Outras Conversas > Outras Conversas

Filosofando

(1/2) > >>

biki:
Achei que seria boa ideia criar um tópico para discussões filosóficas. Axiologia, ética, religião, ... Assuntos não necessariamente relativos à temática LGBT.

E começo por deixar aqui um texto com que me deparei numa aula de filosofia, há tempos, e decidi passá-lo para computador. Have fun!

Tolerância e Ofensa

Por Desidério Murcho

   A tolerância é uma das noções mais difíceis de compreender. Confunde-se geralmente com o relativismo epistémico e esta confusão denuncia incapacidade ou até falta de vontade para aceitar a tolerância. Os pensadores pós-modernistas são responsáveis por contaminar a cultura contemporânea com esta confusão grave, que acaba por tornar impossível a genuína tolerância.
   Ser tolerante é aceitar o direito de alguém afirmar o que pensamos firmemente ser falso ou errado ou inaceitável ou ofensivo. Isto é de tal modo difícil de assimilar que os pensadores pós-modernistas se sentem na necessidade de declarar que não há "verdades", mas apenas "construções socias da realidade". E, por causa disso, todas as diferentes "construções" são igualmente aceitáveis. Pensa-se, então, que esta atitude é tolerante, quando, ironicamente, torna imporssível a tolerância. Pois se ninguém pode realmente estar errado nem dizer coisas falsas nem inaceitáveis, não podemos realmente ser tolerantes: limitamo-nos a aceitar todas as perspectivas que reconhecemos à partida serem tão aceitáveis como as nossas.
  Pior: a falsa tolerância abre as portas ao fanatismo, cada vez mais presente na sociedade contemporânea. O fanatismo consiste em usar sistematicamente a noção de ofensa para silenciar os outros. Assiste-se, assim, à imposição de um discurso falsamente politicamente correcto, proibindo-se seja quem for de dizer seja o que for que possa ser ofensivo seja para quem for. Não se pode dizer que o cristianismo, o islamismo, o budismo ou o judaísmo são basicamente tolices supersticiosas, porque isso é ofensivo. Não se pode dizer, como James Walton, que os negros são menos inteligentes que os brancos. Não se podem fazer cartoons a gozar com Maomé. E, numa reviravolta digna dos Monthy Pythin, is docentes da Universidade de Roma La Sapienza declaram-se ofendidos com as opiniões do Papa sobre Galileu e os estudantes encenam protestos contra os cartoons do Maomé.
  A tolerância pressupõe a convicção do erro. Só podemos tolerar o que estamos convictos de que é um erro inaceitável, uma falsidade patente, um absurdo ofensivo. Tolerar é tolerar humanamente. Não é tolerar epistemicamente, no sentido de defender que qualquer afirmação é igualmente justificável epistemicamente. Não é epistemicamente justificável que o Holocausto não existiu ou que qualquer negro é menos inteligente do que qualquer branco ou que os seres humanos descendem de Adão e Eva. E é precisamente porque tais opiniões são claramente falsas, claramente injustificáveis, que podemos ser tolerantes relativamente a quem as defende. Ser tolerante é defender as pessoas que têm ideias falsas, idiotas ou inaceitáveis e atacar essas ideias; não é atacar as pessoas para evitar o incómodo de provar que as ideias são falsas. E, se tais ideias nos ofendem, paciência. Não é possível garantir a liberdade de expressão e, ao mesmo tempo, garantir que não seremos ofendidos.

poçosnegros:

Vem cá...Dá-me o teu mundo outra vez!!

( Balancé)

origo:
In a world made by Man
The reality that once was
Can't become

O que escolheriam...
 voltarmos aos tempos primórdios em que a relação com a Natureza e a Terra era de maior harmonia e paz
ou
 mantermos a nossa direcção num futuro cada vez mais tecnológico mas também capaz de atingir as estrelas
?

biki:

--- Citação de: origo em 21 de Fevereiro de 2008 ---In a world made by Man
The reality that once was
Can't become

O que escolheriam...
 voltarmos aos tempos primórdios em que a relação com a Natureza e a Terra era de maior harmonia e paz
ou
 mantermos a nossa direcção num futuro cada vez mais tecnológico mas também capaz de atingir as estrelas
?

--- Fim de Citação ---

Mesmo que voltássemos... Continuaríamos a criar métodos, ferramentas, etc para termos a vida mais simplificada. Íamos parar ao mesmo, a tecnologia ia acabar por se desenvolver outra vez.

Chuva de Verão:
O Homem faz parte da Natureza, e por isso há correntes que defendem que a própria tecnologia faz parte da Natureza. Estamos habituados a pensar na tecnologia Humana como algo fora da natureza, mas até os chimpazés e as lontras têm tecnologia (usam instrumentos para facilitar as suas necessidades), claro q não tão desenvolvida como a nossa... O problema com a nossa tecnologia é que, como está, não permite o desenvolvimento de outros. Não permite um desenvolvimento sustentável a nível económico e ecológico.

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa