Fórum da rede ex aequo

Outras Conversas => Atualidades, Política e Sociedade => Tópico iniciado por: Whisper em 25.nov.2004, 21:08:07

Título: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 25.nov.2004, 21:08:07
Bem este topico vem a proposito porque, ainda abucado esta muito bem na paragem do autocarro a ouvir musica quando vejo um homen a bater na mulher, toda agente olha e ninguem faz nada! Montes de homens a volta e ninguem nada, nem um pare nem nada!
1o -  Será que nos somos um povinho tão da treta que não somos capazes de dar a mão a uma pessoa que precisa? Não gostariamos que se fossemos nos, que nos ajudassem? Eu bem me contive para não fazer nada, tambem o que faria? So tenho 20 e sou miuda, enquanto aquilo era um homen grande nos seus 40s e tais...
2o - O que ainda me irirtou mais foi os comentarios das pessoas!!! Primeiro comentam que ele não devia bater na cara, porque? Devia ser no corpo que é pa ninguem mais saber e a pessoa sofrer em silencio so para nos não termos que ver aquilo e nos apreceber que realmente acontece diariamente? Segundo disseram que ele estava bebado e porisso bateu, pois bem nova lei pessoal, vamos apanhar bebedeira e fazer tudo o que queremos porque não faz mal, afinal de contas tamos bebados não é? Temos desculpa! Terceiro e o que mais me irritou, uma mulher disse "não podiam fazer so isso em casa? Tem que vir para a rua?" foi mais ou menus assim. Ora pois bem! Em casa! Assim nennhum de nos tem que lidar com a realidade que centenas de mulheres em portugal morrem diariamente EM CASA pelas mãos dos seus maridos.
Ainda estive noutra situação que trabalhei num sitio que via quase diariamente a mulher e a filha a  serem agredidas pelo esposo/pai. E sabem que mais? Toda agente sabe e ninguem faz nada!
Como é que é possivel vivermos numa sociedade tão retardada? Como o problema não é nosso, ignorar? Entre marido e mulher não se mete a colher? Por amor de deus....o pior é que não se passa só em Portugal mas sim em todo o lado. Nos paises arabes então nem falemos! Aquilo ate faz parte da cultura, pai bate na filha na mulher, o filho bate na mae na irma na filha e etc etc etc....
As vezes preferia ter continuado macaca!
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: setima madrugada em 25.nov.2004, 21:13:29
acredita que os macacos são muito mais felizes.

mas faz parte da nossa sociedade a hipocrisia, logo qualquer tipo de violência mesmo sabida nunca é revelada.. a educação ainda é mesmo essa "entre marido e mulher ninguém mete a colher".

sou apologista de que qualquer violência usando força despropocional, seja agressão com armas ou entre genéros (nomeadamente de homens sobre mulheres, pois tem maior força fisica. Refiro a violência doméstica, gratuita ou violações) devia ser duplamente penalizada.

há aí pessoas ainda menos racionais do que os próprios macacos..
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: MisticThought em 26.nov.2004, 01:46:33
Infelizmente, vivemos numa sociedade em que a violência verbal é consentida, e começa logo aí a estupidez, desculpem a expressão, pois começa sempre no mais leve, e sendo consentido vai continuando até passar para outro nível mais pesado, seja físico. E a sociedade não reprime. Vemos violência na tv todos os dias, porque não praticá-la? Arranjar desculpas é fácil "estava bêbedo, não tinha consciência".
O que é mais triste ainda, é que as pessoas assistindo a tal coisa não fazem nada, porque não se querem preocupar, não se querem envolver, estão já demasiado frias para tentar ajudar o próximo. Pessoas que vêem carros a serem assaltados, não fazem nada; pessoas serem assaltadas, não fazem nada; marido que bate na mulher, não fazem nada, acidente, é preciso testemunhas, nunca há; homossexuais ou lésbicas na rua abraçados ou a darem um beijo, se for preciso até insultam... quantas mais provas querem para a podridão da nossa sociedade vir ao de cima?
É o mundo em que vivemos!
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Driretlanii em 26.nov.2004, 02:38:02
A maior parte da sociedade é assim de facto... e pk? Primeiro pk somos ensinados a "não intreferir com as vidas alheias" (contudo cuscuvelhar não é intreferir, logo, "bora" lá ver o k os vizinhos ou as pessoas na rua fazem)...
~Segundo pk existe uma grande indiferença entre as pessoas e poucos são os que se preocupam com os outros (como se costuma dizer, pimenta no traseiro dos outros é refresco...).
~Terceiro, pk há inúmeros exemplos em k as pessoas intreferiram em cenas do género e deram-se mal...
O pai de um amigo meu viu uma senhora a ser assaltada e foi a correr atrás do ladrão para devolver a carteira à senhora... Contudo não o conseguiu - morreu de ataque cardíaco devido ao esforço repentino. E não preciso de falar de casos alheios, eu própria já intreferi em assaltos e isso valeu-me dentes partidos, olhos negros, perna partida e até mesmo uma facada numa perna... Tb já me meti em brigas, e os resultados não foram mto diferentes.
Com resultados destes, com exemplos deste género, kem se ousa "meter o bedelho"  onde não é chamado???

Dri

(Pessoalmente continuo a fazê-lo, mesmo sabendo k provavelmente me vou magoar, mas apenas pk n suporto ver estas cenas e injustiças e ficar de braços cruzados... Contudo as pessoas k me rodeias chamam-me masoquista por isso... É justo??? :'()
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: MisticThought em 26.nov.2004, 18:19:29
Uma pessoa sozinha tentar ajudar por vezes é quase impossível, ou acaba até por complicar mais... Mas é triste quando há um grupo de pessoas, e umas ficam estáticas a olhar, e outras simplesmente viram a cara.  :-\
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Driretlanii em 26.nov.2004, 18:26:39
Como disse, só ou acompanhada, sabendo k vou levar ou não, meto-me... Isso depende de cada um... E eu n consigo ver essas cenas sem me meter pk tb tive disso em casa, ok? E acabou com termos quase todos k sairmos de casa um dia de madrugada com escolta da policia e irmos para o hospital... E nenhum vizinho apesar de ouvir tudo a ser partido, ou dos berros (fossem da minha avó de 84 anos ou da minha irmã de 10) ousou seker chamar a polícia... E foram anos seguidos assim, por isso não consigo não me meter...

(Desculpem se tou algo agressiva, mas isto ainda é algo recente e como é óbvio, é algo k mexe comigo...)

Jokas pa tod@s!

Dri
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: candy cane em 26.nov.2004, 21:38:28
O meu vizinho de baixo batia à mulher e à filha.
Vinha do trabalho, jantava, mudava de roupa, saía com amigos e estava com várias mulheres, vinha para casa de madrugada já com elas a dormir e começava a bater-lhes. Muitas vezes fazia-o em silêncio, não se ouvia nada. Ela já tinha falado com a minha mãe e tinhamos comentado isso aqui em casa mas nunca se tinha feito nada porque sem termos visto ou ouvido nada não poderiamos fazer nada.
Tempos depois ela conseguiu abrir a porta de casa e veio para as escadas do prédio gritar e ele atrás dela a bater-lhe.... ninguém, além dos meus pais, se dignou a sair de casa para vir ajudar a mulher que estava a ser espancada e gritava por ajuda. Isto aconteceu várias vezes, uma em que o meu pai teve mesmo de lhe bater...
Tempos depois eles voltavam a morar juntos, ele batia-lhe e os meus pais iam ajudá-la.
Por muito que lhe bata ela não faz queixa dele à policia e deixa-o voltar sempre.  :wor
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 26.nov.2004, 21:47:20
Faz-me uma confusão tremenda, como é que há tanta mulher que tolera o marido bater-lhe... Não sei, as desculpas que oiço em nome delas é por terem medo...Mas depois eu penso elas já não vivem em medo diario? Medo do marido chegar a casa e repetir-se o mesmo que nos outros dias? Mais vale a riscar e lutar contra o medo que elas tem, sejá lá ele qual for! Muitas das vezes acabam com um fim muito triste, ou ela morre, ou ele...
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Driretlanii em 26.nov.2004, 22:08:21
O medo inibe as pessoas de fazer queixa... O medo da vingança, da perseguição... Se já normalmente é o k se vê, imaginem como será irritado, rancoroso e com ódio por ter uma queixa contra na polícia???
Pelo menos assim foi connosco até akela noite... Mas nakela tivemos mesmo k apresentar queixa. Eu passei 2 dias no hospital com um traumatismo craneano de tantos pontapés ter apanhado, a minha avó ficou com um traumatismo craneano menor e um olho negro durante 2 meses, o meu irmão com um olho negro... Já pa não falar das outras mazelas... E sabem o k os médicos do meu pai disseram? K n podiam fazer nada pk ele ainda estava em pleno contacto com a realidade... Mas passado 3 meses chegaram à conclusão k ele era esquizofrénico... E nós, k apoio tivemos nós??? NENHUM!!!  >:(
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 26.nov.2004, 22:14:52
Lamento muito que tenhas passado porisso Driretlanii =/  :-*

Infelizmente o nosso sistema judicial, o medico e não só, deixam muito a desejar!
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: vEnOmOuX em 26.nov.2004, 22:23:38
aiai..
isto é um assunto um pouco complicado, isto porque nós não sabemos porque essa queixa muitas das vezes não é feita..
enfim..
Os meus pais estão separados.. (posso gritar bem alto "Graças a Deus") isto pq não voltava atrás pa ver cenas que por muitas vezes passei quando era mais pequena.. o meu pai é um pouco violento e a minha mãe gostava de ´picar´..
Agora estão separados.. mas ainda brigam, poucas vezes se veêm mas arranjam sempre um pretexto pa dizer mal um do outro e brigarem por tudo e por nada!
Eu bem lhes tento dizer que isto põem o meu sistema nervoso ao cimo da pele, mas não tem jeito para aqueles dois seres mudarem  >:(

Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Driretlanii em 26.nov.2004, 22:27:49
Whisper, nós tivemos k abandonar tudo com uma mão à frente e outra atrás e nem um sítio pa ficarmos o sistema nos arranjou... felizmente ainda tinhamos kem nos acolhesse de forma temporária k agora é permanente, pk senão andavamos na rua... Enquanto k a ele k era o agressor, como era doente, trataram logo de arranjar casinha e rendimentos... É um sistema por demais injusto.

Bigada pela simpatia contudo, e pela compreensão! :-*
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 26.nov.2004, 22:33:46
Pelo - agora estão bem e isso é que interesa  ;)
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Driretlanii em 26.nov.2004, 22:39:20
yah, pelo menos agora já não temos medo de dormir... Mas há danos k vão demorar mtos mtos anos a serem minorados - pelo menos em mim assim o sinto...
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 26.nov.2004, 23:01:56
É normal, mas irás conseguir  :) se precisares de ajuda para tal também há sempre onde ir...
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: NecroRomancist em 02.dez.2004, 13:51:02
Responder
Os meus pais estão separados.. (posso gritar bem alto "Graças a Deus") isto pq não voltava atrás pa ver cenas que por muitas vezes passei quando era mais pequena.. o meu pai é um pouco violento e a minha mãe gostava de ´picar´..
Agora estão separados.. mas ainda brigam, poucas vezes se veêm mas arranjam sempre um pretexto pa dizer mal um do outro e brigarem por tudo e por nada!

Bem eu tambem quando era mais novo tambem passei por situaçoes dessas mas os meus pais nao se separaram e ainda hoje estao juntos.Ouve muitos tempos onde achei melhor que eles se separassem.Normalmente dao-se bem (eu tambem agora como tou na universidade passo menos tempo em casa) mas as vezes têm assim uns vipes.Ainda ha uns dias quando me foram buscar à rodoviaria de Santarem tava a ver que iam começar à luta dentro do carro, tambem ja nao era a primeira vez :(, tive que os mandar ambos para um sitio ver se se calavam.E depois vêm-me com historias de que nao falo muito com eles.Eu ja sou um pouco afectado dos neuronios e depois com coisas destas.

Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: ganimedes em 03.dez.2004, 00:12:29
Entre marido e mulher não metas a colher.

Um adágio muito popular que resume a nossa cultura permissiva no campo da violência doméstica! Em novo assisti a cenas tristes dos meus vizinhos mas tal coisa nunca a vivi de perto.

Felizmente hoje em dia a corrente dominate aponta para a denúncia e apoio de famílias em risco! E isso é um trabalho de todos nós! Revolta me saber que há tantas mulheres que sofrem nas mãos de homens violentos... e custa me saber que algumas pessoas daqui sentiram isso...

Mas actualmente já não há lugar ao consentimento e subjugação feminina! Chegou a hora de gritar e socorrer que precisa! Pessoalmente uma mulher que seja vítima de abusos deve separar se do agressor através do divórcio (se casada) e recomeçar uma vida nova! Isso de submeter se e aceitar em nome dos filhos não é admissível!

E cabe à sociedade ou seja nós denunciarmos e apoiarmos... é o nosso papel!
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: MisticThought em 03.dez.2004, 14:16:11
ganimedes é bom falar, e muitas mulheres são capazes de dizer que nunca se submeteriam a tal situação, mas quando acontece de facto, provavelmente são mais as que se calam e aguentam, que as que denunciam e se afastam... é triste... mas é a nossa sociedade  :-\
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 03.dez.2004, 22:59:01
Triste foi eu falar com a minha amiga sobre isto e a resposta dela foi, entre homen e mulher ninguem mete a colher. Então eu perguntei-lhe se ela se cas-se com o luis (namorado dela) e ele bate-se nela, não iria ela querer ajuda? Calou-se logo. É o que digo aos outros nunca ninguem quer ajuda mas a eles querem que todos ajudem!
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: ganimedes em 04.dez.2004, 22:50:37
Mistic tudo começa com o fim do silêncio! A mudança de mentalidades passa pela discussão das coisas em praça pública!
As pessoas andam adormecidas em redor deste tema...

