rede ex aequo

Olá Visitante30.jun.2022, 23:29:08

Sondagem

A. Já foste discriminad@ no estrangeiro?   |   B. Lidas de forma diferente com a tua sexualidade no país onde estás a viver?

A. Já fui discriminad@ no estrangeiro
3 (6.1%)
A. Nunca fui discriminad@ no estrangeiro
22 (44.9%)
B. Não. No país em questão assumo-me, tal como o faço cá.
8 (16.3%)
B. Sim. No país em questão não me assumo, apesar de o fazer cá.
2 (4.1%)
B. Não. No país em questão não me assumo, tal como não o faço cá.
7 (14.3%)
B. Sim, no país em questão assumo-me, mas não o faço cá.
7 (14.3%)

Votos totais: 27

Autor Tópico: Ser LGBT no estrangeiro  (Lida 8952 vezes)

 
Ser LGBT no estrangeiro
#20

Offline Boreas

  • *****
  • Moderação Sénior
  • Membro Vintage
  • Género: Masculino
  • "Tu és rato!"
Os portugueses gostam de se fingir muito católicos, temos uma população que tem muito pouco de religiosa em termos de costumes e se denomina "catolico não praticante". Nada melhor que mostrar que estão de acordo com a igreja estando do lado dela quando o assunto não lhes diz respeito. Puro falso puritanismo.
    Just live!!! WILL POWER HOPE COMPASSION LOVE

    Ser LGBT no estrangeiro
    #21

    Offline corema

    • *****
    • Membro Elite
    • Género: Feminino

    Em Praga nunca vi casais de pessoas do mesmo sexo de mãos dadas na rua, e desconheço locais LGBT na mesma.


    Também nunca vi, mas falaram-me de um bar que teoricamente seria gay.
    Eu fui gozada em Praga, por dar um beijinho numa rapariga. Não sei bem o que as pessoas disseram :) mas que não acharam muita piada percebi. Tenho um grande amigo a viver lá que é mulato e tem tido vários problemas em termos de discriminação. Ou seja, de acordo com as pessoas que conheço que lá vivem, a discriminação é bem maior em Praga do que em Lisboa. A população não está minimamente habituada a nada destas "modernidades". A verdade é que saíram há relativamente há pouco tempo de um regime muito rigido e fechado, por isso a população ainda se está a começar a habituar à diferença.

    Tenho a ideia que de todas as cidades estrangeiras onde já troquei algum afecto com uma mulher em público, a única onde nunca tive problema nenhum foi em Berlim. Ou melhor, até tive uma reacção menos boa, mas foi de um rapaz português...

    A verdade é que nunca vivi no estrangeiro, já visitei muitos sítios, alguns várias vezes e por algum tempo, mas viver é diferente. Assim dá para fazer uma ideia, mas não dá para saber como será na realidade em termos de vida do dia a dia.
    « Última modificação: 6 de Janeiro de 2009 por corema »

      Ser LGBT no estrangeiro
      #22

      Offline τοRoyalSizeΚΞ

      • *****
      • Orador(a)
      • Membro Vintage
      • Género: Masculino
      (...)
      Penso que na República Checa também já é bem aceite, ou estou enganado?
      (...)
      Depende daquilo a que te referes. Quanto à sociedade ou quanto a direitos políticos?
      (...)
      Em Praga nunca vi casais de pessoas do mesmo sexo de mãos dadas na rua, e desconheço locais LGBT na mesma.

      Presumo que a população seja um pouco como a portuguesa, diferente de meios pequenos para meios mais urbanos, diferente de camadas jovens para camadas mais idosas, diferente de pessoas religiosas para pessoas menos religiosas. E provavelmente existe algum receio por parte dos LGBT em manifestarem-se em locais mais populosos, como é o centro de Praga, que transborda de estrangeiros provavelmente em qualquer altura do ano.

