rede ex aequo

Olá Visitante26.set.2021, 23:41:26

Sondagem

Gostarias de recorrer à inseminação artificial?

Sim.
83 (34.4%)
Não, não estou interessada.
11 (4.6%)
Não, prefiro inseminação caseira.
10 (4.1%)
Não, prefiro o modo comum de engravidar.
6 (2.5%)
Não, prefiro adoptar.
27 (11.2%)
Sou homem e não me importaria de ser dador.
47 (19.5%)
Sou homem, mas não gostaria de ser dador.
16 (6.6%)
Não sei.
41 (17%)

Votos totais: 184

Autor Tópico: Inseminação Artificial  (Lida 85979 vezes)

 
Inseminação Artificial
#220

Offline paulosabino

  • *****
  • Associad@
  • Membro Vintage
  • Género: Masculino
O não reconhecimento legal do "dador" (quando conhecido) não implica (nem tem implicado para muitos casos) que a criança não o tem na vida ou nunca o conhecerá. Implica sim que no que trata à educação e ao vínculo legal aquela criança é da responsabilidade de uma ou duas outras pessoas, que não o dador.
Pois mas aí é diferente, existe sempre a possibilidade de vir a existir uma ligação ao pai( que apesar de para uns não ser pai mas apenas um dador, não deixa de haver a parentalidade legal/afectiva e a parentalidade biológica, ou seja, o dador será sempre um pai mesmo que apenas biológico, dador para mim é quem dá sangue, fígado, rim, o esperma não se compara da mesma forma que a mãe biológica é mãe e não doadora de óvulo e empréstimo de barriga).

Mesmo que sejam "apenas" 20 % das crianças a quererem conhecer as famílias, devem ter sempre esse direito da mesma forma que os nossos 10% também são ou devem ser relevantes na questão de direitos. Também temos de ter em conta que esses 20% das crianças que querem conhecer as origens, estão dentro daquelas que estão conscientes que têm alguém por procurar e não dentro daquelas a quem foram contadas histórias que não correspondem à verdade e que assim nem lhes deixam margem para equacionar essa busca, o que talvez alterasse os numeros.

Responder
Essa é uma escolha pessoal de quem decide ser inseminada, na minha opinião, especialmente porque não envolve resultados propriamente negativos para o bem-estar e desenvolvimento da criança. De resto, como já referi recentemente neste tópico existem dadores de identidade aberta e o problema fica resolvido para quem valoriza, compreensivelmente, esse detalhe.
Se não reproduz resultados propriamente negativos não sei, talvez os próprios saibam, mas o grande problema para mim é que essa opção (identidade aberta ou anónimo)não devia ficar ao critério da mãe ou pai que valoriza ou não o ser anónimo ou conhecido, devia ser sim e sempre um direito da criança, saber ou poder saber facilmente da sua origem( ou simplesmente não querer saber) e não a vontade da mãe que no caso de esperma de desconhecido, inviabiliza de todo e para sempre essa possibilidade à criança, e essa sim, que deve ter o direito a valorizar a sua origem biológica ou não sem que decidam isso por ela.

Optar pelo anónimo para mim soa a egoísmo porque parece-me mais sensato que ao invés de se criarem mecanismos que blindem o direito a ter um filho de certa forma, é importante se pensar no direito a se ser filho, afectivo, legal e biológico.


    - Vai chover...   
     - Vai tu!!!!!!!!!!

    Inseminação Artificial
    #221

    Offline bluejazz

    • *****
    • Associad@ Honorári@
    • Membro Vintage
    • Género: Feminino
      • Homofobia
    Essa discussão do dador ser sempre de identidade aberta é algo que gerou restrições em países como a Suécia e o Reino Unido, por exemplo, e é isso que se encontra lá em vigor.

    Mais uma vez, independentemente de qual é a minha opinião ou desejo pessoal sobre o tema, compreendo quem decida ter um dador completamente anónimo e não considero que esteja a fazer algo grave.

    Aliás, a razão porque muitos outros países se calhar não colocam essa restrição é porque nos países onde isso foi feito o número de dadores desceu drasticamente, criando alguns problemas de falta de dadores suficientes. Por outro lado, suponho que também se reconhece que esse conhecimento de um elemento biológico da procriação não é vital (nem sequer q.b. prejudicial) para o bom desenvolvimento da criança.

    Se calhar eu seria uma dessas pessoas que gostaria de saber quem era o meu dador, se tivesse sido gerada dessa maneira, mas não estou realmente na situação, embora ache que tenderia para aí. A não ser por razões médicas, no entanto, não vejo razões para ser obrigatório todos os dadores serem de identidade aberta.
      "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

      Inseminação Artificial
      #222

      Offline Centaur

      • **
      • Membro Júnior
      Já passou algum tempo desde que te respondi Centaur, nem por isso o que escreves faz mais sentido para mim. A tua questão prende-se com a inseminação artificial anónima e não com a inseminação artificial anónima em casais de lésbicas..

      Ao contrário do que dizes, preocupa-me sim aquilo que os meus filhos possam um dia desejar. Por isso mesmo, escolherei não o que acredito ser mais fácil para mim, mas aquilo que acredito que venha a ser o mais fácil para eles. É uma certeza? Não! É uma crença. Farei aquilo que acredito ser melhor para os meus filhos, como qualquer pai ou mãe fazem e como tu próprio indicas que vais fazer.
      Se houver a possibilidade de no futuro, por n motivos, ser desvendada a identidade do dador de esperma, não serei eu a negar essa possibilidade, se não houver essa possibilidade por motivos legais (como acredito ser o caso) teremos de viver com isso. A minha crença é que a vida vale a pena mesmo que não seja possível conhecer o dador de esperma. Se posso ter certeza absoluta que os meus filhos vão pensar assim? Claro que não! Tenho fé que sim. Tenho fé que eles prefiram ter nascido nessas circunstâncias do que não ter nascido e infelizmente não lhes posso perguntar antes. A vida não se resume a isso. Acreditares que é preferível não existir uma vida, do que a mesma existir sem saber quem foi o seu dador de esperma é pura e simplesmente uma crença, diferente da minha, mas não deixa de ser uma crença, e, ao agarrares-te a ela, tiras toda e qualquer hipótese de escolha, exactamente o que criticas.
      Como tu próprio assumes, é uma questão moral sim, de fé.

      O facto de ser em lésbicas ou não, não faz diferença para as questões relacionadas com os direitos das crianças que nascem recorrendo a este método e é em relação a isto que falei.

      Eu acredito que uma vida valha a pena sem a possibilidade de conhecer o progenitor biológico, caso não haja escolha. O que a inseminação artificial anónima faz é negar a possibilidade de conhecer o progenitor biológico mesmo quando seria possível fazê-lo. São situações diferentes.

      Enquanto a minha "crença/fé" não afecta a liberdade da criança, bem pelo contrário, a tua crença/fé afecta e é justamente aqui (mais uma vez digo) que reside a questão.

      Outras pessoas, podem acreditar que a classe X de pessoas não oferece condições de escolha suficientes para os seus futuros filhos, como tal não devem poder procriar. Não te parece óbvio que não podemos ir por aí?

      Neste tópico, não faz sentido falar nesta questão.

      Para mim, por exemplo, fazer inseminação artificial com um amigo com o qual conviva e esconder um dador presente à criança é efectivamente retirar-lhe conscientemente a sua escolha, a minha crença é que isso poderá ser errado. Para mim, também poderá ser errado fazer inseminação caseira com um conhecido, toda a gente saber e sujeitar conscientemente a criança a toda a instabilidade que dai advém, nomeadamente, a qualquer momento alguém da família do teu conhecido ou ele próprio resolver pedir a custódia da criança e retirar-lhe tudo o que conhece e até podem resolver fazê-lo só porque sim. Sujeitar uma criança a algo desse género parece-me errado. É mais uma vez uma crença.

      Também não defendo esta questão. Acredito que deve ser assegurada a possibilidade da criança em saber quem é o progenitor biológico quando puder decidir em consciência. Como estás a colocar a questão, tratar-se-ia de divulgar ao progenitor biológico essa informação, o que não é necessariamente verdade. O dador pode, em consciência, escolher sê-lo pelo que não deve poder depois conhecer a(s) criança(s) nascida(s) a partir dessa doação, a não ser que essa(s) criança(s) quando adulta(s) decidirem conhecer esse dador.

      Não quer dizer que detenha a verdade suprema e tenha a certeza que existe outra forma melhor.  Como podes ver, não olho só para o meu umbigo, nem sequer só para a minha fé, não acredito que as minhas crenças estejam necessariamente certas, apesar do que disse antes, jamais proibiria essa forma de inseminação artificial, como não conseguiria proibir as mães de aluguer voluntárias, por exemplo.

