Assuntos Gerais > Arquivo - Pedidos de Colaboração

Pedido de Colaboração - TVI - Tema: Transexualidade

(1/13) > >>

rede ex aequo:
Olá,

Segue abaixo o pedido de colaboração da jornalista Marta Tomé da TVI. Foi pedido à rede ex aequo colaborar neste trabalho.
Se desejarem colaborar por favor respondam para o e-mail rede@ex-aequo.web.pt, com os vossos dados: nome, idade e contactos (e-mail e/ou telefone) para os remeter à jornalista.

---
Nome do jornalista: Marta Tomé
Tema do programa: Transexualidade
Órgão de comunicação social: TVI
---

O meu nome é Marta Tomé e faço parte da equipa que se encontra a preparar o novo programa da tarde da TVI, "As tardes da Júlia", a estrear brevemente e com apresentação de Júlia Pinheiro.
Trata-se de um talk-show que contemplará grandes temas da actualidade.
No dia 24 de Abril será abordado o tema da transexualidade - "Mulheres que se sentem Homens e Homens que se sentem Mulheres".

Queremos abordar o tema de uma maneira muito séria.  O objectivo é transmitir às pessoas que a transexualidade no género masculino ou feminino não é uma doença e que a Sociedade, de uma forma geral, comece a aceitar estas pessoas sem as achar "diferentes" porque têm o direito de ser como se sentem.
Peço-vos ajuda no sentido de arranjarmos testemunhos reais, uma vez que é um tema que só faz sentido com casos reais, na primeira pessoa. Temos noção da delicadeza do assunto e compreendemos que nem toda a gente se sinta à vontade para dar a cara. Por isso, as pessoas poderão ser caracterizadas para que não sejam reconhecidas.

--
rede ex aequo - associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, transgéneros e simpatizantes

Website: http://ex-aequo.web.pt
Email: rede@ex-aequo.web.pt
Fórum: http://ex-aequo.web.pt/forum
IRC (PTNet): #ex-aequo

Rua S. Lázaro 88,
1150-333 Lisboa
Portugal

Telefone: (+351) 96 878 18 41

RastaMan:
Decidi colaborar com a TVi pois considero importante dar alguma visibilidade (dentro dos possiveis) à transexualidade, uma vez que esta nem sempre é abordada de uma forma positiva.

A produção propos fazer uma reportagem e/ou ir ao programa em directo. Respondi afirmamente a ambas.

Deixo aqui o relato de como correu a reportagem.

A reportagem correu muito bem. Combinámos um encontro perto de minha
casa. Esperava encontrar-me com a Marta Tomé, mas afinal apareceram 4 homens. Estavam animados e cumprimentaram-me alegremente. Propus que fossemos filmar em minha casa para me sentir mais confortável.

Enquanto um deles preparava os materiais, o jornalista foi discutindo comigo qual a melhor maneira de ser filmado sem ser identificado. Escolhemos então filmar a contra-luz para que só aparecem os meus contornos a negro. Mesmo assim, decidi usar uma máscara de teatro (daquelas brancas com a boca a descoberto para se perceber o que se diz). O material ainda não estava pronto e então fumámos uns cigarros e tocámos guitarra!

O jornalista mostrou-se sempre atencioso e compreensivo. Perguntou-me senão quereria trocar de camisola, uma vez que poderia ser identificado através dela. Isto porque, para além da entrevista, gravámos umas imagens para aparecerem durante a  narração/introdução do jornalista. Por exemplo, gravámos algumas fotos minhas em bebé ou criança muito pequena (fotos essas que serão desfocadas); eu com a máscara em frente ao espelho; alguns objectos etnicos que tenho cá por casa, o meu Pinóquio (aquele que sempre quis ser um menino de verdade e CONSEGUIU!)...

Eu tinha duas hipóteses: ou falava livremente ou ia respondendo a perguntas. Escolhi a segunda hipótese.

Respondi a perguntas tais como:
Quando é que se apercebeu do mal-estar?
Como é que esse mal-estar o afectou na infância?
Qual a relação com a família? Eles percebiam que algo se passava?
Como foram as experiencias de sociabilização na escola primária?
Qual a sua relação com os rapazes e com as raparigas?
Como se sentiu na puberdade com as mudanças físicas?
Como foram os primeiros namoros?
Como descobriu o termo transexualidade? Como percebeu que era
transexual?
O que fez nessa altura?
O que foi necessário para começar o acompanhamento com uma equipa
especializada? Como decorre geralmente esse processo? Alguma vez
considerou ser seguido no particular?
Como reagiram os amigos, a família à sua transição?
Como é a sua vida amorosa hoje em dia?
Quais as dificuldades que encontra na vida por ser transexual?
Como é a sua vida profissional?
Quais são os seus sonhos para o futuro?

Fizemos um intervalo a meio da entrevista pra fumar mais uns cigarros e beber água. O jornalista felicitou-me pela minha capacidade de expressão, uma vez que já tinha apanhado pessoas que respondiam: "Ya, prontos, foi muito dificil, prontos..."

Todo o processo durou cerca de 2 horas.

De certeza que não querem colaborar? É gente séria, acessivel e compreensiva.

Topolino:
Parabéns RastaMan pela coragem... ;)

bugkill3r:
já marquei a data na agenda para ver.

Parabens RastaMan por dares visibilidade ao assunto :up

Phoenix:

--- Citação de: RastaMan em 3 de Abril de 2007 ---Decidi colaborar com a TVi pois considero importante dar alguma visibilidade (dentro dos possiveis) à transexualidade, uma vez que esta nem sempre é abordada de uma forma positiva.
(...)

--- Fim de Citação ---

RastaMan, aproveito para deixar também aqui a felicitação pela tua coragem e por teres contribuído para uma linguagem positiva sobre a transsexualidade.
 ;)

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa