literatura, etc. Não os deixes tomar decisões por ti.

                      É possível que o teu pai passe por uma fase de completa delegação dos tratamentos, i.e., de nem querer bem saber o que lhe fazem... Para ele isso pode ser psicologicamente proveitoso, agora alguém tem de se envolver MESMO.

                      Outra coisa que te quero dizer, é que mesmo que não se consiga curar, há tratamentos que prolongam a vida com qualidade. Portanto se por acaso, e em princípio não  ;), o pior se confirmar, pensa que ainda podes ter muitos momentos de qualidade com ele.

                      Eu sei precisamente aquilo por que passas. E isto que te digo é de experiência própria, não de senso comum. Se precisares de falar sobre o assunto, estás à vontade! Força  :-*

                      Completissimamente de acordo!
                      Passei pelo mesmo numa altura da minha vida em que não tinha capacidade de fazer nada e não existiam os recursos de informação que existem actualmente (em 1995 tinha eu 10 anos) e ainda nos dias de hoje questiono-me (já o fazia na altura) se foram tomadas as decisões correctas quanto a certos tratamentos... sempre de olho e procura ter sempre o máximo de opiniões profissionais possíveis.
                      Boa sorte e muita força  :-*

                      Muito obrigada aos dois. Não tinha noção que este tipo de doença tinha um diagnótico e tratamento tão demorado. Quando estava de fora, tinha ideia que aquelas pessoas que passavam anos internadas a fazer radioterapia e depois quimioterapia e sei llá mais o quê que já tinham sido diagnosticadas em estado avançado. Com o tempo tenho vindo a ver a lentidão do processo a toda a "burocracia" que envolve a nível de despistagem, de tratamento e tudo mais.
                        "Be anything but a coward, a pretender, an emotional crook, a whore: I'd rather have cancer than a dishonest heart." Truman Capote - Breakfast at Tiffany's

                        Doenças Terminais
                        #31

                        Agamemnon

                        • Visitante
                        A minha avó paterna morreu com cancro do pulmão tinha eu uns.. 3 anos talvez. Tenho pouquissimas recordações.
                        Recentemente foi diagnosticado um tumor maligno nos intestinos ao meu pai. Estou um pouco assustada porque nunca me morreu ninguém próximo (essa avó morreu mas eu era pequenina nem tinha bem consciencia). A única maneira que tenho de reagir é pensar positivo, pensar que TEM que correr tudo pelo melhor, se eu puser sequer a hipótese de que as coisas podem não correr bem, dou em doida.

                        Boa sorte queen! Não sei em que estado está mas hoje em dia há tratamentos de qualidade. O conselho que te posso dar é estares sempre em cima do processo. Sê dura com os médicos dele, exige-lhes, faz barulho nas instituições e nunca mas nunca confies neles, neste sentido. Está sempre com mil olhos e não delegues. Sim, não és especialista em oncologia (creio eu), mas faz perguntas, fala com outros médicos, fala com enfermeiros, está atenta à literatura, etc. Não os deixes tomar decisões por ti.

                        É possível que o teu pai passe por uma fase de completa delegação dos tratamentos, i.e., de nem querer bem saber o que lhe fazem... Para ele isso pode ser psicologicamente proveitoso, agora alguém tem de se envolver MESMO.

                        Outra coisa que te quero dizer, é que mesmo que não se consiga curar, há tratamentos que prolongam a vida com qualidade. Portanto se por acaso, e em princípio não  ;), o pior se confirmar, pensa que ainda podes ter muitos momentos de qualidade com ele.