É indiscutível o apoio que deve ser dado à vítima mas não podemos esquecer o agressor. Também ele deve ser ajudado...
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: MisticThought em 04.dez.2004, 23:17:34
Concordo contigo ganimedes. O agressor não sendo ajudado continuará igual. Muitas pessoas se tornam agressoras quando não são ajudadas nos seus problemas, e são marginalizadas, revoltando-se. Claro que também há aqueles casos em que os agressores são simplesmente estúpidos...
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: T160 em 05.dez.2004, 01:32:43
Há coisa de 6 meses ía para Lisboa no 138 quando de repente se começam a ouvir uns ruídos de malas a cair, uma mulher a chorar e um homem aos berros... Como falavam em lingua estrangeira (romeno, penso eu de que) não se percebia ao certo o motivo da discussão. Cerca de 30 segundos depois tinhamos já a totalidade dos ocupantes da carruagem (cerca de 60 pessoas) a observar e a comentar a cena... A discussão e pancadaria continuavam como se da coisa mais natural do mundo se tratasse! NINGUÉM mecheu um dedo sequer para fazer fosse o que fosse apesar de a mulher que estava a ser espancada já apresentar sinais de ferimentos na cara... Apenas a chegada do revisor e as ameaças de que chamaria a polícia na estação seguinte fizeram terminar aquela cena.

Em conversa com ele pco depois (foi ele que me contou a cena, eu não assisti) disse-me que aquilo tudo se deveu ao facto da mulher se ter esquecido de uma mala no momento de embarcar em Aveiro... Não podiam seguir viagem sem essa mala... e para saírem na estação seguinte iriam perder o dinheiro dos bilhetes.. vai daí e bate-se na mulher para compensar... :-\
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: absolut_ em 05.dez.2004, 02:59:15
É uma sociadade individualista. Só Cada um só pensa em si. >:(
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 05.dez.2004, 16:17:52
acho que é mesmo é uma sociedade egoista e insensivel...
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Evil_Master em 11.out.2005, 16:55:53
Reconhecendo os Diferentes Tipos de Violência Violência física

Uso da força ou atos de omissão praticados pelos pais ou responsáveis, com o objetivo claro ou não de ferir, deixando ou não marcas evidentes. São comuns murros e tapas, agressões com diversos objetos e queimaduras causadas por objetos ou líquidos quentes.
Página Inicial Violência psicológicaRejeição, depreciação, discriminação, desrespeito e punições exageradas são formas comuns desse tipo de agressão, que não deixa marcas visíveis, mas marca por toda a vida.NegligênciaAto de omissão do responsável pela criança ou adolescente em prover as necessidades básicas para seu desenvolvimento.Síndrome do bebê sacudido (Shaken Baby Syndrome)Esta síndrome se refere a lesões de gravidade variáveis, que ocorrem quando uma criança, geralmente um lactente, é severa ou violentamente sacudida.Podem ocorrer em consequência:

• cegueira ou lesões oftalmológicas
• atraso no desenvolvimento
• convulsões
• lesões da espinha
• lesões cerebrais
• morteSíndrome de Münchausen por procuração
Entidade relativamente rara, de difícil diagnóstico, caracterizado pela fabricação intencional ou simulação de sintomas e sinais físicos ou psicológicos em uma criança ou adolescente, levando a procedimentos diagnósticos desnecessários e potencialmente danosos.Violência sexualAbuso de poder no qual a criança ou adolescente é usado para gratificação sexual de um adulto, sendo induzida ou forçada a práticas sexuais com ou sem violência físicaBullyingBullying é usar o poder ou força para intimidar ou perseguir os outros. As vítimas de intimidação e chantagem recorrente (Bullying) são normalmente pessoas que sem defesas que incapazes de motivar outras para agirem em sua defesa. Trata-se, infelizmente, de um problema que afecta as nossas escolas, comunidades e toda a sociedade.
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: EYre em 11.out.2005, 18:18:17

Estive a ler o primeiro post e achei piada porque me lembrei de um caso que ocorreu com uma colega minha: ela também viu um homem a bater numa mulher e, corajosamente, chegou ao pé do homem e deu-lhe uma bofetada na cara: Não é que a mulher se vira contra ela e lhe diz "no meu homem ninguém bate!"? Enfim...
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 12.out.2005, 00:48:30
Realmente em vez de agradecer, refila!  ???
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Phoenix em 13.abr.2006, 10:52:26
Código Penal: penas mais pesadas para violência doméstica e incêndio florestal
13.04.2006 - 08h40   Lusa

O Governo deve hoje aprovar uma proposta de revisão do Código Penal para que a violência doméstica passe a crime autónomo, para alargar as penas alternativas à prisão e aumentar a responsabilidade penal das pessoas colectivas.