      Quanto a questões políticas, acho que o caminho está a ser aberto e há vários assuntos em discussão, tal como cá.
      (...)
      Eu diria que a República Checa é um país bastante aberto no grupo dos países eslavos e de Leste, mas a minha experiência carece de mais informação ;)

      (...)
      Em Praga nunca vi casais de pessoas do mesmo sexo de mãos dadas na rua, e desconheço locais LGBT na mesma.
      (...)
      Também nunca vi, mas falaram-me de um bar que teoricamente seria gay.
      Eu fui gozada em Praga, por dar um beijinho numa rapariga. Não sei bem o que as pessoas disseram :) mas que não acharam muita piada percebi. Tenho um grande amigo a viver lá que é mulato e tem tido vários problemas em termos de discriminação. Ou seja, de acordo com as pessoas que conheço que lá vivem, a discriminação é bem maior em Praga do que em Lisboa. A população não está minimamente habituada a nada destas "modernidades". A verdade é que saíram há relativamente há pouco tempo de um regime muito rigido e fechado, por isso a população ainda se está a começar a habituar à diferença.
      (...)
      A verdade é que nunca vivi no estrangeiro, já visitei muitos sítios, alguns várias vezes e por algum tempo, mas viver é diferente. Assim dá para fazer uma ideia, mas não dá para saber como será na realidade em termos de vida do dia a dia.

      Acredito :) Lá está, a diferença entre a classe social e a classe política (ou do politicamente correcto).

        Ser LGBT no estrangeiro
        #23

        Offline Driretlanii

        • ****
        • Membro Sénior
        • A vida é efémera, o amor eterno...
        Saudades da Holanda e da mentalidade dos holandeses...
          Darkness has fallen upon me

          Ser LGBT no estrangeiro
          #24

          Offline Rubi

          • ***
          • Membro Total
          • Banido
          • Género: Masculino
          Sim. A poluição das ruas dá direito a multa. :up
            One, two, three, four, five, six! Six demons! Uncover them names!

            http://br.youtube.com/watch?v=HlP2O-jL7qk

            Ser LGBT no estrangeiro
            #25

            Offline Semi_Sweet_Charity

            • ****
            • Membro Sénior
            • Banido
            • Género: Masculino
            • Only Semi - Because you dont deserve all!
            Por mais estranho que pareça, um dos paises onde vi mais casais de lésbicas assumidas em plena rua foi na Polónia!
              Facebook told me that was my Drag Queen Name!

              Ser LGBT no estrangeiro
              #26

              Offline Back Room

              • *****
              • Membro Elite
              • Género: Masculino

              Tenho a ideia que de todas as cidades estrangeiras onde já troquei algum afecto com uma mulher em público, a única onde nunca tive problema nenhum foi em Berlim. Ou melhor, até tive uma reacção menos boa, mas foi de um rapaz português...


              Mais de metade da população de Berlim é ateia/agnóstica.
                "I started being proud of being gay, even though I wasn't." Kurt Cobain.

                "Quelle est votre plus grand ambition dans la vie? Devenir immortel... et puis... mourir." À Bout de Souffle, Godard.

                "One of the great tragedies of mankind is that morality has been hijacked by religion." Arthur C. Clark

                Ser LGBT no estrangeiro
                #27

                Offline τοRoyalSizeΚΞ

                • *****
                • Orador(a)
                • Membro Vintage
                • Género: Masculino
                Por mais estranho que pareça, um dos paises onde vi mais casais de lésbicas assumidas em plena rua foi na Polónia!


                Engraçado, as sociedas tendem a ser mũito dicotómicas :P

                           vs          

                  Ser LGBT no estrangeiro
                  #28

                  Offline elan

                  • ****
                  • Membro Sénior
                  • Género: Feminino
                  Por mais estranho que pareça, um dos paises onde vi mais casais de lésbicas assumidas em plena rua foi na Polónia!

                  Já estive na Polónia e nunca vi lésbicas por lá. Ao contrário, na Suiça que vi imensas manifestações de afecto em público.
                  « Última modificação: 7 de Janeiro de 2009 por elan »

                    Ser LGBT no estrangeiro
                    #29

                    Offline Semi_Sweet_Charity

                    • ****
                    • Membro Sénior
                    • Banido
                    • Género: Masculino
                    • Only Semi - Because you dont deserve all!
                    Por mais estranho que pareça, um dos paises onde vi mais casais de lésbicas assumidas em plena rua foi na Polónia!

                    Já estive na Polónia e nunca vi lésbicas por lá. Ao contrário, na Suiça que vi imensas manifestações de afecto em público.

                    Ainda estavam no armário na altura maybe  :P
                      Facebook told me that was my Drag Queen Name!

