Outras Conversas > Artes & Letras

Fernando Pessoa

(1/11) > >>

Sarbor:
Reparei, surpreendentemente, que ainda aqui não existia nenhum tópico sobre este génio português, por isso decidi, por bem, criar um.  :)

Também gostam? Quais os vossos heterónimos preferidos? Os vossos poemas preferidos? As obras?

Gostei muito da "Mensagem". E tenciono ler o "Livro do Desassossego" de Bernardo Soares, já ouvi falar muito bem dele.
O meu heterónimo preferido é Alberto Caeiro! Deixo aqui um poema para quem se quiser deliciar, tal como eu:

[Quando vier a primavera,], Alberto Caeiro - Pedro Lamares

Geez:
Também gostei de estudar, mas não de analisar. O que pode ser um pouco contraditório.

O que mais gostei foi o Alberto Caeiro!

"O Amor É uma CompanhiaO amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.

Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio."

Spektrum:
A sua pluralidade é fantástica. Identifico-me nos 4 heterónimos mais conhecidos, não consigo eleger um "mais" predilecto.

ilikerodie:
Gosto imenso de Fernando Pessoa Ortónimo e Álvaro de Campos.

Por um lado, adoro em Ortónimo as temáticas da dor de pensar (nomeadamente  "Gato que brincas na rua") e da nostalgia de infância (adoro o "Não sei, ama, onde era" e o "O menino da sua mãe"). Penso que estes poemas primam pela sua simplicidade, algo que é mais raro nos heterónimos (excepto em Caeiro).

Relativamente a Álvaro de Campos, adoro o poema "Acordo de noite, muito de noite, no silêncio todo", porque de certa forma identifico-me com o sujeito poético: todos procuramos a nossa cara-metade "no desespero da insónia", perante a "noite eterna, informe, infinita"?

PRubia:

--- Citação de: Geez em 28 de Março de 2012 ---Também gostei de estudar, mas não de analisar. O que pode ser um pouco contraditório.

O que mais gostei foi o Alberto Caeiro!

"O Amor É uma CompanhiaO amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.

Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio."

--- Fim de Citação ---

Gosto tanto deste poema  :)

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa