a carregar...

rede ex aequo - associação de jovens lgbti e apoiantes

Esqueceste-te da password?

Projetos da rede ex aequo

Descobre os projetos da rede ex aequo

  1. home
  2. projetos
  3. Projectos Concluídos
  4. Comunicados e Petições
  5. COMUNICADO: DIA INTERNACIONAL DA MEMÓRIA TRANS

COMUNICADO: DIA INTERNACIONAL DA MEMÓRIA TRANS

Este dia é simbólico. Contudo, também tem um rosto e um nome. Na verdade, tem vários. Estes são alguns do ano de 2011:

- Lashai Mclean (alvejada  em julho de 2011. Tinha 23 anos), Washington D.C. EUA
- Didem (degolada em julho de 2011. Tinha 26 anos), Instambul,Turquia
- Priscila Brandão (alvejada na cabeça, em março de 2011. Tinha 22 anos), Belo Horizonte, Brasil
- Incógnita (queimada viva, em Janeiro de 2011), Ocoyoacac, México

A lista, infelizmente, continua.

A existência desta lista pretende relembrar toda a sociedade que estas pessoas existem. E que foram assassinadas. Não foram acidentes. Foram crimes de ódio. Foi transfobia.

A nossa sociedade continua a não aceitar todas estas pessoas como seres humanos iguais aos demais, com direitos e deveres que merecem ser respeitados. Ainda hoje os transgéneros continuam a ser tratados como aberrações e, quando muito, cidadãos de segunda. 

Relembramos estas pessoas e as suas mortes para que enquanto sociedade possamos refletir sobre os nossos atos e o modo como tratamos os nossos semelhantes. Eram pessoas com sentimentos, sonhos e projectos para o futuro. Tudo isto foi destruído e apagado quando foram assassinadas. E nós – sociedade – o que fazemos?

Em 2006, no Porto, uma transexual, Gisberta, acabou morta por afogamento no fundo de um fosso. "Uma brincadeira que acabou mal", ouviu-se no tribunal de menores, aquando da leitura da sentença. É isto que fazemos?!

A nossa sociedade não pode esquecer estes nomes, esquecer estas vidas perdidas, estes crimes de ódio. Temos de tomar consciência dos mesmos para conhecer a sociedade que somos e reflitamos sobre a sociedade que queremos ser. Vamo-nos erguer em pilares de solidariedade, respeito e de inclusão ou em pilares de ódio e violência?

Não esquecer e Engrandecer.
Não as podemos ignorar nem as deixar no esquecimento. Temos de as dignificar, exigindo que todas as pessoas transgéneras sejam tratadas como iguais e sejam respeitadas. Só assim podemos evitar que no próximo ano esta lista continue tão longa. 

A Direção da rede ex aequo