Assuntos Gerais > Apoio Não-LGBT

Desabafos - Suicídio.

(1/10) > >>

James07:
Algo que escrevi esta semana que decidi partilhar aqui. Desabafos, pensamentos.

Nascemos sem pedir, acabamos por morrer sem querer, mas será que é sempre assim? Não comigo. Acredito que tudo na vida tanto pode ser algo maravilhoso, quanto desesperavelmente terrível. E se nascemos sem pedir, temos certamente também a dignidade e o direito de a terminarmos quando queremos. Cobardia? Não acho cobarde quem decidiu terminar a sua vida. Tenho respeito, pela decisão que foi tomada, e de certa forma invejo essa coragem. Porque eu nunca a consegui ter. Sinto-me assim preso entre o sim e o não, entre o aqui e o ali. Entre o viver, e o desejo de morrer. Sinto-me vazio por dentro, tudo quanto tinha foi-me arrancado por tudo aquilo que o tempo não levou. E este vazio foi o resultado de tudo isso. Isto devora-me por dentro e devagar mata-me, com um sofrimento que mais se parece a uma tortura. Mas os pesos que estão na balança complicam a decisão. O amor que sinto por eles, consegue ser superior ao meu desejo. Seria tão egoísta em terminar tudo, e deixar tamanho sofrimento para eles. Não era justo, não seria correcto. Portanto, acho que só me resta viver neste castigo. Se eu pudesse, o meu desejo seria nunca ter existido. Era mais fácil para mim e para tantos. E porque que eu desejo isto? Porque nunca nada deu certo, tudo cobriu-se por um manto de sofrimento, de loucuras e aventuras que me deixaram como eu hoje estou, e magoou e fez sofrer todos aqueles que mais me amaram, e me amam. Mas mesmo assim, eles perdoam-me. É por isso que eu não consigo. É por isso que eu não posso. Independentemente de tudo me correr mal, da minha vida não ter um propósito, de não encontrar um caminho que siga, o perdão deles faz tudo diferente. Eu não posso ser tão egoísta. Mas apesar de todas estas palavras, o meu maior desejo, é aquele que certamente todos aqueles corajosos não o conseguiram alcançar. A felicidade. Acima de tudo eu desejo ser feliz. Eu quero ser alguém. Eu quero ter algum propósito. Acima de tudo... Eu não quero desistir. E eu continuo, e continuo a lutar e a lutar. Talvez a espera que algo aconteça. Até lá, eu estou assim. Farto de viver, farto de lutar. Farto até de mim. Mas preso a algo mais forte do que tudo isso. Os meus pais deram-me a oportunidade de viver, eu desiludi-lhes da pior forma com algo que nem eu pude alguma vez que seja escolher, mas curiosamente são também eles que me salvam do meu destruidor desejo de um dia não voltar a acordar.
Eu sinto-me mesmo farto, estou mesmo cansado, tão cansado, que ninguém alguma vez iria perceber.

Diogo Pereira:
Se precisares de alguém para falar ou desabafar, tens aqui alguém. FORÇA.

Marilyn:
Isto é mais ou menos o que eu penso sobre mim mesma e a minha vida, excepto com algumas pequenas diferenças. Estou solidária contigo e com o teu sofrimento

Destiny:
Eu nao pretendo viver muito tempo, ou muito mais tempo. Por isso tudo bem, força a quem quer continuar, quem nao quer tem  o meu respeito a mesma.

Endovélico:

--- Citação de: Filipa76 em 29 de Janeiro de 2013 ---Eu nao pretendo viver muito tempo, ou muito mais tempo. Por isso tudo bem, força a quem quer continuar, quem nao quer tem  o meu respeito a mesma.

--- Fim de Citação ---

Não digas isso!

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa