a carregar...

rede ex aequo - associação de jovens lgbti e apoiantes

Esqueceste-te da password?

Projectos da rede ex aequo

Descobre os projectos da rede ex aequo

  1. home
  2. projectos
  3. Projectos Concluídos
  4. Comunicados e Petições
  5. Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

27 de Janeiro de 2014

Hoje é o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Passados quase 70 anos desde o fim da II Guerra Mundial, importa não deixar cair no esquecimento as atrocidades que o ser humano consegue inflingir a si mesmo. Muitos sofreram e pereceram naqueles dias tormentosos, vítimas da intolerância, da discriminação, bodes expiatórios de regimes totalitários, pessoas vistas como dispensáveis, e portanto suscetíveis de ser eliminadas.

Hoje, como sempre, é necessário lembrar quem sofreu por ser diferente, porque tanto hoje como em tempos passados, ser-se diferente continua a ser algo que nos deixa suscetíveis à violência, ao insulto, ao isolamento e à invisibilidade.

A rede ex aequo - associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, trangéneros e simpatizantes vem relembrar as vítimas deste genocídio que frequentemente ficam na sombra da memória desta tragédia da humanidade, que depois de enterrado o regime nazi continuaram a ser perseguidos, aqueles que a História apenas recentemente os reconheceu como vítimas de genocídio - os homens e as mulheres homossexuais, bissexuais e transgénero perseguidos e encarcerados em campos de concentração, vítimas também de agressões por parte dos próprios prisioneiros dos campos, sujeitos a experiências médicas brutais, entregues aos trabalhos mais pesados, agredidos, violentados.

Marcámos esta data numa das ruas mais movimentadas de Lisboa, construíndo um triângulo preto e um cor-de-rosa, os símbolos usados nos campos de concentração.

Não deixemos que esta tragédia se desvaneça das nossas memórias, mantenhamos viva esta ferida, para que olhemos para ela, hoje e sempre, e nos lembremos o quão fácil é a humanidade tornar-se selvática e monstruosa, e que ao mais leve sinal de intolerância nos indignemos e lutemos por uma realidade onde a intolerância não exista.