      Também não posso concordar com mães de aluguer voluntárias porque isso sim conduziria a situações como as que descreveste e à consequente instabilidade para a criança.

      No fundo, aquilo que sempre disse é que a inseminação artificial anónima não tem em conta o que as crianças nascidas a partir deste método possam querer quando forem adultas e eu acredito que elas devem ter essa possibilidade de escolha. Se em idade adulta, esses indivíduos não mostrassem interesse em que isso acontecesse a informação manter-se-ia confidencial.

        Inseminação Artificial
        #223

        Offline paulosabino

        • *****
        • Associad@
        • Membro Vintage
        • Género: Masculino
        Para  mim não basta a criança quando for crescida, poder conhecer o dador de esperta, porque simplesmente não concordo com a ideia de que quem dá o esperma seja um simples dador, é um pai biológico independentemente do percurso da criança será sempre o seu pai biológico e se para uma mulher que quer ter o filho sem pai é a solução mais prática e simples de lidar no futuro, para a criança não e parece-me que pelo menos devia poder crescer com a imagem do pai, não por uma questão do ter que ter pai e mãe no crescimento mas porque efetivamente em termos biologicos, ela ja tem um pai e uma mãe..

        Da mesma forma que uma criança adotada deve, ou deveria, poder sempre poder conhecer os seus pais biológicos.

        julgo que se quer criar uma forma de inventar vida, mas ela até ver, virá de um homem e de uma mulher e independentemente de todas as formas válidas de viver, amar, educar os filhos, isso não é contornavel, ou se o é, é uma forma quanto a mim desonesta de o fazer.

        Certo que valerá  sempre a pena viver mesmo que não se conheça o pai que ate pode morrer ou desaparecer durante a gravidez,isso ninguém pode controlar, mas recorrer a um pai que ficará eternamente anónimo não é uma fatalidade, é o que escolha que mais uma vez, a par do aborto, tem por prioridade as prioridades dos adultos e não das crianças porque não vejo que beneficio haja em ocultar irremediavelmente a identidade do pai.beneficios só se for para a mãe ou "chocadeira" ou lá o que seja a par de "dador"

        Da mesma forma que acho absurdo anular o pai biológico, acho o mesmo para o caso da mãe biológica, não acho saudavel a ideia de que a mãe possa doar a "germinação" da semente e depois para além de desaparecer nunca mais poder ser encontrada, é uma manipulação premeditada que anula possibilidades na vida importantes de pessoas que serão como nós e darão certamente a mesmo importância ao facto de terem raízes, uma origem que não as obrigue a chamar de pai ou mãe a um tubo de ensaio.
        « Última modificação: 11 de Março de 2012 por paulosabino »
          - Vai chover...   
           - Vai tu!!!!!!!!!!

          Dador de esperma amigo e presente
          #224

          AnaRitaSycho

          • Visitante
          Gostaria de lançar um tópico, que não sei se já cá existe, um tópico que me faz pensar e por isso partilho, para ser discutido e pensado aqui no fórum.

          A questão é complexa:

          Gostaria, um dia mais tarde, de criar um filho juntamente com a minha companheira. Sei que neste momento, em Portugal, não é possível o registo de uma criança com dois nomes femininos e que não haveria possibilidade de o meu filho ter legalmente duas mães. Mas, um dia mais tarde, quando for (temos de pensar positivo) eu e a minha companheira gostaríamos que o dador de esperma fosse um amigo nosso, muito especial e que ele tivesse uma presença forte na nossa vida e na vida do nosso filho.

          1º Gostaria de saber, se alguém me sabe dizer se, neste momento há algum país em que seja possível esse amigo assinar algo em como não quer ter qualquer tipo de responsabilidades, e nós sermos legalmente as mães e ele ser o dador de esperma.

          2º Gostaria de discutir este tema com quem desejar, esta questão de, não por oposição, mas livremente esse amigo ser parte da nossa vida, não como "pai" ou o que isso signifique, mas como alguém especial, que um dia mais tarde será apresentado à criança como a pessoa que ajudou fisiologicamente a possibilidade de esse criança existir, um amigo, um modelo masculino. Para mim, o que interessa não são as condicionantes familiares, mas a forma como as coisas são levadas, explicadas e abertas. Penso que quanto mais amor melhor e que o importante é pensar em como as coisas serão apresentadas à criança, desde cedo.