A proposta do Executivo, que deverá ser aprovada na reunião de hoje do Conselho de Ministros, partiu de um projecto elaborado pela Unidade de Missão para a Reforma Penal, coordenado pelo ex-secretário de Estado Rui Pereira e entregue ao ministro da Justiça, Alberto Costa, a 13 de Março.

De acordo com o Executivo, a proposta de revisão do Código Penal contempla um alargamento das penas alternativas à prisão para crimes de menor gravidade. Neste capítulo, o diploma consagra que caberá sempre ao juiz a decisão de substituir a pena de prisão por uma alternativa, designadamente uma pena de prisão de um ano por multa.

Pelo diploma do Governo, se a proposta de revisão do Código Penal for aprovada, um recluso poderá trabalhar no exterior nos dias úteis da semana e cumprir prisão aos sábados e domingos. Nas penas alternativas está ainda prevista a possibilidade de semi-detenção do recluso, em que durante o dia poderá trabalhar ou estudar no exterior e cumprir prisão durante a noite.

O Governo pretende ainda autonomizar o crime de violência doméstica, que fica contemplado no artigo 152, entendendo-se que "quem de modo intenso causar maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo privação da liberdade", a cônjuge, ex-cônjuge ou com quem vive em união de facto (pessoa de outro ou do mesmo sexo), bem como aos filhos, é punido com pena de prisão de um a cinco anos.

No novo Código Penal, o crime de violência doméstica deixa de depender de queixa da vítima e o crime de responsabilidade por incêndio florestal passa a ser autónomo. Neste último caso, passa a ter uma pena de um a oito anos o crime de provocar incêndio em floresta, mata, arvoredo ou seara própria ou alheia.

Esta pena conhece ainda um agravamento, passando a ter uma moldura penal entre três e 12 anos, se o agente que provocar incêndio criar perigo para a vida ou integridade física de outrem.

Segundo fonte do Governo, a proposta prevê um aumento da responsabilidade penal de pessoas colectivas (empresas, associações, fundações) por violação das regras de segurança, tráfico de pessoas, escravidão, crimes sexuais contra menores, pornografia, lenocínio, dolo informático e nas comunicações e crimes contra o ambiente.

O diploma pretende consagrar ainda responsabilidade penal de pessoas colectivas por associação criminosa, tráfico de influência, favorecimento pessoal, bem como a corrupção activa e passiva. O texto prevê penas desde a multa, admoestação, vigilância judiciária e, para os casos mais graves, dissolução - neste último caso, quando a empresa atenha sido criada exclusivamente ou predominantemente com interesse criminoso.

fonte: http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1253820&idCanal=0
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Scorpio_Angel em 13.abr.2006, 17:16:21
O meu vizinho de baixo batia à mulher e à filha. Tempos depois eles voltavam a morar juntos, ele batia-lhe e os meus pais iam ajudá-la. Por muito que lhe bata ela não faz queixa dele à policia e deixa-o voltar sempre.  :wor



Uma questão muito importante em termos de queixas de violência doméstica:


Linha Telefónica de Informação às Vítimas de Violência Doméstica - 800 202 148

O serviço de informação é gratuito, funciona pelo telefone, 24 horas por dia para apoiar vítimas de violência doméstica. É um serviço anónimo e confidencial.

Esta linha tem funcionários especialmente formados para atendimento de vítimas de violência doméstica, que dão apoio com informação sobre os direitos das vítimas, apoio psicológico, indicam os recursos de apoio que existem e onde se dirigir.

A violência doméstica é crime público o que significa que não é necessário que seja a vítima a apresentar a queixa pessoalmente. Pode ser denunciada por terceiros e não exige queixa das partes envolvidas.

