Outras Conversas > Artes & Letras

Florbela Espanca

<< < (22/22)

SM:
O look estava bem recriado, com certeza que sim  :).
Não, ela não era considerada bonita, nem ela própria o achava (podia não se achar bonita mas sê-lo mas a própria afirmava não ser muito humilde) e quanto à sua beleza, uma das citações dela:
" Nunca fui bonita, e sempre vi em volta de mim mais rapazes do que talvez nenhuma rapariga visse em toda a visa,e, como vês, sou hoje a criatura mais desprendida de tudo isso que tu poderias ter encontrado no teu caminho" - Correspondência (1920).

De cada vez que a leio, apaixono-me um pouco mais   ::).

Forbidden:

--- Citação de: SM em 10 de Maio de 2014 ---O look estava bem recriado, com certeza que sim  :).
Não, ela não era considerada bonita, nem ela própria o achava (podia não se achar bonita mas sê-lo mas a própria afirmava não ser muito humilde) e quanto à sua beleza, uma das citações dela:
" Nunca fui bonita, e sempre vi em volta de mim mais rapazes do que talvez nenhuma rapariga visse em toda a visa,e, como vês, sou hoje a criatura mais desprendida de tudo isso que tu poderias ter encontrado no teu caminho" - Correspondência (1920).

De cada vez que a leio, apaixono-me um pouco mais   ::).

--- Fim de Citação ---


Que estranho, entao tinha uma ideia totalmente diferente... mas acho que li uma carta dela (penso eu que era uma carta) na escola, em que a atitude dela era um pouco narcissica, via-se que ela gostava dela propria... do que me lembro, falava bem das maos dela, em particular, e chamava-se de "pantera"  ;D

E ela foi casada tres vezes, por isso devia ter muitos pretendentes...

SM:
Pode gostar dela própria e não se achar bonita, pode gostar simplesmente de si enquanto pessoa, que acho que era o caso. Mas claro que não sabemos o que ela sentia, são tudo interpretações  :).
Mas sim, pretendentes tinha, os homens adoravam-na e ao requinte com que falava de literatura e arte e ela ia a imensos saraus. Mas tinha uma paixão secreta pelo irmão, que também se crê que fosse um amor não propriamente vindo dos laços de sangue que os uniam.

Sappho:
EU

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada... a dolorida...

Sombra de névoa ténue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...

Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber porquê...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver
E que nunca na vida me encontrou!


AMIGA

Deixa-me ser a tua amiga, Amor,
A tua amiga só, já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor,
A mais triste de todas as mulheres.

Que só, de ti, me venha mágoa e dor
O que me importa a mim?! O que quiseres
É sempre um sonho bom! Seja o que for,
Bendito sejas tu por mo dizeres!

Beija-me as mãos, Amor, devagarinho...
Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho...

Beija-mas bem!... Que fantasia louca
Guardar assim, fechados, nestas mãos
Os beijos que sonhei prà minha boca!...

in "Eu não sou de ninguém"

FilhoDeApolo:

--- Citação de: Sappho em 28 de Outubro de 2014 ---

AMIGA

Deixa-me ser a tua amiga, Amor,
A tua amiga só, já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor,
A mais triste de todas as mulheres.

Que só, de ti, me venha mágoa e dor
O que me importa a mim?! O que quiseres
É sempre um sonho bom! Seja o que for,
Bendito sejas tu por mo dizeres!

Beija-me as mãos, Amor, devagarinho...
Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho...

Beija-mas bem!... Que fantasia louca
Guardar assim, fechados, nestas mãos
Os beijos que sonhei prà minha boca!...

in "Eu não sou de ninguém"

--- Fim de Citação ---


é o meu poema dela favorito.

Navegação

[0] Índice de mensagens

[*] Página anterior

Ir para versão completa