          3º Gostaria de saber se há alguém que tenha passado por essa situação, ou se tem alguma experiência ou conhecimento que queira partilhar.

          ...

            Dador de esperma amigo e presente
            #225

            Offline Sahara

            • *****
            • Associad@
            • Membro Sénior
            • Género: Feminino
            Ora aqui está uma boa questão e já tinha pensado sobre o assunto. Primeiro de tudo, estás de parabéns pela iniciativa e acho maravilhoso quereres uma família  [smiley=sim.gif]
            Eu não sou uma expert mas penso que a partir do momento que a criança tem "oficialmente" um pai, este terá responsabilidades legais. Eu não quereria esta situação porque mais tarde poderia trazer problemas, ex: depois da criança já saber falar, andar e escrever, o pai, de repente,  o pai lembra-se que tem uma criança e querer ter mais responsabilidades; o pai não concordar com algum aspecto da vida da criança e querer impor-se; imagine-se que por diferentes motivos têm que mudar de cidade ou até de país, o pai não o quer e abre um processo judicial . Poderá haver uma série de situações imagináveis e inimagináis, estas são algumas das cinquenta mil que me vem a cabeça.
            Já é complicado o suficiente ter uma relação estável com uma pessoa, não consigo imaginar partilhar uma relação a 3 (até certo ponto, claro) e criar uma criança.
            Depois de pensar sobre este assunto, eu escolheria um banco de esperma com pai anónimo, desta forma, o DNA é de pai desconhecido, mesmo que "oficialmente" a criança tenha o nome do pai.
            Talvez eu esteja a ser pessimista ou talvez realista, não sei. Só tu sabes o que é melhor para a tua vida ;) Boa sorte!

              Dador de esperma amigo e presente
              #226

              AnaRitaSycho

              • Visitante
              Ora aqui está uma boa questão e já tinha pensado sobre o assunto. Primeiro de tudo, estás de parabéns pela iniciativa e acho maravilhoso quereres uma família  [smiley=sim.gif]
              Eu não sou uma expert mas penso que a partir do momento que a criança tem "oficialmente" um pai, este terá responsabilidades legais. Eu não quereria esta situação porque mais tarde poderia trazer problemas, ex: depois da criança já saber falar, andar e escrever, o pai, de repente,  o pai lembra-se que tem uma criança e querer ter mais responsabilidades; o pai não concordar com algum aspecto da vida da criança e querer impor-se; imagine-se que por diferentes motivos têm que mudar de cidade ou até de país, o pai não o quer e abre um processo judicial . Poderá haver uma série de situações imagináveis e inimagináis, estas são algumas das cinquenta mil que me vem a cabeça.
              Já é complicado o suficiente ter uma relação estável com uma pessoa, não consigo imaginar partilhar uma relação a 3 (até certo ponto, claro) e criar uma criança.
              Depois de pensar sobre este assunto, eu escolheria um banco de esperma com pai anónimo, desta forma, o DNA é de pai desconhecido, mesmo que "oficialmente" a criança tenha o nome do pai.
              Talvez eu esteja a ser pessimista ou talvez realista, não sei. Só tu sabes o que é melhor para a tua vida ;) Boa sorte!


              Eu só entraria nesta situação se fosse permitido o pai biologico nao ter legalmente quaisquer deveres ou direitos. Sei que cá, em Portugal isso não é possível e se tal não o for daqui a algum tempo, então a questão do dador amigo estará fora de questão =) não és nada pessimista, eu também não o faria se houvesse sequer a minima probabilidade de esse amigo poder assumir o papel legal de pai. A minha questão está mais relacionada com a parte prática de educar uma criança que saberá que tem duas mães, que legalmente são as responsáveis e saber que tem ali uma pessoa que também se importa com ela e faz parte da vida dela que é o dador.

              Mas mais uma vez, esta questão só se irá colocar na minha vida se for possivel tirar responsabilidades ao dador e passa-las para as duas mães. Neste momento também não é possível ter duas mães legais, mas por exemplo, em Espanha já é... quem sabe, talvez lá eu consiga, mas primeiro, tentemos mudar as questões no nosso pais...