                        Eu sei precisamente aquilo por que passas. E isto que te digo é de experiência própria, não de senso comum. Se precisares de falar sobre o assunto, estás à vontade! Força  :-*

                        Completissimamente de acordo!
                        Passei pelo mesmo numa altura da minha vida em que não tinha capacidade de fazer nada e não existiam os recursos de informação que existem actualmente (em 1995 tinha eu 10 anos) e ainda nos dias de hoje questiono-me (já o fazia na altura) se foram tomadas as decisões correctas quanto a certos tratamentos... sempre de olho e procura ter sempre o máximo de opiniões profissionais possíveis.
                        Boa sorte e muita força  :-*

                        Muito obrigada aos dois. Não tinha noção que este tipo de doença tinha um diagnótico e tratamento tão demorado. Quando estava de fora, tinha ideia que aquelas pessoas que passavam anos internadas a fazer radioterapia e depois quimioterapia e sei llá mais o quê que já tinham sido diagnosticadas em estado avançado. Com o tempo tenho vindo a ver a lentidão do processo a toda a "burocracia" que envolve a nível de despistagem, de tratamento e tudo mais.

                        Sim. E a incerteza e as escolhas difíceis mesmo quando a doença está no princípio. Mas vais crescer muito Queen. E vai tudo correr bem. :-*

                          Doenças Terminais
                          #32

                          Offline Guyton

                          • **
                          • Membro Júnior
                          • Género: Masculino
                          • A passarinhar...
                          É necessário cada vez mais, todos nos, aceitarmos a necessidade e darmos importância aos cuidados paliativos!!!
                          Exijam cuidados paliativos !!!
                            "Mais vale sonharmos a nossa vida do que vivê-la, embora vivê-la seja também sonhar." - Proust

                            Doenças Terminais
                            #33

                            Agamemnon

                            • Visitante
                            É necessário cada vez mais, todos nos, aceitarmos a necessidade e darmos importância aos cuidados paliativos!!!
                            Exijam cuidados paliativos !!!

                            O primeiro cuidado paliativo a promover é o melhoramento da formação médica. Se há profissão em que reina a palermice, insensibilidade e falta de inteligência é essa! Odeio médicos que tomam decisões...... O médico está ali para me dar informação para que EU tome a decisão. Não ele (excepto em certos casos, facilmente delimitáveis). O cuidado paliativo começa aqui: com a inclusão do doente enquanto parte consciente integrante do processo de decisão. Até porque os médicos têm enormes lacunas nos seus conhecimentos, e promover-se o diálogo com o paciente é um excelente exercício para que, com um impulso dialéctico, eles revejam as apreciações que já tinham feito.

                            Em geral os médicos vão decidindo até que chegam ao ponto em que já não há mais decisões e aí sim, o doente que escolha entre o medicamento que o põe a dormir ou as dores excruciantes até bater a bota. Temos de educar os doentes também a serem interventivos! Há muita gente que acha que "o médico disse" implica verdade sacrossanta nos assuntos do corpo. Mas como aprendi com os meus médicos: NUNCA confies no médico, lê sempre o folheto informativo, pergunta sempre ao farmacêutico e a outros médicos ao teu alcance e não duvides dos TEUS conhecimentos.

                            Cada vez menos percebo porque é que alguém quer ser médico....

                            Desculpem o desabafo :-[

                              Doenças Terminais
                              #34

                              Offline Boreas

                              • *****
                              • Moderação Sénior
                              • Membro Vintage
                              • Género: Masculino
                              • "Tu és rato!"
                              Infelizmente ainda há muito para ser mudado na mentalidade portuguesa veneradora de médicos. Muitos vão para lá sem menor vocação porque não são capazes de impor a sua carreira aos pais que anseiam pelo status do filho fruto de uma mentalidade herdada pelos portugueses e que ainda não foi erradicada para nosso próprio benefício. Outros porque querem conforto... e uns quantos (espero que com o tempo venham a ser cada vez mais, por verdadeira vocação).
                              Por outro lado os "comuns mortais" ainda escutam os médicos como se fossem pregadores do evangelho que professam verdades absolutas porque são "o senhor doutor".
                              Não digo que isso aconteça com as camadas mais jovens sempre e sempre mais informadas (ainda não o suficiente) mas estamos num pais com população  envelhecida e cujo o nível de escolaridade de muita dessa gente ainda está muito abaixo do universitário e tornam-se portanto mais vulneráveis por vezes, por vergonha da ignorância.

