Outras Conversas > Artes & Letras

Poesia

<< < (4/50) > >>

be free:

--- Citação de: Decode em 15 de Setembro de 2009 ---
--- Citação de: be free em 15 de Setembro de 2009 ---
--- Citação de: Decode em 15 de Setembro de 2009 ---Ingenuidade

(...)

Lembro-me quando me enterraste ao teu lado
Sem coroa de flores, falsos choros ou saudade
Eu fui o primeiro de uma vulgar vala comum
De vítimas de uma maldosa e pérfida ingenuidade

gostei muito desta parte...


--- Fim de Citação ---



--- Fim de Citação ---

Muito obrigado! ;D

O poema que aqui colocaste é muito bonito mesmo! Absolutamente brilhante!  :up

--- Fim de Citação ---

foste tu que escreveste? Gostas de escrever? De qualquer forma...o poema está wow mesmo...gostei bastante mesmo  ;D

Angel of darkness:
Sim, fui eu... è um pouco fora daquilo que escrevia até então, antes escrevia aquela coisa mais "oh coitadinho de mim,  vem amor, da-me a mão e faz-me esquecer que chorei por ti um dia"  lol Mas ultimamente tenho tido umas influencias muito "obsequey"...se bem que isso faz-me olhar para o que escrevo e pensar "mas esta porcaria é completamente pessoal, não é proveitoso para ninguém" mas lá está...nem sempre se escreve para os outros, muito menos em poesia, as vezes escrevemos porque precisamos... ;)

be free:

--- Citação de: Decode em 15 de Setembro de 2009 ---Sim, fui eu... è um pouco fora daquilo que escrevia até então, antes escrevia aquela coisa mais "oh coitadinho de mim,  vem amor, da-me a mão e faz-me esquecer que chorei por ti um dia"  lol Mas ultimamente tenho tido umas influencias muito "obsequey"...se bem que isso faz-me olhar para o que escrevo e pensar "mas esta porcaria é completamente pessoal, não é proveitoso para ninguém" mas lá está...nem sempre se escreve para os outros, muito menos em poesia, as vezes escrevemos porque precisamos... ;)

--- Fim de Citação ---

Ora nem mais!! Comigo funciona também assim...ajuda a descarregar e quando nem sempre se tem com quem desabafar ou não se quer..ajuda bastante  ;)

De ser proveitoso ou não para alguém..hmm...muitas vezes também relacionamo-nos com algo que os outros escrevem...ou nos sentimos identificados com tal...e vai se a ver e eram poemas pessoais...mas é mais um escape para mim...Mais uma vez...parabéns!!! achei mesmo wow...muito bem construído wow mesmo..nem sei que dizer... ;)

Angel of darkness:
Muito obrigado be free, é como te digo, não pensei nunca em mostra-lo a ninguém  :´ agrada-me mesmo muito que de alguma maneira  gostes dele, sério!

Pro-Noir

Apertaste o gatilho do teu amor
Demasiado perto da minha cabeça,
Deamasiado longe do meu coração…
Projectaste a minha alma em fragmentos,
Estilhaços de mim, contra a parede, contra o chão
E assim decoraste o vestíbulo do nosso romance:
Um assombroso quarto caiado com o meu sangue

Oh, ó menos tivesses um coração
Algo contra o qual podesse atirar…
Fechaste os olhos a todos os filosofos,
E foste os tiranos desenterrar
Porque te faziam sentir forte, bom,
Pois só em contraste com eles tu o serias

be free:

--- Citação de: Decode em 15 de Setembro de 2009 ---Muito obrigado be free, é como te digo, não pensei nunca em mostra-lo a ninguém  :´ agrada-me mesmo muito que de alguma maneira  gostes dele, sério!

Pro-Noir

Apertaste o gatilho do teu amor
Demasiado perto da minha cabeça,
Deamasiado longe do meu coração…
Projectaste a minha alma em fragmentos,
Estilhaços de mim, contra a parede, contra o chão
E assim decoraste o vestíbulo do nosso romance:
Um assombroso quarto caiado com o meu sangue

Oh, ó menos tivesses um coração
Algo contra o qual podesse atirar…
Fechaste os olhos a todos os filosofos,
E foste os tiranos desenterrar
Porque te faziam sentir forte, bom,
Pois só em contraste com eles tu o serias


--- Fim de Citação ---

bem..se isso também for teu devias estar proibido de por posts aqui pois fico sempre com cara de parva a olhar para eles e a le-los over and over again... ;D no gozo..continua!! Gosto bastante da maneira como escreves, da tua poesia... Também tenho medo de mostrar sempre algo meu a alguém...tenho receio que o que dizem sobre o poema ou sobre o texto em questão seja..bem..para me agradar...

mais um de Miguel Torga...

Súplica

Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada.

Miguel Torga


Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

[*] Página anterior

Ir para versão completa