              Já agora, obrigada pela resposta e pelo apoio. =)

                Inseminação Artificial
                #227

                Offline Luanda1970

                • *
                • Novo Membro
                • Género: Masculino
                Embora se fale muito em relaçaõ á doação de esperma, a verdade é que as portugueses vão a espanah gastar uma pipa de massa para serem inseminadas , quando existem pessoas me Portugal com vontade de serem dadores

                  Inseminação Artificial
                  #228

                  Offline bluejazz

                  • *****
                  • Associad@ Honorári@
                  • Membro Vintage
                  • Género: Feminino
                    • Homofobia
                  Embora se fale muito em relaçaõ á doação de esperma, a verdade é que as portugueses vão a espanah gastar uma pipa de massa para serem inseminadas , quando existem pessoas me Portugal com vontade de serem dadores

                  No entanto a doação em espanha de que falas é segura, em ambiente clínico e anónima. As pessoas em portugal com vontade de serem dadores não podem oferecer isto, enquanto não passarem pelos trâmites comuns do processo de procriação medicamente assistida e isso for permitido cá para casais do mesmo sexo ou mulheres solteiras.

                  A escolha entre um dador anónimo ou de identidade aberta e um dador conhecido tem implicações muito diferentes.
                    "I cannot be, as Bourdieu suggests, a fish in water that 'does not feel the weight of the water, and takes the world about itself for granted'" - Felly Simmonds

                    Inseminação Artificial
                    #229

                    Offline giga

                    • *
                    • Novo Membro
                    • Género: Feminino
                    "No fundo, aquilo que sempre disse é que a inseminação artificial anónima não tem em conta o que as crianças nascidas a partir deste método possam querer quando forem adultas e eu acredito que elas devem ter essa possibilidade de escolha. Se em idade adulta, esses indivíduos não mostrassem interesse em que isso acontecesse a informação manter-se-ia confidencial.
                    [/quote]"

                    Estás a ignorar, mais uma vez, que nem sempre é possível recorrer a inseminação artificial com dador conhecido, em Portugal e Espanha, por exemplo, não é. Logo, não é sequer uma opção para a maioria das mulheres, sejam elas lésbicas ou não.
                    No meu caso, por exemplo, não tive escolha sobre o sítio, isso aconteceu por motivos particulares que prefiro não partilhar, mas, resumindo, ou fazia o processo em Espanha, ou nunca mais o poderia fazer futuramente.

                    Tu acreditas que a inseminação artifical apenas deve ser realizada quando houver possibilidade das crianças nascidas conhecerem os seus dadores ou dadoras. Eu não. Uma das condições que muitos dadores colocam é o seu direito a não ter qualquer contacto com a criança gerada, precisamente por que querem ser apenas dadores e não pais. A liberdade deles não é menos importante. A palavra liberdade, aqui, pode ser aplicada em vários contextos, um não é melhor que o outro.

                    Genética não é família. Eu seria uma daquelas pessoas que preferia não ter que pensar nisso quando fizesse 18 anos, preferia não ter esse peso, ou seja, não só preferia não conhecer o dador ou dadora como preferia que nem sequer houvesse essa possibilidade. E digo-te com franqueza, que havendo essa possibilidade, o processo de decisão sobre se os deveria conhecer ou não, iria trazer-me sofrimento.
                    A este nível não há certezas absolutas sobre o que será melhor ou pior para uma criança ou jovem, cada qual deve agir de acordo com a sua consciência e valores, mas, reconheço,  refletindo muito bem nas implicações das opções que se tomam. Qualquer pai/mãe, qualquer que sejam as suas orientações sexuais deve reflectir muito bem antes de se colocar nesse papel.

                    Aproveito para esclarecer algo que poderá ser importante no processo de decisão de algumas mulheres, na clínica onde estive, em Espanha, informaram-me que por motivos de saúde da criança a identidade do dador pode ser revelada (mas só neste caso). É também conhecida a história clínica do dador e família directa e há uma série de testes clínicos que são feitos ao dador, portanto nesse aspecto há uma protecção muito maior que numa concepção típica.

                      Inseminação Artificial
                      #230

                      Offline Lio

                      • *****
                      • Orador(a)
                      • Membro Ultra
                      • Género: Masculino
                      • "Se queres ser feliz amanha, tenta hoje mesmo"
                        • https://www.facebook.com/roma.rui
                      Não se deveria também discutir o assunto das Gestação de Substituição para homens, independentemente da orientação sexual, solteiros,  e casais de homens em Portugal?