                      Ser LGBT no estrangeiro
                      #30

                      Offline Blesia

                      • ****
                      • Membro Sénior
                      "Como reagem os argentinos a um beijo gay?" (artigo do JN)



                      ----------

                      Outra coisa, alguém me sabe dizer como é a realidade LGBT na costa espanhola/ilhas Baleares ou na Polónia (fora de Varsóvia e Cracóvia)? Desculpem ser tão específica, mas há a possibilidade de passar alguns meses nesses países e não queria apanhar grandes surpresas :x
                      Obrigada :)

                        Ser LGBT no estrangeiro
                        #31

                        Offline carolinalg

                        • *****
                        • Moderação Geral
                        • Membro Elite
                        • Género: Feminino
                        • call it Magic... call it true...
                        Alguém já foi à Bulgária?

                        Como é que o pessoal lida com a existência de LGBT's e com as saídas à noite em zonas/bares gay-friendly? :)

                        Obrigada.

                          Ser LGBT no estrangeiro
                          #32

                          Offline Atomic

                          • *****
                          • Membro Ultra
                          • Género: Masculino
                          • Everything changes when you grow old...
                            • Somos Blergh
                          Surpreende-me ser a 2ª pessoa a dizer que fui discriminado no estrangeiro! :P sinceramente não posso apontar um ponto em específico em que me tenha sentido discriminado, mas dada a homofobia internalizada de algumas pessoas na Letónia, sinto que houve alturas em que as pessoas quase que me queriam calar. Mas pronto, senti que era mais medo do que propriamente agressividade ou qualquer outra coisa. Em geral senti-me bem estando out em Riga!

                          Ser LGBT no estrangeiro
                          #33

                          Offline سامانتا

                          • *****
                          • Associad@
                          • Membro Ultra
                          • Género: Feminino
                          • pretty in scarlet
                          Já, sim. Quando vivi na Eslovénia tive o azar de partilhar casa com duas pessoas homofóbicas (e racistas, entre outras coisas). Percebi que era mesmo por falta de informação (lembro-me de uma vez estarmos na rua e passar uma pessoa negra por nós e a minha colega de casa ter ficado CHOCADA porque "nunca tinha visto nenhuma ao vivo" - palavras dela). Eram as duas do leste europeu.

                          Que eu me lembre nunca tive nenhuma situação grave, isto no sentido de ser desconfortável, eram mais pequenas situações do quotidiano. Mas lembro-me de quando a moça da Ucrânia percebeu que eu era lésbica e foi contar a toda a gente para avisar essas pessoas da "doença" que eu tinha. Mas tramou-se porque já toda a gente sabia (eu falo naturalmente das minhas várias identidades como falo sobre gostar de séries, por exemplo*) e para aquelas pessoas era tudo normal. Foi chato no sentido de desrespeito e confiança. Felizmente trabalhava com pessoas de mente aberta mas podia ter sido grave noutras circunstâncias. E dei-lhe um sermão sobre isso mesmo.

                          * até agora. Ainda não calhou estar num país onde isso me trouxesse graves problemas ou uma tareia então o meu discurso mantém-se como aqui em Portugal.
                          « Última modificação: 31 de Janeiro de 2018 por سامانتا »
                            «Open your eyes, open your mind,
                            proud like a god, don't pretend to be blind.
                            Trapped in yourself, break out instead,
                            beat/feed the machine that works in your head»
                            - Guano Apes

                            Ser LGBT no estrangeiro
                            #34

                            Offline chloe_

                            • **
                            • Membro Júnior
                            • Género: Feminino
                            Estive algum tempo na Hungria e não vi nada de afetos em público. Quando comentei com pessoas de lá, disseram-me que era normal e que aceitavam na boa, mas na verdade acho que isso não ia acontecer, talvez só o pessoal mais jovem (e mesmo assim nem todo)! Para além de que o regime políico lá agora não ajuda em nada.

                               

                              Tópicos relacionados

                                Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
                              64 Respostas
                              14944 Visualizações
                              Última mensagem 17 de Janeiro de 2011
                              por jamessaints
                              731 Respostas
                              141930 Visualizações
                              Última mensagem 16 de Maio de 2011
                              por FailedTheories
                              17 Respostas
                              6538 Visualizações
                              Última mensagem 9 de Maio de 2011
                              por portoboy
                              4 Respostas
                              6200 Visualizações
                              Última mensagem 26 de Maio de 2009
                              por MisticThought
                              0 Respostas
                              1585 Visualizações
                              Última mensagem 15 de Junho de 2011
                              por Layn