Para apresentar uma queixa, deve dirigir-se ao posto mais próximo da GNR, da PSP ou da Polícia Judiciária. Também pode dirigir-se aos serviços do Ministério Público do Tribunal da sua Comarca.

http://www.portaldocidadao.pt/PORTAL/entidades/PCM/CIDM/pt/SER_linha+telefonica+de+informacao+as+vitimas+de+violencia+domestica.htm
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Eyre em 13.abr.2006, 18:05:41
II JORNADAS SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Faculdade de Letras da Universidade do Porto

http://sigarra.up.pt/flup/noticias_geral.ver_noticia?P_NR=820
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Eyre em 13.abr.2006, 18:58:49
Por acaso acho que neste tópico seria interessante introduzir uma votação que era a de saber quantos de nós sabem de casos na nossa família (nuclear ou alargada) de casos de violência doméstica. Porque é natural que quem tem casos desses na família não queira falar sobre isso, mas no secretismo do seu voto poderia falar. E seria interessante saber os resultados.
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Scorpio_Angel em 13.abr.2006, 19:21:07
Por acaso acho que neste tópico seria interessante introduzir uma votação que era a de saber quantos de nós sabem de casos na nossa família (nuclear ou alargada) de casos de violência doméstica. Porque é natural que quem tem casos desses na família não queira falar sobre isso, mas no secretismo do seu voto poderia falar. E seria interessante saber os resultados.

Já exite uma votação desse género, mas só para situações de violência entre membros de um casal [no tópico do geral]. Familia alargada, efectivamente ainda não...  :P

Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Eyre em 17.abr.2006, 14:54:57
Segundo um estudo da Universidade do Minho, 70% dos idosos sofre ou já sofreu de violência doméstica praticada pelos cuidadores.
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Eyre em 17.abr.2006, 15:32:18
Formação Contínua
 
Maus Tratos em Crianças e Jovens

Entidade: Psicoglobal - Serviços de Psicologia, Lda.
Data: 22 Abril 2006
Local: Porto

http://www.psicologia.com.pt/profissional/formacao/ver_formacao.php?id=422&grupo=1
 
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Eyre em 13.mai.2006, 12:40:40
Ontem estive nas II Jornadas Sobre Violência Doméstica, organizadas palo Departamento de Sociologia da Faculdade de Letras do Porto. Hoje vou ver as edições online dos principais jornais e deparo-me com a notícia de mais uma criança morta por um familiar, desta vez no Barreiro. :(
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: ca7arina em 13.mai.2006, 14:54:43
Hoje vou ver as edições online dos principais jornais e deparo-me com a notícia de mais uma criança morta por um familiar, desta vez no Barreiro. :(

 :( ...
Humm, kanto mais me bates mais eu gosto de ti  :devil esta serve pra algumas, akelas ke nc se defenderam ou fizeram keixa!!

Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Eyre em 13.mai.2006, 14:58:14

 :( ...
Humm, kanto mais me bates mais eu gosto de ti  :devil esta serve pra algumas, akelas ke nc se defenderam ou fizeram keixa!!



 :o :o :o

E tu achas que é assim tão simples e linear?? :o
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: ca7arina em 13.mai.2006, 15:12:35
Nã, acredito ke nã seja axim tao simples e linear, mas bolas pá ktas mulheres nã andam prai a serem maltratadas plos maridos e tal e nc fazem nd??
-ai, eu sei ke ele bate me mas gosto dele e ele de mim, sao fases e paxa!!
Yaaaa, ixo, paxa paxa ele continua a bater e ela continua a gostar. Nã falta instituiçoes pa ajudar as pexoas, logo elas é ke nã kerem.
Já tamos no sec. XXI minha gente, so se deixa paxar por situaçoes dexas kem ker. O filho da P**** ke se atreve a bater numa mulher hoje em dia ta logo a levar com a frigideira ou lá o ke tiver à mao!!
Whatever, tenho consciencia ke tou a ser fria e mtas vezes as coisas nã sao bem axim ou melhor sao como as pexoas kerem.

 ;)
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: ca7arina em 14.mai.2006, 02:03:33
uma vez uma colega de xcola xegou ao pé de nos e dixe ke tava preocupada com o pai, pois ele tinha xegada a casa com os copos e a mae bute, pancadaria pra cima do gaju  lol lol lol lol lol ... voilá, afinal as mulhres nã sao as unicas vitimas domesticas!
epá hoje em dia kd paxo plo gaju lembro me sempre dixo  lol lol lol

 :devil
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: mOit3iRa em 14.mai.2006, 10:50:04
Eu cresci num ambiente pesado em k o meu pai espancava a mha mãe ah mha frente... Felizmente ele já nao faz isso, mas fa-lo de forma verbal.
Não sei o que doi mais... se a dor fisica ou a psicologica!  ???
De qualquer das  formas, seria incapaz de magoar uma namorada mha, como o meu pai fz com a minha mae.  ;)
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: EbayGirl em 09.set.2006, 11:41:28
Para mim é assim:
DÁS UMA, LEVAS DUAS DE TROCO E PONTO FINAL EM TUDO!!!
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: estrelaminha em 09.set.2006, 12:32:07
Para mim é assim, se algum dia me deres foi o último dia q me vis-te ao teu lado
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Calipso em 09.set.2006, 14:20:45
Para mim é assim:
DÁS UMA, LEVAS DUAS DE TROCO E PONTO FINAL EM TUDO!!!

Para mim é assim, se algum dia me deres foi o último dia q me vis-te ao teu lado

Apoiado
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Whisper em 09.set.2006, 15:38:20
Para mim é assim, se algum dia me deres foi o último dia q me vis-te ao teu lado

Exatamente! Conheco alguns relacionamentos que entraram na fase de violencia, uma bate então a outra bate de volta e andam sempre assim. Eu pergunto-me como são capazes de manter um namoro assim! A apartir do momento que bates na outra pessoa so significa que não tens o minimo respeito por ela... Admito que já tive tão zangada que me apeteceu bater, mas de apetecer a fazer ainda vai um grande bocado e nunca passei tal linha!
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: τοRoyalSizeΚΞ em 28.nov.2008, 22:21:06
Nova campanha contra a violência doméstica.

Desta vez podem ler-se frases como:
  André insulta Inês
  Pedro domina Joana
  Zé maltrata Ana
  Isabel domina Luís
  Rui agride Paula


Já é um avanço a inclusão de violência dirigida a homens. Mas continua a não existir a referência a casais de pessoas do mesmo sexo. A campanha peca por imprecisão, pela exclusão de um grupo social, tornando-a menos representativa da população, assim como continua a reprimir uma minoria que bem precisa de se sentir integrada, que apenas quer ser mencionada.

Se não levasse o número tanto a sério telefonaria a confrontá-los com o facto. Não sei a quem dirigir o meu parecer, não se menciona nenhum destinatário em específico sobre a campanha, é pena.

Não obstante, é bom consultar o site disponibilizado, responder aos questionários e ler as mensagens. Ficamos a perceber mais sobre o tipo de violência doméstica, física e psicológica.

http://www.amorverdadeiro.com.pt/


But, shame on you   [smiley=nao.gif]
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: liss em 30.mai.2009, 03:22:33
Repugna-me.
É daquelas coisas às quais não consigo passar ao lado como se não fosse nada comigo...
[smiley=bomba.gif]  [smiley=muro.gif]
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Livre-Mente em 31.mai.2009, 22:41:30



A violência doméstica não está aumentar, apesar do número de denúncias ter sido maior este ano. As vítimas de violência doméstica estão a denunciar mais o que se passa e confiam mais “no sistema”, explicou a presidente da Comissão para a Cidadannia e Igualdade do Género.

Os dados divulgados pela APAV significam que "as vítimas confiam no sistema, que começam a deixar de ter vergonha, medo e culpa de denunciar o agressor”, explicou Elza Pais, comentando os 18.669 crimes que a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) contabilizou no ano passado, dos quais 90 por cento são de violência doméstica.

“As vítimas têm vontade de denunciar, mas ao mesmo tempo de perdoar o agressor, porque é, por norma, a pessoa com que vivem”, afirmou a presidente, à margem do I congresso sobre Tráfico de Seres Humanos, que decorre hoje e sexta-feira em Loures.

Os números da APAV revelam “um aumento de registos, mas não um aumento da violência doméstica”, o que vem ao encontro dos dados da PSP e da GNR, refere a presidente. "Felizmente está a ser criada uma nova consciência colectiva para que as pessoas que vivem estes dramas possam falar deles, possam denunciar", disse.

Elza Pais explicou que as denúncias correspondem ainda a uma percentagem muito baixa dos casos reais apesar de um estudo que foi divulgado a meados do ano passado indicar que a dimensão real da violência doméstica “diminuiu dez por cento nos últimos dez anos".

Vítimas denunciam mais mas violência doméstica não aumentou


Lembrei-me de colocar aqui este artigo que saiu no publico porque elucida bem o que se passa no nosso País, não me surpeende em nada as denuncias serem mais dado ao facto de ainda a dez anos os numeros eram bem diferentes as pessoas escondiam-se muito mais e não se trata de uma questão de cultura o que so se passa nas vilas e aldeias ve-se por essas Cidades muita gente bem formada que também levanta a mão.
Já se começa um pouco a desmistificar este assunto e a torná-lo cada vez mais Publico o que antes era um grande segredo agora começam a levantar-se as vozes em vez das mãos.
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: corema em 10.nov.2009, 13:17:13
Efeitos das agressões na saúde física e mental

Portugueses lideram projecto europeu sobre violência doméstica
2009-11-09

A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) vai liderar um projecto europeu inédito sobre violência doméstica – o DoVE (Domestic Violence against Women/Men in Europe: Prevalence, determinants, effects and policies/practices), financiado em um milhão de euros pela Agência Executiva para a Saúde e para os Consumidores, um órgão ligado à Comissão Europeia.

