Assuntos Gerais > Arquivo

Eventos não-LGBT!

<< < (2/2)

noitidartnoK:

--- Responder ---Olá a todos,

É com muito prazer que anunciamos a 1ª sessão de contadores de histórias
que, capitaneada pelos “Contabandistas”, terá lugar na Casa do Brasil
nesta sexta-feira, dia 11 de Maio, a partir das 21h30.
Será uma noite de convívio intercultural: os Contabandistas são um grupo
heterogéneo formado por pessoas de várias nacionalidades que vão
trazer-nos histórias de todos os cantos do mundo. Convívios onde a
palavra, a comunicação e a partilha têm um lugar fundamental. Os
contabandistas e nós apelamos ao público a ter uma actitude interactiva
e trazer também alguma história para partilhar com todos.

Esperamos contar com a vossa presença.

Até a Sexta!

[...]

PS2: Teremos vinho e petiscos!
--- Fim de Citação ---

noitidartnoK:

--- Responder ---Ciclo de colóquios "Uma Questão de Sexo(s)"

Trata tu dos miúdos

A questão do género na Família

O papá ou a mamã? O professor ou a professora? Afinal quem tem mais jeito para
tratar dos miúdos?

Hoje, dia 12, às 15h30, o Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva reúne à mesma
mesa dois professores e um educador de infância para falar dos desafios e
dificuldades de educar os mais novos.

A entrada é gratuita.

Participantes:

Joana Campos - Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém

Henrique Santos - Educador de Infância/Associação de Profissionais de Educação de
Infância

Eduardo Beirante - Professor da Escola Básica do 1.º Ciclo n.º 6 de Camarate

Programa completo:

17 de Março - Menina não entra?
A questão do género no Desporto

14 de Abril - De quem é o rolo da massa?
A questão do género na Cozinha

12 de Maio - Trata tu dos miúdos
A questão do género na Família

9 de Junho - Comunistas, cowboys and queers
A questão do género na Literatura
--- Fim de Citação ---

noitidartnoK:
Algo que pode ser do vosso interesse:

Ser voluntário no evento 7 Maravilhas do Mundo!  ;)

http://juventude.gov.pt/Portal/Eventos/VoluntariadoJovem/7_maravilhas_voluntariado_jovem

monalisa:
http://fpas.org.pt/noticias/IIIMarCS/document_view

Comemorações do dia Mundial do Surdo, que se comemora dia 28 de Setembro de 2008

«O Dia Mundial do Surdo é comemorado desde sempre no último domingo do mês de Setembro, pelos Surdos do mundo inteiro. Esta data tem vindo a ser um marco para todos relembrarmos as lutas, travadas ao longo dos anos, por melhores condições de vida, dignidade, cidadania, saúde, educação e trabalho, tendo sempre como factor chave o pleno reconhecimento da Língua Gestual e da Cultura Surda em todos os âmbitos sociais. Por esta razão, e porque nunca parece de mais realçar a importância da Língua Gestual Portuguesa, a Federação Portuguesa das Associações de Surdos, decidiu incluir nas Comemorações do Dia Mundial do Surdo, a III Marcha da Comunidade Surda, no Dia 28 de Setembro, com inicio na Praça das Flores, pelas 11horas.»

(programa das comemorações no Porto, no link acima)

Equilibrium:
SLUTWALK LISBOA - 25 JUNHO, 17.30H, LARGO CAMÕES

 

Em consonância com iniciativas semelhantes já realizadas em diversas cidades do mundo, um grupo de cidadãs e cidadãos resolveu organizar a SlutWalk de Lisboa para demonstrar a sua indignação contra a culpabilização que as mulheres continuam a sofrer enquanto vítimas de agressão sexual e contra a desresponsabilização do agressor, do qual o recente caso do psiquiatra João Villas Boas é um exemplo.


A organização desta marcha é efectuada por dezenas de pessoas com práticas e identidades sexuais, actividades profissionais e origens culturais, sociais e geográficas diversas, vinculadas a este objectivo comum, funcionando através de uma plataforma online, sem estrutura formal, totalmente voluntária e em contínuo crescimento.


Tal como as restantes SlutWalks, a marcha lisboeta centra-se na denúncia da violência de género e no combate ao discurso machista que objectifica o corpo das mulheres como uma provocação que justifica a agressão. No entanto, esta marcha não é só de mulheres para mulheres, mas sim de todxs e para todxs xs que desejam uma alteração da moral dominante, que garanta a liberdade individual de todas as pessoas, apoiando e protegendo as (potenciais) vítimas de violência sexual e responsabilizando apenas xs agressorxs.


Apelamos por isso à participação alargada de todxs xs que defendem o direito à justiça, à igualdade de género, à vivência segura do espaço público, à pluralidade e à liberdade sexual.


Dia 25 saímos à rua, tal como em Auckland e Wellington (Nova Zelândia), para exigir o respeito pela nossa vontade e pelo nosso corpo. Dia 25 seremos todxs SLUTs!


Mais informações: slutwalklisboa@gmail.com

 


Manifesto

SlutWalk* Lisboa – pela autodeterminação sexual em todas as circunstâncias

* SLUT, galdéria, desavergonhada, p***, descarada, vadia, badalhoca, fácil




 

Em Janeiro de 2011 um polícia afirmou em Toronto que as mulheres devem evitar vestir-se de forma provocante se não quiserem ser violadas. A SlutWalk Lisboa junta-se à vaga de indignação que esta afirmação causou um pouco por todo o mundo.


Recusamos totalmente a culpabilização das mulheres face a situações de violência sexual. Recusamos a cumplicidade com a agressão e com quem agride, seja pelo silêncio ou pela benevolência. Recusamos a objectificação e mercantilização dos corpos das mulheres. Mude-se as leis, mude-se quem agride. Mude-se a cultura patriarcal que diz às mulheres para não serem violadas, em vez de dizer aos homens para não violarem.


Mude-se a moral dominante, segundo a qual SLUTs somos todas nós, mulheres casadas, solteiras, viúvas ou divorciadas, heterossexuais ou lésbicas, bissexuais, assexuais, com ou sem companheirxs, monogâmicas ou não, com ou sem filhxs. SLUTs são todas as mulheres que não inibem gestos, emoções, desejos ou vontades, que vestem, falam e vivem de acordo com os seus próprios padrões, que se não vergam à moral dominante.


Se SLUT – galdéria, desavergonhada, p***, descarada, vadia, badalhoca, fácil – é uma mulher que decide sobre o seu corpo, sobre a sua sexualidade, e que procura prazer, então, somos SLUTs, sim!


Não queremos piropos sexistas, não queremos paternalismo, não queremos violência sexual. Dizemos não, por mais cidadania. Dizemos não, por mais democracia. Dizemos não, por mais liberdade.


Se ponho um decote… Não é Não!

Se pus aquelas calças de que tanto gostas… Não é Não!

Se uso burqa… Não é Não!

Se durmo com quem me apetece… Não é Não!

Se sou virgem… Não é Não!

Se passo naquela rua… Não é Não!

Se vamos para os copos… Não é Não!

Se me sinto vulnerável… Não é Não!

Se sou deficiente… Não é Não!

Se saio com xs maiores galdérixs…Não é Não!

Se ontem dormi contigo… Não é Não!

Se sou trabalhadora sexual… Não é Não!

Se és meu chefe… Não é Não!

Se somos casadxs, companheirxs, namoradxs… Não é Não!

Se sou tua paciente… Não é Não!

Se sou tua parente… Não é Não!

Se sou imigrante ilegal… Não é Não!

Se tenho relações poliamorosas… Não é Não!

Se sou empregada de hotel… Não é Não!

Se tens dúvidas se aquilo foi um sim, então… Não é Não!

Se és padre, imam, rabi ou poojary… Não é Não!

Se beijo outra mulher no meio da rua… Não é Não!

Se sou brasileira, cabo-verdiana, angolana ou de outro país que sofreu colonização… Não é Não!

Se tenho mamas e pila… Não é Não!

Se disse sim e já não me apetece… Não é Não!

Se sou empregada doméstica… Não é Não!

Se adoro ver pornografia… Não é Não!

Se ando à boleia… Não é Não!

Se estamos numa festa swing, numa sex party ou numa cena BDSM… Não é Não!

Se já abrimos o preservativo… Não é Não!

 

NÃO é sempre NÃO. Quando é SIM, não há ambiguidades ou dúvidas porque sabemos o que queremos e sabemos ser claras.

 

www.slutwalklisboa.wordpress.com

 

Evento no Facebook: http://www.facebook.com/event.php?eid=204581849580614

Navegação

[0] Índice de mensagens

[*] Página anterior

Ir para versão completa