                              Nesse aspecto a política do "eu contra o mundo" que existe entre os cidadãos dos USA que não permitem que façam nada de errado com o risco de processarem seriamente tudo e todos (por vezes em exagero) é muito favorável. Tomara que os portugueses pegassem um pouco nisso sem exagero.

                              E claro que o sistema judicial também permite que barbaridades sejam mal esclarecidas com o caso dos 6 pacientes que ficaram cegos e que se tornou num autentico jogo do empurra de culpas.

                              Eu não estou com isto a fazer uma guerra ou algo do género contra a classe médica, já trabalhei com muitos e sei que há imensos bons profissionais. Mas sei, também que são humanos passíveis de errar, e portanto em todos os casos devemos estar alerta, e também que infelizmente há (como em todas as profissões) profissionais menos competentes. 

                                Just live!!! WILL POWER HOPE COMPASSION LOVE

                                Doenças Terminais
                                #35

                                Agamemnon

                                • Visitante
                                Se têm vocação ou não é-me indiferente. Se forem competentes têm o meu respeito como qualquer outro profissional. Mas a atitude de muita gente da área da saúde é insuportável e clinicamente condenável! Há uma ideia de que porque as médias são mais altas no secundário, o curso de medicina é atestado de inteligência superior e de capacidades analíticas acima da média. Era bom que fosse para o bem de todos os doentes terminais e não só. :-\

                                  Doenças Terminais
                                  #36

                                  Offline coca2004

                                  • **
                                  • Membro Júnior
                                  • Género: Masculino
                                  Os cuidados paliativos é um direito urgente, lutemos por isso...

                                    Doenças Terminais
                                    #37

                                    Offline saturnine

                                    • *****
                                    • Membro Ultra
                                    • Género: Feminino
                                    Se têm vocação ou não é-me indiferente. Se forem competentes têm o meu respeito como qualquer outro profissional. Mas a atitude de muita gente da área da saúde é insuportável e clinicamente condenável! Há uma ideia de que porque as médias são mais altas no secundário, o curso de medicina é atestado de inteligência superior e de capacidades analíticas acima da média. Era bom que fosse para o bem de todos os doentes terminais e não só. :-\

                                    ia dizer algo idêntico, por isso subescrevo totalmente o que dizes.
                                      "Every living creature on earth dies alone."

                                      Doenças Terminais
                                      #38

                                      Offline _Margot_

                                      • *****
                                      • Membro Elite
                                      • Género: Feminino
                                      • The show must go on!
                                      Se têm vocação ou não é-me indiferente. Se forem competentes têm o meu respeito como qualquer outro profissional. Mas a atitude de muita gente da área da saúde é insuportável e clinicamente condenável! Há uma ideia de que porque as médias são mais altas no secundário, o curso de medicina é atestado de inteligência superior e de capacidades analíticas acima da média. Era bom que fosse para o bem de todos os doentes terminais e não só. :-\

                                      ia dizer algo idêntico, por isso subescrevo totalmente o que dizes.

                                      Totalmente.
                                        "Be anything but a coward, a pretender, an emotional crook, a whore: I'd rather have cancer than a dishonest heart." Truman Capote - Breakfast at Tiffany's

                                        Doenças Terminais
                                        #39

                                        Offline Guyton

                                        • **
                                        • Membro Júnior
                                        • Género: Masculino
                                        • A passarinhar...
                                        Mais valia ter estado calado.. estas conversas das vocaçoes, dos médicos serem convencidos... é como em todo na vida há os bons, os maus e os medianos..
                                          "Mais vale sonharmos a nossa vida do que vivê-la, embora vivê-la seja também sonhar." - Proust

                                           

                                          Tópicos relacionados

                                            Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                                          52 Respostas
                                          14020 Visualizações
                                          Última mensagem 23 de Março de 2019
                                          por Fernando Pinheiro
                                          0 Respostas
                                          5957 Visualizações
                                          Última mensagem 8 de Março de 2018
                                          por lain1989