                      Não têm também direito a não precisar de uma mulher na sua vida pessoal para poderem ser pais biológicos?
                      « Última modificação: 27 de Março de 2018 por Lio »

                        Inseminação Artificial
                        #231

                        Offline carolinalg

                        • *****
                        • Moderação Geral
                        • Membro Elite
                        • Género: Feminino
                        • call it Magic... call it true...
                        Não se deveria também discutir o assunto das barrigas de aluguer para homens gays ou heteros solteiros e casais de homens gays em Portugal? Bem como os trans?

                        Não terão também direito a não precisar de uma mulher na sua vida pessoal para poderem ser pais biológicos?

                        Lio, não tem nada que ver, mas gostava de falar contigo. Não consigo contactar-te por MP. Obrigada.
                          - carolinalg -

                          Inseminação Artificial
                          #232

                          Offline Lio

                          • *****
                          • Orador(a)
                          • Membro Ultra
                          • Género: Masculino
                          • "Se queres ser feliz amanha, tenta hoje mesmo"
                            • https://www.facebook.com/roma.rui
                          Não sei porque não consegues :s, nao tenho a caixa de mensagens cheia, de qualquer forma já apaguei varias mensagens. Mas podemos discutir por aqui :)

                          Eu sei que não tem a ver, sao coisas diferentes, sou a favor da inseminação artificial para todas as mulheres que o desejem :). Apenas lancei a questão.

                            Inseminação Artificial
                            #233

                            Offline carolinalg

                            • *****
                            • Moderação Geral
                            • Membro Elite
                            • Género: Feminino
                            • call it Magic... call it true...
                            Como é que anda esta situação em Portugal? Casais L já podem fazer inseminação? Perdi-me um bocado nas leis com a tomada de posse do Marcelo...

                            Obrigada.
                              - carolinalg -

                              Inseminação Artificial
                              #234

                              Offline Go4Baby

                              • *
                              • Novo Membro
                              • Género: Feminino

                                Inseminação Artificial
                                #235

                                Offline Manuel Cunha

                                • *
                                • Novo Membro
                                • Género: Masculino
                                Estou inteiramente de acordo com a Inseminação caseira e disponível a Ajudar Solidariamente.
                                Sou Homem, nos 40, idóneo, residente Porto-Portugal, tenho olhos azuis, saudável e sem precedentes de qualquer tipo de doença genética.
                                Estou disponível a ajudar e realizando assim o Sonho de uma mulher em ser mãe tendo em conta a segurança e responsabilidade.
                                Disponível para:
                                -Mulheres Independentes que pretendem ser mães solteiras por opção.
                                -Casais de duas mulheres e querendo ter um filho.
                                 -Casais heterossexuais em dificuldade por motivo de saúde do elemento masculino

                                  Inseminação Artificial
                                  #236

                                  Offline Pat_Porto

                                  • *
                                  • Novo Membro
                                  • Género: Feminino
                                  Estou inteiramente de acordo com a Inseminação caseira e disponível a Ajudar Solidariamente.
                                  Sou Homem, nos 40, idóneo, residente Porto-Portugal, tenho olhos azuis, saudável e sem precedentes de qualquer tipo de doença genética.
                                  Estou disponível a ajudar e realizando assim o Sonho de uma mulher em ser mãe tendo em conta a segurança e responsabilidade.
                                  Disponível para:
                                  -Mulheres Independentes que pretendem ser mães solteiras por opção.
                                  -Casais de duas mulheres e querendo ter um filho.
                                   -Casais heterossexuais em dificuldade por motivo de saúde do elemento masculino


                                  Desculpa perguntar, mas de que forma estarias disposto a ajudar?

                                    Inseminação Artificial
                                    #237

                                    Offline Sekh

                                    • **
                                    • Membro Júnior
                                    • Género: Feminino
                                    Hum....fiquei um pouco céptica também  ???
                                    Não me parece um assunto tão 'leviano' quanto isso.

                                      Inseminação Artificial
                                      #238

                                      Offline Sekh

                                      • **
                                      • Membro Júnior
                                      • Género: Feminino
                                      Sim é isso não é nada linear...

                                         

                                        Tópicos relacionados

                                          Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                                        10 Respostas
                                        7282 Visualizações
                                        Última mensagem 29 de Novembro de 2011
                                        por paulosabino
                                        6 Respostas
                                        1911 Visualizações
                                        Última mensagem 20 de Janeiro de 2019
                                        por Mii