A iniciativa tem como objectivo avaliar a prevalência desta tipo de violência na Europa, caracterizar os actos de abuso, as vítimas e os agressores, e analisar os efeitos da violência conjugal na saúde física e mental dos lesados. Trata-se de um projecto de grande dimensão, que inclui equipas multidisciplinares de oito países da União Europeia, e cujos resultados deverão ser conhecidos dentro de dois anos.

Um outro estudo da Universidade do Minho, realizado no Norte de Portugal sobre a prevalência da violência entre parceiros íntimos, demonstrou que 26,2 por cento dos participantes declararam ter cometido pelo menos um acto abusivo contra o seu parceiro no último ano, contando qualquer tipo de abuso. Mas há muito por explorar.

Esta é a primeira vez que se avaliam os efeitos da violência doméstica em termos de saúde física e mental. Sabe-se que é recorrente que as vítimas deste tipo de abuso sofram de depressão, ansiedade, stress pós-traumático, etc. Mas não existem trabalhos que relacionem os abusos e a deterioração da saúde das vítimas no nosso país.

Indicadores de abusos

Os investigadores vão procurar também indicadores da prática destes abusos. Aos inquiridos será perguntado se bebem, consomem drogas, se foram vítimas de agressões durante a infância ou se assistiram a cenas de violência entre os progenitores, entre outras coisas, que se sabem estar associadas à prática de violência doméstica. O estabelecimento destes indicadores tem um papel fundamental, servindo de sinal de alerta aos profissionais de saúde e às autoridades que passam a poder detectar os casos mais precocemente.

Paralelamente, a investigação pretende reunir, analisar e comparar a legislação e práticas profissionais de cada país no que toca a medidas de prevenção, detecção e reabilitação de vítimas e agressores. A comparação desses dados entre os diferentes países envolvidos no projecto vai permitir fazer algumas leituras sobre o efeito que diferentes tipos de medidas têm sobre a prevalência da violência doméstica e elaborar propostas que visem a sua melhoria.

Em Portugal, existe legislação sobre violência doméstica desde 1991. Em 2008, a PSP e a GNR registaram 27 mil queixas referentes a casos de violência doméstica.

O trabalho vai culminar na redacção de recomendações adaptadas à realidade da europeia, que serão entregues às autoridades competentes com o objectivo de promover a adopção de medidas mais eficazes contra este problema.

A violência doméstica é um flagelo que atinge tantos os países em desenvolvimento como as nações e as populações mais privilegiadas. Em Portugal, estima-se que um terço das mulheres já tenha sido vítima numa das suas diferentes formas (física, sexual e psicológica).
A maioria dos estudos sobre este problema focaliza-se no sexo feminino cujos dados advêm dos registos criminais e queixas formais ou dos pedidos de apoio das vítimas às instituições especializadas. Ficam de fora todos os casos não reportados bem como situações em que a vítima é um homem.

O DoVE pretende avaliar uma amostra representativa da população adulta de cada um dos países envolvidos (Portugal, Suécia, Alemanha, Reino Unido, Bélgica, Espanha, Grécia e Hungria), tanto nas mulheres como nos homens.

Perspectiva científica

Os cientistas pretendem estudar os actos de violência praticados entre parceiros íntimos, independentemente do estado civil ou género, com recurso a instrumentos estandardizados. É esta perspectiva científica mais abrangente e neutra que distingue este trabalho de outros existentes sobre a violência doméstica em Portugal.

De acordo com Henrique Barros, director do Serviço de Higiene e Epidemiologia da FMUP e líder do DoVE, os trabalhos científicos existentes são escassos. Os resultados de um trabalho anterior sobre este tópico, desenvolvido para a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, demonstram que uma em cada três mulheres portuguesas já foi vítima de abusos por parte do parceiro.

http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=36749&op=all#cont (http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=36749&op=all#cont)
Título: Re: Violência doméstica
Enviado por: Atomic em 22.jan.2018, 22:34:04
Eu confesso que em tempos achava "oh, mas as pessoas se continuam na relação é um erro da parte delas" mas entretanto a minha sensibilidade foi crescendo e já reconheço que por vezes as pessoas ficam presas num loop do qual nunca conseguem sair. Por um lado mantenho a minha opinião nos casos em que a pessoa mantém a relação na expectativa infundada que a questão irá mudar sozinho porque ele ou ela "nem é má pessoa", mas por outro compreendo agora que há situações de dependência que surgem e que acabam por ser um grande entrave para que a pessoa consiga se livrar da sua situação.